Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

134

Veja 5 etapas de uma atividade para aula de Arte alinhada à BNCC

Chuva foi a inspiração de uma sequência didática que permitiu aos alunos de 2º ano explorarem diversas linguagens artísticas

Autor: Rita Trevisan

Atividade contempla artes visuais, música, teatro e dança. Ilustração: Rita Mayumi/Nova Escola

Partindo de um elemento comum ao dia a dia dos alunos, a chuva, a professora de Arte Natália Lourenço da Silva conseguiu trabalhar artes visuais, dança, música e teatro com uma turma de 2º ano da EMEF Prof. Lourenço Manoel Sparapan, de São Paulo, em um projeto já alinhado às diretrizes da BNCC. Nessa atividade, a educadora trabalhou os seguintes conteúdos: produções artísticas de diferentes linguagens com a temática "chuva", elementos das artes visuais (ponto, linha, ritmo e movimento), sons do corpo, instrumentos musicais e objetos sonoros. Além disso, ela abordou com a turma planejamento, improviso e atuação teatral e acompanhamento e recriação de coreografias. 

Objetivos: Permitir aos alunos a apreciação de obras artísticas de variadas linguagens com a temática chuva, estabelecendo paralelos e diferenciações entre as propostas dos diferentes artistas; reconhecer e explorar alguns dos elementos das imagens (ponto e linha) e seu uso em composições, criando ritmo e movimento; explorar procedimentos de desenho, pintura com rolinho e pincel; compor painel coletivo; apreciar e reproduzir sons, com o corpo, com objetos e instrumentos musicais; criar efeitos sonoros para atividades teatrais da turma; planejar, improvisar e atuar em pequenas cenas teatrais com a temática abordada; ressignificar coreografias apresentadas em vídeo, acompanhando e criando novos movimentos corporais; estabelecer conexões entre as obras e experiências vivenciadas nas diferentes linguagens artísticas.
Indicado para: Turmas do 2º ano 
Materiais: Obras de arte com a temática chuva, vídeos de músicas e danças disponíveis no YouTube e móveis e objetos da sala de aula
Espaço: Sala de aula 
BNCC: 

Artes visuais
(EF15AR01) 
(EF15AR02) 
(EF15AR04) 
(EF15AR06)  

Dança
(EF15AR08)  
(EF15AR11)

Música
(EF15AR13)  
(EF15AR15) 
(EF15AR17) 

Teatro

(EF15AR20)  
(EF15AR21) 


PASSO A PASSO

1. Artes visuais: trabalhe com desenhos e obras com a temática chuva
Proponha à turma a criação de um desenho que represente a chuva e explique às crianças que cada uma delas pode escolher o que desenhar para representar o fenômeno natural da sua própria maneira. Feito isso, convide os alunos a mostrarem suas produções aos colegas e a observarem as soluções encontradas por cada um, como o uso de pontos, gotas largas e finas, traços rápidos ou bem marcados, o uso de cores dentro ou fora das nuvens. Veja exemplos de desenhos abordados: 

Cada aluno desenhou a representação da sua própria maneira. Crédito:  Natália Lourenço da Silva/Arquivo pessoal 

Alunos exploraram o uso de pontos, gotas largas e finas e outros traços. Crédito:  Natália Lourenço da Silva/Arquivo pessoal 

Depois que a turma apresentar seus trabalhos, mostre e discuta com os alunos algumas obras artísticas visuais com a temática chuva. Para isso, selecione obras de diferentes períodos, como pinturas de Gustave Caillebotte e René Magritte, gravura de Oswaldo Goeldi, painel de grafite, instalação de Bright Ugochukwo Eke, além de poemas e tirinhas.

2. Música: convide os alunos a ouvirem som de chuva

Convide os alunos a ouvirem o som de chuva e depois de um grupo musical simulando o som com o próprio corpo (há diversos vídeos que podem ser usados como referência no YouTube). Com isso, os alunos vão identificar o barulho de gotas, trovões, e diferenciar sons fracos e fortes. Só no final, mostre a eles a imagem do grupo de pessoas que haviam reproduzido os sons. Assim que as crianças identificarem os movimentos responsáveis pela criação daqueles sons, instigue-os a reproduzi-los com o próprio corpo.

Pontos de atenção: “Em uma das turmas em que apresentei a proposta, ocorreu uma dificuldade do grupo em criar o som de chuva, pois a turma, intuitivamente, se organizava em um mesmo ritmo, não conseguindo criar sons de forma aleatória e natural”, diz a professora. Ela aproveitou a situação para explicar algumas diferenças entre os sons ditos desorganizados em uma paisagem sonora e os sons organizados em uma música. A etapa terminou com a apresentação de alguns objetos sonoros e instrumentos musicais que simulam o som de chuva e água: pau de chuva, chocalho de tampas PET, plástico acetato (raio X) e “caixa do mar” (caixa de pizza com arroz).

3. Teatro: crie cenas que podem ocorrer durante a chuva
Organize as crianças em grupo e peça a elas para criarem pequenas cenas que podem ocorrer durante a chuva ou em locais com água. Elas podem utilizar móveis e objetos da sala de aula para estimular e enriquecer suas propostas. Enquanto um grupo se apresenta, os demais alunos podem participar produzindo efeitos de sonoplastia da chuva com o corpo ou objetos.

4. Dança: estimule os alunos a recriarem coreografias
Mostre à turma trechos de vídeos de dança com a temática da chuva, como trechos do filme Cantando na Chuva e do clipe do seriado Glee, com as músicas Singing in the Rain e Umbrella. Converse com as crianças sobre as semelhanças e diferenças entre as coreografias, os figurinos, os ritmos das músicas e até as formas de usar o espaço; quantidade, gênero e necessidades especiais de alguns dançarinos etc. Depois, estimule-os a dançar acompanhando os vídeos, imitando ou recriando as coreografias livremente.

5. Exposição: crie um painel coletivo

Após conversar com os alunos sobre as aprendizagens adquiridas, proponha a criação de um painel coletivo. Com isso, retome as discussões sobre o uso de pontos e linhas feitos pelos alunos na primeira etapa e apresente algumas obras da artista Sandra Cinto, com foco na temática da água. Peça às crianças para que façam, individualmente, pinturas em tons de azul em um pedaço de cartolina com rolinho. Posteriormente, peça para usarem o pincel e pintarem outros elementos relacionados à água, como gotas de chuva ou ondas do mar. Por fim, reúna as pinturas em um painel coletivo, criando uma instalação junto aos instrumentos musicais que simulam água, para exploração dos apreciadores. 

Crianças criaram novos trabalhos para compor um painel coletivo. Crédito:  Natália Lourenço da Silva/Arquivo pessoal 



Artes Integradas
As Artes integradas são uma novidade da BNCC. A ideia é de que os alunos explorem as relações entre as diferentes linguagens e suas práticas, permitindo que em uma mesma proposta as corporalidades, visualidades, musicalidades, espacialidades e teatralidades estejam presentes de maneira concomitante. Além de articular as diferentes linguagens e suas práticas, possibilita também o uso das novas tecnologias de informação e comunicação.