14934
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 1º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Recital de quadrinhas e estudo do gênero

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 1º ano do Fundamental sobre o gênero quadrinhas

Plano 03 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Michele Rabelo

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a 1ª aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é reconhecer que textos são lidos e escritos da esquerda para a direita e de cima para baixo da página; reconhecer a separação das palavras, na escrita, por espaços em branco; ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, quadrinhas - gênero do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto e relacionando sua forma de organização à sua finalidade; recitar quadrinhas com entonação adequada e observando as rimas.

Materiais necessários:

Recursos para projetar telas, vídeo e recursos para imprimir atividades e painéis ou para copiá-los à mão.

Dificuldades antecipadas:

Algumas crianças podem ter dificuldades em encontrar estratégias para desenvolver procedimentos de leitura de ajuste , por ainda, não conseguirem relacionar sons a letras. Nestes casos, as suas intervenções serão fundamentais para que as crianças percebam o quanto já sabem a respeito do nosso sistema de escrita. Ajude-as a utilizar as palavras estáveis para servirem de referência para a leitura. Assim, quando a criança percebe que o ME de melado é o mesmo ME de Melissa, ela começa a desenvolver estratégias para ler ainda que não leia convencionalmente. Nos slides, desafio a desafio estão sugeridas intervenções que podem tornar o seu trabalho mais produtivo, resultando no avanço da aprendizagem.

Por outro lado, algumas crianças podem encontrar facilidade nos desafios neste plano por já conseguirem ler com autonomia. Nestes casos, desafie-os a ir além de ler e localizar palavras, mas incentive-os a criar novas rimas e versões para as quadrinhas. No tocante da percepção da estrutura do texto, para aqueles que estão mais avançados e percebem com facilidade que um texto se escreve de cima para baixo, ou ainda, percebe com tranquilidade os espaços entre as palavras sugira a monitoria (momento em que aqueles que sabem mais ensinam aos que “sabem menos”, porém este é um trabalho construído ao longo de um período, porque essas crianças com maior compreensão do nosso sistema precisam entender que ao fazer a lição pelo outro, não estão ajudando. O que eles precisam é explicar como pensaram, como conseguiram resolver o problema, e então, permitir que o seu colega faça).

Referências sobre o assunto:

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Inicie a aula lendo a tela.
  • Escute as hipóteses/respostas das crianças a respeito do que são quadrinhas.
  • Então complemente: se quadrinha é isto, o que será um recital de quadrinhas? (R: espera-se que o grupo chegue à conclusão que a proposta é fazer uma apresentação de quadrinhas)
  • Diga-lhes que vão seguir com a aula e então descobrir se estão corretos ou não sobre o que são quadrinhas.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 14 minutos

Orientações:

  • Projete a tela com a quadrinha que fala de amor e recite aos seus alunos, cuidando da entonação da voz e da expressão corporal.
  • Caso prefira copiá-la na lousa ou fazer cartaz, cuide para que seja em um papel grande e em letra maiúscula de forma.
  • Caso queira imprimir, acesse o arquivo.

Material de apoio:

https://novaescola.org.br/conteudo/2491/por-que-as-criancas-devem-aprender-a-escrever-com-letra-de-forma-para-depois-passar-para-a-cursiva

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Retome as hipóteses/respostas das crianças a respeito do conceito de quadrinhas, realize uma síntese verbal de suas hipóteses, assim: Então, na opinião de vocês quadrinhas são…
  • Diga que você vai ler um texto do site Sua Pesquisa que fala de quadrinhas <https://www.suapesquisa.com/folclorebrasileiro/quadrinhas_populares.htm> e que depois assistirão um vídeo do grupo Trupe Trupé (4min15seg) <https://www.youtube.com/watch?v=_D4XPDddUBU> que trata de quadrinhas e vocês poderão confirmar ou refutar as hipóteses levantadas.
  • Conclua a introdução confeccionando um cartaz onde tenha como título “O que são quadrinhas?”:
  • O professor será o escriba.
  • As crianças ditarão o que você deve escrever para responder a pergunta “o que são quadrinhas”.
  • Baseados na quadrinha citada, no texto lido e no vídeo assistido espera-se que as crianças definam quadrinha como: poesia, versos, textos para brincar com as palavras, texto com rimas, textos para falar de amor, etc.
  • Faça perguntas que levem as crianças à reflexão do gênero textual e suas características. Com bons questionamentos você pode levar a isso, como por exemplo:
  • Quando quero fazer bolo de chocolate eu uso uma quadrinha? Em quadrinhas tem ingredientes, quantidades e modo de fazer um bolo?
  • Em uma missa o padre recita quadrinhas?
  • Quem recita quadrinhas?
  • Em quais ocasiões?
  • Será que qualquer pessoa pode criar uma quadrinha?
  • Se quiséssemos criar uma quadrinha o que não poderia faltar nela?
  • Quantas linhas / versos têm uma quadrinha? Alias, por que esse tipo de texto se chama quadrinha?
  • Resposta: espera-se que as crianças cheguem ao consenso de que quadrinhas são textos da tradição popular; passados de geração a geração; que servem para brincar e se divertir; que falam de amor, saudade, gracejos, entre outros; que têm quatro versos; que há rimas no segundo e quarto versos.
  • Fixe o painel na parede, onde as crianças possam ter livre acesso a ele. Um texto produzido por elas, geralmente, é objeto de desejo e os estudantes costumam querer ler e interpretá-lo.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações:

  • Para esta atividade de recitar quadrinhas, como se trata de textos curtos e ritmados, as crianças têm muita facilidade em memorizá-los. Assim, mesmo sem conhecê-los é possível realizar a aula com relativa tranquilidade. No entanto, é possível que tenham crianças com maiores dificuldades de memorização, e também, de receio em se apresentar à frente da sala, o que dificulta a memorização. Dessa forma, sugiro que você entregue uma semana antes desta aula, como lição de casa, estas quadrinhas impressas às crianças para que possam estudá-las, memorizá-las com a ajuda dos pais e familiares e assim, participem da aula com maior autonomia.
  • Divida a turma em grupos de quatro crianças. Como trabalharemos com a oralidade neste primeiro momento, forme equipes pelo critério de desenvolvimento na oralidade, isto é, capacidade de se expressar com clareza, tom de voz alto, desinibição em estar à frente da classe. Monte grupos heterogêneos onde possuam crianças com a oralidade mais e menos desenvolvida, para que assim, umas apoiem as outras.
  • Projete e leia a tela orientando-os dos procedimentos necessários para uma boa apresentação.
  • Entregue a cada grupo um painel com uma quadrinha, onde eles deverão ler, ensaiar e apresentar a quadrinha para o restante da turma.
  • Circule pelos grupos realizando intervenções que ajudarão as crianças a realizarem a leitura.
  • Aquelas que ainda não lêem convencionalmente, precisarão do seu incentivo para desenvolverem estratégias para lerem, ainda que não leem convencionalmente:
  • No momento da leitura solicite que aponte o dedinho para onde está lendo.
  • Com este movimento espera-se que o estudante relacione aquilo que está falando com o que está escrito.
  • Observe que isto ocorrerá mais efetivamente à medida que a criança tiver maior conhecimento em relação ao nosso sistema de escrita.
  • Já naqueles grupos em que a tarefa de ler é algo tranquilo, você poderá focar em uma melhor apresentação, com desenvoltura na entonação de voz e na expressão corporal:
  • Para falar de amor nós devemos nos expressar com um sorriso no rosto ou com tristeza no olhar? (R: com expressão tranquila, romantizada, etc)
  • Ao falar de saudade os nossos gestos devem ser expansivos ou mais comedidos? (R: mais comedidos)
  • Após conseguirem ler a quadrinha, incentive-os a verbalizar conjuntamente.
  • Como se trata de um texto curto e com melodia, as crianças o memorizam com facilidade após algumas citações.
  • Uma vez memorizados, observe nas crianças:
  • Se a fala é clara.
  • Se o tom de voz é alto, mas não gritado.
  • Se as vozes estão harmoniosas, todos falando juntos.
  • Se a expressão corporal corresponde com o texto. Pergunte a eles: para falar de amor qual é a nossa expressão? E quando falamos em saudade? E em medo?
  • Permita que cada grupo apresente sua quadrinha.
  • Esta é uma ótima oportunidade de você valorizar o potencial de cada estudante. Caso algum aluno não demonstre uma satisfatória desenvoltura, não o constranja. Falar para um público é uma habilidade a ser desenvolvida ao decorrer dos anos e das experiências, assim como toda e qualquer outra aprendizagem. Quanto mais acolhido e valorizado o aluno for, melhor será as suas novas investidas, e consequentemente, desempenho.
  • Em continuidade e aprofundamento desta aula, sugiro que organize um recital de quadrinhas para a comunidade escolar e/ou familiar. Onde todos possam apreciar. Para isso, providencie:
  • Adquira um repertório maior de quadrinhas. Aproveite estas que as crianças já conhecem e acrescente outras novas porque assim você poderá formar grupos menores e as crianças se destacarão ainda mais, e como os textos são curtos não é algo que tomará muito tempo. Sugestões de quadrinhas: https://www.suapesquisa.com/folclorebrasileiro/quadrinhas_populares.htm; https://baudeideiasdaivanise.blogspot.com/2009/08/linguagem-36-quadrinhas.html; https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/esporte/educacao-infantil-quadrinhas/51392
  • Organize os grupos de crianças para cada quadrinha. Sugere-se duplas ou trios. Siga o mesmo critério utilizado anteriormente durante esta aula (desenvoltura para falar em público). Forme grupos heterogêneos.
  • Reserve momentos em sua rotina que garanta os ensaios, com frequência.
  • Envolva as crianças na elaboração de um cenário e figurinos. Pergunte a elas de que forma poderiam deixar o espaço mais bonito para receber os convidados. E também, que enfeites poderiam usar em suas roupas para que a apresentação ficasse mais encantadora. A ideia nesse tipo de apresentação não é “roubar” a cena das crianças com cenários e figurinos comprados prontos e muito bem elaborados. O mais importante nesta apresentação é a fala das crianças, e nada pode ser maior do que isso. A intenção didática é demonstrar a habilidade de oralidade das crianças, o seu repertório textual, o resgate e valorização cultural, a aproximação com as famílias e/ou com os demais colegas da escola. Cuidando para que todo o contexto seja significativo para as crianças, e consequentemente a aprendizagem, sugiro que você cuide de envolver as crianças em todo o processo de criação, elaboração e confecção do recital.

Materiais complementares:

Acesse o arquivo com as quadrinhas.

Materiais de apoio:

https://gestaoescolar.org.br/conteudo/1410/oralidade-um-eixo-da-educacao-infantil

https://novaescola.org.br/conteudo/2486/leitura-feita-pelo-aluno-antes-de-saber-ler-convencionalmente

https://novaescola.org.br/conteudo/262/david-ausubel-e-a-aprendizagem-significativa

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações:

  • Projete o slide 3 novamente e incentive-os a ler individualmente o painel.
  • Escolha algumas crianças com diferentes compreensões a respeito do nosso sistema de escrita. Chame uma criança por vez até o quadro. Ajuste a quantidade de crianças a ser chamada com o tempo disponível.
  • Peça que leiam a quadrinha. A intenção é que a quadrinha seja memorizada por todos.
  • No momento da leitura solicite que aponte o dedinho para onde está lendo.
  • Com este movimento espera-se que o estudante relacione aquilo que está falando com o que está escrito.
  • Observe que isto ocorrerá mais efetivamente à medida que a criança tiver maior conhecimento em relação ao nosso sistema de escrita.
  • Separe as crianças em duplas. Agrupe-as de acordo com a sua hipótese de escrita. Devem trabalhar juntas crianças que possuam hipóteses próximas para que não se corra o risco de que, aquela que é mais avançada na hipótese de escrita, realize a atividade sozinha.
  • Lembrando que as hipóteses são: pré silábica, silábica sem valor sonoro, silábica com valor sonoro, silábica alfabética e alfabética.
  • Agrupe por exemplo, crianças com hipótese alfabética com aquelas que possuam hipótese silábica alfabética. Ou ainda, alunos com hipótese silábica com valor sonoro com aqueles que têm a hipótese silábica sem valor sonoro. Um outro modelo de agrupamento é estudantes com hipótese silábica sem valor sonoro com aqueles com hipótese pré silábica.
  • Entregue uma folha para cada dupla e explique a elas que terão que montar a quadrinha.
  • Entregue a quadrinha de acordo com as facilidades e dificuldades de cada dupla:
  • Para aquelas crianças já têm a hipótese de escrita silábica alfabética e alfabética dê a quadrinha fatiada em palavras.
  • Já as duplas que se encontram com a hipótese silábica (com ou sem valor sonoro) forneça a quadrinha fatiada em trechos.
  • E por fim, para aquelas duplas que estão mais distantes da compreensão convencional do nosso sistema de escrita, ofereça a quadrinha fatiada em versos.
  • A quadrinha é a mesma que você recitou no início da aula, pois é importante que as crianças possam empregar mais esforços na leitura em si, já que o teor e a compreensão do texto já foram vistos e a mesma já é conhecida.
  • Provavelmente, em dez minutos, você professor, não conseguirá dar conta de corrigir e dar atenção necessária a todas as crianças. Por isso a gestão do tempo é tão importante: se programe a atender grupos de crianças diferentes em determinadas atividades. As que você atendeu mais pontualmente hoje, não serão as mesmas de amanhã. Cuide para que todas as crianças sejam contempladas ao final de determinado período.
  • Por isso também, os agrupamentos produtivos são tão importantes em uma sala de aula. Em diferentes situações, você perceberá que as crianças aprendem demasiadamente, umas com as outras.
  • Espera-se que com este desafio as crianças avancem na leitura, ainda que não saibam ler convencionalmente. Boas perguntas as ajudarão neste sentido, como por exemplo:
  • Para as crianças do grupo silábica alfabética e alfabética:
  • Recitem o primeiro verso.
  • Confiram palavra a palavra daquilo que vocês já conseguiram montar.

9. Este movimento de revisão da “montagem” da escrita é fundamental na formação escritora. É um movimento comum de qualquer pessoa que escreve. É uma responsabilidade do escritor e não do professor.

  • Para as crianças do grupo hipótese silábica:
  • Recitem a quadrinha.
  • Qual é o primeiro verso? (R: as estrelas nascem no céu)
  • Começa com qual letra? (R: as)
  • Provavelmente um grande desafio serão os trechos “nascem no céu” e “nascem no mar” porque tendem a ler o início e deduzir o final. E esta será uma ótima oportunidade para você mostrar o quanto é importante, de fato, ler todas as letras.
  • Diga: mas “céu” termina com “u”. Está correto este trecho?

10. Pergunte: Alguma dessas palavras começam da mesma forma que o nome de algum amigo? Por exemplo, “estrela” começa como o nome de alguma amiga da turma? Localizem no painel de nomes (que deve ter em toda sala de alfabetização por se tratar de palavras estáveis) o nome da amiga, vejam como escreve e então procurem “estrela”.

  • Para as crianças do grupo pré silábica:
  • Recitem a parlenda.
  • Qual é o primeiro verso? (R: as estrelas nascem no céu)
  • Começa com qual letra? (R: as)
  • Se necessário dê pistas auditivas, falando pausadamente o verso.
  • Evidencie a primeira letra que se inicia o verso.
  • Uma outra estratégia é focar em palavras do verso que você possam associar a alguma sílaba de crianças da sala, porque assim, poderão consultar o painel para verificar como se escreve o nome do amigo e depois verificar nos versos onde se encontra a palavra que inicial igual: por exemplo, “pe” de “Pedro” é o mesmo “pe” de “peixinhos”.

11. Uma outra questão fundamental a ser abordada refere-se à estrutura do gênero textual quadrinha. Assim quando todos derem como montadas as suas quadrinhas desafie-os a realizar uma autoavaliação com diretrizes coletivas. Assim:

  • Nós já sabemos a quantidade de versos em uma quadrinha. Quantos são mesmo? Então confiram se a sua quadrinha tem quatro versos.
  • Nós também já sabemos que em uma quadrinha tem sempre duas palavras que rimam e elas ficam em quais versos? Então confiram se ao final dos segundo e quarto versos têm as palavras que rimam: “mar e amar”.

Materiais complementares:

Acesse o arquivo com a quadrinha em pedaços: uma página a quadrinha está dividida palavras, em outra está dividida em trechos (cada verso foi dividido em dois trechos), e por fim, na terceira página a quadrinha foi dividida em versos.

Material de apoio:

https://novaescola.org.br/conteudo/2491/por-que-as-criancas-devem-aprender-a-escrever-com-letra-de-forma-para-depois-passar-para-a-cursiva

https://novaescola.org.br/conteudo/2486/leitura-feita-pelo-aluno-antes-de-saber-ler-convencionalmente

https://novaescola.org.br/conteudo/2489/diagnostico-na-alfabetizacao-para-conhecer-a-nova-turma

https://novaescola.org.br/conteudo/2595/revisao-a-hora-de-aperfeicoar-o-texto

https://gestaoescolar.org.br/conteudo/1360/a-funcao-das-listas-na-alfabetizacao

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é a 1ª aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é reconhecer que textos são lidos e escritos da esquerda para a direita e de cima para baixo da página; reconhecer a separação das palavras, na escrita, por espaços em branco; ler e compreender, em colaboração com os colegas e com a ajuda do professor, quadrinhas - gênero do campo da vida cotidiana, considerando a situação comunicativa e o tema/assunto do texto e relacionando sua forma de organização à sua finalidade; recitar quadrinhas com entonação adequada e observando as rimas.

Materiais necessários:

Recursos para projetar telas, vídeo e recursos para imprimir atividades e painéis ou para copiá-los à mão.

Dificuldades antecipadas:

Algumas crianças podem ter dificuldades em encontrar estratégias para desenvolver procedimentos de leitura de ajuste , por ainda, não conseguirem relacionar sons a letras. Nestes casos, as suas intervenções serão fundamentais para que as crianças percebam o quanto já sabem a respeito do nosso sistema de escrita. Ajude-as a utilizar as palavras estáveis para servirem de referência para a leitura. Assim, quando a criança percebe que o ME de melado é o mesmo ME de Melissa, ela começa a desenvolver estratégias para ler ainda que não leia convencionalmente. Nos slides, desafio a desafio estão sugeridas intervenções que podem tornar o seu trabalho mais produtivo, resultando no avanço da aprendizagem.

Por outro lado, algumas crianças podem encontrar facilidade nos desafios neste plano por já conseguirem ler com autonomia. Nestes casos, desafie-os a ir além de ler e localizar palavras, mas incentive-os a criar novas rimas e versões para as quadrinhas. No tocante da percepção da estrutura do texto, para aqueles que estão mais avançados e percebem com facilidade que um texto se escreve de cima para baixo, ou ainda, percebe com tranquilidade os espaços entre as palavras sugira a monitoria (momento em que aqueles que sabem mais ensinam aos que “sabem menos”, porém este é um trabalho construído ao longo de um período, porque essas crianças com maior compreensão do nosso sistema precisam entender que ao fazer a lição pelo outro, não estão ajudando. O que eles precisam é explicar como pensaram, como conseguiram resolver o problema, e então, permitir que o seu colega faça).

Referências sobre o assunto:

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

  • Inicie a aula lendo a tela.
  • Escute as hipóteses/respostas das crianças a respeito do que são quadrinhas.
  • Então complemente: se quadrinha é isto, o que será um recital de quadrinhas? (R: espera-se que o grupo chegue à conclusão que a proposta é fazer uma apresentação de quadrinhas)
  • Diga-lhes que vão seguir com a aula e então descobrir se estão corretos ou não sobre o que são quadrinhas.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 14 minutos

Orientações:

  • Projete a tela com a quadrinha que fala de amor e recite aos seus alunos, cuidando da entonação da voz e da expressão corporal.
  • Caso prefira copiá-la na lousa ou fazer cartaz, cuide para que seja em um papel grande e em letra maiúscula de forma.
  • Caso queira imprimir, acesse o arquivo.

Material de apoio:

https://novaescola.org.br/conteudo/2491/por-que-as-criancas-devem-aprender-a-escrever-com-letra-de-forma-para-depois-passar-para-a-cursiva

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Retome as hipóteses/respostas das crianças a respeito do conceito de quadrinhas, realize uma síntese verbal de suas hipóteses, assim: Então, na opinião de vocês quadrinhas são…
  • Diga que você vai ler um texto do site Sua Pesquisa que fala de quadrinhas <https://www.suapesquisa.com/folclorebrasileiro/quadrinhas_populares.htm> e que depois assistirão um vídeo do grupo Trupe Trupé (4min15seg) <https://www.youtube.com/watch?v=_D4XPDddUBU> que trata de quadrinhas e vocês poderão confirmar ou refutar as hipóteses levantadas.
  • Conclua a introdução confeccionando um cartaz onde tenha como título “O que são quadrinhas?”:
  • O professor será o escriba.
  • As crianças ditarão o que você deve escrever para responder a pergunta “o que são quadrinhas”.
  • Baseados na quadrinha citada, no texto lido e no vídeo assistido espera-se que as crianças definam quadrinha como: poesia, versos, textos para brincar com as palavras, texto com rimas, textos para falar de amor, etc.
  • Faça perguntas que levem as crianças à reflexão do gênero textual e suas características. Com bons questionamentos você pode levar a isso, como por exemplo:
  • Quando quero fazer bolo de chocolate eu uso uma quadrinha? Em quadrinhas tem ingredientes, quantidades e modo de fazer um bolo?
  • Em uma missa o padre recita quadrinhas?
  • Quem recita quadrinhas?
  • Em quais ocasiões?
  • Será que qualquer pessoa pode criar uma quadrinha?
  • Se quiséssemos criar uma quadrinha o que não poderia faltar nela?
  • Quantas linhas / versos têm uma quadrinha? Alias, por que esse tipo de texto se chama quadrinha?
  • Resposta: espera-se que as crianças cheguem ao consenso de que quadrinhas são textos da tradição popular; passados de geração a geração; que servem para brincar e se divertir; que falam de amor, saudade, gracejos, entre outros; que têm quatro versos; que há rimas no segundo e quarto versos.
  • Fixe o painel na parede, onde as crianças possam ter livre acesso a ele. Um texto produzido por elas, geralmente, é objeto de desejo e os estudantes costumam querer ler e interpretá-lo.
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações:

  • Para esta atividade de recitar quadrinhas, como se trata de textos curtos e ritmados, as crianças têm muita facilidade em memorizá-los. Assim, mesmo sem conhecê-los é possível realizar a aula com relativa tranquilidade. No entanto, é possível que tenham crianças com maiores dificuldades de memorização, e também, de receio em se apresentar à frente da sala, o que dificulta a memorização. Dessa forma, sugiro que você entregue uma semana antes desta aula, como lição de casa, estas quadrinhas impressas às crianças para que possam estudá-las, memorizá-las com a ajuda dos pais e familiares e assim, participem da aula com maior autonomia.
  • Divida a turma em grupos de quatro crianças. Como trabalharemos com a oralidade neste primeiro momento, forme equipes pelo critério de desenvolvimento na oralidade, isto é, capacidade de se expressar com clareza, tom de voz alto, desinibição em estar à frente da classe. Monte grupos heterogêneos onde possuam crianças com a oralidade mais e menos desenvolvida, para que assim, umas apoiem as outras.
  • Projete e leia a tela orientando-os dos procedimentos necessários para uma boa apresentação.
  • Entregue a cada grupo um painel com uma quadrinha, onde eles deverão ler, ensaiar e apresentar a quadrinha para o restante da turma.
  • Circule pelos grupos realizando intervenções que ajudarão as crianças a realizarem a leitura.
  • Aquelas que ainda não lêem convencionalmente, precisarão do seu incentivo para desenvolverem estratégias para lerem, ainda que não leem convencionalmente:
  • No momento da leitura solicite que aponte o dedinho para onde está lendo.
  • Com este movimento espera-se que o estudante relacione aquilo que está falando com o que está escrito.
  • Observe que isto ocorrerá mais efetivamente à medida que a criança tiver maior conhecimento em relação ao nosso sistema de escrita.
  • Já naqueles grupos em que a tarefa de ler é algo tranquilo, você poderá focar em uma melhor apresentação, com desenvoltura na entonação de voz e na expressão corporal:
  • Para falar de amor nós devemos nos expressar com um sorriso no rosto ou com tristeza no olhar? (R: com expressão tranquila, romantizada, etc)
  • Ao falar de saudade os nossos gestos devem ser expansivos ou mais comedidos? (R: mais comedidos)
  • Após conseguirem ler a quadrinha, incentive-os a verbalizar conjuntamente.
  • Como se trata de um texto curto e com melodia, as crianças o memorizam com facilidade após algumas citações.
  • Uma vez memorizados, observe nas crianças:
  • Se a fala é clara.
  • Se o tom de voz é alto, mas não gritado.
  • Se as vozes estão harmoniosas, todos falando juntos.
  • Se a expressão corporal corresponde com o texto. Pergunte a eles: para falar de amor qual é a nossa expressão? E quando falamos em saudade? E em medo?
  • Permita que cada grupo apresente sua quadrinha.
  • Esta é uma ótima oportunidade de você valorizar o potencial de cada estudante. Caso algum aluno não demonstre uma satisfatória desenvoltura, não o constranja. Falar para um público é uma habilidade a ser desenvolvida ao decorrer dos anos e das experiências, assim como toda e qualquer outra aprendizagem. Quanto mais acolhido e valorizado o aluno for, melhor será as suas novas investidas, e consequentemente, desempenho.
  • Em continuidade e aprofundamento desta aula, sugiro que organize um recital de quadrinhas para a comunidade escolar e/ou familiar. Onde todos possam apreciar. Para isso, providencie:
  • Adquira um repertório maior de quadrinhas. Aproveite estas que as crianças já conhecem e acrescente outras novas porque assim você poderá formar grupos menores e as crianças se destacarão ainda mais, e como os textos são curtos não é algo que tomará muito tempo. Sugestões de quadrinhas: https://www.suapesquisa.com/folclorebrasileiro/quadrinhas_populares.htm; https://baudeideiasdaivanise.blogspot.com/2009/08/linguagem-36-quadrinhas.html; https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/esporte/educacao-infantil-quadrinhas/51392
  • Organize os grupos de crianças para cada quadrinha. Sugere-se duplas ou trios. Siga o mesmo critério utilizado anteriormente durante esta aula (desenvoltura para falar em público). Forme grupos heterogêneos.
  • Reserve momentos em sua rotina que garanta os ensaios, com frequência.
  • Envolva as crianças na elaboração de um cenário e figurinos. Pergunte a elas de que forma poderiam deixar o espaço mais bonito para receber os convidados. E também, que enfeites poderiam usar em suas roupas para que a apresentação ficasse mais encantadora. A ideia nesse tipo de apresentação não é “roubar” a cena das crianças com cenários e figurinos comprados prontos e muito bem elaborados. O mais importante nesta apresentação é a fala das crianças, e nada pode ser maior do que isso. A intenção didática é demonstrar a habilidade de oralidade das crianças, o seu repertório textual, o resgate e valorização cultural, a aproximação com as famílias e/ou com os demais colegas da escola. Cuidando para que todo o contexto seja significativo para as crianças, e consequentemente a aprendizagem, sugiro que você cuide de envolver as crianças em todo o processo de criação, elaboração e confecção do recital.

Materiais complementares:

Acesse o arquivo com as quadrinhas.

Materiais de apoio:

https://gestaoescolar.org.br/conteudo/1410/oralidade-um-eixo-da-educacao-infantil

https://novaescola.org.br/conteudo/2486/leitura-feita-pelo-aluno-antes-de-saber-ler-convencionalmente

https://novaescola.org.br/conteudo/262/david-ausubel-e-a-aprendizagem-significativa

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações:

  • Projete o slide 3 novamente e incentive-os a ler individualmente o painel.
  • Escolha algumas crianças com diferentes compreensões a respeito do nosso sistema de escrita. Chame uma criança por vez até o quadro. Ajuste a quantidade de crianças a ser chamada com o tempo disponível.
  • Peça que leiam a quadrinha. A intenção é que a quadrinha seja memorizada por todos.
  • No momento da leitura solicite que aponte o dedinho para onde está lendo.
  • Com este movimento espera-se que o estudante relacione aquilo que está falando com o que está escrito.
  • Observe que isto ocorrerá mais efetivamente à medida que a criança tiver maior conhecimento em relação ao nosso sistema de escrita.
  • Separe as crianças em duplas. Agrupe-as de acordo com a sua hipótese de escrita. Devem trabalhar juntas crianças que possuam hipóteses próximas para que não se corra o risco de que, aquela que é mais avançada na hipótese de escrita, realize a atividade sozinha.
  • Lembrando que as hipóteses são: pré silábica, silábica sem valor sonoro, silábica com valor sonoro, silábica alfabética e alfabética.
  • Agrupe por exemplo, crianças com hipótese alfabética com aquelas que possuam hipótese silábica alfabética. Ou ainda, alunos com hipótese silábica com valor sonoro com aqueles que têm a hipótese silábica sem valor sonoro. Um outro modelo de agrupamento é estudantes com hipótese silábica sem valor sonoro com aqueles com hipótese pré silábica.
  • Entregue uma folha para cada dupla e explique a elas que terão que montar a quadrinha.
  • Entregue a quadrinha de acordo com as facilidades e dificuldades de cada dupla:
  • Para aquelas crianças já têm a hipótese de escrita silábica alfabética e alfabética dê a quadrinha fatiada em palavras.
  • Já as duplas que se encontram com a hipótese silábica (com ou sem valor sonoro) forneça a quadrinha fatiada em trechos.
  • E por fim, para aquelas duplas que estão mais distantes da compreensão convencional do nosso sistema de escrita, ofereça a quadrinha fatiada em versos.
  • A quadrinha é a mesma que você recitou no início da aula, pois é importante que as crianças possam empregar mais esforços na leitura em si, já que o teor e a compreensão do texto já foram vistos e a mesma já é conhecida.
  • Provavelmente, em dez minutos, você professor, não conseguirá dar conta de corrigir e dar atenção necessária a todas as crianças. Por isso a gestão do tempo é tão importante: se programe a atender grupos de crianças diferentes em determinadas atividades. As que você atendeu mais pontualmente hoje, não serão as mesmas de amanhã. Cuide para que todas as crianças sejam contempladas ao final de determinado período.
  • Por isso também, os agrupamentos produtivos são tão importantes em uma sala de aula. Em diferentes situações, você perceberá que as crianças aprendem demasiadamente, umas com as outras.
  • Espera-se que com este desafio as crianças avancem na leitura, ainda que não saibam ler convencionalmente. Boas perguntas as ajudarão neste sentido, como por exemplo:
  • Para as crianças do grupo silábica alfabética e alfabética:
  • Recitem o primeiro verso.
  • Confiram palavra a palavra daquilo que vocês já conseguiram montar.

9. Este movimento de revisão da “montagem” da escrita é fundamental na formação escritora. É um movimento comum de qualquer pessoa que escreve. É uma responsabilidade do escritor e não do professor.

  • Para as crianças do grupo hipótese silábica:
  • Recitem a quadrinha.
  • Qual é o primeiro verso? (R: as estrelas nascem no céu)
  • Começa com qual letra? (R: as)
  • Provavelmente um grande desafio serão os trechos “nascem no céu” e “nascem no mar” porque tendem a ler o início e deduzir o final. E esta será uma ótima oportunidade para você mostrar o quanto é importante, de fato, ler todas as letras.
  • Diga: mas “céu” termina com “u”. Está correto este trecho?

10. Pergunte: Alguma dessas palavras começam da mesma forma que o nome de algum amigo? Por exemplo, “estrela” começa como o nome de alguma amiga da turma? Localizem no painel de nomes (que deve ter em toda sala de alfabetização por se tratar de palavras estáveis) o nome da amiga, vejam como escreve e então procurem “estrela”.

  • Para as crianças do grupo pré silábica:
  • Recitem a parlenda.
  • Qual é o primeiro verso? (R: as estrelas nascem no céu)
  • Começa com qual letra? (R: as)
  • Se necessário dê pistas auditivas, falando pausadamente o verso.
  • Evidencie a primeira letra que se inicia o verso.
  • Uma outra estratégia é focar em palavras do verso que você possam associar a alguma sílaba de crianças da sala, porque assim, poderão consultar o painel para verificar como se escreve o nome do amigo e depois verificar nos versos onde se encontra a palavra que inicial igual: por exemplo, “pe” de “Pedro” é o mesmo “pe” de “peixinhos”.

11. Uma outra questão fundamental a ser abordada refere-se à estrutura do gênero textual quadrinha. Assim quando todos derem como montadas as suas quadrinhas desafie-os a realizar uma autoavaliação com diretrizes coletivas. Assim:

  • Nós já sabemos a quantidade de versos em uma quadrinha. Quantos são mesmo? Então confiram se a sua quadrinha tem quatro versos.
  • Nós também já sabemos que em uma quadrinha tem sempre duas palavras que rimam e elas ficam em quais versos? Então confiram se ao final dos segundo e quarto versos têm as palavras que rimam: “mar e amar”.

Materiais complementares:

Acesse o arquivo com a quadrinha em pedaços: uma página a quadrinha está dividida palavras, em outra está dividida em trechos (cada verso foi dividido em dois trechos), e por fim, na terceira página a quadrinha foi dividida em versos.

Material de apoio:

https://novaescola.org.br/conteudo/2491/por-que-as-criancas-devem-aprender-a-escrever-com-letra-de-forma-para-depois-passar-para-a-cursiva

https://novaescola.org.br/conteudo/2486/leitura-feita-pelo-aluno-antes-de-saber-ler-convencionalmente

https://novaescola.org.br/conteudo/2489/diagnostico-na-alfabetizacao-para-conhecer-a-nova-turma

https://novaescola.org.br/conteudo/2595/revisao-a-hora-de-aperfeicoar-o-texto

https://gestaoescolar.org.br/conteudo/1360/a-funcao-das-listas-na-alfabetizacao

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 1º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 1º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF01LP12 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF01LP16 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF01LP01 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF01LP19 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano