Nossa Cidade, ontem, hoje, sempre!

POR:
professor

Objetivo(s) 

- Identificar paisagens.
- Compreender que o homem altera o espaço onde vive de acordo com suas necessidades e ao longo do tempo.
- Refletir a respeito da importância da ação humana na transformação das paisagens.

Conteúdo(s) 

- Paisagem.
- Construção e modificação do espaço.

Ano(s) 

Tempo estimado 

Cinco aulas.

Material necessário 

Mapa político do Brasil, cópias de imagens de Florianópolis.

Desenvolvimento 

1ª etapa 

Convide os alunos a olhar pela janela da sala de aula ou leve-os até a entrada da escola. Pergunte o que eles estão vendo e explique que tudo o que descrevem compõe uma paisagem. Incentive o grupo a falar sobre ela em detalhes: "É natural ou resultado da ação humana?", "Esse lugar sempre foi assim?", "Vocês sabem como ele era antes?", "Quem foi responsável por essas mudanças?".

2ª etapa 

Conte para a turma que existem ferramentas para estudar as mudanças das paisagens (textos, pinturas, fotografias, filmes, mapas etc.). Chame a atenção para a validade das imagens como importantes fontes históricas, já que elas permitem conhecer em detalhes os elementos do passado. Por fim, com o apoio de fotografias, proponha o estudo das mudanças que a paisagem de Florianópolis, local conhecido nacional e internacionalmente, sofreu desde que foi inaugurada. 

3ª etapa 

Usando um mapa do Brasil, mostre às crianças o estado onde está localizada essa via. Se possível, compare-a com alguma rua do município. Mostre uma imagem atual de Florianópolis e peça que a turma descreva seus elementos principais, como o grande número de veículos que passa por ela e os prédios muito altos. Coloque essa fotografia no mural da sala.

4ª etapa 

Reúna os alunos em duplas e entregue para cada uma delas uma das fotos antiga da via. A tarefa será discutir as diferenças que existem entre a imagem que têm em mãos e a do mural. Incentive-os a fazer comparações com relação aos elementos da natureza, construções e meios de transporte. Lance questões como: "Há mais árvores na avenida hoje em dia ou no passado?", "O que existia antes nos lugares em que foram erguidos os prédios?" e "Quando não havia ônibus e carros, qual o meio de transporte usado?". É importante que nas respostas as crianças levantem hipóteses sobre o que provocou as mudanças e quem atuou para que elas ocorressem. Ressalte que, ao modificar um determinado local, os homens estão construindo seu espaço, ou seja, trabalhando para atender às necessidades da sociedade.

5ª etapa 

Distribua as cópias do texto a ser explorado, oriente a leitura e peça para que as crianças busquem informações que descrevam a paisagem da avenida. Registre-as no quadro e instrua a moçada a copiar no caderno para que esses dados possam ser acessados novamente.

6ª etapa 

Com as fotografias antigas da via novamente em mãos, ajude o grupo a organizá-las em ordem cronológica até os dias de hoje no mural.

Avaliação 

Com o apoio das imagens e dos registros, cada aluno terá de escrever uma carta para um familiar idoso contando como a cidade de Florianópolis era no passado, quais mudanças sofreu e como está hoje. Ao encerrar, ele deve pedir ao destinatário que responda com comentários, críticas e novas informações. Observe se no texto, além de descreverem as várias fases da paisagem, os estudantes creditam as mudanças ao homem e citam a passagem do tempo como suporte para os acontecimentos. Providencie o envio do material aos destinatários e combine uma data para discutirem as respostas.

Flexibilização 

Os alunos sem deficiência devem descrever o que veem para os cegos. Com barbante, cola plástica e outros materiais que criem relevos, destaque os contornos do mapa e faça as legendas correspondentes. Oriente a turma a descrever a fotografia, em voz alta, em detalhes, para o colega com deficiência. Os estudantes sem deficiência devem descrever detalhadamente as imagens para os colegas cegos. Imprima o texto em braile ou escreva o texto com as letras ampliadas para os que têm baixa visão. É possível também disponibilizar o arquivo em áudio. Faça o mesmo com o registro do quadro. Faça legendas em braile ou com as letras ampliadas para descrever cada foto. Os alunos com deficiência devem escrever a carta no computador adaptado a eles, para que seja impressa em tinta. Caso escrevam em braile, a mensagem deve ser transcrita antes de ser enviada.

Créditos: Dora Martins Dias e Silva Formação: Coordenadora pedagógica da Escola Cooperativa de Presidente Venceslau, em Presidente Venceslau, SP Créditos: Lívia Motta Formação: Doutora em Linguística e Estudos da Linguagem pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP)

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias

Tags

Guias