13404
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Atividade - Resolvendo problemas com a contagem das crianças

POR: Evandro Tortora 30/11/2018
Código: EDI2_33UND01

Creche / Educação Infantil

Atividade alinhada à BNCC:

(EI02ET07) Contar oralmente objetos, pessoas, livros etc., em contextos diversos.

(EI02ET08) Registrar com números a quantidade de crianças (meninas e meninos, presentes e ausentes) e a quantidade de objetos da mesma natureza (bonecas, bolas, livros etc.).

(EI02EO03) Compartilhar os objetos e os espaços com crianças da mesma faixa etária e adultos.

Plano de atividades de Educação Infantil com atividades para Crianças bem Pequenas sobre Registrar com números a quantidade de crianças e objetos

Resumo

ilustracao

Com a brincadeira, os pequenos terão de contar e marcar os pontos feitos, de acordo com suas possibilidades.

O que fazer antes?

Contextos prévios:

Para realizar essa atividade é importante que você tenha explorado algumas situações em que as crianças recitaram os números ou contaram objetos. É possível explorar situações do cotidiano, parlendas, músicas ou brincadeiras em que os números estejam presentes.Além disso, converse com o cozinheiro da sua escola e explique o trabalho com a contagem das crianças a partir do número de pratos a serem usados por elas no almoço. Também combine um horário com alguém da gestão ou secretaria da escola, para ir até a sala buscar a informação do número de crianças presentes.

Materiais:

Cartaz ou régua com números de 0 ao 100 para usar como referência na escrita de números. Material para registro, como canetões, pincéis etc.Fita adesiva. Fichas onde as crianças farão o registro diário da quantidade de crianças (você pode acessar um modelo de ficha clicando aqui).Ficha com a informação “QUANTAS CRIANÇAS ESTÃO PRESENTES HOJE?” (você pode acessar o modelo de ficha clicando aqui) para serem entregues ao cozinheiro. Um painel, com o registro diário de crianças, que deve ser posto na altura delas e onde serão fixados os registros feitos nessas fichas. Alguns materiais para a finalização da atividade, que podem ser: giz de cera, papéis diversos e livros para folhear.

Espaços:

A sala em que as crianças estão habituadas a fazerem suas atividades diárias.

Tempo sugerido:

Entre 40 minutos e 1 hora.

Perguntas para guiar suas observações:

1. De que forma as crianças recitam a sequência numérica durante a contagem? Elas recitam os números em ordem?

2. Quais são as estratégias de que as crianças fazem uso ao contar os colegas?

3. Como são os registros que as crianças realizam referentes aos resultados das contagens? Como são as hipóteses das crianças para os registros numéricos nas suas marcas gráficas?


Para incluir todos:

Identifique barreiras físicas, comunicacionais ou relacionais que podem impedir que uma criança ou o grupo participe e aprenda. Reflita e proponha apoios para atender às necessidades e diferenças de cada criança ou do grupo.Nos momentos de registro e contagem, deixe que as crianças façam a maneira delas. Ainda que não seja de forma convencional, elas estão elaborando hipóteses de escrita de números e de contagem de quantidades. Se necessário, proponha que as crianças colaborem entre si.

O que fazer durante?

1

Convide as crianças para sentar em roda com você. Conte para elas que ocozinheiro precisa separar uma quantidade de pratos para o almoço da turma e pediu nossa ajuda. Assim, devemos saber quantos pratos serão necessários, anotar esse número e informar ao cozinheiro. Lance o problema para as crianças: como podemos saber quantos pratos serão necessários para a nossa refeição na escola?

Possíveis falase ações das crianças nesse momento: Um monte! Bastante, Todo mundo! Temos que contar. As crianças ainda podem indicar quantidades usando os dedos (como quando mostram sua idade), apontar para os colegas na roda, fazer balbucios indicando alguma ideia, começar a falar o nome dos colegas etc.

Deixe que as crianças exponham suas falas e observe os gestos dos menores, valorizando-os.

Possíveis falas e ações do professor nesse momento: por que você acha que precisamos de vários pratos? Quantos seriam ‘um monte’ de pratos? Ah, você disse que precisamos contar? Vocês concordam? Quem tem mais alguma ideia para resolver esse problema? Olhem! Ele está apontando uma quantidade com os dedos… Vamos contar as crianças para confirmar?


2

Considere e aproveite as falas das crianças para conduzir a atividade. Pode ser quealguma criança já sugira a estratégia da contá-las. Nesse caso, pergunte se as demais crianças concordam com essa estratégia e questione quantas crianças estão presentes na nossa sala hoje. Explore as várias hipóteses das crianças e, caso a ideia da contagem não surja, sugira tal estratégia aos pequenos.

Possíveis ações das crianças nesse momento: as criança podem sugerir a ação de contar sem necessariamente falar como. Por exemplo, apontar ou se levantar e colocar a mão sobre a cabeça dos colegas, recitar os números ou levantar e começar a contar os colegas sem preocupação de fazer contagem termo a termo. Outras ainda podem fazer a contagem termo a termo, recitando os números em sua ordem.

Possíveis falas e ações do professor nesse momento: como podemos contar as crianças? Alguém gostaria de contar as crianças? Procure considerar as ideias que lhe parecem mais fantasiosas e menos próximas da solução ideal. Por exemplo, se uma criança sugerir fazer uma mágica, diga: mas a gente sabe fazer mágica de verdade? Então façam a mágica! E agora, com a mágica, descobrimos quantas crianças estão presentes hoje? Ah, então que outras ideias vocês tem?….

3

Observe as ações do grupo, caso alguma criança já saiba como fazer essa contagem, permita que ela faça. Caso as crianças não façam a contagem com autonomia, diga que você irá contar junto com uma delas, que pode ser a ajudante do dia.Outras crianças podem se manifestar. Se isso não acontecer, sugira que elas também façam a contagem. Observe se estão fazendo correspondências termo a termo e, se necessário, oriente a criança a fazer essa correspondência,contando junto com ela.


4

Após a criança fazer a contagem, peça para ela anotar a quantidade de crianças no quadro ou em uma cartolina. Ela pode usar símbolos, riscos, bolinhas, representações numéricas etc. Apoie, se necessário, na correspondência termo a termo dessas marcas.Incentive que as crianças colaborem entre si para ajudar o colega a escolher a forma de registro. Você pode sugerir que ela faça um desenho (bolinha, risco etc.) para cada criança. Diga que você vai anotar a quantidade de crianças usando números e faça notação numérica da informação.Explore com as crianças se elas já viram aquele tipo de escrita em algum lugar, como no calendário da sala, no cartaz de números, régua dos números etc. Ouça as crianças e observe o que comunicam com gestos, expressões. Caso as crianças não se lembrem, explore esses possíveis locais e mostre o número correspondente, que pode estar escrito nesses portadores.

Possíveis falas do professor nesse momento: agora que vocês já contaram quantas crianças estão presentes na sala hoje, vamos anotar a quantidade? Onde vocês já viram esse número? Alguém mais quer vir escrever o número que contamos?

Possível falas e ações da criança nesse momento:podem dizer que já viram aquilo em suas casas, no calendário, na rua etc. Também podem acabar se dirigindo a pontos na sala em que os números estejam escritos, como no calendário.


5

Peça para que uma criança faça o registro do numeral na fichade registro diário da quantidade de crianças, permitindo que busque referências para escrever. Deixe que a criança faça o registro a modo dela e que escolha livremente o tipo de registro que será feito. Ofereça à criança materiais para que faça o registro de acordo com as necessidades dela, como giz de cera ou canetão. Você também pode pedir para que as crianças façam o registro em duplas: enquanto uma criança busca o numeral a ser escrito no cartaz dos números, a outra faz o registro. Se necessário, indique que elas podem usar, como referência, o cartaz ou régua de números de 0 a 100.

Possíveis falas e ações da criança nesse momento: algumas crianças podem dizer que não sabem escrever os números. Nesse caso, incentive sua escrita e diga que ela pode fazer o registro do melhor jeito que puder. Outras crianças podem se estender um pouco no registro do número, querendo fazer outros desenhos na ficha. Permita que elas façam esses registros mas peça para que tentem escrever a notação numérica para que o número fique registrado.

Após o registro da criança, peça para que ela fixe o registro feito no painel “Quantos somos?”. Tenha um pedaço de fita adesiva em mãos, a fim de fixá-la no verso do papel e no painel.


6

Comunique que elas precisarão informar o número de crianças presentes ao cozinheiro. Para isso, devem usar outra ficha, que ficará na cozinha. Leia as informações para as crianças e peça para que uma delas escreva a quantidade de crianças presentes. Se necessário, peça para que usem como referência a notação numérica do cartaz, com números de 0 a 100. Caso nenhuma delas consiga, você pode fazer a notação. Retome o problema inicial e diga que agora já sabem quantos pratos serão necessários e, assim, poderão ajudar a cozinheiro.

Possível fala do professor nesse momento: lembram que nosso cozinheiro pediu nossa ajuda para separar os pratos para o almoço? Quantos pratos ele precisará separar para vocês poderem almoçar hoje?


Para finalizar:

Diga para as crianças que devem aguardar a vinda da pessoa para buscar essa informação. Quando a pessoa vier, peça para que um pequeno grupo de crianças entregue a ficha.Permita que as crianças se manifestem para entregá-la. Enquanto você e o pequeno grupo de crianças entrega a ficha, as demais crianças podem estar envolvidas em alguma brincadeira de forma autônoma ou em outras ações que foram planejadas para o dia. Peça para o pequeno grupo contar para a pessoa que veio buscar a informação sobre como elas descobriram quantas crianças tinham na turma.

Desdobramentos

Caso você queira repetir a atividade, é possível realizá-la diariamente variando as crianças nos registros. A partir da contagem das crianças, você pode problematizar situações em que elas precisem contar brinquedos ou materiais para a organização das atividades diárias. Por exemplo, é possível propor que elas organizem o refeitório para o almoço dos colegas de outra turma. Para isso, elas poderão contar as crianças da outra turma para separar quantidades de pratos, talheres ou copos. Você pode deixar um cartaz exposto em algum local em que as crianças possam levar as fichascom o número de crianças presentes, para que aqueles que precisam dessa informação possam acessá-la.

Engajando as famílias

Envie um bilhete para as famílias comunicando sua intenção de envolver as crianças em situações de contagem e sugira que os parentes ensinem as crianças nessas situações no cotidiano. Por exemplo, contando quantos familiares irão jantar, quantos irão para o passeio, quantos itens precisamos comprar no supermercado, quantos ingredientes será utilizado em uma receita etc. Além disso, com o intuito de conhecer quem são as pessoas que compõem a família da criança, peça para que enviem uma foto da sua família e respondam a questão “QUANTAS PESSOAS VIVEM NA NOSSA CASA?” e “QUEM SÃO ESSAS PESSOAS?”. As crianças podem apresentar a foto para os colegas em um momento de roda de conversa e dizer quem são as pessoas da foto, além de contar o número de familiares. Essas fotos podem ser colocadas em mural. Você também pode convidar algumas famílias para falar sobre sua composição familiar para a turma.

Este plano de atividade foi elaborado pelo Time de Autores NOVA ESCOLA

Autor: Evandro Tortora

Mentor: Nilcileni Aparecida Ebani Brambilla

Especialista do subgrupo etário: Karina Rizek

Sugestão de idade: 3 anos

Campos de Experiência:  Espaços, tempos, quantidades, relações e transformações. O eu, o outro e o nós.

Objetivos e códigos da Base
Centrais:

(EI02ET07) Contar oralmente objetos, pessoas, livros etc., em contextos diversos.

(EI02ET08) Registrar com números a quantidade de crianças (meninas e meninos, presentes e ausentes) e a quantidade de objetos da mesma natureza (bonecas, bolas, livros etc.).
Transversal:

(EI02EO03) Compartilhar os objetos e os espac?os com crianc?as da mesma faixa eta?ria e adultos.
Abordagem didática: Um dos objetivos da Educação Infantil é oferecer às crianças experiências significativas de contato com o mundo dos números. Para isso, é preciso planejar situações em que seja necessário utilizá-los em diferentes contextos. Uma boa ideia é aproveitar ações rotineiras, como contar quantas crianças vieram e quantas ficaram em casa ou organizar a quantidade de cadeiras para uma brincadeira. Vale também propor brincadeiras como amarelinha e boliche. Uma orientação é manter exposta na sala uma régua com números de 1 a 100, que servirá de consulta para a contagem e de referência para a representação gráfica dos números.

Apoiador Técnico


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

OUTRAS ATIVIDADES DESSA UNIDADE:

ATIVIDADES DESSA DISCIPLINA:

ATIVIDADES RELACIONADAS:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes