15871
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 2º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Descobrindo os aumentativos e diminutivos

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 2º ano do Fundamental sobre aumentativos e diminutivos

Plano 02 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ingrid Da Silva Ramalho

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a segunda aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é compreender os conceitos de aumentativo e diminutivo e do modo como são construídos lexicalmente na sua forma regular, considerando também os sentidos pejorativos e afetivos que o acréscimo dessas estruturas podem causar.

Materiais necessários: Texto escrito para relembrar os diminutivos e aumentativos (Texto adaptado de BANDEIRA, Pedro. Bisazinha. In: Cavalgando o arco-íris. 17ed. São Paulo: Moderna, 1991); lápis de cor de duas cores diferentes (aqui optamos por azul claro e amarelo), bingo dos aumentativos (bingo dos aumentativos); bingo dos diminutivos (bingo dos diminutivos);

Dificuldades antecipadas: Dificuldades de compreender os conceitos de aumentativo e diminutivo e troca dos sufixos utilizados nos dois casos (-ão por -zão e virce-versa e -inho por -zinho e virce-versa). Dificuldade de compreender os sentidos de palavras no aumentativo e diminutivo quando essas estruturas estabelecem sentidos pejorativos e afetivos.

Referências sobre o assunto:

ARMELIN, Paula Roberta Gabbai. Sobre a interação entre as marcas de diminutivo e aumentativo no português brasileiro. ReVEL edição especial n. 5, 2011. Disponível em: <http://www.revel.inf.br/files/artigos/revel_esp_5_sobre_a_interacao_entre_as_marcas_de_diminutivo.pdf>. Acesso em: 25 nov 2018.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 01 minuto

Orientações:

  • Projete ou leia o tema da aula para a turma.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos.

Orientações:

  • Para esta aula é necessário que as crianças já tenham sido expostas aos conceitos de diminutivo e aumentativo e já tenham trabalhado, ainda que brevemente, alguns diminutivos terminados em -inho/-zinho e alguns aumentativos terminados em -ão.
  • Tenha em mente que inicialmente, essa habilidade apresentada na BNCC implica em compreender os conceitos de aumentativo e diminutivo e do modo como são constituídos lexicalmente na sua forma regular: com as terminações -ão; -inho/-zinho. Tão logo os/as estudantes sistematizem esses conhecimentos, deve ser trabalhada a progressão da habilidade, incluindo outras terminações regulares. Além disso, é importante analisar os usos do diminutivo e do aumentativo de forma contextualizada, considerando que, em textos, essas palavras podem acarretar sentidos depreciativos, pejorativos e afetivos.
  • Considere que durante os questionamentos realizados nesta aula, assim como no cotidiano, pode ocorrer de um/a estudante realizar o acréscimo de -inho/-zinho e -ão/zão em um mesmo contexto morfológico, como é o caso de ‘menininho/meninozinho’ e ‘meninão/meninozão’, por exemplo. Da mesma forma, há a possibilidade de uma mesma palavra aparecer recebendo duas marcas de diminutivo e aumentativo, como são os casos de ‘carrinhozinho’ e ‘amigãozão’, por exemplo. Interfira nesses casos apenas se a palavra formada for agramatical; portanto, evidencie que, em alguns casos, é possível ocorrer essas variações.
  • Para retomar os conhecimentos já aprendidos pelas crianças, pergunte ao grande grupo: “Vocês lembram o que são aumentativos e diminutivos? Como eles são formados?”, espera-se que as crianças recordem alguns aspectos sobre os aumentativos e diminutivos, tendo em vista que para esta aula, elas já devem ter sido apresentadas aos temas, ainda que de forma breve.
  • Para retomar os aspectos semânticos dos aumentativos e diminutivos, pergunte ainda: “Por que utilizamos as palavras no aumentativo e no diminutivo?”, é provável que as crianças retomem a utilização desses graus apenas para expressar diferentes tamanhos, nesse caso, a pergunta seguinte deverá ser: “Utilizamos as palavras no aumentativo e no diminutivo apenas para expressar tamanho?”; “Todas as vezes que utilizamos -ão no final de uma palavra queremos dizer que aquela pessoa ou aquele objeto é de um grande tamanho? Na frase “Meu pai é muito legal, ele é um paizão!”, por exemplo, a palavra ‘paizão’ está sendo utilizada para dizer que meu pai é grande/alto? Qual é o sentido que a palavra ‘paizão’ expressa?”, espera-se que as crianças consigam compreender que no contexto citado ‘paizão’ quer dizer ‘bom pai’. Pergunte também: “Todas as vezes que utilizamos -inho/-zinho no final de uma palavra queremos dizer que aquela pessoa ou objeto é de um tamanho pequeno? Se eu disser, por exemplo, “Pedrinho é meu melhor amigo.”, eu quero dizer que Pedrinho é um amigo pequeno? Por que eu posso chamar meu amigo utilizando o diminutivo de seu nome?”, espera-se que as crianças respondam que ‘Pedrinho’ é uma forma carinhosa de chamar um amigo querido.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Distribua para as crianças um texto de sua escolha com palavras no diminutivo (ou aumentativo) evidenciando sentidos afetivos. Como sugestão, você pode trabalhar com parte (quatro primeiras estrofes) do texto de Pedro Bandeira: Bisazinha. Apesar de o texto trazer somente diminutivos, trabalharemos os aumentativos que os contrapõem. Inicie a leitura do poema (ou do texto de sua escolha) para que os/as estudantes tenham um modelo de leitura e, depois, solicite a ajuda de voluntários/as para prosseguirem.
  • Comece trabalhando a interpretação do texto, embora esse não seja o foco da aula. Para isso, fomente perguntas, como: “Há alguma palavra do texto que lemos que vocês não compreenderam?”, é provável que as crianças desconheçam o significado de ‘franzidinha’, caso algum/a estudante já conheça o significado da palavra ou mesmo deduza seu sentido pelo contexto, peça para que ele/a diga suas considerações para a turma; caso ninguém saiba ou consiga explicar seu significado, evidencie que nesse contexto, a palavra quer dizer o mesmo que ‘enrugadinha’. Prossiga essa etapa com questões, como, por exemplo: “O texto traz um diálogo entre dois personagens, quem são eles?”; espera-se que as crianças tenham compreendido que o diálogo ocorre entre dois familiares com grande diferença de idade, pergunte também: “Quais são as perguntas que o menino faz para sua avó (ou bisavó)?”, espera-se que aqui as crianças sejam capazes de repetir as perguntas trazidas no texto; questione também: “Pelas palavras do texto conseguimos perceber se os dois personagens sentem carinho um pelo outro? Por qual motivo?”, é provável que as crianças nesse momento respondam de forma afirmativa a pergunta, mas foquem apenas na relação consanguínea entre a avó (ou bisavó) e neto, mas caso alguém justifique essa resposta baseando-se nos usos dos diminutivos, ressalte essa hipótese e reforçe-a.
  • Logo após, sobre o gênero, pergunte: “Vocês já leram um texto com esse formato? Sabem o nome que ele recebe?”, caso as crianças não consigam elaborar uma resposta concisa, estenda o questionamento: “Esse texto possui rimas, tem um formato diferente… Lembram como ele é chamado?”, espera-se que as crianças digam que o texto é um poema, mas caso isso não ocorra, diga você o nome do gênero, ressaltando brevemente a disposição do texto (a divisão de frases que faz com que um verso não seja iniciado com letra maiúscula, por exemplo, e a sonoridade trazida pelas rimas).
  • Focando no uso dos diminutivos, peça, primeiramente, que no grande grupo, as crianças juntas, identifiquem as palavras que estão no diminutivo, espera-se que as crianças digam em voz alta as seguintes palavras do texto: ‘bisazinha’, ‘avózinha’, ‘franzidinha’, ‘netinho’, ‘cabelinho’ e ‘branquinho’ . Logo após, pergunte: “O que as palavras destacadas têm em comum?”, espera-se que as crianças digam que além de estarem no grau diminutivo, elas terminam de uma forma parecida (com -inha/inho/ e -zinha). Logo após, questione: “Vocês acham que o menino do texto usa a palavra ‘avózinha’ para falar com sua avó por que ela é uma avó pequena? Por quê sim/não?”, espera-se que as crianças explicitem que a forma que o menino usa para se referir à avó é uma forma carinhosa. De maneira semelhante, pergunte: “Vocês acham que a avó do menino usa a palavra ‘netinho’ por que ele é um neto pequeno?”, observe que aqui é menos clara essa relação do uso de diminutivo para expressar sentido afetivo, portanto, podem ocorrer respostas diferentes; é importante que ao captar as respostas das crianças, você evidencie que no caso dessa frase, o diminutivo pode expressar tanto a ideia de que o menino é ainda uma criança pequena ou a ideia de que ele é querido por sua avó.
  • Ainda utilizando o texto de Pedro Bandeira, explicite que agora, vocês relembrarão os usos dos aumentativos. Inicie perguntando: “Já vimos alguns aumentativos, eles são terminados em…?”, espera-se que as crianças retomem que os aumentativos que aprenderam são terminados em -ão. Logo após, questione: “Quando utilizamos os aumentativos?”, espera-se que as crianças digam que os aumentativos podem ser utilizados para dizer que algo/alguém é grande ou para expressar sentidos afetivos ou pejorativos, assim como os diminutivos. Peça para que, olhando as palavras do poema, respondam oralmente: “Qual é o aumentativo de ‘netinho’?”; “Qual é aumentativo de ‘cabelinho’?”; “Qual é o aumentativo de branquinho?”, espera-se que as crianças respondam que os aumentativos dessas palavras são, respectivamente, ‘netão’, ‘cabelão’ e ‘brancão’, confirme ou corrija as hipóteses levantadas.
  • Após, para trabalhar as percepções das crianças sobre os contextos semânticos, reformule duas frases do texto passando as palavras que estão no diminutivo para o aumentativo e questione: “Se mudássemos uma das frases do texto para “E o seu cabelão, assim tão branquinho, quem branqueou?”, teríamos alguma mudança no sentido da frase?”, espera-se que as crianças identifiquem que a troca de ‘cabelinho’ por ‘cabelão’ realça a ideia de que a avó/bisavó possui longos cabelos. Da mesma forma, pergunte: “E se a frase do texto fosse “Foi a vida, meu netão, foi a vida que durou.”, será que a frase mostraria toda a delicadeza e carinho da avó/bisavó ao conversar com seu neto?”, espera-se que as crianças identifiquem que a troca da palavra do diminutivo para o aumentativo, modificaria o tratamento que a avó dá ao seu neto no texto.
  • Posteriormente, retome que há alguns diminutivos que são formados pelo acréscimo de estruturas diferentes de -inho/-zinho, assim como há aumentativos formados pelo acréscimo de estruturas diferentes de -ão, mas que isso será trabalhado com calma em outro momento. Para exemplificar essas outras formações, evidencie que o aumentativo das outras palavras destacadas no texto não recebem -ão, mas sim, outras estruturas e diga que o aumentativo de ‘bisazinha’ é ‘bisazona’ e de ‘franzidinha’ é ‘franzidona’.

Materiais complementares:

BANDEIRA, Pedro. Bisazinha. In: Cavalgando o arco-íris. 17ed. São Paulo: Moderna, 1991. (texto adaptado)

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • O desenvolvimento desta aula será dividido em duas partes bem semelhantes, uma focando no grau aumentativo e outra, no diminutivo. Será desenvolvida uma atividade formulada no formato de bingo (cartelas disponibilizadas) para que as crianças exercitem os conteúdos aprendidos sobre aumentativos e diminutivos e conheçam/relembrem algumas palavras nesses graus. Na Parte I, o/a professor/a deverá ‘cantar’ palavras no grau comum ou no grau diminutivo e solicitar que cada criança procure em sua cartela a palavra que corresponde ao grau aumentativo do termo ‘cantado’, essas palavras deverão ser pintadas com o lápis de cor azul claro (para evitar que as crianças confundam as cores utilizadas para cada grau, escreva-as no quadro). Na parte II, o/a professor/a deverá realizar procedimento semelhante focando na procura das palavras no grau diminutivo entre palavras no grau aumentativo e comum e solicitar que os/as estudantes, pintem de amarelo as palavras que representam os diminutivos das palavras que foram ‘cantadas’. Para cada grau serão disponibilizados 3 modelos diferentes de cartelas.
  • Primeiramente, pergunte ao grande grupo: “Vocês conhecem o jogo bingo? Já participaram ou viram alguém jogar bingo?”. Ouça as respostas das crianças e, caso, alguma delas tenha respondido de forma afirmativa, pergunte se ela poderia explicar aos/às demais o funcionamento de um bingo, confirmando ou corrigindo as respostas dadas.
  • Posteriormente, explique a atividade a ser realizada: “Para o nosso bingo, cada um/a de vocês receberá uma cartela com diversas palavras no grau aumentativo, essas cartelas são diferentes. Primeiro, eu cantarei algumas palavras e vocês deverão procurar em suas cartelas, a forma aumentativa da palavra que falei. Após achar a palavra que falei no grau aumentativo, vocês deverão pintá-la com a cor azul clara. Caso você não tenha a palavra, não deverá pintar nenhuma outra, esperará a próxima rodada”. Entregue as cartelas para as crianças e em seguida, dê um exemplo: “Se eu falar a palavra ‘amigo’, vocês deverão achar o aumentativo da palavra em suas cartelas e pintá-la com a cor de lápis azul claro, qual é a palavra que deverão procurar?”, espera-se que as crianças digam que deverão buscar o termo ‘amigão’. Expanda o exemplo: “E seu eu falar a palavra ‘peixinho’, vocês deverão achar o aumentativo dela em suas cartelas e pintá-la com a cor de lápis azul clara, qual é a palavra que deverão procurar?”, espera-se que as crianças digam que precisarão procurar a palavra ‘peixão’. Caso seja necessário, dê mais exemplos.
  • Quando as crianças já estiverem com as cartelas em mãos, explique como se ganha um jogo de bingo: “Observem que cada palavra está em um quadradinho, para ganhar o jogo, o/a ganhador/a precisará encontrar todas palavras de uma mesma direção (horizontal ou vertical). Quando fizer isso, ele/a deverá gritar: “Bingo”. Quando isso ocorrer, eu vou analisar se as palavras que ele/a encontrou foram mesmo as palavras sorteadas”. Para exemplificar o que disse, disponha no quadro o exemplo do slide e ressalte que se o/a aluno/a completar qualquer uma das três colunas localizadas na vertical ele/a ganhará o jogo. Da mesma forma, deixe claro que ao completar qualquer uma das linhas verticais, ele/a estará apto a gritar “Bingo”.

A lista de palavras ‘cantadas’ para a procura do grau aumentativo está a seguir:

a) peixe;

b) sapinho;

c) cabelinho;

d) copo;

e) pé;

f) carrinho;

g) cachorro;

h) menininho;

i) porta;

j) pratinho.

  • Após o término da etapa focada nos aumentativos, entregue outra cartela e diga às crianças que agora vocês trabalharão de forma semelhante com as palavras no grau diminutivo: “Agora, de forma parecida com o que fizeram buscando as palavras no grau aumentativo, cada um buscará em uma nova cartela as palavras no grau diminutivo, mas deverão pintá-las com o lápis de cor amarelo. Portanto, se eu falar a palavra ‘copo’, vocês deverão buscar o diminutivo da palavra e depois pintá-la, qual seria essa palavra?”, espera-se que as crianças digam ‘copinho’. Assim como fez na etapa anterior, expanda o exemplo: “E se eu disser a palavra sapão, qual o diminutivo vocês deverão buscar e pintar de amarelo?”, espera-se que as crianças digam ‘sapinho’. Caso seja necessário, forneça mais exemplos. Ressalte as orientações dadas na etapa anterior sobre a forma de ganhar o jogo e sane as dúvidas que permaneceram.

A lista de palavras ‘cantadas’ para a procura do grau diminutivo está a seguir:

a) irmão;

b) janela;

c) dedão;

d) portão;

e) avó;

f) cajú;

g) café;

h) lugar;

i) salão;

j) velho.

  • Após o bingo, peça para as crianças escreveram seus nomes atrás de suas cartelas, para que posteriormente você possa realizar uma correção mais minuciosa. Depois disso, oriente: “Agora, olhando para os aumentativos e os diminutivos trazidos em suas cartelas, pensem em frase(s) utilizando alguma(s) dessas palavras. Vocês terão 1 minuto para isso. Logo depois, alguns/as deverão falar para a turma uma frase que criaram. Caso alguém queira, poderá escrever a frase em um pedaço de papel para não esquecer e depois poderá lê-la para a turma”.
  • Depois do momento de criação de frases pelos/as estudantes, solicite 3 voluntários/as para compartilharem suas criações. Para cada uma das frases criadas, proponha, oralmente uma análise dos usos dos aumentativos e diminutivos ao grande grupo, incentivando as crianças a interpretarem os sentidos expressos por essas palavras nos contextos específicos. Caso nenhuma criança se manifeste, crie você mesmo/a frases, como, por exemplo, “Tomei um copão de suco ontem!” e “Agora tenho um irmãozinho mais novo.”. A partir dessas frases, você pode fomentar perguntas, como, por exemplo: “Na frase: “Tomei um copão de suco ontem!” o que o termo no aumentativo expressa?” e “Na frase: “Agora tenho um irmãozinho mais novo.”, o que o termo no diminutivo expressa?”, espera-se que as crianças respondam que na primeira frase, ‘copão’ significa ‘um copo grande’ e que na segunda, ‘irmãozinho’ pode ser usado para expressar carinho, o tamanho do novo membro de uma família ou ambas as situações. Corrija ou confirme as hipóteses levantadas.

Materiais complementares: Bingo dos aumentativos (bingo dos aumentativos); bingo dos diminutivos (bingo dos diminutivos).

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 06 minutos

Orientações:

  • Para o fechamento da aula serão propostas duas formas para a correção oral do bingo realizado, escolha a mais adequada para a sua turma. Aproveite o momento para verificar as principais dificuldades encontradas pelas crianças e anotar o que deve ser melhor trabalhado.
  • CORREÇÃO ORAL:

PROPOSTA 1. Comece a correção perguntando: “Em qual forma (grau) estão as palavras que vocês pintaram com o lápis de cor azul claro?”; “Em qual forma (grau) estão as palavras que vocês pintaram com o lápis de cor amarelo?”, espera-se que as crianças respondam que de azul claro estão as palavras no grau aumentativo e que de amarelo, estão as palavras no grau diminutivo. Primeiramente, solicite ao grande grupo que falem as palavras que encontraram no grau aumentativo, espera-se que as crianças elenquem as palavras ‘peixão’, ‘cabelão’, ‘sapão’, ‘copão’, ‘pezão’, ‘carrão’, ‘cachorrão’, ‘meninão’, ‘portão’ e ‘pratão’. Depois, repita o procedimento para a correção das palavras no grau diminutivo, espera-se que as crianças citem as palavras ‘irmãozinho’, ‘janelinha’, ‘dedinho’, ‘portinha’, ‘avózinha’, ‘cajuzinho’, ‘cafezinho’, ‘lugarzinho’, ‘salinha’ e ‘velhinho’. Corrija ou confirme as hipóteses levantadas e caso ache necessário, nos dois casos, escreva no quadro as palavras citadas à medida que forem sendo ditas pelas crianças.

PROPOSTA 2. Diferente da primeira proposta, a segunda abarcará apenas algumas palavras que apareceram durante a atividade (isso não prejudicará a correção final, já que em ambos os casos, você deverá recolher as cartelas dos bingos para uma correção mais minuciosa). Você deverá falar algumas frases que precisarão de complemento (algumas das palavras trabalhadas nas atividades realizadas). Explique aos/às alunos/as: “Agora, eu pronunciarei algumas frases, vocês perceberão que elas estarão incompletas, pois precisam de uma palavra no aumentativo ou no diminutivo. Essas palavras são palavras das cartelas dos bingos que vocês participaram.” e dê um exemplo: “Se eu falar a frase “Ontem o almoço estava uma delícia, eu comi um (dê uma pausa) de comida.”, olhem para as cartelas de vocês, qual palavra está faltando na frase?”, espera-se que as crianças digam como resposta “pratão”. Dê mais exemplos, caso seja necessário e após aclarar as dúvidas das crianças, repita o procedimento com mais frases. Aqui estão alguns exemplos:

a) Fui pescar, mas não consegui puxar o anzol porque nele havia um peixão.

b) Estava andando na rua e levei um susto, pois um cachorrão latiu para mim.

c) Brinco no parquinho com meu vizinho desde que éramos pequenininhos, ele é um amigão.

d) Sou filha única, mas gostaria muito de um irmãozinho.

e) Os docinhos da minha festa de aniversário estavam ótimos, mas eu gostei mais do cajuzinho.

f) Sempre tomo suco no café da manhã, mas mamãe gosta mesmo é de um cafezinho.

  • Terminando o momento de correção das palavras da cartela, pergunte: “O que acharam da atividade?”; “Alguém sentiu muita dificuldade?”; “O que foi mais fácil, achar as palavras no aumentativo ou no diminutivo? O que foi mais difícil?”, ouça as considerações das crianças e anote as dúvidas observadas e relatadas. Posteriormente, recolha as cartelas para uma correção mais minuciosa.

Materiais complementares: Resolução do bingo dos aumentativos (bingo dos aumentativos); resolução do bingo dos diminutivos (resolução do bingo dos diminutivos.).

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a segunda aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é compreender os conceitos de aumentativo e diminutivo e do modo como são construídos lexicalmente na sua forma regular, considerando também os sentidos pejorativos e afetivos que o acréscimo dessas estruturas podem causar.

Materiais necessários: Texto escrito para relembrar os diminutivos e aumentativos (Texto adaptado de BANDEIRA, Pedro. Bisazinha. In: Cavalgando o arco-íris. 17ed. São Paulo: Moderna, 1991); lápis de cor de duas cores diferentes (aqui optamos por azul claro e amarelo), bingo dos aumentativos (bingo dos aumentativos); bingo dos diminutivos (bingo dos diminutivos);

Dificuldades antecipadas: Dificuldades de compreender os conceitos de aumentativo e diminutivo e troca dos sufixos utilizados nos dois casos (-ão por -zão e virce-versa e -inho por -zinho e virce-versa). Dificuldade de compreender os sentidos de palavras no aumentativo e diminutivo quando essas estruturas estabelecem sentidos pejorativos e afetivos.

Referências sobre o assunto:

ARMELIN, Paula Roberta Gabbai. Sobre a interação entre as marcas de diminutivo e aumentativo no português brasileiro. ReVEL edição especial n. 5, 2011. Disponível em: <http://www.revel.inf.br/files/artigos/revel_esp_5_sobre_a_interacao_entre_as_marcas_de_diminutivo.pdf>. Acesso em: 25 nov 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 01 minuto

Orientações:

  • Projete ou leia o tema da aula para a turma.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos.

Orientações:

  • Para esta aula é necessário que as crianças já tenham sido expostas aos conceitos de diminutivo e aumentativo e já tenham trabalhado, ainda que brevemente, alguns diminutivos terminados em -inho/-zinho e alguns aumentativos terminados em -ão.
  • Tenha em mente que inicialmente, essa habilidade apresentada na BNCC implica em compreender os conceitos de aumentativo e diminutivo e do modo como são constituídos lexicalmente na sua forma regular: com as terminações -ão; -inho/-zinho. Tão logo os/as estudantes sistematizem esses conhecimentos, deve ser trabalhada a progressão da habilidade, incluindo outras terminações regulares. Além disso, é importante analisar os usos do diminutivo e do aumentativo de forma contextualizada, considerando que, em textos, essas palavras podem acarretar sentidos depreciativos, pejorativos e afetivos.
  • Considere que durante os questionamentos realizados nesta aula, assim como no cotidiano, pode ocorrer de um/a estudante realizar o acréscimo de -inho/-zinho e -ão/zão em um mesmo contexto morfológico, como é o caso de ‘menininho/meninozinho’ e ‘meninão/meninozão’, por exemplo. Da mesma forma, há a possibilidade de uma mesma palavra aparecer recebendo duas marcas de diminutivo e aumentativo, como são os casos de ‘carrinhozinho’ e ‘amigãozão’, por exemplo. Interfira nesses casos apenas se a palavra formada for agramatical; portanto, evidencie que, em alguns casos, é possível ocorrer essas variações.
  • Para retomar os conhecimentos já aprendidos pelas crianças, pergunte ao grande grupo: “Vocês lembram o que são aumentativos e diminutivos? Como eles são formados?”, espera-se que as crianças recordem alguns aspectos sobre os aumentativos e diminutivos, tendo em vista que para esta aula, elas já devem ter sido apresentadas aos temas, ainda que de forma breve.
  • Para retomar os aspectos semânticos dos aumentativos e diminutivos, pergunte ainda: “Por que utilizamos as palavras no aumentativo e no diminutivo?”, é provável que as crianças retomem a utilização desses graus apenas para expressar diferentes tamanhos, nesse caso, a pergunta seguinte deverá ser: “Utilizamos as palavras no aumentativo e no diminutivo apenas para expressar tamanho?”; “Todas as vezes que utilizamos -ão no final de uma palavra queremos dizer que aquela pessoa ou aquele objeto é de um grande tamanho? Na frase “Meu pai é muito legal, ele é um paizão!”, por exemplo, a palavra ‘paizão’ está sendo utilizada para dizer que meu pai é grande/alto? Qual é o sentido que a palavra ‘paizão’ expressa?”, espera-se que as crianças consigam compreender que no contexto citado ‘paizão’ quer dizer ‘bom pai’. Pergunte também: “Todas as vezes que utilizamos -inho/-zinho no final de uma palavra queremos dizer que aquela pessoa ou objeto é de um tamanho pequeno? Se eu disser, por exemplo, “Pedrinho é meu melhor amigo.”, eu quero dizer que Pedrinho é um amigo pequeno? Por que eu posso chamar meu amigo utilizando o diminutivo de seu nome?”, espera-se que as crianças respondam que ‘Pedrinho’ é uma forma carinhosa de chamar um amigo querido.

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Distribua para as crianças um texto de sua escolha com palavras no diminutivo (ou aumentativo) evidenciando sentidos afetivos. Como sugestão, você pode trabalhar com parte (quatro primeiras estrofes) do texto de Pedro Bandeira: Bisazinha. Apesar de o texto trazer somente diminutivos, trabalharemos os aumentativos que os contrapõem. Inicie a leitura do poema (ou do texto de sua escolha) para que os/as estudantes tenham um modelo de leitura e, depois, solicite a ajuda de voluntários/as para prosseguirem.
  • Comece trabalhando a interpretação do texto, embora esse não seja o foco da aula. Para isso, fomente perguntas, como: “Há alguma palavra do texto que lemos que vocês não compreenderam?”, é provável que as crianças desconheçam o significado de ‘franzidinha’, caso algum/a estudante já conheça o significado da palavra ou mesmo deduza seu sentido pelo contexto, peça para que ele/a diga suas considerações para a turma; caso ninguém saiba ou consiga explicar seu significado, evidencie que nesse contexto, a palavra quer dizer o mesmo que ‘enrugadinha’. Prossiga essa etapa com questões, como, por exemplo: “O texto traz um diálogo entre dois personagens, quem são eles?”; espera-se que as crianças tenham compreendido que o diálogo ocorre entre dois familiares com grande diferença de idade, pergunte também: “Quais são as perguntas que o menino faz para sua avó (ou bisavó)?”, espera-se que aqui as crianças sejam capazes de repetir as perguntas trazidas no texto; questione também: “Pelas palavras do texto conseguimos perceber se os dois personagens sentem carinho um pelo outro? Por qual motivo?”, é provável que as crianças nesse momento respondam de forma afirmativa a pergunta, mas foquem apenas na relação consanguínea entre a avó (ou bisavó) e neto, mas caso alguém justifique essa resposta baseando-se nos usos dos diminutivos, ressalte essa hipótese e reforçe-a.
  • Logo após, sobre o gênero, pergunte: “Vocês já leram um texto com esse formato? Sabem o nome que ele recebe?”, caso as crianças não consigam elaborar uma resposta concisa, estenda o questionamento: “Esse texto possui rimas, tem um formato diferente… Lembram como ele é chamado?”, espera-se que as crianças digam que o texto é um poema, mas caso isso não ocorra, diga você o nome do gênero, ressaltando brevemente a disposição do texto (a divisão de frases que faz com que um verso não seja iniciado com letra maiúscula, por exemplo, e a sonoridade trazida pelas rimas).
  • Focando no uso dos diminutivos, peça, primeiramente, que no grande grupo, as crianças juntas, identifiquem as palavras que estão no diminutivo, espera-se que as crianças digam em voz alta as seguintes palavras do texto: ‘bisazinha’, ‘avózinha’, ‘franzidinha’, ‘netinho’, ‘cabelinho’ e ‘branquinho’ . Logo após, pergunte: “O que as palavras destacadas têm em comum?”, espera-se que as crianças digam que além de estarem no grau diminutivo, elas terminam de uma forma parecida (com -inha/inho/ e -zinha). Logo após, questione: “Vocês acham que o menino do texto usa a palavra ‘avózinha’ para falar com sua avó por que ela é uma avó pequena? Por quê sim/não?”, espera-se que as crianças explicitem que a forma que o menino usa para se referir à avó é uma forma carinhosa. De maneira semelhante, pergunte: “Vocês acham que a avó do menino usa a palavra ‘netinho’ por que ele é um neto pequeno?”, observe que aqui é menos clara essa relação do uso de diminutivo para expressar sentido afetivo, portanto, podem ocorrer respostas diferentes; é importante que ao captar as respostas das crianças, você evidencie que no caso dessa frase, o diminutivo pode expressar tanto a ideia de que o menino é ainda uma criança pequena ou a ideia de que ele é querido por sua avó.
  • Ainda utilizando o texto de Pedro Bandeira, explicite que agora, vocês relembrarão os usos dos aumentativos. Inicie perguntando: “Já vimos alguns aumentativos, eles são terminados em…?”, espera-se que as crianças retomem que os aumentativos que aprenderam são terminados em -ão. Logo após, questione: “Quando utilizamos os aumentativos?”, espera-se que as crianças digam que os aumentativos podem ser utilizados para dizer que algo/alguém é grande ou para expressar sentidos afetivos ou pejorativos, assim como os diminutivos. Peça para que, olhando as palavras do poema, respondam oralmente: “Qual é o aumentativo de ‘netinho’?”; “Qual é aumentativo de ‘cabelinho’?”; “Qual é o aumentativo de branquinho?”, espera-se que as crianças respondam que os aumentativos dessas palavras são, respectivamente, ‘netão’, ‘cabelão’ e ‘brancão’, confirme ou corrija as hipóteses levantadas.
  • Após, para trabalhar as percepções das crianças sobre os contextos semânticos, reformule duas frases do texto passando as palavras que estão no diminutivo para o aumentativo e questione: “Se mudássemos uma das frases do texto para “E o seu cabelão, assim tão branquinho, quem branqueou?”, teríamos alguma mudança no sentido da frase?”, espera-se que as crianças identifiquem que a troca de ‘cabelinho’ por ‘cabelão’ realça a ideia de que a avó/bisavó possui longos cabelos. Da mesma forma, pergunte: “E se a frase do texto fosse “Foi a vida, meu netão, foi a vida que durou.”, será que a frase mostraria toda a delicadeza e carinho da avó/bisavó ao conversar com seu neto?”, espera-se que as crianças identifiquem que a troca da palavra do diminutivo para o aumentativo, modificaria o tratamento que a avó dá ao seu neto no texto.
  • Posteriormente, retome que há alguns diminutivos que são formados pelo acréscimo de estruturas diferentes de -inho/-zinho, assim como há aumentativos formados pelo acréscimo de estruturas diferentes de -ão, mas que isso será trabalhado com calma em outro momento. Para exemplificar essas outras formações, evidencie que o aumentativo das outras palavras destacadas no texto não recebem -ão, mas sim, outras estruturas e diga que o aumentativo de ‘bisazinha’ é ‘bisazona’ e de ‘franzidinha’ é ‘franzidona’.

Materiais complementares:

BANDEIRA, Pedro. Bisazinha. In: Cavalgando o arco-íris. 17ed. São Paulo: Moderna, 1991. (texto adaptado)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • O desenvolvimento desta aula será dividido em duas partes bem semelhantes, uma focando no grau aumentativo e outra, no diminutivo. Será desenvolvida uma atividade formulada no formato de bingo (cartelas disponibilizadas) para que as crianças exercitem os conteúdos aprendidos sobre aumentativos e diminutivos e conheçam/relembrem algumas palavras nesses graus. Na Parte I, o/a professor/a deverá ‘cantar’ palavras no grau comum ou no grau diminutivo e solicitar que cada criança procure em sua cartela a palavra que corresponde ao grau aumentativo do termo ‘cantado’, essas palavras deverão ser pintadas com o lápis de cor azul claro (para evitar que as crianças confundam as cores utilizadas para cada grau, escreva-as no quadro). Na parte II, o/a professor/a deverá realizar procedimento semelhante focando na procura das palavras no grau diminutivo entre palavras no grau aumentativo e comum e solicitar que os/as estudantes, pintem de amarelo as palavras que representam os diminutivos das palavras que foram ‘cantadas’. Para cada grau serão disponibilizados 3 modelos diferentes de cartelas.
  • Primeiramente, pergunte ao grande grupo: “Vocês conhecem o jogo bingo? Já participaram ou viram alguém jogar bingo?”. Ouça as respostas das crianças e, caso, alguma delas tenha respondido de forma afirmativa, pergunte se ela poderia explicar aos/às demais o funcionamento de um bingo, confirmando ou corrigindo as respostas dadas.
  • Posteriormente, explique a atividade a ser realizada: “Para o nosso bingo, cada um/a de vocês receberá uma cartela com diversas palavras no grau aumentativo, essas cartelas são diferentes. Primeiro, eu cantarei algumas palavras e vocês deverão procurar em suas cartelas, a forma aumentativa da palavra que falei. Após achar a palavra que falei no grau aumentativo, vocês deverão pintá-la com a cor azul clara. Caso você não tenha a palavra, não deverá pintar nenhuma outra, esperará a próxima rodada”. Entregue as cartelas para as crianças e em seguida, dê um exemplo: “Se eu falar a palavra ‘amigo’, vocês deverão achar o aumentativo da palavra em suas cartelas e pintá-la com a cor de lápis azul claro, qual é a palavra que deverão procurar?”, espera-se que as crianças digam que deverão buscar o termo ‘amigão’. Expanda o exemplo: “E seu eu falar a palavra ‘peixinho’, vocês deverão achar o aumentativo dela em suas cartelas e pintá-la com a cor de lápis azul clara, qual é a palavra que deverão procurar?”, espera-se que as crianças digam que precisarão procurar a palavra ‘peixão’. Caso seja necessário, dê mais exemplos.
  • Quando as crianças já estiverem com as cartelas em mãos, explique como se ganha um jogo de bingo: “Observem que cada palavra está em um quadradinho, para ganhar o jogo, o/a ganhador/a precisará encontrar todas palavras de uma mesma direção (horizontal ou vertical). Quando fizer isso, ele/a deverá gritar: “Bingo”. Quando isso ocorrer, eu vou analisar se as palavras que ele/a encontrou foram mesmo as palavras sorteadas”. Para exemplificar o que disse, disponha no quadro o exemplo do slide e ressalte que se o/a aluno/a completar qualquer uma das três colunas localizadas na vertical ele/a ganhará o jogo. Da mesma forma, deixe claro que ao completar qualquer uma das linhas verticais, ele/a estará apto a gritar “Bingo”.

A lista de palavras ‘cantadas’ para a procura do grau aumentativo está a seguir:

a) peixe;

b) sapinho;

c) cabelinho;

d) copo;

e) pé;

f) carrinho;

g) cachorro;

h) menininho;

i) porta;

j) pratinho.

  • Após o término da etapa focada nos aumentativos, entregue outra cartela e diga às crianças que agora vocês trabalharão de forma semelhante com as palavras no grau diminutivo: “Agora, de forma parecida com o que fizeram buscando as palavras no grau aumentativo, cada um buscará em uma nova cartela as palavras no grau diminutivo, mas deverão pintá-las com o lápis de cor amarelo. Portanto, se eu falar a palavra ‘copo’, vocês deverão buscar o diminutivo da palavra e depois pintá-la, qual seria essa palavra?”, espera-se que as crianças digam ‘copinho’. Assim como fez na etapa anterior, expanda o exemplo: “E se eu disser a palavra sapão, qual o diminutivo vocês deverão buscar e pintar de amarelo?”, espera-se que as crianças digam ‘sapinho’. Caso seja necessário, forneça mais exemplos. Ressalte as orientações dadas na etapa anterior sobre a forma de ganhar o jogo e sane as dúvidas que permaneceram.

A lista de palavras ‘cantadas’ para a procura do grau diminutivo está a seguir:

a) irmão;

b) janela;

c) dedão;

d) portão;

e) avó;

f) cajú;

g) café;

h) lugar;

i) salão;

j) velho.

  • Após o bingo, peça para as crianças escreveram seus nomes atrás de suas cartelas, para que posteriormente você possa realizar uma correção mais minuciosa. Depois disso, oriente: “Agora, olhando para os aumentativos e os diminutivos trazidos em suas cartelas, pensem em frase(s) utilizando alguma(s) dessas palavras. Vocês terão 1 minuto para isso. Logo depois, alguns/as deverão falar para a turma uma frase que criaram. Caso alguém queira, poderá escrever a frase em um pedaço de papel para não esquecer e depois poderá lê-la para a turma”.
  • Depois do momento de criação de frases pelos/as estudantes, solicite 3 voluntários/as para compartilharem suas criações. Para cada uma das frases criadas, proponha, oralmente uma análise dos usos dos aumentativos e diminutivos ao grande grupo, incentivando as crianças a interpretarem os sentidos expressos por essas palavras nos contextos específicos. Caso nenhuma criança se manifeste, crie você mesmo/a frases, como, por exemplo, “Tomei um copão de suco ontem!” e “Agora tenho um irmãozinho mais novo.”. A partir dessas frases, você pode fomentar perguntas, como, por exemplo: “Na frase: “Tomei um copão de suco ontem!” o que o termo no aumentativo expressa?” e “Na frase: “Agora tenho um irmãozinho mais novo.”, o que o termo no diminutivo expressa?”, espera-se que as crianças respondam que na primeira frase, ‘copão’ significa ‘um copo grande’ e que na segunda, ‘irmãozinho’ pode ser usado para expressar carinho, o tamanho do novo membro de uma família ou ambas as situações. Corrija ou confirme as hipóteses levantadas.

Materiais complementares: Bingo dos aumentativos (bingo dos aumentativos); bingo dos diminutivos (bingo dos diminutivos).

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 06 minutos

Orientações:

  • Para o fechamento da aula serão propostas duas formas para a correção oral do bingo realizado, escolha a mais adequada para a sua turma. Aproveite o momento para verificar as principais dificuldades encontradas pelas crianças e anotar o que deve ser melhor trabalhado.
  • CORREÇÃO ORAL:

PROPOSTA 1. Comece a correção perguntando: “Em qual forma (grau) estão as palavras que vocês pintaram com o lápis de cor azul claro?”; “Em qual forma (grau) estão as palavras que vocês pintaram com o lápis de cor amarelo?”, espera-se que as crianças respondam que de azul claro estão as palavras no grau aumentativo e que de amarelo, estão as palavras no grau diminutivo. Primeiramente, solicite ao grande grupo que falem as palavras que encontraram no grau aumentativo, espera-se que as crianças elenquem as palavras ‘peixão’, ‘cabelão’, ‘sapão’, ‘copão’, ‘pezão’, ‘carrão’, ‘cachorrão’, ‘meninão’, ‘portão’ e ‘pratão’. Depois, repita o procedimento para a correção das palavras no grau diminutivo, espera-se que as crianças citem as palavras ‘irmãozinho’, ‘janelinha’, ‘dedinho’, ‘portinha’, ‘avózinha’, ‘cajuzinho’, ‘cafezinho’, ‘lugarzinho’, ‘salinha’ e ‘velhinho’. Corrija ou confirme as hipóteses levantadas e caso ache necessário, nos dois casos, escreva no quadro as palavras citadas à medida que forem sendo ditas pelas crianças.

PROPOSTA 2. Diferente da primeira proposta, a segunda abarcará apenas algumas palavras que apareceram durante a atividade (isso não prejudicará a correção final, já que em ambos os casos, você deverá recolher as cartelas dos bingos para uma correção mais minuciosa). Você deverá falar algumas frases que precisarão de complemento (algumas das palavras trabalhadas nas atividades realizadas). Explique aos/às alunos/as: “Agora, eu pronunciarei algumas frases, vocês perceberão que elas estarão incompletas, pois precisam de uma palavra no aumentativo ou no diminutivo. Essas palavras são palavras das cartelas dos bingos que vocês participaram.” e dê um exemplo: “Se eu falar a frase “Ontem o almoço estava uma delícia, eu comi um (dê uma pausa) de comida.”, olhem para as cartelas de vocês, qual palavra está faltando na frase?”, espera-se que as crianças digam como resposta “pratão”. Dê mais exemplos, caso seja necessário e após aclarar as dúvidas das crianças, repita o procedimento com mais frases. Aqui estão alguns exemplos:

a) Fui pescar, mas não consegui puxar o anzol porque nele havia um peixão.

b) Estava andando na rua e levei um susto, pois um cachorrão latiu para mim.

c) Brinco no parquinho com meu vizinho desde que éramos pequenininhos, ele é um amigão.

d) Sou filha única, mas gostaria muito de um irmãozinho.

e) Os docinhos da minha festa de aniversário estavam ótimos, mas eu gostei mais do cajuzinho.

f) Sempre tomo suco no café da manhã, mas mamãe gosta mesmo é de um cafezinho.

  • Terminando o momento de correção das palavras da cartela, pergunte: “O que acharam da atividade?”; “Alguém sentiu muita dificuldade?”; “O que foi mais fácil, achar as palavras no aumentativo ou no diminutivo? O que foi mais difícil?”, ouça as considerações das crianças e anote as dúvidas observadas e relatadas. Posteriormente, recolha as cartelas para uma correção mais minuciosa.

Materiais complementares: Resolução do bingo dos aumentativos (bingo dos aumentativos); resolução do bingo dos diminutivos (resolução do bingo dos diminutivos.).

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 2º ano :

2º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 2º ano:

2º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF02LP11 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano