PDF para baixar: atividade e objetivos prioritários para pensar em uma volta ao ambiente escolar

Tabela construída por especialistas de NOVA ESCOLA propõe atividades para planejar o retorno das atividades presenciais, que ainda não têm data para ocorrer

POR:
Nairim Bernardo
Confira uma seleção de atividades mais adaptáveis ao contexto escolar. Ilustração: Nathalia Takeyama

A pandemia de covid-19 modificou profundamente o planejamento escolar feito no início de 2020. No isolamento social, professores e gestores precisam se adaptar e incentivar famílias a entender como diversos momentos da rotina dos bebês, como o banho e brincadeiras, estavam repletos de significados e oportunidades de desenvolvimento físico e cognitivo. Após três meses de quarentena, a volta das atividades presenciais ainda não tem data para ocorrer e está cercada de incertezas, a começar pela indefinição sobre quais serão os protocolos de Saúde adotados. Apesar do cenário nebuloso, os educadores já podem começar a se planejar sobre o que fazer e priorizar quando o retorno for possível. 

Com a ajuda de especialistas, NOVA ESCOLA preparou uma tabela de priorização de experiências e atividades para serem trabalhados no ensino presencial, baseadas no que está previsto na Base Nacional Comum Curricular (BNCC). “Mesmo com a orientação remota dos professores, em casa, os bebês não estão em um contexto escolar. A família não substitui o professor”, comenta Beatriz Ferraz, especialista responsável pela seleção. “Para a volta à escola, selecionamos atividades que exigem materiais que dificilmente estão disponíveis em casa ou que necessitam de uma ação instrucional presencial do professor.” explica. 

Clique no botão abaixo para conferir a tabela em PDF, salvá-la no seu computador e discuti-la com seus colegas.

BAIXE O ARQUIVO

O primeiro foco dos professores precisa estar nas atividades das unidades de Adaptação e Acolhimento (veja na tabela) já que os bebês estão há muito tempo afastados do ambiente educacional, do convívio com colegas e educadores. “Esse momento tem que ser planejado com a família. Para o bem-estar do bebês, não é possível exigir que ele fique por muitas horas na creche nesse início. É possível organizar um horário escalonado para ele se readaptar aos poucos na escola e convidar um adulto referência para estar presente”, comenta Ana Teresa Gavião, doutora em Educação e Psicologia e consultora dos Planos de Atividade de Nova Escola.

Lembre-se de manter o contato constante com as famílias e peça que contem quais atividades estão desenvolvendo com os bebês durante a quarentena. Na volta à escola, peça que os pais levem fotos impressas ou reveladas desses momentos realizados em casa e cole-as nas paredes da sala. O professor pode, inclusive, repetir algumas dessas atividades na escola. Na presença de outros bebês será possível aprofundar alguns campos de experiência da Base, como “O eu, o outro e o nós”. 

Essa tabela também indica atividades de exploração dos espaços da escola e de ambientes abertos, como o jardim. Esses momentos serão essenciais para que os bebês se insiram em espaços e tempos de diferentes dimensões, como previsto no campo de experiência “Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações”. 

“Não podemos olhar para a Educação Infantil focados no conteúdo, isso é perigoso. O nosso jeito de ensinar tem que mudar: não pensar tanto no que, mas no como fazer. Na volta às aulas, a dimensão do prazer vai ser muito importante”, diz Karina Rizek, consultora da Avante Educação e Mobilização Social e Formadora da Escola de Educadores.