17064
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 5º ano > Povos e culturas: meu lugar no mundo e meu grupo social

Plano de aula - Os patrimônios também são conquistas!

Plano de aula de História com atividades para 5º ano do EF sobre Os patrimônios também são conquistas!

Plano 03 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Gabriela Ferreira Bustamante Fonseca

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos. Ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos . Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF05HI05 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Esse plano apresenta os Patrimônios como uma conquista de reconhecimento das identidades culturais do país, e traz, como consequência, a ideia de ampliação dos direitos e da cidadania. Através da análise da transformação do Samba do Recôncavo Baiano em patrimônio procura-se fazer com que os alunos percebam o histórico de preconceito pelo qual passou esse ritmo, relacionado com a cultura dos negros escravizados no Brasil. A discussão sobre o preconceito racial e religioso também está presente no plano discutindo a participação social e formas de resistência cultural.

Materiais necessários:

Cadernos ou folhas para registro de respostas. Aparelhos para reprodução de músicas.

Para você saber mais:

Matéria sobre patrimônio cultural no site da revista Nova Escola: https://novaescola.org.br/conteudo/1682/e-hora-de-valorizar-nosso-patrimonio-cultural (Acesso em 3 de abril de 2019)

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Apresentar o objetivo da aula. Refletir com os alunos o conceito de cidadania à conquista de direitos dos povos e das sociedades, compreendendo que o patrimônio criado por uma sociedade também é uma forma de preservar e garantir a identidade de uma sociedade.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie essa aula fazendo uma retomada do conceito de patrimônio cultural. A partir das imagens e do que os alunos que já sabem, peça para que eles pensem no que é um patrimônio. Explique que o patrimônio cultural é todo o conjunto de produções da cultura, e que podem ser divididos entre patrimônio material e imaterial. Coletivamente, elabore os conceitos com a turma observando as imagens dos slides e diferenciando os tipos de patrimônio que aparecem nelas.

Como adequar à sua realidade: O conceito de patrimônio é parte do conteúdo do terceiro ano dos Primeiros Anos do Ensino Fundamental. No entanto, é importante checar se os alunos estudaram esse conteúdo nesse grau para planejar essa aula. Uma alternativa para o caso de necessidade de aprofundamento dessa exploração inicial é utilizar dicionários procurando os termos “patrimônio” e “cultura” para pensar baseado nas imagens o que pode ser considerado patrimônio cultural. Além disso, caso queira, traga referências de patrimônios que estão presentes na vida dos alunos. Nos slides procuramos adicionar imagens de diferentes partes do Brasil, mas você pode trazer outras que colaborem com a sensibilização dos alunos para o tema.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie essa aula fazendo uma retomada do conceito de patrimônio cultural. A partir das imagens e do que os alunos que já sabem, peça para que eles pensem no que é um patrimônio. Explique que o patrimônio cultural é todo o conjunto de produções da cultura, e que podem ser divididos entre patrimônio material e imaterial. Coletivamente, elabore os conceitos com a turma observando as imagens dos slides e diferenciando os tipos de patrimônio que aparecem nelas.

Como adequar à sua realidade: O conceito de patrimônio é parte do conteúdo do terceiro ano dos Primeiros Anos do Ensino Fundamental. No entanto, é importante checar se os alunos estudaram esse conteúdo nesse grau para planejar essa aula. Uma alternativa para o caso de necessidade de aprofundamento dessa exploração inicial é utilizar dicionários procurando os termos “patrimônio” e “cultura” para pensar baseado nas imagens o que pode ser considerado patrimônio cultural. Além disso, caso queira, traga referências de patrimônios que estão presentes na vida dos alunos. Nos slides procuramos adicionar imagens de diferentes partes do Brasil, mas você pode trazer outras que colaborem com a sensibilização dos alunos para o tema.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie essa aula fazendo uma retomada do conceito de patrimônio cultural. A partir das imagens e do que os alunos que já sabem, peça para que eles pensem no que é um patrimônio. Explique que o patrimônio cultural é todo o conjunto de produções da cultura, e que podem ser divididos entre patrimônio material e imaterial. Coletivamente, elabore os conceitos com a turma observando as imagens dos slides e diferenciando os tipos de patrimônio que aparecem nelas.

Como adequar à sua realidade: O conceito de patrimônio é parte do conteúdo do terceiro ano dos Primeiros Anos do Ensino Fundamental. No entanto, é importante checar se os alunos estudaram esse conteúdo nesse grau para planejar essa aula. Uma alternativa para o caso de necessidade de aprofundamento dessa exploração inicial é utilizar dicionários procurando os termos “patrimônio” e “cultura” para pensar baseado nas imagens o que pode ser considerado patrimônio cultural. Além disso, caso queira, traga referências de patrimônios que estão presentes na vida dos alunos. Nos slides procuramos adicionar imagens de diferentes partes do Brasil, mas você pode trazer outras que colaborem com a sensibilização dos alunos para o tema.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie essa aula fazendo uma retomada do conceito de patrimônio cultural. A partir das imagens e do que os alunos que já sabem, peça para que eles pensem no que é um patrimônio. Explique que o patrimônio cultural é todo o conjunto de produções da cultura, e que podem ser divididos entre patrimônio material e imaterial. Coletivamente, elabore os conceitos com a turma observando as imagens dos slides e diferenciando os tipos de patrimônio que aparecem nelas.

Como adequar à sua realidade: O conceito de patrimônio é parte do conteúdo do terceiro ano dos Primeiros Anos do Ensino Fundamental. No entanto, é importante checar se os alunos estudaram esse conteúdo nesse grau para planejar essa aula. Uma alternativa para o caso de necessidade de aprofundamento dessa exploração inicial é utilizar dicionários procurando os termos “patrimônio” e “cultura” para pensar baseado nas imagens o que pode ser considerado patrimônio cultural. Além disso, caso queira, traga referências de patrimônios que estão presentes na vida dos alunos. Nos slides procuramos adicionar imagens de diferentes partes do Brasil, mas você pode trazer outras que colaborem com a sensibilização dos alunos para o tema.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie essa aula fazendo uma retomada do conceito de patrimônio cultural. A partir das imagens e do que os alunos que já sabem, peça para que eles pensem no que é um patrimônio. Explique que o patrimônio cultural é todo o conjunto de produções da cultura, e que podem ser divididos entre patrimônio material e imaterial. Coletivamente, elabore os conceitos com a turma observando as imagens dos slides e diferenciando os tipos de patrimônio que aparecem nelas.

Como adequar à sua realidade: O conceito de patrimônio é parte do conteúdo do terceiro ano dos Primeiros Anos do Ensino Fundamental. No entanto, é importante checar se os alunos estudaram esse conteúdo nesse grau para planejar essa aula. Uma alternativa para o caso de necessidade de aprofundamento dessa exploração inicial é utilizar dicionários procurando os termos “patrimônio” e “cultura” para pensar baseado nas imagens o que pode ser considerado patrimônio cultural. Além disso, caso queira, traga referências de patrimônios que estão presentes na vida dos alunos. Nos slides procuramos adicionar imagens de diferentes partes do Brasil, mas você pode trazer outras que colaborem com a sensibilização dos alunos para o tema.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Faça com os alunos uma roda de samba para dançar o ritmo. Se possível, leve também os instrumentos como pandeiros, violas, chocalho, atabaque, ganzá, reco-reco, agogô etc. Observe os elementos característicos do samba de roda como a organização da roda e o convite para dançar no meio, além do ritmo das palmas que acompanha as músicas. Na página do IPHAN você pode encontrar um CD de Samba de Roda para conhecer mais e tocar no momento da sistematização: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 26/02/2019.

Como adequar à sua realidade: Investigue se alguém da comunidade escolar ou algum grupo relacionado com a escola pode levar os instrumentos e ensinar os alunos a tocar. Você pode construir junto com esses convidados uma oficina para os alunos entrarem em contato com ritmo. Você pode também buscar outras canções ou vídeos para reproduzir, como esse disponível no link: https://www.youtube.com/watch?v=eeTeLqMhOdY acesso em 26/02/2019 ou https://www.youtube.com/watch?v=mJxMouHOjQM acesso em 26/02/2019.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos. Ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos . Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF05HI05 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Esse plano apresenta os Patrimônios como uma conquista de reconhecimento das identidades culturais do país, e traz, como consequência, a ideia de ampliação dos direitos e da cidadania. Através da análise da transformação do Samba do Recôncavo Baiano em patrimônio procura-se fazer com que os alunos percebam o histórico de preconceito pelo qual passou esse ritmo, relacionado com a cultura dos negros escravizados no Brasil. A discussão sobre o preconceito racial e religioso também está presente no plano discutindo a participação social e formas de resistência cultural.

Materiais necessários:

Cadernos ou folhas para registro de respostas. Aparelhos para reprodução de músicas.

Para você saber mais:

Matéria sobre patrimônio cultural no site da revista Nova Escola: https://novaescola.org.br/conteudo/1682/e-hora-de-valorizar-nosso-patrimonio-cultural (Acesso em 3 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Apresentar o objetivo da aula. Refletir com os alunos o conceito de cidadania à conquista de direitos dos povos e das sociedades, compreendendo que o patrimônio criado por uma sociedade também é uma forma de preservar e garantir a identidade de uma sociedade.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie essa aula fazendo uma retomada do conceito de patrimônio cultural. A partir das imagens e do que os alunos que já sabem, peça para que eles pensem no que é um patrimônio. Explique que o patrimônio cultural é todo o conjunto de produções da cultura, e que podem ser divididos entre patrimônio material e imaterial. Coletivamente, elabore os conceitos com a turma observando as imagens dos slides e diferenciando os tipos de patrimônio que aparecem nelas.

Como adequar à sua realidade: O conceito de patrimônio é parte do conteúdo do terceiro ano dos Primeiros Anos do Ensino Fundamental. No entanto, é importante checar se os alunos estudaram esse conteúdo nesse grau para planejar essa aula. Uma alternativa para o caso de necessidade de aprofundamento dessa exploração inicial é utilizar dicionários procurando os termos “patrimônio” e “cultura” para pensar baseado nas imagens o que pode ser considerado patrimônio cultural. Além disso, caso queira, traga referências de patrimônios que estão presentes na vida dos alunos. Nos slides procuramos adicionar imagens de diferentes partes do Brasil, mas você pode trazer outras que colaborem com a sensibilização dos alunos para o tema.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie essa aula fazendo uma retomada do conceito de patrimônio cultural. A partir das imagens e do que os alunos que já sabem, peça para que eles pensem no que é um patrimônio. Explique que o patrimônio cultural é todo o conjunto de produções da cultura, e que podem ser divididos entre patrimônio material e imaterial. Coletivamente, elabore os conceitos com a turma observando as imagens dos slides e diferenciando os tipos de patrimônio que aparecem nelas.

Como adequar à sua realidade: O conceito de patrimônio é parte do conteúdo do terceiro ano dos Primeiros Anos do Ensino Fundamental. No entanto, é importante checar se os alunos estudaram esse conteúdo nesse grau para planejar essa aula. Uma alternativa para o caso de necessidade de aprofundamento dessa exploração inicial é utilizar dicionários procurando os termos “patrimônio” e “cultura” para pensar baseado nas imagens o que pode ser considerado patrimônio cultural. Além disso, caso queira, traga referências de patrimônios que estão presentes na vida dos alunos. Nos slides procuramos adicionar imagens de diferentes partes do Brasil, mas você pode trazer outras que colaborem com a sensibilização dos alunos para o tema.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie essa aula fazendo uma retomada do conceito de patrimônio cultural. A partir das imagens e do que os alunos que já sabem, peça para que eles pensem no que é um patrimônio. Explique que o patrimônio cultural é todo o conjunto de produções da cultura, e que podem ser divididos entre patrimônio material e imaterial. Coletivamente, elabore os conceitos com a turma observando as imagens dos slides e diferenciando os tipos de patrimônio que aparecem nelas.

Como adequar à sua realidade: O conceito de patrimônio é parte do conteúdo do terceiro ano dos Primeiros Anos do Ensino Fundamental. No entanto, é importante checar se os alunos estudaram esse conteúdo nesse grau para planejar essa aula. Uma alternativa para o caso de necessidade de aprofundamento dessa exploração inicial é utilizar dicionários procurando os termos “patrimônio” e “cultura” para pensar baseado nas imagens o que pode ser considerado patrimônio cultural. Além disso, caso queira, traga referências de patrimônios que estão presentes na vida dos alunos. Nos slides procuramos adicionar imagens de diferentes partes do Brasil, mas você pode trazer outras que colaborem com a sensibilização dos alunos para o tema.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie essa aula fazendo uma retomada do conceito de patrimônio cultural. A partir das imagens e do que os alunos que já sabem, peça para que eles pensem no que é um patrimônio. Explique que o patrimônio cultural é todo o conjunto de produções da cultura, e que podem ser divididos entre patrimônio material e imaterial. Coletivamente, elabore os conceitos com a turma observando as imagens dos slides e diferenciando os tipos de patrimônio que aparecem nelas.

Como adequar à sua realidade: O conceito de patrimônio é parte do conteúdo do terceiro ano dos Primeiros Anos do Ensino Fundamental. No entanto, é importante checar se os alunos estudaram esse conteúdo nesse grau para planejar essa aula. Uma alternativa para o caso de necessidade de aprofundamento dessa exploração inicial é utilizar dicionários procurando os termos “patrimônio” e “cultura” para pensar baseado nas imagens o que pode ser considerado patrimônio cultural. Além disso, caso queira, traga referências de patrimônios que estão presentes na vida dos alunos. Nos slides procuramos adicionar imagens de diferentes partes do Brasil, mas você pode trazer outras que colaborem com a sensibilização dos alunos para o tema.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie essa aula fazendo uma retomada do conceito de patrimônio cultural. A partir das imagens e do que os alunos que já sabem, peça para que eles pensem no que é um patrimônio. Explique que o patrimônio cultural é todo o conjunto de produções da cultura, e que podem ser divididos entre patrimônio material e imaterial. Coletivamente, elabore os conceitos com a turma observando as imagens dos slides e diferenciando os tipos de patrimônio que aparecem nelas.

Como adequar à sua realidade: O conceito de patrimônio é parte do conteúdo do terceiro ano dos Primeiros Anos do Ensino Fundamental. No entanto, é importante checar se os alunos estudaram esse conteúdo nesse grau para planejar essa aula. Uma alternativa para o caso de necessidade de aprofundamento dessa exploração inicial é utilizar dicionários procurando os termos “patrimônio” e “cultura” para pensar baseado nas imagens o que pode ser considerado patrimônio cultural. Além disso, caso queira, traga referências de patrimônios que estão presentes na vida dos alunos. Nos slides procuramos adicionar imagens de diferentes partes do Brasil, mas você pode trazer outras que colaborem com a sensibilização dos alunos para o tema.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Inicie a problematização continuando a discussão sobre patrimônio. Pergunte aos alunos se eles sabem como algo se torna um patrimônio. Deixe que eles discutam coletivamente, e explique que atualmente muitos patrimônios, tanto materiais como imateriais, estão em processo de serem reconhecidos. Esse é um dos trabalhos realizados pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

Leia as informações retiradas do site do IPHAN sobre o Samba do Recôncavo Baiano no slide, e converse sobre as primeiras impressões gerais dos alunos sobre o tema, perguntando o que lhes chama atenção na forma como o Samba do Recôncavo se tornou um patrimônio. Caso ache oportuno, releia e peça para que os alunos comentem os trechos grifados do texto. Leia junto com os alunos o slide com as leis sobre o preconceito e em seguida, mostre o slide onde está a música de Janet de Almeida e a fala de Dalva Damiana de Freitas. Peça para que os alunos respondam às questões após ouvir a música, que pode ser acessada nesse link https://www.youtube.com/watch?v=aW0dSvhy1aE (Acesso em 3 de abril de 2019) :

1 - Por que a “madame” da música não gosta de samba? Com o que ela relaciona o samba?

2 - Por que o samba é chamado de democrata? Caso seja necessário, procure o significado desse termo no dicionário.

3 - É possível identificar uma relação de preconceito na letra da música? Quem tem preconceito contra o que?

4 - Podemos considerar a transformação do Samba do Recôncavo em patrimônio como uma luta contra o preconceito? Justifique sua resposta.

Converse com os alunos sobre as repostas para as questões. Explique que por muito tempo o samba sofreu preconceito, principalmente das camadas mais altas da população, por estar relacionado as pessoas escravizadas e a sua cultura e religião. Isso começou a mudar com o surgimento do rádio e das gravadoras, que tinham grande interesse comercial nesse gênero musical, muito popular entre as camadas mais baixas. Junto ao movimento das rádios, durante os anos 1930 e 1940 diferentes intelectuais brasileiros (como Villa Lobos e Mario de Andrade, que aparecem no texto) passaram a estudar o samba e a cultura popular. O samba passa a sair das rodas e ir para o rádio, sendo ouvido e tocado não só pelos habitantes das comunidades como o Recôncavo Baiano, mas por uma grande parcela cada vez maior dos brasileiros, até se tornar patrimônio cultural.

Retome a questão 2 conversando sobre a existência de um samba “democrata”, perguntando para os alunos qual o significado desse termo. Destaque que o samba mistura diferentes referências culturais, o que demonstra que todos podem participar dele e que dançá-lo é uma forma de legitimar tanto a cultura de origem africana quanto suas raízes portuguesas. Esse é um dos motivos para que ele seja considerado um Patrimônio Cultural, pois expressa diferentes identidades do povo brasileiro. O preconceito que pode ser reconhecido na música se deve em grande parte a participação dos negros escravizados e dos ritmos que traziam de seus locais de origem, que não eram legitimados pelos brancos tanto durante o período da escravidão no Brasil, que durou mais de 300 anos e que ainda hoje é um problema em nossa sociedade.

Para finalizar a discussão, retome a questão 4 e ouça as justificativas apontadas pelos alunos. Explique que o Samba do Recôncavo não se relaciona somente a um gênero musical, mas também representa uma cultura específica que por muito tempo foi marginalizada e considerada inadequada. Elevar essa cultura como um patrimônio é reconhecer a identidade de um grupo social, que por tanto tempo resistiu ao preconceito trazendo a cultura do passado até o presente.

No momento de responder as questões você pode organizar os alunos em duplas ou trios caso ache que dessa forma os alunos irão chegar em conclusões mais elaboradas. Na retomada oral, deixe que os alunos apontem as suas respostas e cuide da questão religiosa para que as crenças sejam respeitadas em sua diversidade.

Para você saber mais:

O texto do slide foi retirado do site do IPHAN: Samba do Recôncavo Baiano http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 18/02/2019

Além desse texto, você pode encontrar no site uma publicação mais extensa para aprofundar seus conhecimentos no tema: http://portal.iphan.gov.br//uploads/publicacao/PatImDos_SambaRodaReconcavoBaiano_m.pdf acesso em 18/02/2019

A letra do samba “Pra que discutir com madame” de Janet de Almeida foi retirada do site: http://dicionariompb.com.br/janet-de-almeida/dados-artisticos (Acesso em 3 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Faça com os alunos uma roda de samba para dançar o ritmo. Se possível, leve também os instrumentos como pandeiros, violas, chocalho, atabaque, ganzá, reco-reco, agogô etc. Observe os elementos característicos do samba de roda como a organização da roda e o convite para dançar no meio, além do ritmo das palmas que acompanha as músicas. Na página do IPHAN você pode encontrar um CD de Samba de Roda para conhecer mais e tocar no momento da sistematização: http://portal.iphan.gov.br/pagina/detalhes/56 acesso em 26/02/2019.

Como adequar à sua realidade: Investigue se alguém da comunidade escolar ou algum grupo relacionado com a escola pode levar os instrumentos e ensinar os alunos a tocar. Você pode construir junto com esses convidados uma oficina para os alunos entrarem em contato com ritmo. Você pode também buscar outras canções ou vídeos para reproduzir, como esse disponível no link: https://www.youtube.com/watch?v=eeTeLqMhOdY acesso em 26/02/2019 ou https://www.youtube.com/watch?v=mJxMouHOjQM acesso em 26/02/2019.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Povos e culturas: meu lugar no mundo e meu grupo social do 5º ano :

5º ano / História / Povos e culturas: meu lugar no mundo e meu grupo social

5º ano / História / Povos e culturas: meu lugar no mundo e meu grupo social

MAIS AULAS DE História do 5º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF05HI05 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano