Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias
105

Como fazer a gestão do tempo para implementar a BNCC?

Baixe um calendário e adapte os próximos passos à realidade da sua rede ou escola

Autor: Beatriz Vichessi

Organização do tempo pode ser um dos maiores desafios para os gestores. Para contribuir com o fluxo de trabalho das redes e das escolas, um dos caminhos é criar um cronograma. Veja os próximos passos para a implementação da Base em 2019, baixe, imprima e complemente o calendário com as ações previstas na sua rede e na sua escola.

Para usar essa linha do tempo, é importante adaptá-la à realidade da rede de modo a garantir que em 2019 já seja possível iniciar a implementação da Base. O começo do ano letivo de 2020 é o prazo final para que a Base já esteja implementada em todas as salas de aula das escolas do Brasil.


Clique na imagem para fazer o download

Veja o que vem pela frente em 2019:

2019

 JANEIRO

Início das formações com diretores, coordenadores e equipes técnicas pedagógicas das Secretarias

A formação das equipes de gestão deve começar logo após a publicação da proposta curricular da rede, sendo janeiro a data limite pois esta equipe precisa estar preparada para que sejam multiplicadores desta formação com seus professores nas escolas e possam conduzir os momentos de revisão do PPP, alinhado à BNCC.



FEVEREIRO

Início das formações com professores
Revisão dos Projetos Políticos Pedagógicos das escolas.

A revisão do PPP deve acontecer no início do ano e, como sempre, deve envolver toda a comunidade escolar, resgatando neste momento, as mudanças trazidas pela Base nas novas referências curriculares da rede.

A formação dos professores é necessária, pois além dos ajustes nos conteúdos de algumas áreas, o que muda, também,  é a maneira de desenvolver isso nos alunos, focando nas competências e habilidades e não só no conteúdo. Ela pode acontecer nos espaço coletivos da rede, integrando todas as escolas mas também deve acontecer em cada escola, pois é lá, ao pensar no PPP, que definirão as necessidades formativas específicas daquele grupo. Cabe aos gestores de cada unidade escolar, planejar estas formações e garantir que o currículo da escola mantenha o alinhamento com a Base e com a novo currículo da rede.



MARÇO

Implementação do novo currículo nas salas de alula, alinhados à BNCC.
Acompanhamento pedagógico do trabalho nas escolas.

A implementação do currículo deve acontecer desde o início do ano, paralelamente à formação dos professores. E cabe aos gestores escolares, principalmente ao coordenador pedagógico, o acompanhamento deste trabalho na sala de aula, garantindo que as mudanças cheguem a todos os alunos. Ele deverá ser um parceiro do professores neste processo, apoiando a implementação de cada ação de modo a desenvolver nos alunos as competências e habilidades propostas no documento.



AGOSTO

Reorganização do material didático da escola/rede de ensino

Caso a rede já possua um material didático estruturado, este é o momento de revisá-lo. Após iniciar a implementação, os professores e demais educadores da rede, irão analisar que mudanças precisam ser realizadas no material para que ele possa estar alinhado e apoiando os alunos nesse novo currículo.

Para as redes que ainda não possuam este material, pode ser uma oportunidade para desenvolvê-lo alinhando ao novo currículo construído.



OUTUBRO

Definição e elaboração dos instrumentos  de avaliação e acompanhamento das aprendizagens dos alunos

Paralelamente à reorganização dos materiais é necessário começar a pensar nos instrumentos de avaliação, fazendo os alinhamentos necessários e pensando nestes como uma referência para o acompanhamento da aprendizagem dos alunos. Além disso, a equipe da Secretaria precisa pensar em como irá acompanhar e apoiar estas ações, garantindo que o trabalho possa acontecer em cada escola do país.

Veja o que aconteceu em 2018

2018

 JANEIRO

Constituição das parcerias entre estados e municípios para o regime de colaboração

O MEC tem apoiado os Estados que estão trabalhando em regime de colaboração com os municípios. Para os demais municípios, o trabalho tem acontecido de maneira individual, lançando mão de recursos próprios (financeiros e humanos).



MARÇO

Dia D: Estudo da BNCC nas escolas

O Dia D foi um momento importante para que os professores tomassem contanto com a nova Base, tendo oportunidade de ler e discutir sobre ela nas escolas onde atuam.



ABRIL

Constituição de grupos de trabalho para estudo e proposta de construção ou adaptação curricular

A constituição de grupos de trabalho é uma estratégia importante para que as redes possam construir sua proposta curricular com a participação de professores e gestores. É muito importante que todos estejam envolvidos pra que esta seja uma construção coletiva e não chegue como um documento pronto no qual os professores não se reconheçam.



MAIO

Elaboração da 1ª versão do documento

Antes de finalizar a proposta é muito importante ouvir os profissionais da rede, pois serão eles que irão implementá-la na sala de aula. A rede pode criar momentos presenciais para discutir o documento ou disponibilizá-lo em uma plataforma para que os professores acessem e opinem. É possível usar a plataforma disponibilizada pelo MEC.



JUNHO

Consulta pública da 1ª versão do documento

Antes de finalizar a proposta é muito importante ouvir os profissionais da rede, pois serão eles que irão implementá-la na sala de aula. A rede pode criar momentos presenciais para discutir o documento ou disponibilizá-lo em uma plataforma para que os professores acessem e opinem. É possível usar a plataforma disponibilizada pelo MEC.



SETEMBRO

Revisão da 1ª versão da proposta curricular da rede alinhada à BNCC

Após ouvir as diversas opiniões é necessário reunir novamente as equipes responsáveis para incorporarem as sugestões e elaborarem a versão final do documento.



NOVEMBRO

Publicação da proposta concluída

Após a finalização do documento, é hora de compartilhar com a rede o resultado final do trabalho conjunto, para que todos se apropriem do material e possam implementá-lo nas escolas. 

2019

 JANEIRO

Início das formações com diretores, coordenadores e equipes técnicas pedagógicas das Secretarias

A formação das equipes de gestão deve começar logo após a publicação da proposta curricular da rede, sendo janeiro a data limite pois esta equipe precisa estar preparada para que sejam multiplicadores desta formação com seus professores nas escolas e possam conduzir os momentos de revisão do PPP, alinhado à BNCC.



FEVEREIRO

Início das formações com professores
Revisão dos Projetos Políticos Pedagógicos das escolas.

A revisão do PPP deve acontecer no início do ano e, como sempre, deve envolver toda a comunidade escolar, resgatando neste momento, as mudanças trazidas pela Base nas novas referências curriculares da rede.

A formação dos professores é necessária, pois além dos ajustes nos conteúdos de algumas áreas, o que muda, também,  é a maneira de desenvolver isso nos alunos, focando nas competências e habilidades e não só no conteúdo. Ela pode acontecer nos espaço coletivos da rede, integrando todas as escolas mas também deve acontecer em cada escola, pois é lá, ao pensar no PPP, que definirão as necessidades formativas específicas daquele grupo. Cabe aos gestores de cada unidade escolar, planejar estas formações e garantir que o currículo da escola mantenha o alinhamento com a Base e com a novo currículo da rede.



MARÇO

Implementação do novo currículo nas salas de alula, alinhados à BNCC.
Acompanhamento pedagógico do trabalho nas escolas.

A implementação do currículo deve acontecer desde o início do ano, paralelamente à formação dos professores. E cabe aos gestores escolares, principalmente ao coordenador pedagógico, o acompanhamento deste trabalho na sala de aula, garantindo que as mudanças cheguem a todos os alunos. Ele deverá ser um parceiro do professores neste processo, apoiando a implementação de cada ação de modo a desenvolver nos alunos as competências e habilidades propostas no documento.



AGOSTO

Reorganização do material didático da escola/rede de ensino

Caso a rede já possua um material didático estruturado, este é o momento de revisá-lo. Após iniciar a implementação, os professores e demais educadores da rede, irão analisar que mudanças precisam ser realizadas no material para que ele possa estar alinhado e apoiando os alunos nesse novo currículo.

Para as redes que ainda não possuam este material, pode ser uma oportunidade para desenvolvê-lo alinhando ao novo currículo construído.



OUTUBRO

Definição e elaboração dos instrumentos  de avaliação e acompanhamento das aprendizagens dos alunos

Paralelamente à reorganização dos materiais é necessário começar a pensar nos instrumentos de avaliação, fazendo os alinhamentos necessários e pensando nestes como uma referência para o acompanhamento da aprendizagem dos alunos. Além disso, a equipe da Secretaria precisa pensar em como irá acompanhar e apoiar estas ações, garantindo que o trabalho possa acontecer em cada escola do país.