17406
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 7º ano > Mundo do trabalho

Plano de aula - Agricultura familiar e questão agrária

Plano de aula de Geografia com atividades para 7º ano do Fundamental sobre analisar o funcionamento da agricultura familiar no Brasil e sua relação com a questão agrária

Plano 04 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Jéssica Da Silva Rodrigues Cecim

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07GE05 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. Esta habilidade objetiva a análise de fatos e situações representativas de alterações espaciais decorrentes a partir do mercantilismo e do estabelecimento do capitalismo. Este plano objetiva analisar a organização da agricultura familiar brasileira conjuntamente à discussão acerca da distribuição de terras e concentração fundiária. A aula se inicia com discussões seguindo para atividade de estudo dirigido e elaboração de cartazes em trios ou grupos.

Materiais necessários:

  • Quadro
  • Projetor
  • Caderno
  • Cartolina
  • Lápis grafite, borracha, canetinha, lápis de cor
  • Tesoura, cola
  • Revistas e Jornais velhos

Material complementar:

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/SJ7KvqgZGapfXWEVqjYfbxnNW35yyJa4QQK2eT7h6zqqYdGJ9fp957QKSdWd/geo7-05und04-imagens.pdf

Atividade da Ação Propositiva:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/N9njV2dJpaZrhaXHDQ8qeUttQgGjN9cxpb7trMvvJWCAabjRXNpDj8dSzeJH/geo7-05und04-acao-propositiva.pdf

Para você saber mais:

A Lei de Terras foi criada em 1850 em um contexto de transição para o capitalismo industrial, de modo que a terra passa a ser mais um componente econômico (transformando-a em mercadoria) a partir de sua exploração agrícola, no caso brasileiro. A Lei definia que a terra deveria ser adquirida por meio de sua compra, o que proibia o sistema de sesmarias e a posse de terras devolutas. Na prática, a Lei permitiu que as relações entre quem já possuía as terras se mantivesse, no caso os latifundiários.

A Reforma Agrária objetiva, por meio do Estado, a redistribuição das propriedades rurais de modo mais igualitário. O processo consiste na compra ou desapropriação de porções de propriedades improdutivas de latifundiários por parte do Estado e sua redistribuição para famílias camponesas. Trata-se de um projeto de democratização do acesso à terra. Este processo, no entanto, encontra grande resistência por parte dos latifundiários, o que dificulta a sua execução.

BRASIL, Ministério do Desenvolvimento Agrário; Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Censo Agropecuário - Agricultura familiar, primeiros resultados. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rio de Janeiro, 2006. Disponível em:

<https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/50/agro_2006_agricultura_familiar.pdf>. Acesso em: 22 fev 2019.

SPERB, Paula. Como o MST se tornou o maior produtor de arroz orgânico da América Latina. BBC Brasil. 07 de maio e 2017. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-39775504>. Acesso em: 28 fev 2019.

Reforma Agrária. Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. s/d Disponível em:

<http://www.mst.org.br/reforma-agraria/>. Acesso em: 28 fev 2019.

ROCHA, Camila. Por que o MST aposta na produção de alimentos orgânicos. Nexo Jornal. 26 de agosto de 2018. Disponível em:

<https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/08/26/Por-que-o-MST-aposta-na-produ%C3%A7%C3%A3o-de-alimentos-org%C3%A2nicos>. Acesso em: 28 fev 2019.

Contextos prévios: Para esta aula é recomendado que os alunos apresentem noções iniciais acerca da agricultura patronal e da existência de latifúndios no Brasil.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Apresente o tema aos alunos projetando-o ou escrevendo-o no quadro. Diga que nesta aula vocês discutirão sobre a agricultura familiar no Brasil. Pergunte se alguém sabe do que se trata o termo “agrária” e caso não haja resposta, explique que o termo se refere sobre questões de posses de terra e dos bens agrícolas. Ou seja, nesta aula será discutido o funcionamento da agricultura familiar pensando-se a partir de como é feita uma distribuição de terras e bens agrícolas no Brasil.

Como adequar à sua realidade: Caso existam alunos os quais os pais ou conhecidos pratiquem a agricultura familiar, traga essas discussões para a sala de aula, permitindo que esses alunos, caso desejem, possam contribuir com a aula a partir de suas experiências e concepções. Em caso de escola rural ou município com produção agrícola marcante, traga esses elementos do cotidiano para a aula de modo a enriquecer o aprendizado e se aproximar da realidade dos alunos.

Para você saber mais:

A Lei de Terras foi criada em 1850 em um contexto de transição para o capitalismo industrial, de modo que a terra passa a ser mais um componente econômico (transformando-a em mercadoria) a partir de sua exploração agrícola, no caso brasileiro. A Lei definia que a terra deveria ser adquirida por meio de sua compra, o que proibia o sistema de sesmarias e a posse de terras devolutas. Na prática, a Lei permitiu que as relações entre quem já possuía as terras se mantivesse, no caso os latifundiários.

A Reforma Agrária objetiva, por meio do Estado, a redistribuição das propriedades rurais de modo mais igualitário. O processo consiste na compra ou desapropriação de porções de propriedades improdutivas de latifundiários por parte do Estado e sua redistribuição para famílias camponesas. Trata-se de um projeto de democratização do acesso à terra. Este processo, no entanto, encontra grande resistência por parte dos latifundiários, o que dificulta a sua execução.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Apresente a imagem de uma pessoa praticando agricultura e pergunte se eles sabem o que é agricultura:

  • O que se faz na agricultura? Para que ela serve? Na sequência, questione se já ouviram falar em agricultura familiar.

Solicite para que eles se atentem aos nomes que são dados às coisa, questionando:

  • O que será que o adjetivo ‘familiar’ significa?
  • Quem será que pratica este tipo de agricultura?
  • Como será que esta atividade é realizada?

Permita que os alunos tragam suas experiências de vida para a aula e possam ir articulando suas ideias a partir dos questionamentos e colocações dos demais colegas.

Em seguida, pergunte:

  • Onde é realizada a agricultura?
  • Será que precisa-se de quais instrumentos para realizá-la?

Nestes últimos questionamentos conduza os alunos a trazerem a questão da necessidade de terras para realizar os cultivos agrícolas.

Caso não seja possível projetar ou apresentar uma imagem de outra forma (impressa ou presentes em livros didáticos e/ou apostilas), escreva a expressão no quadro e prossiga com os questionamentos anteriormente sugeridos.

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/SJ7KvqgZGapfXWEVqjYfbxnNW35yyJa4QQK2eT7h6zqqYdGJ9fp957QKSdWd/geo7-05und04-imagens.pdf

Como adequar à sua realidade: Caso existam alunos os quais os pais ou conhecidos pratiquem a agricultura familiar, traga essas discussões para a sala de aula, permitindo que esses alunos, caso desejem, possam contribuir com a aula a partir de suas experiências e concepções. Em caso de escola rural ou município com produção agrícola marcante, traga esses elementos do cotidiano para a aula de modo a enriquecer o aprendizado e se aproximar da realidade dos alunos.

Para você saber mais:

Segundo a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário, a Lei 11.326 de julho de 2006 define as diretrizes deste tipo de atividade econômica, caracterizando-a a partir da Política Nacional da Agricultura Familiar. Desta forma, se qualifica enquanto agricultor familiar aquele que realiza suas atividades em área rural, possui terras de até quatro módulos fiscais, utiliza-se de mão de obra da própria família, possui renda vinculada ao próprio estabelecimento agrícola e cujo o estabelecimento seja administrado pela própria família. Assim, são também compreendidos enquanto agricultores familiares os aquicultores, silvicultores, pescadores, extrativistas, indígenas, quilombolas e aqueles assentados a partir da reforma agrária.

BRASIL, Ministério da Agricultura. O que é Agricultura Familiar. Disponível em:

<http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/o-que-%C3%A9-agricultura-familiar>. Acesso em: 20 fev 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Apresente a tabela com a porcentagem de produção da agricultura familiar para cada tipo agrícola e questione:

  • Podemos afirmar que grande parte do que se produz provém da agricultura familiar? Por quê?

É esperado que os alunos percebam que, na maioria dos produtos apresentados, a produção familiar é responsável por mais da metade da produção. Aponte para a quantidade em bilhões produzida pela agricultura familiar de acordo com os dados do Ministério da Agricultura, enfatizando a posição do Brasil no ranking mundial de produção de alimentos e em como apenas a produção familiar por si só seria capaz de conferir ao Brasil uma posição entre os 10 maiores produtores. Discuta, rapidamente, alguns dos produtos produzidos no sistema de latifúndios, como a soja, a cana-de-açúcar e a carne bovina e sua relação com o mercado externo.

Apresente o gráfico da concentração fundiária no Brasil a partir de dados levantados pelo IBGE. Explique o eixo "y" do gráfico afirmando que a porcentagem de estabelecimentos diz respeito a quantos por cento de estabelecimentos apresentam a área representada na coluna marrom - área em ha (1ha = 10.000m²). Neste sentido, questione:

  • O que esse gráfico de colunas tenta representar?
  • Qual é a relação que ele quer nos mostrar?

Faça perguntas que induzam os alunos a interpretarem o gráfico, apontando para a concentração fundiária (concentração de terras) de modo que há "Pouca gente para muita terra e pouca terra para muita gente".

Em seguida, retome ou explique o que são latifúndios, indicando a existência de grandes propriedades de terra que possuem um único dono e que, no Brasil, existem latifúndios produtivos e improdutivos. Fale sobre a existência dessas propriedades improdutivas que, de acordo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), é todo aquele estabelecimento rural que, mesmo sendo agricultável, está parcial ou totalmente inexplorado pelo proprietário e que, desta forma, se encontra passível de desapropriação por parte do Estado, sendo suas terras sujeitas a serem redistribuídas em processo de Reforma Agrária. Discuta, sucintamente, essa desigualdade no campo, a disparidade da questão fundiária e a existência de terras improdutivas.

Nesta etapa é importante que os alunos reconheçam a existência da agricultura familiar e a relacionem com um cenário de um país com um dos maiores índices de concentração fundiária do mundo, percebendo também a existência de propriedades que não cumprem a função social da propriedade.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, gráficos e tabelas desta etapa, é possível encontrar partes deste material em livros didáticos e/ou apostilas ou ainda colocá-los no quadro, prosseguindo com a discussão como sugerido.

Como adequar à sua realidade: Caso existam alunos os quais os pais ou conhecidos pratiquem a agricultura familiar, traga essas discussões para a sala de aula, permitindo que esses alunos, caso desejem, possam contribuir com a aula a partir de suas experiências e concepções. Em caso de escola rural ou município com produção agrícola marcante, traga esses elementos do cotidiano para a aula de modo a enriquecer o aprendizado e se aproximar da realidade dos alunos.

Para você saber mais:

A Lei de Terras foi criada em 1850 em um contexto de transição para o capitalismo industrial, de modo que a terra passa a ser mais um componente econômico (transformando-a em mercadoria) a partir de sua exploração agrícola, no caso brasileiro. A Lei definia que a terra deveria ser adquirida por meio de sua compra, o que proibia o sistema de sesmarias e a posse de terras devolutas. Na prática, a Lei permitiu que as relações entre quem já possuía as terras se mantivesse, no caso os latifundiários.

A Reforma Agrária objetiva, por meio do Estado, a redistribuição das propriedades rurais de modo mais igualitário. O processo consiste na compra ou desapropriação de porções de propriedades improdutivas de latifundiários por parte do Estado e sua redistribuição para famílias camponesas. Trata-se de um projeto de democratização do acesso à terra. Este processo, no entanto, encontra grande resistência por parte dos latifundiários, o que dificulta a sua execução.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento. Agricultura familiar do Brasil é a 8ª produtora mundial de alimentos. Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo. 12 de junho de 2018. Disponível em:

<http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/agricultura-familiar-do-brasil-%C3%A9-8%C2%AA-maior-produtora-de-alimentos-do-mundo>.Acesso em 25 fev 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente a tabela com a porcentagem de produção da agricultura familiar para cada tipo agrícola e questione:

  • Podemos afirmar que grande parte do que se produz provém da agricultura familiar? Por quê?

É esperado que os alunos percebam que, na maioria dos produtos apresentados, a produção familiar é responsável por mais da metade da produção. Aponte para a quantidade em bilhões produzida pela agricultura familiar de acordo com os dados do Ministério da Agricultura, enfatizando a posição do Brasil no ranking mundial de produção de alimentos e em como apenas a produção familiar por si só seria capaz de conferir ao Brasil uma posição entre os 10 maiores produtores. Discuta, rapidamente, alguns dos produtos produzidos no sistema de latifúndios, como a soja, a cana-de-açúcar e a carne bovina e sua relação com o mercado externo.

Apresente o gráfico da concentração fundiária no Brasil a partir de dados levantados pelo IBGE. Explique o eixo "y" do gráfico afirmando que a porcentagem de estabelecimentos diz respeito a quantos por cento de estabelecimentos apresentam a área representada na coluna marrom - área em ha (1ha = 10.000m²). Neste sentido, questione:

  • O que esse gráfico de colunas tenta representar?
  • Qual é a relação que ele quer nos mostrar?

Faça perguntas que induzam os alunos a interpretarem o gráfico, apontando para a concentração fundiária (concentração de terras) de modo que há "Pouca gente para muita terra e pouca terra para muita gente".

Em seguida, retome ou explique o que são latifúndios, indicando a existência de grandes propriedades de terra que possuem um único dono e que, no Brasil, existem latifúndios produtivos e improdutivos. Fale sobre a existência dessas propriedades improdutivas que, de acordo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), é todo aquele estabelecimento rural que, mesmo sendo agricultável, está parcial ou totalmente inexplorado pelo proprietário e que, desta forma, se encontra passível de desapropriação por parte do Estado, sendo suas terras sujeitas a serem redistribuídas em processo de Reforma Agrária. Discuta, sucintamente, essa desigualdade no campo, a disparidade da questão fundiária e a existência de terras improdutivas.

Nesta etapa é importante que os alunos reconheçam a existência da agricultura familiar e a relacionem com um cenário de um país com um dos maiores índices de concentração fundiária do mundo, percebendo também a existência de propriedades que não cumprem a função social da propriedade.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, gráficos e tabelas desta etapa, é possível encontrar partes deste material em livros didáticos e/ou apostilas ou ainda colocá-los no quadro, prosseguindo com a discussão como sugerido.

Como adequar à sua realidade: Caso existam alunos os quais os pais ou conhecidos pratiquem a agricultura familiar, traga essas discussões para a sala de aula, permitindo que esses alunos, caso desejem, possam contribuir com a aula a partir de suas experiências e concepções. Em caso de escola rural ou município com produção agrícola marcante, traga esses elementos do cotidiano para a aula de modo a enriquecer o aprendizado e se aproximar da realidade dos alunos.

Para você saber mais:

A Lei de Terras foi criada em 1850 em um contexto de transição para o capitalismo industrial, de modo que a terra passa a ser mais um componente econômico (transformando-a em mercadoria) a partir de sua exploração agrícola, no caso brasileiro. A Lei definia que a terra deveria ser adquirida por meio de sua compra, o que proibia o sistema de sesmarias e a posse de terras devolutas. Na prática, a Lei permitiu que as relações entre quem já possuía as terras se mantivesse, no caso os latifundiários.

A Reforma Agrária objetiva, por meio do Estado, a redistribuição das propriedades rurais de modo mais igualitário. O processo consiste na compra ou desapropriação de porções de propriedades improdutivas de latifundiários por parte do Estado e sua redistribuição para famílias camponesas. Trata-se de um projeto de democratização do acesso à terra. Este processo, no entanto, encontra grande resistência por parte dos latifundiários, o que dificulta a sua execução.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento. Agricultura familiar do Brasil é a 8ª produtora mundial de alimentos. Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo. 12 de junho de 2018. Disponível em:

<http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/agricultura-familiar-do-brasil-%C3%A9-8%C2%AA-maior-produtora-de-alimentos-do-mundo>.Acesso em 25 fev 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente a tabela com a porcentagem de produção da agricultura familiar para cada tipo agrícola e questione:

  • Podemos afirmar que grande parte do que se produz provém da agricultura familiar? Por quê?

É esperado que os alunos percebam que, na maioria dos produtos apresentados, a produção familiar é responsável por mais da metade da produção. Aponte para a quantidade em bilhões produzida pela agricultura familiar de acordo com os dados do Ministério da Agricultura, enfatizando a posição do Brasil no ranking mundial de produção de alimentos e em como apenas a produção familiar por si só seria capaz de conferir ao Brasil uma posição entre os 10 maiores produtores. Discuta, rapidamente, alguns dos produtos produzidos no sistema de latifúndios, como a soja, a cana-de-açúcar e a carne bovina e sua relação com o mercado externo.

Apresente o gráfico da concentração fundiária no Brasil a partir de dados levantados pelo IBGE. Explique o eixo "y" do gráfico afirmando que a porcentagem de estabelecimentos diz respeito a quantos por cento de estabelecimentos apresentam a área representada na coluna marrom - área em ha (1ha = 10.000m²). Neste sentido, questione:

  • O que esse gráfico de colunas tenta representar?
  • Qual é a relação que ele quer nos mostrar?

Faça perguntas que induzam os alunos a interpretarem o gráfico, apontando para a concentração fundiária (concentração de terras) de modo que há "Pouca gente para muita terra e pouca terra para muita gente".

Em seguida, retome ou explique o que são latifúndios, indicando a existência de grandes propriedades de terra que possuem um único dono e que, no Brasil, existem latifúndios produtivos e improdutivos. Fale sobre a existência dessas propriedades improdutivas que, de acordo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), é todo aquele estabelecimento rural que, mesmo sendo agricultável, está parcial ou totalmente inexplorado pelo proprietário e que, desta forma, se encontra passível de desapropriação por parte do Estado, sendo suas terras sujeitas a serem redistribuídas em processo de Reforma Agrária. Discuta, sucintamente, essa desigualdade no campo, a disparidade da questão fundiária e a existência de terras improdutivas.

Nesta etapa é importante que os alunos reconheçam a existência da agricultura familiar e a relacionem com um cenário de um país com um dos maiores índices de concentração fundiária do mundo, percebendo também a existência de propriedades que não cumprem a função social da propriedade.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, gráficos e tabelas desta etapa, é possível encontrar partes deste material em livros didáticos e/ou apostilas ou ainda colocá-los no quadro, prosseguindo com a discussão como sugerido.

Como adequar à sua realidade: Caso existam alunos os quais os pais ou conhecidos pratiquem a agricultura familiar, traga essas discussões para a sala de aula, permitindo que esses alunos, caso desejem, possam contribuir com a aula a partir de suas experiências e concepções. Em caso de escola rural ou município com produção agrícola marcante, traga esses elementos do cotidiano para a aula de modo a enriquecer o aprendizado e se aproximar da realidade dos alunos.

Para você saber mais:

A Lei de Terras foi criada em 1850 em um contexto de transição para o capitalismo industrial, de modo que a terra passa a ser mais um componente econômico (transformando-a em mercadoria) a partir de sua exploração agrícola, no caso brasileiro. A Lei definia que a terra deveria ser adquirida por meio de sua compra, o que proibia o sistema de sesmarias e a posse de terras devolutas. Na prática, a Lei permitiu que as relações entre quem já possuía as terras se mantivesse, no caso os latifundiários.

A Reforma Agrária objetiva, por meio do Estado, a redistribuição das propriedades rurais de modo mais igualitário. O processo consiste na compra ou desapropriação de porções de propriedades improdutivas de latifundiários por parte do Estado e sua redistribuição para famílias camponesas. Trata-se de um projeto de democratização do acesso à terra. Este processo, no entanto, encontra grande resistência por parte dos latifundiários, o que dificulta a sua execução.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento. Agricultura familiar do Brasil é a 8ª produtora mundial de alimentos. Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo. 12 de junho de 2018. Disponível em:

<http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/agricultura-familiar-do-brasil-%C3%A9-8%C2%AA-maior-produtora-de-alimentos-do-mundo>.Acesso em 25 fev 2019.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Divida os alunos em trios ou grupos de no máximo 4 integrantes e entregue o texto sobre a Lei de Terras e Reforma Agrária para os alunos. Leia o texto e as questões com eles e, em seguida, solicite que as respondam em seus cadernos.

Enquanto os realizam a atividade vá passando pelas carteiras de modo a tirar eventuais dúvidas que possam aparecer no decorrer do trabalho.

Link para o texto desta etapa do plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/N9njV2dJpaZrhaXHDQ8qeUttQgGjN9cxpb7trMvvJWCAabjRXNpDj8dSzeJH/geo7-05und04-acao-propositiva.pdf

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 18 minutos

Orientações: Peça para que os alunos se mantenham nos trios ou grupos da atividade anterior e entregue as revistas e jornais. Peça que usem a criatividade na construção de um cartaz sobre a agricultura familiar. Neste cartaz deve aparecer: o que é a agricultura familiar, em que regiões se concentram, o que é concentração fundiária e sua relação com a reforma agrária.

Enquanto os alunos constroem o cartaz vá passando pelas carteiras de modo a tirar eventuais dúvidas que possam aparecer no decorrer do trabalho.

Como adequar à sua realidade: Em outra aula ou com maior disponibilidade de tempo, traga ou peça para que os alunos tragam dados de produção agrícola do município onde se encontram. Caso existam alunos que convivem com a realidade da produção familiar, permita que contribuam para a aula trazendo suas experiências, caso queiram, para o enriquecimento da aula.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07GE05 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. Esta habilidade objetiva a análise de fatos e situações representativas de alterações espaciais decorrentes a partir do mercantilismo e do estabelecimento do capitalismo. Este plano objetiva analisar a organização da agricultura familiar brasileira conjuntamente à discussão acerca da distribuição de terras e concentração fundiária. A aula se inicia com discussões seguindo para atividade de estudo dirigido e elaboração de cartazes em trios ou grupos.

Materiais necessários:

  • Quadro
  • Projetor
  • Caderno
  • Cartolina
  • Lápis grafite, borracha, canetinha, lápis de cor
  • Tesoura, cola
  • Revistas e Jornais velhos

Material complementar:

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/SJ7KvqgZGapfXWEVqjYfbxnNW35yyJa4QQK2eT7h6zqqYdGJ9fp957QKSdWd/geo7-05und04-imagens.pdf

Atividade da Ação Propositiva:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/N9njV2dJpaZrhaXHDQ8qeUttQgGjN9cxpb7trMvvJWCAabjRXNpDj8dSzeJH/geo7-05und04-acao-propositiva.pdf

Para você saber mais:

A Lei de Terras foi criada em 1850 em um contexto de transição para o capitalismo industrial, de modo que a terra passa a ser mais um componente econômico (transformando-a em mercadoria) a partir de sua exploração agrícola, no caso brasileiro. A Lei definia que a terra deveria ser adquirida por meio de sua compra, o que proibia o sistema de sesmarias e a posse de terras devolutas. Na prática, a Lei permitiu que as relações entre quem já possuía as terras se mantivesse, no caso os latifundiários.

A Reforma Agrária objetiva, por meio do Estado, a redistribuição das propriedades rurais de modo mais igualitário. O processo consiste na compra ou desapropriação de porções de propriedades improdutivas de latifundiários por parte do Estado e sua redistribuição para famílias camponesas. Trata-se de um projeto de democratização do acesso à terra. Este processo, no entanto, encontra grande resistência por parte dos latifundiários, o que dificulta a sua execução.

BRASIL, Ministério do Desenvolvimento Agrário; Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão. Censo Agropecuário - Agricultura familiar, primeiros resultados. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rio de Janeiro, 2006. Disponível em:

<https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/periodicos/50/agro_2006_agricultura_familiar.pdf>. Acesso em: 22 fev 2019.

SPERB, Paula. Como o MST se tornou o maior produtor de arroz orgânico da América Latina. BBC Brasil. 07 de maio e 2017. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-39775504>. Acesso em: 28 fev 2019.

Reforma Agrária. Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra. s/d Disponível em:

<http://www.mst.org.br/reforma-agraria/>. Acesso em: 28 fev 2019.

ROCHA, Camila. Por que o MST aposta na produção de alimentos orgânicos. Nexo Jornal. 26 de agosto de 2018. Disponível em:

<https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/08/26/Por-que-o-MST-aposta-na-produ%C3%A7%C3%A3o-de-alimentos-org%C3%A2nicos>. Acesso em: 28 fev 2019.

Contextos prévios: Para esta aula é recomendado que os alunos apresentem noções iniciais acerca da agricultura patronal e da existência de latifúndios no Brasil.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Apresente o tema aos alunos projetando-o ou escrevendo-o no quadro. Diga que nesta aula vocês discutirão sobre a agricultura familiar no Brasil. Pergunte se alguém sabe do que se trata o termo “agrária” e caso não haja resposta, explique que o termo se refere sobre questões de posses de terra e dos bens agrícolas. Ou seja, nesta aula será discutido o funcionamento da agricultura familiar pensando-se a partir de como é feita uma distribuição de terras e bens agrícolas no Brasil.

Como adequar à sua realidade: Caso existam alunos os quais os pais ou conhecidos pratiquem a agricultura familiar, traga essas discussões para a sala de aula, permitindo que esses alunos, caso desejem, possam contribuir com a aula a partir de suas experiências e concepções. Em caso de escola rural ou município com produção agrícola marcante, traga esses elementos do cotidiano para a aula de modo a enriquecer o aprendizado e se aproximar da realidade dos alunos.

Para você saber mais:

A Lei de Terras foi criada em 1850 em um contexto de transição para o capitalismo industrial, de modo que a terra passa a ser mais um componente econômico (transformando-a em mercadoria) a partir de sua exploração agrícola, no caso brasileiro. A Lei definia que a terra deveria ser adquirida por meio de sua compra, o que proibia o sistema de sesmarias e a posse de terras devolutas. Na prática, a Lei permitiu que as relações entre quem já possuía as terras se mantivesse, no caso os latifundiários.

A Reforma Agrária objetiva, por meio do Estado, a redistribuição das propriedades rurais de modo mais igualitário. O processo consiste na compra ou desapropriação de porções de propriedades improdutivas de latifundiários por parte do Estado e sua redistribuição para famílias camponesas. Trata-se de um projeto de democratização do acesso à terra. Este processo, no entanto, encontra grande resistência por parte dos latifundiários, o que dificulta a sua execução.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Apresente a imagem de uma pessoa praticando agricultura e pergunte se eles sabem o que é agricultura:

  • O que se faz na agricultura? Para que ela serve? Na sequência, questione se já ouviram falar em agricultura familiar.

Solicite para que eles se atentem aos nomes que são dados às coisa, questionando:

  • O que será que o adjetivo ‘familiar’ significa?
  • Quem será que pratica este tipo de agricultura?
  • Como será que esta atividade é realizada?

Permita que os alunos tragam suas experiências de vida para a aula e possam ir articulando suas ideias a partir dos questionamentos e colocações dos demais colegas.

Em seguida, pergunte:

  • Onde é realizada a agricultura?
  • Será que precisa-se de quais instrumentos para realizá-la?

Nestes últimos questionamentos conduza os alunos a trazerem a questão da necessidade de terras para realizar os cultivos agrícolas.

Caso não seja possível projetar ou apresentar uma imagem de outra forma (impressa ou presentes em livros didáticos e/ou apostilas), escreva a expressão no quadro e prossiga com os questionamentos anteriormente sugeridos.

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/SJ7KvqgZGapfXWEVqjYfbxnNW35yyJa4QQK2eT7h6zqqYdGJ9fp957QKSdWd/geo7-05und04-imagens.pdf

Como adequar à sua realidade: Caso existam alunos os quais os pais ou conhecidos pratiquem a agricultura familiar, traga essas discussões para a sala de aula, permitindo que esses alunos, caso desejem, possam contribuir com a aula a partir de suas experiências e concepções. Em caso de escola rural ou município com produção agrícola marcante, traga esses elementos do cotidiano para a aula de modo a enriquecer o aprendizado e se aproximar da realidade dos alunos.

Para você saber mais:

Segundo a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário, a Lei 11.326 de julho de 2006 define as diretrizes deste tipo de atividade econômica, caracterizando-a a partir da Política Nacional da Agricultura Familiar. Desta forma, se qualifica enquanto agricultor familiar aquele que realiza suas atividades em área rural, possui terras de até quatro módulos fiscais, utiliza-se de mão de obra da própria família, possui renda vinculada ao próprio estabelecimento agrícola e cujo o estabelecimento seja administrado pela própria família. Assim, são também compreendidos enquanto agricultores familiares os aquicultores, silvicultores, pescadores, extrativistas, indígenas, quilombolas e aqueles assentados a partir da reforma agrária.

BRASIL, Ministério da Agricultura. O que é Agricultura Familiar. Disponível em:

<http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/o-que-%C3%A9-agricultura-familiar>. Acesso em: 20 fev 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Apresente a tabela com a porcentagem de produção da agricultura familiar para cada tipo agrícola e questione:

  • Podemos afirmar que grande parte do que se produz provém da agricultura familiar? Por quê?

É esperado que os alunos percebam que, na maioria dos produtos apresentados, a produção familiar é responsável por mais da metade da produção. Aponte para a quantidade em bilhões produzida pela agricultura familiar de acordo com os dados do Ministério da Agricultura, enfatizando a posição do Brasil no ranking mundial de produção de alimentos e em como apenas a produção familiar por si só seria capaz de conferir ao Brasil uma posição entre os 10 maiores produtores. Discuta, rapidamente, alguns dos produtos produzidos no sistema de latifúndios, como a soja, a cana-de-açúcar e a carne bovina e sua relação com o mercado externo.

Apresente o gráfico da concentração fundiária no Brasil a partir de dados levantados pelo IBGE. Explique o eixo "y" do gráfico afirmando que a porcentagem de estabelecimentos diz respeito a quantos por cento de estabelecimentos apresentam a área representada na coluna marrom - área em ha (1ha = 10.000m²). Neste sentido, questione:

  • O que esse gráfico de colunas tenta representar?
  • Qual é a relação que ele quer nos mostrar?

Faça perguntas que induzam os alunos a interpretarem o gráfico, apontando para a concentração fundiária (concentração de terras) de modo que há "Pouca gente para muita terra e pouca terra para muita gente".

Em seguida, retome ou explique o que são latifúndios, indicando a existência de grandes propriedades de terra que possuem um único dono e que, no Brasil, existem latifúndios produtivos e improdutivos. Fale sobre a existência dessas propriedades improdutivas que, de acordo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), é todo aquele estabelecimento rural que, mesmo sendo agricultável, está parcial ou totalmente inexplorado pelo proprietário e que, desta forma, se encontra passível de desapropriação por parte do Estado, sendo suas terras sujeitas a serem redistribuídas em processo de Reforma Agrária. Discuta, sucintamente, essa desigualdade no campo, a disparidade da questão fundiária e a existência de terras improdutivas.

Nesta etapa é importante que os alunos reconheçam a existência da agricultura familiar e a relacionem com um cenário de um país com um dos maiores índices de concentração fundiária do mundo, percebendo também a existência de propriedades que não cumprem a função social da propriedade.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, gráficos e tabelas desta etapa, é possível encontrar partes deste material em livros didáticos e/ou apostilas ou ainda colocá-los no quadro, prosseguindo com a discussão como sugerido.

Como adequar à sua realidade: Caso existam alunos os quais os pais ou conhecidos pratiquem a agricultura familiar, traga essas discussões para a sala de aula, permitindo que esses alunos, caso desejem, possam contribuir com a aula a partir de suas experiências e concepções. Em caso de escola rural ou município com produção agrícola marcante, traga esses elementos do cotidiano para a aula de modo a enriquecer o aprendizado e se aproximar da realidade dos alunos.

Para você saber mais:

A Lei de Terras foi criada em 1850 em um contexto de transição para o capitalismo industrial, de modo que a terra passa a ser mais um componente econômico (transformando-a em mercadoria) a partir de sua exploração agrícola, no caso brasileiro. A Lei definia que a terra deveria ser adquirida por meio de sua compra, o que proibia o sistema de sesmarias e a posse de terras devolutas. Na prática, a Lei permitiu que as relações entre quem já possuía as terras se mantivesse, no caso os latifundiários.

A Reforma Agrária objetiva, por meio do Estado, a redistribuição das propriedades rurais de modo mais igualitário. O processo consiste na compra ou desapropriação de porções de propriedades improdutivas de latifundiários por parte do Estado e sua redistribuição para famílias camponesas. Trata-se de um projeto de democratização do acesso à terra. Este processo, no entanto, encontra grande resistência por parte dos latifundiários, o que dificulta a sua execução.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento. Agricultura familiar do Brasil é a 8ª produtora mundial de alimentos. Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo. 12 de junho de 2018. Disponível em:

<http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/agricultura-familiar-do-brasil-%C3%A9-8%C2%AA-maior-produtora-de-alimentos-do-mundo>.Acesso em 25 fev 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente a tabela com a porcentagem de produção da agricultura familiar para cada tipo agrícola e questione:

  • Podemos afirmar que grande parte do que se produz provém da agricultura familiar? Por quê?

É esperado que os alunos percebam que, na maioria dos produtos apresentados, a produção familiar é responsável por mais da metade da produção. Aponte para a quantidade em bilhões produzida pela agricultura familiar de acordo com os dados do Ministério da Agricultura, enfatizando a posição do Brasil no ranking mundial de produção de alimentos e em como apenas a produção familiar por si só seria capaz de conferir ao Brasil uma posição entre os 10 maiores produtores. Discuta, rapidamente, alguns dos produtos produzidos no sistema de latifúndios, como a soja, a cana-de-açúcar e a carne bovina e sua relação com o mercado externo.

Apresente o gráfico da concentração fundiária no Brasil a partir de dados levantados pelo IBGE. Explique o eixo "y" do gráfico afirmando que a porcentagem de estabelecimentos diz respeito a quantos por cento de estabelecimentos apresentam a área representada na coluna marrom - área em ha (1ha = 10.000m²). Neste sentido, questione:

  • O que esse gráfico de colunas tenta representar?
  • Qual é a relação que ele quer nos mostrar?

Faça perguntas que induzam os alunos a interpretarem o gráfico, apontando para a concentração fundiária (concentração de terras) de modo que há "Pouca gente para muita terra e pouca terra para muita gente".

Em seguida, retome ou explique o que são latifúndios, indicando a existência de grandes propriedades de terra que possuem um único dono e que, no Brasil, existem latifúndios produtivos e improdutivos. Fale sobre a existência dessas propriedades improdutivas que, de acordo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), é todo aquele estabelecimento rural que, mesmo sendo agricultável, está parcial ou totalmente inexplorado pelo proprietário e que, desta forma, se encontra passível de desapropriação por parte do Estado, sendo suas terras sujeitas a serem redistribuídas em processo de Reforma Agrária. Discuta, sucintamente, essa desigualdade no campo, a disparidade da questão fundiária e a existência de terras improdutivas.

Nesta etapa é importante que os alunos reconheçam a existência da agricultura familiar e a relacionem com um cenário de um país com um dos maiores índices de concentração fundiária do mundo, percebendo também a existência de propriedades que não cumprem a função social da propriedade.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, gráficos e tabelas desta etapa, é possível encontrar partes deste material em livros didáticos e/ou apostilas ou ainda colocá-los no quadro, prosseguindo com a discussão como sugerido.

Como adequar à sua realidade: Caso existam alunos os quais os pais ou conhecidos pratiquem a agricultura familiar, traga essas discussões para a sala de aula, permitindo que esses alunos, caso desejem, possam contribuir com a aula a partir de suas experiências e concepções. Em caso de escola rural ou município com produção agrícola marcante, traga esses elementos do cotidiano para a aula de modo a enriquecer o aprendizado e se aproximar da realidade dos alunos.

Para você saber mais:

A Lei de Terras foi criada em 1850 em um contexto de transição para o capitalismo industrial, de modo que a terra passa a ser mais um componente econômico (transformando-a em mercadoria) a partir de sua exploração agrícola, no caso brasileiro. A Lei definia que a terra deveria ser adquirida por meio de sua compra, o que proibia o sistema de sesmarias e a posse de terras devolutas. Na prática, a Lei permitiu que as relações entre quem já possuía as terras se mantivesse, no caso os latifundiários.

A Reforma Agrária objetiva, por meio do Estado, a redistribuição das propriedades rurais de modo mais igualitário. O processo consiste na compra ou desapropriação de porções de propriedades improdutivas de latifundiários por parte do Estado e sua redistribuição para famílias camponesas. Trata-se de um projeto de democratização do acesso à terra. Este processo, no entanto, encontra grande resistência por parte dos latifundiários, o que dificulta a sua execução.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento. Agricultura familiar do Brasil é a 8ª produtora mundial de alimentos. Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo. 12 de junho de 2018. Disponível em:

<http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/agricultura-familiar-do-brasil-%C3%A9-8%C2%AA-maior-produtora-de-alimentos-do-mundo>.Acesso em 25 fev 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente a tabela com a porcentagem de produção da agricultura familiar para cada tipo agrícola e questione:

  • Podemos afirmar que grande parte do que se produz provém da agricultura familiar? Por quê?

É esperado que os alunos percebam que, na maioria dos produtos apresentados, a produção familiar é responsável por mais da metade da produção. Aponte para a quantidade em bilhões produzida pela agricultura familiar de acordo com os dados do Ministério da Agricultura, enfatizando a posição do Brasil no ranking mundial de produção de alimentos e em como apenas a produção familiar por si só seria capaz de conferir ao Brasil uma posição entre os 10 maiores produtores. Discuta, rapidamente, alguns dos produtos produzidos no sistema de latifúndios, como a soja, a cana-de-açúcar e a carne bovina e sua relação com o mercado externo.

Apresente o gráfico da concentração fundiária no Brasil a partir de dados levantados pelo IBGE. Explique o eixo "y" do gráfico afirmando que a porcentagem de estabelecimentos diz respeito a quantos por cento de estabelecimentos apresentam a área representada na coluna marrom - área em ha (1ha = 10.000m²). Neste sentido, questione:

  • O que esse gráfico de colunas tenta representar?
  • Qual é a relação que ele quer nos mostrar?

Faça perguntas que induzam os alunos a interpretarem o gráfico, apontando para a concentração fundiária (concentração de terras) de modo que há "Pouca gente para muita terra e pouca terra para muita gente".

Em seguida, retome ou explique o que são latifúndios, indicando a existência de grandes propriedades de terra que possuem um único dono e que, no Brasil, existem latifúndios produtivos e improdutivos. Fale sobre a existência dessas propriedades improdutivas que, de acordo com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), é todo aquele estabelecimento rural que, mesmo sendo agricultável, está parcial ou totalmente inexplorado pelo proprietário e que, desta forma, se encontra passível de desapropriação por parte do Estado, sendo suas terras sujeitas a serem redistribuídas em processo de Reforma Agrária. Discuta, sucintamente, essa desigualdade no campo, a disparidade da questão fundiária e a existência de terras improdutivas.

Nesta etapa é importante que os alunos reconheçam a existência da agricultura familiar e a relacionem com um cenário de um país com um dos maiores índices de concentração fundiária do mundo, percebendo também a existência de propriedades que não cumprem a função social da propriedade.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, gráficos e tabelas desta etapa, é possível encontrar partes deste material em livros didáticos e/ou apostilas ou ainda colocá-los no quadro, prosseguindo com a discussão como sugerido.

Como adequar à sua realidade: Caso existam alunos os quais os pais ou conhecidos pratiquem a agricultura familiar, traga essas discussões para a sala de aula, permitindo que esses alunos, caso desejem, possam contribuir com a aula a partir de suas experiências e concepções. Em caso de escola rural ou município com produção agrícola marcante, traga esses elementos do cotidiano para a aula de modo a enriquecer o aprendizado e se aproximar da realidade dos alunos.

Para você saber mais:

A Lei de Terras foi criada em 1850 em um contexto de transição para o capitalismo industrial, de modo que a terra passa a ser mais um componente econômico (transformando-a em mercadoria) a partir de sua exploração agrícola, no caso brasileiro. A Lei definia que a terra deveria ser adquirida por meio de sua compra, o que proibia o sistema de sesmarias e a posse de terras devolutas. Na prática, a Lei permitiu que as relações entre quem já possuía as terras se mantivesse, no caso os latifundiários.

A Reforma Agrária objetiva, por meio do Estado, a redistribuição das propriedades rurais de modo mais igualitário. O processo consiste na compra ou desapropriação de porções de propriedades improdutivas de latifundiários por parte do Estado e sua redistribuição para famílias camponesas. Trata-se de um projeto de democratização do acesso à terra. Este processo, no entanto, encontra grande resistência por parte dos latifundiários, o que dificulta a sua execução.

BRASIL, Ministério da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento. Agricultura familiar do Brasil é a 8ª produtora mundial de alimentos. Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo. 12 de junho de 2018. Disponível em:

<http://www.mda.gov.br/sitemda/noticias/agricultura-familiar-do-brasil-%C3%A9-8%C2%AA-maior-produtora-de-alimentos-do-mundo>.Acesso em 25 fev 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Divida os alunos em trios ou grupos de no máximo 4 integrantes e entregue o texto sobre a Lei de Terras e Reforma Agrária para os alunos. Leia o texto e as questões com eles e, em seguida, solicite que as respondam em seus cadernos.

Enquanto os realizam a atividade vá passando pelas carteiras de modo a tirar eventuais dúvidas que possam aparecer no decorrer do trabalho.

Link para o texto desta etapa do plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/N9njV2dJpaZrhaXHDQ8qeUttQgGjN9cxpb7trMvvJWCAabjRXNpDj8dSzeJH/geo7-05und04-acao-propositiva.pdf

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 18 minutos

Orientações: Peça para que os alunos se mantenham nos trios ou grupos da atividade anterior e entregue as revistas e jornais. Peça que usem a criatividade na construção de um cartaz sobre a agricultura familiar. Neste cartaz deve aparecer: o que é a agricultura familiar, em que regiões se concentram, o que é concentração fundiária e sua relação com a reforma agrária.

Enquanto os alunos constroem o cartaz vá passando pelas carteiras de modo a tirar eventuais dúvidas que possam aparecer no decorrer do trabalho.

Como adequar à sua realidade: Em outra aula ou com maior disponibilidade de tempo, traga ou peça para que os alunos tragam dados de produção agrícola do município onde se encontram. Caso existam alunos que convivem com a realidade da produção familiar, permita que contribuam para a aula trazendo suas experiências, caso queiram, para o enriquecimento da aula.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Mundo do trabalho do 7º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 7º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF07GE05 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano