17669
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 4º ano > Circulação de pessoas, produtos e culturas

Plano de aula - Diáspora africana e o caso dos retornados

Plano de aula de História com atividades para 4º ano do EF sobre Diáspora africana e o caso dos retornados

Plano 10 de 10 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ana Paula Afonso De Borborema

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos . Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF04HI11 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários:

  • Aparelho de projeção
  • Folha e lápis
  • Dicionário

Material complementar:

Poesias de Castro Alves

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/M8eV3aKFp5mYydrzteXTpqEGszpB4CsqgBVUrSg7P5Ms2brVxHY3Hn5HS7GJ/his4-11und11-poesias-de-castro-alves.pdf

O Retorno para a África

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/TwdwxBpNKnwU93M5VMWwGmU8aEPsCyFVw7w35ATMX6DRMx6JwR4aVBF9tHuj/his4-11und10-o-retorno-para-a-africa.pdf

Afro-brasileiros na África

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/tJKSSkCwcbYSKQk3638WDjRX8txS8sKDfhVfuAGMpN4M7EwQ9N4xAgt5tDmC/his4-11und10-afro-brasileiros-na-africa.pdf

Para você saber mais:

Diáspora é um termo frequentemente usado no movimento forçado de uma massa populacional.

Evolução histórica - Cultura afro-brasileira. Por Portal da Cultura Africana. Disponível em: https://www.faecpr.edu.br/site/portal_afro_brasileira/3_III.php

Acesso em 16 de abril de 2019.

Por que os africanos foram escravizados no Brasil? Por Heverton Nascimento. Disponível em https://novaescola.org.br/conteudo/203/por-que-os-africanos-foram-escravizados-no-brasil Acesso em 23 de abril de 2019.

Biografia de Castro Alves. Castro Alves. Por Elaine Barbosa de Souza. Disponível em https://www.suapesquisa.com/biografias/castroalves.htm Acesso em 23 de abril de 2019.

A carta de alforria era um documento que conferia liberdade aos ex-escravizados, que podia ser dado ou vendido pelo seu proprietário.

Escravos de ganho eram escravos que produziam dinheiro para seu proprietário, seja no comércio, seja em prestação de serviços

Agudás, tabons e retornados da África para o Brasil.Por Emerson Santiago. Disponível em https://www.infoescola.com/sociologia/agudas-tabons-e-retornados-da-africa-para-o-brasil/ Acesso em 23 de abril de 2019.

A brasileira África dos escravos retornados. Por Marcia Pimentel/ MultiRio. Disponível em https://www.geledes.org.br/brasileira-africa-dos-escravos-retornados/ Acesso em 23 de abril de 2019.

Ex-escravos: migração da forma do Brasil para a África. Por Soraia Vilela. Disponível em https://www.dw.com/pt-br/ex-escravos-migra%C3%A7%C3%A3o-da-forma-do-brasil-para-a-%C3%A1frica/a-2810123 Acesso em 23 de abril de 2019.

A canção do africano - análise. Por Laurindo Stefanelli. Disponível em https://conversadeportugues.com.br/2013/10/cancao-do-africano/. Acesso em 24 de abril de 2019.

Lima e Souza, Mônica. Entre margens: o retorno à África de libertos no Brasil 1830 - 1870. Tese (doutorado em História). Program de pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense. 2008. Disponível em http://www.historia.uff.br/stricto/teses/Tese-2008_SOUZA_Monica_Lima_e-S.pdf Acesso em 20 de abril de 2019

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Apresente o tema aos alunos escrevendo-o no quadro ou lendo-o para a turma. Se estiver fazendo uso de projetor, apresente esse slide e faça uma leitura coletiva. Os alunos deverão estar dispostos em semicírculo.

Nesse primeiro momento, promova um bate-papo com os alunos ajudando-os a compreender o tema da aula e aproveitando para saber o conhecimento que eles detém sobre o assunto, com questões como:

  • Quem são os afro-brasileiros? Eles deverão responder que são os brasileiros descendentes de africanos.
  • Vocês sabem dizer por que eles vieram para o Brasil? O que é diáspora? Oriente aos alunos a procurarem no dicionário o significado de diáspora para que possam responder melhor a primeira pergunta. A partir do século XVI os africanos eram trazidos da África para se tornarem escravizados na América pelos portugueses. Eles trabalhavam principalmente nas lavouras de cana de açúcar. Estima-se que aproximadamente 4 milhões de africanos tenham vindo escravizados para o Brasil.
  • Se é “ex-escravizado” quer dizer que trataremos de um período pós-escravidão. Será que alguns deles quiseram ir para a África?
  • Como será que foram recebidos no continente africano?

Não se preocupe em aprofundar nenhuma destas questões. Elas serão respondidas no decorrer da aula, nesse momento serve para iniciar uma reflexão e motivar o interesse da turma.

Para você saber mais:

Diáspora é um termo frequentemente usado no movimento forçado de uma massa populacional por questões religiosas ou étnicas.

Evolução histórica - Cultura afro-brasileira. Por Portal da Cultura Africana. Disponível em: https://www.faecpr.edu.br/site/portal_afro_brasileira/3_III.php

Acesso em 16 de abril de 2019.

Por que os africanos foram escravizados no Brasil? Por Heverton Nascimento. Disponível em https://novaescola.org.br/conteudo/203/por-que-os-africanos-foram-escravizados-no-brasil Acesso em 23 de abril de 2019.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido:10 minutos

Orientações: Explique que os textos que lerão são trechos de poemas do poeta Castro Alves (1847-1871), que viveu durante o regime escravagista no Brasil. A maior parte da sua obra é voltada para lutar contra essa abominação, retratando a dura realidade do cotidiano do escravizado e humanizando-os em oposição à mentalidade dominante do escravizado-objeto. Leia os textos junto com a turma motivando-os a interagir para melhor contribuição dos trechos.

  • O trecho do poema “A tragédia no lar” narra a história de uma mãe que faz o filho dormir na senzala até que ouve o som do senhor dos escravizados chegando e tem um diálogo com ele. Como é o lugar onde eles estão? Explore junto com os alunos a imagem apresentada pelo poeta como o frio que entra pelo telhado de palha, a mulher sentada junto ao fogo dentro da senzala.
  • O que o senhor queria?
  • O trecho do poema “A canção do africano”, representa a fala de um escravizado cantando. Sobre o que ele está falando? Onde é “lá”? Com certeza é um lugar distante, um lugar diferente de onde eles estão. Os alunos podem responder que é o céu, um quilombo ou outras respostas. Comente que ele está se referindo à África e à liberdade que teria no lugar onde ele não seria escravizado.
  • Qual a relação entre esses trechos? A venda de um ser-humano. Oriente a turma a ver que o poeta humaniza a africana em um momento em que não são tratados como tal. Ressalte para os alunos os maus-tratos físicos, as condições insalubres e o preconceito derivado do etnocentrismo, ou seja, por acharem que etnias brancas são superiores as demais.
  • Em 1850 o tráfico de escravizados para o Brasil foi proibido, mas a abolição só ocorreu em 1888, ou seja muitos desses ex-escravizados já haviam saído da África há várias décadas ou nasceram no Brasil. Será que eles queria retornar para o continente africano? Acolha as respostas das crianças, mas lembre-os do trecho em que a africana idealiza a África em contraste com o Brasil. Mesmo que muitos não tivessem conhecido o outro continente provavelmente ouviram de seus antepassados. É a tradição oral.

Fonte:

A canção do africano e Tragédia no lar. Por Castro Alves. Disponível em https://www.literaturabrasileira.ufsc.br/documentos/?action=download&id=38777#Adeusmeucanto Acesso em 23 de abril de 2019.

Como adequar à sua realidade: Caso essa aula seja em uma comunidade quilombola ou com grande influência afro-brasileira, reflita umpouco mais sobre história oral. O que eles ouviram sobre a África? Se gostariam de visitá-la? Por quê?

Para você saber mais:

Biografia de Castro Alves. Castro Alves. Por Elaine Barbosa de Souza. Disponível em https://www.suapesquisa.com/biografias/castroalves.htm Acesso em 23 de abril de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Comente com os alunos que desde 1830 os ex-escravizados começaram a retornar para a África, bem antes da abolição, ocorrida em 1888. “A canção do africano” foi escrita em 1863. De 1830 até 1870, segundo a professora Mônica Lima e Souza, houveram de sete a oito mil retornados. Indique aos alunos que a linha vermelha no mapa representa as principais regiões de destino desses libertos como: Gana, Nigéria, Congo, Benin e Angola.

Em seguida, leia o texto em voz alta, explorando-o com as perguntas do slide ou outras:

  • Quem eram os retornados? No próprio texto os alunos encontrarão a resposta: escravizados libertos ou alforriados. Explique para a turma que muitos deles eram alforriados pelos seus proprietários ou compravam sua carta de alforria. Principalmente trabalhadores da mineração e “escravos de ganho” que conseguiam guardar dinheiro.
  • Como será que foi o retorno para África? Ouça as respostas dos alunos e explique que os libertos uniam-se em associações, inclusive pedindo ajuda inglesa para a viagem à África. Embarcavam em portos em Salvador e no Rio de Janeiro.
  • Será que foram bem recebidos? Motive-os a refletir como a população local os recebeu. Comente que eles já eram diferentes até na língua, religiões e costumes conforme mencionado no texto. Depois que os alunos responderem, explique que alguns conseguiram ser integrados na sociedade como em Angola onde o idioma é o português e suas habilidades de trabalho foram facilmente aproveitadas, formando uma classe média local. No entanto, uma grande parte dos retornados não eram vistos como africanos nativos e sim como brasileiros, chegando a formar bairros separados e eram vistos como estrangeiros.
  • Eles eram mais brasileiros do que africanos. Será que levaram alguma coisa da nossa cultura para o outro lado do Atlântico? Motive a criação de hipóteses, a resposta estará no próximo slide.

Fonte:

Imagem Disponível em https://commons.wikimedia.org/wiki/Africa_-_Afrique_-_%D8%A3%D9%81%D8%B1%D9%8A%D9%82%D9%8A%D8%A7 acesso em 24 de abril de 2019.

Agudás, tabons e retornados da África para o Brasil.Por Emerson Santiago. Disponível em https://www.infoescola.com/sociologia/agudas-tabons-e-retornados-da-africa-para-o-brasil/ Acesso em 23 de abril de 2019.

Para você saber mais:

A carta de alforria era um documento que conferia liberdade aos ex-escravizados, que podia ser dado ou vendido pelo seu proprietário.

Escravos de ganho eram escravos que produziam dinheiro para seu proprietário, seja no comércio, seja em prestação de serviços

Agudás, tabons e retornados da África para o Brasil.Por Emerson Santiago. Disponível em https://www.infoescola.com/sociologia/agudas-tabons-e-retornados-da-africa-para-o-brasil/ Acesso em 23 de abril de 2019.

A brasileira África dos escravos retornados. Por Marcia Pimentel/ MultiRio. Disponível em https://www.geledes.org.br/brasileira-africa-dos-escravos-retornados/ Acesso em 23 de abril de 2019.

Ex-escravos: migração da forma do Brasil para a África. Por Soraia Vilela. Disponível em https://www.dw.com/pt-br/ex-escravos-migra%C3%A7%C3%A3o-da-forma-do-brasil-para-a-%C3%A1frica/a-2810123 Acesso em 23 de abril de 2019.

A canção do africano - análise. Por Laurindo Stefanelli. Disponível em https://conversadeportugues.com.br/2013/10/cancao-do-africano/. Acesso em 24 de abril de 2019.

Lima e Souza, Mônica. Entre margens: o retorno à África de libertos no Brasil 1830 - 1870. Tese (doutorado em História). Program de pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense. 2008. Disponível em http://www.historia.uff.br/stricto/teses/Tese-2008_SOUZA_Monica_Lima_e-S.pdf Acesso em 20 de abril de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Leia em voz alta e pergunte aos alunos quais destas tradições eles conhecem. Comente brevemente sobre cada uma delas. A feijoada é tradicionalmente do Rio de Janeiro e foi difundida por todo território. O Bumba meu boi que é uma tradição maranhense que recebe diversos nomes e variações pelo país como Boi Bumbá na Amazônia e Boi de Mamão em Santa Catarina. A Festa do Nosso Senhor Do Bonfim ocorre em Salvador tanto entre católicos quanto com candomblecistas em celebração a Oxalá. O pé de moleque e a cocada são doces tradicionais do Brasil, o primeiro sendo feito de amendoim e o segundo de coco.

Em seguida, explore as imagens:

  • Comparem as duas fotos tiradas na Nigéria. O que vocês podem notar?
  • Uma das fotos é de afro-brasileiros e a outra de nativos nigerianos. Identifique-as e justifique sua resposta. Os alunos devem perceber que foto da direita é de nativos da Nigéria.
  • Por que será que os retornados vestiam-se assim? Oriente-os que os libertos depois de alforriados costumavam copiar os costumes e vestimentas de seus proprietários, significando status e de certo modo a liberdade, portavam-se como pessoas livres.
  • Além das tradições e cultura brasileira, os retornados também levaram a arquitetura, construindo casas e prédios ao estilo brasileiro-europeu. Será que podemos dizer que com essa imigração de retorno surgiu um pedacinho do Brasil na África? Espera-se que os alunos concordem. Comente que hoje os descendentes afro-brasileiros estão totalmente integrados a estas sociedades, mas continuam mantendo e difundiam muitos de nossos costumes.

Fonte:

Por Desconhecido - Da Senzala Ao Sobrado: Arquitetura Brasileira Na Nigéria E Na República Popular Do Benim. Picture from the Da Rocha family archive. C. 1870, Domínio Público, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=54595365

Por Sir (John) Benjamin Stone (died 1914) - one or more third parties have made copyright claims against Wikimedia Commons in relation to the work from which this is sourced or a purely mechanical reproduction thereof. This may be due to recognition of the "sweat of the brow" doctrine, allowing works to be eligible for protection through skill and labour, and not purely by originality as is the case in the United States (where this website is hosted). These claims may or may not be valid in all jurisdictions.As such, use of this image in the jurisdiction of the claimant or other countries may be regarded as copyright infringement. Please see Commons:When to use the PD-Art tag for more information., Domínio Público, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=6442053

A brasileira África dos escravos retornados. Por Marcia Pimentel/ MultiRio. Disponível em https://www.geledes.org.br/brasileira-africa-dos-escravos-retornados/ Acesso em 23 de abril de 2019.

Para você saber mais:

Ex-escravos: migração da forma do Brasil para a África. Por Soraia Vilela. Disponível em https://www.dw.com/pt-br/ex-escravos-migra%C3%A7%C3%A3o-da-forma-do-brasil-para-a-%C3%A1frica/a-2810123 Acesso em 23 de abril de 2019.

A brasileira África dos escravos retornados. Por Marcia Pimentel/ MultiRio. Disponível em https://www.geledes.org.br/brasileira-africa-dos-escravos-retornados/ Acesso em 23 de abril de 2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Leia o slide fazendo um convite aos alunos.

Divida-os em duplas ou trios e explique que deverão produzir poemas de uma ou duas estrofes. A temática será os afro-brasileiros na África, utilizando os conhecimentos aprendidos nesta aula. Os grupos terão 10 minutos para escrever e 5 minutos para lerem seus textos para os colegas.

Caso a turma não esteja acostumada a produzir poemas, aproveite esse momento para explicar termos como estrofes e versos.

Direcionar esse tipo de produção costuma render bons resultados, para isso, você pode dividir temas entre os alunos como: chegada na África, confusão de línguas e culturas desconhecidas, a viagem de navio, os principais países onde chegaram, as tradições perpetuadas, comidas típicas, não ser nativo nem brasileiro, atualmente integrados. Ao final, pode enumerar cada tema para ter uma ordem de leitura e uní-lo para criar uma produção coletiva.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos . Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF04HI11 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários:

  • Aparelho de projeção
  • Folha e lápis
  • Dicionário

Material complementar:

Poesias de Castro Alves

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/M8eV3aKFp5mYydrzteXTpqEGszpB4CsqgBVUrSg7P5Ms2brVxHY3Hn5HS7GJ/his4-11und11-poesias-de-castro-alves.pdf

O Retorno para a África

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/TwdwxBpNKnwU93M5VMWwGmU8aEPsCyFVw7w35ATMX6DRMx6JwR4aVBF9tHuj/his4-11und10-o-retorno-para-a-africa.pdf

Afro-brasileiros na África

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/tJKSSkCwcbYSKQk3638WDjRX8txS8sKDfhVfuAGMpN4M7EwQ9N4xAgt5tDmC/his4-11und10-afro-brasileiros-na-africa.pdf

Para você saber mais:

Diáspora é um termo frequentemente usado no movimento forçado de uma massa populacional.

Evolução histórica - Cultura afro-brasileira. Por Portal da Cultura Africana. Disponível em: https://www.faecpr.edu.br/site/portal_afro_brasileira/3_III.php

Acesso em 16 de abril de 2019.

Por que os africanos foram escravizados no Brasil? Por Heverton Nascimento. Disponível em https://novaescola.org.br/conteudo/203/por-que-os-africanos-foram-escravizados-no-brasil Acesso em 23 de abril de 2019.

Biografia de Castro Alves. Castro Alves. Por Elaine Barbosa de Souza. Disponível em https://www.suapesquisa.com/biografias/castroalves.htm Acesso em 23 de abril de 2019.

A carta de alforria era um documento que conferia liberdade aos ex-escravizados, que podia ser dado ou vendido pelo seu proprietário.

Escravos de ganho eram escravos que produziam dinheiro para seu proprietário, seja no comércio, seja em prestação de serviços

Agudás, tabons e retornados da África para o Brasil.Por Emerson Santiago. Disponível em https://www.infoescola.com/sociologia/agudas-tabons-e-retornados-da-africa-para-o-brasil/ Acesso em 23 de abril de 2019.

A brasileira África dos escravos retornados. Por Marcia Pimentel/ MultiRio. Disponível em https://www.geledes.org.br/brasileira-africa-dos-escravos-retornados/ Acesso em 23 de abril de 2019.

Ex-escravos: migração da forma do Brasil para a África. Por Soraia Vilela. Disponível em https://www.dw.com/pt-br/ex-escravos-migra%C3%A7%C3%A3o-da-forma-do-brasil-para-a-%C3%A1frica/a-2810123 Acesso em 23 de abril de 2019.

A canção do africano - análise. Por Laurindo Stefanelli. Disponível em https://conversadeportugues.com.br/2013/10/cancao-do-africano/. Acesso em 24 de abril de 2019.

Lima e Souza, Mônica. Entre margens: o retorno à África de libertos no Brasil 1830 - 1870. Tese (doutorado em História). Program de pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense. 2008. Disponível em http://www.historia.uff.br/stricto/teses/Tese-2008_SOUZA_Monica_Lima_e-S.pdf Acesso em 20 de abril de 2019

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Apresente o tema aos alunos escrevendo-o no quadro ou lendo-o para a turma. Se estiver fazendo uso de projetor, apresente esse slide e faça uma leitura coletiva. Os alunos deverão estar dispostos em semicírculo.

Nesse primeiro momento, promova um bate-papo com os alunos ajudando-os a compreender o tema da aula e aproveitando para saber o conhecimento que eles detém sobre o assunto, com questões como:

  • Quem são os afro-brasileiros? Eles deverão responder que são os brasileiros descendentes de africanos.
  • Vocês sabem dizer por que eles vieram para o Brasil? O que é diáspora? Oriente aos alunos a procurarem no dicionário o significado de diáspora para que possam responder melhor a primeira pergunta. A partir do século XVI os africanos eram trazidos da África para se tornarem escravizados na América pelos portugueses. Eles trabalhavam principalmente nas lavouras de cana de açúcar. Estima-se que aproximadamente 4 milhões de africanos tenham vindo escravizados para o Brasil.
  • Se é “ex-escravizado” quer dizer que trataremos de um período pós-escravidão. Será que alguns deles quiseram ir para a África?
  • Como será que foram recebidos no continente africano?

Não se preocupe em aprofundar nenhuma destas questões. Elas serão respondidas no decorrer da aula, nesse momento serve para iniciar uma reflexão e motivar o interesse da turma.

Para você saber mais:

Diáspora é um termo frequentemente usado no movimento forçado de uma massa populacional por questões religiosas ou étnicas.

Evolução histórica - Cultura afro-brasileira. Por Portal da Cultura Africana. Disponível em: https://www.faecpr.edu.br/site/portal_afro_brasileira/3_III.php

Acesso em 16 de abril de 2019.

Por que os africanos foram escravizados no Brasil? Por Heverton Nascimento. Disponível em https://novaescola.org.br/conteudo/203/por-que-os-africanos-foram-escravizados-no-brasil Acesso em 23 de abril de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido:10 minutos

Orientações: Explique que os textos que lerão são trechos de poemas do poeta Castro Alves (1847-1871), que viveu durante o regime escravagista no Brasil. A maior parte da sua obra é voltada para lutar contra essa abominação, retratando a dura realidade do cotidiano do escravizado e humanizando-os em oposição à mentalidade dominante do escravizado-objeto. Leia os textos junto com a turma motivando-os a interagir para melhor contribuição dos trechos.

  • O trecho do poema “A tragédia no lar” narra a história de uma mãe que faz o filho dormir na senzala até que ouve o som do senhor dos escravizados chegando e tem um diálogo com ele. Como é o lugar onde eles estão? Explore junto com os alunos a imagem apresentada pelo poeta como o frio que entra pelo telhado de palha, a mulher sentada junto ao fogo dentro da senzala.
  • O que o senhor queria?
  • O trecho do poema “A canção do africano”, representa a fala de um escravizado cantando. Sobre o que ele está falando? Onde é “lá”? Com certeza é um lugar distante, um lugar diferente de onde eles estão. Os alunos podem responder que é o céu, um quilombo ou outras respostas. Comente que ele está se referindo à África e à liberdade que teria no lugar onde ele não seria escravizado.
  • Qual a relação entre esses trechos? A venda de um ser-humano. Oriente a turma a ver que o poeta humaniza a africana em um momento em que não são tratados como tal. Ressalte para os alunos os maus-tratos físicos, as condições insalubres e o preconceito derivado do etnocentrismo, ou seja, por acharem que etnias brancas são superiores as demais.
  • Em 1850 o tráfico de escravizados para o Brasil foi proibido, mas a abolição só ocorreu em 1888, ou seja muitos desses ex-escravizados já haviam saído da África há várias décadas ou nasceram no Brasil. Será que eles queria retornar para o continente africano? Acolha as respostas das crianças, mas lembre-os do trecho em que a africana idealiza a África em contraste com o Brasil. Mesmo que muitos não tivessem conhecido o outro continente provavelmente ouviram de seus antepassados. É a tradição oral.

Fonte:

A canção do africano e Tragédia no lar. Por Castro Alves. Disponível em https://www.literaturabrasileira.ufsc.br/documentos/?action=download&id=38777#Adeusmeucanto Acesso em 23 de abril de 2019.

Como adequar à sua realidade: Caso essa aula seja em uma comunidade quilombola ou com grande influência afro-brasileira, reflita umpouco mais sobre história oral. O que eles ouviram sobre a África? Se gostariam de visitá-la? Por quê?

Para você saber mais:

Biografia de Castro Alves. Castro Alves. Por Elaine Barbosa de Souza. Disponível em https://www.suapesquisa.com/biografias/castroalves.htm Acesso em 23 de abril de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Comente com os alunos que desde 1830 os ex-escravizados começaram a retornar para a África, bem antes da abolição, ocorrida em 1888. “A canção do africano” foi escrita em 1863. De 1830 até 1870, segundo a professora Mônica Lima e Souza, houveram de sete a oito mil retornados. Indique aos alunos que a linha vermelha no mapa representa as principais regiões de destino desses libertos como: Gana, Nigéria, Congo, Benin e Angola.

Em seguida, leia o texto em voz alta, explorando-o com as perguntas do slide ou outras:

  • Quem eram os retornados? No próprio texto os alunos encontrarão a resposta: escravizados libertos ou alforriados. Explique para a turma que muitos deles eram alforriados pelos seus proprietários ou compravam sua carta de alforria. Principalmente trabalhadores da mineração e “escravos de ganho” que conseguiam guardar dinheiro.
  • Como será que foi o retorno para África? Ouça as respostas dos alunos e explique que os libertos uniam-se em associações, inclusive pedindo ajuda inglesa para a viagem à África. Embarcavam em portos em Salvador e no Rio de Janeiro.
  • Será que foram bem recebidos? Motive-os a refletir como a população local os recebeu. Comente que eles já eram diferentes até na língua, religiões e costumes conforme mencionado no texto. Depois que os alunos responderem, explique que alguns conseguiram ser integrados na sociedade como em Angola onde o idioma é o português e suas habilidades de trabalho foram facilmente aproveitadas, formando uma classe média local. No entanto, uma grande parte dos retornados não eram vistos como africanos nativos e sim como brasileiros, chegando a formar bairros separados e eram vistos como estrangeiros.
  • Eles eram mais brasileiros do que africanos. Será que levaram alguma coisa da nossa cultura para o outro lado do Atlântico? Motive a criação de hipóteses, a resposta estará no próximo slide.

Fonte:

Imagem Disponível em https://commons.wikimedia.org/wiki/Africa_-_Afrique_-_%D8%A3%D9%81%D8%B1%D9%8A%D9%82%D9%8A%D8%A7 acesso em 24 de abril de 2019.

Agudás, tabons e retornados da África para o Brasil.Por Emerson Santiago. Disponível em https://www.infoescola.com/sociologia/agudas-tabons-e-retornados-da-africa-para-o-brasil/ Acesso em 23 de abril de 2019.

Para você saber mais:

A carta de alforria era um documento que conferia liberdade aos ex-escravizados, que podia ser dado ou vendido pelo seu proprietário.

Escravos de ganho eram escravos que produziam dinheiro para seu proprietário, seja no comércio, seja em prestação de serviços

Agudás, tabons e retornados da África para o Brasil.Por Emerson Santiago. Disponível em https://www.infoescola.com/sociologia/agudas-tabons-e-retornados-da-africa-para-o-brasil/ Acesso em 23 de abril de 2019.

A brasileira África dos escravos retornados. Por Marcia Pimentel/ MultiRio. Disponível em https://www.geledes.org.br/brasileira-africa-dos-escravos-retornados/ Acesso em 23 de abril de 2019.

Ex-escravos: migração da forma do Brasil para a África. Por Soraia Vilela. Disponível em https://www.dw.com/pt-br/ex-escravos-migra%C3%A7%C3%A3o-da-forma-do-brasil-para-a-%C3%A1frica/a-2810123 Acesso em 23 de abril de 2019.

A canção do africano - análise. Por Laurindo Stefanelli. Disponível em https://conversadeportugues.com.br/2013/10/cancao-do-africano/. Acesso em 24 de abril de 2019.

Lima e Souza, Mônica. Entre margens: o retorno à África de libertos no Brasil 1830 - 1870. Tese (doutorado em História). Program de pós-graduação em História da Universidade Federal Fluminense. 2008. Disponível em http://www.historia.uff.br/stricto/teses/Tese-2008_SOUZA_Monica_Lima_e-S.pdf Acesso em 20 de abril de 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Leia em voz alta e pergunte aos alunos quais destas tradições eles conhecem. Comente brevemente sobre cada uma delas. A feijoada é tradicionalmente do Rio de Janeiro e foi difundida por todo território. O Bumba meu boi que é uma tradição maranhense que recebe diversos nomes e variações pelo país como Boi Bumbá na Amazônia e Boi de Mamão em Santa Catarina. A Festa do Nosso Senhor Do Bonfim ocorre em Salvador tanto entre católicos quanto com candomblecistas em celebração a Oxalá. O pé de moleque e a cocada são doces tradicionais do Brasil, o primeiro sendo feito de amendoim e o segundo de coco.

Em seguida, explore as imagens:

  • Comparem as duas fotos tiradas na Nigéria. O que vocês podem notar?
  • Uma das fotos é de afro-brasileiros e a outra de nativos nigerianos. Identifique-as e justifique sua resposta. Os alunos devem perceber que foto da direita é de nativos da Nigéria.
  • Por que será que os retornados vestiam-se assim? Oriente-os que os libertos depois de alforriados costumavam copiar os costumes e vestimentas de seus proprietários, significando status e de certo modo a liberdade, portavam-se como pessoas livres.
  • Além das tradições e cultura brasileira, os retornados também levaram a arquitetura, construindo casas e prédios ao estilo brasileiro-europeu. Será que podemos dizer que com essa imigração de retorno surgiu um pedacinho do Brasil na África? Espera-se que os alunos concordem. Comente que hoje os descendentes afro-brasileiros estão totalmente integrados a estas sociedades, mas continuam mantendo e difundiam muitos de nossos costumes.

Fonte:

Por Desconhecido - Da Senzala Ao Sobrado: Arquitetura Brasileira Na Nigéria E Na República Popular Do Benim. Picture from the Da Rocha family archive. C. 1870, Domínio Público, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=54595365

Por Sir (John) Benjamin Stone (died 1914) - one or more third parties have made copyright claims against Wikimedia Commons in relation to the work from which this is sourced or a purely mechanical reproduction thereof. This may be due to recognition of the "sweat of the brow" doctrine, allowing works to be eligible for protection through skill and labour, and not purely by originality as is the case in the United States (where this website is hosted). These claims may or may not be valid in all jurisdictions.As such, use of this image in the jurisdiction of the claimant or other countries may be regarded as copyright infringement. Please see Commons:When to use the PD-Art tag for more information., Domínio Público, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=6442053

A brasileira África dos escravos retornados. Por Marcia Pimentel/ MultiRio. Disponível em https://www.geledes.org.br/brasileira-africa-dos-escravos-retornados/ Acesso em 23 de abril de 2019.

Para você saber mais:

Ex-escravos: migração da forma do Brasil para a África. Por Soraia Vilela. Disponível em https://www.dw.com/pt-br/ex-escravos-migra%C3%A7%C3%A3o-da-forma-do-brasil-para-a-%C3%A1frica/a-2810123 Acesso em 23 de abril de 2019.

A brasileira África dos escravos retornados. Por Marcia Pimentel/ MultiRio. Disponível em https://www.geledes.org.br/brasileira-africa-dos-escravos-retornados/ Acesso em 23 de abril de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Leia o slide fazendo um convite aos alunos.

Divida-os em duplas ou trios e explique que deverão produzir poemas de uma ou duas estrofes. A temática será os afro-brasileiros na África, utilizando os conhecimentos aprendidos nesta aula. Os grupos terão 10 minutos para escrever e 5 minutos para lerem seus textos para os colegas.

Caso a turma não esteja acostumada a produzir poemas, aproveite esse momento para explicar termos como estrofes e versos.

Direcionar esse tipo de produção costuma render bons resultados, para isso, você pode dividir temas entre os alunos como: chegada na África, confusão de línguas e culturas desconhecidas, a viagem de navio, os principais países onde chegaram, as tradições perpetuadas, comidas típicas, não ser nativo nem brasileiro, atualmente integrados. Ao final, pode enumerar cada tema para ter uma ordem de leitura e uní-lo para criar uma produção coletiva.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Circulação de pessoas, produtos e culturas do 4º ano :

MAIS AULAS DE História do 4º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF04HI11 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano