16275
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 8º ano > O mundo contemporâneo: o Antigo Regime em crise

Plano de aula - As ideias de liberdade presentes na Revolta de Beckman

Plano de aula de História com atividades para 8º ano do EF sobre As ideias de liberdade presentes na Revolta de Beckman

Plano 01 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Thayane Da Rocha Cruz Dias Freitas

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI05, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Impressões ou folhas de papel A4, lápis e canetas.

Meme: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/mzjTCbMRbwJPqqQyWtdfXdZyMjw5aBdrfjMMZ8bkcq8TztpcZfKx3zTeNGK6/his8-05und01-meme-para-o-contexto.pdf

Modelo de Guia Turístico para atividade de sistematização:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/WsAAw9NXz7bnNDmWdXxyFQrSpxHW9nGr3VzdrC8Gqnbw42qapnAm6fxn9yGN/his8-05und01-modelo-guia-turistico.pdf

Material complementar:

Texto “Historiador descobre que Pirâmide de Beckman é mais antiga do que se sabia”:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jnNraQjbJg3YMqFEnagD8dECFAfUuWWCHd6bzM6k7HxZWEv49rS3NEgRnHQB/his8-05und01-historiador-descobre-que-piramide-de-beckman-e-mais-antiga-do-que-se-sabia.pdf

Imagem Pirâmide de Beckman e Pelourinho de São Luís:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/QchAFC7AyHRhjZr3hfYt8RsnYJU8x6wmafyARDpJr7m8g4ue6HgxbWs2FzQw/his8-05und01-piramide-de-beckman-e-pelourinho-de-sao-luis.pdf

Trecho do artigo sobre Revolta de Beckman:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/pC4rJDzHKdgRtSmRgYMkRjEeyxD5YU3uMunNNJKTV7HBeVt8VCx3yzsqAD3q/his8-05und01-trecho-artigo-revolta-de-beckman.pdf

CHAMBOULEYRON, Rafael.Duplicados Clamores: queixas e rebeliões na Amazônia Colonial (Século XVII). Projeto História, São Paulo, n.33, p. 159-178, dez. 2006. Disponível em:<https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/viewFile/2289/1383 >. Acesso em: 21 out. 2018.>

Para você saber mais:

Entrevista com historiador Euges Lima. IHGM. Disponível em: http://ihgm1.blogspot.com/2017/04/entrevista-inedita-sobre-revelacao-da.html Acesso em: 18 de novembro de 2018.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Com a turma organizada em grupos de até quatro alunos, projete ou escreva no quadro o objetivo da aula. Peça aos alunos que leiam em voz alta coletivamente ou leia para eles.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Questione aos alunos sobre o que entendem como revolta. Espera-se que suas respostas contemplem a ideia de que revolta é uma manifestação de indignação, insatisfação de pessoas que questionam alguma coisa, que apontam algo está errado. Caso necessário, proponha algumas questões para orientar o debate, por exemplo:

  • Como nos sentimos quando estamos diante de uma situação que consideramos injusta?

Conhecendo o que é uma revolta, os alunos saberão então que o tema da aula trata de um movimento de pessoas que estavam insatisfeitas com algo.

Meme para impressão, caso queira disponibilizar para os alunos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/mzjTCbMRbwJPqqQyWtdfXdZyMjw5aBdrfjMMZ8bkcq8TztpcZfKx3zTeNGK6/his8-05und01-meme-para-o-contexto.pdf

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Peça aos alunos que façam a leitura do trecho do artigo de Rafael Chambouleyron: “Duplicados Clamores: queixas e rebeliões na Amazônia Colonial (Século XVII)”. Projete, imprima ou entregue o trecho para os alunos.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/pC4rJDzHKdgRtSmRgYMkRjEeyxD5YU3uMunNNJKTV7HBeVt8VCx3yzsqAD3q/his8-05und01-trecho-artigo-revolta-de-beckman.pdf

Após a leitura, solicite que os alunos identifiquem:

  • A qual grupo social Manuel Beckman pertencia?
  • Quais eram seus possíveis interesses ao se envolver nessa revolta?
  • Qual a posição de Beckman sobre a escravidão de indígenas e africanos?

Os alunos devem identificar que Beckman era um dono de engenho e que possuía portanto interesses particulares a esse grupo social do qual fazia parte, ou seja, a elite colonial brasileira. Devem analisar que Beckman possuía interesses como conseguir mão de obra escravizada e aumentar seus lucro no engenho.

Quanto à terceira pergunta, devem perceber que Beckman apoiava a escravização dos indígenas e dos africanos. A Revolta de Beckman teve como uma das suas motivações o fato de que os donos de engenho queriam escravizar os indígenas “protegidos” pelos jesuítas, dada a escassez de escravizados africanos na região e os altos custos destes. Beckman era um dos donos de engenho, logo, tal como os demais donos de engenho não desejavam a liberdade desses povos.

Para você saber mais: Faça a leitura completa do artigo antes de ministrar a aula sobre a Revolta de Beckman com objetivo de entender o ambiente político, econômico e social em que ocorreu essa e outras revoltas no atual estado do Maranhão e a relação entre os proprietários de engenho da Companhia de Jesus e a coroa portuguesa nesses movimentos.

CHAMBOULEYRON, Rafael. Duplicados Clamores: queixas e rebeliões na Amazônia Colonial (Século XVII). Projeto História, São Paulo, n.33, p. 159-178, dez. 2006. Disponível em:<https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/viewFile/2289/1383>. Acesso em: 21 out. 2018

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Nessa parte da aula os alunos devem analisar o trecho que conta sobre a descoberta de um historiador no ano de 2014 (slide 5). De acordo com a pesquisa de Euges Lima, a Pirâmide de Beckman construída em homenagem ao líder da revolta estudada foi construída sobre a mesma base do antigo pelourinho de São Luís (destruída por populares e ex-escravizados após a abolição). A seguir, peça que observem a imagem e notem as semelhanças e diferenças entre o pelourinho e a Pirâmide de Beckman (slide 6).

Links para impressão do texto e da imagem:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jnNraQjbJg3YMqFEnagD8dECFAfUuWWCHd6bzM6k7HxZWEv49rS3NEgRnHQB/his8-05und01-historiador-descobre-que-piramide-de-beckman-e-mais-antiga-do-que-se-sabia.pdf

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/QchAFC7AyHRhjZr3hfYt8RsnYJU8x6wmafyARDpJr7m8g4ue6HgxbWs2FzQw/his8-05und01-piramide-de-beckman-e-pelourinho-de-sao-luis.pdf

Após a leitura do texto e análise da imagem, questione os alunos quanto aos simbolismos presentes ao se construir a pirâmide de Beckman sobre a base do antigo pelourinho da cidade. Algumas questões norteadoras podem ser:

  • Qual motivo teria levado a construção de um monumento em homenagem a Beckman?
  • Por que essa construção não foi feita em outro local?
  • Qual referência do passado se apaga com esta reconstrução?
  • Qual referência do passado é valorizada com esta reconstrução?
  • Por que o antigo pelourinho foi destruído e por quem?
  • Podemos estabelecer uma relação entre o monumento desconstruído e aquele que foi construído sobre a sua antiga base?

Com estas perguntas, pretende-se que os alunos percebam sobre o apagamento da memória referente aos escravizados (em suas expressões de resistência à escravidão), para valorizar uma narrativa heróica do líder da Revolta.

Com estas reflexões, a turma deve perceber acerca do amplo significado histórico em torno deste monumento, que inclui uma ação do Estado no sentido de desconstruir ou apagar uma parte da História do Brasil, marcada pela violência contra os escravizados, construindo no lugar disso uma narrativa heróica, em torno de um dono de Engenho que teria se revoltado contra as imposições da coroa portuguesa.

Como adequar à sua realidade: Nessa etapa, imprima os dois textos e a imagem para entregar aos alunos. Caso tenha disponibilidade, utilize mapas do território do Brasil para ajudar os alunos a localizar o estado do Maranhão. Para isso há a ferramenta do Google Maps: https://www.google.com/maps/place/Maranh%C3%A3o/@-5.6369376,-49.7681653,6z/data=!3m1!4b1!4m5!3m4!1s0x7edd77a9bcc1ce5:0x6276aba3d96c2934!8m2!3d-4.9609498!4d-45.2744159?hl=pt-BR

Para você saber mais:

Entrevista completa com historiador Euges Lima. IHGM. Disponível em: http://ihgm1.blogspot.com/2017/04/entrevista-inedita-sobre-revelacao-da.html Acesso em: 18 de novembro de 2018.

LIMA, Euges. “A Pirâmide do Campo de Ourique”. Blog do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão. Disponível em:

http://ihgm1.blogspot.com/2018/02/a-piramide-do-campo-de-ourique1.html Acesso em: 15/11/2018.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Nessa parte da aula os alunos devem analisar o trecho que conta sobre a descoberta de um historiador no ano de 2014 (slide 5). De acordo com a pesquisa de Euges Lima, a Pirâmide de Beckman construída em homenagem ao líder da revolta estudada foi construída sobre a mesma base do antigo pelourinho de São Luís (destruída por populares e ex-escravizados após a abolição). A seguir, peça que observem a imagem e notem as semelhanças e diferenças entre o pelourinho e a Pirâmide de Beckman (slide 6).

Links para impressão do texto e da imagem:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jnNraQjbJg3YMqFEnagD8dECFAfUuWWCHd6bzM6k7HxZWEv49rS3NEgRnHQB/his8-05und01-historiador-descobre-que-piramide-de-beckman-e-mais-antiga-do-que-se-sabia.pdf

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/QchAFC7AyHRhjZr3hfYt8RsnYJU8x6wmafyARDpJr7m8g4ue6HgxbWs2FzQw/his8-05und01-piramide-de-beckman-e-pelourinho-de-sao-luis.pdf

Após a leitura do texto e análise da imagem, questione os alunos quanto aos simbolismos presentes ao se construir a pirâmide de Beckman sobre a base do antigo pelourinho da cidade. Algumas questões norteadoras podem ser:

  • Qual motivo teria levado a construção de um monumento em homenagem a Beckman?
  • Por que essa construção não foi feita em outro local?
  • Qual referência do passado se apaga com esta reconstrução?
  • Qual referência do passado é valorizada com esta reconstrução?
  • Por que o antigo pelourinho foi destruído e por quem?
  • Podemos estabelecer uma relação entre o monumento desconstruído e aquele que foi construído sobre a sua antiga base?

Com estas perguntas, pretende-se que os alunos percebam sobre o apagamento da memória referente aos escravizados (em suas expressões de resistência à escravidão), para valorizar uma narrativa heróica do líder da Revolta.

Com estas reflexões, a turma deve perceber acerca do amplo significado histórico em torno deste monumento, que inclui uma ação do Estado no sentido de desconstruir ou apagar uma parte da História do Brasil, marcada pela violência contra os escravizados, construindo no lugar disso uma narrativa heróica, em torno de um dono de Engenho que teria se revoltado contra as imposições da coroa portuguesa.

Como adequar à sua realidade: Nessa etapa, imprima os dois textos e a imagem para entregar aos alunos. Caso tenha disponibilidade, utilize mapas do território do Brasil para ajudar os alunos a localizar o estado do Maranhão. Para isso há a ferramenta do Google Maps: https://www.google.com/maps/place/Maranh%C3%A3o/@-5.6369376,-49.7681653,6z/data=!3m1!4b1!4m5!3m4!1s0x7edd77a9bcc1ce5:0x6276aba3d96c2934!8m2!3d-4.9609498!4d-45.2744159?hl=pt-BR

Para você saber mais:

Entrevista completa com historiador Euges Lima. IHGM. Disponível em: http://ihgm1.blogspot.com/2017/04/entrevista-inedita-sobre-revelacao-da.html Acesso em: 18 de novembro de 2018.

LIMA, Euges. “A Pirâmide do Campo de Ourique”. Blog do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão. Disponível em:

http://ihgm1.blogspot.com/2018/02/a-piramide-do-campo-de-ourique1.html Acesso em: 15/11/2018.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Para que os alunos possam expressar o que compreenderam ao longo da aula, propõe-se uma atividade organizada em duas etapas.

  • Organizados nos mesmos grupos do princípio da aula, os alunos devem preencher uma tabela comparando as ideias de liberdade pelos diferentes grupos sociais relacionados à Revolta de Beckman e ao monumento, a fim de organizar suas reflexões. Devem compreender e expressar que, para Beckman, a liberdade dos indígenas e africanos não deveria ser proibida, para que esses povos fossem escravizados pelos donos de engenho. Já para os ex-escravizados que destruíram o pelourinho, a liberdade era uma exigência, uma necessidade. A destruição do pelourinho no ano seguinte a abolição demonstra a indignação e a revolta desses povos com os séculos de escravidão e opressão.
  • Após o preenchimento da tabela, os alunos devem montar um texto de um guia turístico, informando o local onde fica o monumento e as informações históricas trabalhadas na aula: o que havia no local deste monumento no século XIX, por que a Pirâmide foi construída, quem foi Beckman, os alunos devem finalizar o texto dizendo por que as pessoas deveriam visitar esse local. Espera-se que os alunos digam que o local deve ser visitado devido às contradições de sua construção e desconstrução. Os alunos devem fazer uma análise crítica sobre o fato de um monumento em homenagem a um homem da elite colonial, que desejava a continuidade da escravidão e da opressão de africanos e indígenas, ter sido construído sobre as bases do antigo pelourinho.

Como adequar à sua realidade: Imprima o modelo de tabela e guia e solicite que os alunos o preencham ou peça para que recriem seus modelos a partir dele.

Materiais para atividade

Modelo de tabela comparativa: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8csApsGFBq6jfNJ9mWvQtKky8ZEKSS2KVxZqckdjTXJqdMmJ8apUH7SwyYa9/his8-05und01-tabela-comparativa.pdf

Modelo de folder para guia turístico: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/WsAAw9NXz7bnNDmWdXxyFQrSpxHW9nGr3VzdrC8Gqnbw42qapnAm6fxn9yGN/his8-05und01-modelo-guia-turistico.pdf

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI05, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Impressões ou folhas de papel A4, lápis e canetas.

Meme: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/mzjTCbMRbwJPqqQyWtdfXdZyMjw5aBdrfjMMZ8bkcq8TztpcZfKx3zTeNGK6/his8-05und01-meme-para-o-contexto.pdf

Modelo de Guia Turístico para atividade de sistematização:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/WsAAw9NXz7bnNDmWdXxyFQrSpxHW9nGr3VzdrC8Gqnbw42qapnAm6fxn9yGN/his8-05und01-modelo-guia-turistico.pdf

Material complementar:

Texto “Historiador descobre que Pirâmide de Beckman é mais antiga do que se sabia”:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jnNraQjbJg3YMqFEnagD8dECFAfUuWWCHd6bzM6k7HxZWEv49rS3NEgRnHQB/his8-05und01-historiador-descobre-que-piramide-de-beckman-e-mais-antiga-do-que-se-sabia.pdf

Imagem Pirâmide de Beckman e Pelourinho de São Luís:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/QchAFC7AyHRhjZr3hfYt8RsnYJU8x6wmafyARDpJr7m8g4ue6HgxbWs2FzQw/his8-05und01-piramide-de-beckman-e-pelourinho-de-sao-luis.pdf

Trecho do artigo sobre Revolta de Beckman:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/pC4rJDzHKdgRtSmRgYMkRjEeyxD5YU3uMunNNJKTV7HBeVt8VCx3yzsqAD3q/his8-05und01-trecho-artigo-revolta-de-beckman.pdf

CHAMBOULEYRON, Rafael.Duplicados Clamores: queixas e rebeliões na Amazônia Colonial (Século XVII). Projeto História, São Paulo, n.33, p. 159-178, dez. 2006. Disponível em:<https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/viewFile/2289/1383 >. Acesso em: 21 out. 2018.>

Para você saber mais:

Entrevista com historiador Euges Lima. IHGM. Disponível em: http://ihgm1.blogspot.com/2017/04/entrevista-inedita-sobre-revelacao-da.html Acesso em: 18 de novembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Com a turma organizada em grupos de até quatro alunos, projete ou escreva no quadro o objetivo da aula. Peça aos alunos que leiam em voz alta coletivamente ou leia para eles.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Questione aos alunos sobre o que entendem como revolta. Espera-se que suas respostas contemplem a ideia de que revolta é uma manifestação de indignação, insatisfação de pessoas que questionam alguma coisa, que apontam algo está errado. Caso necessário, proponha algumas questões para orientar o debate, por exemplo:

  • Como nos sentimos quando estamos diante de uma situação que consideramos injusta?

Conhecendo o que é uma revolta, os alunos saberão então que o tema da aula trata de um movimento de pessoas que estavam insatisfeitas com algo.

Meme para impressão, caso queira disponibilizar para os alunos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/mzjTCbMRbwJPqqQyWtdfXdZyMjw5aBdrfjMMZ8bkcq8TztpcZfKx3zTeNGK6/his8-05und01-meme-para-o-contexto.pdf

Slide Plano Aula

Orientações: Peça aos alunos que façam a leitura do trecho do artigo de Rafael Chambouleyron: “Duplicados Clamores: queixas e rebeliões na Amazônia Colonial (Século XVII)”. Projete, imprima ou entregue o trecho para os alunos.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/pC4rJDzHKdgRtSmRgYMkRjEeyxD5YU3uMunNNJKTV7HBeVt8VCx3yzsqAD3q/his8-05und01-trecho-artigo-revolta-de-beckman.pdf

Após a leitura, solicite que os alunos identifiquem:

  • A qual grupo social Manuel Beckman pertencia?
  • Quais eram seus possíveis interesses ao se envolver nessa revolta?
  • Qual a posição de Beckman sobre a escravidão de indígenas e africanos?

Os alunos devem identificar que Beckman era um dono de engenho e que possuía portanto interesses particulares a esse grupo social do qual fazia parte, ou seja, a elite colonial brasileira. Devem analisar que Beckman possuía interesses como conseguir mão de obra escravizada e aumentar seus lucro no engenho.

Quanto à terceira pergunta, devem perceber que Beckman apoiava a escravização dos indígenas e dos africanos. A Revolta de Beckman teve como uma das suas motivações o fato de que os donos de engenho queriam escravizar os indígenas “protegidos” pelos jesuítas, dada a escassez de escravizados africanos na região e os altos custos destes. Beckman era um dos donos de engenho, logo, tal como os demais donos de engenho não desejavam a liberdade desses povos.

Para você saber mais: Faça a leitura completa do artigo antes de ministrar a aula sobre a Revolta de Beckman com objetivo de entender o ambiente político, econômico e social em que ocorreu essa e outras revoltas no atual estado do Maranhão e a relação entre os proprietários de engenho da Companhia de Jesus e a coroa portuguesa nesses movimentos.

CHAMBOULEYRON, Rafael. Duplicados Clamores: queixas e rebeliões na Amazônia Colonial (Século XVII). Projeto História, São Paulo, n.33, p. 159-178, dez. 2006. Disponível em:<https://revistas.pucsp.br/index.php/revph/article/viewFile/2289/1383>. Acesso em: 21 out. 2018

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Nessa parte da aula os alunos devem analisar o trecho que conta sobre a descoberta de um historiador no ano de 2014 (slide 5). De acordo com a pesquisa de Euges Lima, a Pirâmide de Beckman construída em homenagem ao líder da revolta estudada foi construída sobre a mesma base do antigo pelourinho de São Luís (destruída por populares e ex-escravizados após a abolição). A seguir, peça que observem a imagem e notem as semelhanças e diferenças entre o pelourinho e a Pirâmide de Beckman (slide 6).

Links para impressão do texto e da imagem:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jnNraQjbJg3YMqFEnagD8dECFAfUuWWCHd6bzM6k7HxZWEv49rS3NEgRnHQB/his8-05und01-historiador-descobre-que-piramide-de-beckman-e-mais-antiga-do-que-se-sabia.pdf

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/QchAFC7AyHRhjZr3hfYt8RsnYJU8x6wmafyARDpJr7m8g4ue6HgxbWs2FzQw/his8-05und01-piramide-de-beckman-e-pelourinho-de-sao-luis.pdf

Após a leitura do texto e análise da imagem, questione os alunos quanto aos simbolismos presentes ao se construir a pirâmide de Beckman sobre a base do antigo pelourinho da cidade. Algumas questões norteadoras podem ser:

  • Qual motivo teria levado a construção de um monumento em homenagem a Beckman?
  • Por que essa construção não foi feita em outro local?
  • Qual referência do passado se apaga com esta reconstrução?
  • Qual referência do passado é valorizada com esta reconstrução?
  • Por que o antigo pelourinho foi destruído e por quem?
  • Podemos estabelecer uma relação entre o monumento desconstruído e aquele que foi construído sobre a sua antiga base?

Com estas perguntas, pretende-se que os alunos percebam sobre o apagamento da memória referente aos escravizados (em suas expressões de resistência à escravidão), para valorizar uma narrativa heróica do líder da Revolta.

Com estas reflexões, a turma deve perceber acerca do amplo significado histórico em torno deste monumento, que inclui uma ação do Estado no sentido de desconstruir ou apagar uma parte da História do Brasil, marcada pela violência contra os escravizados, construindo no lugar disso uma narrativa heróica, em torno de um dono de Engenho que teria se revoltado contra as imposições da coroa portuguesa.

Como adequar à sua realidade: Nessa etapa, imprima os dois textos e a imagem para entregar aos alunos. Caso tenha disponibilidade, utilize mapas do território do Brasil para ajudar os alunos a localizar o estado do Maranhão. Para isso há a ferramenta do Google Maps: https://www.google.com/maps/place/Maranh%C3%A3o/@-5.6369376,-49.7681653,6z/data=!3m1!4b1!4m5!3m4!1s0x7edd77a9bcc1ce5:0x6276aba3d96c2934!8m2!3d-4.9609498!4d-45.2744159?hl=pt-BR

Para você saber mais:

Entrevista completa com historiador Euges Lima. IHGM. Disponível em: http://ihgm1.blogspot.com/2017/04/entrevista-inedita-sobre-revelacao-da.html Acesso em: 18 de novembro de 2018.

LIMA, Euges. “A Pirâmide do Campo de Ourique”. Blog do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão. Disponível em:

http://ihgm1.blogspot.com/2018/02/a-piramide-do-campo-de-ourique1.html Acesso em: 15/11/2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Nessa parte da aula os alunos devem analisar o trecho que conta sobre a descoberta de um historiador no ano de 2014 (slide 5). De acordo com a pesquisa de Euges Lima, a Pirâmide de Beckman construída em homenagem ao líder da revolta estudada foi construída sobre a mesma base do antigo pelourinho de São Luís (destruída por populares e ex-escravizados após a abolição). A seguir, peça que observem a imagem e notem as semelhanças e diferenças entre o pelourinho e a Pirâmide de Beckman (slide 6).

Links para impressão do texto e da imagem:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jnNraQjbJg3YMqFEnagD8dECFAfUuWWCHd6bzM6k7HxZWEv49rS3NEgRnHQB/his8-05und01-historiador-descobre-que-piramide-de-beckman-e-mais-antiga-do-que-se-sabia.pdf

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/QchAFC7AyHRhjZr3hfYt8RsnYJU8x6wmafyARDpJr7m8g4ue6HgxbWs2FzQw/his8-05und01-piramide-de-beckman-e-pelourinho-de-sao-luis.pdf

Após a leitura do texto e análise da imagem, questione os alunos quanto aos simbolismos presentes ao se construir a pirâmide de Beckman sobre a base do antigo pelourinho da cidade. Algumas questões norteadoras podem ser:

  • Qual motivo teria levado a construção de um monumento em homenagem a Beckman?
  • Por que essa construção não foi feita em outro local?
  • Qual referência do passado se apaga com esta reconstrução?
  • Qual referência do passado é valorizada com esta reconstrução?
  • Por que o antigo pelourinho foi destruído e por quem?
  • Podemos estabelecer uma relação entre o monumento desconstruído e aquele que foi construído sobre a sua antiga base?

Com estas perguntas, pretende-se que os alunos percebam sobre o apagamento da memória referente aos escravizados (em suas expressões de resistência à escravidão), para valorizar uma narrativa heróica do líder da Revolta.

Com estas reflexões, a turma deve perceber acerca do amplo significado histórico em torno deste monumento, que inclui uma ação do Estado no sentido de desconstruir ou apagar uma parte da História do Brasil, marcada pela violência contra os escravizados, construindo no lugar disso uma narrativa heróica, em torno de um dono de Engenho que teria se revoltado contra as imposições da coroa portuguesa.

Como adequar à sua realidade: Nessa etapa, imprima os dois textos e a imagem para entregar aos alunos. Caso tenha disponibilidade, utilize mapas do território do Brasil para ajudar os alunos a localizar o estado do Maranhão. Para isso há a ferramenta do Google Maps: https://www.google.com/maps/place/Maranh%C3%A3o/@-5.6369376,-49.7681653,6z/data=!3m1!4b1!4m5!3m4!1s0x7edd77a9bcc1ce5:0x6276aba3d96c2934!8m2!3d-4.9609498!4d-45.2744159?hl=pt-BR

Para você saber mais:

Entrevista completa com historiador Euges Lima. IHGM. Disponível em: http://ihgm1.blogspot.com/2017/04/entrevista-inedita-sobre-revelacao-da.html Acesso em: 18 de novembro de 2018.

LIMA, Euges. “A Pirâmide do Campo de Ourique”. Blog do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão. Disponível em:

http://ihgm1.blogspot.com/2018/02/a-piramide-do-campo-de-ourique1.html Acesso em: 15/11/2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Para que os alunos possam expressar o que compreenderam ao longo da aula, propõe-se uma atividade organizada em duas etapas.

  • Organizados nos mesmos grupos do princípio da aula, os alunos devem preencher uma tabela comparando as ideias de liberdade pelos diferentes grupos sociais relacionados à Revolta de Beckman e ao monumento, a fim de organizar suas reflexões. Devem compreender e expressar que, para Beckman, a liberdade dos indígenas e africanos não deveria ser proibida, para que esses povos fossem escravizados pelos donos de engenho. Já para os ex-escravizados que destruíram o pelourinho, a liberdade era uma exigência, uma necessidade. A destruição do pelourinho no ano seguinte a abolição demonstra a indignação e a revolta desses povos com os séculos de escravidão e opressão.
  • Após o preenchimento da tabela, os alunos devem montar um texto de um guia turístico, informando o local onde fica o monumento e as informações históricas trabalhadas na aula: o que havia no local deste monumento no século XIX, por que a Pirâmide foi construída, quem foi Beckman, os alunos devem finalizar o texto dizendo por que as pessoas deveriam visitar esse local. Espera-se que os alunos digam que o local deve ser visitado devido às contradições de sua construção e desconstrução. Os alunos devem fazer uma análise crítica sobre o fato de um monumento em homenagem a um homem da elite colonial, que desejava a continuidade da escravidão e da opressão de africanos e indígenas, ter sido construído sobre as bases do antigo pelourinho.

Como adequar à sua realidade: Imprima o modelo de tabela e guia e solicite que os alunos o preencham ou peça para que recriem seus modelos a partir dele.

Materiais para atividade

Modelo de tabela comparativa: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8csApsGFBq6jfNJ9mWvQtKky8ZEKSS2KVxZqckdjTXJqdMmJ8apUH7SwyYa9/his8-05und01-tabela-comparativa.pdf

Modelo de folder para guia turístico: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/WsAAw9NXz7bnNDmWdXxyFQrSpxHW9nGr3VzdrC8Gqnbw42qapnAm6fxn9yGN/his8-05und01-modelo-guia-turistico.pdf

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE O mundo contemporâneo: o Antigo Regime em crise do 8º ano :

MAIS AULAS DE História do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08HI05 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano