15022
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 9º ano > Oralidade

Plano de aula - Assembleia

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 9º ano do Ensino Fundamental sobre Oralidade / Leitura / Produção de textos

Plano 01 de 1 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ariane Previde Paz

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é uma proposta de atividade permanente para trabalhar o gênero assembleia. O campo de atuação priorizado nessa atividade é o de atuação na vida pública.

Justificativa: Frente à necessidade de se discutir as relações interpessoais na busca de uma convivência positiva e democrática, a assembleia é um espaço em que se valoriza o diálogo na resolução de problemas, em que se exercita a capacidade de argumentar oralmente e em que se aprende a explicitar e sustentar o ponto de vista com apoio de evidências, fortalecendo, assim, a construção da cidadania e dos valores de democracia, de respeito, de justiça, de solidariedade. No geral, são reuniões periódicas que regularizam as relações de convívio entre as pessoas de uma comunidade. No ciclo entre o 8º e o 9º anos, estimula-se a participação dos alunos na análise de problemas sociais.

Materiais necessários:

Cartolina ou papel kraft; canetas hidrográficas; folha de sulfite ou folha pautada; lápis.

Dificuldades antecipadas:

Revelar medo ou vergonha de expor as ideias; Mobilizar a discussão, criando obstáculos à participação dos colegas; Apresentar dificuldades em cooperar com o grupo de trabalho; Apresentar dificuldades para sintetizar a ideia; Não empregar linguagem respeitosa; Desprezar ou ameaçar alguém que sustenta um ponto de vista diferente; Propor sugestões punitivas cuja decisão não compete a uma assembleia; Mostrar desânimo a respeito da função da assembleia; Desviar-se dos tópicos em discussão, afastando-se da finalidade do encontro; Sugerir soluções amplas demais; Distinguir argumentos válidos de inválidos. Apresentar argumentos baseados no senso comum; Não encontrar problemas da sociedade por naturalizar aquela situação; Desmotivar por causa das burocracias. Não se envolver nas ações definidas.

Referências:

Visite a atividade permanente sobre assembleia de anos anteriores do Ensino Fundamental no site da Revista Escola para compreender a progressão estabelecida.

Assembleias Escolares - MEC TV Escola. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=dUQ80t0JhzE>. Acesso em: 16 jun. 2018.

ARAUJO, Ulisses F. Autogestão na sala de aula: as assembleias escolares. São Paulo: Summus, 2015

PUIG, Josep Maria. Democracia e participação escolar: proposta de atividades. São Paulo: Moderna, 2005

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Sensibilização:

  • É a etapa em que os alunos compreendem o objetivo desta proposta de assembleia, integrando os problemas da sociedade à vida escolar dos alunos.
  • A sensibilizaç?o está prevista para ocorrer somente no início das atividades, ao iniciar as reuniões periódicas, mas pode ser retomada durante o ano, se necessário.
  • É dividida em dois momentos:

1º Momento

  • Reflita com os alunos:
  • Quais os problemas sociais que eu considero relevantes e atuais?
  • Esses problemas sociais afetam muitas pessoas da sociedade? Afetam a escola?
  • Você dialoga com diferentes pessoas sobre diferentes problemas sociais? Se sim, isso já o ajudou a refletir sobre eles e buscar uma solução?

2. A partir da discussão das questões acima, fortaleça a importância do aluno participar e ser ouvido dentro e fora da escola.

3. É importante que o aluno compreenda que ele está em um processo simultâneo entre sujeito e objeto para desenvolver ações baseadas em critérios de igualdade, liberdade, participação e de justiça.

4. Ressalte que todos são responsáveis pelos diferentes espaços sociais e pelo percurso de vida que envolve aspectos profissionais, afetivos, intelectuais e sociais.

5. Acrescente, também, a importância dos moradores dos bairros dialogarem para que cada um colabore e compartilhe as ações em prol da comunidade.

6. Peça aos alunos que compartilhem as experiências individuais vividas em um contexto social, por exemplo, os alunos divulgam uma ONG que recebe crianças no contraturno da escola ou um asilo que acolhe idosos de baixa renda.

7. Desafie os alunos a descobrirem espaços que eles possam se envolver, seja agindo, seja recebendo orientação.

2º Momento

Mas o que é uma assembleia?

  • Esclareça que a assembleia é um espaço de discussão, a partir de uma pauta organizada pelos alunos, em que o assunto pode ser tratado, investigado e observado por diferentes pontos de vista.
  • Ressalte que no 9º ano a pauta da assembleia está voltada para problemas que envolvem a sociedade e não somente a comunidade ao redor da escola. Que os alunos devem ir além do bairro e pensar sobre os desafios que são impostos à juventude na atualidade.
  • Explique que a assembleia é constituída por três momentos extremamente importantes para que a participação de todos seja garantida, para que obstáculos sejam reconhecidos e possibilidades, identificadas.
  • Preparação: etapa que antecede a reunião, na qual a pauta será elaborada por todos os alunos.
  • Reunião: é o momento da assembleia em que há a discuss?o coletiva das quest?es organizadas na pauta.
  • Comprometimento: deliberaç?es das responsabilidades e dos compromissos assumidos por todos após os debates da reunião.

4. Periodicidade: apresente um calendário anual e decida com a turma os dias das reuniões. Caso necessite mudá-los, discuta com os alunos e esclareça as razões.

5. Solicite aos alunos que se organizem em grupos de 4 ou 5 participantes, número adequado para que consigam discutir e compartilhar ideias, decisões e responsabilidades.

  • Cada grupo ficará responsável por uma sessão da assembleia. De acordo com o calendário anual já estabelecido, cada grupo será incumbido de organizar uma reunião cujas responsabilidades serão detalhadas no decorrer do plano.
  • Ressalte a importância de o grupo não ser construído somente por afinidades.
  • Utilize como critérios de agrupamento:
  • Diferentes habilidades: leitura, escrita, oralidade, de comunicação, de mediação e de organização.
  • Diversidade de gênero.

6. Confeccione ou peça a um aluno ou a um grupo de alunos que confeccione um cartaz com as datas e o grupo responsável por cada reunião. Deixe o cartaz visível para toda a turma. O calendário também pode ser disponibilizado por meio de um grupo em rede social ou uma agenda digital, exemplo, google agenda, calendar. Utilize esses recursos para divulgar as Atas, ações ou qualquer outro documento que a turma considere importante.

Elaboração da pauta

  • A pauta é a primeira etapa da Assembleia que ocorre durante todo o mês que antecede a data estabelecida para a reunião acontecer.
  • A pauta é o espaço em que os alunos registram os assuntos que serão debatidos e as apreciações.
  • Os assuntos debatidos estão relacionados, principalmente, ao ambiente externo da escola, entretanto, podem compor a pauta situações internas.
  • Estimule os alunos a pensarem sobre problemas sociais que afetam a vida de cada um. Os assuntos podem estar relacionados ao mundo do trabalho, ao transporte público, meio ambiente, discriminação.
  • Confeccione ou peça para ao grupo responsável por aquela sessão confeccionar dois cartazes.
  • 1° cartaz: com três partes: Repensamos/ Apreciamos/ Atuamos. A pauta é registrada nesse cartaz. No campo REPENSAMOS, os alunos registram as situações que precisam ser discutidas. No campo APRECIAMOS, os alunos registram as ações positivas e as pessoas que colaboraram. No campo ATUAMOS, os alunos anotam as sugestões de acordo com as situações descritas. No dia da reunião, as sugestões são resgatadas para aprovação ou não dos alunos.
  • 2° cartaz: Nossas ações. Acompanhamento das ações decididas na reunião. Nesse cartaz, após o encerramento de cada reunião, um aluno registra todas as ações decididas pelo grupo. Os registros são realizados de forma sucinta: nomes dos alunos- ação - data em que foi realizada a ação.
  • Deixe o cartaz acessível a todos da sala para que eles registrem os aspectos positivos, negativos e o acompanhamento.

6. Solicite aos alunos que leiam e reflitam sobre a pauta durante o mês.

7. Faltando uma semana para a reunião, o grupo responsável, com a mediação do professor, agrupa os assuntos de acordo com a complexidade e o tema para que a pauta não se torne exaustiva. Divida os assuntos em:

7.1 Situações internas.

  • São situações que acontecem dentro da escola, exemplo, um aluno está sendo discriminado por ser imigrante, o que caracteriza xenofobia.

7.2 Situação da escola para a sociedade

  • São situações que acontecem na sociedade, exemplo, o funcionamento do posto de saúde e seus problemas.
  • Os alunos estabelecem comparações sobre o problema em diferentes bairros.

7.3 Situação da sociedade para a escola.

  • São situações que acontecem na sociedade e precisam ser incorporadas por uma disciplina na escola, por exemplo, pirataria.

8. Respeite os tópicos acima para discutir na assembleia: situações internas, situações da escola para a sociedade e situação da sociedade para a escola.

9. Como a pauta será reorganizada por causa do agrupamento, um aluno reescreva os assuntos na ATA cujo modelo está anexado.

10. Caso não haja tempo suficiente para discutir toda a pauta por causa da complexidade das situações, os alunos do grupo decidem os assuntos que serão priorizados naquela sessão.

11. A pauta precisa estar visível para a turma, por isso, ou confeccione um cartaz com a pauta ou distribua uma cópia para cada grupo.

12. Estabeleça com o grupo as responsabilidades de cada integrante:

  • Leitor - responsável por ler os combinados da última reunião, as apreciações e a pauta.
  • Relator da ata- responsável por registrar os assuntos e os acordos de maneira neutra, clara e sucinta.
  • Mediador - responsável por esclarecer as dúvidas da pauta, controlar o tempo de fala, evitar possíveis desvios do assunto, sistematizar as falas dos alunos e coletar as assinaturas.

13. As mesmas responsabilidades podem ser compartilhadas por mais de um aluno, por exemplo, dois mediadores.

14. Ressalte que a Assembleia é, também, um espaço para dialogar, ampliar e questionar o ponto de vista, desenvolver conhecimentos, entretanto, há discussões que não chegam a uma conclusão concreta. Nessa situação, é necessário ter a sensação de avançar.

15. Estabeleça um espaço na escola em que os alunos divulguem os assuntos discutidos na reunião e as ações que estão em andamento ou finalizadas.

16. Estimule os alunos a escreverem diferentes mensagens que sensibilizem ou informem a comunidade escolar sobre os assuntos discutidos na assembleia.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Assembleia

1. Nossas atuações:

  • O grupo responsável organiza a sala para receber os colegas e garantir os exercícios do diálogo.
  • A organização da sala precisa favorecer a formação de uma roda de conversa.
  • Deixe a pauta visível para todos.
  • É o momento em que os alunos resgatam as ações da última sessão e avaliam se foi concluída ou não.
  • Esse momento acontece a partir da segunda reunião, pois não há resgate das ações na primeira reunião.
  • O aluno responsável lê as ações descritas no cartaz NOSSAS AÇÕES.
  • Todas as dúvidas sobre as ações lidas devem ser esclarecidas.
  • O aluno responsável pela ação finaliza afirmando se a ação foi concluída ou está em andamento.
  • Se a ação não foi finalizada, discuta se há a necessidade de outra ação ou se precisa articular outros segmentos da sociedade.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

2. Ordem do dia:

Repensamos

  • Inicie a leitura da pauta respeitando os agrupamentos e a ordem estabelecida.
  • Após a leitura da situação descrita na pauta, pergunte para a turma se os alunos que colocaram tal situação gostariam de posicionar-se.
  • Aguarde o posicionamento e amplie as discussões para o grupo.
  • Esclareça todas as dúvidas.
  • Valide todos os apontamentos por meio de uma escuta qualificada, ou seja, o mediador verifica se todos compreenderam a situação.
  • Ressalte a importância de escutar com atenção todas as falas sem julgamentos.
  • Discordar faz parte da discussão, mas é necessário que as ideias não sejam rebatidas, mas discutidas.
  • Explique aos alunos que é importante defender o seu ponto de vista, mas reconhecer a validade de todos os argumentos apresentados evita bate-boca, insulto e ironia.

Sobre a atuação:

  • Solicite que cada um pense em como agir diante de um problema social ou as situações descritas na pauta.
  • Esclareça à turma que a ação pode ser tanto uma parceria com líderes da comunidade, órgãos e instituições governamentais ou não, quanto uma denúncia ou uma solicitação.
  • A intervenção educativa pode acontecer entre sujeitos, pequenos grupos, instituição escolar e instituições externas.
  • Quando a ação determinada for responsabilidade de um grupo, torna-se necessária a figura de um líder.
  • O líder é responsável em articular a comunicação, as ações e as responsabilidades do grupo. Além disso, é o meio de interação entre o grupo e a turma.
  • Solicite aos alunos a compartilharem experiências vividas no bairro onde mora que possam ajudar a solucionar ou esclarecer a situação discutida.
  • Enfatize a importância de refletir sobre as causas e as consequências das atitudes, ideias e sugestões.
  • Peça sugestão e conclusão do assunto discutido.
  • Fortaleça o envolvimento juvenil incentivando o mapeamento da situação e o envolvimento com a solução e discussão.
  • O consenso não pode apagar a singularidade de cada um.
  • É muito importante ter o conhecimento da causa para argumentar, contra-argumentar, exemplificar e encaminhar para a conclusão.
  • Evite solucionar um problema mecanicamente. Nenhuma situação descrita pode ser considerada normal.
  • Não aceite a resposta: “sempre foi assim”.
  • Anote na lousa ou em um quadro que seja visível a todos as sugestões, as regras, os combinados propostos pelos grupos.
  • Analise com a turma as implicações de cada sugestão e estabeleça comparações.
  • Solicite aos alunos que as intervenções sejam claras, adequadas e curtas.
  • As ações devem ser adotadas de modo consciente e responsável.
  • As ações tornam-se legítimas quando são aprovadas pela maioria a partir de uma votação em que se posicionam A FAVOR, CONTRA ou ABSTENÇÃO.
  • A votação é individual.
  • Defina o aluno ou os alunos que serão responsáveis pela ação.
  • As decisões são anotadas na ata pelo aluno relator.
  • Um aluno do grupo responsável por aquela sessão anotará os nomes dos alunos que desejam falar, respeitando a ordem de levantar a mão. Essa ordem deve ser registrada em um lugar visível a todos os participantes da Assembleia, por exemplo, na lousa.
  • As sugestões aprovadas que necessitem de autorização ou validação de uma autoridade dentro da escola devem constar na ata, entretanto, será necessária a presença de uma autoridade, diretor, coordenador pedagógico, assistente de diretor, para legitimá-la ou não.
  • O mediador tem um papel importante na articulação e organização de toda a reunião, por isso, amplie e facilite a participação do aluno mediador sem negar, contudo, a responsabilidade de um educador.

Apreciamos

  • Encerradas todas as discussões, peça a um aluno do grupo responsável que leia todas as apreciações.
  • As apreciações podem referir-se a ações ou pessoas.
  • Valorize as conquistas de cada aluno e do coletivo.
  • Valorize as parcerias estabelecidas dentro e fora da escola.
  • Reconheça os obstáculos e enalteça as potencialidades.
  • Incentive o compartilhamento dos aspectos positivos, principalmente, de uma ação que ainda não foi concluída: “o que nós já conseguimos?”.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

3. Finalizando a pauta de hoje

  • O registro da ata pode ser compartilhado entre os alunos do grupo que, no encerramento da reunião, a finalizarem.
  • O grupo responsável pela reunião registra todos os combinados na ata.
  • É importante que os alunos compreendam que o registro deve ser neutro, sucinto e claro.
  • O professor orienta o registro e estimula a capacidade de escrever com autonomia.
  • Encerradas todas as discussões, o grupo finaliza rapidamente a ata.
  • Um aluno lê a ata e solicita a assinatura de todos efetivando o compromisso com o grupo.
  • Uma cópia da ata é exposta no painel e um novo cartaz é confeccionado para a próxima sessão.

Sobre a ata: A construção da ata é, além da sistematização das ações e reflexões de todo o processo, a consolidação da participação coletiva, por isso, o registro e o arquivamento cronológico dela é extremamente importante.

  • Características:

É um texto narrativo e contínuo, sem parágrafos;

Datas ou números devem ser representados por extenso;

Não se usam sigla e abreviaturas;

Usa-se o pretérito perfeito do indicativo para descrever as ações: falou, disse, declarou.

  • Em uma folha, estruture a ata para que o grupo responsável pela sessão preencha alguns dados antes da reunião da Assembleia. O modelo abaixo é uma sugestão, também disponível para a impressão.

“Aos dias _____ do mês de __________ do ano de ______________________, na escola ____________________________________________, os alunos e a professora do nono ano ___ reuniram-se sob a surpervisão do grupo composto por _______________________________________ a fim de discutir ____________________________________________________________________________. Depois de alguns debates e discussões, foi decidido _________________________________________________________________________________. O aluno _________________________________________ leu as seguintes felicitações:_______________________________________________________________________. Após o encerramento da reunião, a Ata foi lida e aprovada por todos.”

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Mapeamento

Orientações:

  • Peça aos alunos que façam um mapeamento dos projetos sociais localizados nos bairros onde eles moram, onde a escola está localizada e os bairros ao redor.
  • Solicite aos alunos que pesquisem:
  • Ongs que amparam mulheres, crianças, idosos, pessoas com deficiência, indígenas.
  • Projetos sociais que envolvam diferentes temáticas: meio ambiente, mercado de trabalho, planejamento familiar, saneamento básico, segurança, transporte público.
  • Entidades filantrópicas.
  • Espaços que oferecem cursos gratuitos.

2. Estimule os alunos a procurarem em bibliotecas, igrejas, universidades, museus, organização de bairros, postos de saúde que tenham assistência social, parques, instituições como o SESC.

3. Solicite que investiguem se há referências políticas que podem viabilizar ou ajudar nas ações, normalmente, há o deputado do bairro.

4. Ressalte a importância desse compartilhamento, pois muitas oportunidades são perdidas por falta de conhecimento do projeto.

5. Organize um momento em que os alunos possam compartilhar a pesquisa.

6. Crie um painel em que os alunos divulguem a pesquisa para toda a comunidade.

7. Essa pesquisa pode contribuir para que os alunos encontrem as soluções para os assuntos discutidos na assembleia.

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Entrevista com moradores

Orientações:

1. Peça aos alunos que entrevistem moradores do bairro para que eles compartilhem experiências, opiniões e ideias.

2. Crie com os alunos um roteiro de perguntas a partir das curiosidade dos alunos.

3. Encerrada a entrevista, organize uma roda de conversa em que os alunos compartilham as informações sobre a entrevista feita.

4. Os alunos avaliam e decidem se os assuntos apontados pelos moradores devem entrar na pauta da assembleia.

5. Sugestões para o roteiro:

  • Identificação: nome, idade, sexo.
  • Há quanto tempo você mora no bairro ou na cidade? Por que você escolheu morar neste bairro ou nesta cidade? Como era o bairro ou a cidade antes/quando você se mudou pra cá? Mudou muito? O que esse bairro ou cidade tem de diferente de outros bairros na cidade? Hoje, tem algum outro bairro ou outra cidade em que você gostaria de morar?
  • Quais os problemas que o entrevistado enfrenta no bairro e na cidade? Questione sobre trânsito, transporte público, saúde, acessibilidade, esporte, lazer, cultura, educação, serviços, moradia. E quais as soluções?

6. Esclareça aos alunos que não aceitem somente como resposta dos entrevistados “isso é culpa do governo”. Peça aos alunos que questionem: o que nós, como cidadãos, podemos fazer?

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Retorne à nossa escola

Orientações:

  • Solicite a ex-alunos que resgatem o elo com a escola compartilhando experiências pessoais e profissionais e contribuindo com ações decididas na assembleia.
  • Divulgue entre os alunos e nas redes sociais um convite para que os ex-alunos participem das atividades da escola.
  • Organize um encontro presencial para que os alunos conheçam as atividades que estão acontecendo na escola.
  • Aproveite o encontro para atualizar o cadastro.
  • Crie uma associação de ex-alunos e expanda os contatos.
  • Possibilite o intercâmbio de escolas próximas: estudantes de diferentes escolas compartilham as ações que estão acontecendo.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é uma proposta de atividade permanente para trabalhar o gênero assembleia. O campo de atuação priorizado nessa atividade é o de atuação na vida pública.

Justificativa: Frente à necessidade de se discutir as relações interpessoais na busca de uma convivência positiva e democrática, a assembleia é um espaço em que se valoriza o diálogo na resolução de problemas, em que se exercita a capacidade de argumentar oralmente e em que se aprende a explicitar e sustentar o ponto de vista com apoio de evidências, fortalecendo, assim, a construção da cidadania e dos valores de democracia, de respeito, de justiça, de solidariedade. No geral, são reuniões periódicas que regularizam as relações de convívio entre as pessoas de uma comunidade. No ciclo entre o 8º e o 9º anos, estimula-se a participação dos alunos na análise de problemas sociais.

Materiais necessários:

Cartolina ou papel kraft; canetas hidrográficas; folha de sulfite ou folha pautada; lápis.

Dificuldades antecipadas:

Revelar medo ou vergonha de expor as ideias; Mobilizar a discussão, criando obstáculos à participação dos colegas; Apresentar dificuldades em cooperar com o grupo de trabalho; Apresentar dificuldades para sintetizar a ideia; Não empregar linguagem respeitosa; Desprezar ou ameaçar alguém que sustenta um ponto de vista diferente; Propor sugestões punitivas cuja decisão não compete a uma assembleia; Mostrar desânimo a respeito da função da assembleia; Desviar-se dos tópicos em discussão, afastando-se da finalidade do encontro; Sugerir soluções amplas demais; Distinguir argumentos válidos de inválidos. Apresentar argumentos baseados no senso comum; Não encontrar problemas da sociedade por naturalizar aquela situação; Desmotivar por causa das burocracias. Não se envolver nas ações definidas.

Referências:

Visite a atividade permanente sobre assembleia de anos anteriores do Ensino Fundamental no site da Revista Escola para compreender a progressão estabelecida.

Assembleias Escolares - MEC TV Escola. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=dUQ80t0JhzE>. Acesso em: 16 jun. 2018.

ARAUJO, Ulisses F. Autogestão na sala de aula: as assembleias escolares. São Paulo: Summus, 2015

PUIG, Josep Maria. Democracia e participação escolar: proposta de atividades. São Paulo: Moderna, 2005

Slide Plano Aula

Sensibilização:

  • É a etapa em que os alunos compreendem o objetivo desta proposta de assembleia, integrando os problemas da sociedade à vida escolar dos alunos.
  • A sensibilizaç?o está prevista para ocorrer somente no início das atividades, ao iniciar as reuniões periódicas, mas pode ser retomada durante o ano, se necessário.
  • É dividida em dois momentos:

1º Momento

  • Reflita com os alunos:
  • Quais os problemas sociais que eu considero relevantes e atuais?
  • Esses problemas sociais afetam muitas pessoas da sociedade? Afetam a escola?
  • Você dialoga com diferentes pessoas sobre diferentes problemas sociais? Se sim, isso já o ajudou a refletir sobre eles e buscar uma solução?

2. A partir da discussão das questões acima, fortaleça a importância do aluno participar e ser ouvido dentro e fora da escola.

3. É importante que o aluno compreenda que ele está em um processo simultâneo entre sujeito e objeto para desenvolver ações baseadas em critérios de igualdade, liberdade, participação e de justiça.

4. Ressalte que todos são responsáveis pelos diferentes espaços sociais e pelo percurso de vida que envolve aspectos profissionais, afetivos, intelectuais e sociais.

5. Acrescente, também, a importância dos moradores dos bairros dialogarem para que cada um colabore e compartilhe as ações em prol da comunidade.

6. Peça aos alunos que compartilhem as experiências individuais vividas em um contexto social, por exemplo, os alunos divulgam uma ONG que recebe crianças no contraturno da escola ou um asilo que acolhe idosos de baixa renda.

7. Desafie os alunos a descobrirem espaços que eles possam se envolver, seja agindo, seja recebendo orientação.

2º Momento

Mas o que é uma assembleia?

  • Esclareça que a assembleia é um espaço de discussão, a partir de uma pauta organizada pelos alunos, em que o assunto pode ser tratado, investigado e observado por diferentes pontos de vista.
  • Ressalte que no 9º ano a pauta da assembleia está voltada para problemas que envolvem a sociedade e não somente a comunidade ao redor da escola. Que os alunos devem ir além do bairro e pensar sobre os desafios que são impostos à juventude na atualidade.
  • Explique que a assembleia é constituída por três momentos extremamente importantes para que a participação de todos seja garantida, para que obstáculos sejam reconhecidos e possibilidades, identificadas.
  • Preparação: etapa que antecede a reunião, na qual a pauta será elaborada por todos os alunos.
  • Reunião: é o momento da assembleia em que há a discuss?o coletiva das quest?es organizadas na pauta.
  • Comprometimento: deliberaç?es das responsabilidades e dos compromissos assumidos por todos após os debates da reunião.

4. Periodicidade: apresente um calendário anual e decida com a turma os dias das reuniões. Caso necessite mudá-los, discuta com os alunos e esclareça as razões.

5. Solicite aos alunos que se organizem em grupos de 4 ou 5 participantes, número adequado para que consigam discutir e compartilhar ideias, decisões e responsabilidades.

  • Cada grupo ficará responsável por uma sessão da assembleia. De acordo com o calendário anual já estabelecido, cada grupo será incumbido de organizar uma reunião cujas responsabilidades serão detalhadas no decorrer do plano.
  • Ressalte a importância de o grupo não ser construído somente por afinidades.
  • Utilize como critérios de agrupamento:
  • Diferentes habilidades: leitura, escrita, oralidade, de comunicação, de mediação e de organização.
  • Diversidade de gênero.

6. Confeccione ou peça a um aluno ou a um grupo de alunos que confeccione um cartaz com as datas e o grupo responsável por cada reunião. Deixe o cartaz visível para toda a turma. O calendário também pode ser disponibilizado por meio de um grupo em rede social ou uma agenda digital, exemplo, google agenda, calendar. Utilize esses recursos para divulgar as Atas, ações ou qualquer outro documento que a turma considere importante.

Elaboração da pauta

  • A pauta é a primeira etapa da Assembleia que ocorre durante todo o mês que antecede a data estabelecida para a reunião acontecer.
  • A pauta é o espaço em que os alunos registram os assuntos que serão debatidos e as apreciações.
  • Os assuntos debatidos estão relacionados, principalmente, ao ambiente externo da escola, entretanto, podem compor a pauta situações internas.
  • Estimule os alunos a pensarem sobre problemas sociais que afetam a vida de cada um. Os assuntos podem estar relacionados ao mundo do trabalho, ao transporte público, meio ambiente, discriminação.
  • Confeccione ou peça para ao grupo responsável por aquela sessão confeccionar dois cartazes.
  • 1° cartaz: com três partes: Repensamos/ Apreciamos/ Atuamos. A pauta é registrada nesse cartaz. No campo REPENSAMOS, os alunos registram as situações que precisam ser discutidas. No campo APRECIAMOS, os alunos registram as ações positivas e as pessoas que colaboraram. No campo ATUAMOS, os alunos anotam as sugestões de acordo com as situações descritas. No dia da reunião, as sugestões são resgatadas para aprovação ou não dos alunos.
  • 2° cartaz: Nossas ações. Acompanhamento das ações decididas na reunião. Nesse cartaz, após o encerramento de cada reunião, um aluno registra todas as ações decididas pelo grupo. Os registros são realizados de forma sucinta: nomes dos alunos- ação - data em que foi realizada a ação.
  • Deixe o cartaz acessível a todos da sala para que eles registrem os aspectos positivos, negativos e o acompanhamento.

6. Solicite aos alunos que leiam e reflitam sobre a pauta durante o mês.

7. Faltando uma semana para a reunião, o grupo responsável, com a mediação do professor, agrupa os assuntos de acordo com a complexidade e o tema para que a pauta não se torne exaustiva. Divida os assuntos em:

7.1 Situações internas.

  • São situações que acontecem dentro da escola, exemplo, um aluno está sendo discriminado por ser imigrante, o que caracteriza xenofobia.

7.2 Situação da escola para a sociedade

  • São situações que acontecem na sociedade, exemplo, o funcionamento do posto de saúde e seus problemas.
  • Os alunos estabelecem comparações sobre o problema em diferentes bairros.

7.3 Situação da sociedade para a escola.

  • São situações que acontecem na sociedade e precisam ser incorporadas por uma disciplina na escola, por exemplo, pirataria.

8. Respeite os tópicos acima para discutir na assembleia: situações internas, situações da escola para a sociedade e situação da sociedade para a escola.

9. Como a pauta será reorganizada por causa do agrupamento, um aluno reescreva os assuntos na ATA cujo modelo está anexado.

10. Caso não haja tempo suficiente para discutir toda a pauta por causa da complexidade das situações, os alunos do grupo decidem os assuntos que serão priorizados naquela sessão.

11. A pauta precisa estar visível para a turma, por isso, ou confeccione um cartaz com a pauta ou distribua uma cópia para cada grupo.

12. Estabeleça com o grupo as responsabilidades de cada integrante:

  • Leitor - responsável por ler os combinados da última reunião, as apreciações e a pauta.
  • Relator da ata- responsável por registrar os assuntos e os acordos de maneira neutra, clara e sucinta.
  • Mediador - responsável por esclarecer as dúvidas da pauta, controlar o tempo de fala, evitar possíveis desvios do assunto, sistematizar as falas dos alunos e coletar as assinaturas.

13. As mesmas responsabilidades podem ser compartilhadas por mais de um aluno, por exemplo, dois mediadores.

14. Ressalte que a Assembleia é, também, um espaço para dialogar, ampliar e questionar o ponto de vista, desenvolver conhecimentos, entretanto, há discussões que não chegam a uma conclusão concreta. Nessa situação, é necessário ter a sensação de avançar.

15. Estabeleça um espaço na escola em que os alunos divulguem os assuntos discutidos na reunião e as ações que estão em andamento ou finalizadas.

16. Estimule os alunos a escreverem diferentes mensagens que sensibilizem ou informem a comunidade escolar sobre os assuntos discutidos na assembleia.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Assembleia

1. Nossas atuações:

  • O grupo responsável organiza a sala para receber os colegas e garantir os exercícios do diálogo.
  • A organização da sala precisa favorecer a formação de uma roda de conversa.
  • Deixe a pauta visível para todos.
  • É o momento em que os alunos resgatam as ações da última sessão e avaliam se foi concluída ou não.
  • Esse momento acontece a partir da segunda reunião, pois não há resgate das ações na primeira reunião.
  • O aluno responsável lê as ações descritas no cartaz NOSSAS AÇÕES.
  • Todas as dúvidas sobre as ações lidas devem ser esclarecidas.
  • O aluno responsável pela ação finaliza afirmando se a ação foi concluída ou está em andamento.
  • Se a ação não foi finalizada, discuta se há a necessidade de outra ação ou se precisa articular outros segmentos da sociedade.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

2. Ordem do dia:

Repensamos

  • Inicie a leitura da pauta respeitando os agrupamentos e a ordem estabelecida.
  • Após a leitura da situação descrita na pauta, pergunte para a turma se os alunos que colocaram tal situação gostariam de posicionar-se.
  • Aguarde o posicionamento e amplie as discussões para o grupo.
  • Esclareça todas as dúvidas.
  • Valide todos os apontamentos por meio de uma escuta qualificada, ou seja, o mediador verifica se todos compreenderam a situação.
  • Ressalte a importância de escutar com atenção todas as falas sem julgamentos.
  • Discordar faz parte da discussão, mas é necessário que as ideias não sejam rebatidas, mas discutidas.
  • Explique aos alunos que é importante defender o seu ponto de vista, mas reconhecer a validade de todos os argumentos apresentados evita bate-boca, insulto e ironia.

Sobre a atuação:

  • Solicite que cada um pense em como agir diante de um problema social ou as situações descritas na pauta.
  • Esclareça à turma que a ação pode ser tanto uma parceria com líderes da comunidade, órgãos e instituições governamentais ou não, quanto uma denúncia ou uma solicitação.
  • A intervenção educativa pode acontecer entre sujeitos, pequenos grupos, instituição escolar e instituições externas.
  • Quando a ação determinada for responsabilidade de um grupo, torna-se necessária a figura de um líder.
  • O líder é responsável em articular a comunicação, as ações e as responsabilidades do grupo. Além disso, é o meio de interação entre o grupo e a turma.
  • Solicite aos alunos a compartilharem experiências vividas no bairro onde mora que possam ajudar a solucionar ou esclarecer a situação discutida.
  • Enfatize a importância de refletir sobre as causas e as consequências das atitudes, ideias e sugestões.
  • Peça sugestão e conclusão do assunto discutido.
  • Fortaleça o envolvimento juvenil incentivando o mapeamento da situação e o envolvimento com a solução e discussão.
  • O consenso não pode apagar a singularidade de cada um.
  • É muito importante ter o conhecimento da causa para argumentar, contra-argumentar, exemplificar e encaminhar para a conclusão.
  • Evite solucionar um problema mecanicamente. Nenhuma situação descrita pode ser considerada normal.
  • Não aceite a resposta: “sempre foi assim”.
  • Anote na lousa ou em um quadro que seja visível a todos as sugestões, as regras, os combinados propostos pelos grupos.
  • Analise com a turma as implicações de cada sugestão e estabeleça comparações.
  • Solicite aos alunos que as intervenções sejam claras, adequadas e curtas.
  • As ações devem ser adotadas de modo consciente e responsável.
  • As ações tornam-se legítimas quando são aprovadas pela maioria a partir de uma votação em que se posicionam A FAVOR, CONTRA ou ABSTENÇÃO.
  • A votação é individual.
  • Defina o aluno ou os alunos que serão responsáveis pela ação.
  • As decisões são anotadas na ata pelo aluno relator.
  • Um aluno do grupo responsável por aquela sessão anotará os nomes dos alunos que desejam falar, respeitando a ordem de levantar a mão. Essa ordem deve ser registrada em um lugar visível a todos os participantes da Assembleia, por exemplo, na lousa.
  • As sugestões aprovadas que necessitem de autorização ou validação de uma autoridade dentro da escola devem constar na ata, entretanto, será necessária a presença de uma autoridade, diretor, coordenador pedagógico, assistente de diretor, para legitimá-la ou não.
  • O mediador tem um papel importante na articulação e organização de toda a reunião, por isso, amplie e facilite a participação do aluno mediador sem negar, contudo, a responsabilidade de um educador.

Apreciamos

  • Encerradas todas as discussões, peça a um aluno do grupo responsável que leia todas as apreciações.
  • As apreciações podem referir-se a ações ou pessoas.
  • Valorize as conquistas de cada aluno e do coletivo.
  • Valorize as parcerias estabelecidas dentro e fora da escola.
  • Reconheça os obstáculos e enalteça as potencialidades.
  • Incentive o compartilhamento dos aspectos positivos, principalmente, de uma ação que ainda não foi concluída: “o que nós já conseguimos?”.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

3. Finalizando a pauta de hoje

  • O registro da ata pode ser compartilhado entre os alunos do grupo que, no encerramento da reunião, a finalizarem.
  • O grupo responsável pela reunião registra todos os combinados na ata.
  • É importante que os alunos compreendam que o registro deve ser neutro, sucinto e claro.
  • O professor orienta o registro e estimula a capacidade de escrever com autonomia.
  • Encerradas todas as discussões, o grupo finaliza rapidamente a ata.
  • Um aluno lê a ata e solicita a assinatura de todos efetivando o compromisso com o grupo.
  • Uma cópia da ata é exposta no painel e um novo cartaz é confeccionado para a próxima sessão.

Sobre a ata: A construção da ata é, além da sistematização das ações e reflexões de todo o processo, a consolidação da participação coletiva, por isso, o registro e o arquivamento cronológico dela é extremamente importante.

  • Características:

É um texto narrativo e contínuo, sem parágrafos;

Datas ou números devem ser representados por extenso;

Não se usam sigla e abreviaturas;

Usa-se o pretérito perfeito do indicativo para descrever as ações: falou, disse, declarou.

  • Em uma folha, estruture a ata para que o grupo responsável pela sessão preencha alguns dados antes da reunião da Assembleia. O modelo abaixo é uma sugestão, também disponível para a impressão.

“Aos dias _____ do mês de __________ do ano de ______________________, na escola ____________________________________________, os alunos e a professora do nono ano ___ reuniram-se sob a surpervisão do grupo composto por _______________________________________ a fim de discutir ____________________________________________________________________________. Depois de alguns debates e discussões, foi decidido _________________________________________________________________________________. O aluno _________________________________________ leu as seguintes felicitações:_______________________________________________________________________. Após o encerramento da reunião, a Ata foi lida e aprovada por todos.”

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Mapeamento

Orientações:

  • Peça aos alunos que façam um mapeamento dos projetos sociais localizados nos bairros onde eles moram, onde a escola está localizada e os bairros ao redor.
  • Solicite aos alunos que pesquisem:
  • Ongs que amparam mulheres, crianças, idosos, pessoas com deficiência, indígenas.
  • Projetos sociais que envolvam diferentes temáticas: meio ambiente, mercado de trabalho, planejamento familiar, saneamento básico, segurança, transporte público.
  • Entidades filantrópicas.
  • Espaços que oferecem cursos gratuitos.

2. Estimule os alunos a procurarem em bibliotecas, igrejas, universidades, museus, organização de bairros, postos de saúde que tenham assistência social, parques, instituições como o SESC.

3. Solicite que investiguem se há referências políticas que podem viabilizar ou ajudar nas ações, normalmente, há o deputado do bairro.

4. Ressalte a importância desse compartilhamento, pois muitas oportunidades são perdidas por falta de conhecimento do projeto.

5. Organize um momento em que os alunos possam compartilhar a pesquisa.

6. Crie um painel em que os alunos divulguem a pesquisa para toda a comunidade.

7. Essa pesquisa pode contribuir para que os alunos encontrem as soluções para os assuntos discutidos na assembleia.

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Entrevista com moradores

Orientações:

1. Peça aos alunos que entrevistem moradores do bairro para que eles compartilhem experiências, opiniões e ideias.

2. Crie com os alunos um roteiro de perguntas a partir das curiosidade dos alunos.

3. Encerrada a entrevista, organize uma roda de conversa em que os alunos compartilham as informações sobre a entrevista feita.

4. Os alunos avaliam e decidem se os assuntos apontados pelos moradores devem entrar na pauta da assembleia.

5. Sugestões para o roteiro:

  • Identificação: nome, idade, sexo.
  • Há quanto tempo você mora no bairro ou na cidade? Por que você escolheu morar neste bairro ou nesta cidade? Como era o bairro ou a cidade antes/quando você se mudou pra cá? Mudou muito? O que esse bairro ou cidade tem de diferente de outros bairros na cidade? Hoje, tem algum outro bairro ou outra cidade em que você gostaria de morar?
  • Quais os problemas que o entrevistado enfrenta no bairro e na cidade? Questione sobre trânsito, transporte público, saúde, acessibilidade, esporte, lazer, cultura, educação, serviços, moradia. E quais as soluções?

6. Esclareça aos alunos que não aceitem somente como resposta dos entrevistados “isso é culpa do governo”. Peça aos alunos que questionem: o que nós, como cidadãos, podemos fazer?

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser exibido para os alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão, para que você, professor, possa planejar-se por meio de outras opções.

Retorne à nossa escola

Orientações:

  • Solicite a ex-alunos que resgatem o elo com a escola compartilhando experiências pessoais e profissionais e contribuindo com ações decididas na assembleia.
  • Divulgue entre os alunos e nas redes sociais um convite para que os ex-alunos participem das atividades da escola.
  • Organize um encontro presencial para que os alunos conheçam as atividades que estão acontecendo na escola.
  • Aproveite o encontro para atualizar o cadastro.
  • Crie uma associação de ex-alunos e expanda os contatos.
  • Possibilite o intercâmbio de escolas próximas: estudantes de diferentes escolas compartilham as ações que estão acontecendo.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

AULAS DE Oralidade do 9º ano :

9º ano / Língua Portuguesa / Análise linguística/Semiótica

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 9º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP20 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP22 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP23 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP25 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP26 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano