14991
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 8º ano > Leitura/Escuta

Plano de aula - Minisseminários

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 8º ano do EF sobre Minisseminários

Plano 01 de 1 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ana Lúcia Pena

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é uma proposta de atividade permanente para trabalhar minisseminários. O campo de atuação priorizado nesta atividade é o das Práticas de estudo e pesquisa, marcado pela linha investigativa, utilizando gêneros textuais do campo investigativo – artigos de divulgação científica, verbetes impressos e digitais, seminários, apresentação oral – não o tema em si. Opta-se, aqui, pela estrutura dos textos expositivos – sequência, descrição, contraste, enumeração, causa-efeito, solução de problemas – valendo-se dos argumentos estabelecidos por Gonzaga (2017, p.175) como raciocínio lógico, e/ou de autoridade, e/ou de provas concretas. Assim, ampara-se na estrutura e práticas dos minisseminários, para dar corpo a este trabalho.

Justificativa: A prática de ensino pautada em gêneros orais é uma realidade distante dos ambientes escolares e é preciso pensá-la como prática que requer estudo e pesquisa; enfim, preparação, aproximando as aulas das práticas sociais vigentes. Neste contexto, busca-se promover uma base alfabetizadora científica, com ações visando à autonomia do estudante, por meio de pesquisa, produção e participação coletiva, vivenciando situações comunicativas, com inserção no campo investigativo. Apesar de o foco estar sobre o gênero Oral, de se estruturar na interação entre expositor e audiência, considera-se a necessidade de consolidação de aspectos discursivos, linguísticos e semióticos que envolvem o planejamento da apresentação oral estruturado na curadoria reflexiva e crítica de informações e na adequação da linguagem e dos recursos gestuais e cinésicos. No ciclo de 8º e 9º anos, o minisseminário tem como objetivo consolidar a autonomia dos estudantes sobre as características e estruturas da exposição oral, no campo de estudo e pesquisa, com ênfase nas estratégias de discurso reportado e alusão cultural.

Materiais necessários: Cartolina, pincéis, papéis coloridos, uso de computadores conectados à internet.

Dificuldades antecipadas:

  • Timidez ou vergonha de se apresentar em público.
  • Trabalho em grupo, com envolvimento de todos os participantes.
  • Fortalecer as vozes sociais (grupos, instituições, pessoas), no uso do discurso reportado.
  • O estudante ter pouco conhecimento prévio acerca do tema tratado.
  • Buscar informações sobre o tema em fontes confiáveis.
  • Adequar a linguagem para uma apresentação oral, inserindo modalizadores linguísticos apropriados.

Referências sobre o assunto:

DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. São Paulo: Martins Fontes, 2003. Disponível em: <http://www3.uma.pt/dmfe/DONDIS_Sintaxe_da_Linguagem_Visual.pdf>. Acesso em: jul. 2018.

FIORIN, José Luiz. Elementos de análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2008.

GLOBO.COM. Recursos argumentativos. Educação . Português. Disponível em: <http://educacao.globo.com/portugues/assunto/texto-argumentativo/recursos-argumentativos.html>. Acesso em: out. 2018.

GOMES, Flávia Elizabeth de Oliveira. Oralidade e escrita: a presença do discurso reportado em entrevistas jornalísticas. Dissertação de mestrado: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2009. pp.44-47. Disponível em: <https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/18339/1/FlaviaEOG_DISSERT.pdf>. Acesso em: nov. 2018.

GONZAGA, Elen de Souza. Seleção e avaliação de argumentos. In: CORRÊA, Vilma Reche; GARCEZ, Lucília Helena do Carmo. Textos dissertativo-argumentativos: subsídios para qualificação de avaliadores. Brasília: INEP, 2017. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/documents/186968/484421/TEXTOS+DISSERTATIVO+ARGUMENTATIVOS/7809ef0d-5a4a-4c24-9a03-9db15e0bdacf?version=1.0>. Acesso em: jul. 2018.

KOCH, Ingedore Villaça; TRAVAGLIA, Luiz Carlos. A coerência textual. São Paulo: Contexto: 2004.

FURIOTTO, Vanusa Gadelha. Como apresentar um seminário. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=BtLrAxvQhU0>. Acesso em: out. 2018.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: Variável, anterior à exposição.

Orientações:

Sensibilização:

  • É a etapa em que o aluno compreende a finalidade e a estrutura de um minisseminário e estabelece as regras de apresentação e o material de apoio.
  • Acontece somente uma vez antes de iniciar as apresentações dos minisseminários, mas pode ser retomada durante o ano, se necessário.
  • Fortaleça a autonomia dos alunos no minisseminário para que eles:
  • Assumam as responsabilidades dentro dos grupos e nos momentos de trabalho coletivo.
  • Exerçam papéis mais ativos nas decisões.
  • Tenham uma liderança mais acentuada.
  • Participem das construções das regras.

Minisseminário: o que é, como se faz.

  • Retome as características e a estrutura de um minisseminário com os alunos:
  • O que é um minisseminário.
  • As partes que o compõem.
  • O que precisa ser feito antes do momento em que ele acontece.

2. Faça um levantamento prévio com os alunos:

  • O que vocês lembram sobre a estrutura e as características de um minisseminário?
  • Para que fazer um minisseminário ?
  • Quais as partes de um minisseminário?
  • Como elas devem ser organizadas?
  • Quem são os participantes?
  • Qual a função de cada participante?
  • Podemos criar regras para um minisseminário?

3. Estabeleça um diálogo com os estudantes por meio das perguntas acima.

4. Ressalte que o minisseminário é um gênero textual em que os alunos se tornam expositores-especialistas que ampliarão os conhecimentos da turma transmitindo informações, descrevendo ou explicando sobre o tema decidido.

5. Explique que o minisseminário é composto de:

  • Escolha do tema.
  • Coleta de informações sobre o tema escolhido.
  • Escolha dos recursos visuais.
  • Ensaio.
  • Apresentação.
  • Avaliação.

6. Esclareça que o minisseminário é um trabalho realizado em grupo e requer duas funções para a apresentação: moderador e o apresentador.

  • É necessário distribuir ao máximo as responsabilidades, descentralizando o processo e, ao mesmo tempo, permitir que os alunos se envolvam mais.

7. Solicite que cada grupo defina as atribuições de cada integrante.

  • Moderador (aquele que faz a abertura da apresentação, controla o tempo, faz a mediação durante a rodada de perguntas, estabelece o contato com o grupo, inclusive pela postura, tom de voz, olhar).
  • Apresentador (reapresenta o tema, justifica a escolha, compartilha os conhecimentos, exemplifica, descreve e explica sobre o tema decidido).

8. O público é o restante da turma que assiste e depois participa, perguntando e/ou comentando.

9. Relembre que a turma precisa estar preparada para ouvir e participar da exposição do outro grupo.

10. Estimule-os a elaborar perguntas, fazer comentários e pedir mais informações.

11. Aproveite o primeiro momento da sensibilização para estabelecer as regras que permeiam o trabalho com minisseminário, por exemplo, respeitar a apresentação do grupo permanecendo atento ao trabalho.

12. Estabeleça a periodicidade das apresentações e decida a duração de cada minisseminário. Sugestão: 8 minutos.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: Variável, anterior à exposição.

Orientações:

Preparando a apresentação:

  • Acontece durante o mês que antecede a apresentação do minisseminário.
  • Relembre os alunos que o trabalho é realizado em grupo.

  • Uma dúvida e a busca por ajuda.
  • Esclareça aos alunos que o Minisseminário é um gênero oral e expositivo cujo tema é uma decisão do grupo.
  • A escolha do tema e apropriação dos conceitos ligados a ele acontecem por meio de pesquisa.

  • O conteúdo temático: O que realmente queremos saber?
  • Sugere-se que, por meio de uma roda de conversa, listem-se temas de interesse dos alunos.
  • Façam juntos uma análise da realidade para que optem por temas que despertem interesse. Como estão em um caminho de amadurecimento, podem, inclusive, pesquisar e apresentar temas voltados para: minorias, tecnologias, meio ambiente, multiculturalidade, enfim, as relações do homem com o ambiente que o cerca.
  • Para tanto, pode-se provocar a reflexão:
  • O que está acontecendo em nosso contexto social?
  • Que discussões têm permanecido nas discussões das mídias?
  • Qual temática tem sido apresentada nos programas culturais?
  • Como isso impacta em nosso modo de viver?
  • A qual área do conhecimento este tema está ligado?
  • Como e onde buscar informações sobre este tema?
  • Estas informações trazem conceitos, referências complementares sobre o tema?
  • Consigo selecionar algum discurso reportado para ajudar a construir o tema?
  • Consigo conectar este tema a algum elemento cultural - filmes, livros, música, poemas, textos, peças teatrais etc. - ajudando a construir o conceito, ou agregando informação complementar?

4. A definição do tema:

  • Pode fazer retomadas de conteúdos temáticos de outras disciplinas, com uma proposta interdisciplinar.
  • Propor novos temas, em consonância com as discussões sociais que circundam a contemporaneidade.
  • Retomar temas já tratados, ampliando a análise com base em novos recortes.

5. Oriente-os sobre a delimitação, pedindo que reflitam:

  • O que quero saber sobre este tema?
  • Qual é o meu objetivo ao pesquisar este tema?
  • Há alguma curiosidade que pode ser mostrada?
  • Quem são as autoridades que falam sobre o tema?

6. Articule também o conteúdo temático por meio das estruturas expositivas:

  • Sequência: Expõe ideias, comparando semelhanças ou diferenças entre aspectos. Pode empregar analogias – e estabelecer parâmetros entre fatos atuais e históricos dentro de um tema, por exemplo.
  • Descrição: Mostrar características de um determinado fenômeno.
  • Enumeração: Apresenta várias características de um tema.
  • Causa-consequência: Apresenta possíveis causas para uma determinada situação ou fenômeno e as consequências que esta situação desencadeia.
  • Solução de problemas: Apresenta o problema e intervenções possíveis.
  • Analogias: Estabelece uma comparação entre fatos, fenômenos ou situações buscando confirmar ou contratar as ideias.

7. Para saber mais: Converse sobre as características deste gênero com os alunos. Ver mais em https://www.todamateria.com.br/texto-expositivo/ (Acesso em: out. 2018.) e em https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/redacao/texto-expositivo.htm (Acesso em: out. 2018.)

  • Pesquisamos...
  • É o momento que os alunos compreendem o caminho que eles precisam percorrer para adquirir conhecimentos que darão suporte ao tema.
  • Reflita com os alunos: Onde podemos buscar informações sobre os temas?
  • Ressalte a importância do trabalho investigativo como suporte para a apresentação oral, por isso é necessário que os alunos pesquisem informações e consultem professores de diferentes áreas que possam auxiliá-los na pesquisa.
  • Esclareça que para buscar ajuda não precisa se concentrar dentro da escola.
  • Oriente os alunos a procurar informações em fontes seguras e não, simplesmente, navegar na internet de maneira vaga.
  • Recomende aos alunos que realizem pesquisas para sustentar o tratamento dos temas selecionados. Oriente quanto a busca por:
  • Reportagens - inclusive buscar o mesmo fenômeno ou fato em veículos diferentes.
  • Artigos publicados em revistas de divulgação científica.
  • Sites com verbetes digitais.

OBS: Podem ser indicados sites como:

7. Associe, ainda, a utilização dos recursos abaixo para fundamentar e tornar o tema mais expositivo:

  • Discurso reportado - inserção de vozes de grupos, especialistas, instituições.
  • Exemplificação com filmes, livros, canções- ampliando conceitos, descrições, ou fazendo comparações.
  • Citação de fatos que exemplificam o tema - fundamentando estruturas que fazem analogias, descrevem, estabelecem características.
  • Alusão cultural como estratégia para fundamentar o texto, veja mais em: https://www.figuradelinguagem.com/alusao/ (acesso em: out. 2018) e em

http://institutodelinguaviva.blogspot.com/2009/11/aula-de-redacao-5-argumentacao-no-texto.html (acesso em: out. 2018).

  • Converse sobre os operadores linguísticos usados na inserção de outras vozes no texto, conforme se explicita na EF69LP43: “Os modos de introdução de outras vozes no texto – citação literal e sua formatação e paráfrase – as pistas linguísticas responsáveis por introduzir no texto a posição do autor e dos outros autores citados (“Segundo X; De acordo com Y; De minha/nossa parte, penso/amos que”...) e os elementos de normatização (tais como as regras de inclusão e formatação de citações e paráfrases)“.

  • Os gêneros textuais expositivos: preparamos...
  • É o momento de organizar a fala e o material de apoio visual.
  • Retome, também, os conhecimentos prévios dos alunos acerca do recurso visual e da organização da fala.
  • Questione:
  • Qual a importância do recurso visual para um minisseminário?
  • O recurso visual é suficiente ou é preciso ter uma fala estruturada?
  • Como organizar a fala?
  • Qual é a melhor forma de produzir o recurso visual? Devo fazer uso das tecnologias?

4. Ressalte a importância de preparar o recurso visual, a fala e a conexão entre eles.

5. O recurso visual, seja verbal ou não verbal, serve de apoio e suporte para as principais informações.

6. Amplie o material de apoio visual por meio de diagramas, tabelas, gráficos, imagens.

7. O texto verbal deve ser objetivo, claro e atender a estrutura e as características dos textos expositivos.

8. A apresentação oral deve ser pensada, planejada, organizada:

  • Por onde começar?
  • Como expor?
  • Como se apropriar, na fala, das estruturas expositivas solicitadas e das estratégias para fundamentar o tema?
  • Como finalizar, fazendo as retomadas necessárias?
  • Que marcas linguísticas devem ser usadas?

9. Ressalte a importância da pesquisa para ajustar a organização da fala e do recurso visual com segurança.

10. Aconselhe os alunos que ensaiem antes da apresentação.

  • Preparando a apresentação
  • Retome os conhecimentos dos alunos também sobre o momento da apresentação:
  • Há alguma norma para se apresentar em público?
  • Como deve se comportar a pessoa que fala para os colegas?
  • O que é importante que ela faça?
  • Como devem se comportar as pessoas que são os ouvintes? Devem participar, perguntando, tirando dúvidas ou comentando, contribuindo com o tema e com os colegas que apresentam?
  • Qual o momento de a plateia participar?
  • Como organizar o espaço para a apresentação?

2. Ressalte a importância da apresentação estar pautada na:

  • Apresentação do grupo.
  • Introdução – Coloca o tema, prendendo o interesse do público.
  • Desenvolvimento – Análise objetiva das informações colocadas.
  • Conclusão – Síntese, recapitulando as informações colocadas.
  • Abertura para esclarecimentos e dúvidas.

3. Relembre a construção composicional deste gênero oral e a importância de cada um destes aspectos durante a apresentação:

  • Os elementos paralinguísticos (tom e volume da voz, pausas e hesitações – que, em geral, devem ser minimizadas –, modulação de voz e entonação, ritmo, respiração etc.).
  • Os elementos cinésicos (postura corporal, movimentos e gestualidade significativa, expressão facial, contato de olho com plateia, modulação de voz e entonação, sincronia da fala com ferramenta de apoio etc.) buscando aperfeiçoar a apresentação.
  • Do recurso visual como suporte à apresentação como facilitador do processo de construção do conhecimento.

4. O espaço onde o grupo vai se apresentar deve estar adequado à proposta. Assim, considere os recursos visuais, a quantidade de pessoas para a escolha do espaço. É importante que a disposição em sala dos colegas permita que todos se visualizem.

5. Esclareça que é importante que os alunos:

  • Falem claramente, com informações organizadas, coerentes com uma sequência lógica: apresentando começo, meio e fim em sua fala, com retomada dos principais pontos da exposição.
  • Usem marcas linguísticas como: Para início… Mais uma informação interessante… Em resumo... Concluindo... Retomando, podemos dizer que...
  • Provoquem o público, deixando dicas para reflexão entre os participantes.
  • Utilizem com eficácia os recursos materiais: cartazes, registro na lousa, equipamentos.
  • Posicionem-se diante do público. É interessante observar a direção do olhar, o tom de voz em cada situação.

6. Estes elementos podem ser retomados durante a avaliação no fim da apresentação.

7. Sugestão para apoio da preparação: https://www.youtube.com/watch?v=BtLrAxvQhU0 (acesso em: out. 2018) e em https://www.youtube.com/watch?v=Z8cPL0UIpzc (Acesso em: out. 2018.)

  • O minisseminário: dividimos…

1. É o momento de decidir as atribuições de cada integrante do grupo para a apresentação.

2. Esclareça que a escolha do tema, a pesquisa e a organização dos recursos visuais são atribuições de todos.

3. Os alunos definem quem serão os moderadores e os apresentadores.

  • Atribuições do moderador:
  • Fase de abertura:
  • Apresentar o grupo e o conteúdo temático.
  • Controlar o tempo.
  • Mediar as perguntas e interações com o público.
  • Agradecer o público e encerrar a apresentação.
  • Atribuições dos apresentadores
  • Justificar o conteúdo temático.
  • Explicar como a exposição vai acontecer, criando expectativa nos ouvintes.
  • Compartilhar os conhecimentos, exemplificar, descrever, comparar e explicar o tema decidido.
  • Recapitular o tema por meio dos recursos que cada grupo utilizou, por exemplo, o discurso reportado.
  • Concluir a apresentação.

  • Avaliação:
  • A partir do oitavo ano, sugere-se que os alunos participem da construção da avaliação. Esta atitude pode ajudar o aluno a compreender melhor a estrutura do gênero e os objetivos propostos para o trabalho. Escolham, juntos, uma das formas de avaliação.
  • Avaliação utilizando formulários do Google:
  • É o momento que os alunos criam um formulário para avaliar todo o trabalho.
  • A avaliação pode ser configurada em uma folha para que cada grupo assinale os pontos positivos e os pontos que precisam ser melhorados.
  • Pode-se optar por configurar o formulário no link disponível em: <https://www.google.com/intl/pt-BR/forms/about/>. Acesso em: out. 2018.
  • A avaliação é constituída por questões de múltipla escolha, produzidas antes e coletivamente.
  • Peça que observem:
  • O tema.
  • A pesquisa.
  • A apresentação.
  • A participação dos colegas.
  • A própria participação.

3. Solicite que os alunos optem pelas questões de múltipla escolha. Sugestões:

  • A apresentação acontece fundamentada em pesquisa?
  • O tema foi de relevância dentro do minisseminário?
  • A forma escolhida para apresentação ajudou no trabalho e no compartilhamento do tema?
  • A apresentação atendeu os objetivos do trabalho?
  • Os colegas apresentaram de forma clara?
  • Os colegas ouvintes contribuíram com silêncio e atenção?
  • De 1 a 10, que nota você dá para a apresentação?

4. Estimule os alunos a sugerir algumas questões abertas - do tipo respostas curtas - deixando espaço para um próximo momento:

  • Esse seminário me fez pensar em…

b) Eu gostaria de saber mais sobre…

5. O grupo envia o link para os colegas ou entrega em folha impressa para que respondam o formulário.

6. De acordo com a realidade da escola, o formulário pode ser enviado por um aplicativo ou pode ser criado um link, se a escola tiver laboratório de informática, para que os alunos respondam.

7. Mais orientações em https://support.google.com/docs/answer/7032287 (acesso em: out. 2018) e em https://support.google.com/docs/answer/6281888?hl=pt-BR&ref_topic=6063584 (acesso em: out. 2018).

Autoavaliação:

  • A autoavaliação é o momento em que os alunos refletem sobre a sua própria participação e a do grupo.
  • Pode acontecer individualmente ou dentro do grupo.
  • Retome com os grupos que apresentaram os aspectos de observação citados para a avaliação acima.
  • Cada grupo constrói a sua própria autoavaliação. Sugestões:
  • Houve ensaio?
  • Fizemos pesquisas para aprofundar o conhecimento?
  • Apresentamos no tempo determinado?
  • Houve interação dos recursos visuais com a apresentação oral?
  • Fundamentamos o tema utilizando discurso reportado, exemplos, citações, alusão cultural?

5. Atentem para questões direcionadas para a primeira pessoa do singular ou plural, dependendo da autoavaliação escolhida: individual ou em grupo.

Observação importante: A elaboração da avaliação e da autoavaliação acontece na preparação, ou seja, momento anterior ao dia da apresentação do minisseminário.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

Introdução:

  • É a primeira etapa da apresentação.
  • Com o espaço organizado e a turma ocupando seus lugares, relembre as regras e os combinados de maneira sucinta e clara.
  • Estabeleça a ordem sequencial dos grupos que irão se apresentar.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos.

Orientações:

Desenvolvimento:

Uma exposição: um tema e aprendizado.

  • É o momento principal do minisseminário.
  • O primeiro grupo inicia a apresentação.
  • O aluno moderador faz a abertura do minisseminário, apresenta o grupo e o conteúdo temático.
  • Os apresentadores justificam a escolha do tema e iniciam a exposição do trabalho seguindo o desenvolvimento estabelecido na preparação.
  • Os grupos devem estar em sintonia com os comandos previamente combinados:
  • Tempo (8 minutos).
  • Cenário.
  • Slides.
  • Posicionamento corporal.
  • Apresentação do tema dentro dos objetivos propostos.
  • Encerrada a apresentação, o aluno moderador reassume a sua função e abre para esclarecimentos, dúvidas, perguntas, apontamentos da turma. É o momento de participação da plateia.

Dinâmica da atividade select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

Avaliação:

  • Valorize e incentive a reflexão nos estudantes.
  • Para a avaliação, peça aos alunos que preencham o formulário do Google já construído no momento de preparação do minisseminário.
  • Depois, afixe na sala os resultados trazidos pelos gráficos da pesquisa, analisando, para a próxima apresentação, o que precisa ser melhorado.
  • Se a turma fizer opção por uma avaliação coletiva, utilize as mesmas questões e peça a um aluno para mediar a avaliação.
  • Montem juntos um quadro com as respostas (podem ser feitas no quadro e depois transpostas para uma folha).
  • Também deixe os resultados afixados na sala, para uma retomada, visando a melhoria nas próximas edições do trabalho.

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

Este trabalho deve ser em equipe.

  • Peça aos alunos para que, junto,s definam um tema de interesse do grupo.

  • Cada grupo deve pensar em uma dúvida a respeito deste tema. O que gostariam de saber?

  • Organize a sequência de grupos para a apresentação.

  • Retome as orientações colocadas para preparação do minisseminário observando:
  • Pesquisa.
  • Tema.
  • Planejamento da apresentação.
  • Planejamento do recurso visual,
  • Os aspectos paralinguísticos e cinésicos ligados à oralidade.

  • Para avaliar, retome as orientações dadas na preparação, acerca da avaliação.
  • As perguntas podem ser redirecionadas, em função das dificuldades.
  • Convém perguntar, para este trabalho, que nasce em função de uma dúvida:
  • Encontraram resposta para a dúvida inicial?
  • Como conseguiram esta resposta?
  • Qual parte do trabalho mais contribuiu para este aprendizado?

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

Esse trabalho deve ser desenvolvido em equipe.

  • Peça aos alunos que definam o tema de interesse, estabelecendo interdisciplinaridade com alguma outra área do conhecimento. Elaborem perguntas sobre o que gostariam de saber a respeito deste tema.

  • Pensem em uma pessoa que tenha condições de responder as perguntas.
  • O entrevistado pode ser um professor, um funcionário da escola, um estudante universitário, um morador do bairro.
  • Oriente-os a marcar a entrevista e a gravar as perguntas e as respostas.

  • Com este material em mãos, oriente-os a elaborar o recurso visual que será usado na apresentação.
  • Retome no slide 3 as orientações descritas em OS GÊNEROS TEXTUAIS EXPOSITIVOS: PREPARAMOS.
  • Sugira mesclar a apresentação com pequenos vídeos da entrevista.

  • Para a apresentação, conversem sobre o recurso visual, separando o que é conceito, informação, função deste tema e como fundamentar estes aspectos.

  • Combine com os alunos a ordem e o tempo destinado à apresentação.

  • Quanto à exposição oral, reoriente para que não se percam os avanços já conseguidos com relação aos aspectos paralinguísticos e cinésicos.
  • Se necessário, retome no slide 3 as orientações descritas em PREPARANDO A EXPOSIÇÃO.

Variação da atividade select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é uma proposta de atividade permanente para trabalhar minisseminários. O campo de atuação priorizado nesta atividade é o das Práticas de estudo e pesquisa, marcado pela linha investigativa, utilizando gêneros textuais do campo investigativo – artigos de divulgação científica, verbetes impressos e digitais, seminários, apresentação oral – não o tema em si. Opta-se, aqui, pela estrutura dos textos expositivos – sequência, descrição, contraste, enumeração, causa-efeito, solução de problemas – valendo-se dos argumentos estabelecidos por Gonzaga (2017, p.175) como raciocínio lógico, e/ou de autoridade, e/ou de provas concretas. Assim, ampara-se na estrutura e práticas dos minisseminários, para dar corpo a este trabalho.

Justificativa: A prática de ensino pautada em gêneros orais é uma realidade distante dos ambientes escolares e é preciso pensá-la como prática que requer estudo e pesquisa; enfim, preparação, aproximando as aulas das práticas sociais vigentes. Neste contexto, busca-se promover uma base alfabetizadora científica, com ações visando à autonomia do estudante, por meio de pesquisa, produção e participação coletiva, vivenciando situações comunicativas, com inserção no campo investigativo. Apesar de o foco estar sobre o gênero Oral, de se estruturar na interação entre expositor e audiência, considera-se a necessidade de consolidação de aspectos discursivos, linguísticos e semióticos que envolvem o planejamento da apresentação oral estruturado na curadoria reflexiva e crítica de informações e na adequação da linguagem e dos recursos gestuais e cinésicos. No ciclo de 8º e 9º anos, o minisseminário tem como objetivo consolidar a autonomia dos estudantes sobre as características e estruturas da exposição oral, no campo de estudo e pesquisa, com ênfase nas estratégias de discurso reportado e alusão cultural.

Materiais necessários: Cartolina, pincéis, papéis coloridos, uso de computadores conectados à internet.

Dificuldades antecipadas:

  • Timidez ou vergonha de se apresentar em público.
  • Trabalho em grupo, com envolvimento de todos os participantes.
  • Fortalecer as vozes sociais (grupos, instituições, pessoas), no uso do discurso reportado.
  • O estudante ter pouco conhecimento prévio acerca do tema tratado.
  • Buscar informações sobre o tema em fontes confiáveis.
  • Adequar a linguagem para uma apresentação oral, inserindo modalizadores linguísticos apropriados.

Referências sobre o assunto:

DONDIS, Donis A. Sintaxe da linguagem visual. São Paulo: Martins Fontes, 2003. Disponível em: <http://www3.uma.pt/dmfe/DONDIS_Sintaxe_da_Linguagem_Visual.pdf>. Acesso em: jul. 2018.

FIORIN, José Luiz. Elementos de análise do discurso. São Paulo: Contexto, 2008.

GLOBO.COM. Recursos argumentativos. Educação . Português. Disponível em: <http://educacao.globo.com/portugues/assunto/texto-argumentativo/recursos-argumentativos.html>. Acesso em: out. 2018.

GOMES, Flávia Elizabeth de Oliveira. Oralidade e escrita: a presença do discurso reportado em entrevistas jornalísticas. Dissertação de mestrado: Universidade Federal do Rio Grande do Norte, 2009. pp.44-47. Disponível em: <https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/18339/1/FlaviaEOG_DISSERT.pdf>. Acesso em: nov. 2018.

GONZAGA, Elen de Souza. Seleção e avaliação de argumentos. In: CORRÊA, Vilma Reche; GARCEZ, Lucília Helena do Carmo. Textos dissertativo-argumentativos: subsídios para qualificação de avaliadores. Brasília: INEP, 2017. Disponível em: <http://portal.inep.gov.br/documents/186968/484421/TEXTOS+DISSERTATIVO+ARGUMENTATIVOS/7809ef0d-5a4a-4c24-9a03-9db15e0bdacf?version=1.0>. Acesso em: jul. 2018.

KOCH, Ingedore Villaça; TRAVAGLIA, Luiz Carlos. A coerência textual. São Paulo: Contexto: 2004.

FURIOTTO, Vanusa Gadelha. Como apresentar um seminário. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=BtLrAxvQhU0>. Acesso em: out. 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: Variável, anterior à exposição.

Orientações:

Sensibilização:

  • É a etapa em que o aluno compreende a finalidade e a estrutura de um minisseminário e estabelece as regras de apresentação e o material de apoio.
  • Acontece somente uma vez antes de iniciar as apresentações dos minisseminários, mas pode ser retomada durante o ano, se necessário.
  • Fortaleça a autonomia dos alunos no minisseminário para que eles:
  • Assumam as responsabilidades dentro dos grupos e nos momentos de trabalho coletivo.
  • Exerçam papéis mais ativos nas decisões.
  • Tenham uma liderança mais acentuada.
  • Participem das construções das regras.

Minisseminário: o que é, como se faz.

  • Retome as características e a estrutura de um minisseminário com os alunos:
  • O que é um minisseminário.
  • As partes que o compõem.
  • O que precisa ser feito antes do momento em que ele acontece.

2. Faça um levantamento prévio com os alunos:

  • O que vocês lembram sobre a estrutura e as características de um minisseminário?
  • Para que fazer um minisseminário ?
  • Quais as partes de um minisseminário?
  • Como elas devem ser organizadas?
  • Quem são os participantes?
  • Qual a função de cada participante?
  • Podemos criar regras para um minisseminário?

3. Estabeleça um diálogo com os estudantes por meio das perguntas acima.

4. Ressalte que o minisseminário é um gênero textual em que os alunos se tornam expositores-especialistas que ampliarão os conhecimentos da turma transmitindo informações, descrevendo ou explicando sobre o tema decidido.

5. Explique que o minisseminário é composto de:

  • Escolha do tema.
  • Coleta de informações sobre o tema escolhido.
  • Escolha dos recursos visuais.
  • Ensaio.
  • Apresentação.
  • Avaliação.

6. Esclareça que o minisseminário é um trabalho realizado em grupo e requer duas funções para a apresentação: moderador e o apresentador.

  • É necessário distribuir ao máximo as responsabilidades, descentralizando o processo e, ao mesmo tempo, permitir que os alunos se envolvam mais.

7. Solicite que cada grupo defina as atribuições de cada integrante.

  • Moderador (aquele que faz a abertura da apresentação, controla o tempo, faz a mediação durante a rodada de perguntas, estabelece o contato com o grupo, inclusive pela postura, tom de voz, olhar).
  • Apresentador (reapresenta o tema, justifica a escolha, compartilha os conhecimentos, exemplifica, descreve e explica sobre o tema decidido).

8. O público é o restante da turma que assiste e depois participa, perguntando e/ou comentando.

9. Relembre que a turma precisa estar preparada para ouvir e participar da exposição do outro grupo.

10. Estimule-os a elaborar perguntas, fazer comentários e pedir mais informações.

11. Aproveite o primeiro momento da sensibilização para estabelecer as regras que permeiam o trabalho com minisseminário, por exemplo, respeitar a apresentação do grupo permanecendo atento ao trabalho.

12. Estabeleça a periodicidade das apresentações e decida a duração de cada minisseminário. Sugestão: 8 minutos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: Variável, anterior à exposição.

Orientações:

Preparando a apresentação:

  • Acontece durante o mês que antecede a apresentação do minisseminário.
  • Relembre os alunos que o trabalho é realizado em grupo.

  • Uma dúvida e a busca por ajuda.
  • Esclareça aos alunos que o Minisseminário é um gênero oral e expositivo cujo tema é uma decisão do grupo.
  • A escolha do tema e apropriação dos conceitos ligados a ele acontecem por meio de pesquisa.

  • O conteúdo temático: O que realmente queremos saber?
  • Sugere-se que, por meio de uma roda de conversa, listem-se temas de interesse dos alunos.
  • Façam juntos uma análise da realidade para que optem por temas que despertem interesse. Como estão em um caminho de amadurecimento, podem, inclusive, pesquisar e apresentar temas voltados para: minorias, tecnologias, meio ambiente, multiculturalidade, enfim, as relações do homem com o ambiente que o cerca.
  • Para tanto, pode-se provocar a reflexão:
  • O que está acontecendo em nosso contexto social?
  • Que discussões têm permanecido nas discussões das mídias?
  • Qual temática tem sido apresentada nos programas culturais?
  • Como isso impacta em nosso modo de viver?
  • A qual área do conhecimento este tema está ligado?
  • Como e onde buscar informações sobre este tema?
  • Estas informações trazem conceitos, referências complementares sobre o tema?
  • Consigo selecionar algum discurso reportado para ajudar a construir o tema?
  • Consigo conectar este tema a algum elemento cultural - filmes, livros, música, poemas, textos, peças teatrais etc. - ajudando a construir o conceito, ou agregando informação complementar?

4. A definição do tema:

  • Pode fazer retomadas de conteúdos temáticos de outras disciplinas, com uma proposta interdisciplinar.
  • Propor novos temas, em consonância com as discussões sociais que circundam a contemporaneidade.
  • Retomar temas já tratados, ampliando a análise com base em novos recortes.

5. Oriente-os sobre a delimitação, pedindo que reflitam:

  • O que quero saber sobre este tema?
  • Qual é o meu objetivo ao pesquisar este tema?
  • Há alguma curiosidade que pode ser mostrada?
  • Quem são as autoridades que falam sobre o tema?

6. Articule também o conteúdo temático por meio das estruturas expositivas:

  • Sequência: Expõe ideias, comparando semelhanças ou diferenças entre aspectos. Pode empregar analogias – e estabelecer parâmetros entre fatos atuais e históricos dentro de um tema, por exemplo.
  • Descrição: Mostrar características de um determinado fenômeno.
  • Enumeração: Apresenta várias características de um tema.
  • Causa-consequência: Apresenta possíveis causas para uma determinada situação ou fenômeno e as consequências que esta situação desencadeia.
  • Solução de problemas: Apresenta o problema e intervenções possíveis.
  • Analogias: Estabelece uma comparação entre fatos, fenômenos ou situações buscando confirmar ou contratar as ideias.

7. Para saber mais: Converse sobre as características deste gênero com os alunos. Ver mais em https://www.todamateria.com.br/texto-expositivo/ (Acesso em: out. 2018.) e em https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/redacao/texto-expositivo.htm (Acesso em: out. 2018.)

  • Pesquisamos...
  • É o momento que os alunos compreendem o caminho que eles precisam percorrer para adquirir conhecimentos que darão suporte ao tema.
  • Reflita com os alunos: Onde podemos buscar informações sobre os temas?
  • Ressalte a importância do trabalho investigativo como suporte para a apresentação oral, por isso é necessário que os alunos pesquisem informações e consultem professores de diferentes áreas que possam auxiliá-los na pesquisa.
  • Esclareça que para buscar ajuda não precisa se concentrar dentro da escola.
  • Oriente os alunos a procurar informações em fontes seguras e não, simplesmente, navegar na internet de maneira vaga.
  • Recomende aos alunos que realizem pesquisas para sustentar o tratamento dos temas selecionados. Oriente quanto a busca por:
  • Reportagens - inclusive buscar o mesmo fenômeno ou fato em veículos diferentes.
  • Artigos publicados em revistas de divulgação científica.
  • Sites com verbetes digitais.

OBS: Podem ser indicados sites como:

7. Associe, ainda, a utilização dos recursos abaixo para fundamentar e tornar o tema mais expositivo:

  • Discurso reportado - inserção de vozes de grupos, especialistas, instituições.
  • Exemplificação com filmes, livros, canções- ampliando conceitos, descrições, ou fazendo comparações.
  • Citação de fatos que exemplificam o tema - fundamentando estruturas que fazem analogias, descrevem, estabelecem características.
  • Alusão cultural como estratégia para fundamentar o texto, veja mais em: https://www.figuradelinguagem.com/alusao/ (acesso em: out. 2018) e em

http://institutodelinguaviva.blogspot.com/2009/11/aula-de-redacao-5-argumentacao-no-texto.html (acesso em: out. 2018).

  • Converse sobre os operadores linguísticos usados na inserção de outras vozes no texto, conforme se explicita na EF69LP43: “Os modos de introdução de outras vozes no texto – citação literal e sua formatação e paráfrase – as pistas linguísticas responsáveis por introduzir no texto a posição do autor e dos outros autores citados (“Segundo X; De acordo com Y; De minha/nossa parte, penso/amos que”...) e os elementos de normatização (tais como as regras de inclusão e formatação de citações e paráfrases)“.

  • Os gêneros textuais expositivos: preparamos...
  • É o momento de organizar a fala e o material de apoio visual.
  • Retome, também, os conhecimentos prévios dos alunos acerca do recurso visual e da organização da fala.
  • Questione:
  • Qual a importância do recurso visual para um minisseminário?
  • O recurso visual é suficiente ou é preciso ter uma fala estruturada?
  • Como organizar a fala?
  • Qual é a melhor forma de produzir o recurso visual? Devo fazer uso das tecnologias?

4. Ressalte a importância de preparar o recurso visual, a fala e a conexão entre eles.

5. O recurso visual, seja verbal ou não verbal, serve de apoio e suporte para as principais informações.

6. Amplie o material de apoio visual por meio de diagramas, tabelas, gráficos, imagens.

7. O texto verbal deve ser objetivo, claro e atender a estrutura e as características dos textos expositivos.

8. A apresentação oral deve ser pensada, planejada, organizada:

  • Por onde começar?
  • Como expor?
  • Como se apropriar, na fala, das estruturas expositivas solicitadas e das estratégias para fundamentar o tema?
  • Como finalizar, fazendo as retomadas necessárias?
  • Que marcas linguísticas devem ser usadas?

9. Ressalte a importância da pesquisa para ajustar a organização da fala e do recurso visual com segurança.

10. Aconselhe os alunos que ensaiem antes da apresentação.

  • Preparando a apresentação
  • Retome os conhecimentos dos alunos também sobre o momento da apresentação:
  • Há alguma norma para se apresentar em público?
  • Como deve se comportar a pessoa que fala para os colegas?
  • O que é importante que ela faça?
  • Como devem se comportar as pessoas que são os ouvintes? Devem participar, perguntando, tirando dúvidas ou comentando, contribuindo com o tema e com os colegas que apresentam?
  • Qual o momento de a plateia participar?
  • Como organizar o espaço para a apresentação?

2. Ressalte a importância da apresentação estar pautada na:

  • Apresentação do grupo.
  • Introdução – Coloca o tema, prendendo o interesse do público.
  • Desenvolvimento – Análise objetiva das informações colocadas.
  • Conclusão – Síntese, recapitulando as informações colocadas.
  • Abertura para esclarecimentos e dúvidas.

3. Relembre a construção composicional deste gênero oral e a importância de cada um destes aspectos durante a apresentação:

  • Os elementos paralinguísticos (tom e volume da voz, pausas e hesitações – que, em geral, devem ser minimizadas –, modulação de voz e entonação, ritmo, respiração etc.).
  • Os elementos cinésicos (postura corporal, movimentos e gestualidade significativa, expressão facial, contato de olho com plateia, modulação de voz e entonação, sincronia da fala com ferramenta de apoio etc.) buscando aperfeiçoar a apresentação.
  • Do recurso visual como suporte à apresentação como facilitador do processo de construção do conhecimento.

4. O espaço onde o grupo vai se apresentar deve estar adequado à proposta. Assim, considere os recursos visuais, a quantidade de pessoas para a escolha do espaço. É importante que a disposição em sala dos colegas permita que todos se visualizem.

5. Esclareça que é importante que os alunos:

  • Falem claramente, com informações organizadas, coerentes com uma sequência lógica: apresentando começo, meio e fim em sua fala, com retomada dos principais pontos da exposição.
  • Usem marcas linguísticas como: Para início… Mais uma informação interessante… Em resumo... Concluindo... Retomando, podemos dizer que...
  • Provoquem o público, deixando dicas para reflexão entre os participantes.
  • Utilizem com eficácia os recursos materiais: cartazes, registro na lousa, equipamentos.
  • Posicionem-se diante do público. É interessante observar a direção do olhar, o tom de voz em cada situação.

6. Estes elementos podem ser retomados durante a avaliação no fim da apresentação.

7. Sugestão para apoio da preparação: https://www.youtube.com/watch?v=BtLrAxvQhU0 (acesso em: out. 2018) e em https://www.youtube.com/watch?v=Z8cPL0UIpzc (Acesso em: out. 2018.)

  • O minisseminário: dividimos…

1. É o momento de decidir as atribuições de cada integrante do grupo para a apresentação.

2. Esclareça que a escolha do tema, a pesquisa e a organização dos recursos visuais são atribuições de todos.

3. Os alunos definem quem serão os moderadores e os apresentadores.

  • Atribuições do moderador:
  • Fase de abertura:
  • Apresentar o grupo e o conteúdo temático.
  • Controlar o tempo.
  • Mediar as perguntas e interações com o público.
  • Agradecer o público e encerrar a apresentação.
  • Atribuições dos apresentadores
  • Justificar o conteúdo temático.
  • Explicar como a exposição vai acontecer, criando expectativa nos ouvintes.
  • Compartilhar os conhecimentos, exemplificar, descrever, comparar e explicar o tema decidido.
  • Recapitular o tema por meio dos recursos que cada grupo utilizou, por exemplo, o discurso reportado.
  • Concluir a apresentação.

  • Avaliação:
  • A partir do oitavo ano, sugere-se que os alunos participem da construção da avaliação. Esta atitude pode ajudar o aluno a compreender melhor a estrutura do gênero e os objetivos propostos para o trabalho. Escolham, juntos, uma das formas de avaliação.
  • Avaliação utilizando formulários do Google:
  • É o momento que os alunos criam um formulário para avaliar todo o trabalho.
  • A avaliação pode ser configurada em uma folha para que cada grupo assinale os pontos positivos e os pontos que precisam ser melhorados.
  • Pode-se optar por configurar o formulário no link disponível em: <https://www.google.com/intl/pt-BR/forms/about/>. Acesso em: out. 2018.
  • A avaliação é constituída por questões de múltipla escolha, produzidas antes e coletivamente.
  • Peça que observem:
  • O tema.
  • A pesquisa.
  • A apresentação.
  • A participação dos colegas.
  • A própria participação.

3. Solicite que os alunos optem pelas questões de múltipla escolha. Sugestões:

  • A apresentação acontece fundamentada em pesquisa?
  • O tema foi de relevância dentro do minisseminário?
  • A forma escolhida para apresentação ajudou no trabalho e no compartilhamento do tema?
  • A apresentação atendeu os objetivos do trabalho?
  • Os colegas apresentaram de forma clara?
  • Os colegas ouvintes contribuíram com silêncio e atenção?
  • De 1 a 10, que nota você dá para a apresentação?

4. Estimule os alunos a sugerir algumas questões abertas - do tipo respostas curtas - deixando espaço para um próximo momento:

  • Esse seminário me fez pensar em…

b) Eu gostaria de saber mais sobre…

5. O grupo envia o link para os colegas ou entrega em folha impressa para que respondam o formulário.

6. De acordo com a realidade da escola, o formulário pode ser enviado por um aplicativo ou pode ser criado um link, se a escola tiver laboratório de informática, para que os alunos respondam.

7. Mais orientações em https://support.google.com/docs/answer/7032287 (acesso em: out. 2018) e em https://support.google.com/docs/answer/6281888?hl=pt-BR&ref_topic=6063584 (acesso em: out. 2018).

Autoavaliação:

  • A autoavaliação é o momento em que os alunos refletem sobre a sua própria participação e a do grupo.
  • Pode acontecer individualmente ou dentro do grupo.
  • Retome com os grupos que apresentaram os aspectos de observação citados para a avaliação acima.
  • Cada grupo constrói a sua própria autoavaliação. Sugestões:
  • Houve ensaio?
  • Fizemos pesquisas para aprofundar o conhecimento?
  • Apresentamos no tempo determinado?
  • Houve interação dos recursos visuais com a apresentação oral?
  • Fundamentamos o tema utilizando discurso reportado, exemplos, citações, alusão cultural?

5. Atentem para questões direcionadas para a primeira pessoa do singular ou plural, dependendo da autoavaliação escolhida: individual ou em grupo.

Observação importante: A elaboração da avaliação e da autoavaliação acontece na preparação, ou seja, momento anterior ao dia da apresentação do minisseminário.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

Introdução:

  • É a primeira etapa da apresentação.
  • Com o espaço organizado e a turma ocupando seus lugares, relembre as regras e os combinados de maneira sucinta e clara.
  • Estabeleça a ordem sequencial dos grupos que irão se apresentar.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos.

Orientações:

Desenvolvimento:

Uma exposição: um tema e aprendizado.

  • É o momento principal do minisseminário.
  • O primeiro grupo inicia a apresentação.
  • O aluno moderador faz a abertura do minisseminário, apresenta o grupo e o conteúdo temático.
  • Os apresentadores justificam a escolha do tema e iniciam a exposição do trabalho seguindo o desenvolvimento estabelecido na preparação.
  • Os grupos devem estar em sintonia com os comandos previamente combinados:
  • Tempo (8 minutos).
  • Cenário.
  • Slides.
  • Posicionamento corporal.
  • Apresentação do tema dentro dos objetivos propostos.
  • Encerrada a apresentação, o aluno moderador reassume a sua função e abre para esclarecimentos, dúvidas, perguntas, apontamentos da turma. É o momento de participação da plateia.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

Avaliação:

  • Valorize e incentive a reflexão nos estudantes.
  • Para a avaliação, peça aos alunos que preencham o formulário do Google já construído no momento de preparação do minisseminário.
  • Depois, afixe na sala os resultados trazidos pelos gráficos da pesquisa, analisando, para a próxima apresentação, o que precisa ser melhorado.
  • Se a turma fizer opção por uma avaliação coletiva, utilize as mesmas questões e peça a um aluno para mediar a avaliação.
  • Montem juntos um quadro com as respostas (podem ser feitas no quadro e depois transpostas para uma folha).
  • Também deixe os resultados afixados na sala, para uma retomada, visando a melhoria nas próximas edições do trabalho.

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

Este trabalho deve ser em equipe.

  • Peça aos alunos para que, junto,s definam um tema de interesse do grupo.

  • Cada grupo deve pensar em uma dúvida a respeito deste tema. O que gostariam de saber?

  • Organize a sequência de grupos para a apresentação.

  • Retome as orientações colocadas para preparação do minisseminário observando:
  • Pesquisa.
  • Tema.
  • Planejamento da apresentação.
  • Planejamento do recurso visual,
  • Os aspectos paralinguísticos e cinésicos ligados à oralidade.

  • Para avaliar, retome as orientações dadas na preparação, acerca da avaliação.
  • As perguntas podem ser redirecionadas, em função das dificuldades.
  • Convém perguntar, para este trabalho, que nasce em função de uma dúvida:
  • Encontraram resposta para a dúvida inicial?
  • Como conseguiram esta resposta?
  • Qual parte do trabalho mais contribuiu para este aprendizado?

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

Esse trabalho deve ser desenvolvido em equipe.

  • Peça aos alunos que definam o tema de interesse, estabelecendo interdisciplinaridade com alguma outra área do conhecimento. Elaborem perguntas sobre o que gostariam de saber a respeito deste tema.

  • Pensem em uma pessoa que tenha condições de responder as perguntas.
  • O entrevistado pode ser um professor, um funcionário da escola, um estudante universitário, um morador do bairro.
  • Oriente-os a marcar a entrevista e a gravar as perguntas e as respostas.

  • Com este material em mãos, oriente-os a elaborar o recurso visual que será usado na apresentação.
  • Retome no slide 3 as orientações descritas em OS GÊNEROS TEXTUAIS EXPOSITIVOS: PREPARAMOS.
  • Sugira mesclar a apresentação com pequenos vídeos da entrevista.

  • Para a apresentação, conversem sobre o recurso visual, separando o que é conceito, informação, função deste tema e como fundamentar estes aspectos.

  • Combine com os alunos a ordem e o tempo destinado à apresentação.

  • Quanto à exposição oral, reoriente para que não se percam os avanços já conseguidos com relação aos aspectos paralinguísticos e cinésicos.
  • Se necessário, retome no slide 3 as orientações descritas em PREPARANDO A EXPOSIÇÃO.

Slide Plano Aula

Orientações: Este slide não deve ser exibido aos alunos, ele apenas apresenta uma nova possibilidade da dinâmica de sessão para que você, professor, possa se planejar por meio de outras opções.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

AULAS DE Leitura/Escuta do 8º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP43 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP35 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP38 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP40 da BNCC

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF69LP41 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano