NOVA ESCOLA se une a coalizão para combater desinformação online

O projeto Comprova reunirá 24 veículos jornalísticos produzirão conteúdo para investigar a veracidade de informações que circularem durante a corrida eleitoral

POR:
Wellington Soares
Claire Wardle, do First Draft, organização que lidera o projeto Comprova. Foto: Divulgação

A partir de agosto, 24 veículos de imprensa do Brasil – entre eles, NOVA ESCOLA – passarão a monitorar redes sociais para identificar os temas de maior repercussão na internet. Os assuntos de maior destaque serão investigados pelos jornalistas dessas organizações para atestar a veracidade das informações. O conteúdo irá ao ar no site do projeto Comprova e nas plataformas dos membros da coalizão.

LEIA MAIS   Quanto custa um aluno no Brasil?

O trabalho investigativo será feito de maneira colaborativa. Os jornalistas dos veículos parceiros vão verificar rumores, conteúdo enganoso e táticas de manipulação nas redes sociais. Não haverá checagem de declarações de candidatos. O projeto Comprova também haverá um número de WhatsApp para que o público envie ao Comprova textos, imagens, vídeos e áudios suspeitos.

O objetivo do projeto é ajudar no combate à desinformação nas redes sociais. “O volume de conteúdo problemático circulando no Brasil é grande demais para que uma única redação lide com ele, e não faz sentido que diferentes redações dupliquem esforços para investigar os mesmos casos de conteúdo problemático”, afirma Claire Wardle, diretora do First Draft, organização norte-americana que lidera o projeto, coordenado pela Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji).

LEIA MAIS   Escola sem Partido: relatório omite vozes contrárias

NOVA ESCOLA atuará identificando e investigando boatos e informações sobre a Educação. “Uma das nossas missões é zelar pela qualidade do debate público no setor”, afirma Leandro Beguoci, diretor editorial e de conteúdo da Associação Nova Escola (ANE). “Ao participar dessa iniciativa, nós queremos contribuir com os educadores do Brasil. Afinal, o impacto das notícias falsas nas escolas e nas salas de aula pode ser muito grande e muito nocivo”.

Além da participação no Comprova, a organização também está realizando o projeto MENTIRA NA EDUCAÇÃO, NÃO!, em que publica investigações sobre boatos e mitos educacionais, em parceria com o Instituto Unibanco, o Instituto Alana, o canal Futura e o Facebook.

Inspiração internacional
O Comprova foi inspirado por outros projetos realizado pelo First Draft, iniciativa do Centro Shorenstein para Mídia, Política e Políticas Públicas, da Universidade Harvard, nos EUA. Em anos anteriores, a organização atuou com veículos da França, da Alemanha e do Reino Unido em projetos semelhantes.

No Brasil, além da Abraji, o Comprova tem apoio institucional do Instituto para o Desenvolvimento do Jornalismo (Projor). O financiamento é realizado pelo Google News Initiative e o Facebook Journalism Project, que também ofereceram treinamento e apoio técnico aos jornalistas dos veículos.

"Nunca tantos veículos concorrentes se uniram em um projeto colaborativo como este", destaca Daniel Bramatti, presidente da Abraji e líder do Comprova. Além de NOVA ESCOLA, participam da coalizão AFP, Band, BandNews, Canal Futura, Correio do Povo, Exame, Folha de S.Paulo, GaúchaZH, Gazeta do Povo, Gazeta Online, Jornal do Commercio, Metro Brasil, Nexo Jornal, NSC Comunicação, O Estado de S.Paulo, O Povo, Poder360, piauí, Rádio BandNews FM, Rádio Bandeirantes, SBT, UOL e Veja.

Os parceiros institucionais da iniciativa são a Associação Nacional de Jornais (ANJ), o Escritório da Universidade de Harvard no Brasil, o Projor, Torabit, Ideal H+K Strategies e Twitter.

Tags

Tags

Guias