17705
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 9º ano > A história recente

Plano de aula - Integração internacional nas ditaduras latino - americanas (1945 - 1990): uma análise sobre a operação condor

Plano de aula de História com atividades para 9º ano do EF sobre Integração internacional nas ditaduras latino - americanas (1945 - 1990): uma análise sobre a operação condor

Plano 01 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Roberta Duarte Da Silva

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide tem como objetivo resumir o conteúdo da aula para que possa se planejar, portanto não deve ser apresentado para os alunos.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade (EF09HI30) de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Projetor para exibição de texto ou impressão textos para disponibilizar aos grupos de alunos.

Material complementar:

Folhas de ofício tamanho A4.

Canetas coloridas.

Texto sobre a Operação Condor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZtEhnCK6kCErH7UcRPPvdZTeAAq3hqn2h3aaFvDvqm8gFHuNJ3YGw8BEyXaX/his9-30und01-problematizacao-texto-sobre-a-operacao-condor.pdf

Para você saber mais:

Para ministração dessa aula é importante estar apropriado das peculiaridades que envolvem o contexto político envolto na criação da Operação Condor. Sabe-se que os regimes ditatoriais vivenciados na América Latina surgiram na conjuntura da Guerra Fria, período esse marcado por diversas ações dos Estados Unidos para tentar frear o avanço da influência do comunismo. Dentre essas ações, podemos citar a criação na década de 1950 da Doutrina de Segurança Nacional (DNS), que pregava o combate ao avanço comunista dentro e fora de seu país.

Essa doutrina acabou sendo “exportada” para vários países da América Latina, passando a ser adotada e difundida pelos grupos militares, os quais passaram a utilizar essa afirmativa como princípio de legitimação para implementação dos regimes militares. A revolução cubana de 1959, que derrubou a ditadura de Fulgêncio Batista e levou ao poder Fidel Castro, que após alguns conflitos ideológicos e políticos, acabaram rompendo com os Estados Unidos e se aliando com a União soviética, acabou acelerando esse processo de militarização dos governos da América Latina, sob a influência norte-americana.

Para se aprofundar mais sobre essa temática, recomendamos as seguintes leituras:

ABRAMOVICI, Pierre. O pesadelo da "operação Condor". In: Le Monde Diplomatique, maio de 2001. Disponível em: <https://diplomatique.org.br/o-pesadelo-da-operacao-condor/> . Acesso em: 24 de mai. 2019.

Atlas FGV Acesso em 20/05/2019.

BOBBIO, Norberto, MATTEUCCI, Nicola, PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de Política. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1998.

DINGES, John. Os anos do Condor: Uma década de terrorismo internacional no Cone Sul. São Paulo, Cia das Letras, 2005.

FICO, Carlos. Ditadura e democracia na América Latina: balanço histórico e perspectivas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008

MARIANO, Nilson. As Garras do Condor. São Paulo: Vozes, 2003.

QUADRAT, Samantha Viz; ROLLEMBERG, Denise (org.). História e memória das ditaduras do Século XX. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2015.

SOUSA, Fabiano. Operação Condor: terrorismo de estado no Cone Sul das Américas. Rio de Janeiro: Aedos, Num.8, vol. 3, Janeiro - Junho 2011. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/aedos/article/download/12769/11960>. Acesso em: 24 de mar. 2019.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações ao professor: Para a vivência dessa aula, solicite que os alunos se organizem em grupos de 3 ou 4 integrantes. Ressaltamos que o trabalho colaborativo é importante para estimular um aprendizado mais significativo e ativo por parte dos alunos. O direcionamento da escolha das equipes poderá ser realizado pelos próprios alunos ou por você, com o objetivo de garantir que possam realizar com sucesso a atividade proposta.

Inicie a aula apresentando o objetivo da temática que será estudada para os estudantes. O objetivo poderá ser projetado, escrito no quadro ou lido para a turma. Esse momento é bem relevante para que os estudantes compreendam a temática que será estudada e qual a sua importância para compreensão da história política dos países da América Latina. No entanto, procure não antecipar algumas questões nesse início, a fim de garantir a atenção e interesse dos alunos durante toda a vivência da aula.

A proposta dessa aula é fazer com que os alunos compreendam que as ditaduras vivenciadas na América Latina entre os anos de 1945 e 1990 não aconteceram de maneira isolada. Houve uma integração internacional através da chamada “Operação Condor”, a qual foi responsável por conectar e direcionar as ações de repressão desses regimes.

Para você saber mais:

A criação da Operação Condor aconteceu no ano de 1975, na Conferência Regional de Inteligência Nacional realizada no Chile, ficando definida que essa organização ampliaria os acordos entre os serviços secretos de Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, Brasil e Peru. Nesse encontro também ficou definido o nome da organização, que faria uma alusão a maior ave voadora do mundo, a qual possui amplas habilidade de caça às suas presas, simbologia essa que se enquadrava no objetivo do grupo. Dessa maneira, essa aliança constituída teve como prerrogativa principal o estabelecimento em escala internacional de repressão aos adversários dos regimes militares. Os meios de repressão utilizados foram os mais cruéis e diversos possíveis, legitimando a censura e a tortura como práticas legais e institucionais utilizados em todos as nações que participaram do acordo.

Para se aprofundar mais sobre essa temática, recomendamos as seguintes leituras:

ABRAMOVICI, Pierre. O pesadelo da "operação Condor". In: Le Monde Diplomatique, maio de 2001. Disponível em: <http://diplomatique.uol.com.br/acervo.php?id=401&tipo=acervo&PHPSESSID=f47f5d9826c6d9eab0fc066c6d52ec35> . Acesso em: 24 de mar. 2019.

BOBBIO, Norberto, MATTEUCCI, Nicola, PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de Política. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1998.

DINGES, John. Os anos do Condor: Uma década de terrorismo internacional no Cone Sul. São Paulo, Cia das Letras, 2005.

MARIANO, Nilson. As Garras do Condor. São Paulo: Vozes, 2003.

SOUSA, Fabiano. Operação Condor: terrorismo de estado no Cone Sul das Américas. Rio de Janeiro: Aedos, Num.8, vol. 3, Janeiro - Junho 2011. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/aedos/article/download/12769/11960>. Acesso em: 24 de mar. 2019.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações ao professor: Com a finalidade de gerar um aprendizado significativo para os alunos, garantindo assim seu protagonismo em todos os momentos da aula, ressalta-se ser importante não expor os motivos que lhe levaram a formulação desta atividade. O tempo total para esse momento é de 10 minutos para a realização de todas as sugestões de orientação. Por isso é importante seguir as orientações, conforme descrito abaixo.

Com os alunos organizados em grupos, lance o seguinte questionamento: Qual o significado da expressão “Terrorismo de Estado”?

Permita os estudantes reflitam sobre a pergunta lançada, discutindo com sua equipe o significado da expressão. Em seguida, oriente as equipes a exporem os resultados de suas reflexões. Almeja-se que os alunos relatem que o terrorismo político seria um recurso utilizado por alguma nações, que empregam o terror (ações repressivas) como formas de convencimento ou extermínio de focos de resistência e grupos de oposição. Durante a discussão procure ouvir os alunos, verificando o conhecimento prévio que possuem sobre as formas de repressão empregadas por governos. É possível que façam relação com a ditadura civil - militar vivenciada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985, e caso isso aconteça, informe que nesse período nossa nação acabou vivenciando práticas de terrorismo do estado. À medida que os alunos forem relatando as suas ideias, você poderá ir registrando no quadro as informações que considerar mais importantes. Essas informações poderão ser utilizadas no momento da sistematização, para auxiliar na construção dos mapas mentais que serão realizados pelos alunos.

Para que possa basear suas discussões com a turma, disponibilizamos os seguintes conceitos de Terrorismo de Estado:

  • Dicionário Michaelis: “Sistema governamental que se impõe por meio do terror, sem respeito aos direitos e às regalias dos cidadãos”. Disponível em: <http://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=terrorismo+>. Acesso em: 24 mar. 2019.
  • O Terrorismo de Estado “em suma, é um sistema de governo que emprega o terror para enquadrar a sociedade e que conta com o respaldo dos setores dominantes, mostrando a vinculação intrínseca entre Estado, governo e aparelho repressivo”. PADRÓS, Enrique Serra. Como el Uruguay no hay ... Terror de Estado e segurança nacional Uruguai (1968-1985): do Pachecato à ditadura civil-militar. Tese (Doutorado em História). Porto Alegre: Programa de Pós-Graduação em História – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005, p. 64.

Dessa maneira, nessa discussão inicial, almeja-se que os alunos consigam compreender o conceito de terrorismo de estado.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações ao professor: Realizada a discussão inicial, informe aos estudantes que organizados em equipes, deverão realizar a leitura do texto disponibilizado, o qual versa sobre as características do terrorismo de estado empregado pelos regimes militares vivenciados na América Latina entre os anos de 1945 e 1990. Oriente que terão em torno de 5 minutos para realizar a leitura desse texto, a qual deverá ser realizada de maneira bem atenta e detalhada, destacando as informações que julgarem ser mais importante. Finalizada a leitura, informe que terão mais 7 minutos para escrever algumas considerações sobre as seguintes assertivas em uma folha de papel:

  • O objetivo da operação Condor.
  • Quais nações estavam envolvidas nessa operação.
  • O conceito de terrorismo de estado de acordo com a leitura do texto.

É importante não mostrar as perguntas antes, pois os alunos poderão direcionar a leitura do texto apenas para responder essas questões. Finalizado o momento de escrita, inicie uma discussão sobre as ideias escritas pelos estudantes, acrescentando mais alguma informação que julgar necessário.

Almeja-se que com essa atividade os alunos consigam identificar e compreender o objetivo da Operação Condor, quais as nações estavam envolvidas nessa operação e o conceito de terrorismo de estado empregado no texto. Durante a discussão você poderá ir fazendo um resumo no quadro dos comentários realizados pelos alunos.

Caso os alunos apresentem dificuldades para determinar as principais características de cada texto, chame a atenção para os seguintes trechos:

  • Sobre o objetivo da operação Condor: “Definiu-se que a Operação Condor ampliaria acordos entre os serviços secretos de Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, juntamente com a participação de Brasil e Peru. [...] O campo de ação foi fixado entre os limites de todos os países membros do acordo, estabelecendo-se facilidades para a ação de agentes destes países e a execução de operações repressivas conjuntas. Também foi aprovada a formação de equipes especiais para viajar a qualquer parte do mundo, com o objetivo de eliminar políticos opositores ou colaboradores dos grupos esquerdistas de qualquer dos países da operação.”
  • Acerca das nações que estavam envolvidas nessa operação: “Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, juntamente com a participação de Brasil e Peru”.
  • Sobre o conceito de Terrorismo de Estado: “O terrorismo de Estado foi praticado em escala internacional, possibilitado pela aliança supranacional de países sul-americanos e apoio incondicional do governo norte-americano” e “Sob a bandeira do anticomunismo, a influência dos EUA se fez sentir e vários militares latino-americanos tornaram-se hostis a qualquer proposta de mudança da sociedade, reformista ou revolucionária” e “As ditaduras derrubaram as fronteiras geográficas e políticas, aboliram tratados de proteção a refugiados e desrespeitaram convenções internacionais de Direitos Humanos”.

Finalizada essa atividade, pergunte à turma o que eles acharam do conteúdo abordado no texto e se conseguiram entender o objetivo da Operação Condor, bem como o conceito de terrorismo de estado.

Material complementar:

Texto sobre a Operação Condor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZtEhnCK6kCErH7UcRPPvdZTeAAq3hqn2h3aaFvDvqm8gFHuNJ3YGw8BEyXaX/his9-30und01-problematizacao-texto-sobre-a-operacao-condor.pdf

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações ao professor: Realizada a discussão inicial, informe aos estudantes que organizados em equipes, deverão realizar a leitura do texto disponibilizado, o qual versa sobre as características do terrorismo de estado empregado pelos regimes militares vivenciados na América Latina entre os anos de 1945 e 1990. Oriente que terão em torno de 5 minutos para realizar a leitura desse texto, a qual deverá ser realizada de maneira bem atenta e detalhada, destacando as informações que julgarem ser mais importante. Finalizada a leitura, informe que terão mais 7 minutos para escrever algumas considerações sobre as seguintes assertivas em uma folha de papel:

  • O objetivo da operação Condor.
  • Quais nações estavam envolvidas nessa operação.
  • O conceito de terrorismo de estado de acordo com a leitura do texto.

É importante não mostrar as perguntas antes, pois os alunos poderão direcionar a leitura do texto apenas para responder essas questões. Finalizado o momento de escrita, inicie uma discussão sobre as ideias escritas pelos estudantes, acrescentando mais alguma informação que julgar necessário.

Almeja-se que com essa atividade os alunos consigam identificar e compreender o objetivo da Operação Condor, quais as nações estavam envolvidas nessa operação e o conceito de terrorismo de estado empregado no texto. Durante a discussão você poderá ir fazendo um resumo no quadro dos comentários realizados pelos alunos.

Caso os alunos apresentem dificuldades para determinar as principais características de cada texto, chame a atenção para os seguintes trechos:

  • Sobre o objetivo da operação Condor: “Definiu-se que a Operação Condor ampliaria acordos entre os serviços secretos de Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, juntamente com a participação de Brasil e Peru. [...] O campo de ação foi fixado entre os limites de todos os países membros do acordo, estabelecendo-se facilidades para a ação de agentes destes países e a execução de operações repressivas conjuntas. Também foi aprovada a formação de equipes especiais para viajar a qualquer parte do mundo, com o objetivo de eliminar políticos opositores ou colaboradores dos grupos esquerdistas de qualquer dos países da operação.”
  • Acerca das nações que estavam envolvidas nessa operação: “Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, juntamente com a participação de Brasil e Peru”.
  • Sobre o conceito de Terrorismo de Estado: “O terrorismo de Estado foi praticado em escala internacional, possibilitado pela aliança supranacional de países sul-americanos e apoio incondicional do governo norte-americano” e “Sob a bandeira do anticomunismo, a influência dos EUA se fez sentir e vários militares latino-americanos tornaram-se hostis a qualquer proposta de mudança da sociedade, reformista ou revolucionária” e “As ditaduras derrubaram as fronteiras geográficas e políticas, aboliram tratados de proteção a refugiados e desrespeitaram convenções internacionais de Direitos Humanos”.

Finalizada essa atividade, pergunte à turma o que eles acharam do conteúdo abordado no texto e se conseguiram entender o objetivo da Operação Condor, bem como o conceito de terrorismo de estado.

Material complementar:

Texto sobre a Operação Condor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZtEhnCK6kCErH7UcRPPvdZTeAAq3hqn2h3aaFvDvqm8gFHuNJ3YGw8BEyXaX/his9-30und01-problematizacao-texto-sobre-a-operacao-condor.pdf

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 17 minutos.

Orientações ao professor: Sem desfazer as equipes, lance a proposta de sistematização. Você pode projetar este slide, entregar cópias impressas dele ao grupo, ou ainda escrever a proposta no quadro. Os alunos serão convidados a produzirem um mapa mental sobre o papel da Operação Condor nas ditaduras latino - americanas do século XX. Caso os alunos ainda nunca tenham tido nenhuma experiência na elaboração de mapas mentais, você poderá disponibilizar os seguintes materiais que trazem orientações sobre essa atividade:

Finalizada a elaboração peça que a sala se organize em um grande círculo, para que cada equipe possa apresentar seu mapa mental ao restante da turma.

A expectativa é que através da elaboração desse mapa, os estudantes percebam como os regimes totalitários vivenciados na América Latina entre os anos de 1945 e 1990 estavam interligados e que a Operação Condor legitimou essa conexão através de uma aliança que praticava o terrorismo de estado de maneira institucionalizada para combater os possíveis “inimigos” da sociedade.

Material complementar:

Folhas de ofício tamanho A4.

Canetas coloridas.

Para você saber mais:

A utilização de mapas mentais para explorar e sistematizar conteúdos é uma ótima estratégia para a promoção de uma aprendizagem significativa. Por isso acreditamos ser importante, como leitura complementar, realizar um aprofundamento sobre a teoria de aprendizagem significativa de David Ausubel:

ALVES, Daniel Vecchio. A abordagem transdisciplinar entre história e literatura em sala de aula por meio da aprendizagem significativa. São Paulo: TODAS AS LETRAS, v. 20, n. 1, p. 122-135, jan./abr. 2018. Disponível em: <http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tl/article/viewFile/10869/7148>. Acesso em 31 de mar. 2019.

AUSUBEL, D. P. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982.

MOREIRA, Marco Antonio. Aprendizagem significativa. Brasília: Ed. da UnB, 1998.

MOREIRA, Marco Antonio. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Disponível em: <http://www.cid.unir.br/uploads/44444444/arquivos/TAS_1490483223.pdf#page=41>. Acesso em 31 de mar. 2019.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide tem como objetivo resumir o conteúdo da aula para que possa se planejar, portanto não deve ser apresentado para os alunos.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade (EF09HI30) de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Projetor para exibição de texto ou impressão textos para disponibilizar aos grupos de alunos.

Material complementar:

Folhas de ofício tamanho A4.

Canetas coloridas.

Texto sobre a Operação Condor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZtEhnCK6kCErH7UcRPPvdZTeAAq3hqn2h3aaFvDvqm8gFHuNJ3YGw8BEyXaX/his9-30und01-problematizacao-texto-sobre-a-operacao-condor.pdf

Para você saber mais:

Para ministração dessa aula é importante estar apropriado das peculiaridades que envolvem o contexto político envolto na criação da Operação Condor. Sabe-se que os regimes ditatoriais vivenciados na América Latina surgiram na conjuntura da Guerra Fria, período esse marcado por diversas ações dos Estados Unidos para tentar frear o avanço da influência do comunismo. Dentre essas ações, podemos citar a criação na década de 1950 da Doutrina de Segurança Nacional (DNS), que pregava o combate ao avanço comunista dentro e fora de seu país.

Essa doutrina acabou sendo “exportada” para vários países da América Latina, passando a ser adotada e difundida pelos grupos militares, os quais passaram a utilizar essa afirmativa como princípio de legitimação para implementação dos regimes militares. A revolução cubana de 1959, que derrubou a ditadura de Fulgêncio Batista e levou ao poder Fidel Castro, que após alguns conflitos ideológicos e políticos, acabaram rompendo com os Estados Unidos e se aliando com a União soviética, acabou acelerando esse processo de militarização dos governos da América Latina, sob a influência norte-americana.

Para se aprofundar mais sobre essa temática, recomendamos as seguintes leituras:

ABRAMOVICI, Pierre. O pesadelo da "operação Condor". In: Le Monde Diplomatique, maio de 2001. Disponível em: <https://diplomatique.org.br/o-pesadelo-da-operacao-condor/> . Acesso em: 24 de mai. 2019.

Atlas FGV Acesso em 20/05/2019.

BOBBIO, Norberto, MATTEUCCI, Nicola, PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de Política. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1998.

DINGES, John. Os anos do Condor: Uma década de terrorismo internacional no Cone Sul. São Paulo, Cia das Letras, 2005.

FICO, Carlos. Ditadura e democracia na América Latina: balanço histórico e perspectivas. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2008

MARIANO, Nilson. As Garras do Condor. São Paulo: Vozes, 2003.

QUADRAT, Samantha Viz; ROLLEMBERG, Denise (org.). História e memória das ditaduras do Século XX. Rio de Janeiro: FGV Editora, 2015.

SOUSA, Fabiano. Operação Condor: terrorismo de estado no Cone Sul das Américas. Rio de Janeiro: Aedos, Num.8, vol. 3, Janeiro - Junho 2011. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/aedos/article/download/12769/11960>. Acesso em: 24 de mar. 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações ao professor: Para a vivência dessa aula, solicite que os alunos se organizem em grupos de 3 ou 4 integrantes. Ressaltamos que o trabalho colaborativo é importante para estimular um aprendizado mais significativo e ativo por parte dos alunos. O direcionamento da escolha das equipes poderá ser realizado pelos próprios alunos ou por você, com o objetivo de garantir que possam realizar com sucesso a atividade proposta.

Inicie a aula apresentando o objetivo da temática que será estudada para os estudantes. O objetivo poderá ser projetado, escrito no quadro ou lido para a turma. Esse momento é bem relevante para que os estudantes compreendam a temática que será estudada e qual a sua importância para compreensão da história política dos países da América Latina. No entanto, procure não antecipar algumas questões nesse início, a fim de garantir a atenção e interesse dos alunos durante toda a vivência da aula.

A proposta dessa aula é fazer com que os alunos compreendam que as ditaduras vivenciadas na América Latina entre os anos de 1945 e 1990 não aconteceram de maneira isolada. Houve uma integração internacional através da chamada “Operação Condor”, a qual foi responsável por conectar e direcionar as ações de repressão desses regimes.

Para você saber mais:

A criação da Operação Condor aconteceu no ano de 1975, na Conferência Regional de Inteligência Nacional realizada no Chile, ficando definida que essa organização ampliaria os acordos entre os serviços secretos de Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, Brasil e Peru. Nesse encontro também ficou definido o nome da organização, que faria uma alusão a maior ave voadora do mundo, a qual possui amplas habilidade de caça às suas presas, simbologia essa que se enquadrava no objetivo do grupo. Dessa maneira, essa aliança constituída teve como prerrogativa principal o estabelecimento em escala internacional de repressão aos adversários dos regimes militares. Os meios de repressão utilizados foram os mais cruéis e diversos possíveis, legitimando a censura e a tortura como práticas legais e institucionais utilizados em todos as nações que participaram do acordo.

Para se aprofundar mais sobre essa temática, recomendamos as seguintes leituras:

ABRAMOVICI, Pierre. O pesadelo da "operação Condor". In: Le Monde Diplomatique, maio de 2001. Disponível em: <http://diplomatique.uol.com.br/acervo.php?id=401&tipo=acervo&PHPSESSID=f47f5d9826c6d9eab0fc066c6d52ec35> . Acesso em: 24 de mar. 2019.

BOBBIO, Norberto, MATTEUCCI, Nicola, PASQUINO, Gianfranco. Dicionário de Política. Brasília: Editora da Universidade de Brasília, 1998.

DINGES, John. Os anos do Condor: Uma década de terrorismo internacional no Cone Sul. São Paulo, Cia das Letras, 2005.

MARIANO, Nilson. As Garras do Condor. São Paulo: Vozes, 2003.

SOUSA, Fabiano. Operação Condor: terrorismo de estado no Cone Sul das Américas. Rio de Janeiro: Aedos, Num.8, vol. 3, Janeiro - Junho 2011. Disponível em: <https://seer.ufrgs.br/aedos/article/download/12769/11960>. Acesso em: 24 de mar. 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações ao professor: Com a finalidade de gerar um aprendizado significativo para os alunos, garantindo assim seu protagonismo em todos os momentos da aula, ressalta-se ser importante não expor os motivos que lhe levaram a formulação desta atividade. O tempo total para esse momento é de 10 minutos para a realização de todas as sugestões de orientação. Por isso é importante seguir as orientações, conforme descrito abaixo.

Com os alunos organizados em grupos, lance o seguinte questionamento: Qual o significado da expressão “Terrorismo de Estado”?

Permita os estudantes reflitam sobre a pergunta lançada, discutindo com sua equipe o significado da expressão. Em seguida, oriente as equipes a exporem os resultados de suas reflexões. Almeja-se que os alunos relatem que o terrorismo político seria um recurso utilizado por alguma nações, que empregam o terror (ações repressivas) como formas de convencimento ou extermínio de focos de resistência e grupos de oposição. Durante a discussão procure ouvir os alunos, verificando o conhecimento prévio que possuem sobre as formas de repressão empregadas por governos. É possível que façam relação com a ditadura civil - militar vivenciada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985, e caso isso aconteça, informe que nesse período nossa nação acabou vivenciando práticas de terrorismo do estado. À medida que os alunos forem relatando as suas ideias, você poderá ir registrando no quadro as informações que considerar mais importantes. Essas informações poderão ser utilizadas no momento da sistematização, para auxiliar na construção dos mapas mentais que serão realizados pelos alunos.

Para que possa basear suas discussões com a turma, disponibilizamos os seguintes conceitos de Terrorismo de Estado:

  • Dicionário Michaelis: “Sistema governamental que se impõe por meio do terror, sem respeito aos direitos e às regalias dos cidadãos”. Disponível em: <http://michaelis.uol.com.br/busca?r=0&f=0&t=0&palavra=terrorismo+>. Acesso em: 24 mar. 2019.
  • O Terrorismo de Estado “em suma, é um sistema de governo que emprega o terror para enquadrar a sociedade e que conta com o respaldo dos setores dominantes, mostrando a vinculação intrínseca entre Estado, governo e aparelho repressivo”. PADRÓS, Enrique Serra. Como el Uruguay no hay ... Terror de Estado e segurança nacional Uruguai (1968-1985): do Pachecato à ditadura civil-militar. Tese (Doutorado em História). Porto Alegre: Programa de Pós-Graduação em História – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005, p. 64.

Dessa maneira, nessa discussão inicial, almeja-se que os alunos consigam compreender o conceito de terrorismo de estado.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações ao professor: Realizada a discussão inicial, informe aos estudantes que organizados em equipes, deverão realizar a leitura do texto disponibilizado, o qual versa sobre as características do terrorismo de estado empregado pelos regimes militares vivenciados na América Latina entre os anos de 1945 e 1990. Oriente que terão em torno de 5 minutos para realizar a leitura desse texto, a qual deverá ser realizada de maneira bem atenta e detalhada, destacando as informações que julgarem ser mais importante. Finalizada a leitura, informe que terão mais 7 minutos para escrever algumas considerações sobre as seguintes assertivas em uma folha de papel:

  • O objetivo da operação Condor.
  • Quais nações estavam envolvidas nessa operação.
  • O conceito de terrorismo de estado de acordo com a leitura do texto.

É importante não mostrar as perguntas antes, pois os alunos poderão direcionar a leitura do texto apenas para responder essas questões. Finalizado o momento de escrita, inicie uma discussão sobre as ideias escritas pelos estudantes, acrescentando mais alguma informação que julgar necessário.

Almeja-se que com essa atividade os alunos consigam identificar e compreender o objetivo da Operação Condor, quais as nações estavam envolvidas nessa operação e o conceito de terrorismo de estado empregado no texto. Durante a discussão você poderá ir fazendo um resumo no quadro dos comentários realizados pelos alunos.

Caso os alunos apresentem dificuldades para determinar as principais características de cada texto, chame a atenção para os seguintes trechos:

  • Sobre o objetivo da operação Condor: “Definiu-se que a Operação Condor ampliaria acordos entre os serviços secretos de Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, juntamente com a participação de Brasil e Peru. [...] O campo de ação foi fixado entre os limites de todos os países membros do acordo, estabelecendo-se facilidades para a ação de agentes destes países e a execução de operações repressivas conjuntas. Também foi aprovada a formação de equipes especiais para viajar a qualquer parte do mundo, com o objetivo de eliminar políticos opositores ou colaboradores dos grupos esquerdistas de qualquer dos países da operação.”
  • Acerca das nações que estavam envolvidas nessa operação: “Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, juntamente com a participação de Brasil e Peru”.
  • Sobre o conceito de Terrorismo de Estado: “O terrorismo de Estado foi praticado em escala internacional, possibilitado pela aliança supranacional de países sul-americanos e apoio incondicional do governo norte-americano” e “Sob a bandeira do anticomunismo, a influência dos EUA se fez sentir e vários militares latino-americanos tornaram-se hostis a qualquer proposta de mudança da sociedade, reformista ou revolucionária” e “As ditaduras derrubaram as fronteiras geográficas e políticas, aboliram tratados de proteção a refugiados e desrespeitaram convenções internacionais de Direitos Humanos”.

Finalizada essa atividade, pergunte à turma o que eles acharam do conteúdo abordado no texto e se conseguiram entender o objetivo da Operação Condor, bem como o conceito de terrorismo de estado.

Material complementar:

Texto sobre a Operação Condor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZtEhnCK6kCErH7UcRPPvdZTeAAq3hqn2h3aaFvDvqm8gFHuNJ3YGw8BEyXaX/his9-30und01-problematizacao-texto-sobre-a-operacao-condor.pdf

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações ao professor: Realizada a discussão inicial, informe aos estudantes que organizados em equipes, deverão realizar a leitura do texto disponibilizado, o qual versa sobre as características do terrorismo de estado empregado pelos regimes militares vivenciados na América Latina entre os anos de 1945 e 1990. Oriente que terão em torno de 5 minutos para realizar a leitura desse texto, a qual deverá ser realizada de maneira bem atenta e detalhada, destacando as informações que julgarem ser mais importante. Finalizada a leitura, informe que terão mais 7 minutos para escrever algumas considerações sobre as seguintes assertivas em uma folha de papel:

  • O objetivo da operação Condor.
  • Quais nações estavam envolvidas nessa operação.
  • O conceito de terrorismo de estado de acordo com a leitura do texto.

É importante não mostrar as perguntas antes, pois os alunos poderão direcionar a leitura do texto apenas para responder essas questões. Finalizado o momento de escrita, inicie uma discussão sobre as ideias escritas pelos estudantes, acrescentando mais alguma informação que julgar necessário.

Almeja-se que com essa atividade os alunos consigam identificar e compreender o objetivo da Operação Condor, quais as nações estavam envolvidas nessa operação e o conceito de terrorismo de estado empregado no texto. Durante a discussão você poderá ir fazendo um resumo no quadro dos comentários realizados pelos alunos.

Caso os alunos apresentem dificuldades para determinar as principais características de cada texto, chame a atenção para os seguintes trechos:

  • Sobre o objetivo da operação Condor: “Definiu-se que a Operação Condor ampliaria acordos entre os serviços secretos de Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, juntamente com a participação de Brasil e Peru. [...] O campo de ação foi fixado entre os limites de todos os países membros do acordo, estabelecendo-se facilidades para a ação de agentes destes países e a execução de operações repressivas conjuntas. Também foi aprovada a formação de equipes especiais para viajar a qualquer parte do mundo, com o objetivo de eliminar políticos opositores ou colaboradores dos grupos esquerdistas de qualquer dos países da operação.”
  • Acerca das nações que estavam envolvidas nessa operação: “Argentina, Bolívia, Chile, Paraguai e Uruguai, juntamente com a participação de Brasil e Peru”.
  • Sobre o conceito de Terrorismo de Estado: “O terrorismo de Estado foi praticado em escala internacional, possibilitado pela aliança supranacional de países sul-americanos e apoio incondicional do governo norte-americano” e “Sob a bandeira do anticomunismo, a influência dos EUA se fez sentir e vários militares latino-americanos tornaram-se hostis a qualquer proposta de mudança da sociedade, reformista ou revolucionária” e “As ditaduras derrubaram as fronteiras geográficas e políticas, aboliram tratados de proteção a refugiados e desrespeitaram convenções internacionais de Direitos Humanos”.

Finalizada essa atividade, pergunte à turma o que eles acharam do conteúdo abordado no texto e se conseguiram entender o objetivo da Operação Condor, bem como o conceito de terrorismo de estado.

Material complementar:

Texto sobre a Operação Condor:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZtEhnCK6kCErH7UcRPPvdZTeAAq3hqn2h3aaFvDvqm8gFHuNJ3YGw8BEyXaX/his9-30und01-problematizacao-texto-sobre-a-operacao-condor.pdf

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 17 minutos.

Orientações ao professor: Sem desfazer as equipes, lance a proposta de sistematização. Você pode projetar este slide, entregar cópias impressas dele ao grupo, ou ainda escrever a proposta no quadro. Os alunos serão convidados a produzirem um mapa mental sobre o papel da Operação Condor nas ditaduras latino - americanas do século XX. Caso os alunos ainda nunca tenham tido nenhuma experiência na elaboração de mapas mentais, você poderá disponibilizar os seguintes materiais que trazem orientações sobre essa atividade:

Finalizada a elaboração peça que a sala se organize em um grande círculo, para que cada equipe possa apresentar seu mapa mental ao restante da turma.

A expectativa é que através da elaboração desse mapa, os estudantes percebam como os regimes totalitários vivenciados na América Latina entre os anos de 1945 e 1990 estavam interligados e que a Operação Condor legitimou essa conexão através de uma aliança que praticava o terrorismo de estado de maneira institucionalizada para combater os possíveis “inimigos” da sociedade.

Material complementar:

Folhas de ofício tamanho A4.

Canetas coloridas.

Para você saber mais:

A utilização de mapas mentais para explorar e sistematizar conteúdos é uma ótima estratégia para a promoção de uma aprendizagem significativa. Por isso acreditamos ser importante, como leitura complementar, realizar um aprofundamento sobre a teoria de aprendizagem significativa de David Ausubel:

ALVES, Daniel Vecchio. A abordagem transdisciplinar entre história e literatura em sala de aula por meio da aprendizagem significativa. São Paulo: TODAS AS LETRAS, v. 20, n. 1, p. 122-135, jan./abr. 2018. Disponível em: <http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/tl/article/viewFile/10869/7148>. Acesso em 31 de mar. 2019.

AUSUBEL, D. P. A aprendizagem significativa: a teoria de David Ausubel. São Paulo: Moraes, 1982.

MOREIRA, Marco Antonio. Aprendizagem significativa. Brasília: Ed. da UnB, 1998.

MOREIRA, Marco Antonio. Mapas conceituais e aprendizagem significativa. Disponível em: <http://www.cid.unir.br/uploads/44444444/arquivos/TAS_1490483223.pdf#page=41>. Acesso em 31 de mar. 2019.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE A história recente do 9º ano :

MAIS AULAS DE História do 9º ano:

9º ano / História / Modernização, ditadura civil-militar e redemocratização: o Brasil após 1946

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF09HI30 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano