Como preparar uma aula a distância?

Nesse momento, o mais importante é buscar soluções simples e pensar na conexão com os alunos

POR:

Ilustração: Humaaans e Freepik (adaptado por Patrick Cassimiro)

Em tempos de isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus, a sala de estar de tem virado escritório, estúdio de gravação, brinquedoteca - e sala de aula. Mas, assim como o home office não é apenas uma transposição das atividades para outro espaço, aulas a distância também pedem outros tipos de organização e métodos. 

Sabemos que algumas atribuições do contato presencial não são mais possíveis, assim como as expectativas das aulas a distância nesse contexto mudam e os objetivos também. Diante de uma situação inédita de afastamento social, precisamos também da conexão social aprender juntos e combater a ociosidade e a ansiedade que esse momento pode causar.

Mas por onde começar? O primeiro passo é topar o desafio de fazer algo novo. "O mais importante nesse momento é não ter medo de errar", diz a professora de física Samara Brito, co-fundadora da Amplifica, iniciativa que busca despertar talentos entre os educadores no uso das ferramentas digitais. 

Samara aconselha a começar usando ferramentas já conhecidas, como, por exemplo, uma apresentação de slides e a câmera do computador. "Não tem problema a primeira aula não ficar muito bem elaborada ou ter dificuldade com a transmissão online. O importante é não parar", afirma. 

Nesse momento inesperado e crítico, o importante é priorizar soluções simples que tenham o máximo de alcance. Sem esquecer, é claro, de nos apoiar uns aos outros.

A seguir, preparamos um passo a passo para ajudar no planejamento de aulas a distância.

Antes de gravar: defina o objetivo e roteiro da aula

Em meio a tanto caos social e às informações que não cessam, a tentação de incluir a pandemia no plano de aula pode ser grande. Mas é mais interessante definir primeiro o objetivo da aula e não forçar a barra: só incluir o assunto se ele realmente for necessário. 

Pensar sobre o objetivo da aula também vai ajudar na organização do conteúdo e como ele será apresentado. "É importante planejar a aula. Quem dá aula há muito tempo tem as aulas na cabeça, sabe como fazer. Só que no mundo online isso é diferente", lembra Samara Brito, do Amplifica. 

No ambiente virtual, o aluno tem mais distrações do que em sala de aula e o seu limiar de atenção é menor, o que deve ser levado em consideração já na hora de escrever o roteiro da aula. 

A especialista aconselha que este roteiro, um documento de apoio, seja dividido em três momentos: acolhida, desenvolvimento do conteúdo e entrega. 

1. Acolhida: todos na mesma página

A acolhida é o momento em que os alunos estão entrando acessando o material, em que pode ser proposta alguma dinâmica para garantir que todos estejam na "mesma página" para a apresentação do conteúdo. 

2. Desenvolvimento do conteúdo: explanação de no máximo 20 minutos

No desenvolvimento do conteúdo, vale a pena já explicar como vai ser a entrega exigida ao final da explicação, já que a plataforma é novidade. Esse momento não deve ser muito longo. 

"A explanação do conteúdo deve ser de, no máximo, 20 minutos. O professor pode fazer algumas pausas, a cada dez minutos, por exemplo, e pedir para os alunos fazerem alguma coisa, para tirar da inércia de ficar apenas ouvindo", explica a co-fundadora do Amplifica. 

3. Entrega e avaliação de aprendizagem

O encerramento da aula deve incluir uma atividade para avaliar a compreensão, individualmente ou em grupos. "A avaliação da aprendizagem online é completamente diferente da sala de aula porque não tem a interação olho no olho. Quando eu olho para uma pessoa, eu sei se ela está compreendendo ou não. Na plataforma online, você não consegue olhar os rostos, então precisa de alguma ferramenta, e a entrega é um diagnóstico do que eles estão aprendendo", diz Sabrina. 

Ela destaca, ainda, que o professor deve demonstrar que recebeu a entrega. Isso pode ser feito reunindo todas as atividades em um mesmo lugar, como  um mural de fotos virtual, por exemplo, ou atendendo às dúvidas que possam ter surgido. 

Durante a gravação: a interação com os alunos

Além das pausas durante a explicação e da proposição de atividades em intervalos regulares para que os alunos tenham um papel mais ativo na aula, é preciso levar em consideração, na hora da gravação, como interagir com os estudantes. 

Para garantir essa troca, o aliado pode ser uma ferramenta presente no cotidiano de muita gente. "A gente trabalha muito com grupo do Whatsapp", garante a educadora Samara Brito, do Amplifica. "O grupo do Whatsapp é fácil porque os alunos já estão acostumados. Aí, no meio da aula, pode ter, por exemplo, um dez minutos para cumprir um desafio com grupo". 

Em outro aplicativo, o Zoom, é possível dividir os alunos em grupos na mesma plataforma da transmissão de vídeo - função que normalmente é paga, mas que tem acesso gratuito durante o isolamento social recomendado pela Organização Mundial da Saúde para conter a pandemia. 

Quando não temos muita experiência, o grande desafio de uma aula online é torná-la atrativa e engajadora para os alunos. Nesse sentido, a depender da idade dos alunos, é possível propor uma interação em tempo real. A dica do Amplifica é sobre o uso de áudio e um timer em seus slides com uma pergunta de discussão no chat para estimular o engajamento dos alunos e fazer com que eles acompanhem o tempo para a atividade.

Os timers você encontra no  youtube. Depois, basta inserir o link no Google Slides. Confira alguns aqui: timer de 2 min, timer de 5 min, timer de 10 min.

É possível pesquisar o timer com áudio, mas ter o áudio separado permite mais controle do tipo de som. 

Também pensando especialmente nesse momento em que todos estão em casa, Samara lembra que é possível fazer atividades que incluam interação com os pais. "Dá pra avisar antes, 'Amanhã a gente vai precisar de uma ajuda do pai ou da mãe, já combina com eles'". 

"Se você tem o privilégio de estar dentro de casa, acolhido, de poder continuar aprendendo, você tem que aproveitar isso ao máximo", pondera a professora. "E ter essa relação em casa ajuda muito a manter a harmonia no lar".


powered by Typeform