Reportagens | Gestão | Reportagens

A gestão da escola rumo ao mundo conectado

Como planejar e onde buscar financiamento para a inclusão da tecnologia; dicas de programas gratuitos; pesquisas, depoimentos e os desafios para o século 21

POR:
NOVA ESCOLA, Suzel Tunes e Fernanda Salla

#panorama

Glossário

Wireless: termo em inglês que significa sem fio. No acesso à internet, facilita a conexão de vários computadores ao mesmo tempo

Eu fiz assim :)

A cidade se estruturou, não só as escolas
"Não adianta ter uma rede isolada em uma escola; é preciso ter uma cidade digital. A informatização de Piraí fez parte de um plano de desenvolvimento, iniciado no ano 2000. Em 2007, fomos escolhidos pelo Ministério da Educação (MEC) para a implantação do programa Um Computador por Aluno (UCA). O município já possuía uma rede wireless e todas as escolas estavam conectadas, até aquelas que ficam na zona rural. Hoje, os laptops ficam na escola, mas podem ser levados para casa durante projetos de aprendizagem."
Maria Helena Cautiero, diretora do polo de Educação a distância de Piraí, a 84 quilômetros do Rio de Janeiro.

 

Uma pergunta

Qual o maior equívoco no uso das TIC na Educação?
Dissociar o uso da informática na gestão de uma reflexão sobre o aprendizado. Esse risco pode ser expresso pela fórmula: "processo velho + tecnologia nova = processo velho caro". A informática tem entrado na gestão das escolas da mesma maneira que numa empresa, destinada a armazenar dados e criar relatórios. É claro que a tecnologia ajuda nos procedimentos burocráticos, mas o que se deve almejar é um sistema que integre as necessidades administrativas ao uso desses recursos para a inovação.
Marta Dieterich Voelcker, pesquisadora e superintendente da Fundação Pensamento Digital, em Porto Alegre.

 

Para que os diretores usam o computador e a internet
Pesquisa com 640 gestores de escolas urbanas (públicas e particulares)

  • 99% escrever documentos e relatórios
  • 96% buscar informação
  • 96% fazer apresentações
  • 95% organizar cronogramas e grades de horários
  • 87% montar orçamentos e controles de gastos
  • 84% comunicar-se com professores
  • 47% comunicar-se com pais de alunos
Fonte Pesquisa TIC Educação 2011, do Comitê Gestor da Internet no Brasil (cgi.br)

 

Presença dos profissionais na escola
Professor de informática

  • 31% Pública
  • 62% Particular


Monitor no laboratório

  • 44% Pública
  • 53% Particular
Fonte cgi.br

 

Quanto as secretarias estaduais gastam em um projeto de informatização
Informações sobre 90 projetos estaduais brasileiros

  • 66,7% não informaram o montante dos gastos.

Entre as iniciativas relatadas (29 do total de 90)

  • 10% custaram de 50 a 300 mil reais
  • 4,4% de 300 a 600 mil reais
  • 4,4% de 1 milhão a 3 milhões de reais
  • 6,7% mais de 3 milhões de reais
Fonte Mapeamento de Programas de Uso de Tic nas Redes Estaduais de Ensino, do Instituto para o Desenvolvimento e a Inovação Educativa da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI), 2010

#planejamento

Passo a passo

O que avaliar antes de equipar ou atualizar sua instituição

1 Reflexão Defina para que a tecnologia será utilizada antes de seguir com o planejamento. O projeto político-pedagógico (PPP) da instituição deve prever a inserção de novos recursos nos processos de ensino e de aprendizagem.

2 Levantamento Verifique o que a escola já possui e o que falta para chegar aos objetivos do PPP. Os equipamentos estão em boas condições? Eles podem ser aproveitados em novos planos? O que já existe vai funcionar bem com as novas aquisições?

3 Infraestrutura Uma avaliação da disposição e da capacidade da rede elétrica precisa ser realizada para garantir a segurança de todos. Você também deve planejar a instalação da internet, buscar fontes de interferência e testar o alcance do sinal.

4 Equipe Os papéis precisam estar claros e as pessoas, preparadas para as novidades. Realize as formações com todos ou só com os responsáveis por coordenar a inclusão da tecnologia nos processos, que atuarão como multiplicadores.

5 Mobiliário As mesas dos computadores precisam ter superfície plana e permitir a ligação deles na fonte de energia. Laptops não devem ser usados em carteiras com braços de apoio e os armários em que serão guardados têm de ser seguros.

6 Custos As escolhas anteriores vão determinar os custos. Cruzando esse montante com os objetivos definidos você poderá decidir entre ter um computador por sala, um laptop por aluno, tablets, um laboratório de informática ou outro formato.

7 Regras Estabeleça uma política de acesso à rede (livre ou controlada por senha) e aos conteúdos online. Determine os horários em que as máquinas estarão disponíveis. E realize uma reunião com os pais para que eles saibam das mudanças.

8 Suporte Faça um contrato com o fornecedor de forma que ele preste o apoio técnico necessário para a manutenção dos equipamentos, da rede e dos programas utilizados. Ele deve estar disponível de maneira ágil.

9 Avaliação O impacto no aprendizado dos alunos deve ser constantemente analisado. Como sugestão para criar o modelo de avaliação da sua escola, há pesquisas criadas pela Microsoft (abr.io/avalia1) e pela OEI (abr.io/avalia2).

Fonte Fundação Telefônica/Vivo e Fundação Pensamento Digital

#financiamento

Eu fiz assim :)

Adaptamos o UCA a nossa realidade
"Há mais de 25 anos, temos iniciativas voltadas para o investimento em tecnologia. Possuímos uma secretaria nessa área, que trabalha com a da Educação. Fomos contemplados pelo UCA, mas quando o material chegou adaptamos o modelo. Desenvolvemos um conteúdo próprio, com softwares mais fáceis de serem trabalhados por nossos professores e alunos. A manutenção das máquinas também é feita semanalmente por um profissional da Secretaria, que vai até a escola. Além disso, todas as unidades municipais trabalham de forma integrada por meio de um software de gestão. O programa unificou o cadastro de alunos e professores. Com isso temos um mapa da rede e podemos gerenciar melhor as demandas e os investimentos da área, como a abertura de novas vagas."
Janaína Mattos, gerente de Informática Educativa da Secretaria Municipal de Educação de Novo Hamburgo,a 50 quilômetros de Porto Alegre.

 

Curti!

"Os computadores chegaram em 2011. Os alunos passaram a usá-los todos os dias e a levá-los para casa. São parte do material escolar, como os cadernos, e dentro da escola há acesso livre à internet."
Dinorá Correa da Cunha, diretora da EMEF Marcos Moog, em Novo Hamburgo.

Os principais parceiros
Onde as redes estaduais encontram recursos para a implantação das TIC

  • 57,8% MEC
  • 23,3% Instituição de Ensino Superior
  • 22,2% Órgão municipal
  • 22,2% Empresa privada
  • 12,2% Órgão estadual (exceto Secretaria da Educação)
  • 11,1% Não tem parceiros
  • 10% Ministério das Comunicações
  • 10% Outro órgão federal
  • 6,7% ONGs e entidades sem fins lucrativos
  • 5,6% Instituição estrangeira
Fonte OEI

 

Eu fiz assim :)

Aproveitamento
"Obtivemos os computadores do laboratório pelo Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo). E conseguimos autorização para aplicar na própria escola um saldo residual da compra de datashow. Com isso, adquirimos novas máquinas. Se o gestor consegue um bom preço no processo de licitação, pode destinar o que sobra para outros bens, desde que tenha autorização."
Marilde Ernestina Soares Santos, diretora da EE Eloy Pereira, em Montes Claros, a 428 quilômetros de Belo Horizonte.


Nas particulares, o investimento é de centenas a milhões

  • A Escola Waldorf Aitiara, em Botucatu, a 236 quilômetros de São Paulo, aprimorou sua organização há três anos gastando apenas 400 reais por mês com o aluguel de um software de gestão. O programa permite fazer o cadastro de pais e alunos, emitir boletos bancários e gerar boletins. Como estão na zona rural, a assistência técnica é feita via Skype.
  • O Colégio Cruzeiro do Sul, em São Paulo, está realizando investimentos em infraestrutura, softwares educacionais e distribuição de tablets para os 800 alunos do Ensino Fundamental ao Médio. Já foram gastos cerca de 400 mil reais desde o início do projeto, em 2011. E a previsão é, em dois anos, chegar a 1,5 milhão de reais.

#ferramentas

Glossário

Software livre: programa de computador que possui seus códigos de programação abertos, de tal forma que qualquer pessoa possa adaptá-lo

Bom para...

  • organizar um curso

Udutu - grátis
É um editor e publicador de cursos online. Permite criar e organizar uma sequência de aulas sem que seja necessário ter conhecimentos de programação. O arquivo gerado também pode ser extraído gratuitamente para utilização no servidor da escola ou em um CD.

 

  • envolver a comunidade escolar

Noosfero - grátis
Plataforma para redes sociais que possui as ferramentas de blog, galeria de imagens, fóruns e agenda de eventos em um mesmo sistema. Deve ser instalada no servidor.

 

  • a gestão administrativa

i-Educar - grátis
Criado em Itajaí, a 94 quilômetros de Florianópolis. Controla matrículas, transferências, certificados, quadro de horários e relatórios gerenciais. Pode centralizar os dados de toda a rede.

"O i-Educar trouxe agilidade para nossas ações gerenciais. A opção por uma ferramenta livre reduziu em cerca de 200 mil reais o custo de implantação. E ele se tornou essencial para o nosso projeto de modernização da gestão e introdução de novas tecnologias no ensino."
Ana Valéria Peixoto de Oliveira, secretária de Educação de Arapiraca, a 137 quilômetros de Maceió.

 

Eu fiz assim :)

Relacionamento
"Diante do interesse dos alunos pelo Facebook, resolvemos interagir com eles também nesse espaço. Criamos um perfil para reunir os estudantes com mais de 13 anos. Lá divulgamos nossos projetos e os professores apresentam vídeos, imagens e textos, gerando discussões sobre temas relevantes para a escola. Os participantes podem fazer comentários, sempre mediados. A iniciativa deu tão certo que, em menos de um ano, já tínhamos mais de 5 mil integrantes entre alunos atuais, ex-alunos, professores, pais e outros membros."
Andréia Marcos, coordenadora de informática do Instituto Monsenhor Hipólito, em Picos, a 330 quilômetros de Teresina.

 

SOS | Onde buscar ajuda

Projeto Se a escola precisa de auxílio para dar o pontapé inicial na implantação de tecnologias, uma das alternativas é buscar organizações que desenvolvem projetos nessa área. O Programa Escola Conectada, do Instituto Ayrton Senna, é um exemplo. A iniciativa é realizada em parceria com instituições públicas, após firmar convênio com a Secretaria de Educação do município. Os educadores recebem formações para implantar uma metodologia em que os temas de pesquisa são definidos pelo aluno e o professor atua como mediador. O estudante publica seus avanços em um blog e nesse ambiente também recebe comentários dos colegas. Ao longo do processo, a escola revê seu modo de gerenciar o aprendizado e reorganiza seu currículo.
Formação Visando colaborar com a preparação dos gestores para a inovação tecnológica, a Fundação Lemann (fundacaolemann.org.br) realiza cursos de pós-graduação e de extensão que incluem esse conteúdo, mas eles são restritos a alguns municípios. Já no Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac, www.sp.senac.br), há programas sobre a aplicação dessas ferramentas oferecidos a distância, com custo em torno de 500 reais.


#escola e família

Eu fiz assim :)

Transformamos os alunos em parceiros dos professores
"Nossa escola fica no bairro de Acari, no Rio de Janeiro. Tínhamos uma taxa alta de evasão e também queríamos ampliar o uso das tecnologias disponíveis, por isso iniciamos esse projeto em 2008. No começo, formei dez alunos monitores e hoje contamos com mais de 30. Eles são selecionados a cada semestre entre os estudantes do 2º ao 5º ano e, além de acompanhar seus colegas no uso dos netbooks que possuímos, cada monitor auxilia quatro professores.
Os educadores em formação têm de produzir textos para o blog oficial da escola (adaoblogado.blogspot.com.br), com o apoio dos alunos. Os monitores acompanham as postagens, baixam programas, vídeos e fotos, e tiram todo tipo de dúvida dos docentes.
A monitoria incentiva os estudantes e agrega um ponto à nota do bimestre. O sucesso é tanto que quando professores de escolas vizinhas têm alguma dúvida em relação à tecnologia, ligam para cá e falam com nossos alunos.
Os resultados são surpreendentes. As faltas diminuíram. Docentes e estudantes passaram a aprender juntos e o respeito aconteceu pela valorização do trabalho colaborativo."
Gisele Cordeiro, coordenadora pedagógica do CIEP Doutor Adão Pereira Nunes, no Rio de Janeiro.

 

Conexão com os pais
As TIC ainda são pouco utilizadas na comunicação com os pais, mas têm um grande potencial para aprimorar a relação. Confira algumas ideias para incrementar essa prática:

  • Nos horários ociosos, abra espaço para a formação dos familiares que ainda não estão incluídos digitalmente.
  • Melhore a reunião de pais com vídeos, fotos e outros registros.
  • Permita que os responsáveis interajam e troquem dicas e ideias. Nesse caso, é importante acompanhar as discussões e dar retorno às sugestões realizadas.
  • Compartilhe as produções dos alunos e possibilite que os pais as comentem em um blog ou outro espaço.
  • Divulgue as notas, o calendário e outras informações online com acesso por senha.

Atenção: antes de restringir a comunicação aos meios virtuais, certifique-se de que todos os pais têm condições de acessar as informações e combine, previamente, com eles como será a comunicação.

Novos hábitos
A Secretaria de Estado da Educação do Paraná criou um portal educacional (abr.io/parana) que tem áreas voltadas para os alunos, os educadores, os gestores e a comunidade. Ao digitar alguns dados pessoais do estudante, os responsáveis podem acessar o boletim dele. Cada escola também tem a opção de criar seu site. O Colégio Estadual Visconde de Guarapuava, a 272 quilômetros de Curitiba, criou um mural em que divulga avisos e um cronograma de provas e tarefas. "A maioria dos pais já utiliza o site para acessar as informações", conta a vice-diretora Vera Maia.


#futuro

Os desafios do gestor do século 21

  • Buscar a constante atualização tecnológica e metodológica da instituição.
  • Garantir a formação continuada de toda a equipe e o próprio aprimoramento.
  • Orientar o professor a, cada vez mais, respeitar as formas de aprendizagem de todos os alunos.
  • Abrir espaço para a inovação e a experimentação sem perder o foco nos objetivos educacionais.
  • Buscar uma gestão mais colaborativa e estar preparado para mudanças constantes.
Consultoria Marta Dieterich Voelcker

 

Palavra do especialista

"A escola precisa deixar de ser meramente uma agência transmissora de informação, e transformar-se num lugar de análises críticas e produção da informação, em que o conhecimento possibilita a atribuição de significado à informação."
José Carlos Libâneo, no livro Adeus Professor, Adeus Professora? Novas Exigências Educativas e Profissão Docente (104 páginas, Ed. Cortez, 11/3611-9616, 19 reais).

Compartilhe este conteúdo: