16740
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Plano de aula - A Companhia de Jesus e a conversão indígena

Plano de aula de História com atividades para 7º ano do EF sobre A Companhia de Jesus e a conversão indígena

Plano 05 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Vanessa Spiess Cardoso

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07HI05, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários:

Material complementar:

Link FICHA CONTEXTUALIZAÇÃO 1 - Regimini militantis Ecclesiae - Regimento dos Soldados de Cristo

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/PMgEVHJFFgYD45m3WFX7WVEDQRVHFmUt7g37vmFEyG85qbx59KyqZtae8u87/his-07-05-und-05-ficha-contextualizacao-1-regimini-militantis-ecclesiae-regimento-dos-soldados-de-cristo.pdf

Link Fonte Visual 1- Como manter a chama da fé acesa?

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/338wcqvRspbYHKq8ZJV9qAy4V8dktGY7mRGsDyPXaeP5AsT5wjGUyhFNmhEh/his-07-05-und-05-fonte-visual-1-como-manter-a-chama-da-fe-acesa.pdf

Link ATIVIDADE I Diálogos e Carta de Manuel de Nóbrega

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/qPddGtA5Eecw7xgxxdNz2zEWmdymmCkW49JRzHhuXSygqeKCdsYyRDqZzG2b/his-07-05-und-05-atividade-i-problematizacao-dialogos-e-carta-de-manuel-de-nobrega.pdf

Link Fonte visual 2 Anchieta e Nóbrega na cabana de Pindobuçu

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/R6FJgx4DrPhQexsgmyz9P5nS6PQY2xCcDWFDrEC2XhWkpMwtzgE3jQmh9grq/his-07-05-und-05-fonte-visual-3-anchieta-e-nobrega-na-cabana-de-pindobucu.pdf

Link para FICHA ATIVIDADE II - Regimento das Missões do Estado do Maranhão, e Pará

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/xfmPbNUeyZsQQY97WNpFXSuXNjKAQSUCHKg6uT8wAQdU5eekUBKj8s7VZfHs/his-07-05-und-05-atividade-ii-problematizacao-regimento-das-missoes-do-estado-do-maranhao-e-para.pdf

Link Fonte Visual Esquema padrão das Reduções

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Zng7RRQJadvVUdBX2TbbCtgpuGPAnyDEJBQPnv6kEXjqa6y5S4nUSascRRHj/his-07-05-und-05-fonte-visual-esquema-padrao-das-reducoes.pdf

Referências das Imagens:

Velas - Banco de Imagens Nova Escola

WIKIPÉDIA COMMONS. Anchieta e Nóbrega na cabana de Pindobuçu, 2010. Disponível em:

<https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Benedito_Calixto_-_Anchieta_e_N%C3%B3brega_na_cabana_de_Pindobu%C3%A7u.jpg.> Acesso em: 17/1/2019.

Esquema padrão das Reduções do Paraguai. Disponível em:

<https://atlas.fgv.br/marcos/igreja-catolica-e-missoes/mapas/esquema-padrao-das-reducoes-do-paraguai.> Acesso em: 17/1/2019.

Link para imagem: Disponível em: <http://www.mocidadeindependente.com.br/carnaval-1987/.> Acesso em: 17/1/2019.

Link para sinopse: Disponível em: <http://www.mocidadeindependente.com.br/carnaval-1987/. Acesso em: 17/1/2019.

Para você saber mais:

Regimini militantis Ecclesiae. Disponível em: <https://jesuitportal.bc.edu/research/documents/1540_Formula/.>

Acesso em: 8/12/2018.

História visual da tradução: a iconografia do século XIX no Brasil. Disponível em:

<www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/download/37395/21483.> Acesso em: 17/1/2019. Apresenta análise da obra referida de Benedito Calixto.

Tópicos em educação nas cartas de Manuel Da Nóbrega: entre práticas e representações (1549-1559). Disponível em:

<http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/24/art06_24.pdf.> Acesso em: 17/1/2019.

Catecismo en la língua guarani. Disponível em: <https://digital.bbm.usp.br/view/?45000008940&bbm/4392#page/44/mode/2up.>
Acesso em: 17/1/2019.

Regimento das missões do estado do Maranhão e Grão-Pará, 21 de dezembro de 1686. Disponível em:

<http://www.historia.uff.br/7mares/wp-content/uploads/2014/04/v01n01a142.pdf.> Acesso em: 17/1/2019. (Com o Documento Oficial.)

“Modo como se há de governar o gentio que há nas aldeias do Maranhão e Pará.” Disponível em:

<https://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/152.> Acesso em: 17/1/2019. (Documento Original - Regimento proposto pelo Pe. Vieira - 1653.)

Pedagogia da vigilância: o jesuíta na aldeia (séculos XVI e XVII). Disponível em:

<http://www.scielo.br/pdf/cp/v46n162/1980-5314-cp-46-162-01010.pdf.> Acesso em: 17/1/2019.

Quando a Sapucaí virou uma tribo. Disponível em: <http://www.megafonedosamba.com.br/2018/08/quando-sapucai-virou-tribo_24.html.>
Acesso em: 17/1/2019.

Samba de terça - Tupinicópolis. Disponível em: <http://www.pedromigao.com.br/ourodetolo/2010/11/samba-de-terca-tupinicopolis/.>
Acesso em: 17/1/2019.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Apresente o objetivo aos alunos projetando o slide ou escrevendo no quadro para que a turma faça uma leitura coletiva.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos . Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07HI05 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cópias impressas das atividades. Projetor ou, na ausência dele, a opção de imprimir as imagens. É também possível reproduzir os impressos no quadro, ou ainda em papel pardo ou cartolina.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos.

Orientações:

Forme grupos com três alunos para que todos consigam ter acesso ao material da aula e facilite as discussões, valorizando a colaboração para uma troca de percepções sobre a Contextualização. Apresente a imagem impressa ou projetada.

Questione seus alunos sobre os seguintes pontos a fim de promover o debate inicial da Contextualização:

Na gíria popular, no dia a dia, em que situação dizemos:

  • “Por favor, alguém me salve!?”
  • O que significa salvar?

Espera-se que expressem que dizemos quando estamos em perigo, e que ser salvo significa sair de uma situação difícil. Explore qual é o papel da salvação na vida dos fiéis, cada qual ao seu modo em sua religião. Em seguida pergunte:

  • Quem segundo a fé cristã precisaria ser salvo?
  • E como seria feita a salvação destas pessoas?
  • Qual seria o instrumento para salvá-las?

Espera-se que digam que, entre diversas questões, precisam ser salvos aqueles que pecassem ou que não seguissem o ensinamentos de Jesus Cristo, e que a salvação de suas almas dependerá da sua fé.

Diga que os portugueses tinham a crença de ser o povo escolhido para universalizar a “verdadeira fé”, que para eles era a católica, que estava sendo ameaçada na Europa pelos protestantes. Eles acreditavam que a divisão da Igreja assim como a Peste Negra eram punições à falta de devoção das pessoas. E seria necessário criar uma disciplina maior para salvar as almas da desordem, da “perdição”.

Neste sentido, acreditavam que a catequização seria uma oportunidade ímpar para que os indígenas abandonassem a barbárie e alcançassem a civilização, desviando-os daquilo que julgavam como paganismo e ignorância.

Distribua a FICHA 1 e peça que um aluno leia atentamente o fragmento para os demais de modo que possam responder conjuntamente a questão proposta no final da ficha.

No final, peça que leiam suas respostas de modo que reflitam:

  • Como o processo de conversão dos indígenas contribuiu com manter a chama da fé católica acesa?

Link FICHA CONTEXTUALIZAÇÃO 1 - Regimini militantis Ecclesiae - Regimento dos Soldados de Cristo

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/PMgEVHJFFgYD45m3WFX7WVEDQRVHFmUt7g37vmFEyG85qbx59KyqZtae8u87/his-07-05-und-05-ficha-contextualizacao-1-regimini-militantis-ecclesiae-regimento-dos-soldados-de-cristo.pdf

Link Fonte Visual 1- Como manter a chama da fé acesa?

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/338wcqvRspbYHKq8ZJV9qAy4V8dktGY7mRGsDyPXaeP5AsT5wjGUyhFNmhEh/his-07-05-und-05-fonte-visual-1-como-manter-a-chama-da-fe-acesa.pdf

Link para FICHA ATIVIDADE II - Regimento das Missões do Estado do Maranhão, e Pará

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/xfmPbNUeyZsQQY97WNpFXSuXNjKAQSUCHKg6uT8wAQdU5eekUBKj8s7VZfHs/his-07-05-und-05-atividade-ii-problematizacao-regimento-das-missoes-do-estado-do-maranhao-e-para.pdf

Link Fonte 2 Visual Esquema padrão das Reduções

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Zng7RRQJadvVUdBX2TbbCtgpuGPAnyDEJBQPnv6kEXjqa6y5S4nUSascRRHj/his-07-05-und-05-fonte-visual-esquema-padrao-das-reducoes.pdf

Referências da imagem:

Velas - Banco de Imagens Nova Escola

Para você saber mais:

Regimini militantis Ecclesiae. Disponível em: <https://jesuitportal.bc.edu/research/documents/1540_Formula/.>

Acesso em: 8/12/2018.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos.

Orientações:

Apresente as imagens impressas ou projetadas.

Questione seus alunos sobre os seguintes pontos a fim de promover o debate inicial da Problematização:

  • O que parece estar acontecendo na cena representada na obra?
  • Quais são os elementos representados pelo artista que explicam o que ocorre ali?

Deverão dizer se tratar de um culto, uma cerimônia ou mesmo uma cena de conversão indígena. E que os elementos que mostram o que ocorre ali são a presença de crucifixo, a existência de um altar, a realização de um ritual. Diga-lhes que esta cena retrata bem os desafios do que era a catequese no princípio da colonização. Que a aldeia era um lugar de “perigos”.

Faça agora a análise de dois fragmentos que explicam na perspectiva do debate a justificativa da catequização e as apelações no sentido de impor outro enquadramento de posturas em direção aos indígena. Solicite um aluno para o restante do grupo e prestem muito atenção aos detalhes dos documentos, reflitam sobre eles e respondam as questões no final da ficha no caderno.

Insira a ATIVIDADE I e solicite que realizem o que se pede.

No final da atividade eles deverão refletir sobre o modo como se fala dos indígenas, do que ocorre com eles devido a esta visão e o que significa “sujeitar-se” Que estas considerações mudariam a prática jesuítica que acreditava até aquele momento ser possível a conversão pela via “amorosa”. Explore atentamente seus comentários acerca da imagem que estavam expressando sobre o indígena. De fato os jesuítas não percebiam os indígenas como seres diabólicos, tão vasta é sua documentação que revela outras percepções sobre os nativos. É importante ressaltar aos alunos a intenção da carta, que seria encontrar apoio do reino e de quem mais fosse para sujeitá-los, catequizá-los.

Link ATIVIDADE I Diálogos e Carta de Manuel de Nóbrega

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/qPddGtA5Eecw7xgxxdNz2zEWmdymmCkW49JRzHhuXSygqeKCdsYyRDqZzG2b/his-07-05-und-05-atividade-i-problematizacao-dialogos-e-carta-de-manuel-de-nobrega.pdf

Link Fonte visual 3 Anchieta e Nóbrega na cabana de Pindobuçu

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/R6FJgx4DrPhQexsgmyz9P5nS6PQY2xCcDWFDrEC2XhWkpMwtzgE3jQmh9grq/his-07-05-und-05-fonte-visual-3-anchieta-e-nobrega-na-cabana-de-pindobucu.pdf

Nos primeiros anos, não houve modelos a ser usados como referência pelos jesuítas em suas missões. Foi devido à falta de constância da conversão dos indígenas que ocorreria o amadurecimento de não ser possível a ação missionária dentro das aldeias indígenas. Os jesuítas aprenderam a estabelecer modelos para sua missão, por meio da experiência do que ocorria em missões em outras partes do globo, informados a partir da comunicação por cartas que havia dentro da ordem. Chamaria maior atenção o sucesso das missões de Francisco Xavier no Oriente, que o consagraria como o principal missionário da ordem.

Na colonização coube aos missionários de diversas ordens, principalmente a dos jesuítas, o papel de agentes educacionais e culturais. Fundaram uma rede de ensino formada por colégios e seminários nas cidades enquanto a catequese dos povos indígenas ocorria nas reduções. Merecem destaque nestas ações nomes como dos padres jesuítas Manuel da Nóbrega, primeiro encarregado da Companhia de Jesus, e de José de Anchieta na sistematização da língua geral baseada no tupi que serviu para produzir as obras do catecismo voltadas à catequese dos indígenas.

Enquanto o currículo dos colégios jesuítas nas cidades era resultado das experiências nas reduções, lá primeiramente os indígenas eram alfabetizados na língua portuguesa para que pudessem ler os textos bíblicos e serem catequizados. Convertiam primeiramente o “principal”, o cacique ou o mais velho ensinando-o a ler. A conversão do chefe seria a conversão certa de toda a aldeia. Em seguida dedicavam-se às crianças, as quais eram mais fáceis de ensinar e converter, e elas ensinavam os pais. A metodologia da catequese era baseada na repetição de orações e na produção de peças teatrais apresentadas com a participação dos indígenas convertidos em forma de Autos.

O papel do missionário, neste sentido, era despertar na alma indígena suas faculdades humanas inatas (memória, vontade e inteligência - concepção agostiniana), policiando seus atos e velando por seu governo por meio da catequese. Os trajes do peregrino, o cruxifixo e outros objetos davam todo um sentido simbólico para as obras e ao lugar, ajudavam na composição do ambiente sagrado, apresentando a retórica litúrgica da conversão .

Referência da imagem:

WIKIPÉDIA COMMONS. Anchieta e Nóbrega na cabana de Pindobuçu, 2010. Disponível em:

<https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Benedito_Calixto_-_Anchieta_e_N%C3%B3brega_na_cabana_de_Pindobu%C3%A7u.jpg.> Acesso em: 17/1/2019.

Para saber mais:

Nesta tela de Benedito Calixto produzida no século XIX é retratado o conflito entre colonos e tamoios, os padres José de Anchieta e Manuel da Nóbrega veem-se emboscados enquanto procuravam em sua cabana o indígena convertido Pindobuçu na intenção de refugiarem-se do conflito, mas não o encontram. Dissuadidos por um tio de Pindobuçu, os indígenas beligerantes são aplacados pelos elogiosos tratamentos do parente sobre os missionários; os indígenas visitantes voltam-se à raiva quando se surpreendem e fazem o despojo de suas armas ao chão devido a tradução feita de passagens doutrinárias e passam a conversar, sempre questionando a intenção daqueles missionários. “Uma vez traduzida e manifestada a mensagem divina para a língua dos nativos, estes amansam seus corações.” A cena expõe uma espécie de ritual onde Anchieta usa o crucifixo e ao qual os indígenas parecem se dirigir respeitosamente. O missionário de pé imagina-se ser Manuel da Nóbrega, já que Anchieta era gago. (Dennys Silva-Reis p. 1475-1504 História visual da tradução: a iconografia do século XIX no Brasil Domínios de Lingu@gem. Uberlândia. vol. 11, n. 5 dez. 2017 I)

Percebe-se na cena a abreviatura da ordem inaciana. Era orientação regimental aos missionários que não circulassem por lugar nenhum sozinhos, que andassem sempre junto a outro jesuíta devido a aldeia indígena ser “perigosa” e lugar “tentações”, condição presente na representação.

Para saber mais:

História visual da tradução: a iconografia do século XIX no Brasil. Disponível em:

<www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/download/37395/21483.> Acesso em: 17/1/2019. Apresenta análise da obra referida de Benedito Calixto.

Tópicos em educação nas cartas de Manuel Da Nóbrega: entre práticas e representações (1549-1559). Disponível em:

<http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/24/art06_24.pdf.> Acesso em: 17/1/2019.

Catecismo en la língua guarani. Disponível em: <https://digital.bbm.usp.br/view/?45000008940&bbm/4392#page/44/mode/2up.>
Acesso em: 17/1/2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

Nesta etapa os alunos deverão compreender o funcionamento da redução missionária por meio de um fragmento do Regimento das Aldeias (também chamado Visita de Vieira).

Para introduzi-los neste espaço da Contra-Reforma, pergunte a eles:

  • Como vocês percebem que o espaço da escola é organizado para conduzi-los aos estudos?
  • Como é organizada a nossa casa?
  • Existem semelhanças entre a organização da escola e de nossa casa?

Devem perceber que na escola há uma organização do espaço e regras que levam a uma formação que é definida pelo governo e que em casa não fazem as mesmas atividades que ali, as regras são diferentes.

Aproveitando o debate levantado insira agora a Ficha Atividade II. Informe aos alunos que eles terão 8 minutos para executar o que se pede. E que escolham um aluno do grupo para monitorar o tempo. Circule na sala de modo a estar à disposição. Caso tenham dúvidas lembre-os que no final da ficha eles têm o Glossário.

Link para FICHA ATIVIDADE II - Regimento das Missões do Estado do Maranhão, e Pará

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/xfmPbNUeyZsQQY97WNpFXSuXNjKAQSUCHKg6uT8wAQdU5eekUBKj8s7VZfHs/his-07-05-und-05-atividade-ii-problematizacao-regimento-das-missoes-do-estado-do-maranhao-e-para.pdf

Link Fonte Visual 3 Esquema padrão das Reduções

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Zng7RRQJadvVUdBX2TbbCtgpuGPAnyDEJBQPnv6kEXjqa6y5S4nUSascRRHj/his-07-05-und-05-fonte-visual-esquema-padrao-das-reducoes.pdf

Durante a correção dos levantamentos da turma ressalte qual era o ideal da missão na redução, o de sujeição. É importante que os alunos compreendam no fim da leitura que havia grande controle sobre o ambiente das reduções, de modo a atender uma rotina de catequização e de trabalho, e do papel central dos missionários na administração civil e religiosa da missão. Que a presença de mulheres indígenas circulando por dentro da missão era restrita a funções bem específicas delegadas a elas, com objetivo de que não corrompessem os missionários. Que escravização indígena era proibida, mas o trabalho era permitido e estimulado, sendo submetidos a um espaço de vigilância e de evangelização constante que acabaria por convertê-los. Que foi estabelecida uma lei em que os colonos que quisessem usar do trabalho indígena teriam de pagar salários aos indígenas e respeitar o tempo previsto para os serviços, não podendo ultrapassar dois anos fora da redução, o que comprometeria a sua doutrinação e seus compromissos com a sua roça e a da redução. Enfatize que o objetivo principal da existência das reduções era a conversão dos indígenas à religião católica, e sua modelação aos modos e hábitos europeus.

Referências das imagens:

Esquema padrão das Reduções do Paraguai Disponível em:

<https://atlas.fgv.br/marcos/igreja-catolica-e-missoes/mapas/esquema-padrao-das-reducoes-do-paraguai.> Acesso em: 17/1/2019.

Para você saber mais:

Regimento das missões do estado do Maranhão e Grão-Pará, 21 de dezembro de 1686. Disponível em:

<http://www.historia.uff.br/7mares/wp-content/uploads/2014/04/v01n01a142.pdf.> Acesso em: 17/1/2019. (Com o Documento Oficial.)

“Modo como se há de governar o gentio que há nas aldeias do Maranhão e Pará” Disponível em:

<https://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/152.> Acesso em: 17/1/2019. (Documento Original - Regimento proposto pelo Pe. Vieira - 1653.)

Pedagogia da vigilância: o jesuíta na aldeia (séculos XVI e XVII). Disponível em:

<http://www.scielo.br/pdf/cp/v46n162/1980-5314-cp-46-162-01010.pdf.> Acesso em: 17/1/2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

A atividade de Sistematização consistirá em um exercício de imaginação no qual os alunos produzirão o Regimento de Tupinicópolis, a metrópole indígena, baseado nos apontamentos e nas questões levantadas na Problematização. Solicite aos alunos que retomem a Ficha II - Regimento das Missões do Estado do Maranhão, e Pará e desenvolvam seu regimento, refletindo sobre como os indígenas conduziram os colonizadores em sua metrópole.

Após a compreensão sobre todo o trabalho da Companhia de Jesus na catequização dos indígenas e suas contradições é o momento de levar os alunos a pensar o oposto. De posse das análises desenvolvidas na Problematização, apresente aos alunos o fragmento e a imagem do Carnaval da Mocidade Independente de Padre Miguel no ano de 1987 que retratava uma sociedade indígena onde os mesmos produzem e retiram as riquezas de suas terras, processam, preservam sua cultura e símbolos.

É esperado que os alunos surpreendam-se com este exercício de “ficção científica tupiniquim” apresentado na sinopse do enredo e afirmem que a Companhia de Jesus, por meio da catequese, escolas e das Reduções, buscou moldar as sociedades indígenas aos ideais colonizadores.

Indique para a turma que o regimento será socializado com os demais alunos da classe a fim de verificar quais foram as percepções acerca de Tupinicópolis.

Link para imagem: Disponível em: <http://www.mocidadeindependente.com.br/carnaval-1987/.> Acesso em: 17/1/2019.

Link para sinopse: Disponível em: <http://www.mocidadeindependente.com.br/carnaval-1987/. Acesso em: 17/1/2019.

Como adequar a sua realidade:

Caso obtenha recursos audiovisuais em sua unidade escolar, apresente fragmentos do desfile de Carnaval ou o samba-enredo da Escola de Samba a fim de trazer aspectos da Tupinicópolis carnavalesca para os alunos.

Link para o samba-enredo com letra: Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=qQ6Ni8hvQTc.> Acesso em: 17/1/2019.

Link para compacto do desfile de carnaval: Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=o0FfLINAV70.> Acesso em: 17/1/2019.

Caso esteja em uma região do país onde existam aldeias ou tribos indígenas, trabalhe com os alunos de forma complementar como são as regras e os códigos internos destes locais. Caso trabalhe em uma aldeia ou tribo, analise nesta Sistematização comparativamente o Regimento Interno das Missões e busque refletir com os alunos como o mesmo impactaria no cotidiano do local e solicite aos mesmos a produção de um pequeno texto sobre sua percepção, socializando o mesmo no fim da aula.

Para saber mais:

Quando a Sapucaí virou uma tribo - Disponível em: <http://www.megafonedosamba.com.br/2018/08/quando-sapucai-virou-tribo_24.html.>
Acesso em: 17/1/2019.

Samba de terça - Tupinicópolis - Disponível em: <http://www.pedromigao.com.br/ourodetolo/2010/11/samba-de-terca-tupinicopolis/.>
Acesso em: 17/1/2019.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07HI05, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários:

Material complementar:

Link FICHA CONTEXTUALIZAÇÃO 1 - Regimini militantis Ecclesiae - Regimento dos Soldados de Cristo

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/PMgEVHJFFgYD45m3WFX7WVEDQRVHFmUt7g37vmFEyG85qbx59KyqZtae8u87/his-07-05-und-05-ficha-contextualizacao-1-regimini-militantis-ecclesiae-regimento-dos-soldados-de-cristo.pdf

Link Fonte Visual 1- Como manter a chama da fé acesa?

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/338wcqvRspbYHKq8ZJV9qAy4V8dktGY7mRGsDyPXaeP5AsT5wjGUyhFNmhEh/his-07-05-und-05-fonte-visual-1-como-manter-a-chama-da-fe-acesa.pdf

Link ATIVIDADE I Diálogos e Carta de Manuel de Nóbrega

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/qPddGtA5Eecw7xgxxdNz2zEWmdymmCkW49JRzHhuXSygqeKCdsYyRDqZzG2b/his-07-05-und-05-atividade-i-problematizacao-dialogos-e-carta-de-manuel-de-nobrega.pdf

Link Fonte visual 2 Anchieta e Nóbrega na cabana de Pindobuçu

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/R6FJgx4DrPhQexsgmyz9P5nS6PQY2xCcDWFDrEC2XhWkpMwtzgE3jQmh9grq/his-07-05-und-05-fonte-visual-3-anchieta-e-nobrega-na-cabana-de-pindobucu.pdf

Link para FICHA ATIVIDADE II - Regimento das Missões do Estado do Maranhão, e Pará

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/xfmPbNUeyZsQQY97WNpFXSuXNjKAQSUCHKg6uT8wAQdU5eekUBKj8s7VZfHs/his-07-05-und-05-atividade-ii-problematizacao-regimento-das-missoes-do-estado-do-maranhao-e-para.pdf

Link Fonte Visual Esquema padrão das Reduções

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Zng7RRQJadvVUdBX2TbbCtgpuGPAnyDEJBQPnv6kEXjqa6y5S4nUSascRRHj/his-07-05-und-05-fonte-visual-esquema-padrao-das-reducoes.pdf

Referências das Imagens:

Velas - Banco de Imagens Nova Escola

WIKIPÉDIA COMMONS. Anchieta e Nóbrega na cabana de Pindobuçu, 2010. Disponível em:

<https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Benedito_Calixto_-_Anchieta_e_N%C3%B3brega_na_cabana_de_Pindobu%C3%A7u.jpg.> Acesso em: 17/1/2019.

Esquema padrão das Reduções do Paraguai. Disponível em:

<https://atlas.fgv.br/marcos/igreja-catolica-e-missoes/mapas/esquema-padrao-das-reducoes-do-paraguai.> Acesso em: 17/1/2019.

Link para imagem: Disponível em: <http://www.mocidadeindependente.com.br/carnaval-1987/.> Acesso em: 17/1/2019.

Link para sinopse: Disponível em: <http://www.mocidadeindependente.com.br/carnaval-1987/. Acesso em: 17/1/2019.

Para você saber mais:

Regimini militantis Ecclesiae. Disponível em: <https://jesuitportal.bc.edu/research/documents/1540_Formula/.>

Acesso em: 8/12/2018.

História visual da tradução: a iconografia do século XIX no Brasil. Disponível em:

<www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/download/37395/21483.> Acesso em: 17/1/2019. Apresenta análise da obra referida de Benedito Calixto.

Tópicos em educação nas cartas de Manuel Da Nóbrega: entre práticas e representações (1549-1559). Disponível em:

<http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/24/art06_24.pdf.> Acesso em: 17/1/2019.

Catecismo en la língua guarani. Disponível em: <https://digital.bbm.usp.br/view/?45000008940&bbm/4392#page/44/mode/2up.>
Acesso em: 17/1/2019.

Regimento das missões do estado do Maranhão e Grão-Pará, 21 de dezembro de 1686. Disponível em:

<http://www.historia.uff.br/7mares/wp-content/uploads/2014/04/v01n01a142.pdf.> Acesso em: 17/1/2019. (Com o Documento Oficial.)

“Modo como se há de governar o gentio que há nas aldeias do Maranhão e Pará.” Disponível em:

<https://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/152.> Acesso em: 17/1/2019. (Documento Original - Regimento proposto pelo Pe. Vieira - 1653.)

Pedagogia da vigilância: o jesuíta na aldeia (séculos XVI e XVII). Disponível em:

<http://www.scielo.br/pdf/cp/v46n162/1980-5314-cp-46-162-01010.pdf.> Acesso em: 17/1/2019.

Quando a Sapucaí virou uma tribo. Disponível em: <http://www.megafonedosamba.com.br/2018/08/quando-sapucai-virou-tribo_24.html.>
Acesso em: 17/1/2019.

Samba de terça - Tupinicópolis. Disponível em: <http://www.pedromigao.com.br/ourodetolo/2010/11/samba-de-terca-tupinicopolis/.>
Acesso em: 17/1/2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Apresente o objetivo aos alunos projetando o slide ou escrevendo no quadro para que a turma faça uma leitura coletiva.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos . Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07HI05 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cópias impressas das atividades. Projetor ou, na ausência dele, a opção de imprimir as imagens. É também possível reproduzir os impressos no quadro, ou ainda em papel pardo ou cartolina.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos.

Orientações:

Forme grupos com três alunos para que todos consigam ter acesso ao material da aula e facilite as discussões, valorizando a colaboração para uma troca de percepções sobre a Contextualização. Apresente a imagem impressa ou projetada.

Questione seus alunos sobre os seguintes pontos a fim de promover o debate inicial da Contextualização:

Na gíria popular, no dia a dia, em que situação dizemos:

  • “Por favor, alguém me salve!?”
  • O que significa salvar?

Espera-se que expressem que dizemos quando estamos em perigo, e que ser salvo significa sair de uma situação difícil. Explore qual é o papel da salvação na vida dos fiéis, cada qual ao seu modo em sua religião. Em seguida pergunte:

  • Quem segundo a fé cristã precisaria ser salvo?
  • E como seria feita a salvação destas pessoas?
  • Qual seria o instrumento para salvá-las?

Espera-se que digam que, entre diversas questões, precisam ser salvos aqueles que pecassem ou que não seguissem o ensinamentos de Jesus Cristo, e que a salvação de suas almas dependerá da sua fé.

Diga que os portugueses tinham a crença de ser o povo escolhido para universalizar a “verdadeira fé”, que para eles era a católica, que estava sendo ameaçada na Europa pelos protestantes. Eles acreditavam que a divisão da Igreja assim como a Peste Negra eram punições à falta de devoção das pessoas. E seria necessário criar uma disciplina maior para salvar as almas da desordem, da “perdição”.

Neste sentido, acreditavam que a catequização seria uma oportunidade ímpar para que os indígenas abandonassem a barbárie e alcançassem a civilização, desviando-os daquilo que julgavam como paganismo e ignorância.

Distribua a FICHA 1 e peça que um aluno leia atentamente o fragmento para os demais de modo que possam responder conjuntamente a questão proposta no final da ficha.

No final, peça que leiam suas respostas de modo que reflitam:

  • Como o processo de conversão dos indígenas contribuiu com manter a chama da fé católica acesa?

Link FICHA CONTEXTUALIZAÇÃO 1 - Regimini militantis Ecclesiae - Regimento dos Soldados de Cristo

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/PMgEVHJFFgYD45m3WFX7WVEDQRVHFmUt7g37vmFEyG85qbx59KyqZtae8u87/his-07-05-und-05-ficha-contextualizacao-1-regimini-militantis-ecclesiae-regimento-dos-soldados-de-cristo.pdf

Link Fonte Visual 1- Como manter a chama da fé acesa?

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/338wcqvRspbYHKq8ZJV9qAy4V8dktGY7mRGsDyPXaeP5AsT5wjGUyhFNmhEh/his-07-05-und-05-fonte-visual-1-como-manter-a-chama-da-fe-acesa.pdf

Link para FICHA ATIVIDADE II - Regimento das Missões do Estado do Maranhão, e Pará

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/xfmPbNUeyZsQQY97WNpFXSuXNjKAQSUCHKg6uT8wAQdU5eekUBKj8s7VZfHs/his-07-05-und-05-atividade-ii-problematizacao-regimento-das-missoes-do-estado-do-maranhao-e-para.pdf

Link Fonte 2 Visual Esquema padrão das Reduções

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Zng7RRQJadvVUdBX2TbbCtgpuGPAnyDEJBQPnv6kEXjqa6y5S4nUSascRRHj/his-07-05-und-05-fonte-visual-esquema-padrao-das-reducoes.pdf

Referências da imagem:

Velas - Banco de Imagens Nova Escola

Para você saber mais:

Regimini militantis Ecclesiae. Disponível em: <https://jesuitportal.bc.edu/research/documents/1540_Formula/.>

Acesso em: 8/12/2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos.

Orientações:

Apresente as imagens impressas ou projetadas.

Questione seus alunos sobre os seguintes pontos a fim de promover o debate inicial da Problematização:

  • O que parece estar acontecendo na cena representada na obra?
  • Quais são os elementos representados pelo artista que explicam o que ocorre ali?

Deverão dizer se tratar de um culto, uma cerimônia ou mesmo uma cena de conversão indígena. E que os elementos que mostram o que ocorre ali são a presença de crucifixo, a existência de um altar, a realização de um ritual. Diga-lhes que esta cena retrata bem os desafios do que era a catequese no princípio da colonização. Que a aldeia era um lugar de “perigos”.

Faça agora a análise de dois fragmentos que explicam na perspectiva do debate a justificativa da catequização e as apelações no sentido de impor outro enquadramento de posturas em direção aos indígena. Solicite um aluno para o restante do grupo e prestem muito atenção aos detalhes dos documentos, reflitam sobre eles e respondam as questões no final da ficha no caderno.

Insira a ATIVIDADE I e solicite que realizem o que se pede.

No final da atividade eles deverão refletir sobre o modo como se fala dos indígenas, do que ocorre com eles devido a esta visão e o que significa “sujeitar-se” Que estas considerações mudariam a prática jesuítica que acreditava até aquele momento ser possível a conversão pela via “amorosa”. Explore atentamente seus comentários acerca da imagem que estavam expressando sobre o indígena. De fato os jesuítas não percebiam os indígenas como seres diabólicos, tão vasta é sua documentação que revela outras percepções sobre os nativos. É importante ressaltar aos alunos a intenção da carta, que seria encontrar apoio do reino e de quem mais fosse para sujeitá-los, catequizá-los.

Link ATIVIDADE I Diálogos e Carta de Manuel de Nóbrega

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/qPddGtA5Eecw7xgxxdNz2zEWmdymmCkW49JRzHhuXSygqeKCdsYyRDqZzG2b/his-07-05-und-05-atividade-i-problematizacao-dialogos-e-carta-de-manuel-de-nobrega.pdf

Link Fonte visual 3 Anchieta e Nóbrega na cabana de Pindobuçu

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/R6FJgx4DrPhQexsgmyz9P5nS6PQY2xCcDWFDrEC2XhWkpMwtzgE3jQmh9grq/his-07-05-und-05-fonte-visual-3-anchieta-e-nobrega-na-cabana-de-pindobucu.pdf

Nos primeiros anos, não houve modelos a ser usados como referência pelos jesuítas em suas missões. Foi devido à falta de constância da conversão dos indígenas que ocorreria o amadurecimento de não ser possível a ação missionária dentro das aldeias indígenas. Os jesuítas aprenderam a estabelecer modelos para sua missão, por meio da experiência do que ocorria em missões em outras partes do globo, informados a partir da comunicação por cartas que havia dentro da ordem. Chamaria maior atenção o sucesso das missões de Francisco Xavier no Oriente, que o consagraria como o principal missionário da ordem.

Na colonização coube aos missionários de diversas ordens, principalmente a dos jesuítas, o papel de agentes educacionais e culturais. Fundaram uma rede de ensino formada por colégios e seminários nas cidades enquanto a catequese dos povos indígenas ocorria nas reduções. Merecem destaque nestas ações nomes como dos padres jesuítas Manuel da Nóbrega, primeiro encarregado da Companhia de Jesus, e de José de Anchieta na sistematização da língua geral baseada no tupi que serviu para produzir as obras do catecismo voltadas à catequese dos indígenas.

Enquanto o currículo dos colégios jesuítas nas cidades era resultado das experiências nas reduções, lá primeiramente os indígenas eram alfabetizados na língua portuguesa para que pudessem ler os textos bíblicos e serem catequizados. Convertiam primeiramente o “principal”, o cacique ou o mais velho ensinando-o a ler. A conversão do chefe seria a conversão certa de toda a aldeia. Em seguida dedicavam-se às crianças, as quais eram mais fáceis de ensinar e converter, e elas ensinavam os pais. A metodologia da catequese era baseada na repetição de orações e na produção de peças teatrais apresentadas com a participação dos indígenas convertidos em forma de Autos.

O papel do missionário, neste sentido, era despertar na alma indígena suas faculdades humanas inatas (memória, vontade e inteligência - concepção agostiniana), policiando seus atos e velando por seu governo por meio da catequese. Os trajes do peregrino, o cruxifixo e outros objetos davam todo um sentido simbólico para as obras e ao lugar, ajudavam na composição do ambiente sagrado, apresentando a retórica litúrgica da conversão .

Referência da imagem:

WIKIPÉDIA COMMONS. Anchieta e Nóbrega na cabana de Pindobuçu, 2010. Disponível em:

<https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Benedito_Calixto_-_Anchieta_e_N%C3%B3brega_na_cabana_de_Pindobu%C3%A7u.jpg.> Acesso em: 17/1/2019.

Para saber mais:

Nesta tela de Benedito Calixto produzida no século XIX é retratado o conflito entre colonos e tamoios, os padres José de Anchieta e Manuel da Nóbrega veem-se emboscados enquanto procuravam em sua cabana o indígena convertido Pindobuçu na intenção de refugiarem-se do conflito, mas não o encontram. Dissuadidos por um tio de Pindobuçu, os indígenas beligerantes são aplacados pelos elogiosos tratamentos do parente sobre os missionários; os indígenas visitantes voltam-se à raiva quando se surpreendem e fazem o despojo de suas armas ao chão devido a tradução feita de passagens doutrinárias e passam a conversar, sempre questionando a intenção daqueles missionários. “Uma vez traduzida e manifestada a mensagem divina para a língua dos nativos, estes amansam seus corações.” A cena expõe uma espécie de ritual onde Anchieta usa o crucifixo e ao qual os indígenas parecem se dirigir respeitosamente. O missionário de pé imagina-se ser Manuel da Nóbrega, já que Anchieta era gago. (Dennys Silva-Reis p. 1475-1504 História visual da tradução: a iconografia do século XIX no Brasil Domínios de Lingu@gem. Uberlândia. vol. 11, n. 5 dez. 2017 I)

Percebe-se na cena a abreviatura da ordem inaciana. Era orientação regimental aos missionários que não circulassem por lugar nenhum sozinhos, que andassem sempre junto a outro jesuíta devido a aldeia indígena ser “perigosa” e lugar “tentações”, condição presente na representação.

Para saber mais:

História visual da tradução: a iconografia do século XIX no Brasil. Disponível em:

<www.seer.ufu.br/index.php/dominiosdelinguagem/article/download/37395/21483.> Acesso em: 17/1/2019. Apresenta análise da obra referida de Benedito Calixto.

Tópicos em educação nas cartas de Manuel Da Nóbrega: entre práticas e representações (1549-1559). Disponível em:

<http://www.histedbr.fe.unicamp.br/revista/edicoes/24/art06_24.pdf.> Acesso em: 17/1/2019.

Catecismo en la língua guarani. Disponível em: <https://digital.bbm.usp.br/view/?45000008940&bbm/4392#page/44/mode/2up.>
Acesso em: 17/1/2019.

Slide Plano Aula

Orientações:

Nesta etapa os alunos deverão compreender o funcionamento da redução missionária por meio de um fragmento do Regimento das Aldeias (também chamado Visita de Vieira).

Para introduzi-los neste espaço da Contra-Reforma, pergunte a eles:

  • Como vocês percebem que o espaço da escola é organizado para conduzi-los aos estudos?
  • Como é organizada a nossa casa?
  • Existem semelhanças entre a organização da escola e de nossa casa?

Devem perceber que na escola há uma organização do espaço e regras que levam a uma formação que é definida pelo governo e que em casa não fazem as mesmas atividades que ali, as regras são diferentes.

Aproveitando o debate levantado insira agora a Ficha Atividade II. Informe aos alunos que eles terão 8 minutos para executar o que se pede. E que escolham um aluno do grupo para monitorar o tempo. Circule na sala de modo a estar à disposição. Caso tenham dúvidas lembre-os que no final da ficha eles têm o Glossário.

Link para FICHA ATIVIDADE II - Regimento das Missões do Estado do Maranhão, e Pará

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/xfmPbNUeyZsQQY97WNpFXSuXNjKAQSUCHKg6uT8wAQdU5eekUBKj8s7VZfHs/his-07-05-und-05-atividade-ii-problematizacao-regimento-das-missoes-do-estado-do-maranhao-e-para.pdf

Link Fonte Visual 3 Esquema padrão das Reduções

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Zng7RRQJadvVUdBX2TbbCtgpuGPAnyDEJBQPnv6kEXjqa6y5S4nUSascRRHj/his-07-05-und-05-fonte-visual-esquema-padrao-das-reducoes.pdf

Durante a correção dos levantamentos da turma ressalte qual era o ideal da missão na redução, o de sujeição. É importante que os alunos compreendam no fim da leitura que havia grande controle sobre o ambiente das reduções, de modo a atender uma rotina de catequização e de trabalho, e do papel central dos missionários na administração civil e religiosa da missão. Que a presença de mulheres indígenas circulando por dentro da missão era restrita a funções bem específicas delegadas a elas, com objetivo de que não corrompessem os missionários. Que escravização indígena era proibida, mas o trabalho era permitido e estimulado, sendo submetidos a um espaço de vigilância e de evangelização constante que acabaria por convertê-los. Que foi estabelecida uma lei em que os colonos que quisessem usar do trabalho indígena teriam de pagar salários aos indígenas e respeitar o tempo previsto para os serviços, não podendo ultrapassar dois anos fora da redução, o que comprometeria a sua doutrinação e seus compromissos com a sua roça e a da redução. Enfatize que o objetivo principal da existência das reduções era a conversão dos indígenas à religião católica, e sua modelação aos modos e hábitos europeus.

Referências das imagens:

Esquema padrão das Reduções do Paraguai Disponível em:

<https://atlas.fgv.br/marcos/igreja-catolica-e-missoes/mapas/esquema-padrao-das-reducoes-do-paraguai.> Acesso em: 17/1/2019.

Para você saber mais:

Regimento das missões do estado do Maranhão e Grão-Pará, 21 de dezembro de 1686. Disponível em:

<http://www.historia.uff.br/7mares/wp-content/uploads/2014/04/v01n01a142.pdf.> Acesso em: 17/1/2019. (Com o Documento Oficial.)

“Modo como se há de governar o gentio que há nas aldeias do Maranhão e Pará” Disponível em:

<https://www.rbhcs.com/rbhcs/article/view/152.> Acesso em: 17/1/2019. (Documento Original - Regimento proposto pelo Pe. Vieira - 1653.)

Pedagogia da vigilância: o jesuíta na aldeia (séculos XVI e XVII). Disponível em:

<http://www.scielo.br/pdf/cp/v46n162/1980-5314-cp-46-162-01010.pdf.> Acesso em: 17/1/2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

A atividade de Sistematização consistirá em um exercício de imaginação no qual os alunos produzirão o Regimento de Tupinicópolis, a metrópole indígena, baseado nos apontamentos e nas questões levantadas na Problematização. Solicite aos alunos que retomem a Ficha II - Regimento das Missões do Estado do Maranhão, e Pará e desenvolvam seu regimento, refletindo sobre como os indígenas conduziram os colonizadores em sua metrópole.

Após a compreensão sobre todo o trabalho da Companhia de Jesus na catequização dos indígenas e suas contradições é o momento de levar os alunos a pensar o oposto. De posse das análises desenvolvidas na Problematização, apresente aos alunos o fragmento e a imagem do Carnaval da Mocidade Independente de Padre Miguel no ano de 1987 que retratava uma sociedade indígena onde os mesmos produzem e retiram as riquezas de suas terras, processam, preservam sua cultura e símbolos.

É esperado que os alunos surpreendam-se com este exercício de “ficção científica tupiniquim” apresentado na sinopse do enredo e afirmem que a Companhia de Jesus, por meio da catequese, escolas e das Reduções, buscou moldar as sociedades indígenas aos ideais colonizadores.

Indique para a turma que o regimento será socializado com os demais alunos da classe a fim de verificar quais foram as percepções acerca de Tupinicópolis.

Link para imagem: Disponível em: <http://www.mocidadeindependente.com.br/carnaval-1987/.> Acesso em: 17/1/2019.

Link para sinopse: Disponível em: <http://www.mocidadeindependente.com.br/carnaval-1987/. Acesso em: 17/1/2019.

Como adequar a sua realidade:

Caso obtenha recursos audiovisuais em sua unidade escolar, apresente fragmentos do desfile de Carnaval ou o samba-enredo da Escola de Samba a fim de trazer aspectos da Tupinicópolis carnavalesca para os alunos.

Link para o samba-enredo com letra: Disponível em:<https://www.youtube.com/watch?v=qQ6Ni8hvQTc.> Acesso em: 17/1/2019.

Link para compacto do desfile de carnaval: Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=o0FfLINAV70.> Acesso em: 17/1/2019.

Caso esteja em uma região do país onde existam aldeias ou tribos indígenas, trabalhe com os alunos de forma complementar como são as regras e os códigos internos destes locais. Caso trabalhe em uma aldeia ou tribo, analise nesta Sistematização comparativamente o Regimento Interno das Missões e busque refletir com os alunos como o mesmo impactaria no cotidiano do local e solicite aos mesmos a produção de um pequeno texto sobre sua percepção, socializando o mesmo no fim da aula.

Para saber mais:

Quando a Sapucaí virou uma tribo - Disponível em: <http://www.megafonedosamba.com.br/2018/08/quando-sapucai-virou-tribo_24.html.>
Acesso em: 17/1/2019.

Samba de terça - Tupinicópolis - Disponível em: <http://www.pedromigao.com.br/ourodetolo/2010/11/samba-de-terca-tupinicopolis/.>
Acesso em: 17/1/2019.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Humanismos, Renascimentos e o Novo Mundo do 7º ano :

MAIS AULAS DE História do 7º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF07HI05 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano