13285
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Preparando uma cozinha para os bebês

POR: Djenane Martins Oliveira 14/11/2018
Código: EDI1_02UND01

1º ano / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI01CG05) Utilizar os movimentos de preensão, encaixe e lançamento, ampliando suas possibilidades de manuseio de diferentes materiais e objetos.

(EI01EO06) Interagir com outras crianças da mesma faixa etária e adultos, adaptando-se ao convívio social.

(EI01CG01) Movimentar as partes do corpo para exprimir corporalmente emoções, necessidades e desejos.

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para bebês sobre adaptação ao convívio social

Resumo

ilustracao

Organize cantos na sala para que os pequenos explorem objetos relacionados ao momento da refeição

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Para esta atividade, considere a participação das famílias para identificar como a alimentação das crianças é feita em casa. Solicite que algum artefato utilizado para a alimentação do bebê seja trazido para a escola e incluído nas brincadeiras e interações deles. Organize a sala em estações ou cantos. Por exemplo: no primeiro canto disponha frutas e verduras; em outro, objetos como panelas pequenas e grandes; em um terceiro, potes e colheres de diversos tamanhos.

Materiais:

Caixas de papelão, colheres de diversos tamanhos, pratos, tigelas e potes de uso cotidiano utilizados nos momentos de alimentação das crianças (tanto em casa, como na escola), pequenas panelas, algumas frutas e legumes para enriquecer a atividade. Providencie os itens de uso na escola com os funcionários da cozinha para compor a proposta.

Espaços:

Organize em caixas de papelão os materiais e artefatos que você já separou em cantos ou estações que permitam a exploração autônoma e o livre acesso por pequenos grupos.

Tempo sugerido:

40 à 50 minutos

Perguntas para guiar suas observações:

1. Como os bebês brincam com os objetos de cozinha?É possível perceber as diferentes possibilidades de manuseio? Eles conhecem os artefatos, tentam e experimentam novas funções para os objetos conhecidos?

2. Observe os gestos, expressões, balbucios, olhares e movimentos que os bebês realizam durante a atividade. Quais as expressões e interesses manifestados neste momento?

3. Que tipo de relações eles conseguem construir autonomamente e com os seus colegas a partir das brincadeiras com os utensílios?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Considere o seu grupo de crianças e suas diferenças, oportunize que os bebês que precisam de algum apoio para se aproximar dos objetos e se acomodar tenham isso garantido. Facilite a exploração dos bebês nesta atividade, bem como os que já possuem mais autonomia e domínio dos artefatos apreciamdesafios extras. Evite que os utensílios de cozinha e as falas possam reforçar alguns estereótipos de gênero (aquelas que possam de alguma forma restringir a participação em função do ser menino ou ser menina).

O que fazer durante?

1

Inicie a conversa com o grupo de bebês com um convite à apresentação dos artefatos que trouxeram de casa. Dê nome aos itens, com o auxílio dos bebês. Neste momento, utilize também os itens da escola para a exploração. Possibilite a apresentação destes elementos pelos próprios bebês, valorizando seus gestos, expressões, balbucios, olhares e movimentos. Observe as crianças que se manifestam na apresentação dos objetos esticando os braços, colocando o que pegaram no chão ou balbuciando o próprio nome.

Possível fala do professor neste momento: Vocês trouxeram muitos objetos interessantes! Agora vamos ver o que vocês trouxeram? Quem pode me ajudar com os nomes? Como se chama isso ?


2

Organize cantos que contemplem diferentes maneiras de explorar os objetos. Alguns exemplos (você pode adaptar à sua realidade): um canto com panelas grandes e pequenas; outro com legumes e frutas; um terceiro só com panelas; outro com colheres e espátulas etc. Incentive a livre exploração por parte das crianças nos cantos e estações. Observe a maneira como elas interagem com os objetos, com as outras crianças e com o professor. Perceba se as hipóteses criadas pelos bebês evidenciam o reconhecimento da função do objeto. Note se eles levam à boca, se o reconhecem como parte do ritual da alimentação ou se estão familiarizados com o que mexem. Reserve um momento mais longo para esta parte da atividade, garantindo tempo suficiente para todo mundo observar, explorar, manipular, conhecer e brincar com os objetos.


3

Em pequenos grupos ou individualmente, pergunte se as crianças sabem para o que serve determinado item, se já usaram ou se elas têm em casa. Observe a todos e considere que alguns podem ainda não conhecer as funções dos objetos, enquanto outros já se apropriaram disso e precisam de um desafio extra. Para esses, ofereça frutas e verduras in naturapara que explorem o cheiro, a textura, a cor e o sabor.

Possível fala do professor neste momento: Você sabe pra que serve esse objeto que está brincando? Já descobriu outro jeito de usá-lo? Pode me mostrar o que você trouxe de casa? Vamos brincar juntos? Perceba se as crianças mostram o seu objeto e se fazem menção da maneira como usam, entre na brincadeira e se coloque como um parceiro.


Para finalizar:

Convide as crianças para um momento de partilha de experiências. Oportunize momentos de troca entre eles, garantindo as interações com os objetos e entre as crianças. Diga aos bebês que atividade acabará em 10 minutos e que os materiais serão organizados. Conte qual será o próximo passo na rotina, isso acalma as crianças e faz parte da partilha do planejamento, possibilitando a participação mais efetiva dos bebês na atividade. Se o próximo passo for o horário de refeição, aproveite para conversar em pequenos grupos sobre o momento da alimentação na escola e como as crianças se sentem em relação a ele.

Desdobramentos

Nas próximas vezes que realizar esta atividade, você poderá utilizar o espaço de alimentação (refeitório, pátio, lactário etc). Você também pode incentivar uma brincadeira de faz-de-conta no preparo da alimentação, quando eles já tiverem familiaridade com o uso social dos artefatos. Levar estes objetos para o momento da refeição também é uma forma de considerar a maneira como os bebês comem em casa e na escola. Organize em um dos cantos uma cozinha com artefatos de brinquedo, como fogões e geladeira feitos de caixa de papelão. Torne- o permanente. Em outro momento, você pode convidar um funcionário da cozinha para completar a brincadeira.

Engajando as famílias

Lembre que o momento da alimentação é um ritual cultural, construído ao longo de toda a história da humanidade. A atividade de alimentação na escola precisa envolver as famílias e os modos de vida delas. Por isso, converse com os responsáveis pelas crianças para saber como elas são alimentadas em casa. Se recebem a comida na boca por um adulto, se são incentivados a segurar os talheres, se usam pratos etc. Convide os familiares para participar deste momento da alimentação na escola. Quem não puder comparecer, pode escrever um relato ou enviar uma foto ou vídeo deste momento em casa. Você pode organizar um mural com esses registros. Valorize e acolha a maneira como as famílias se alimentam e aproveite todas as contribuições. Faça com que o momento de alimentação na escola seja também um rico momento de aprendizagens conectado com as experiências cotidianas dos bebês.


Autor:  Djenane Martins Oliveira

Mentor: Adriana  Vidaletti

Especialista do subgrupo etário: Ana Teresa Gavião

Campos de Experiência:

O eu, o nós e o outro
Corpo, gestos e movimentos  
Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações

Objetivos e códigos da Base
Centrais:

(EI01EO06) Interagir com outras crianças da mesma faixa etária e adultos, adaptando-se ao convívio social.

(EI01CG01) Movimentar as partes do corpo para exprimir corporalmente emoções, necessidades e desejos.

Transversal:

(EI01CG05) Utilizar os movimentos de preensa?o, encaixe e lanc?amento, ampliando suas possibilidades de manuseio de diferentes materiais e objetos.

Abordagem didática: Os momentos de alimentação na Educação Infantil são fundamentais para o crescimento, desenvolvimento, bem estar e aprendizagem dos bebês. A alimentação é uma das primeiras maneiras deles conhecerem o mundo. Por isso, é fundamental que seja um momento de tranquilidade e prazer.  Café da manhã, almoço ou a hora de tomar um suco ou comer uma fruta são oportunidades para os bebês aprenderem texturas, aromas, cores, cheiros e gostos dos alimentos. Ademais, nesses momentos, o professor pode conversar com os bebês, conhecê-los melhor e ajudá-los a brincar e se divertir.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADE 01

Preparando uma cozinha para os bebês

VOCÊ ESTÁ AQUI

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes