16185
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 9º ano > Mundo do trabalho

Plano de aula - A fome nos países subdesenvolvidos

Plano de aula de Geografia com atividades para 9ºano ano do Fundamental sobre Compreender os diferentes níveis de insegurança alimentar e sua complexidade pelo mundo

Plano 01 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Mariana Soares Domingues

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF09GE13 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Esta habilidade diz respeito à análise da importância da produção agropecuária na sociedade urbano-industrial ante o problema da desigualdade mundial de acesso aos recursos alimentares e à matéria-prima. Assim, o uso de materiais didáticos visuais, como mapas, pode ser útil para interpretações e comparações entre as localidades. Como esta habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. A habilidade EF09GE14, por exemplo, pode ser relacionada a esta aula e, então, ser explorada para elaboração de gráficos de barras e de setores, mapas temáticos e esquemáticos (croquis) e anamorfoses geográficas para analisar, sintetizar e apresentar dados e informações sobre diversidade, diferenças e desigualdades sociopolíticas e geopolíticas mundiais.

Materiais necessários: Mapas da fome do mundo disponível nos slides: Ocorrência de desnutrição na população mundial (2014 - 16) e Metas de combate a fome no mundo (de 1990 - 92 a 2014 - 16), disponíveis em: http://www.fao.org/3/a-i4674e.pdf; e fragmento do do resumo do relatório da FAO texto “Adoção de uma abordagem territorial à segurança alimentar e política nutricional” (Fonte: FAO (Food and Agriculture Organization), disponível em: https://www.oecd-ilibrary.org/urban-rural-and-regional-development/adopting-a-territorial-approach-to-food-security-and-nutrition-policy_9789264257108-en)

Lápis e/ou caneta para redação de um texto em folha avulsa.

Se achar necessário, imprima os mapas e o fragmento do texto para cada dupla analisar em suas mesas.

Materiais complementares: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6QmkfGCGdB5wzqyDF282TVETF7PNbGRnmEynuhhCrFReDr5QSQZvAed7QSC2/geo9-13und01.pdf

Ocorrência de desnutrição na população mundial (2014 - 16) e Metas de combate a fome no mundo (de 1990 - 92 a 2014 - 16), disponíveis em: http://www.fao.org/3/a-i4674e.pdf;

Para você saber mais:

Para compreensão dos níveis de insegurança alimentar você pode consultar o relatório: da FAO (Food and Agriculture Organization): “Avaliação do direito à alimentação” disponível em: http://www.fao.org/3/a-i3454o.pdf

Se achar necessário, o relatório completo sobre a “Adoção de uma abordagem territorial à segurança alimentar e política nutricional” está disponível em:

https://read.oecd-ilibrary.org/urban-rural-and-regional-development/adopting-a-territorial-approach-to-food-security-and-nutrition-policy_9789264257108-en#page1.

Essa notícia complementa o estudo e pode ser consultada para dados recentes: ” Fome aumenta pela primeira vez em quase 15 anos” está disponível no site do jornal El pais no link: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/05/internacional/1504624883_402058.html?fbclid=IwAR0r_ZxZHK93KmuRvcChFV2YaXSDM2xnWmk2Ji_ym9z5k0AVXkCHboO1ycs

Também você pode consultar o site da FAO (Food and Agriculture Organization) no Brasil : http://www.fao.org/brasil/pt/ ou no mundo: http://www.fao.org/home/en/ para dados estatísticos, notícias recentes e atuação da entidade no mundo.

Contextos prévios: Para o desenvolvimento desse plano de aula é importante que os alunos tenham aprendido alguns conceitos como a diferenciação econômica dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Comente com os alunos que nesta aula eles vão relacionar o problema da insegurança alimentar e os diferentes níveis da fome no mundo. Além de compreender os diferentes níveis de fome no mundo, busca-se que compreendam os desafios de combate a fome em função desses níveis desiguais, sugerindo propostas, políticas adequadas para o combate ao problema no final desta aula. Divida-os em duplas. Você pode reiterar que a insegurança alimentar é a falta de disponibilidade e o acesso das pessoas aos alimentos, ou seja, refere-se ao problema da fome no mundo. Os diferentes níveis serão discutidos posteriormente.

Como adequar à sua realidade: Para iniciar essa aula você pode relacionar o tema da fome ao município onde vocês residem, questionando se há casos de fome no local onde moram.

Para você saber mais:

Você pode consultar o site da FAO (Food and Agriculture Organization) no Brasil : http://www.fao.org/brasil/pt/ (Acesso em 03/11/2018) ou no mundo: http://www.fao.org/home/en/(Acesso em 03/11/2018) para dados estatísticos, notícias recentes e atuação da entidade no mundo.

Há uma referência de 1933 sobre o problema da fome no Rio de Janeiro, do mesmo autor: Castro, Josué de (1933).O Problema da Alimentação no Brasil. Rio de Janeiro: Companhia Editora Nacional.

A obra do geógrafo Josué de Castro também pode ser uma referência para essa aula. Nela o autor define o conceito de fome que utilizará em toda a sua obra, além de identificar as áreas de fome endêmica e epidêmica no Brasil. Nesse livro mostra o que o autor pensa sobre o problema da fome e como podemos resolvê-lo: Castro, Josué de (2008). Geografia da fome: o dilema brasileiro - pão ou aço 20 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

O documentário “Histórias da fome no Brasil” produzido pela Ação da Cidadania, mostra uma cronologia da fome no país. Do Brasil Colônia, onde foram plantadas as sementes das desigualdades sociais, até as políticas públicas recentes que culminaram na saída do Brasil, em 2014, do Mapa da Fome divulgado pela ONU, retrata como se deu o enfrentamento desse mal por parte da sociedade e do governo. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=eqGDdFexVmo&app=desktop (Acesso em 10/11/2018)

O IBGE também publicou estudo recente acerca do assunto intitulado “ ODS 2: defesa da agricultura sustentável e o combate à fome” onde André Costa e Octávio Costa, pesquisadores do IBGE responsáveis pelo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 2 (ODS 2), comentam sobre os desafios que o Brasil tem pela frente e o papel do IBGE nesse trabalho. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/18869-ods-2-defesa-da-agricultura-sustentavel-e-o-combate-a-fome (Acesso em 10/11/2018)

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Inicie a aula lendo a informação que consta no slide. Analise o gráfico com os alunos. Solicite que discutam em suas duplas a relação entre o crescimento populacional e a produção de alimentos. Os alunos devem concluir que a produção de alimentos no mundo é muito superior ao crescimento populacional, ou seja, o problema da fome não está relacionada a falta de alimentos e sim a má distribuição desses, pois há regiões em que não chega comida suficiente, ou má distribuição de renda, há pessoas (ou comunidades inteiras) sem dinheiro suficiente para comprá-la.

Se achar necessário, relacione essa ideia com a teoria Malthusiana, criada no final do século XVIII por Thomas Malthus, no auge da Revolução Industrial e urbanização no Reino Unido. Ele sugeria que o crescimento populacional superaria a produção de alimentos, gerando fome e miséria no mundo. Acreditava que a população aumentava em progressão geométrica (2, 4, 8,16, 32…) enquanto os alimentos em progressão aritmética (2, 4, 6, 8, 10...) e, portanto, ele era a favor de um controle rígido de natalidade, principalmente entre a população mais carente. A teoria nunca se comprovou porque a inserção de tecnologias no meio agrícola promoveu maior produção de alimentos.

O gráfico está disponível em: http://4.bp.blogspot.com/-nvKEqEcFQwA/UE5tDeAM7rI/AAAAAAAAC3Y/G8d5fyBnyAA/s1600/tabela.JPG. (Acesso em 03/11/2018)

Para você saber mais:

Confira mais detalhes sobre essa questão no site do jornal El País que apresenta a reportagem ” Fome aumenta pela primeira vez em quase 15 anos” está disponível no site do jornal El pais no link: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/05/internacional/1504624883_402058.html?fbclid=IwAR0r_ZxZHK93KmuRvcChFV2YaXSDM2xnWmk2Ji_ym9z5k0AVXkCHboO1ycs

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Faça a leitura do slide em voz alta. Solicite que discutam entre si o problema da fome, ou seja, a ideia de insegurança alimentar. Oriente-os acerca dos níveis de insegurança alimentar: Eles devem compreender que existem níveis diferentes da fome, como a fome crônica, fome aguda ou fome oculta. Fome crônica pode ser caracterizada pela falta constante de alimentos suficientes para manutenção do bom funcionamento do organismo. Está relacionada à má nutrição ou subnutrição, ou seja, à carência em termos de nutrientes e calorias, promovendo o mal funcionamento do organismo comprometendo o desenvolvimento físico e a capacidade intelectual do indivíduo. Pessoas pobres ou oriundas de comunidades pobres, mais propícias a desenvolver doenças, sofrem deste tipo de fome, que pode levar à morte de forma lenta. Fome aguda pode acontecer em decorrência de catástrofes climáticas, naturais, levando o indivíduo a uma condição de pobreza que pode ser momentânea ou não, ou seja, produz escassez de alimentos, de consumo mínimo de calorias, debilitando o organismo. Está relacionada à desnutrição completa e debilidade do organismo, e consequente morte. Já a fome oculta está associada a maus hábitos alimentares, ou seja, uma alimentação inadequada. Não apresenta sintomas específicos, mas a longo prazo pode acarretar doenças como osteoporose, câncer, envelhecimento precoce, hipertensão, etc.

Depois desse momento de reflexão e definições, passe para o slide posterior. Busque responder as questões sugeridas com a análise do mapa.

Como adequar à sua realidade: Após a definição e diferenciação dos níveis de insegurança alimentar você pode consultar os alunos se existe fome na cidade em que vivem e qual seria mais recorrente. É provável que a fome oculta apareça em todos os relatos, até mesmo associado a familiares.

Para você saber mais:

Para compreensão dos níveis de insegurança alimentar e outros níveis de fome você pode consultar o relatório: da FAO (Food and Agriculture Organization): “Avaliação do direito à alimentação” disponível em: http://www.fao.org/3/a-i3454o.pdf

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações: Para melhor visualização e interpretação, você pode entregar uma cópia do mapa para cada dupla analisar em sua mesa. Solicite que discutam entre eles as respostas das questões sugeridas no slide anterior. Você pode orientá-los com apontamentos da legenda sugerida e das regiões no próprio mapa. Oriente-os que dialoguem se as porcentagens indicadas podem dar referência para distinguir o tipo de fome nos locais (aguda, crônica ou oculta). Você pode retomar que a fome crônica será a mais comum nos países indicados, em função da pobreza e vulnerabilidade das populações, podendo promover mortes ou deficiências a longo prazo no organismo dos indivíduos. Passado um tempo da discussão e entre ele, aponte no mapa os lugares que estão mais suscetíveis a esse problema. Eles devem identificar os países subdesenvolvidos, em geral, América Latina, África e Ásia, sendo a África Subsaariana a região mais vulnerável. Se achar conveniente, compare o mapa apresentado com o mapa-múndi identificando exatamente os países de maior vulnerabilidade à insegurança alimentar, tais como Bolívia, Peru, Equador na América do Sul; Haiti, Guatemala, Nicarágua na América Central; República Centro-Africana, Namíbia, Zâmbia, Madagascar, Moçambique, Etiópia na África Subsaariana; Iêmen, Iraque e Afeganistão no Oriente Mèdio; Índia, Paquistão, China, Camboja, Vietnã e Coreia do Norte no sul, leste e sudeste asiático. Retome que não há indicadores de desnutridos nos países desenvolvidos, que se encontram abaixo de 5%.

Como adequar à sua realidade: Note que, apesar de ocorrências de fome na América do Sul, o Brasil está assinalado com baixa porcentagem de população desnutrida (menos de 5%, porcentagem considerada muito baixa).

Para você saber mais:

O mapa original em inglês está disponível em: http://www.fao.org/3/a-i4674e.pdf (Acesso em 03/11/2018)

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 17 min

Orientações: Leia o slide em voz alta para os alunos refletirem e, na sequência, apresente o mapa proposto no próximo slide.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Para melhor visualização e interpretação, você pode entregar uma cópia do mapa para cada dupla analisar em sua mesa. O mapa apresenta as metas de combate a fome estabelecidas pela FAO entre os anos de 1990-92 e 2014-16. Peça que dialoguem entre si e comparem os mapas a fim relacionarem seus conteúdos. Aponte para a interpretação da legenda que permite identificar: meta alcançada: lugares onde as políticas e ações contra a fome foram efetivas e há baixa ou nenhuma incidência de desnutridos no local; meta não alcançada com progresso lento: locais onde as políticas e ações de combate a fome estão sendo implantadas promovendo um avanço lento para erradicação da fome; meta não atingida com falta de progresso ou deterioração: locais onde as políticas e ações contra a fome não foram implantadas ou não estão sendo efetivas para resolver o problema; dados ausentes ou insuficientes: localidades sem comprovação de dados sobre o combate a fome.

Em geral, a comparação dos dois mapas permite verificar que os locais com alta ou muito alta incidência de desnutridos (acima de 25%) também são as áreas mais vulneráveis e difíceis de se combater o problema. As áreas com ocorrência moderada de desnutridos ( entre 5% e 24,9%) já tem metas alcançadas ou que estão em progresso lento, ou seja, menor vulnerabilidade à pobreza que as anteriores. Já algumas áreas com ocorrência muito baixa (menor que 5%) já não aparecem nas metas de combate a fome ou já tiveram problema superado.

Os dados insuficientes ou ausentes aparecem em países como República Democrática do Congo, Sudão do Sul, Sudão , Líbia, Somália, Saara Ocidental, Butão, Tadjiquistão e Papua Nova Guiné. Em geral, referem-se a países também bastante vulneráveis à pobreza e que passaram ou passam por guerra civil recente, o que pode explicar a ausência de dados sobre o assunto.

Demonstre que nos países desenvolvidos não houve metas pois não havia casos de fome desde a década de 1990.

Como adequar à sua realidade: Se achar importante, cite o caso do Brasil que, apesar de aparecer anteriormente com baixa incidência de desnutridos no país (5%), conseguiu no período citado atingir a meta de combate a fome.

Para você saber mais:

O mapa original em inglês está disponível em: http://www.fao.org/3/a-i4674e.pdf(Acesso em 03/11/2018)

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Faça a leitura do fragmento em voz alta. Peça que os alunos relacionem a análise e comparação dos mapas anteriores com o texto e solicite que discutam em duplas suas conclusões. Para melhor análise, você pode imprimir o fragmento do texto e entrega a cada dupla para que comparem e relacionem com os mapas anteriores.

Para você saber mais:

Se achar necessário, o relatório completo sobre a “Adoção de uma abordagem territorial à segurança alimentar e política nutricional” está disponível em:

https://read.oecd-ilibrary.org/urban-rural-and-regional-development/adopting-a-territorial-approach-to-food-security-and-nutrition-policy_9789264257108-en#page1. (Acesso em 03/11/2018).

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 14 min

Orientações: Neste momento os estudantes devem anotar as discussões que tiveram anteriormente, relacionando a observação, interpretação e comparação dos mapas e fragmento do texto para redigir uma síntese. Se achar necessário, passe pelas mesas e verifique se os alunos estão obtendo conclusões coerentes acerca do assunto abordado. Eles podem no texto todas as reflexões que foram feitas acerca da análise e podem propor ainda respostas mais elaboradas. Ao longo da construção dos texto você pode perpassar pelas mesas sugerindo que para fornecer soluções eficazes a longo prazo. Eles devem compreender que a insegurança alimentar é fruto da desigual distribuição de renda e alimentos no mundo. Os países mais suscetíveis a esse problema são onde a pobreza é mais generalizada e, muitas vezes, associado a conflitos e instabilidade política, econômica e social encontrada nos países. As respostas políticas de combate a fome devem, portanto, ser adaptadas aos desafios específicos de cada território, levando em conta uma resposta multidimensional que inclui a disponibilidade, o acesso, a utilização e a estabilidade dos alimentos. Se achar adequado e melhor, sugira que redijam o texto em casa e tragam na próxima aula para maior reflexão entre eles.

Para você saber mais:

Essa notícia complementa o estudo e pode ser consultada para dados recentes ajudando os alunos na elaboração de suas sínteses: ” Fome aumenta pela primeira vez em quase 15 anos” está disponível no site do jornal El pais no link: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/05/internacional/1504624883_402058.html?fbclid=IwAR0r_ZxZHK93KmuRvcChFV2YaXSDM2xnWmk2Ji_ym9z5k0AVXkCHboO1ycs. (Acesso em 03/11/2018)

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF09GE13 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Esta habilidade diz respeito à análise da importância da produção agropecuária na sociedade urbano-industrial ante o problema da desigualdade mundial de acesso aos recursos alimentares e à matéria-prima. Assim, o uso de materiais didáticos visuais, como mapas, pode ser útil para interpretações e comparações entre as localidades. Como esta habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. A habilidade EF09GE14, por exemplo, pode ser relacionada a esta aula e, então, ser explorada para elaboração de gráficos de barras e de setores, mapas temáticos e esquemáticos (croquis) e anamorfoses geográficas para analisar, sintetizar e apresentar dados e informações sobre diversidade, diferenças e desigualdades sociopolíticas e geopolíticas mundiais.

Materiais necessários: Mapas da fome do mundo disponível nos slides: Ocorrência de desnutrição na população mundial (2014 - 16) e Metas de combate a fome no mundo (de 1990 - 92 a 2014 - 16), disponíveis em: http://www.fao.org/3/a-i4674e.pdf; e fragmento do do resumo do relatório da FAO texto “Adoção de uma abordagem territorial à segurança alimentar e política nutricional” (Fonte: FAO (Food and Agriculture Organization), disponível em: https://www.oecd-ilibrary.org/urban-rural-and-regional-development/adopting-a-territorial-approach-to-food-security-and-nutrition-policy_9789264257108-en)

Lápis e/ou caneta para redação de um texto em folha avulsa.

Se achar necessário, imprima os mapas e o fragmento do texto para cada dupla analisar em suas mesas.

Materiais complementares: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6QmkfGCGdB5wzqyDF282TVETF7PNbGRnmEynuhhCrFReDr5QSQZvAed7QSC2/geo9-13und01.pdf

Ocorrência de desnutrição na população mundial (2014 - 16) e Metas de combate a fome no mundo (de 1990 - 92 a 2014 - 16), disponíveis em: http://www.fao.org/3/a-i4674e.pdf;

Para você saber mais:

Para compreensão dos níveis de insegurança alimentar você pode consultar o relatório: da FAO (Food and Agriculture Organization): “Avaliação do direito à alimentação” disponível em: http://www.fao.org/3/a-i3454o.pdf

Se achar necessário, o relatório completo sobre a “Adoção de uma abordagem territorial à segurança alimentar e política nutricional” está disponível em:

https://read.oecd-ilibrary.org/urban-rural-and-regional-development/adopting-a-territorial-approach-to-food-security-and-nutrition-policy_9789264257108-en#page1.

Essa notícia complementa o estudo e pode ser consultada para dados recentes: ” Fome aumenta pela primeira vez em quase 15 anos” está disponível no site do jornal El pais no link: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/05/internacional/1504624883_402058.html?fbclid=IwAR0r_ZxZHK93KmuRvcChFV2YaXSDM2xnWmk2Ji_ym9z5k0AVXkCHboO1ycs

Também você pode consultar o site da FAO (Food and Agriculture Organization) no Brasil : http://www.fao.org/brasil/pt/ ou no mundo: http://www.fao.org/home/en/ para dados estatísticos, notícias recentes e atuação da entidade no mundo.

Contextos prévios: Para o desenvolvimento desse plano de aula é importante que os alunos tenham aprendido alguns conceitos como a diferenciação econômica dos países desenvolvidos e subdesenvolvidos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Comente com os alunos que nesta aula eles vão relacionar o problema da insegurança alimentar e os diferentes níveis da fome no mundo. Além de compreender os diferentes níveis de fome no mundo, busca-se que compreendam os desafios de combate a fome em função desses níveis desiguais, sugerindo propostas, políticas adequadas para o combate ao problema no final desta aula. Divida-os em duplas. Você pode reiterar que a insegurança alimentar é a falta de disponibilidade e o acesso das pessoas aos alimentos, ou seja, refere-se ao problema da fome no mundo. Os diferentes níveis serão discutidos posteriormente.

Como adequar à sua realidade: Para iniciar essa aula você pode relacionar o tema da fome ao município onde vocês residem, questionando se há casos de fome no local onde moram.

Para você saber mais:

Você pode consultar o site da FAO (Food and Agriculture Organization) no Brasil : http://www.fao.org/brasil/pt/ (Acesso em 03/11/2018) ou no mundo: http://www.fao.org/home/en/(Acesso em 03/11/2018) para dados estatísticos, notícias recentes e atuação da entidade no mundo.

Há uma referência de 1933 sobre o problema da fome no Rio de Janeiro, do mesmo autor: Castro, Josué de (1933).O Problema da Alimentação no Brasil. Rio de Janeiro: Companhia Editora Nacional.

A obra do geógrafo Josué de Castro também pode ser uma referência para essa aula. Nela o autor define o conceito de fome que utilizará em toda a sua obra, além de identificar as áreas de fome endêmica e epidêmica no Brasil. Nesse livro mostra o que o autor pensa sobre o problema da fome e como podemos resolvê-lo: Castro, Josué de (2008). Geografia da fome: o dilema brasileiro - pão ou aço 20 ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

O documentário “Histórias da fome no Brasil” produzido pela Ação da Cidadania, mostra uma cronologia da fome no país. Do Brasil Colônia, onde foram plantadas as sementes das desigualdades sociais, até as políticas públicas recentes que culminaram na saída do Brasil, em 2014, do Mapa da Fome divulgado pela ONU, retrata como se deu o enfrentamento desse mal por parte da sociedade e do governo. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=eqGDdFexVmo&app=desktop (Acesso em 10/11/2018)

O IBGE também publicou estudo recente acerca do assunto intitulado “ ODS 2: defesa da agricultura sustentável e o combate à fome” onde André Costa e Octávio Costa, pesquisadores do IBGE responsáveis pelo Objetivo de Desenvolvimento Sustentável 2 (ODS 2), comentam sobre os desafios que o Brasil tem pela frente e o papel do IBGE nesse trabalho. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-noticias/2012-agencia-de-noticias/noticias/18869-ods-2-defesa-da-agricultura-sustentavel-e-o-combate-a-fome (Acesso em 10/11/2018)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Inicie a aula lendo a informação que consta no slide. Analise o gráfico com os alunos. Solicite que discutam em suas duplas a relação entre o crescimento populacional e a produção de alimentos. Os alunos devem concluir que a produção de alimentos no mundo é muito superior ao crescimento populacional, ou seja, o problema da fome não está relacionada a falta de alimentos e sim a má distribuição desses, pois há regiões em que não chega comida suficiente, ou má distribuição de renda, há pessoas (ou comunidades inteiras) sem dinheiro suficiente para comprá-la.

Se achar necessário, relacione essa ideia com a teoria Malthusiana, criada no final do século XVIII por Thomas Malthus, no auge da Revolução Industrial e urbanização no Reino Unido. Ele sugeria que o crescimento populacional superaria a produção de alimentos, gerando fome e miséria no mundo. Acreditava que a população aumentava em progressão geométrica (2, 4, 8,16, 32…) enquanto os alimentos em progressão aritmética (2, 4, 6, 8, 10...) e, portanto, ele era a favor de um controle rígido de natalidade, principalmente entre a população mais carente. A teoria nunca se comprovou porque a inserção de tecnologias no meio agrícola promoveu maior produção de alimentos.

O gráfico está disponível em: http://4.bp.blogspot.com/-nvKEqEcFQwA/UE5tDeAM7rI/AAAAAAAAC3Y/G8d5fyBnyAA/s1600/tabela.JPG. (Acesso em 03/11/2018)

Para você saber mais:

Confira mais detalhes sobre essa questão no site do jornal El País que apresenta a reportagem ” Fome aumenta pela primeira vez em quase 15 anos” está disponível no site do jornal El pais no link: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/05/internacional/1504624883_402058.html?fbclid=IwAR0r_ZxZHK93KmuRvcChFV2YaXSDM2xnWmk2Ji_ym9z5k0AVXkCHboO1ycs

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Faça a leitura do slide em voz alta. Solicite que discutam entre si o problema da fome, ou seja, a ideia de insegurança alimentar. Oriente-os acerca dos níveis de insegurança alimentar: Eles devem compreender que existem níveis diferentes da fome, como a fome crônica, fome aguda ou fome oculta. Fome crônica pode ser caracterizada pela falta constante de alimentos suficientes para manutenção do bom funcionamento do organismo. Está relacionada à má nutrição ou subnutrição, ou seja, à carência em termos de nutrientes e calorias, promovendo o mal funcionamento do organismo comprometendo o desenvolvimento físico e a capacidade intelectual do indivíduo. Pessoas pobres ou oriundas de comunidades pobres, mais propícias a desenvolver doenças, sofrem deste tipo de fome, que pode levar à morte de forma lenta. Fome aguda pode acontecer em decorrência de catástrofes climáticas, naturais, levando o indivíduo a uma condição de pobreza que pode ser momentânea ou não, ou seja, produz escassez de alimentos, de consumo mínimo de calorias, debilitando o organismo. Está relacionada à desnutrição completa e debilidade do organismo, e consequente morte. Já a fome oculta está associada a maus hábitos alimentares, ou seja, uma alimentação inadequada. Não apresenta sintomas específicos, mas a longo prazo pode acarretar doenças como osteoporose, câncer, envelhecimento precoce, hipertensão, etc.

Depois desse momento de reflexão e definições, passe para o slide posterior. Busque responder as questões sugeridas com a análise do mapa.

Como adequar à sua realidade: Após a definição e diferenciação dos níveis de insegurança alimentar você pode consultar os alunos se existe fome na cidade em que vivem e qual seria mais recorrente. É provável que a fome oculta apareça em todos os relatos, até mesmo associado a familiares.

Para você saber mais:

Para compreensão dos níveis de insegurança alimentar e outros níveis de fome você pode consultar o relatório: da FAO (Food and Agriculture Organization): “Avaliação do direito à alimentação” disponível em: http://www.fao.org/3/a-i3454o.pdf

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações: Para melhor visualização e interpretação, você pode entregar uma cópia do mapa para cada dupla analisar em sua mesa. Solicite que discutam entre eles as respostas das questões sugeridas no slide anterior. Você pode orientá-los com apontamentos da legenda sugerida e das regiões no próprio mapa. Oriente-os que dialoguem se as porcentagens indicadas podem dar referência para distinguir o tipo de fome nos locais (aguda, crônica ou oculta). Você pode retomar que a fome crônica será a mais comum nos países indicados, em função da pobreza e vulnerabilidade das populações, podendo promover mortes ou deficiências a longo prazo no organismo dos indivíduos. Passado um tempo da discussão e entre ele, aponte no mapa os lugares que estão mais suscetíveis a esse problema. Eles devem identificar os países subdesenvolvidos, em geral, América Latina, África e Ásia, sendo a África Subsaariana a região mais vulnerável. Se achar conveniente, compare o mapa apresentado com o mapa-múndi identificando exatamente os países de maior vulnerabilidade à insegurança alimentar, tais como Bolívia, Peru, Equador na América do Sul; Haiti, Guatemala, Nicarágua na América Central; República Centro-Africana, Namíbia, Zâmbia, Madagascar, Moçambique, Etiópia na África Subsaariana; Iêmen, Iraque e Afeganistão no Oriente Mèdio; Índia, Paquistão, China, Camboja, Vietnã e Coreia do Norte no sul, leste e sudeste asiático. Retome que não há indicadores de desnutridos nos países desenvolvidos, que se encontram abaixo de 5%.

Como adequar à sua realidade: Note que, apesar de ocorrências de fome na América do Sul, o Brasil está assinalado com baixa porcentagem de população desnutrida (menos de 5%, porcentagem considerada muito baixa).

Para você saber mais:

O mapa original em inglês está disponível em: http://www.fao.org/3/a-i4674e.pdf (Acesso em 03/11/2018)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 17 min

Orientações: Leia o slide em voz alta para os alunos refletirem e, na sequência, apresente o mapa proposto no próximo slide.

Slide Plano Aula

Orientações: Para melhor visualização e interpretação, você pode entregar uma cópia do mapa para cada dupla analisar em sua mesa. O mapa apresenta as metas de combate a fome estabelecidas pela FAO entre os anos de 1990-92 e 2014-16. Peça que dialoguem entre si e comparem os mapas a fim relacionarem seus conteúdos. Aponte para a interpretação da legenda que permite identificar: meta alcançada: lugares onde as políticas e ações contra a fome foram efetivas e há baixa ou nenhuma incidência de desnutridos no local; meta não alcançada com progresso lento: locais onde as políticas e ações de combate a fome estão sendo implantadas promovendo um avanço lento para erradicação da fome; meta não atingida com falta de progresso ou deterioração: locais onde as políticas e ações contra a fome não foram implantadas ou não estão sendo efetivas para resolver o problema; dados ausentes ou insuficientes: localidades sem comprovação de dados sobre o combate a fome.

Em geral, a comparação dos dois mapas permite verificar que os locais com alta ou muito alta incidência de desnutridos (acima de 25%) também são as áreas mais vulneráveis e difíceis de se combater o problema. As áreas com ocorrência moderada de desnutridos ( entre 5% e 24,9%) já tem metas alcançadas ou que estão em progresso lento, ou seja, menor vulnerabilidade à pobreza que as anteriores. Já algumas áreas com ocorrência muito baixa (menor que 5%) já não aparecem nas metas de combate a fome ou já tiveram problema superado.

Os dados insuficientes ou ausentes aparecem em países como República Democrática do Congo, Sudão do Sul, Sudão , Líbia, Somália, Saara Ocidental, Butão, Tadjiquistão e Papua Nova Guiné. Em geral, referem-se a países também bastante vulneráveis à pobreza e que passaram ou passam por guerra civil recente, o que pode explicar a ausência de dados sobre o assunto.

Demonstre que nos países desenvolvidos não houve metas pois não havia casos de fome desde a década de 1990.

Como adequar à sua realidade: Se achar importante, cite o caso do Brasil que, apesar de aparecer anteriormente com baixa incidência de desnutridos no país (5%), conseguiu no período citado atingir a meta de combate a fome.

Para você saber mais:

O mapa original em inglês está disponível em: http://www.fao.org/3/a-i4674e.pdf(Acesso em 03/11/2018)

Slide Plano Aula

Orientações: Faça a leitura do fragmento em voz alta. Peça que os alunos relacionem a análise e comparação dos mapas anteriores com o texto e solicite que discutam em duplas suas conclusões. Para melhor análise, você pode imprimir o fragmento do texto e entrega a cada dupla para que comparem e relacionem com os mapas anteriores.

Para você saber mais:

Se achar necessário, o relatório completo sobre a “Adoção de uma abordagem territorial à segurança alimentar e política nutricional” está disponível em:

https://read.oecd-ilibrary.org/urban-rural-and-regional-development/adopting-a-territorial-approach-to-food-security-and-nutrition-policy_9789264257108-en#page1. (Acesso em 03/11/2018).

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 14 min

Orientações: Neste momento os estudantes devem anotar as discussões que tiveram anteriormente, relacionando a observação, interpretação e comparação dos mapas e fragmento do texto para redigir uma síntese. Se achar necessário, passe pelas mesas e verifique se os alunos estão obtendo conclusões coerentes acerca do assunto abordado. Eles podem no texto todas as reflexões que foram feitas acerca da análise e podem propor ainda respostas mais elaboradas. Ao longo da construção dos texto você pode perpassar pelas mesas sugerindo que para fornecer soluções eficazes a longo prazo. Eles devem compreender que a insegurança alimentar é fruto da desigual distribuição de renda e alimentos no mundo. Os países mais suscetíveis a esse problema são onde a pobreza é mais generalizada e, muitas vezes, associado a conflitos e instabilidade política, econômica e social encontrada nos países. As respostas políticas de combate a fome devem, portanto, ser adaptadas aos desafios específicos de cada território, levando em conta uma resposta multidimensional que inclui a disponibilidade, o acesso, a utilização e a estabilidade dos alimentos. Se achar adequado e melhor, sugira que redijam o texto em casa e tragam na próxima aula para maior reflexão entre eles.

Para você saber mais:

Essa notícia complementa o estudo e pode ser consultada para dados recentes ajudando os alunos na elaboração de suas sínteses: ” Fome aumenta pela primeira vez em quase 15 anos” está disponível no site do jornal El pais no link: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/09/05/internacional/1504624883_402058.html?fbclid=IwAR0r_ZxZHK93KmuRvcChFV2YaXSDM2xnWmk2Ji_ym9z5k0AVXkCHboO1ycs. (Acesso em 03/11/2018)

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Mundo do trabalho do 9º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 9º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF09GE13 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano