Como o camaleão muda de cor?

Animais

POR:
Rodrigo Ratier, Pablo Assolini, Elisa Meirelles, NOVA ESCOLA, Luana Villac
Infográfico Marcelo Garcia e Luiz Iria (consultor). Clique para ampliar

1. As células que dão o colorido ao camaleão são chamadas de cromatóforos e possuem quatro camadas, cada uma com grãos de pigmentos diferentes. A concentração desses grãos é regulada por hormônios transportados pela corrente sanguínea

2.
Em cada camada, os pigmentos ficam numa membrana elástica. Quando ela se expande, os pigmentos se espalham, trazendo o colorido. Quando se contrai, os grãos se agrupam e o resultado é a transparência. A aparência final vem da combinação das tonalidades das camadas

O segredo deste réptil, que, dependendo da espécie, pode assumir tons tão variados, como verde, rosa, azul, amarelo, vermelho, marrom ou preto, são células especiais - os cromatóforos -, que possuem pigmentos coloridos. Situadas logo abaixo da camada mais externa da pele, elas se dividem em quatro partes (leia o infográfico acima). A troca de cor acontece porque os cromatóforos respondem a estímulos do sistema nervoso autônomo do animal, que transmite diferenças na luminosidade e na temperatura e emoções, como o medo. Em cada caso, os grânulos que compõem cada camada se reúnem no centro da célula, tornando-a transparente, ou se dispersam por ela, deixando-a com sua tonalidade característica. Daí surgem as combinações de cores. Se os pigmentos amarelos e os que refletem o azul estiverem espalhados, o resultado será um bicho com pele verde, como o da foto.


Consultoria Pablo Candiani, professor de Ciências do Colégio Vera Cruz, em São Paulo, SP.

Pergunta enviada por Eliane Gomes da Silva Lira, Guaratinguetá, SP

Compartilhe este conteúdo:

Tags

Guias