15034
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para:   

Plano de aula - Leitura e escrita de quadrinhas

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 1º ano do Fundamental sobre leitura e escrita de quadrinhas

Plano 01 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Michele Andrade De Lima Rabelo

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a 1ª aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é reconhecer que textos são lidos e escritos da esquerda para a direita e de cima para baixo da página; reconhecer a separação das palavras, na escrita, por espaços em branco; ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, quadrinhas - gênero do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto e relacionando sua forma de organização à sua finalidade; recitar quadrinhas com entonação adequada e observando as rimas.

Materiais necessários:

  • Recursos para projetar telas
  • Recursos para projetar vídeo
  • Recursos para imprimir atividades e painéis ou para copiá-los a mão.

Dificuldades antecipadas:

Algumas crianças podem ter dificuldades em encontrar estratégias para desenvolver procedimentos de leitura de ajuste , por ainda, não conseguirem relacionar sons a letras. Nestes casos, as suas intervenções serão fundamentais para que as crianças percebam o quanto já sabem a respeito do nosso sistema de escrita. Ajude-as a utilizar as palavras estáveis para servirem de referência para a leitura. Clique aqui e entenda mais sobre a importância de trabalho com listas na alfabetização. Quando a criança percebe que o BO de botão é o mesmo BO de bola, ela começa a desenvolver estratégias para ler ainda que não leia convencionalmente. Nos slides, desafio a desafio estão sugeridas intervenções que podem tornar o seu trabalho mais produtivo, resultando no avanço da aprendizagem.

Por outro lado, algumas crianças podem encontrar facilidade nos desafios neste plano de descoberta por já conseguirem ler com autonomia. Nestes casos, desafie-os a ir além de ler e localizar palavras, mas incentive-os a criar novas rimas e versões para as quadrinhas. No tocante da percepção da estrutura do texto, para aqueles que estão mais avançados e percebem com facilidade que um texto se escreve de cima para baixo, ou ainda, percebe com tranquilidade os espaços entre as palavras sugira a monitoria (momento em que aqueles que sabem mais ensinam aos que “sabem menos”, porém este é um trabalho construído ao longo de um período, porque essas crianças com maior compreensão do nosso sistema precisam entender que ao fazer a lição pelo outro, não estão ajudando. O que eles precisam é explicar como pensaram, como conseguiram resolver o problema, e então, permitir que o seu colega faça).

Referências sobre o assunto:

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações:

  • Inicie a aula perguntando às crianças se elas já brincaram com quadrinhas.
  • Permita que as crianças levantem hipóteses a respeito do que sejam. Utilize as perguntas da tela para provocá-las.
  • Por fim, projete as telas com as quadrinhas, imprima os painéis ou os reproduza em papel grande, tipo cartolina, sempre com letra de forma e maiúscula. Clique aqui para saber mais a respeito da opção desse tipo de letra no processo de alfabetização. Clique aqui e acesse o arquivo com os painéis.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações:

  • Recite as três quadrinhas para as crianças. Cuide da sua entonação e expressão corporal para que sejam recitadas com entonação e melodia. Você, professor, é o modelo de leitor para as crianças.
  • Num segundo momento leia as quadrinhas, apontando para os painéis, relacionando aquilo que fala com aquilo que está escrito.
  • Neste momento da leitura, você professor, estará sendo modelo leitor para as crianças. Quando você aponta o dedo para onde está lendo, elas terão a oportunidade de perceber algumas características fundamentais de estrutura da escrita, como por exemplo, que um texto se lê de cima para baixo, e também, que se lê da esquerda para a direita. Tais fundamentos serão contemplados por todo o plano de aula (conjunto de três aulas).
  • Pergunte novamente às crianças se elas já haviam brincado com quadrinhas.
  • Pergunte para que servem quadrinhas. É interessante que as crianças percebam que:
  • A quadrinha é um texto que tem a finalidade de divertir, brincar.
  • Que são formadas por quatro versos.
  • Que a última palavra do segundo e do quarto versos sempre rimam.
  • O que cada quadrinha está dizendo. A intenção neste momento é que as crianças consigam, ainda que coletivamente, compreender os sentidos das palavras na quadrinha:
  • O que é um botão? (R. Espera-se que relacionem com acessório das vestimentas)
  • Vocês conhecem alguém do tamanho de um botão? (R. Não)
  • Dá para carregar um papai no bolso e uma mamãe no coração? Então o que isso quer dizer? (R; Não é possível carregar ninguém no bolso e nem no coração no sentido literal, apenas no sentido figurativo, poético)
  • Divida a turma em grupos de quatro crianças. Como trabalharemos com a oralidade neste primeiro momento, forme equipes pelo critério de desenvolvimento na oralidade, isto é, capacidade de se expressar com clareza, tom de voz alto, desinibição em estar à frente da classe. Monte grupos heterogêneos onde possuam crianças com a oralidade mais e menos desenvolvida, para que assim, umas apoiem as outras. Clique aqui e acesse texto da Gestão Escolar que trata da importância do desenvolvimento da oralidade desde os pequenos.
  • Peça que fiquem à frente da sala e recitem as quadrinhas. Caso precisem de ajuda, você recita novamente para que eles repitam, até que consigam recitá-la sozinhos. O foco neste momento não está na leitura e sim no recitar, na oralidade.
  • Repita até que todos os grupos tenham se apresentado para a turma.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Continuação do slide 3

  • Recite a segunda quadrinha para as crianças. Cuide da sua entonação e expressão corporal para que sejam recitadas com entonação e melodia. Você, professor, é o modelo de leitor para as crianças.
  • Num segundo momento leia a quadrinha, apontando para o painel, relacionando aquilo que fala com aquilo que está escrito.
  • Neste momento da leitura, você professor, estará sendo modelo leitor para as crianças. Quando você aponta o dedo para onde está lendo, elas terão a oportunidade de perceber algumas características fundamentais de estrutura da escrita, como por exemplo, que um texto se lê de cima para baixo, e também, que se lê da esquerda para a direita. Tais fundamentos serão contemplados por todo o plano de aula (conjunto de três aulas).
  • Pergunte novamente às crianças se elas já haviam brincado com quadrinhas.
  • Pergunte para que servem quadrinhas. É interessante que as crianças percebam que:
  • A quadrinha é um texto que tem a finalidade de divertir, brincar.
  • Que são formadas por quatro versos.
  • Que a última palavra do segundo e do quarto versos sempre rimam.
  • O que cada quadrinha está dizendo. A intenção neste momento é que as crianças consigam, ainda que coletivamente, compreender os sentidos das palavras na quadrinha:
  • Alguém já ouviu o canto de uma cigarra? Clique aqui, e se julgar pertinente pelo total desconhecimento da turma, acesse um vídeo com canto da cigarra.
  • Divida a turma em grupos de quatro crianças. Como trabalharemos com a oralidade neste primeiro momento, forme equipes pelo critério de desenvolvimento na oralidade, isto é, capacidade de se expressar com clareza, tom de voz alto, desinibição em estar à frente da classe. Monte grupos heterogêneos onde possuam crianças com a oralidade mais e menos desenvolvida, para que assim, umas apoiem as outras. Clique aqui e acesse texto da Gestão Escolar que trata da importância do desenvolvimento da oralidade desde os pequenos.
  • Peça que fiquem à frente da sala e recitem as quadrinhas. Caso precisem de ajuda, você recita novamente para que eles repitam, até que consigam recitá-la sozinhos. O foco neste momento não está na leitura e sim no recitar, na oralidade.
  • Repita até que todos os grupos tenham se apresentado para a turma.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Continuação do slide 3

  • Recite a terceira quadrinha para as crianças. Cuide da sua entonação e expressão corporal para que sejam recitadas com entonação e melodia. Você, professor, é o modelo de leitor para as crianças.
  • Num segundo momento leia a quadrinha, apontando para o painel, relacionando aquilo que fala com aquilo que está escrito.
  • Neste momento da leitura, você professor, estará sendo modelo leitor para as crianças. Quando você aponta o dedo para onde está lendo, elas terão a oportunidade de perceber algumas características fundamentais de estrutura da escrita, como por exemplo, que um texto se lê de cima para baixo, e também, que se lê da esquerda para a direita. Tais fundamentos serão contemplados por todo o plano de aula (conjunto de três aulas).
  • Pergunte novamente às crianças se elas já haviam brincado com quadrinhas.
  • Pergunte para que servem quadrinhas. É interessante que as crianças percebam que:
  • A quadrinha é um texto que tem a finalidade de divertir, brincar.
  • Que são formadas por quatro versos.
  • Que a última palavra do segundo e do quarto versos sempre rimam.
  • O que cada quadrinha está dizendo. A intenção neste momento é que as crianças consigam, ainda que coletivamente, compreender os sentidos das palavras na quadrinha:
  • Alguém já sentiu o cheirinho do jasmim? Se você puder, leve a flor para a sala de aula.
  • Será que alguém conhece outros tipos de flores?
  • Dá para escrever o nome na folha de uma flor? (R: Não é possível, somente na poesia)
  • Divida a turma em grupos de quatro crianças. Como trabalharemos com a oralidade neste primeiro momento, forme equipes pelo critério de desenvolvimento na oralidade, isto é, capacidade de se expressar com clareza, tom de voz alto, desinibição em estar à frente da classe. Monte grupos heterogêneos onde possuam crianças com a oralidade mais e menos desenvolvida, para que assim, umas apoiem as outras. Clique aqui e acesse texto da Gestão Escolar que trata da importância do desenvolvimento da oralidade desde os pequenos.
  • Peça que fiquem à frente da sala e recitem as quadrinhas. Caso precisem de ajuda, você recita novamente para que eles repitam, até que consigam recitá-la sozinhos. O foco neste momento não está na leitura e sim no recitar, na oralidade.
  • Repita até que todos os grupos tenham se apresentado para a turma.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações:

  • Incentive-os a ler individualmente o painel:
  • Chame uma criança por vez até o quadro. Ajuste a quantidade de crianças a ser chamada com o tempo disponível. Certifique-se de estar garantindo este exercício a todas as crianças, ainda que, em aulas diferentes.
  • Peça que escolham uma das três quadrinhas para ler.
  • No momento da leitura solicite que aponte o dedinho para onde está lendo.
  • Com este movimento espera-se que o estudante relacione aquilo que está falando com o que está escrito.
  • Observe que isto ocorrerá mais efetivamente à medida que a criança tiver maior conhecimento em relação ao nosso sistema de escrita.
  • Clique aqui e acesse um texto que aprofunda o assunto a respeito da leitura de ajuste, isto é, do quanto as crianças colocam em jogo tudo aquilo que sabem a respeito da escrita para tentarem ler, e o quanto desta forma, avançam ainda mais quando colocadas em situações reais de leitura.
  • Alguns exemplos de dificuldades que você pode encontrar:
  • Se alguma criança escolher aleatoriamente uma quadrinha, sem ao menos ter identificado de qual texto se trata, oriente-a a analisar a ilustração.
  • Algumas crianças precisarão recitar a parlenda escolhida novamente com você para que ative a memória do texto, aí então, conseguirão fazer a leitura ajustando o texto de memória com a escrita.
  • Se a criança não conseguir começar a leitura, ficar intimidada, receosa ajude-a a começar para que ela perceba que é capaz, por exemplo dando pistas do que está escrito: E U, quando juntamos o E e o U qual palavrinha formamos? Leia devagar comigo.
  • Agora você será a escriba e as crianças ditarão para você uma lista com as palavras que combinam nas quadrinhas, isto é, as rimas:
  • Explore o slide lendo as palavras e perguntando a elas se essas palavras rimam. O porquê de algumas letras estarem pintadas de vermelho.
  • Pergunte a elas se percebem que nas quadrinhas tem palavras que combinam. e pergunte quais letras que as fazem rimar.
  • Provavelmente haverá crianças que percebam as rimas, e até mesmo, já saibam o que é uma rima. Porém, caso nenhuma criança se manifeste leia pausadamente a quadrinha enfatizando as palavras que rimam.
  • Fale as palavras que rimam, por exemplo, BOTÃO e CORAÇÃO e pergunte se essas palavras combinam.
  • Peça que justifiquem suas respostas e conclua que sim, elas combinam porque terminam com sons iguais. Elas rimam.
  • Caso uma criança fale palavras que não rimam, escreva-as no quadro. Faça-os perceber que somente as palavras com letras iguais ou com sons semelhantes rimam. Grife as últimas letras da palavras para evidenciar as diferenças, como por exemplo nas palavras PAREDE e ELEFANTE.
  • Desafie-os a encontrar outras palavras que rimam nas quadrinhas e você fará uma lista em uma folha de papel grande que poderá ser fixada na parede e ser utilizada como palavras estáveis. Clique aqui e acesse informações riquíssimas a respeito da importância de se criar um ambiente alfabetizador por meio das listas.
  • Cubra as palavras que rimam dos painéis com tiras de papel coloridos escuro.
  • Tire os painéis da ordem inicial em que estavam, embaralhando-os.
  • Desafie as crianças a consultarem a lista construída com as palavras que rimam e peça que indiquem quais palavras pertencem a primeira quadrinha, depois a segunda e por última a terceira quadrinha.
  • Esta atividade, embora seja realizada com uma criança por vez a indicar a palavra e realizar a leitura, tem como estratégia a dinâmica coletiva, pois todos podem contribuir com o amigo que se manifestou.
  • Não leia para elas e deixem que encontrem meios para lerem, ainda que não o façam convencionalmente. Eles tentarão ajustar aquilo que estão falando ao que está escrito. As ilustrações também servirão de referência.
  • Peça que a criança leia a palavra escolhida e depois leia como ficou a quadrinha com a palavra indicada.
  • Se a criança acertou você retira o papel que cobria a palavra. Se errou, o papel permanece até que alguma criança acerte.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Separe as crianças em duplas. Agrupe-as de acordo com a sua hipótese de escrita. Devem trabalhar juntas crianças que possuam hipóteses próximas para que não se corra o risco de que, aquela que é mais avançada na hipótese de escrita, realize a atividade sozinha.
  • Lembrando que as hipóteses são: pré silábica, silábica sem valor sonoro, silábica com valor sonoro, silábica alfabética e alfabética. Clique aqui para saber mais.
  • Agrupe por exemplo, crianças com hipótese alfabética com aquelas que possuam hipótese silábica alfabética. Ou ainda, alunos com hipótese silábica com valor sonoro com aqueles que têm a hipótese silábica sem valor sonoro. Um outro modelo de agrupamento é estudantes com hipótese silábica sem valor sonoro com aqueles com hipótese pré silábica.
  • Entregue às crianças uma folha de atividade que pode ser impressa ou copiada, clique aqui para acessar o arquivo.
  • Leia coletivamente a quadrinha com o apoio do painel.
  • As imagens são provocativas. Não precisam ser “lidas” coletivamente. Todas elas terminam com “ão” e podem vir a auxiliar as crianças no processo criativo. Se alguma criança questionar, devolva a pergunta “por que será que estas imagens estão justamente aqui, onde precisamos criar rimas com “ão”?. As figuras são: mamão / balão / pão / avião / canção / cão.
  • Desafie-os a criarem uma nova versão para a quadrinha:
  • Pergunte a eles quais palavras estão faltando na quadrinha (R: botão e coração).
  • Escreva-as no quadro.
  • Pergunte o que essas palavras têm em comum, de parecido. (R: essas palavras terminam com o mesmo som ão)
  • Informe que as palavras rimam, pois nas quadrinhas sempre tem palavras que rimam.
  • E que agora você quer descobrir quem consegue criar novas rimas e assim temos em sala de aula muitas versões diferentes desta quadrinha.
  • Circule entre as crianças e verifique se precisam de apoio. Com apenas dez minutos de fechamento para a aula você não conseguirá atender a todos pontualmente no tocante da reflexão sobre a escrita. Porém esta organização é algo que você, professor, precisa ter claro: quais alunos serão atendidos com este foco, nesta aula. E cuidar para que todos sejam atendidos durante a semana em outras situações.
  • Se os alunos que você elencou a serem provocados a maiores reflexões quanto ao nosso sistema de escrita forem crianças do grupo com hipóteses de escrita mais avançadas, como silábico alfabética e alfabética incentive-os a perceber todas as letras das palavras que escreveram, mesmo as sílabas complexas. Por exemplo, se algum aluno escreveu GÃO, quando na verdade quis escrever GRÃO:
  • Peça que leia o que escreveu colocando o dedinho embaixo da palavra.
  • Leia você o que ele escreveu e diga antes: com essas letras eu consigo ler GÃO.
  • Aguarde para que a criança se manifeste.
  • Caso ela não consiga perceber repita as duas formas da palavra GÃO e GRÃO e devolva e questione novamente.
  • Pergunte como é que fazem para o GÃ virar GRÃ (R: acrescentar o R).
  • Dê pista auditiva.
  • Fale o R de maneira enfatizada para que a criança consiga relacionar o fonema ao grafema.
  • Se os alunos que você elencou a serem provocados a maiores reflexões quanto ao nosso sistema de escrita forem crianças do grupo com hipóteses de escrita menos avançadas, como pré silábico ou silábico (sem e com valor sonoro) incentive-os a relacionar as sílabas com as sílabas das palavras estáveis que tem na sala de aula:
  • Escreveu E para FEI e O para JÃO, peça que leia a palavra apontando o dedinho. Assim, você perceberá a maneira como ele pensou na hora de escrever.
  • Diga: o FE de FEIJÃO é o mesmo FE de um amigo nosso. Qual amigo que tem o nome com FE?
  • E onde podemos encontrar o nome do FELIPE? (R: espera-se que a criança consiga relacionar as novas palavras com as palavras do painel de nomes da sala de aula - que presumo ter em sala de aula, como é recomendado em toda sala de alfabetização. Clique aqui e acesse texto que trata da relevância de listas em sala de aula)
  • Localize como está escrito o FE. Veja as letrinhas que foram usadas. Agora compare com o FE que você escreveu. Precisa mudar alguma coisa? (R: a resposta é relativa à escrita da criança, o que se espera é que ela analise o escrito)
  • Neste caso também, vale as pistas auditivas para que as crianças consigam relacionar o maior número possível de fonemas e grafemas.
  • É possível que com este grupo de crianças nem todas as correções sejam possíveis em uma única atividade.
  • Cuide para que neste momento, no mínimo, os finais das palavras estejam iguais porque é assim que se formam rimas, com sons semelhantes, portanto com letras semelhantes / iguais.
  • Assim, ainda que você não consiga atender a todos, este é uma orientação que você pode dar coletivamente para a turma:
  • Nós estamos escrevendo quais tipos de palavras? (R: rimas)
  • Para que elas sejam rimas as duas precisam terminar iguais.
  • Confiram se as duas palavras que vocês escreveram têm as últimas letras iguais.
  • Você pode escrever duas palavras que rimam no quadro e grifar as letras que as fazem rimar para que fique ainda mais evidenciado.
  • Conforme forem acabando a nova versão, oriente-os a ilustrarem a quadrinha.
  • Fixe as novas versões da quadrinha no mural da sala para que todos possam ler.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a 1ª aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é reconhecer que textos são lidos e escritos da esquerda para a direita e de cima para baixo da página; reconhecer a separação das palavras, na escrita, por espaços em branco; ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, quadrinhas - gênero do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto e relacionando sua forma de organização à sua finalidade; recitar quadrinhas com entonação adequada e observando as rimas.

Materiais necessários:

  • Recursos para projetar telas
  • Recursos para projetar vídeo
  • Recursos para imprimir atividades e painéis ou para copiá-los a mão.

Dificuldades antecipadas:

Algumas crianças podem ter dificuldades em encontrar estratégias para desenvolver procedimentos de leitura de ajuste , por ainda, não conseguirem relacionar sons a letras. Nestes casos, as suas intervenções serão fundamentais para que as crianças percebam o quanto já sabem a respeito do nosso sistema de escrita. Ajude-as a utilizar as palavras estáveis para servirem de referência para a leitura. Clique aqui e entenda mais sobre a importância de trabalho com listas na alfabetização. Quando a criança percebe que o BO de botão é o mesmo BO de bola, ela começa a desenvolver estratégias para ler ainda que não leia convencionalmente. Nos slides, desafio a desafio estão sugeridas intervenções que podem tornar o seu trabalho mais produtivo, resultando no avanço da aprendizagem.

Por outro lado, algumas crianças podem encontrar facilidade nos desafios neste plano de descoberta por já conseguirem ler com autonomia. Nestes casos, desafie-os a ir além de ler e localizar palavras, mas incentive-os a criar novas rimas e versões para as quadrinhas. No tocante da percepção da estrutura do texto, para aqueles que estão mais avançados e percebem com facilidade que um texto se escreve de cima para baixo, ou ainda, percebe com tranquilidade os espaços entre as palavras sugira a monitoria (momento em que aqueles que sabem mais ensinam aos que “sabem menos”, porém este é um trabalho construído ao longo de um período, porque essas crianças com maior compreensão do nosso sistema precisam entender que ao fazer a lição pelo outro, não estão ajudando. O que eles precisam é explicar como pensaram, como conseguiram resolver o problema, e então, permitir que o seu colega faça).

Referências sobre o assunto:

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações:

  • Inicie a aula perguntando às crianças se elas já brincaram com quadrinhas.
  • Permita que as crianças levantem hipóteses a respeito do que sejam. Utilize as perguntas da tela para provocá-las.
  • Por fim, projete as telas com as quadrinhas, imprima os painéis ou os reproduza em papel grande, tipo cartolina, sempre com letra de forma e maiúscula. Clique aqui para saber mais a respeito da opção desse tipo de letra no processo de alfabetização. Clique aqui e acesse o arquivo com os painéis.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações:

  • Recite as três quadrinhas para as crianças. Cuide da sua entonação e expressão corporal para que sejam recitadas com entonação e melodia. Você, professor, é o modelo de leitor para as crianças.
  • Num segundo momento leia as quadrinhas, apontando para os painéis, relacionando aquilo que fala com aquilo que está escrito.
  • Neste momento da leitura, você professor, estará sendo modelo leitor para as crianças. Quando você aponta o dedo para onde está lendo, elas terão a oportunidade de perceber algumas características fundamentais de estrutura da escrita, como por exemplo, que um texto se lê de cima para baixo, e também, que se lê da esquerda para a direita. Tais fundamentos serão contemplados por todo o plano de aula (conjunto de três aulas).
  • Pergunte novamente às crianças se elas já haviam brincado com quadrinhas.
  • Pergunte para que servem quadrinhas. É interessante que as crianças percebam que:
  • A quadrinha é um texto que tem a finalidade de divertir, brincar.
  • Que são formadas por quatro versos.
  • Que a última palavra do segundo e do quarto versos sempre rimam.
  • O que cada quadrinha está dizendo. A intenção neste momento é que as crianças consigam, ainda que coletivamente, compreender os sentidos das palavras na quadrinha:
  • O que é um botão? (R. Espera-se que relacionem com acessório das vestimentas)
  • Vocês conhecem alguém do tamanho de um botão? (R. Não)
  • Dá para carregar um papai no bolso e uma mamãe no coração? Então o que isso quer dizer? (R; Não é possível carregar ninguém no bolso e nem no coração no sentido literal, apenas no sentido figurativo, poético)
  • Divida a turma em grupos de quatro crianças. Como trabalharemos com a oralidade neste primeiro momento, forme equipes pelo critério de desenvolvimento na oralidade, isto é, capacidade de se expressar com clareza, tom de voz alto, desinibição em estar à frente da classe. Monte grupos heterogêneos onde possuam crianças com a oralidade mais e menos desenvolvida, para que assim, umas apoiem as outras. Clique aqui e acesse texto da Gestão Escolar que trata da importância do desenvolvimento da oralidade desde os pequenos.
  • Peça que fiquem à frente da sala e recitem as quadrinhas. Caso precisem de ajuda, você recita novamente para que eles repitam, até que consigam recitá-la sozinhos. O foco neste momento não está na leitura e sim no recitar, na oralidade.
  • Repita até que todos os grupos tenham se apresentado para a turma.
Slide Plano Aula

Continuação do slide 3

  • Recite a segunda quadrinha para as crianças. Cuide da sua entonação e expressão corporal para que sejam recitadas com entonação e melodia. Você, professor, é o modelo de leitor para as crianças.
  • Num segundo momento leia a quadrinha, apontando para o painel, relacionando aquilo que fala com aquilo que está escrito.
  • Neste momento da leitura, você professor, estará sendo modelo leitor para as crianças. Quando você aponta o dedo para onde está lendo, elas terão a oportunidade de perceber algumas características fundamentais de estrutura da escrita, como por exemplo, que um texto se lê de cima para baixo, e também, que se lê da esquerda para a direita. Tais fundamentos serão contemplados por todo o plano de aula (conjunto de três aulas).
  • Pergunte novamente às crianças se elas já haviam brincado com quadrinhas.
  • Pergunte para que servem quadrinhas. É interessante que as crianças percebam que:
  • A quadrinha é um texto que tem a finalidade de divertir, brincar.
  • Que são formadas por quatro versos.
  • Que a última palavra do segundo e do quarto versos sempre rimam.
  • O que cada quadrinha está dizendo. A intenção neste momento é que as crianças consigam, ainda que coletivamente, compreender os sentidos das palavras na quadrinha:
  • Alguém já ouviu o canto de uma cigarra? Clique aqui, e se julgar pertinente pelo total desconhecimento da turma, acesse um vídeo com canto da cigarra.
  • Divida a turma em grupos de quatro crianças. Como trabalharemos com a oralidade neste primeiro momento, forme equipes pelo critério de desenvolvimento na oralidade, isto é, capacidade de se expressar com clareza, tom de voz alto, desinibição em estar à frente da classe. Monte grupos heterogêneos onde possuam crianças com a oralidade mais e menos desenvolvida, para que assim, umas apoiem as outras. Clique aqui e acesse texto da Gestão Escolar que trata da importância do desenvolvimento da oralidade desde os pequenos.
  • Peça que fiquem à frente da sala e recitem as quadrinhas. Caso precisem de ajuda, você recita novamente para que eles repitam, até que consigam recitá-la sozinhos. O foco neste momento não está na leitura e sim no recitar, na oralidade.
  • Repita até que todos os grupos tenham se apresentado para a turma.

Slide Plano Aula

Continuação do slide 3

  • Recite a terceira quadrinha para as crianças. Cuide da sua entonação e expressão corporal para que sejam recitadas com entonação e melodia. Você, professor, é o modelo de leitor para as crianças.
  • Num segundo momento leia a quadrinha, apontando para o painel, relacionando aquilo que fala com aquilo que está escrito.
  • Neste momento da leitura, você professor, estará sendo modelo leitor para as crianças. Quando você aponta o dedo para onde está lendo, elas terão a oportunidade de perceber algumas características fundamentais de estrutura da escrita, como por exemplo, que um texto se lê de cima para baixo, e também, que se lê da esquerda para a direita. Tais fundamentos serão contemplados por todo o plano de aula (conjunto de três aulas).
  • Pergunte novamente às crianças se elas já haviam brincado com quadrinhas.
  • Pergunte para que servem quadrinhas. É interessante que as crianças percebam que:
  • A quadrinha é um texto que tem a finalidade de divertir, brincar.
  • Que são formadas por quatro versos.
  • Que a última palavra do segundo e do quarto versos sempre rimam.
  • O que cada quadrinha está dizendo. A intenção neste momento é que as crianças consigam, ainda que coletivamente, compreender os sentidos das palavras na quadrinha:
  • Alguém já sentiu o cheirinho do jasmim? Se você puder, leve a flor para a sala de aula.
  • Será que alguém conhece outros tipos de flores?
  • Dá para escrever o nome na folha de uma flor? (R: Não é possível, somente na poesia)
  • Divida a turma em grupos de quatro crianças. Como trabalharemos com a oralidade neste primeiro momento, forme equipes pelo critério de desenvolvimento na oralidade, isto é, capacidade de se expressar com clareza, tom de voz alto, desinibição em estar à frente da classe. Monte grupos heterogêneos onde possuam crianças com a oralidade mais e menos desenvolvida, para que assim, umas apoiem as outras. Clique aqui e acesse texto da Gestão Escolar que trata da importância do desenvolvimento da oralidade desde os pequenos.
  • Peça que fiquem à frente da sala e recitem as quadrinhas. Caso precisem de ajuda, você recita novamente para que eles repitam, até que consigam recitá-la sozinhos. O foco neste momento não está na leitura e sim no recitar, na oralidade.
  • Repita até que todos os grupos tenham se apresentado para a turma.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações:

  • Incentive-os a ler individualmente o painel:
  • Chame uma criança por vez até o quadro. Ajuste a quantidade de crianças a ser chamada com o tempo disponível. Certifique-se de estar garantindo este exercício a todas as crianças, ainda que, em aulas diferentes.
  • Peça que escolham uma das três quadrinhas para ler.
  • No momento da leitura solicite que aponte o dedinho para onde está lendo.
  • Com este movimento espera-se que o estudante relacione aquilo que está falando com o que está escrito.
  • Observe que isto ocorrerá mais efetivamente à medida que a criança tiver maior conhecimento em relação ao nosso sistema de escrita.
  • Clique aqui e acesse um texto que aprofunda o assunto a respeito da leitura de ajuste, isto é, do quanto as crianças colocam em jogo tudo aquilo que sabem a respeito da escrita para tentarem ler, e o quanto desta forma, avançam ainda mais quando colocadas em situações reais de leitura.
  • Alguns exemplos de dificuldades que você pode encontrar:
  • Se alguma criança escolher aleatoriamente uma quadrinha, sem ao menos ter identificado de qual texto se trata, oriente-a a analisar a ilustração.
  • Algumas crianças precisarão recitar a parlenda escolhida novamente com você para que ative a memória do texto, aí então, conseguirão fazer a leitura ajustando o texto de memória com a escrita.
  • Se a criança não conseguir começar a leitura, ficar intimidada, receosa ajude-a a começar para que ela perceba que é capaz, por exemplo dando pistas do que está escrito: E U, quando juntamos o E e o U qual palavrinha formamos? Leia devagar comigo.
  • Agora você será a escriba e as crianças ditarão para você uma lista com as palavras que combinam nas quadrinhas, isto é, as rimas:
  • Explore o slide lendo as palavras e perguntando a elas se essas palavras rimam. O porquê de algumas letras estarem pintadas de vermelho.
  • Pergunte a elas se percebem que nas quadrinhas tem palavras que combinam. e pergunte quais letras que as fazem rimar.
  • Provavelmente haverá crianças que percebam as rimas, e até mesmo, já saibam o que é uma rima. Porém, caso nenhuma criança se manifeste leia pausadamente a quadrinha enfatizando as palavras que rimam.
  • Fale as palavras que rimam, por exemplo, BOTÃO e CORAÇÃO e pergunte se essas palavras combinam.
  • Peça que justifiquem suas respostas e conclua que sim, elas combinam porque terminam com sons iguais. Elas rimam.
  • Caso uma criança fale palavras que não rimam, escreva-as no quadro. Faça-os perceber que somente as palavras com letras iguais ou com sons semelhantes rimam. Grife as últimas letras da palavras para evidenciar as diferenças, como por exemplo nas palavras PAREDE e ELEFANTE.
  • Desafie-os a encontrar outras palavras que rimam nas quadrinhas e você fará uma lista em uma folha de papel grande que poderá ser fixada na parede e ser utilizada como palavras estáveis. Clique aqui e acesse informações riquíssimas a respeito da importância de se criar um ambiente alfabetizador por meio das listas.
  • Cubra as palavras que rimam dos painéis com tiras de papel coloridos escuro.
  • Tire os painéis da ordem inicial em que estavam, embaralhando-os.
  • Desafie as crianças a consultarem a lista construída com as palavras que rimam e peça que indiquem quais palavras pertencem a primeira quadrinha, depois a segunda e por última a terceira quadrinha.
  • Esta atividade, embora seja realizada com uma criança por vez a indicar a palavra e realizar a leitura, tem como estratégia a dinâmica coletiva, pois todos podem contribuir com o amigo que se manifestou.
  • Não leia para elas e deixem que encontrem meios para lerem, ainda que não o façam convencionalmente. Eles tentarão ajustar aquilo que estão falando ao que está escrito. As ilustrações também servirão de referência.
  • Peça que a criança leia a palavra escolhida e depois leia como ficou a quadrinha com a palavra indicada.
  • Se a criança acertou você retira o papel que cobria a palavra. Se errou, o papel permanece até que alguma criança acerte.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Separe as crianças em duplas. Agrupe-as de acordo com a sua hipótese de escrita. Devem trabalhar juntas crianças que possuam hipóteses próximas para que não se corra o risco de que, aquela que é mais avançada na hipótese de escrita, realize a atividade sozinha.
  • Lembrando que as hipóteses são: pré silábica, silábica sem valor sonoro, silábica com valor sonoro, silábica alfabética e alfabética. Clique aqui para saber mais.
  • Agrupe por exemplo, crianças com hipótese alfabética com aquelas que possuam hipótese silábica alfabética. Ou ainda, alunos com hipótese silábica com valor sonoro com aqueles que têm a hipótese silábica sem valor sonoro. Um outro modelo de agrupamento é estudantes com hipótese silábica sem valor sonoro com aqueles com hipótese pré silábica.
  • Entregue às crianças uma folha de atividade que pode ser impressa ou copiada, clique aqui para acessar o arquivo.
  • Leia coletivamente a quadrinha com o apoio do painel.
  • As imagens são provocativas. Não precisam ser “lidas” coletivamente. Todas elas terminam com “ão” e podem vir a auxiliar as crianças no processo criativo. Se alguma criança questionar, devolva a pergunta “por que será que estas imagens estão justamente aqui, onde precisamos criar rimas com “ão”?. As figuras são: mamão / balão / pão / avião / canção / cão.
  • Desafie-os a criarem uma nova versão para a quadrinha:
  • Pergunte a eles quais palavras estão faltando na quadrinha (R: botão e coração).
  • Escreva-as no quadro.
  • Pergunte o que essas palavras têm em comum, de parecido. (R: essas palavras terminam com o mesmo som ão)
  • Informe que as palavras rimam, pois nas quadrinhas sempre tem palavras que rimam.
  • E que agora você quer descobrir quem consegue criar novas rimas e assim temos em sala de aula muitas versões diferentes desta quadrinha.
  • Circule entre as crianças e verifique se precisam de apoio. Com apenas dez minutos de fechamento para a aula você não conseguirá atender a todos pontualmente no tocante da reflexão sobre a escrita. Porém esta organização é algo que você, professor, precisa ter claro: quais alunos serão atendidos com este foco, nesta aula. E cuidar para que todos sejam atendidos durante a semana em outras situações.
  • Se os alunos que você elencou a serem provocados a maiores reflexões quanto ao nosso sistema de escrita forem crianças do grupo com hipóteses de escrita mais avançadas, como silábico alfabética e alfabética incentive-os a perceber todas as letras das palavras que escreveram, mesmo as sílabas complexas. Por exemplo, se algum aluno escreveu GÃO, quando na verdade quis escrever GRÃO:
  • Peça que leia o que escreveu colocando o dedinho embaixo da palavra.
  • Leia você o que ele escreveu e diga antes: com essas letras eu consigo ler GÃO.
  • Aguarde para que a criança se manifeste.
  • Caso ela não consiga perceber repita as duas formas da palavra GÃO e GRÃO e devolva e questione novamente.
  • Pergunte como é que fazem para o GÃ virar GRÃ (R: acrescentar o R).
  • Dê pista auditiva.
  • Fale o R de maneira enfatizada para que a criança consiga relacionar o fonema ao grafema.
  • Se os alunos que você elencou a serem provocados a maiores reflexões quanto ao nosso sistema de escrita forem crianças do grupo com hipóteses de escrita menos avançadas, como pré silábico ou silábico (sem e com valor sonoro) incentive-os a relacionar as sílabas com as sílabas das palavras estáveis que tem na sala de aula:
  • Escreveu E para FEI e O para JÃO, peça que leia a palavra apontando o dedinho. Assim, você perceberá a maneira como ele pensou na hora de escrever.
  • Diga: o FE de FEIJÃO é o mesmo FE de um amigo nosso. Qual amigo que tem o nome com FE?
  • E onde podemos encontrar o nome do FELIPE? (R: espera-se que a criança consiga relacionar as novas palavras com as palavras do painel de nomes da sala de aula - que presumo ter em sala de aula, como é recomendado em toda sala de alfabetização. Clique aqui e acesse texto que trata da relevância de listas em sala de aula)
  • Localize como está escrito o FE. Veja as letrinhas que foram usadas. Agora compare com o FE que você escreveu. Precisa mudar alguma coisa? (R: a resposta é relativa à escrita da criança, o que se espera é que ela analise o escrito)
  • Neste caso também, vale as pistas auditivas para que as crianças consigam relacionar o maior número possível de fonemas e grafemas.
  • É possível que com este grupo de crianças nem todas as correções sejam possíveis em uma única atividade.
  • Cuide para que neste momento, no mínimo, os finais das palavras estejam iguais porque é assim que se formam rimas, com sons semelhantes, portanto com letras semelhantes / iguais.
  • Assim, ainda que você não consiga atender a todos, este é uma orientação que você pode dar coletivamente para a turma:
  • Nós estamos escrevendo quais tipos de palavras? (R: rimas)
  • Para que elas sejam rimas as duas precisam terminar iguais.
  • Confiram se as duas palavras que vocês escreveram têm as últimas letras iguais.
  • Você pode escrever duas palavras que rimam no quadro e grifar as letras que as fazem rimar para que fique ainda mais evidenciado.
  • Conforme forem acabando a nova versão, oriente-os a ilustrarem a quadrinha.
  • Fixe as novas versões da quadrinha no mural da sala para que todos possam ler.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 1º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 1º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF01LP12 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF01LP16 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF01LP01 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF01LP19 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano