13442
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Plano de aula - Explorando palavras com diferentes formações silábicas

POR: Regivane Dos Santos Brito 24/11/2018
Código: LPO2_01ATS02

2º ano / Língua Portuguesa / Atividade de Sistematização

Plano de aula alinhado à BNCC:

(EF02LP04) Ler e escrever corretamente palavras com sílabas CV, V, CVC, CCV, identificando que existem vogais em todas as sílabas.

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 2º Ano do Fundamental sobre construção alfabética e o uso de diferentes formações silábicas

 

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: esta é segunda aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é ampliar o repertório de conhecimentos em relação à leitura e à escrita de palavras com sílabas CV, V, CVC, CCV.

Materiais necessários: quadro, piloto, cópia da atividade (clique aqui), lápis, borracha, pen drive com a apresentação dos slides e data show.

Dificuldades antecipadas: Alguns alunos silábicos alfabéticos ou recém alfabéticos poderão ter dificuldades em relação à representação das sílabas CVC (consoante-vogal-consoante), CCV (consoante-consoante-vogal) e V (vogal). Isso porque creem que as sílabas precisam ter duas letras (princípio de quantidade) e que essas letras precisam necessariamente ter a seguinte ordem: uma consoante seguida de uma vogal (princípio de qualidade), o que provoca erros ortográficos como ‘secola’ (escola), ‘parato’ / ‘parto’ (prato), ‘bise’ (bis).

Referências sobre o assunto:

Estrutura Silábica do Glossário Ceale. Disponível em:< http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/estrutura-silabica>. Acesso em: 29 de agosto de 2018.

MORAIS.;A.G.; Sistema de escrita alfabética. São Paulo: Editora Melhoramentos,2012.

LEAL, Telma Ferraz. Jogos: alternativas didáticas para brincar alfabetizando (ou alfabetizar brincando?). In: MORAIS, Artur G.; ALBUQUERQUE, Eliana Borges C,; LEAL, Telma Ferraz. Alfabetização: apropriação do sistema alfabético de escrita. Belo Horizonte:Autêntica, 2005. Disponível em: <http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/20.pdf>. Acesso em: 28 de agosto de 2018.

BRANDÃO, Ana Carolina P.; FERREIRA, Andréa Tereza Brito; MORAIS, Artur Gomes; ALBUQUERQUE, Eliana Borges Correia; LEAL, Telma Ferraz. Jogos de alfabetização. Brasília: Ministério da Educação,2010. Disponível em: <http://www.plataformadoletramento.org.br/arquivo_upload/2014-02/20140210152238-mec_ufpe_manual_de_jogos_didaticos_revisado.pdf>. Acesso em: 28 de agosto de 2018.

CURVELO, Cristina Soraia de Souza; MEIRELES, Elisabet de Sousa; CORREA, Jane. O conhecimento ortográfico da criança no jogo da forca. Psicol. Reflex. Crit., vol.11 n.3 Porto Alegre, 1998. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721998000300007>. Acesso em 02 de setembro de 2018.

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações: Apresente o tema desta aula e explique aos alunos que eles irão pensar um pouco sobre as possibilidades de formações silábicas.

Tempo sugerido: 9 minutos

Orientações:

  • Inicie a aula escrevendo no quadro algumas escritas de uma mesma palavra para que os alunos identifiquem a escrita correta. Explique aos alunos que em uma atividade realizada em sala de aula, encontrou escritas diferentes para a mesma palavra.
  • Apresente aos alunos uma palavra por vez, com composições de sílabas diferentes e escrita de diferentes formas, por exemplo, COBRA, FORMIGA, URUBU.
  • Escreva no quadro a palavra com a escrita convencional e com as escritas contendo inversões ou omissões de letras (de acordo com a hipótese silábica-alfabética e/ou recém alfabética). Desse modo, você pode escrever: COBA - COBRA - COBAR - CORBA; FOMIGA - FORMIH - FORMIGA - FOMIRGA; URUBU - ARUBU - RURUBU - URUB.
  • Solicite que os alunos leiam as palavras do quadro em voz alta e questione-os: qual é a escrita correta da palavra COBRA? Ao identificarem a escrita correta, peça que justifiquem o porquê de as outras palavras não serem aceitas como corretas. Aproveite este momento para chamar atenção dos alunos para a composição das sílabas, por exemplo, a sílaba “BRA” não é formada apenas por uma consoante e uma vogal (como na alternativa COBA), e que pelo som é possível identificar que termina com uma vogal (não podendo ser representada como na alternativa COBAR). Pronuncie a palavra e chame a atenção para a sílaba forte BRA, descartando a alternativa CORBA.

Qual é a escrita correta da palavra FORMIGA? Ao identificarem a escrita correta, peça que justifiquem o porquê de as outras palavras não serem aceitas como corretas. Chame atenção dos alunos para a composição das sílabas, por exemplo, a sílaba “FOR” não é formada apenas por uma consoante e uma vogal (como na alternativa FOMIGA), e que pelo som é possível identificar que termina com uma vogal (não podendo ser representada como na alternativa FORMIH). Pronuncie a palavra e chame a atenção para a sílaba forte FOR, solicitando que os alunos identifiquem quais letras compõem a sílaba “MI”, descartando a alternativa FOMIRGA.

Qual é a escrita correta da palavra URUBU? Ao identificarem a escrita correta, peça que justifiquem o porquê de as outras palavras não serem aceitas como corretas. Chame atenção dos alunos para a composição das sílabas, por exemplo, a sílaba “U” não é formada por uma consoante e uma vogal (como na alternativa RURUBU), e que pelo som é possível identificar que termina com uma vogal (não podendo ser representada como na alternativa URUB). Chame a atenção para a letra inicial da palavra, mostrando que pelo som é possível perceber que se trata da vogal U, portanto não pode ser a alternativa ARUBU.

Ao fazer essa análise junto com os alunos, circule as palavras corretas.

  • Chame a atenção dos alunos para as diferentes formações silábicas presentes nestas palavras, mostrando as sílabas CV, V, CCV, CVC.
  • Organize os alunos em duplas, compondo-as de acordo com diferentes níveis de conhecimento sobre a escrita, para que possam trocar experiências, ajudando um ao outro.

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Entregue para cada dupla uma atividade com imagens como, por exemplo, imagens de animais, de frutas, etc. e tracinhos, representando a quantidade de letras do nome dos animais, frutas ou outros, para que os alunos possam refletir sobre quais seriam as letras necessárias para a escrita daquela palavra. A presença dos tracinhos, determinando a quantidade de letras, poderá causar conflito na hipótese de alunos que utilizam sempre duas letras para cada sílaba, pois pode ser que escrevam de acordo com o que acreditam e ainda sobrem tracinhos.
  • Escolha palavras com diferentes formações silábicas (CV, V, CVC, CCV), de modo que os alunos possam perceber que as sílabas nem sempre precisam ter duas letras (princípio de quantidade) e que essas letras não precisam necessariamente ter a seguinte ordem: uma consoante seguida de uma vogal (princípio de qualidade).
  • Circule pela sala, observando as duplas durante a atividade e esclareça as dúvidas, se houver.
  • Faça intervenções quando alguma dupla estiver em conflito, sem conseguir identificar a letra que está faltando para completar todos os tracinhos, ou seja, deixando tracinhos em branco ou se tiverem uma quantidade maior de letras do que de tracinhos. Nesses casos, o professor pode fazer a leitura da palavra junto com os alunos e solicitar que eles atentem para o som das letras.
  • Avalie o desempenho das crianças durante a atividade e faça anotações que possam te ajudar a analisar os avanços e as dificuldades de cada criança e descobrir quais os agrupamentos que trabalharam bem em parceria e quais agrupamentos precisarão ser reorganizados em outras aulas/atividades.

Materiais complementares: Clique aqui para acessar uma sugestão de atividade com o nome dos animais.

Orientações:

  • Entregue para cada dupla uma atividade com imagens como, por exemplo, imagens de animais, de frutas, etc. e tracinhos, representando a quantidade de letras do nome dos animais, frutas ou outros, para que os alunos possam refletir sobre quais seriam as letras necessárias para a escrita daquela palavra. A presença dos tracinhos, determinando a quantidade de letras, poderá causar conflito na hipótese de alunos que utilizam sempre duas letras para cada sílaba, pois pode ser que escrevam de acordo com o que acreditam e ainda sobrem tracinhos.
  • Escolha palavras com diferentes formações silábicas (CV, V, CVC, CCV), de modo que os alunos possam perceber que as sílabas nem sempre precisam ter duas letras (princípio de quantidade) e que essas letras não precisam necessariamente ter a seguinte ordem: uma consoante seguida de uma vogal (princípio de qualidade).
  • Circule pela sala, observando as duplas durante a atividade e esclareça as dúvidas, se houver.
  • Faça intervenções quando alguma dupla estiver em conflito, sem conseguir identificar a letra que está faltando para completar todos os tracinhos, ou seja, deixando tracinhos em branco ou se tiverem uma quantidade maior de letras do que de tracinhos. Nesses casos, o professor pode fazer a leitura da palavra junto com os alunos e solicitar que eles atentem para o som das letras.
  • Avalie o desempenho das crianças durante a atividade e faça anotações que possam te ajudar a analisar os avanços e as dificuldades de cada criança e descobrir quais os agrupamentos que trabalharam bem em parceria e quais agrupamentos precisarão ser reorganizados em outras aulas/atividades.

Materiais complementares: Clique aqui para acessar uma sugestão de atividade com o nome dos animais.

Orientações:

  • Entregue para cada dupla uma atividade com imagens como, por exemplo, imagens de animais, de frutas, etc. e tracinhos, representando a quantidade de letras do nome dos animais, frutas ou outros, para que os alunos possam refletir sobre quais seriam as letras necessárias para a escrita daquela palavra. A presença dos tracinhos, determinando a quantidade de letras, poderá causar conflito na hipótese de alunos que utilizam sempre duas letras para cada sílaba, pois pode ser que escrevam de acordo com o que acreditam e ainda sobrem tracinhos.
  • Escolha palavras com diferentes formações silábicas (CV, V, CVC, CCV), de modo que os alunos possam perceber que as sílabas nem sempre precisam ter duas letras (princípio de quantidade) e que essas letras não precisam necessariamente ter a seguinte ordem: uma consoante seguida de uma vogal (princípio de qualidade).
  • Circule pela sala, observando as duplas durante a atividade e esclareça as dúvidas, se houver.
  • Faça intervenções quando alguma dupla estiver em conflito, sem conseguir identificar a letra que está faltando para completar todos os tracinhos, ou seja, deixando tracinhos em branco ou se tiverem uma quantidade maior de letras do que de tracinhos. Nesses casos, o professor pode fazer a leitura da palavra junto com os alunos e solicitar que eles atentem para o som das letras.
  • Avalie o desempenho das crianças durante a atividade e faça anotações que possam te ajudar a analisar os avanços e as dificuldades de cada criança e descobrir quais os agrupamentos que trabalharam bem em parceria e quais agrupamentos precisarão ser reorganizados em outras aulas/atividades.

Materiais complementares: Clique aqui para acessar uma sugestão de atividade com o nome dos animais.

Orientações:

  • Entregue para cada dupla uma atividade com imagens como, por exemplo, imagens de animais, de frutas, etc. e tracinhos, representando a quantidade de letras do nome dos animais, frutas ou outros, para que os alunos possam refletir sobre quais seriam as letras necessárias para a escrita daquela palavra. A presença dos tracinhos, determinando a quantidade de letras, poderá causar conflito na hipótese de alunos que utilizam sempre duas letras para cada sílaba, pois pode ser que escrevam de acordo com o que acreditam e ainda sobrem tracinhos.
  • Escolha palavras com diferentes formações silábicas (CV, V, CVC, CCV), de modo que os alunos possam perceber que as sílabas nem sempre precisam ter duas letras (princípio de quantidade) e que essas letras não precisam necessariamente ter a seguinte ordem: uma consoante seguida de uma vogal (princípio de qualidade).
  • Circule pela sala, observando as duplas durante a atividade e esclareça as dúvidas, se houver.
  • Faça intervenções quando alguma dupla estiver em conflito, sem conseguir identificar a letra que está faltando para completar todos os tracinhos, ou seja, deixando tracinhos em branco ou se tiverem uma quantidade maior de letras do que de tracinhos. Nesses casos, o professor pode fazer a leitura da palavra junto com os alunos e solicitar que eles atentem para o som das letras.
  • Avalie o desempenho das crianças durante a atividade e faça anotações que possam te ajudar a analisar os avanços e as dificuldades de cada criança e descobrir quais os agrupamentos que trabalharam bem em parceria e quais agrupamentos precisarão ser reorganizados em outras aulas/atividades.

Materiais complementares: Clique aqui para acessar uma sugestão de atividade com o nome dos animais.

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Peça que os alunos observem os nomes que escreveram na atividade e os questione: as vogais e as consoantes aparecem na mesma ordem nas palavras? Espera-se que os alunos indiquem que há palavras diferentes em que aparecem sílabas CV, CVC, CCV, V. Caso não indiquem, chame atenção para estas questões.
  • Solicite que alguns alunos apresentem exemplos de palavras com diferentes formações silábicas, colocando-as no quadro para que os alunos em processo de alfabetização possam ter mais uma oportunidade de se familiarizar com a escrita de diferentes sílabas. Nesse caso, os alunos devem utilizar as próprias palavras que escreveram na atividade.
  • Questione os alunos sobre os casos que tiveram mais dúvidas/dificuldades na hora da escrita. Espera-se que os alunos que ainda não estão alfabetizados sinalizem que tiveram mais dúvidas/dificuldades para escrever as palavras com sílabas não canônicas.
  • Chame a atenção para as sílabas CV, V, CCV e CVC nos exemplos apresentados pelos alunos e explique que todas as sílabas em português possuem vogais, ou seja, não existem sílabas na Língua Portuguesa formadas apenas por consoantes.

Este plano de aula foi produzido pelo Time de Autores NOVA ESCOLA
Professor-autor: Regivane Brito
Mentor: Anie Paruta
Especialista: Tânia Rios

Título da aula: Explorando palavras com diferentes formações silábicas

Finalidade da aula: Ampliar o repertório de conhecimento em relação à leitura e à escrita de palavras com sílabas CV, V, CVC e CCV.

Ano: 2º ano do Ensino Fundamental

Objeto(s) do conhecimento: Construção do sistema alfabético e ortográfico

Prática de linguagem: Análise linguística e semiótica

Habilidade(s) da BNCC: (EF02LP04)

Sobre esta aula: esta é segunda aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é ampliar o repertório de conhecimentos em relação à leitura e à escrita de palavras com sílabas CV, V, CVC, CCV.

Materiais necessários: quadro, piloto, cópia da atividade (clique aqui), lápis, borracha, pen drive com a apresentação dos slides e data show.

Dificuldades antecipadas: Alguns alunos silábicos alfabéticos ou recém alfabéticos poderão ter dificuldades em relação à representação das sílabas CVC (consoante-vogal-consoante), CCV (consoante-consoante-vogal) e V (vogal). Isso porque creem que as sílabas precisam ter duas letras (princípio de quantidade) e que essas letras precisam necessariamente ter a seguinte ordem: uma consoante seguida de uma vogal (princípio de qualidade), o que provoca erros ortográficos como ‘secola’ (escola), ‘parato’ / ‘parto’ (prato), ‘bise’ (bis).

Referências sobre o assunto:

Estrutura Silábica do Glossário Ceale. Disponível em:< http://ceale.fae.ufmg.br/app/webroot/glossarioceale/verbetes/estrutura-silabica>. Acesso em: 29 de agosto de 2018.

MORAIS.;A.G.; Sistema de escrita alfabética. São Paulo: Editora Melhoramentos,2012.

LEAL, Telma Ferraz. Jogos: alternativas didáticas para brincar alfabetizando (ou alfabetizar brincando?). In: MORAIS, Artur G.; ALBUQUERQUE, Eliana Borges C,; LEAL, Telma Ferraz. Alfabetização: apropriação do sistema alfabético de escrita. Belo Horizonte:Autêntica, 2005. Disponível em: <http://www.serdigital.com.br/gerenciador/clientes/ceel/arquivos/20.pdf>. Acesso em: 28 de agosto de 2018.

BRANDÃO, Ana Carolina P.; FERREIRA, Andréa Tereza Brito; MORAIS, Artur Gomes; ALBUQUERQUE, Eliana Borges Correia; LEAL, Telma Ferraz. Jogos de alfabetização. Brasília: Ministério da Educação,2010. Disponível em: <http://www.plataformadoletramento.org.br/arquivo_upload/2014-02/20140210152238-mec_ufpe_manual_de_jogos_didaticos_revisado.pdf>. Acesso em: 28 de agosto de 2018.

CURVELO, Cristina Soraia de Souza; MEIRELES, Elisabet de Sousa; CORREA, Jane. O conhecimento ortográfico da criança no jogo da forca. Psicol. Reflex. Crit., vol.11 n.3 Porto Alegre,  1998. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-79721998000300007>. Acesso em 02 de setembro de 2018.


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

AULAS DESSA UNIDADE:

AULA 02

Explorando palavras com diferentes formações silábicas

VOCÊ ESTÁ AQUI

AULAS DESSA DISCIPLINA:

1º Ano / Língua Portuguesa / Atividade de Sistematização

2º Ano / Língua Portuguesa / Atividade de Sistematização

AULAS RELACIONADAS:

2º Ano / Língua Portuguesa / Atividade de Sistematização

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes