17835
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 8º ano > Unidade

Plano de aula - EZLN - Exército Zapatista de Libertação Nacional no México

Plano de aula de Geografia com atividades para 8º ano do Fundamental sobre compreender a atuação do movimento do Exército Zapatista de Libertação Nacional no México

Plano 05 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Murilo Rossi

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08GE10 que busca distinguir e analisar conflitos e ações dos movimentos sociais brasileiros, no campo e na cidade, comparando com outros movimentos sociais existentes nos países latino-americanos. Como esta habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. A longo prazo você poderá contemplar a habilidade EF08GE11que prevê analisar áreas de conflito e tensões nas regiões de fronteira do continente latino-americano e o papel de organismos internacionais e regionais de cooperação nesses cenários.

Materiais necessários: Bandeira do Exército Zapatista de Libertação Nacional; Mapa do México para identificação da região de Chiapas; símbolo do EZLN por meio dos “caracoles”. Se achar pertinente, selecione e mostre aos estudantes imagens, manchetes de reportagens ou textos curtos sobre o grupo.

Material complementar:

Imagens e textos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dktMpwE8nZAtGpXKhxqhSyAEKFNGETs7hpp3hwDUj2TFMnvGEgAKSDGeMZ5B/geo08-10und05-material-complementar.pdf

Link para os mapas:

Mapa do México (Fonte: Wikipedia. Autor: alaznegonzalez, sob licença CC-By 3.0. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mapa_pol%C3%ADtico_de_M%C3%A9xico_a_color_(nombres_de_estados_y_capitales).png. Acesso em 08/04/2019).

Para você saber mais:

Para mais informações sobre o Exército Zapatista de Libertação Nacional você pode consultar: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ex%C3%A9rcito_Zapatista_de_Liberta%C3%A7%C3%A3o_Nacional. Acesso em 05/04/2019.

Também a reportagem aborda sobre o assunto: https://www.infoescola.com/mexico/exercito-zapatista-de-libertacao-nacional/. Acesso em 05/04/2019.

E em: https://brasilescola.uol.com.br/historia-da-america/movimento-zapatista.htm. Acesso em 05/04/2019.

O link: https://brasil.elpais.com/tag/ezln_ejercito_zapatista_liberacion_nacional apresenta diversas notícias acerca da ação do EZLN. Acesso em 05/04/2019.

Já Neste link: https://www.nodal.am/2016/06/mexico-comunicado-del-ezln-en-repudio-a-la-represion-contra-los-maestros-y-la-comunidad-indigena-en-oaxaca/, há uma reportagem do jornal local do México sobre uma ação do EZLN. Acesso em 05/04/2019.

Sobre o zapatismo, acesse: http://www.pedacodavila.com.br/materia/?matID=1639. Acesso em 08/04/2019.

Sobre os “caracoles” acesse: http://revocultura.blogspot.com/2010/11/o-que-e-um-caracol-zapatista.html. Acesso em 08/04/2019.

Contextos prévios: Para o desenvolvimento desse plano é importante que os alunos tenham algum conhecimento sobre movimentos sociais e suas reivindicações.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Esse plano de aula busca compreender a atuação do movimento do Exército Zapatista de Libertação Nacional. O EZLN é uma organização autonomista do estado de Chiapas, no México. Desde 1994 eles tem controle sobre essa região, onde configuram uma resistência à globalização neoliberal, quando esta chegava às suas portas naquele ano através do NAFTA. Desenvolvem uma democracia e educação horizontal e representam uma defesa dos direitos dos povos camponeses e indígenas do México.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Apresente a bandeira do EZLN. Deixe os alunos conversarem a respeito da atuação desse movimento social no México e solicitem que oralizem suas propostas de possíveis ações deles no sul do México. Depois leia esse slide, que define a atuação e propósitos dessa organização.

Complemente as ideias do slide com o contexto de surgimento e criação do EZLN: no dia 1º de janeiro de 1994, em Chiapas, sul do México, um levante de indígenas armados e encapuzados atacaram várias instituições municipais, o que criou instabilidade dentro do sistema político mexicano. Luta inspirada pelos líderes revolucionários da Revolução Mexicana de 1910 Emiliano Zapata e Cipriano Ricardo Flores Magón. Esse último foi um dos mais notáveis anarquistas nascidos no México. Possuiu vasto conhecimento acerca das reflexões propostas pelos grandes teóricos do século XIX, inspirando-se, sobretudo, nas idéias de Piotr Kropotkin na construção de sua própria concepção de luta revolucionária. Sempre atribuiu grande valor ao senso de comunidade e de autonomia existente entre os povos indígenas, sempre militando em seu favor. Suas reflexões e atos contra a tirania latifundiária defendida ferrenhamente pela ditadura de Porfirio Díaz levaram à emergência da Revolução Mexicana.

Já Emiliano Zapata, apesar de não ser indígena puro (tinha ancestrais espanhóis e era considerado, por isso, mestiço), rapidamente se envolveu nas lutas dos indígenas do estado de Morelos. Ele foi capaz de supervisionar redistribuições de terras em algumas haciendas, que são grandes extensões de terra controladas por representantes da elite hispânica, mantendo-se firme em campanha pelos direitos dos habitantes do vilarejo, primeiro através da recuperação de antigos títulos de propriedade, e depois pela pressão por atitudes sobre o governo de Morelos. Finalmente, desanimado com a falta de ações do governo e com os privilégios dados aos ricos fazendeiros, Zapata começou a fazer uso da força armada, simplesmente se apossando das terras em disputa.

O grande intuito do EZLN era colocar em pauta a urgência por transformações que atingissem diretamente as populações empobrecidas do México e promovessem a reforma agrária no país. Você pode comentar algumas curiosidades da ação desse movimento com base nos links recomendados em “Para Você Saber Mais”.

Material complementar

Imagens e textos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dktMpwE8nZAtGpXKhxqhSyAEKFNGETs7hpp3hwDUj2TFMnvGEgAKSDGeMZ5B/geo08-10und05-material-complementar.pdf

Como adequar a sua realidade: Se quiser comentar, as haciendas referem-se às grandes extensões de terras monocultoras, com plantio de gêneros tropicais e de posse das elites hispânicas que, no processo de colonização, se equiparavam ao sistema de plantation, implantado no Brasil. Porém, essas propriedades agrícolas buscavam suprir as necessidades de consumo regionais e intercoloniais. No entanto, havia algumas exceções, como nos casos do México e das Antilhas, onde o modelo agroexportador foi empregado para a comercialização de açúcar.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente a bandeira do EZLN. Deixe os alunos conversarem a respeito da atuação desse movimento social no México e solicitem que oralizem suas propostas de possíveis ações deles no sul do México. Depois leia esse slide, que define a atuação e propósitos dessa organização.

Complemente as ideias do slide com o contexto de surgimento e criação do EZLN: no dia 1º de janeiro de 1994, em Chiapas, sul do México, um levante de indígenas armados e encapuzados atacaram várias instituições municipais, o que criou instabilidade dentro do sistema político mexicano. Luta inspirada pelos líderes revolucionários da Revolução Mexicana de 1910 Emiliano Zapata e Cipriano Ricardo Flores Magón. Esse último foi um dos mais notáveis anarquistas nascidos no México. Possuiu vasto conhecimento acerca das reflexões propostas pelos grandes teóricos do século XIX, inspirando-se, sobretudo, nas idéias de Piotr Kropotkin na construção de sua própria concepção de luta revolucionária. Sempre atribuiu grande valor ao senso de comunidade e de autonomia existente entre os povos indígenas, sempre militando em seu favor. Suas reflexões e atos contra a tirania latifundiária defendida ferrenhamente pela ditadura de Porfirio Díaz levaram à emergência da Revolução Mexicana.

Já Emiliano Zapata, apesar de não ser indígena puro (tinha ancestrais espanhóis e era considerado, por isso, mestiço), rapidamente se envolveu nas lutas dos indígenas do estado de Morelos. Ele foi capaz de supervisionar redistribuições de terras em algumas haciendas, que são grandes extensões de terra controladas por representantes da elite hispânica, mantendo-se firme em campanha pelos direitos dos habitantes do vilarejo, primeiro através da recuperação de antigos títulos de propriedade, e depois pela pressão por atitudes sobre o governo de Morelos. Finalmente, desanimado com a falta de ações do governo e com os privilégios dados aos ricos fazendeiros, Zapata começou a fazer uso da força armada, simplesmente se apossando das terras em disputa.

O grande intuito do EZLN era colocar em pauta a urgência por transformações que atingissem diretamente as populações empobrecidas do México e promovessem a reforma agrária no país. Você pode comentar algumas curiosidades da ação desse movimento com base nos links recomendados em “Para Você Saber Mais”.

Material complementar

Imagens e textos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dktMpwE8nZAtGpXKhxqhSyAEKFNGETs7hpp3hwDUj2TFMnvGEgAKSDGeMZ5B/geo08-10und05-material-complementar.pdf

Como adequar a sua realidade: Se quiser comentar, as haciendas referem-se às grandes extensões de terras monocultoras, com plantio de gêneros tropicais e de posse das elites hispânicas que, no processo de colonização, se equiparavam ao sistema de plantation, implantado no Brasil. Porém, essas propriedades agrícolas buscavam suprir as necessidades de consumo regionais e intercoloniais. No entanto, havia algumas exceções, como nos casos do México e das Antilhas, onde o modelo agroexportador foi empregado para a comercialização de açúcar.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações: Apresente o mapa aos alunos e solicite que identifiquem a região de Chiapas e Oaxaca, ao sul do México, área de atuação principal do EZLN. Região de ocupação de camponeses e indígenas ancestrais antes da colonização do território pelos espanhóis, e por isso, alvo de exploração e formação de latifúndios, excluindo as minorias locais.

Solicite que sugiram como atualmente o EZLN mantém suas ações, de onde vem capital e armas para suas atuações. Depois comente que hoje em dia o grupo se mantém com a ajuda de algumas comunidades organizadas de Chiapas e enfrenta a indiferença do governo do México.Outros fatores que dão sustentação ao EZLN são: turismo, população indígena local e apoio financeiro de grupos de guerrilha estrangeiros com ideais parecidos.

Material complementar

Imagens e textos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dktMpwE8nZAtGpXKhxqhSyAEKFNGETs7hpp3hwDUj2TFMnvGEgAKSDGeMZ5B/geo08-10und05-material-complementar.pdf

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Explique do que se trata o giro colaborativo. Essa estratégia consiste em um trabalho em equipe e reflexão e tomada de decisão. Ocorre, inicialmente uma coleta de ideias que, no fim, vai gerar uma lista concisa de respostas sobre um tema específico, ou seja, deixe os alunos discutirem sobre o assunto em grupo de 3 a 4 pessoas e depois um grupo transmite ao outro suas propostas. À medida que o giro acontece, as ideias são aperfeiçoadas.

“Caracoles” são como são chamadas as regiões administrativas dos municípios autônomos rebeldes zapatistas. Os caracóis foram idealizados pelo Exército Zapatista de Libertação Nacional como centros de comunicação autônoma e de cultura social. O nome vem da metáfora das conchas de caracóis usadas como instrumento de comunicação, como o anúncio de eventos, por povos indígenas. Diz-se também que os primeiros deuses maias, “os sustentadores do mundo”, traziam consigo caracóis em seus corações, o que só vem a enriquecer esse símbolo. Há alguns anos o EZLN passou por mudanças em sua estrutura e a morte dos centros culturais chamados aguascalientes cedeu espaço a “los caracoles”. Um caracol pode ser visto também como uma base usada na produção de coisas, que são consumidas e trocadas pela produção de outros caracóis que, juntos, formam uma rede de trocas. Essa troca não se restringe a bens materiais mas se estende aos culturais, às experiências de formas de organização igualitárias e de resistência ao poder que explora o homem, vivenciadas pela comunidade que dele fazem parte. O caracol segue um modelo autogestinário.

Material complementar

Imagens e textos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dktMpwE8nZAtGpXKhxqhSyAEKFNGETs7hpp3hwDUj2TFMnvGEgAKSDGeMZ5B/geo08-10und05-material-complementar.pdf

Para você saber mais:

Sobre os “caracoles” acesse: http://revocultura.blogspot.com/2010/11/o-que-e-um-caracol-zapatista.html. Acesso em 08/04/2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Nesse momento os alunos expõem suas ideias na lista preparada na discussão anterior, para cada grupo ir aperfeiçoando a ideia do outro. Depois da exposição da conclusão deles, comente que “caracoles” são como são chamadas as regiões administrativas dos municípios autônomos rebeldes zapatistas. Os caracóis foram idealizados pelo Exército Zapatista de Libertação Nacional como centros de comunicação autônoma e de cultura social. O nome vem da metáfora das conchas de caracóis usadas como instrumento de comunicação, como o anúncio de eventos, por povos indígenas. Diz-se também que os primeiros deuses maias, “os sustentadores do mundo”, traziam consigo caracóis em seus corações, o que só vem a enriquecer esse símbolo. Há alguns anos o EZLN passou por mudanças em sua estrutura e a morte dos centros culturais chamados aguascalientes cedeu espaço a “los caracoles” .Um caracol pode ser visto também como uma base usada na produção de coisas, que são consumidas e trocadas pela produção de outros caracóis que, juntos, formam uma rede de trocas. Essa troca não se restringe a bens materiais mas se estende aos culturais, às experiências de formas de organização igualitárias e de resistência ao poder que explora o homem, vivenciadas pela comunidade que dele fazem parte. O caracol segue um modelo autogestinário.

Para você saber mais:

Sobre os “caracoles” acesse: http://revocultura.blogspot.com/2010/11/o-que-e-um-caracol-zapatista.html. Acesso em 08/04/2019.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08GE10 que busca distinguir e analisar conflitos e ações dos movimentos sociais brasileiros, no campo e na cidade, comparando com outros movimentos sociais existentes nos países latino-americanos. Como esta habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. A longo prazo você poderá contemplar a habilidade EF08GE11que prevê analisar áreas de conflito e tensões nas regiões de fronteira do continente latino-americano e o papel de organismos internacionais e regionais de cooperação nesses cenários.

Materiais necessários: Bandeira do Exército Zapatista de Libertação Nacional; Mapa do México para identificação da região de Chiapas; símbolo do EZLN por meio dos “caracoles”. Se achar pertinente, selecione e mostre aos estudantes imagens, manchetes de reportagens ou textos curtos sobre o grupo.

Material complementar:

Imagens e textos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dktMpwE8nZAtGpXKhxqhSyAEKFNGETs7hpp3hwDUj2TFMnvGEgAKSDGeMZ5B/geo08-10und05-material-complementar.pdf

Link para os mapas:

Mapa do México (Fonte: Wikipedia. Autor: alaznegonzalez, sob licença CC-By 3.0. Disponível em: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Mapa_pol%C3%ADtico_de_M%C3%A9xico_a_color_(nombres_de_estados_y_capitales).png. Acesso em 08/04/2019).

Para você saber mais:

Para mais informações sobre o Exército Zapatista de Libertação Nacional você pode consultar: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ex%C3%A9rcito_Zapatista_de_Liberta%C3%A7%C3%A3o_Nacional. Acesso em 05/04/2019.

Também a reportagem aborda sobre o assunto: https://www.infoescola.com/mexico/exercito-zapatista-de-libertacao-nacional/. Acesso em 05/04/2019.

E em: https://brasilescola.uol.com.br/historia-da-america/movimento-zapatista.htm. Acesso em 05/04/2019.

O link: https://brasil.elpais.com/tag/ezln_ejercito_zapatista_liberacion_nacional apresenta diversas notícias acerca da ação do EZLN. Acesso em 05/04/2019.

Já Neste link: https://www.nodal.am/2016/06/mexico-comunicado-del-ezln-en-repudio-a-la-represion-contra-los-maestros-y-la-comunidad-indigena-en-oaxaca/, há uma reportagem do jornal local do México sobre uma ação do EZLN. Acesso em 05/04/2019.

Sobre o zapatismo, acesse: http://www.pedacodavila.com.br/materia/?matID=1639. Acesso em 08/04/2019.

Sobre os “caracoles” acesse: http://revocultura.blogspot.com/2010/11/o-que-e-um-caracol-zapatista.html. Acesso em 08/04/2019.

Contextos prévios: Para o desenvolvimento desse plano é importante que os alunos tenham algum conhecimento sobre movimentos sociais e suas reivindicações.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Esse plano de aula busca compreender a atuação do movimento do Exército Zapatista de Libertação Nacional. O EZLN é uma organização autonomista do estado de Chiapas, no México. Desde 1994 eles tem controle sobre essa região, onde configuram uma resistência à globalização neoliberal, quando esta chegava às suas portas naquele ano através do NAFTA. Desenvolvem uma democracia e educação horizontal e representam uma defesa dos direitos dos povos camponeses e indígenas do México.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Apresente a bandeira do EZLN. Deixe os alunos conversarem a respeito da atuação desse movimento social no México e solicitem que oralizem suas propostas de possíveis ações deles no sul do México. Depois leia esse slide, que define a atuação e propósitos dessa organização.

Complemente as ideias do slide com o contexto de surgimento e criação do EZLN: no dia 1º de janeiro de 1994, em Chiapas, sul do México, um levante de indígenas armados e encapuzados atacaram várias instituições municipais, o que criou instabilidade dentro do sistema político mexicano. Luta inspirada pelos líderes revolucionários da Revolução Mexicana de 1910 Emiliano Zapata e Cipriano Ricardo Flores Magón. Esse último foi um dos mais notáveis anarquistas nascidos no México. Possuiu vasto conhecimento acerca das reflexões propostas pelos grandes teóricos do século XIX, inspirando-se, sobretudo, nas idéias de Piotr Kropotkin na construção de sua própria concepção de luta revolucionária. Sempre atribuiu grande valor ao senso de comunidade e de autonomia existente entre os povos indígenas, sempre militando em seu favor. Suas reflexões e atos contra a tirania latifundiária defendida ferrenhamente pela ditadura de Porfirio Díaz levaram à emergência da Revolução Mexicana.

Já Emiliano Zapata, apesar de não ser indígena puro (tinha ancestrais espanhóis e era considerado, por isso, mestiço), rapidamente se envolveu nas lutas dos indígenas do estado de Morelos. Ele foi capaz de supervisionar redistribuições de terras em algumas haciendas, que são grandes extensões de terra controladas por representantes da elite hispânica, mantendo-se firme em campanha pelos direitos dos habitantes do vilarejo, primeiro através da recuperação de antigos títulos de propriedade, e depois pela pressão por atitudes sobre o governo de Morelos. Finalmente, desanimado com a falta de ações do governo e com os privilégios dados aos ricos fazendeiros, Zapata começou a fazer uso da força armada, simplesmente se apossando das terras em disputa.

O grande intuito do EZLN era colocar em pauta a urgência por transformações que atingissem diretamente as populações empobrecidas do México e promovessem a reforma agrária no país. Você pode comentar algumas curiosidades da ação desse movimento com base nos links recomendados em “Para Você Saber Mais”.

Material complementar

Imagens e textos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dktMpwE8nZAtGpXKhxqhSyAEKFNGETs7hpp3hwDUj2TFMnvGEgAKSDGeMZ5B/geo08-10und05-material-complementar.pdf

Como adequar a sua realidade: Se quiser comentar, as haciendas referem-se às grandes extensões de terras monocultoras, com plantio de gêneros tropicais e de posse das elites hispânicas que, no processo de colonização, se equiparavam ao sistema de plantation, implantado no Brasil. Porém, essas propriedades agrícolas buscavam suprir as necessidades de consumo regionais e intercoloniais. No entanto, havia algumas exceções, como nos casos do México e das Antilhas, onde o modelo agroexportador foi empregado para a comercialização de açúcar.

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente a bandeira do EZLN. Deixe os alunos conversarem a respeito da atuação desse movimento social no México e solicitem que oralizem suas propostas de possíveis ações deles no sul do México. Depois leia esse slide, que define a atuação e propósitos dessa organização.

Complemente as ideias do slide com o contexto de surgimento e criação do EZLN: no dia 1º de janeiro de 1994, em Chiapas, sul do México, um levante de indígenas armados e encapuzados atacaram várias instituições municipais, o que criou instabilidade dentro do sistema político mexicano. Luta inspirada pelos líderes revolucionários da Revolução Mexicana de 1910 Emiliano Zapata e Cipriano Ricardo Flores Magón. Esse último foi um dos mais notáveis anarquistas nascidos no México. Possuiu vasto conhecimento acerca das reflexões propostas pelos grandes teóricos do século XIX, inspirando-se, sobretudo, nas idéias de Piotr Kropotkin na construção de sua própria concepção de luta revolucionária. Sempre atribuiu grande valor ao senso de comunidade e de autonomia existente entre os povos indígenas, sempre militando em seu favor. Suas reflexões e atos contra a tirania latifundiária defendida ferrenhamente pela ditadura de Porfirio Díaz levaram à emergência da Revolução Mexicana.

Já Emiliano Zapata, apesar de não ser indígena puro (tinha ancestrais espanhóis e era considerado, por isso, mestiço), rapidamente se envolveu nas lutas dos indígenas do estado de Morelos. Ele foi capaz de supervisionar redistribuições de terras em algumas haciendas, que são grandes extensões de terra controladas por representantes da elite hispânica, mantendo-se firme em campanha pelos direitos dos habitantes do vilarejo, primeiro através da recuperação de antigos títulos de propriedade, e depois pela pressão por atitudes sobre o governo de Morelos. Finalmente, desanimado com a falta de ações do governo e com os privilégios dados aos ricos fazendeiros, Zapata começou a fazer uso da força armada, simplesmente se apossando das terras em disputa.

O grande intuito do EZLN era colocar em pauta a urgência por transformações que atingissem diretamente as populações empobrecidas do México e promovessem a reforma agrária no país. Você pode comentar algumas curiosidades da ação desse movimento com base nos links recomendados em “Para Você Saber Mais”.

Material complementar

Imagens e textos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dktMpwE8nZAtGpXKhxqhSyAEKFNGETs7hpp3hwDUj2TFMnvGEgAKSDGeMZ5B/geo08-10und05-material-complementar.pdf

Como adequar a sua realidade: Se quiser comentar, as haciendas referem-se às grandes extensões de terras monocultoras, com plantio de gêneros tropicais e de posse das elites hispânicas que, no processo de colonização, se equiparavam ao sistema de plantation, implantado no Brasil. Porém, essas propriedades agrícolas buscavam suprir as necessidades de consumo regionais e intercoloniais. No entanto, havia algumas exceções, como nos casos do México e das Antilhas, onde o modelo agroexportador foi empregado para a comercialização de açúcar.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações: Apresente o mapa aos alunos e solicite que identifiquem a região de Chiapas e Oaxaca, ao sul do México, área de atuação principal do EZLN. Região de ocupação de camponeses e indígenas ancestrais antes da colonização do território pelos espanhóis, e por isso, alvo de exploração e formação de latifúndios, excluindo as minorias locais.

Solicite que sugiram como atualmente o EZLN mantém suas ações, de onde vem capital e armas para suas atuações. Depois comente que hoje em dia o grupo se mantém com a ajuda de algumas comunidades organizadas de Chiapas e enfrenta a indiferença do governo do México.Outros fatores que dão sustentação ao EZLN são: turismo, população indígena local e apoio financeiro de grupos de guerrilha estrangeiros com ideais parecidos.

Material complementar

Imagens e textos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dktMpwE8nZAtGpXKhxqhSyAEKFNGETs7hpp3hwDUj2TFMnvGEgAKSDGeMZ5B/geo08-10und05-material-complementar.pdf

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Explique do que se trata o giro colaborativo. Essa estratégia consiste em um trabalho em equipe e reflexão e tomada de decisão. Ocorre, inicialmente uma coleta de ideias que, no fim, vai gerar uma lista concisa de respostas sobre um tema específico, ou seja, deixe os alunos discutirem sobre o assunto em grupo de 3 a 4 pessoas e depois um grupo transmite ao outro suas propostas. À medida que o giro acontece, as ideias são aperfeiçoadas.

“Caracoles” são como são chamadas as regiões administrativas dos municípios autônomos rebeldes zapatistas. Os caracóis foram idealizados pelo Exército Zapatista de Libertação Nacional como centros de comunicação autônoma e de cultura social. O nome vem da metáfora das conchas de caracóis usadas como instrumento de comunicação, como o anúncio de eventos, por povos indígenas. Diz-se também que os primeiros deuses maias, “os sustentadores do mundo”, traziam consigo caracóis em seus corações, o que só vem a enriquecer esse símbolo. Há alguns anos o EZLN passou por mudanças em sua estrutura e a morte dos centros culturais chamados aguascalientes cedeu espaço a “los caracoles”. Um caracol pode ser visto também como uma base usada na produção de coisas, que são consumidas e trocadas pela produção de outros caracóis que, juntos, formam uma rede de trocas. Essa troca não se restringe a bens materiais mas se estende aos culturais, às experiências de formas de organização igualitárias e de resistência ao poder que explora o homem, vivenciadas pela comunidade que dele fazem parte. O caracol segue um modelo autogestinário.

Material complementar

Imagens e textos: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dktMpwE8nZAtGpXKhxqhSyAEKFNGETs7hpp3hwDUj2TFMnvGEgAKSDGeMZ5B/geo08-10und05-material-complementar.pdf

Para você saber mais:

Sobre os “caracoles” acesse: http://revocultura.blogspot.com/2010/11/o-que-e-um-caracol-zapatista.html. Acesso em 08/04/2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Nesse momento os alunos expõem suas ideias na lista preparada na discussão anterior, para cada grupo ir aperfeiçoando a ideia do outro. Depois da exposição da conclusão deles, comente que “caracoles” são como são chamadas as regiões administrativas dos municípios autônomos rebeldes zapatistas. Os caracóis foram idealizados pelo Exército Zapatista de Libertação Nacional como centros de comunicação autônoma e de cultura social. O nome vem da metáfora das conchas de caracóis usadas como instrumento de comunicação, como o anúncio de eventos, por povos indígenas. Diz-se também que os primeiros deuses maias, “os sustentadores do mundo”, traziam consigo caracóis em seus corações, o que só vem a enriquecer esse símbolo. Há alguns anos o EZLN passou por mudanças em sua estrutura e a morte dos centros culturais chamados aguascalientes cedeu espaço a “los caracoles” .Um caracol pode ser visto também como uma base usada na produção de coisas, que são consumidas e trocadas pela produção de outros caracóis que, juntos, formam uma rede de trocas. Essa troca não se restringe a bens materiais mas se estende aos culturais, às experiências de formas de organização igualitárias e de resistência ao poder que explora o homem, vivenciadas pela comunidade que dele fazem parte. O caracol segue um modelo autogestinário.

Para você saber mais:

Sobre os “caracoles” acesse: http://revocultura.blogspot.com/2010/11/o-que-e-um-caracol-zapatista.html. Acesso em 08/04/2019.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Unidade do 8º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08GE10 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano