16278
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 6º ano > História: tempo, espaço e formas de registros

Plano de aula - Periodização histórica

Plano de aula de História com atividades para 6º ano do EF sobre Periodização histórica

Plano 03 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Aline Maria Lopes Moura

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos . Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF06HI01 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cópia impressa do texto e das linhas do tempo, lápis de cor, papel 40kg, pincel, fita durex, quadro, projetor e régua.

Material complementar:

Linha do tempo - História da China

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yNYCBkawNPSjWGKxZ8QjKPAMv585ZjMFpKuN7fPBRJZPWXww7Esq3n4K8Duz/his6-01und03-linha-do-tempo-historia-da-china.pdf

Trecho sobre os povos Sambaquis

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RcZBJBjdFgKUNtvddqTGHWFNjFuEhJzkmaYJRNmHkRSvYEkjQMTp3pW5Tahj/his6-01und03-trecho-sobre-os-povos-sambaquis.pdf

Os sambaquis são grandes amontoados de conchas. Nos sambaquis foram encontrados ossos, esqueletos e variados materiais como restos de alimentos e lascas de quartzo. Esses elementos ajudaram a traçar características que indicam os modos de vida do povo que habitava esses espaços.

Divisão tradicional da história- Modelo europeu

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/KkpWX7R7C48ZnsFxBGQEemTEg374Gu94FKk2EWFqNUHkjdn6ymdaAACtT3zg/his6-01und03-linha-do-tempo-tradicional.pdf

Modelo de Linha (reta)

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/cEmKBEeh4KDKd9pHcDaZHxpqnFYpCFCHa8Av6mTAbgG9U9fPmpp4RSGBCwUZ/his6-01und03-reta.pdf

Para que os alunos aprendam a interpretar fontes históricas, é muito importante que você não forneça a eles as Informações básicas sobre a fonte histórica antes da leitura de cada uma delas. Não comece a aula com uma exposição sobre o contexto histórico desses documentos, pois isso os impediria de construir o contexto com base nas fontes, que é o objetivo central da aula de História.

Para você saber mais:

DOMINGUES, Joelza Ester. Pré-história do Brasil (Parte 4): Os Sambaquis do litoral. Disponível em: <https://ensinarhistoriajoelza.com.br/pre-historia-parte-4-sambaqui/>. Acesso 06 dez. 2018.

DOMINGUES. Petrônio. A periodização da História. Disponível em: <http://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/09302204042012Introducao_a_Historia_Aula_4.pdf>. Acesso 05 dez. 2018.

DOMINGUES, Rodnei. A contagem dos anos na era cristã. Disponível em: <http://gerenciamentodotempo.com.br/a-contagem-dos-anos-na-era-crista/>. Acesso 25 nov. 2018.

FERREIRA, Marieta de Moraes; FRANCO, Renato. Aprendendo História: Reflexão e Ensino. 2.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013.

FONSECA, Angela Fleury da. A tradução das escrituras budistas na China: a primeira onda. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/16727/16727_3.PDF>. Acesso 26 nov. 2018.

LOPES, Reinaldo José. 1499: o Brasil antes de Cabral.1.ed. Rio de Janeiro: Harper Collins, 2017.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações: Apresente o objetivo aos alunos escrevendo-o no quadro ou lendo-o para a turma. Se estiver fazendo uso de projetor, apresente esse slide e faça uma leitura coletiva. É extremamente importante começar a aula com apresentação do objetivo para que entendam que o foco da aula é analisar de forma crítica a periodização tradicional da história. Nessa etapa seja simples e direto. Evite muitas explicações para não comprometer o protagonismo do aluno nas etapas posteriores.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Organize a sala em trios. Em seguida, entregue cópias da linha do tempo da história da China e do texto sobre os Sambaquis.

Linha do tempo da história da China disponível aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yNYCBkawNPSjWGKxZ8QjKPAMv585ZjMFpKuN7fPBRJZPWXww7Esq3n4K8Duz/his6-01und03-linha-do-tempo-historia-da-china.pdf

Texto sobre os Sambaquis disponível aqui : https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RcZBJBjdFgKUNtvddqTGHWFNjFuEhJzkmaYJRNmHkRSvYEkjQMTp3pW5Tahj/his6-01und03-trecho-sobre-os-povos-sambaquis.pdf

Não sendo possível reproduzir esse material, você pode optar por projetá-lo ou mesmo escrevê-lo no quadro.

Peça para que façam a leitura da linha do tempo e do texto. Deixe que todos leiam e, em seguida, solicite que pintem ou escrevam no caderno os marcos que mais chamaram a atenção deles tanto na linha do tempo como no texto. Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie os grupos que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não antecipar respostas.

Espera-se que percebam que a história da China é dividida por dinastias e que possui marcos que datam 2027 a. C - China Antiga. No trecho sobre os Sambaquis a expectativa é que se surpreendam com a quantidade de pessoas e com o tamanho do monumento que foi erguido há 2.500 antes do presente.

Caso eles não ressaltem esses aspectos direcione-os realizando perguntas, tais como:

  • De que maneira foi dividida a história da China?
  • Quantas pessoas foram encontradas nos Sambaquis?

A intenção desta atividade é oferecer um contexto para a compreensão de uma história da China e do Brasil antes da presença europeia, aspecto fundamental para a problematização da periodização tradicional da história - a europeia.

Para você saber mais:

DOMINGUES, Joelza Ester. Pré-história do Brasil (Parte 4): Os Sambaquis do litoral. Disponível em: <https://ensinarhistoriajoelza.com.br/pre-historia-parte-4-sambaqui/>. Acesso 06 dez. 2018.

FONSECA, Angela Fleury da. A tradução das escrituras budistas na China: a primeira onda. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/16727/16727_3.PDF>. Acesso 26 nov. 2018.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Organize a sala em trios. Em seguida, entregue cópias da linha do tempo da história da China e do texto sobre os Sambaquis.

Linha do tempo da história da China disponível aqui:

Texto sobre os Sambaquis disponível aqui : https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RcZBJBjdFgKUNtvddqTGHWFNjFuEhJzkmaYJRNmHkRSvYEkjQMTp3pW5Tahj/his6-01und03-trecho-sobre-os-povos-sambaquis.pdf

Não sendo possível reproduzir esse material, você pode optar por projetá-lo ou mesmo escrevê-lo no quadro.

Peça para que façam a leitura da linha do tempo e do texto. Deixe que todos leiam e, em seguida, solicite que pintem ou escrevam no caderno os marcos que mais chamaram a atenção deles tanto na linha do tempo como no texto. Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie os grupos que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não antecipar respostas.

Espera-se que percebam que a história da China é dividida por dinastias e que possui marcos que datam 2027 a. C - China Antiga. No trecho sobre os Sambaquis a expectativa é que se surpreendam com a quantidade de pessoas e com o tamanho do monumento que foi erguido há 2.500 antes do presente.

Caso eles não ressaltem esses aspectos direcione-os realizando perguntas, tais como:

  • De que maneira foi dividida a história da China?
  • Quantas pessoas foram encontradas nos Sambaquis?

A intenção desta atividade é oferecer um contexto para a compreensão de uma história da China e do Brasil antes da presença europeia, aspecto fundamental para a problematização da periodização tradicional da história - a europeia.

Para você saber mais:

DOMINGUES, Joelza Ester. Pré-história do Brasil (Parte 4): Os Sambaquis do litoral. Disponível em: <https://ensinarhistoriajoelza.com.br/pre-historia-parte-4-sambaqui/>. Acesso 06 dez. 2018.

FONSECA, Angela Fleury da. A tradução das escrituras budistas na China: a primeira onda. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/16727/16727_3.PDF>. Acesso 26 nov. 2018.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Apresente para os alunos a linha do tempo que expõe a divisão tradicional da história segundo a perspectiva europeia. Ela pode estar impressa, projetada ou desenhada no quadro.

Linha do tempo disponível aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/KkpWX7R7C48ZnsFxBGQEemTEg374Gu94FKk2EWFqNUHkjdn6ymdaAACtT3zg/his6-01und03-linha-do-tempo-tradicional.pdf

Selecione um aluno para fazer a leitura da linha para turma. Não é necessário desfazer os trios. Em seguida, os trios devem discutir e responder os questionamentos propostos, registrando suas respostas no caderno.

A expectativa é que respondam que, segundo a linha do tempo na visão europeia, a história brasileira só começaria na Idade Moderna, ou seja, em 1500 com a chegada dos portugueses. A história da China só é citada na Idade Antiga. Espera-se que percebam que essa divisão, por adotar uma visão europeia, não contempla a totalidade da história de outros povos, pois direciona o olhar somente para os fatos que marcaram sua própria história.

Na última pergunta espera-se que entendam que esse tipo de periodização é realizada para que os povos europeus possam estabelecer os marcos de sua história de forma eurocêntrica e ela é importante para identificarmos os acontecimentos no tempo.

Caso eles não cheguem às respostas esperadas peça que observem com cuidado a linha do tempo e imaginem como seria se os fatos históricos estivessem todos misturados, como poderíamos estabelecer uma relação entre eles e analisá-los. Pergunte se eles sabem onde fica Roma, Constantinopla e a França, em que continente essas cidades estão (estavam) localizadas. Caso não consigam localizar essas cidades, mostre um planisfério e peça que localizem as cidades e o continente em que estão inseridas. Peça também para que imaginem a seguinte situação:

  • Se você tivesse que ensinar para um amigo estrangeiro a história do seu país e você possuísse apenas essa linha do tempo em suas mãos, ela ajudaria seu amigo saber que existiu uma história do Brasil antes da chegada dos Portugueses? Assim, retome mais uma vez as perguntas.

Para você saber mais: A divisão da história em Idade Antiga, Média, Moderna e Contemporânea é marcada por muitos questionamentos. Ela foi construída por historiadores europeus e, portanto, apresenta uma visão eurocêntrica. Cada sociedade determina sua periodização a partir de seus próprios referenciais. Vale destacar que o estabelecimento do ano 1, tendo como marco referencial o nascimento de Cristo, também é fruto de uma construção que se naturalizou e se impôs ao mundo ocidental independente da religião praticada. Dessa forma, segue uma pequena indicação de materiais que lhe darão um suporte maior para essa compreensão. Além disso, vale ressaltar que há uma divergência de entendimento entre os historiadores no que se refere à histórias do Brasil: alguns consideram que só se pode falar em Brasil a partir de 1500, outros a partir de 1822 e outros a partir da chegada dos primeiros seres humanos ao território. Cada uma dessas visões tem um problema, e o problema de incluir os primeiros habitantes na história do Brasil é, por um lado, o etnicídio de reduzir as múltiplas histórias indígenas à história do "Brasil" e, por outro lado, o anacronismo de considerar o Brasil como entidade supra-histórica que existiria desde sempre.

DOMINGUES. Petrônio. A periodização da História. Disponível em: <http://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/09302204042012Introducao_a_Historia_Aula_4.pdf>. Acesso 05 dez. 2018.

DOMINGUES, Rodnei. A contagem dos anos na era cristã. Disponível em: <http://gerenciamentodotempo.com.br/a-contagem-dos-anos-na-era-crista/>. Acesso 25 nov. 2018.

FERREIRA, Marieta de Moraes; FRANCO, Renato. Aprendendo História: Reflexão e Ensino. 2.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013.

FONSECA, Angela Fleury da. A tradução das escrituras budistas na China: a primeira onda. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/16727/16727_3.PDF>. Acesso 26 nov. 2018.

LOPES, Reinaldo José. 1499: o Brasil antes de Cabral.1.ed. Rio de Janeiro: Harper Collins, 2017.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente para os alunos a linha do tempo que expõe a divisão tradicional da história segundo a perspectiva europeia. Ela pode estar impressa, projetada ou desenhada no quadro.

Linha do tempo disponível aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/KkpWX7R7C48ZnsFxBGQEemTEg374Gu94FKk2EWFqNUHkjdn6ymdaAACtT3zg/his6-01und03-linha-do-tempo-tradicional.pdf

Selecione um aluno para fazer a leitura da linha para turma. Não é necessário desfazer os trios. Em seguida, os trios devem discutir e responder os questionamentos propostos, registrando suas respostas no caderno.

A expectativa é que respondam que, segundo a linha do tempo na visão europeia, a história brasileira só começaria na Idade Moderna, ou seja, em 1500 com a chegada dos portugueses. A história da China só é citada na Idade Antiga. Espera-se que percebam que essa divisão, por adotar uma visão europeia, não contempla a totalidade da história de outros povos, pois direciona o olhar somente para os fatos que marcaram sua própria história.

Na última pergunta espera-se que entendam que esse tipo de periodização é realizada para que os povos europeus possam estabelecer os marcos de sua história de forma eurocêntrica e ela é importante para identificarmos os acontecimentos no tempo.

Caso eles não cheguem às respostas esperadas peça que observem com cuidado a linha do tempo e imaginem como seria se os fatos históricos estivessem todos misturados, como poderíamos estabelecer uma relação entre eles e analisá-los. Pergunte se eles sabem onde fica Roma, Constantinopla e a França, em que continente essas cidades estão (estavam) localizadas. Caso não consigam localizar essas cidades, mostre um planisfério e peça que localizem as cidades e o continente em que estão inseridas. Peça também para que imaginem a seguinte situação:

  • Se você tivesse que ensinar para um amigo estrangeiro a história do seu país e você possuísse apenas essa linha do tempo em suas mãos, ela ajudaria seu amigo saber que existiu uma história do Brasil antes da chegada dos Portugueses? Assim, retome mais uma vez as perguntas.

Para você saber mais: A divisão da história em Idade Antiga, Média, Moderna e Contemporânea é marcada por muitos questionamentos. Ela foi construída por historiadores europeus e, portanto, apresenta uma visão eurocêntrica. Cada sociedade determina sua periodização a partir de seus próprios referenciais. Vale destacar que o estabelecimento do ano 1, tendo como marco referencial o nascimento de Cristo, também é fruto de uma construção que se naturalizou e se impôs ao mundo ocidental independente da religião praticada. Dessa forma, segue uma pequena indicação de materiais que lhe darão um suporte maior para essa compreensão. Além disso, vale ressaltar que há uma divergência de entendimento entre os historiadores no que se refere à histórias do Brasil: alguns consideram que só se pode falar em Brasil a partir de 1500, outros a partir de 1822 e outros a partir da chegada dos primeiros seres humanos ao território. Cada uma dessas visões tem um problema, e o problema de incluir os primeiros habitantes na história do Brasil é, por um lado, o etnicídio de reduzir as múltiplas histórias indígenas à história do "Brasil" e, por outro lado, o anacronismo de considerar o Brasil como entidade supra-histórica que existiria desde sempre.

DOMINGUES. Petrônio. A periodização da História. Disponível em: <http://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/09302204042012Introducao_a_Historia_Aula_4.pdf>. Acesso 05 dez. 2018.

DOMINGUES, Rodnei. A contagem dos anos na era cristã. Disponível em: <http://gerenciamentodotempo.com.br/a-contagem-dos-anos-na-era-crista/>. Acesso 25 nov. 2018.

FERREIRA, Marieta de Moraes; FRANCO, Renato. Aprendendo História: Reflexão e Ensino. 2.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013.

FONSECA, Angela Fleury da. A tradução das escrituras budistas na China: a primeira onda. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/16727/16727_3.PDF>. Acesso 26 nov. 2018.

LOPES, Reinaldo José. 1499: o Brasil antes de Cabral.1.ed. Rio de Janeiro: Harper Collins, 2017.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações: Os alunos construirão uma linha do tempo que ficará de exposição no mural ou parede da sala. Desenhe uma reta, em uma folha de papel 40kg, formando uma linha do tempo.

Modelo disponível aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/cEmKBEeh4KDKd9pHcDaZHxpqnFYpCFCHa8Av6mTAbgG9U9fPmpp4RSGBCwUZ/his6-01und03-reta.pdf

Fixe a folha de papel 40kg no quadro (uso da fita durex). Solicite que um representante de cada trio venha até o quadro e registre uma informação na linha do tempo. As informações referem-se, principalmente, aos marcos destacados por eles na linha do tempo da história da China, no texto sobre os Sambaquis e na linha do tempo tradicional. É esperado que eles façam registros relacionados às informações que chamaram atenção na atividade de contextualização. Como, por exemplo, que os sambaquieiros ergueram um momento de 8 metros de altura há 2500 anos antes do presente.

No entanto, permita também que os alunos façam registros de outros eventos históricos que eles conheçam. Aproveite o momento para explorar o conhecimento que eles já possuem.

Finalize pedindo para que um aluno faça a leitura da linha construída por eles, após, fixe a linha no mural ou parede da sala.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos . Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF06HI01 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cópia impressa do texto e das linhas do tempo, lápis de cor, papel 40kg, pincel, fita durex, quadro, projetor e régua.

Material complementar:

Linha do tempo - História da China

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yNYCBkawNPSjWGKxZ8QjKPAMv585ZjMFpKuN7fPBRJZPWXww7Esq3n4K8Duz/his6-01und03-linha-do-tempo-historia-da-china.pdf

Trecho sobre os povos Sambaquis

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RcZBJBjdFgKUNtvddqTGHWFNjFuEhJzkmaYJRNmHkRSvYEkjQMTp3pW5Tahj/his6-01und03-trecho-sobre-os-povos-sambaquis.pdf

Os sambaquis são grandes amontoados de conchas. Nos sambaquis foram encontrados ossos, esqueletos e variados materiais como restos de alimentos e lascas de quartzo. Esses elementos ajudaram a traçar características que indicam os modos de vida do povo que habitava esses espaços.

Divisão tradicional da história- Modelo europeu

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/KkpWX7R7C48ZnsFxBGQEemTEg374Gu94FKk2EWFqNUHkjdn6ymdaAACtT3zg/his6-01und03-linha-do-tempo-tradicional.pdf

Modelo de Linha (reta)

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/cEmKBEeh4KDKd9pHcDaZHxpqnFYpCFCHa8Av6mTAbgG9U9fPmpp4RSGBCwUZ/his6-01und03-reta.pdf

Para que os alunos aprendam a interpretar fontes históricas, é muito importante que você não forneça a eles as Informações básicas sobre a fonte histórica antes da leitura de cada uma delas. Não comece a aula com uma exposição sobre o contexto histórico desses documentos, pois isso os impediria de construir o contexto com base nas fontes, que é o objetivo central da aula de História.

Para você saber mais:

DOMINGUES, Joelza Ester. Pré-história do Brasil (Parte 4): Os Sambaquis do litoral. Disponível em: <https://ensinarhistoriajoelza.com.br/pre-historia-parte-4-sambaqui/>. Acesso 06 dez. 2018.

DOMINGUES. Petrônio. A periodização da História. Disponível em: <http://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/09302204042012Introducao_a_Historia_Aula_4.pdf>. Acesso 05 dez. 2018.

DOMINGUES, Rodnei. A contagem dos anos na era cristã. Disponível em: <http://gerenciamentodotempo.com.br/a-contagem-dos-anos-na-era-crista/>. Acesso 25 nov. 2018.

FERREIRA, Marieta de Moraes; FRANCO, Renato. Aprendendo História: Reflexão e Ensino. 2.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013.

FONSECA, Angela Fleury da. A tradução das escrituras budistas na China: a primeira onda. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/16727/16727_3.PDF>. Acesso 26 nov. 2018.

LOPES, Reinaldo José. 1499: o Brasil antes de Cabral.1.ed. Rio de Janeiro: Harper Collins, 2017.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações: Apresente o objetivo aos alunos escrevendo-o no quadro ou lendo-o para a turma. Se estiver fazendo uso de projetor, apresente esse slide e faça uma leitura coletiva. É extremamente importante começar a aula com apresentação do objetivo para que entendam que o foco da aula é analisar de forma crítica a periodização tradicional da história. Nessa etapa seja simples e direto. Evite muitas explicações para não comprometer o protagonismo do aluno nas etapas posteriores.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Organize a sala em trios. Em seguida, entregue cópias da linha do tempo da história da China e do texto sobre os Sambaquis.

Linha do tempo da história da China disponível aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yNYCBkawNPSjWGKxZ8QjKPAMv585ZjMFpKuN7fPBRJZPWXww7Esq3n4K8Duz/his6-01und03-linha-do-tempo-historia-da-china.pdf

Texto sobre os Sambaquis disponível aqui : https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RcZBJBjdFgKUNtvddqTGHWFNjFuEhJzkmaYJRNmHkRSvYEkjQMTp3pW5Tahj/his6-01und03-trecho-sobre-os-povos-sambaquis.pdf

Não sendo possível reproduzir esse material, você pode optar por projetá-lo ou mesmo escrevê-lo no quadro.

Peça para que façam a leitura da linha do tempo e do texto. Deixe que todos leiam e, em seguida, solicite que pintem ou escrevam no caderno os marcos que mais chamaram a atenção deles tanto na linha do tempo como no texto. Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie os grupos que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não antecipar respostas.

Espera-se que percebam que a história da China é dividida por dinastias e que possui marcos que datam 2027 a. C - China Antiga. No trecho sobre os Sambaquis a expectativa é que se surpreendam com a quantidade de pessoas e com o tamanho do monumento que foi erguido há 2.500 antes do presente.

Caso eles não ressaltem esses aspectos direcione-os realizando perguntas, tais como:

  • De que maneira foi dividida a história da China?
  • Quantas pessoas foram encontradas nos Sambaquis?

A intenção desta atividade é oferecer um contexto para a compreensão de uma história da China e do Brasil antes da presença europeia, aspecto fundamental para a problematização da periodização tradicional da história - a europeia.

Para você saber mais:

DOMINGUES, Joelza Ester. Pré-história do Brasil (Parte 4): Os Sambaquis do litoral. Disponível em: <https://ensinarhistoriajoelza.com.br/pre-historia-parte-4-sambaqui/>. Acesso 06 dez. 2018.

FONSECA, Angela Fleury da. A tradução das escrituras budistas na China: a primeira onda. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/16727/16727_3.PDF>. Acesso 26 nov. 2018.

Slide Plano Aula

Orientações: Organize a sala em trios. Em seguida, entregue cópias da linha do tempo da história da China e do texto sobre os Sambaquis.

Linha do tempo da história da China disponível aqui:

Texto sobre os Sambaquis disponível aqui : https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RcZBJBjdFgKUNtvddqTGHWFNjFuEhJzkmaYJRNmHkRSvYEkjQMTp3pW5Tahj/his6-01und03-trecho-sobre-os-povos-sambaquis.pdf

Não sendo possível reproduzir esse material, você pode optar por projetá-lo ou mesmo escrevê-lo no quadro.

Peça para que façam a leitura da linha do tempo e do texto. Deixe que todos leiam e, em seguida, solicite que pintem ou escrevam no caderno os marcos que mais chamaram a atenção deles tanto na linha do tempo como no texto. Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie os grupos que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não antecipar respostas.

Espera-se que percebam que a história da China é dividida por dinastias e que possui marcos que datam 2027 a. C - China Antiga. No trecho sobre os Sambaquis a expectativa é que se surpreendam com a quantidade de pessoas e com o tamanho do monumento que foi erguido há 2.500 antes do presente.

Caso eles não ressaltem esses aspectos direcione-os realizando perguntas, tais como:

  • De que maneira foi dividida a história da China?
  • Quantas pessoas foram encontradas nos Sambaquis?

A intenção desta atividade é oferecer um contexto para a compreensão de uma história da China e do Brasil antes da presença europeia, aspecto fundamental para a problematização da periodização tradicional da história - a europeia.

Para você saber mais:

DOMINGUES, Joelza Ester. Pré-história do Brasil (Parte 4): Os Sambaquis do litoral. Disponível em: <https://ensinarhistoriajoelza.com.br/pre-historia-parte-4-sambaqui/>. Acesso 06 dez. 2018.

FONSECA, Angela Fleury da. A tradução das escrituras budistas na China: a primeira onda. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/16727/16727_3.PDF>. Acesso 26 nov. 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Apresente para os alunos a linha do tempo que expõe a divisão tradicional da história segundo a perspectiva europeia. Ela pode estar impressa, projetada ou desenhada no quadro.

Linha do tempo disponível aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/KkpWX7R7C48ZnsFxBGQEemTEg374Gu94FKk2EWFqNUHkjdn6ymdaAACtT3zg/his6-01und03-linha-do-tempo-tradicional.pdf

Selecione um aluno para fazer a leitura da linha para turma. Não é necessário desfazer os trios. Em seguida, os trios devem discutir e responder os questionamentos propostos, registrando suas respostas no caderno.

A expectativa é que respondam que, segundo a linha do tempo na visão europeia, a história brasileira só começaria na Idade Moderna, ou seja, em 1500 com a chegada dos portugueses. A história da China só é citada na Idade Antiga. Espera-se que percebam que essa divisão, por adotar uma visão europeia, não contempla a totalidade da história de outros povos, pois direciona o olhar somente para os fatos que marcaram sua própria história.

Na última pergunta espera-se que entendam que esse tipo de periodização é realizada para que os povos europeus possam estabelecer os marcos de sua história de forma eurocêntrica e ela é importante para identificarmos os acontecimentos no tempo.

Caso eles não cheguem às respostas esperadas peça que observem com cuidado a linha do tempo e imaginem como seria se os fatos históricos estivessem todos misturados, como poderíamos estabelecer uma relação entre eles e analisá-los. Pergunte se eles sabem onde fica Roma, Constantinopla e a França, em que continente essas cidades estão (estavam) localizadas. Caso não consigam localizar essas cidades, mostre um planisfério e peça que localizem as cidades e o continente em que estão inseridas. Peça também para que imaginem a seguinte situação:

  • Se você tivesse que ensinar para um amigo estrangeiro a história do seu país e você possuísse apenas essa linha do tempo em suas mãos, ela ajudaria seu amigo saber que existiu uma história do Brasil antes da chegada dos Portugueses? Assim, retome mais uma vez as perguntas.

Para você saber mais: A divisão da história em Idade Antiga, Média, Moderna e Contemporânea é marcada por muitos questionamentos. Ela foi construída por historiadores europeus e, portanto, apresenta uma visão eurocêntrica. Cada sociedade determina sua periodização a partir de seus próprios referenciais. Vale destacar que o estabelecimento do ano 1, tendo como marco referencial o nascimento de Cristo, também é fruto de uma construção que se naturalizou e se impôs ao mundo ocidental independente da religião praticada. Dessa forma, segue uma pequena indicação de materiais que lhe darão um suporte maior para essa compreensão. Além disso, vale ressaltar que há uma divergência de entendimento entre os historiadores no que se refere à histórias do Brasil: alguns consideram que só se pode falar em Brasil a partir de 1500, outros a partir de 1822 e outros a partir da chegada dos primeiros seres humanos ao território. Cada uma dessas visões tem um problema, e o problema de incluir os primeiros habitantes na história do Brasil é, por um lado, o etnicídio de reduzir as múltiplas histórias indígenas à história do "Brasil" e, por outro lado, o anacronismo de considerar o Brasil como entidade supra-histórica que existiria desde sempre.

DOMINGUES. Petrônio. A periodização da História. Disponível em: <http://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/09302204042012Introducao_a_Historia_Aula_4.pdf>. Acesso 05 dez. 2018.

DOMINGUES, Rodnei. A contagem dos anos na era cristã. Disponível em: <http://gerenciamentodotempo.com.br/a-contagem-dos-anos-na-era-crista/>. Acesso 25 nov. 2018.

FERREIRA, Marieta de Moraes; FRANCO, Renato. Aprendendo História: Reflexão e Ensino. 2.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013.

FONSECA, Angela Fleury da. A tradução das escrituras budistas na China: a primeira onda. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/16727/16727_3.PDF>. Acesso 26 nov. 2018.

LOPES, Reinaldo José. 1499: o Brasil antes de Cabral.1.ed. Rio de Janeiro: Harper Collins, 2017.

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente para os alunos a linha do tempo que expõe a divisão tradicional da história segundo a perspectiva europeia. Ela pode estar impressa, projetada ou desenhada no quadro.

Linha do tempo disponível aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/KkpWX7R7C48ZnsFxBGQEemTEg374Gu94FKk2EWFqNUHkjdn6ymdaAACtT3zg/his6-01und03-linha-do-tempo-tradicional.pdf

Selecione um aluno para fazer a leitura da linha para turma. Não é necessário desfazer os trios. Em seguida, os trios devem discutir e responder os questionamentos propostos, registrando suas respostas no caderno.

A expectativa é que respondam que, segundo a linha do tempo na visão europeia, a história brasileira só começaria na Idade Moderna, ou seja, em 1500 com a chegada dos portugueses. A história da China só é citada na Idade Antiga. Espera-se que percebam que essa divisão, por adotar uma visão europeia, não contempla a totalidade da história de outros povos, pois direciona o olhar somente para os fatos que marcaram sua própria história.

Na última pergunta espera-se que entendam que esse tipo de periodização é realizada para que os povos europeus possam estabelecer os marcos de sua história de forma eurocêntrica e ela é importante para identificarmos os acontecimentos no tempo.

Caso eles não cheguem às respostas esperadas peça que observem com cuidado a linha do tempo e imaginem como seria se os fatos históricos estivessem todos misturados, como poderíamos estabelecer uma relação entre eles e analisá-los. Pergunte se eles sabem onde fica Roma, Constantinopla e a França, em que continente essas cidades estão (estavam) localizadas. Caso não consigam localizar essas cidades, mostre um planisfério e peça que localizem as cidades e o continente em que estão inseridas. Peça também para que imaginem a seguinte situação:

  • Se você tivesse que ensinar para um amigo estrangeiro a história do seu país e você possuísse apenas essa linha do tempo em suas mãos, ela ajudaria seu amigo saber que existiu uma história do Brasil antes da chegada dos Portugueses? Assim, retome mais uma vez as perguntas.

Para você saber mais: A divisão da história em Idade Antiga, Média, Moderna e Contemporânea é marcada por muitos questionamentos. Ela foi construída por historiadores europeus e, portanto, apresenta uma visão eurocêntrica. Cada sociedade determina sua periodização a partir de seus próprios referenciais. Vale destacar que o estabelecimento do ano 1, tendo como marco referencial o nascimento de Cristo, também é fruto de uma construção que se naturalizou e se impôs ao mundo ocidental independente da religião praticada. Dessa forma, segue uma pequena indicação de materiais que lhe darão um suporte maior para essa compreensão. Além disso, vale ressaltar que há uma divergência de entendimento entre os historiadores no que se refere à histórias do Brasil: alguns consideram que só se pode falar em Brasil a partir de 1500, outros a partir de 1822 e outros a partir da chegada dos primeiros seres humanos ao território. Cada uma dessas visões tem um problema, e o problema de incluir os primeiros habitantes na história do Brasil é, por um lado, o etnicídio de reduzir as múltiplas histórias indígenas à história do "Brasil" e, por outro lado, o anacronismo de considerar o Brasil como entidade supra-histórica que existiria desde sempre.

DOMINGUES. Petrônio. A periodização da História. Disponível em: <http://www.cesadufs.com.br/ORBI/public/uploadCatalago/09302204042012Introducao_a_Historia_Aula_4.pdf>. Acesso 05 dez. 2018.

DOMINGUES, Rodnei. A contagem dos anos na era cristã. Disponível em: <http://gerenciamentodotempo.com.br/a-contagem-dos-anos-na-era-crista/>. Acesso 25 nov. 2018.

FERREIRA, Marieta de Moraes; FRANCO, Renato. Aprendendo História: Reflexão e Ensino. 2.ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2013.

FONSECA, Angela Fleury da. A tradução das escrituras budistas na China: a primeira onda. Disponível em: <https://www.maxwell.vrac.puc-rio.br/16727/16727_3.PDF>. Acesso 26 nov. 2018.

LOPES, Reinaldo José. 1499: o Brasil antes de Cabral.1.ed. Rio de Janeiro: Harper Collins, 2017.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações: Os alunos construirão uma linha do tempo que ficará de exposição no mural ou parede da sala. Desenhe uma reta, em uma folha de papel 40kg, formando uma linha do tempo.

Modelo disponível aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/cEmKBEeh4KDKd9pHcDaZHxpqnFYpCFCHa8Av6mTAbgG9U9fPmpp4RSGBCwUZ/his6-01und03-reta.pdf

Fixe a folha de papel 40kg no quadro (uso da fita durex). Solicite que um representante de cada trio venha até o quadro e registre uma informação na linha do tempo. As informações referem-se, principalmente, aos marcos destacados por eles na linha do tempo da história da China, no texto sobre os Sambaquis e na linha do tempo tradicional. É esperado que eles façam registros relacionados às informações que chamaram atenção na atividade de contextualização. Como, por exemplo, que os sambaquieiros ergueram um momento de 8 metros de altura há 2500 anos antes do presente.

No entanto, permita também que os alunos façam registros de outros eventos históricos que eles conheçam. Aproveite o momento para explorar o conhecimento que eles já possuem.

Finalize pedindo para que um aluno faça a leitura da linha construída por eles, após, fixe a linha no mural ou parede da sala.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE História: tempo, espaço e formas de registros do 6º ano :

6º ano / História / História: tempo, espaço e formas de registros

MAIS AULAS DE História do 6º ano:

6º ano / História / História: tempo, espaço e formas de registros

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF06HI01 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano