A partir de que série posso passar atividades no quadro para cópia?

Gestão de sala de aula

POR:
NOVA ESCOLA
Heloisa Ramos. Foto: Marina Piedade Neury responde

Neurilene Martins é doutora em Educação e professora do curso de Pedagogia do Centro Universitário Jorge Amado (Unijorge) e responde a dúvidas sobre sala de aula

Clique aqui para mandar a sua dúvida

Pergunta enviada por Hélio Augusto Reis Oliveira, Capanema, PA

Em vez de tomar o ano ou a faixa etária como critério para instituir o uso da cópia na sala de aula, o ponto de partida para essa decisão pedagógica é considerar os propósitos sociais dessa prática e fazê-los dialogar com objetivos didáticos pertinentes à etapa de escolarização. A "velha cópia" da escola tradicional, abordada exclusivamente do ponto de vista da memorização e do treino, pode e deve dar lugar a boas propostas de produção de texto. No início do Ensino Fundamental, cópias ilustradas de poemas preferidos da classe para a publicação de coletâneas oferecem um contexto significativo para que as crianças reflitam sobre a segmentação, o uso de letras maiúsculas, a legibilidade do que está escrito, além dos aspectos estruturais do texto poético. Nesse sentido, destaca-se a cópia com reflexão, que propõe a discussão entre pares sobre aspectos linguísticos e discursivos. Outra oportunidade surge nas aulas de produção de texto nas quais o professor atua como escriba e, ao concluir o texto, propõe que os alunos copiem parcialmente em seus cadernos, já que será retomado posteriormente. Ao longo do Ensino Fundamental há atividades de estudo nas quais os alunos copiam informações centrais dos textos e esquemas elaborados no quadro pelo professor. Em todos os casos, a realização de cópias precisa ser significativa e gerar aprendizagem. Caso contrário, será sempre um desserviço às práticas educativas.

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias