14266
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Brincar com narrativas de histórias para bebês

POR: Bruna Bonfá Terra da Silva 30/11/2018
Código: EDI1_13UND01

1º ano / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI01CG02) Experimentar as possibilidades corporais nas brincadeiras e interações em ambientes acolhedores e desafiantes.

(EI01CG03) Imitar gestos e movimentos de outras crianças, adultos e animais.

(EI01EO03) Interagir com crianças da mesma faixa etária e adultos ao explorar espaços, materiais, objetos, brinquedos.

Plano de atividade de Educação Infantil com atividades para Bebês sobre interação e brincadeiras com histórias para bebês

Resumo

ilustracao

Nesta atividades, as crianças participarão de uma contação de histórias e irão interagir com objetos relacionados a ela trazidos pela professora.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Selecione um título do repertório próprio, da cultura regional ou outro de ampla difusão, que seja ou que possa vir a ser de apreciação do grupo. Para exemplificação deste plano de atividade, a opção será pela história dos "Três Porquinhos" como modo de demonstrar possibilidades quanto ao desenvolvimento da proposta. A sugestão é de utilizar uma caixa de papelão (com as dimensões: L 31cm x A 25cm x C 42cm) para confeccionar uma caixa de histórias. Um exemplo pode ser visto no vídeo ferramenta de contação de histórias.Coloque dentro da caixa de histórias todo os elementos representativos a serem utilizado na brincadeira:chumaço de palha, pedaço pequeno de madeira e tijolo para representar as casas, celofane ou outro material vermelho para o fogo, dedoches dos três porquinhos e do lobo mau e folhas de árvores verdes e secas (para caracterização da floresta). Esses materiais poderão ser substituídos por outros, de acordo com a história selecionada, com os materiais disponibilizados na creche ou com a facilidade do acesso a eles.

Materiais:

Tapete confortável e almofadas para dar suporte aos bebês. Uma lanterna com celofane verde sobre a luz para simbolizar a floresta. A caixa de histórias e, dentro dela, os elementos representativos sugeridos e diversos livros do título selecionado (no caso Os três porquinhos); podendo ser livro de banho, de pano, sonoros e interativos ou outros disponíveis na creche, que sejam correspondentes a temática da brincadeira. Câmera fotográfica para os registros de documentação pedagógica.

Espaços:

Escolha um local da área externa, como solário ou varanda, e o organize-o com o tapete, as almofadas, a lanterna com celofane verde na luz, os livros e a caixa de histórias com os elementos representativos. Desenvolva a atividade com o grande grupo em um mesmo momento.

Tempo sugerido:

Aproximadamente 40 minutos.

Perguntas para guiar suas observações:

1. Como os bebês exploram o ambiente da brincadeira? Como comunicam suas descobertas em relação ao material e ao ambiente?

2. Como os bebês interagem com os outros bebês? E com o professor?

3. Quais são as reações dos bebês ao se envolverem nas narrativas da história? Como ocorre o processo de imitação?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender às necessidades e às diferenças de cada criança ou do grupo. Garanta que todos os bebês participem da proposta sendo motivados a exercitar a imaginação nas brincadeiras com histórias. Favoreça a exploração dos livros e de elementos representativos por meio da manipulação e da descrição, principalmente durante a narrativa.

O que fazer durante?

1

Organize o espaço em que a atividade será desenvolvida, de modo que oportunize situações exploratórias pelo grupo. Leve para o espaço da brincadeira fantoches, caixas de encaixes sólidos, cestos de brinquedos favoritos da turma, a fim de possibilitar outras atividades aos bebês que porventura deixem de participar da proposta, concedendo autonomia para suas escolhas.Em sala, conte aos bebês sobre a ideia de brincar com histórias e crie expectativas sobre as descobertas que poderão fazer no ambiente e por meio dos materiais. Convide-os para se deslocarem até o local selecionado e auxilie todos no encaminhamento da proposta, principalmente os bebês que necessitam de ajuda para locomoção. Lembre-se de pegar a câmera fotográfica para registrar esses momentos.


2

Permita a exploração espontânea e apoie as iniciativas de investigação em relação aos objetos disponibilizados (tapete, almofadas, lanterna com celofane verde e livros). Desperte a curiosidade dos bebês pela caixa de histórias, de modo que eles demonstrem interesse em utilizá-la. Incentive-os a descobrir os elementos representativos da história ao explorar o interior da caixa. Deixe os bebês encontrarem e interagirem com os objetos. Lembre-se de que eles devem ser os protagonistas da brincadeira, então, faça o mínimo de direcionamentos. Observe quais descobertas os bebês fazem, como se expressam e quais interações realizam com os objetos e entre eles.

Possíveis ações da criança neste momento: Os bebês vão em direção a caixa e retiram alguns elementos de dentro dela. Interagem com os dedoches e mostram-nos aos colegas sorrindo. Algum bebê pode permanecer observando as ações dos colegas para depois se dirigir a exploração dos materiais.


3

Aproxime-se do grupo para participar da brincadeira e apresente as descobertas feitas por seus pares. Demonstre as ações realizadas e incentive o jogo de imitação. Promova momentos de interação e de exploração do contexto. Perceba como eles se expressam e se comunicam diante da proposta. Faça a descrição de alguns elementos representativos, incentivando a brincadeira e o envolvimento na narrativa.

Possíveis falas do professor neste momento: Olha pessoal, o (nome do bebê) está com o dedoche do lobo mau no dedo e está soprando o pedaço de madeira para derrubar a casa do porquinho! Vamos ajudá-lo a soprar? Experimentem! O professor coloca um dedoche de porquinho no dedo e o sopra!

Possíveis ações da criança neste momento: Os bebês podem se alegrar com a proposta e, por estarem envolvidos, demonstram maior interesse em explorar os elementos da brincadeira. Eles podem olhar com atenção, sorrir, balbuciar e imitar a ação do professor.


4

Encoraje a manipulação dos livros utilizados na atividade e incentive os bebês a brincar com eles. Faça a narração de empolgantes partes da história utilizando os elementos da caixa, diferentes entonações de voz e expressões faciais, a fim de representar características do contexto abordado. Convide os bebês para participar dos momentos de narrativas, por meio de balbucios, palavras, gestos, movimentos e brincadeiras de imitação. Reconheça e valorize toda e qualquer forma de comunicação, expressão e participação. Antes de finalizar a atividade, o professor poderá cantar a clássica música da Disney traduzida em português: Quem tem medo do lobo mau, lobo mau, lobo mau; ou outra que for de seu repertório e que caracterize a história.


Para finalizar:

Informe ao grupo que a atividade será encerrada em breve e indique o que será feito no momento seguinte. A previsibilidade contribui para uma organização interna dos acontecimentos, preparando para a transição de momentos e etapas subsequentes. Incentive os bebês a ajudar na organização do espaço, guardando os materiais na caixa de histórias. Valorize as iniciativas e esforços que possam surgir como forma de participação. Cante uma música que marque os momentos de arrumação para finalizar a atividade.

Desdobramentos

A caixa de histórias poderá ficar disponível na sala para que os bebês possam dar continuidade à brincadeira proposta. Realize essa atividade diversas vezes ao longo do ano, variando o contexto. Para isso, selecione outra história, troque os livros e os elementos de caracterização.

Engajando as famílias

Para que as famílias se envolvam e valorizem as brincadeiras com histórias, prepare um varal defotos, utilizando barbante ou corda de nylon, e coloque-o próximo à sala de referência. Prenda algumas fotografias que fazem parte dos registros pedagógicos, intercalando-as com breves relatos feitos pelo professor sobre o desenvolvimento da proposta. Dessa forma, famílias, funcionários e crianças da creche poderão se envolver nas brincadeiras com histórias.


Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor: Bruna Silva

Mentor: Adriana Vidaletti

Especialista do subgrupo etário: Ana Teresa Gavião

Campos de Experiência:  O eu, o nós e o outro; Corpo, gestos e movimentos; Escuta, fala, pensamento e imaginação; Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações.

Objetivos e códigos da Base:

(EI01CG02) Experimentar as possibilidades corporais nas brincadeiras e interações em ambientes acolhedores e desafiantes.

(EI01CG03) Imitar gestos e movimentos de outras crianças, adultos e animais.

(EI01EO03) Interagir com crianças da mesma faixa etária e adultos ao explorar espaços, materiais, objetos, brinquedos.

Abordagem didática:  As histórias fazem parte da vida das pessoas; todos temos uma história escrita, falada, contada da qual nos lembramos com carinho. Os bebês, aos poucos, conforme os professores leem livros e contam histórias para eles, vão se afeiçoando a determinados personagens, ações e sequências narrativas. É interessante que o professor desperte cada vez mais o interesse do bebê pelas histórias. Isso pode acontecer por meio da encenação, do teatro, da projeção, da confecção de  personagens. É significativo, também, fazer com os bebês a dramatização de histórias, isto é, convidá-los a narrar por meio de gestos, movimentos de seu próprio corpo; pois trata-se de uma forma de expressão, de reinterpretação e de criação das histórias. Ouvir a mesma história de diversos modos convida o bebê a conhecer outros pontos de vista e diversas linguagens que podem representar uma ideia (linguagem oral, teatral, fotográfica, corporal etc).

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADE 01

Brincar com narrativas de histórias para bebês

VOCÊ ESTÁ AQUI

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes