17393
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 9º ano > A história recente

Plano de aula - As mães da Praça de Maio e a resistência à ditadura civil-militar argentina (1976-1983)

Plano de aula de História com atividades para 9º ano do EF sobre As mães da Praça de Maio e a resistência à ditadura civil-militar argentina (1976-1983)

Plano 01 de 2 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Roberta Duarte Da Silva

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide tem como objetivo resumir o conteúdo da aula para que possa se planejar, portanto não deve ser apresentado para os alunos.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF09HI29, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Projetor para exibição de imagens e texto ou impressão de imagens e textos para disponibilizar aos grupos de alunos.

Material complementar: Folhas de ofício tamanho A4.

Imagem: Cartaz publicitário do jornal de 1984 sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yHeNGCFNGr9F5JCrszFchRrwyrt4tMBpJbzuxYEbQHew2DbdbVegv7KknQW8/his9-29und01-contexto-1-imagem-cartaz-publicitario.pdf

Imagem: Cartaz da Associação de Mães da Plaza de Mayo convocando para uma manifestação - 1987.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2uJEgpfnJURj3ddu4N4eabsh9wPjZbx7npp8rgpArHamBffJB2QTkMAzZTDD/his9-29und01-contexto-2-imagem-cartaz-da-associacao-de-maes-da-plaza-de-mayo.pdf

Texto sobre o movimento das mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/djuvVTQ7EstZ2JR3kfZxyXtDxVHZcusvCmhS56DfYp7VJpc34hhBDqHZ5GVm/his9-29und01-problematizacao-1-texto-sobre-o-movimento-das-maes-da-praca-de-maio.pdf

Reportagem sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2KyRhNzT9ERFxzJEYfJ32dnpAYMSJ9Nqyn3VTMVJuATzMQYEUTrt29hbrtmu/his9-29und01-problematizacao-2-reportagem-sobre-as-maes-da-praca-de-maio.pdf

Para você saber mais:

Observa-se que a partir da década de 1960 os países do chamado Cone Sul vivenciaram uma crescente militarização de seus governos, que tinham como objetivo reestruturar economicamente suas nações. No entanto, o que se observou na prática foi um plano bem arquitetado e consciente de mudanças nas estruturas políticas e sociais, baseada em um aparato extremamente repressivo. Falando especificamente da experiência argentina entre os anos de 1976 - 1983, verifica-se que esta nação viveu um período repressivo sem precedentes, com práticas de sequestros, prisões sem processo, torturas e morte com ocultação de cadáver. O governo logicamente negava todas estas ações, restando à população traçar formas alternativas para saber o paradeiro de seus familiares que acabaram se tornando vítimas destas formas de terror. Surge neste contexto o movimento liderado por algumas mães, que passaram a protestar semanalmente na Praça de Maio, almejando buscar informações de seus filhos desaparecidos, acreditando que estes estariam presos e não mortos. Com o passar do tempo este grupo foi se fortalecendo e se estabelecendo com uma das formas de resistência mais eficientes da ditadura civil- militar vivenciada, resistindo até os dias atuais.

Para se aprofundar mais sobre a ditadura civil-militar instaurada na Argentina entre os anos de 1976 e 1983, recomendamos as seguintes leituras:

PASCUAL, Alejandra Leonor. Terrorismo de Estado: a Argentina de 1976 a 1983. Florianópolis, UFSC, 1997.

ROJAS, Gonzalo Adrián. A ditadura militar na Argentina (1976-1983): retomando algumas hipóteses frente aos relatos oficiais. São Paulo: Revista eletrônica Lutas Sociais, Vol.18 n.32, p.163-176, 2014. Disponível em: <http://www4.pucsp.br/neils/revista/vol.32/gonzalo_adrian_rojas.pdf.>
Acesso em: 16 de março de 2019.

ROMERO, Luis Alberto. História contemporânea da Argentina. Trad. Edmundo Barreiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2006.

STEINKE, Sabrina. A ditadura e a transição para a democracia na Argentina recente: desaparecimento dos cidadãos e da cidadania. Disponível em: <https://pos.historia.ufg.br/up/113/o/04_-_A_Ditadura_e_a_Transi%C3%A7%C3%A3o_para_a_Demicracia_na_Argentina_Recente.pdf>.
Acesso em: 16 de março de 2019.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos.

Orientações: Para a vivência desta aula, solicite que os alunos se organizem em grupos de três ou quatro integrantes. O direcionamento da escolha das equipes poderá ser realizado pelos próprios alunos ou por você, com o objetivo de garantir que possam realizar com sucesso a atividade proposta.

É importante iniciar a aula apresentando o objetivo para os estudantes. O objetivo poderá ser projetado, escrito no quadro ou lido para a turma. Este momento é bem relevante para que os estudantes compreendam a temática que será estudada e qual a sua importância para a compreensão da história política dos países da América Latina. No entanto, procure não antecipar algumas questões neste início, a fim de garantir a atenção e o interesse dos alunos durante toda a vivência da aula.

A proposta desta aula é fazer com que os alunos compreendam o movimento das mães da Praça de Maio como uma importante forma de resistência à ditadura civil-militar instaurada na Argentina (1976-1983).

Para você saber mais:

Para ministração desta aula é importante que o professor esteja apropriado das peculiaridades que envolvem o movimento das mães da Praça de Maio, para que assim possa dialogar com mais propriedade e profundidade com os alunos. A Praça de Maio, localizada no centro de Buenos Aires, traz consigo uma representatividade que extrapola o conceito de espaço público utilizado como ponto turístico e local de passagem. Ela tem sua história marcada como um espaço de poder e resistência, sendo palco há mais de 30 anos nas tardes de quinta-feira, das marchas e rondas da Asociación Madres de Plaza de Mayo e Madres de Plaza de Mayo, este último, linha fundadora do movimento destas personagens. Ambos lutam até os dias atuais por justiça e memória de seus filhos e parentes desaparecidos.

Com a instauração da ditadura militar na Argentina entre os anos de 1976 e 1983, os mecanismos de violência, censura, perseguição e exclusão passam a ser utilizados pelo governo como forma de restringir ou eliminar os opositores. Neste sentido, milhares de pessoas que discordavam e faziam oposição ao governo militar liderado pelo general Jorge Videla, foram presas, torturadas e desapareceram sem deixar nenhum rastro. É neste contexto que o movimento das Madres de Plaza de Mayo surge como uma forma de resistência, se reunindo pela primeira vez em 30 de abril de 1977, tentando buscar a priori notícias de seus parentes que pensavam estar apenas detidos. Como era de se prever, suas reivindicações não foram atendidas, e não demorou muito, para que passassem a ser duramente reprimidas pelos seus encontros semanais. Mas isso não as intimidou e só deu mais força ao movimento, que saiu de 14 para mais de 200 “madres” nesse mesmo ano. E assim, desde 1977, estas mulheres se reúnem para marchar, fazerem rondas e protestarem contra a violação dos direitos humanos praticados pelos órgãos de repressão. Ressalta-se que a sobrevivência do movimento até os dias atuais nos remete a uma incorporação de uma imagem política a essas personagens, que semanalmente continuam caminhando lentamente em forma de círculo com um lenço branco na cabeça (símbolo que remete à memória da fralda de seus filhos), num movimento inverso ao ponteiro do relógio, em busca de justiça pelos seus parentes.

Fontes:

GONÇALVES, Renata. De antigas e novas loucas: Madres e Mães de Maio contra a violência de Estado. São Paulo: Lutas Sociais, n.29, p.130-143, jul./dez. 2012. Disponível em: <http://www4.pucsp.br/neils/downloads/neils-revista-29-port/renata-goncalves.pdf>. Acesso em: 16 de mar. 2019.

GORINI, Ulises. La Rebelión de las Madres. Buenos Aires: Grupo Editorial Norma, 2006.

PAULA, Adriana das Graças. Os movimentos de mulheres na ditadura: uma análise sobre as Mães da Praça de Maio (Argentina) e o Movimento Feminino pela Anistia (Brasil). II Simpósio Internacional Pensar e Repensar a América Latina. Disponível em: <https://sites.usp.br/prolam/wp-content/uploads/sites/35/2016/12/PAULA_II-Simp%C3%B3sio-Internacional-Pensar-e-Repensar-a-Am%C3%A9rica-Latina.pdf> Acesso em: 16 de março de 2019.

PONZIO, Maria Fernanda. A praça da memória: o cenário das madres da Plaza de Mayo. Disponível em: <http://www.pgletras.uerj.br/palimpsesto/num6/estudos/MariaFernandaPonzio-A%20praca%20da%20memoria.pdf> Acesso em: 16 de março de 2019.

SIGAL, Silvia. La Plaza de Mayo: una crónica. Buenos Aires: Século XXI, 2006.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações: Com a finalidade de gerar um aprendizado significativo para os alunos, garantindo assim seu protagonismo em todos os momentos da aula, ressalta-se ser importante não expor os motivos que levaram à formulação desta atividade. O tempo total para este momento é de 10 minutos para a realização de todas as sugestões de orientação. Por isso é importante seguir as orientações, conforme descrito abaixo.

Com os alunos organizados em grupos, projete ou entregue cópias impressas das imagens e suas traduções e lance os questionamentos: Do que trata esta imagem? Quem são as pessoas retratadas? Onde se encontram? O que estão fazendo?

Espera-se que os alunos identifiquem que se trata de um grupo de mulheres argentinas, denominadas como “Madres da Plaza de Mayo”, que estavam nas duas situações estavam organizando um protesto. Feito isso, pergunte aos estudantes: Por que acreditam que estas mulheres estavam fazendo estas manifestações? Almeja-se que eles relacionem estes protestos à busca de informações por parte destas mulheres dos filhos e parentes que haviam sido presos. Elas cobravam do governo militar argentino algum tipo de informação, pois acreditavam que seus entes queridos estavam vivos. Deixe que os alunos comentem o que pensam a respeito das imagens e, caso tenham dificuldade para levantar hipóteses sobre o porquê da manifestação, chame a atenção para o texto dos cartazes, que traz estas informações e pode auxiliar nesta interpretação.

Durante a discussão procure ouvir os alunos, verificando o conhecimento prévio que possuem sobre as formas de resistência a governos ditatoriais. É possível que façam relação com a ditadura civil-militar vivenciada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985, e, caso isso aconteça, aproveite e comente que a partir da década de 1960 os países do chamado Cone Sul vivenciaram experiências de militarização de seus governos, utilizando meios bastante autoritários e repressivos para repudiar todo e qualquer tipo de resistência ou ameaça ao governo. À medida que os alunos forem relatando as suas ideias, você poderá ir registrando no quadro as informações que considerar mais importantes.

Desta maneira, nesta discussão inicial, almeja-se que os alunos consigam identificar a existência do movimento Madres da Praça de Mayo” e os motivos que levaram estas mulheres a ir ao espaço público de um praça para protestar contra as arbitrariedades e injustiças de um governo autoritário.

Material complementar:

Imagem: Cartaz publicitário do jornal de 1984 sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yHeNGCFNGr9F5JCrszFchRrwyrt4tMBpJbzuxYEbQHew2DbdbVegv7KknQW8/his9-29und01-contexto-1-imagem-cartaz-publicitario.pdf

Imagem: Cartaz da Associação de Mães da Plaza de Mayo convocando para uma manifestação - 1987.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2uJEgpfnJURj3ddu4N4eabsh9wPjZbx7npp8rgpArHamBffJB2QTkMAzZTDD/his9-29und01-contexto-2-imagem-cartaz-da-associacao-de-maes-da-plaza-de-mayo.pdf

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Com a finalidade de gerar um aprendizado significativo para os alunos, garantindo assim seu protagonismo em todos os momentos da aula, ressalta-se ser importante não expor os motivos que levaram à formulação desta atividade. Por isso é importante seguir as orientações, conforme descrito abaixo.

Com os alunos organizados em grupos, Projete ou entregue cópias impressas das imagens e suas traduções e lance os questionamentos: Do que trata esta imagem? Quem são as pessoas retratadas? Onde se encontram? O que estão fazendo?

Espera-se que os alunos identifiquem que se trata de um grupo de mulheres argentinas, denominadas como “Madres da Plaza de Mayo”, que estavam nas duas situações organizando um protesto. Feito isso, pergunte aos estudantes: Por que acreditam que estas mulheres estavam fazendo essas manifestações? Almeja-se que eles relacionem estes protestos à busca de informações por parte destas mulheres dos filhos e parentes que haviam sido presos. Elas cobravam do governo militar argentino algum tipo de informação, pois acreditavam que seus entes queridos estavam vivos. Deixe que os alunos comentem o que pensam a respeito das imagens e, caso tenham dificuldade para levantar hipóteses sobre o porquê da manifestação, chame a atenção para o texto dos cartazes, que traz estas informações e pode auxiliar nesta interpretação.

Durante a discussão procure ouvir os alunos, verificando o conhecimento prévio que possuem sobre as formas de resistência a governos ditatoriais. É possível que façam relação com a ditadura civil-militar vivenciada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985, e, caso isso aconteça, aproveite e comente que a partir da década de 1960 os países do chamado Cone Sul vivenciaram experiências de militarização de seus governos, utilizando meios bastante autoritários e repressivos para repudiar toda e qualquer tipo de resistência ou ameaça ao governo. À medida que os alunos forem relatando as suas ideias, você poderá ir registrando no quadro as informações que considerar mais importantes.

Desta maneira, nesta discussão inicial, almeja-se que os alunos consigam identificar a existência do movimento “Madres da Praça de Mayoe os motivos que levaram estas mulheres a ir ao espaço público de um praça para protestar contra as arbitrariedades e injustiças de um governo autoritário.

Material complementar:

Imagem: Cartaz publicitário do jornal de 1984 sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yHeNGCFNGr9F5JCrszFchRrwyrt4tMBpJbzuxYEbQHew2DbdbVegv7KknQW8/his9-29und01-contexto-1-imagem-cartaz-publicitario.pdf

Imagem: Cartaz da Associação de Mães da Plaza de Mayo convocando para uma manifestação - 1987.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2uJEgpfnJURj3ddu4N4eabsh9wPjZbx7npp8rgpArHamBffJB2QTkMAzZTDD/his9-29und01-contexto-2-imagem-cartaz-da-associacao-de-maes-da-plaza-de-mayo.pdf

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Com a finalidade de gerar um aprendizado significativo para os alunos, garantindo assim seu protagonismo em todos os momentos da aula, ressalta-se ser importante não expor os motivos que levaram à formulação desta atividade. Por isso é importante seguir as orientações, conforme descrito abaixo.

Com os alunos organizados em grupos, Projete ou entregue cópias impressas das imagens e suas traduções e lance os questionamentos: Do que trata esta imagem? Quem são as pessoas retratadas? Onde se encontram? O que estão fazendo?

Espera-se que os alunos identifiquem que se trata-se de um grupo de mulheres argentinas, denominadas como “Madres da Plaza de Mayo”, que estavam nas duas situações organizando um protesto. Feito isso, pergunte aos estudantes: Por que acreditam que estas mulheres estavam fazendo estas manifestações? Almeja-se que eles relacionem estes protestos à busca de informações por parte destas mulheres dos filhos e parentes que haviam sido presos. Elas cobravam do governo militar argentino algum tipo de informação, pois acreditavam que seus entes queridos estavam vivos. Deixe que os alunos comentem o que pensam a respeito das imagens e, caso tenham dificuldade para levantar hipóteses sobre o porquê da manifestação, chame a atenção para o texto dos cartazes, que traz estas informações e pode auxiliar nesta interpretação.

Durante a discussão procure ouvir os alunos, verificando o conhecimento prévio que possuem sobre formas as formas de resistência a governos ditatoriais. É possível que façam relação com a ditadura civil-militar vivenciada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985, e, caso isso aconteça, aproveite e comente que a partir da década de 1960 os países do chamado Cone Sul vivenciaram experiências de militarização de seus governos, utilizando meios bastante autoritários e repressivos para repudiar toda e qualquer tipo de resistência ou ameaça ao governo. À medida que os alunos forem relatando as suas ideias, você poderá ir registrando no quadro as informações que considerar mais importantes.

Desta maneira, nesta discussão inicial, almeja-se que os alunos consigam identificar a existência do movimento “Madres da Praça de Mayo” e os motivos que levaram estas mulheres a ir ao espaço público de um praça para protestar contra as arbitrariedades e injustiças de um governo autoritário.

Material complementar:

Imagem: Cartaz publicitário do jornal de 1984 sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yHeNGCFNGr9F5JCrszFchRrwyrt4tMBpJbzuxYEbQHew2DbdbVegv7KknQW8/his9-29und01-contexto-1-imagem-cartaz-publicitario.pdf

Imagem: Cartaz da Associação de Mães da Plaza de Mayo convocando para uma manifestação - 1987.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2uJEgpfnJURj3ddu4N4eabsh9wPjZbx7npp8rgpArHamBffJB2QTkMAzZTDD/his9-29und01-contexto-2-imagem-cartaz-da-associacao-de-maes-da-plaza-de-mayo.pdf

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Com a finalidade de gerar um aprendizado significativo para os alunos, garantindo assim seu protagonismo em todos os momentos da aula, ressalta-se ser importante não expor os motivos que levaram à formulação desta atividade. Por isso é importante seguir as orientações, conforme descrito abaixo.

Com os alunos organizados em grupos, projete ou entregue cópias impressas das imagens e suas traduções e lance os questionamentos: Do que trata esta imagem? Quem são as pessoas retratadas? Onde se encontram? O que estão fazendo?

Espera-se que os alunos identifiquem que se trata de um grupo de mulheres argentinas, denominadas “Madres da Plaza de Mayo”, que nas duas situações estavam organizando um protesto. Feito isso, pergunte aos estudantes: Por que acreditam que estas mulheres estavam fazendo estas manifestações? Almeja-se que eles relacionem estes protestos à busca de informações por parte destas mulheres dos filhos e parentes que haviam sido presos. Elas cobravam do governo militar argentino algum tipo de informação, pois acreditavam que seus entes queridos estavam vivos. Deixe que os alunos comentem o que pensam a respeito das imagens e, caso tenham dificuldade para levantar hipóteses sobre o porquê da manifestação, chame a atenção para o texto dos cartazes, que traz estas informações e pode auxiliar nesta interpretação.

Durante a discussão procure ouvir os alunos, verificando o conhecimento prévio que possuem sobre formas as formas de resistência a governos ditatoriais. É possível que façam relação com a ditadura civil-militar vivenciada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985, e, caso isso aconteça, aproveite e comente que a partir da década de 1960 os países do chamado Cone Sul vivenciaram experiências de militarização de seus governos, utilizando meios bastante autoritários e repressivos para repudiar todo e qualquer tipo de resistência ou ameaça ao governo. À medida que os alunos forem relatando as suas ideias, você poderá ir registrando no quadro as informações que considerar mais importantes.

Desta maneira, nesta discussão inicial, almeja-se que os alunos consigam identificar a existência do movimento “Madres da Praça de Mayo” e os motivos que levaram estas mulheres a ir ao espaço público de um praça para protestar contra as arbitrariedades e injustiças de um governo autoritário.

Material complementar:

Imagem: Cartaz publicitário do jornal de 1984 sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yHeNGCFNGr9F5JCrszFchRrwyrt4tMBpJbzuxYEbQHew2DbdbVegv7KknQW8/his9-29und01-contexto-1-imagem-cartaz-publicitario.pdf

Imagem: Cartaz da Associação de Mães da Plaza de Mayo convocando para uma manifestação - 1987.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2uJEgpfnJURj3ddu4N4eabsh9wPjZbx7npp8rgpArHamBffJB2QTkMAzZTDD/his9-29und01-contexto-2-imagem-cartaz-da-associacao-de-maes-da-plaza-de-mayo.pdf

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Realizada a discussão inicial, informe aos estudantes que, organizados em equipes, deverão realizar a leitura de dois textos que serão disponibilizados, os quais versam sobre o movimento das Mães da Praça de Maio e suas peculiaridades. Um trata-se de um artigo científico e o outro de um trecho de uma reportagem do periódico El País. Oriente que terão em torno de 8 minutos para realizar a leitura deste texto, a qual deverá ser realizada de maneira bem atenta e detalhada, destacando as informações que julgarem ser mais importantes. Finalizada a leitura, diga que eles terão 5 minutos para construir coletivamente um painel com informações sobre o movimento. Este painel deverá ser dividido em três partes, cada qual respondendo a seguinte assertiva:

  • Qual era a motivação destas mulheres?
  • Quais eram as formas de resistência aplicadas?
  • Qual a importância deste movimento como forma de resistência à ditadura militar instaurada na Argentina entre os anos de 1976-1983?

É importante não mostrar as perguntas antes, pois os alunos poderão direcionar a leitura do texto apenas para responder estas questões. Ressalte que deverá ser construído um único painel para a toda turma e que todas as equipes deverão contribuir com frases, ideias e palavras. Finalizada a construção do painel, organize os alunos em um grande círculo e inicie uma discussão sobre as ideias escritas pelos estudantes, acrescentando ou modificando alguma informação que julgar necessário.

Almeja-se que com esta atividade os alunos consigam identificar e compreender as principais peculiaridades do movimento das mães da Praça de Maio, analisando a importância deste movimento como uma forma de resistência ao regime ditatorial instaurado na Argentina entre os anos de 1976-1983.

Caso os alunos apresentem dificuldades para determinar as principais características de cada texto, chame a atenção para os seguintes trechos de cada documento:

  • Sobre as principais motivações do movimento: “Nada ou pouco sabiam sobre política, mas estavam determinadas a entregar uma carta ao general Jorge Videla, queriam saber o que se passava com os, como acreditavam até então, filhos detidos” e/ou “Continuaram marchando e empunhando cartazes com as fotos dos filhos desaparecidos”.
  • Acerca das principais formas de resistência aplicadas: “O regime ditatorial impedia o agrupamento de mais de três pessoas, portanto, elas não podiam se reunir. Na praça, policiais temerosos de subversão, as obrigavam a andar em círculo. Num movimento de rebeldia, giravam no sentido contrário aos ponteiros do relógio” e/ou “Porém, como encontrar-se e reconhecer-se na multidão? Usando lenços na cabeça. Mas quais e de que cor? Uma das Madres se lembrou das fraldas brancas que acalentaram seus filhos. [...] Esta marca, desde então, sempre as acompanharia” e/ou “Em meio a choros e desesperos, este grupo toma a decisão de rejeitar a exumação dos corpos. Como enfatizou uma das representantes das Madres, ‘aceitar esta morte sem que nos digam quem os matou, era assassiná-los de novo’ (Madres de Plaza de Mayo, 1995: 71)”.
  • Sobre a importância do movimento como forma de resistência à ditadura militar instaurada na Argentina entre os anos de 1976 -1983 “Começaram a ser perseguidas, mas não se intimidaram com a pressão e o terror de Estado. Continuaram marchando e empunhando cartazes com as fotos dos filhos desaparecidos” e/ou “Nos anos que se seguiram, se politizaram ainda mais, adotaram posições políticas e falaram enquanto mães sobre o destino da sociedade. Denunciaram a anistia total acordada aos militares, assim como a emergência de “novos desaparecidos”.
  • Sobre esta questão poderá ser utilizada também um trecho da reportagem do periódico El País que versa sobre o fato de uma das crianças desaparecidas no período ter sido encontrada 42 anos depois, sugerindo assim que o movimento continua atuando de maneira efetiva até os dias atuais, denunciando infratores e buscando informações sobre o paradeiro de pessoas desaparecidas.

Finalizada esta atividade, pergunte para a turma o que eles acharam do conteúdo abordado nos textos e se conseguiram entender a importância do movimento das Mães da Praça de Maio.

Material complementar:

Texto sobre o movimento das mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/djuvVTQ7EstZ2JR3kfZxyXtDxVHZcusvCmhS56DfYp7VJpc34hhBDqHZ5GVm/his9-29und01-problematizacao-1-texto-sobre-o-movimento-das-maes-da-praca-de-maio.pdf

Reportagem sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2KyRhNzT9ERFxzJEYfJ32dnpAYMSJ9Nqyn3VTMVJuATzMQYEUTrt29hbrtmu/his9-29und01-problematizacao-2-reportagem-sobre-as-maes-da-praca-de-maio.pdf

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Realizada a discussão inicial, informe aos estudantes que, organizados em equipes, deverão realizar a leitura de dois textos que serão disponibilizados, os quais versam sobre o movimento das Mães da Praça de Maio e suas peculiaridades. Um trata-se de um artigo científico e o outro de um trecho de uma reportagem do periódico El País. Oriente que terão em torno de 8 minutos para realizar a leitura deste texto, a qual deverá ser realizada de maneira bem atenta e detalhada, destacando as informações que julgarem ser mais importantes. Finalizada a leitura, diga que eles terão 5 minutos para construir coletivamente um painel com informações sobre o movimento. Este painel deverá ser dividido em três partes, cada qual respondendo a seguinte assertiva:

  • Qual era a motivação destas mulheres?
  • Quais eram as formas de resistência aplicadas?
  • Qual a importância deste movimento como forma de resistência à ditadura militar instaurada na Argentina entre os anos de 1976-983?

É importante não mostrar as perguntas antes, pois os alunos poderão direcionar a leitura do texto apenas para responder estas questões. Ressalte que deverá ser construído um único painel para a toda a turma e que todas as equipes deverão contribuir com frases, ideias e palavras. Finalizada a construção do painel, organize os alunos em um grande círculo e inicie uma discussão sobre as ideias escritas pelos estudantes, acrescentando ou modificando alguma informação que julgar necessário.

Almeja-se que com esta atividade os alunos consigam identificar e compreender as principais peculiaridades do movimento das Mães da Praça de Maio, analisando sua importância deste movimento como uma forma de resistência ao regime ditatorial instaurado na Argentina entre os anos de 1976-1983.

Caso os alunos apresentem dificuldades para determinar as principais características de cada texto, chame a atenção para os seguintes trechos de cada documento:

  • Sobre as principais motivações do movimento: “Nada ou pouco sabiam sobre política, mas estavam determinadas a entregar uma carta ao general Jorge Videla, queriam saber o que se passava com os, como acreditavam até então, filhos detidos” e/ou “Continuaram marchando e empunhando cartazes com as fotos dos filhos desaparecidos”.
  • Acerca das principais formas de resistência aplicadas: “O regime ditatorial impedia o agrupamento de mais de três pessoas, portanto, elas não podiam se reunir. Na praça, policiais temerosos de subversão, as obrigavam a andar em círculo. Num movimento de rebeldia, giravam no sentido contrário aos ponteiros do relógio” e/ou “Porém, como encontrar-se e reconhecer-se na multidão? Usando lenços na cabeça. Mas quais e de que cor? Uma das Madres se lembrou das fraldas brancas que acalentaram seus filhos. [...] Esta marca, desde então, sempre as acompanharia” e/ou “Em meio a choros e desesperos, este grupo toma a decisão de rejeitar a exumação dos corpos. Como enfatizou uma das representantes das Madres, ‘aceitar esta morte sem que nos digam quem os matou, era assassiná-los de novo’ (Madres de Plaza de Mayo, 1995: 71)”.
  • Sobre a importância do movimento como forma de resistência à ditadura militar instaurada na Argentina entre os anos de 1976-1983 “Começaram a ser perseguidas, mas não se intimidaram com a pressão e o terror de Estado. Continuaram marchando e empunhando cartazes com as fotos dos filhos desaparecidos” e/ou “Nos anos que se seguiram, se politizaram ainda mais, adotaram posições políticas e falaram enquanto mães sobre o destino da sociedade. Denunciaram a anistia total acordada aos militares, assim como a emergência de “novos desaparecidos”.
  • Sobre esta questão poderá ser utilizada também um trecho da reportagem do periódico El País que versa sobre o fato de uma das crianças desaparecidas no período ter sido encontrada 42 anos depois, sugerindo assim que o movimento continua atuando de maneira efetiva até os dias atuais, denunciando infratores e buscando informações sobre o paradeiro de pessoas desaparecidas.

Finalizada esta atividade, pergunte para a turma o que eles acharam do conteúdo abordado nos textos e se conseguiram entender a importância do movimento das mães da Praça de Maio.

Material complementar:

Texto sobre o movimento das mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/djuvVTQ7EstZ2JR3kfZxyXtDxVHZcusvCmhS56DfYp7VJpc34hhBDqHZ5GVm/his9-29und01-problematizacao-1-texto-sobre-o-movimento-das-maes-da-praca-de-maio.pdf

Reportagem sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2KyRhNzT9ERFxzJEYfJ32dnpAYMSJ9Nqyn3VTMVJuATzMQYEUTrt29hbrtmu/his9-29und01-problematizacao-2-reportagem-sobre-as-maes-da-praca-de-maio.pdf

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 17 minutos.

Orientações: Sem desfazer as equipes, lance a proposta de Sistematização. Você pode projetar este slide, entregar cópias impressas dele ao grupo, ou ainda escrever a proposta no quadro. Os alunos serão convidados a produzir um manifesto que represente as causas do movimento das mães da Praça de Maio, para isso disponibilize folhas de papel para cada equipe. Forneça em torno de 10 minutos para que cada equipe realize a elaboração da proposta solicitada. Finalizada a elaboração peça que a sala se organize em um grande círculo novamente, para que cada equipe possa apresentar seu manifesto para a turma.

Ressalte que as discussões feitas no final da etapa anterior devem ser levadas em consideração na montagem deste manifesto.

A expectativa é que os estudantes percebam que o movimento Mães da Praça de Maio teve uma atuação importante que tem efetividade até os dias atuais, pois essas mulheres continuam lutando para que os culpados pelos desaparecimento e morte de seus filhos e parentes sejam responsabilizados pelos crimes praticados. Caso o professor julgue ser interessante, poderá solicitar aos alunos que realizem uma pesquisa sobre a atuação deste movimento nos dias de hoje e quais as conquistas que elas têm conseguido, mesmo tendo se passado tantas décadas desde o fim da ditadura.

Material complementar:

Folhas de ofício tamanho A4.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide tem como objetivo resumir o conteúdo da aula para que possa se planejar, portanto não deve ser apresentado para os alunos.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF09HI29, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Projetor para exibição de imagens e texto ou impressão de imagens e textos para disponibilizar aos grupos de alunos.

Material complementar: Folhas de ofício tamanho A4.

Imagem: Cartaz publicitário do jornal de 1984 sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yHeNGCFNGr9F5JCrszFchRrwyrt4tMBpJbzuxYEbQHew2DbdbVegv7KknQW8/his9-29und01-contexto-1-imagem-cartaz-publicitario.pdf

Imagem: Cartaz da Associação de Mães da Plaza de Mayo convocando para uma manifestação - 1987.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2uJEgpfnJURj3ddu4N4eabsh9wPjZbx7npp8rgpArHamBffJB2QTkMAzZTDD/his9-29und01-contexto-2-imagem-cartaz-da-associacao-de-maes-da-plaza-de-mayo.pdf

Texto sobre o movimento das mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/djuvVTQ7EstZ2JR3kfZxyXtDxVHZcusvCmhS56DfYp7VJpc34hhBDqHZ5GVm/his9-29und01-problematizacao-1-texto-sobre-o-movimento-das-maes-da-praca-de-maio.pdf

Reportagem sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2KyRhNzT9ERFxzJEYfJ32dnpAYMSJ9Nqyn3VTMVJuATzMQYEUTrt29hbrtmu/his9-29und01-problematizacao-2-reportagem-sobre-as-maes-da-praca-de-maio.pdf

Para você saber mais:

Observa-se que a partir da década de 1960 os países do chamado Cone Sul vivenciaram uma crescente militarização de seus governos, que tinham como objetivo reestruturar economicamente suas nações. No entanto, o que se observou na prática foi um plano bem arquitetado e consciente de mudanças nas estruturas políticas e sociais, baseada em um aparato extremamente repressivo. Falando especificamente da experiência argentina entre os anos de 1976 - 1983, verifica-se que esta nação viveu um período repressivo sem precedentes, com práticas de sequestros, prisões sem processo, torturas e morte com ocultação de cadáver. O governo logicamente negava todas estas ações, restando à população traçar formas alternativas para saber o paradeiro de seus familiares que acabaram se tornando vítimas destas formas de terror. Surge neste contexto o movimento liderado por algumas mães, que passaram a protestar semanalmente na Praça de Maio, almejando buscar informações de seus filhos desaparecidos, acreditando que estes estariam presos e não mortos. Com o passar do tempo este grupo foi se fortalecendo e se estabelecendo com uma das formas de resistência mais eficientes da ditadura civil- militar vivenciada, resistindo até os dias atuais.

Para se aprofundar mais sobre a ditadura civil-militar instaurada na Argentina entre os anos de 1976 e 1983, recomendamos as seguintes leituras:

PASCUAL, Alejandra Leonor. Terrorismo de Estado: a Argentina de 1976 a 1983. Florianópolis, UFSC, 1997.

ROJAS, Gonzalo Adrián. A ditadura militar na Argentina (1976-1983): retomando algumas hipóteses frente aos relatos oficiais. São Paulo: Revista eletrônica Lutas Sociais, Vol.18 n.32, p.163-176, 2014. Disponível em: <http://www4.pucsp.br/neils/revista/vol.32/gonzalo_adrian_rojas.pdf.>
Acesso em: 16 de março de 2019.

ROMERO, Luis Alberto. História contemporânea da Argentina. Trad. Edmundo Barreiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 2006.

STEINKE, Sabrina. A ditadura e a transição para a democracia na Argentina recente: desaparecimento dos cidadãos e da cidadania. Disponível em: <https://pos.historia.ufg.br/up/113/o/04_-_A_Ditadura_e_a_Transi%C3%A7%C3%A3o_para_a_Demicracia_na_Argentina_Recente.pdf>.
Acesso em: 16 de março de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos.

Orientações: Para a vivência desta aula, solicite que os alunos se organizem em grupos de três ou quatro integrantes. O direcionamento da escolha das equipes poderá ser realizado pelos próprios alunos ou por você, com o objetivo de garantir que possam realizar com sucesso a atividade proposta.

É importante iniciar a aula apresentando o objetivo para os estudantes. O objetivo poderá ser projetado, escrito no quadro ou lido para a turma. Este momento é bem relevante para que os estudantes compreendam a temática que será estudada e qual a sua importância para a compreensão da história política dos países da América Latina. No entanto, procure não antecipar algumas questões neste início, a fim de garantir a atenção e o interesse dos alunos durante toda a vivência da aula.

A proposta desta aula é fazer com que os alunos compreendam o movimento das mães da Praça de Maio como uma importante forma de resistência à ditadura civil-militar instaurada na Argentina (1976-1983).

Para você saber mais:

Para ministração desta aula é importante que o professor esteja apropriado das peculiaridades que envolvem o movimento das mães da Praça de Maio, para que assim possa dialogar com mais propriedade e profundidade com os alunos. A Praça de Maio, localizada no centro de Buenos Aires, traz consigo uma representatividade que extrapola o conceito de espaço público utilizado como ponto turístico e local de passagem. Ela tem sua história marcada como um espaço de poder e resistência, sendo palco há mais de 30 anos nas tardes de quinta-feira, das marchas e rondas da Asociación Madres de Plaza de Mayo e Madres de Plaza de Mayo, este último, linha fundadora do movimento destas personagens. Ambos lutam até os dias atuais por justiça e memória de seus filhos e parentes desaparecidos.

Com a instauração da ditadura militar na Argentina entre os anos de 1976 e 1983, os mecanismos de violência, censura, perseguição e exclusão passam a ser utilizados pelo governo como forma de restringir ou eliminar os opositores. Neste sentido, milhares de pessoas que discordavam e faziam oposição ao governo militar liderado pelo general Jorge Videla, foram presas, torturadas e desapareceram sem deixar nenhum rastro. É neste contexto que o movimento das Madres de Plaza de Mayo surge como uma forma de resistência, se reunindo pela primeira vez em 30 de abril de 1977, tentando buscar a priori notícias de seus parentes que pensavam estar apenas detidos. Como era de se prever, suas reivindicações não foram atendidas, e não demorou muito, para que passassem a ser duramente reprimidas pelos seus encontros semanais. Mas isso não as intimidou e só deu mais força ao movimento, que saiu de 14 para mais de 200 “madres” nesse mesmo ano. E assim, desde 1977, estas mulheres se reúnem para marchar, fazerem rondas e protestarem contra a violação dos direitos humanos praticados pelos órgãos de repressão. Ressalta-se que a sobrevivência do movimento até os dias atuais nos remete a uma incorporação de uma imagem política a essas personagens, que semanalmente continuam caminhando lentamente em forma de círculo com um lenço branco na cabeça (símbolo que remete à memória da fralda de seus filhos), num movimento inverso ao ponteiro do relógio, em busca de justiça pelos seus parentes.

Fontes:

GONÇALVES, Renata. De antigas e novas loucas: Madres e Mães de Maio contra a violência de Estado. São Paulo: Lutas Sociais, n.29, p.130-143, jul./dez. 2012. Disponível em: <http://www4.pucsp.br/neils/downloads/neils-revista-29-port/renata-goncalves.pdf>. Acesso em: 16 de mar. 2019.

GORINI, Ulises. La Rebelión de las Madres. Buenos Aires: Grupo Editorial Norma, 2006.

PAULA, Adriana das Graças. Os movimentos de mulheres na ditadura: uma análise sobre as Mães da Praça de Maio (Argentina) e o Movimento Feminino pela Anistia (Brasil). II Simpósio Internacional Pensar e Repensar a América Latina. Disponível em: <https://sites.usp.br/prolam/wp-content/uploads/sites/35/2016/12/PAULA_II-Simp%C3%B3sio-Internacional-Pensar-e-Repensar-a-Am%C3%A9rica-Latina.pdf> Acesso em: 16 de março de 2019.

PONZIO, Maria Fernanda. A praça da memória: o cenário das madres da Plaza de Mayo. Disponível em: <http://www.pgletras.uerj.br/palimpsesto/num6/estudos/MariaFernandaPonzio-A%20praca%20da%20memoria.pdf> Acesso em: 16 de março de 2019.

SIGAL, Silvia. La Plaza de Mayo: una crónica. Buenos Aires: Século XXI, 2006.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações: Com a finalidade de gerar um aprendizado significativo para os alunos, garantindo assim seu protagonismo em todos os momentos da aula, ressalta-se ser importante não expor os motivos que levaram à formulação desta atividade. O tempo total para este momento é de 10 minutos para a realização de todas as sugestões de orientação. Por isso é importante seguir as orientações, conforme descrito abaixo.

Com os alunos organizados em grupos, projete ou entregue cópias impressas das imagens e suas traduções e lance os questionamentos: Do que trata esta imagem? Quem são as pessoas retratadas? Onde se encontram? O que estão fazendo?

Espera-se que os alunos identifiquem que se trata de um grupo de mulheres argentinas, denominadas como “Madres da Plaza de Mayo”, que estavam nas duas situações estavam organizando um protesto. Feito isso, pergunte aos estudantes: Por que acreditam que estas mulheres estavam fazendo estas manifestações? Almeja-se que eles relacionem estes protestos à busca de informações por parte destas mulheres dos filhos e parentes que haviam sido presos. Elas cobravam do governo militar argentino algum tipo de informação, pois acreditavam que seus entes queridos estavam vivos. Deixe que os alunos comentem o que pensam a respeito das imagens e, caso tenham dificuldade para levantar hipóteses sobre o porquê da manifestação, chame a atenção para o texto dos cartazes, que traz estas informações e pode auxiliar nesta interpretação.

Durante a discussão procure ouvir os alunos, verificando o conhecimento prévio que possuem sobre as formas de resistência a governos ditatoriais. É possível que façam relação com a ditadura civil-militar vivenciada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985, e, caso isso aconteça, aproveite e comente que a partir da década de 1960 os países do chamado Cone Sul vivenciaram experiências de militarização de seus governos, utilizando meios bastante autoritários e repressivos para repudiar todo e qualquer tipo de resistência ou ameaça ao governo. À medida que os alunos forem relatando as suas ideias, você poderá ir registrando no quadro as informações que considerar mais importantes.

Desta maneira, nesta discussão inicial, almeja-se que os alunos consigam identificar a existência do movimento Madres da Praça de Mayo” e os motivos que levaram estas mulheres a ir ao espaço público de um praça para protestar contra as arbitrariedades e injustiças de um governo autoritário.

Material complementar:

Imagem: Cartaz publicitário do jornal de 1984 sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yHeNGCFNGr9F5JCrszFchRrwyrt4tMBpJbzuxYEbQHew2DbdbVegv7KknQW8/his9-29und01-contexto-1-imagem-cartaz-publicitario.pdf

Imagem: Cartaz da Associação de Mães da Plaza de Mayo convocando para uma manifestação - 1987.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2uJEgpfnJURj3ddu4N4eabsh9wPjZbx7npp8rgpArHamBffJB2QTkMAzZTDD/his9-29und01-contexto-2-imagem-cartaz-da-associacao-de-maes-da-plaza-de-mayo.pdf

Slide Plano Aula

Orientações: Com a finalidade de gerar um aprendizado significativo para os alunos, garantindo assim seu protagonismo em todos os momentos da aula, ressalta-se ser importante não expor os motivos que levaram à formulação desta atividade. Por isso é importante seguir as orientações, conforme descrito abaixo.

Com os alunos organizados em grupos, Projete ou entregue cópias impressas das imagens e suas traduções e lance os questionamentos: Do que trata esta imagem? Quem são as pessoas retratadas? Onde se encontram? O que estão fazendo?

Espera-se que os alunos identifiquem que se trata de um grupo de mulheres argentinas, denominadas como “Madres da Plaza de Mayo”, que estavam nas duas situações organizando um protesto. Feito isso, pergunte aos estudantes: Por que acreditam que estas mulheres estavam fazendo essas manifestações? Almeja-se que eles relacionem estes protestos à busca de informações por parte destas mulheres dos filhos e parentes que haviam sido presos. Elas cobravam do governo militar argentino algum tipo de informação, pois acreditavam que seus entes queridos estavam vivos. Deixe que os alunos comentem o que pensam a respeito das imagens e, caso tenham dificuldade para levantar hipóteses sobre o porquê da manifestação, chame a atenção para o texto dos cartazes, que traz estas informações e pode auxiliar nesta interpretação.

Durante a discussão procure ouvir os alunos, verificando o conhecimento prévio que possuem sobre as formas de resistência a governos ditatoriais. É possível que façam relação com a ditadura civil-militar vivenciada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985, e, caso isso aconteça, aproveite e comente que a partir da década de 1960 os países do chamado Cone Sul vivenciaram experiências de militarização de seus governos, utilizando meios bastante autoritários e repressivos para repudiar toda e qualquer tipo de resistência ou ameaça ao governo. À medida que os alunos forem relatando as suas ideias, você poderá ir registrando no quadro as informações que considerar mais importantes.

Desta maneira, nesta discussão inicial, almeja-se que os alunos consigam identificar a existência do movimento “Madres da Praça de Mayoe os motivos que levaram estas mulheres a ir ao espaço público de um praça para protestar contra as arbitrariedades e injustiças de um governo autoritário.

Material complementar:

Imagem: Cartaz publicitário do jornal de 1984 sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yHeNGCFNGr9F5JCrszFchRrwyrt4tMBpJbzuxYEbQHew2DbdbVegv7KknQW8/his9-29und01-contexto-1-imagem-cartaz-publicitario.pdf

Imagem: Cartaz da Associação de Mães da Plaza de Mayo convocando para uma manifestação - 1987.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2uJEgpfnJURj3ddu4N4eabsh9wPjZbx7npp8rgpArHamBffJB2QTkMAzZTDD/his9-29und01-contexto-2-imagem-cartaz-da-associacao-de-maes-da-plaza-de-mayo.pdf

Slide Plano Aula

Orientações: Com a finalidade de gerar um aprendizado significativo para os alunos, garantindo assim seu protagonismo em todos os momentos da aula, ressalta-se ser importante não expor os motivos que levaram à formulação desta atividade. Por isso é importante seguir as orientações, conforme descrito abaixo.

Com os alunos organizados em grupos, Projete ou entregue cópias impressas das imagens e suas traduções e lance os questionamentos: Do que trata esta imagem? Quem são as pessoas retratadas? Onde se encontram? O que estão fazendo?

Espera-se que os alunos identifiquem que se trata-se de um grupo de mulheres argentinas, denominadas como “Madres da Plaza de Mayo”, que estavam nas duas situações organizando um protesto. Feito isso, pergunte aos estudantes: Por que acreditam que estas mulheres estavam fazendo estas manifestações? Almeja-se que eles relacionem estes protestos à busca de informações por parte destas mulheres dos filhos e parentes que haviam sido presos. Elas cobravam do governo militar argentino algum tipo de informação, pois acreditavam que seus entes queridos estavam vivos. Deixe que os alunos comentem o que pensam a respeito das imagens e, caso tenham dificuldade para levantar hipóteses sobre o porquê da manifestação, chame a atenção para o texto dos cartazes, que traz estas informações e pode auxiliar nesta interpretação.

Durante a discussão procure ouvir os alunos, verificando o conhecimento prévio que possuem sobre formas as formas de resistência a governos ditatoriais. É possível que façam relação com a ditadura civil-militar vivenciada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985, e, caso isso aconteça, aproveite e comente que a partir da década de 1960 os países do chamado Cone Sul vivenciaram experiências de militarização de seus governos, utilizando meios bastante autoritários e repressivos para repudiar toda e qualquer tipo de resistência ou ameaça ao governo. À medida que os alunos forem relatando as suas ideias, você poderá ir registrando no quadro as informações que considerar mais importantes.

Desta maneira, nesta discussão inicial, almeja-se que os alunos consigam identificar a existência do movimento “Madres da Praça de Mayo” e os motivos que levaram estas mulheres a ir ao espaço público de um praça para protestar contra as arbitrariedades e injustiças de um governo autoritário.

Material complementar:

Imagem: Cartaz publicitário do jornal de 1984 sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yHeNGCFNGr9F5JCrszFchRrwyrt4tMBpJbzuxYEbQHew2DbdbVegv7KknQW8/his9-29und01-contexto-1-imagem-cartaz-publicitario.pdf

Imagem: Cartaz da Associação de Mães da Plaza de Mayo convocando para uma manifestação - 1987.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2uJEgpfnJURj3ddu4N4eabsh9wPjZbx7npp8rgpArHamBffJB2QTkMAzZTDD/his9-29und01-contexto-2-imagem-cartaz-da-associacao-de-maes-da-plaza-de-mayo.pdf

Slide Plano Aula

Orientações: Com a finalidade de gerar um aprendizado significativo para os alunos, garantindo assim seu protagonismo em todos os momentos da aula, ressalta-se ser importante não expor os motivos que levaram à formulação desta atividade. Por isso é importante seguir as orientações, conforme descrito abaixo.

Com os alunos organizados em grupos, projete ou entregue cópias impressas das imagens e suas traduções e lance os questionamentos: Do que trata esta imagem? Quem são as pessoas retratadas? Onde se encontram? O que estão fazendo?

Espera-se que os alunos identifiquem que se trata de um grupo de mulheres argentinas, denominadas “Madres da Plaza de Mayo”, que nas duas situações estavam organizando um protesto. Feito isso, pergunte aos estudantes: Por que acreditam que estas mulheres estavam fazendo estas manifestações? Almeja-se que eles relacionem estes protestos à busca de informações por parte destas mulheres dos filhos e parentes que haviam sido presos. Elas cobravam do governo militar argentino algum tipo de informação, pois acreditavam que seus entes queridos estavam vivos. Deixe que os alunos comentem o que pensam a respeito das imagens e, caso tenham dificuldade para levantar hipóteses sobre o porquê da manifestação, chame a atenção para o texto dos cartazes, que traz estas informações e pode auxiliar nesta interpretação.

Durante a discussão procure ouvir os alunos, verificando o conhecimento prévio que possuem sobre formas as formas de resistência a governos ditatoriais. É possível que façam relação com a ditadura civil-militar vivenciada no Brasil entre os anos de 1964 e 1985, e, caso isso aconteça, aproveite e comente que a partir da década de 1960 os países do chamado Cone Sul vivenciaram experiências de militarização de seus governos, utilizando meios bastante autoritários e repressivos para repudiar todo e qualquer tipo de resistência ou ameaça ao governo. À medida que os alunos forem relatando as suas ideias, você poderá ir registrando no quadro as informações que considerar mais importantes.

Desta maneira, nesta discussão inicial, almeja-se que os alunos consigam identificar a existência do movimento “Madres da Praça de Mayo” e os motivos que levaram estas mulheres a ir ao espaço público de um praça para protestar contra as arbitrariedades e injustiças de um governo autoritário.

Material complementar:

Imagem: Cartaz publicitário do jornal de 1984 sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yHeNGCFNGr9F5JCrszFchRrwyrt4tMBpJbzuxYEbQHew2DbdbVegv7KknQW8/his9-29und01-contexto-1-imagem-cartaz-publicitario.pdf

Imagem: Cartaz da Associação de Mães da Plaza de Mayo convocando para uma manifestação - 1987.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2uJEgpfnJURj3ddu4N4eabsh9wPjZbx7npp8rgpArHamBffJB2QTkMAzZTDD/his9-29und01-contexto-2-imagem-cartaz-da-associacao-de-maes-da-plaza-de-mayo.pdf

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Realizada a discussão inicial, informe aos estudantes que, organizados em equipes, deverão realizar a leitura de dois textos que serão disponibilizados, os quais versam sobre o movimento das Mães da Praça de Maio e suas peculiaridades. Um trata-se de um artigo científico e o outro de um trecho de uma reportagem do periódico El País. Oriente que terão em torno de 8 minutos para realizar a leitura deste texto, a qual deverá ser realizada de maneira bem atenta e detalhada, destacando as informações que julgarem ser mais importantes. Finalizada a leitura, diga que eles terão 5 minutos para construir coletivamente um painel com informações sobre o movimento. Este painel deverá ser dividido em três partes, cada qual respondendo a seguinte assertiva:

  • Qual era a motivação destas mulheres?
  • Quais eram as formas de resistência aplicadas?
  • Qual a importância deste movimento como forma de resistência à ditadura militar instaurada na Argentina entre os anos de 1976-1983?

É importante não mostrar as perguntas antes, pois os alunos poderão direcionar a leitura do texto apenas para responder estas questões. Ressalte que deverá ser construído um único painel para a toda turma e que todas as equipes deverão contribuir com frases, ideias e palavras. Finalizada a construção do painel, organize os alunos em um grande círculo e inicie uma discussão sobre as ideias escritas pelos estudantes, acrescentando ou modificando alguma informação que julgar necessário.

Almeja-se que com esta atividade os alunos consigam identificar e compreender as principais peculiaridades do movimento das mães da Praça de Maio, analisando a importância deste movimento como uma forma de resistência ao regime ditatorial instaurado na Argentina entre os anos de 1976-1983.

Caso os alunos apresentem dificuldades para determinar as principais características de cada texto, chame a atenção para os seguintes trechos de cada documento:

  • Sobre as principais motivações do movimento: “Nada ou pouco sabiam sobre política, mas estavam determinadas a entregar uma carta ao general Jorge Videla, queriam saber o que se passava com os, como acreditavam até então, filhos detidos” e/ou “Continuaram marchando e empunhando cartazes com as fotos dos filhos desaparecidos”.
  • Acerca das principais formas de resistência aplicadas: “O regime ditatorial impedia o agrupamento de mais de três pessoas, portanto, elas não podiam se reunir. Na praça, policiais temerosos de subversão, as obrigavam a andar em círculo. Num movimento de rebeldia, giravam no sentido contrário aos ponteiros do relógio” e/ou “Porém, como encontrar-se e reconhecer-se na multidão? Usando lenços na cabeça. Mas quais e de que cor? Uma das Madres se lembrou das fraldas brancas que acalentaram seus filhos. [...] Esta marca, desde então, sempre as acompanharia” e/ou “Em meio a choros e desesperos, este grupo toma a decisão de rejeitar a exumação dos corpos. Como enfatizou uma das representantes das Madres, ‘aceitar esta morte sem que nos digam quem os matou, era assassiná-los de novo’ (Madres de Plaza de Mayo, 1995: 71)”.
  • Sobre a importância do movimento como forma de resistência à ditadura militar instaurada na Argentina entre os anos de 1976 -1983 “Começaram a ser perseguidas, mas não se intimidaram com a pressão e o terror de Estado. Continuaram marchando e empunhando cartazes com as fotos dos filhos desaparecidos” e/ou “Nos anos que se seguiram, se politizaram ainda mais, adotaram posições políticas e falaram enquanto mães sobre o destino da sociedade. Denunciaram a anistia total acordada aos militares, assim como a emergência de “novos desaparecidos”.
  • Sobre esta questão poderá ser utilizada também um trecho da reportagem do periódico El País que versa sobre o fato de uma das crianças desaparecidas no período ter sido encontrada 42 anos depois, sugerindo assim que o movimento continua atuando de maneira efetiva até os dias atuais, denunciando infratores e buscando informações sobre o paradeiro de pessoas desaparecidas.

Finalizada esta atividade, pergunte para a turma o que eles acharam do conteúdo abordado nos textos e se conseguiram entender a importância do movimento das Mães da Praça de Maio.

Material complementar:

Texto sobre o movimento das mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/djuvVTQ7EstZ2JR3kfZxyXtDxVHZcusvCmhS56DfYp7VJpc34hhBDqHZ5GVm/his9-29und01-problematizacao-1-texto-sobre-o-movimento-das-maes-da-praca-de-maio.pdf

Reportagem sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2KyRhNzT9ERFxzJEYfJ32dnpAYMSJ9Nqyn3VTMVJuATzMQYEUTrt29hbrtmu/his9-29und01-problematizacao-2-reportagem-sobre-as-maes-da-praca-de-maio.pdf

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Realizada a discussão inicial, informe aos estudantes que, organizados em equipes, deverão realizar a leitura de dois textos que serão disponibilizados, os quais versam sobre o movimento das Mães da Praça de Maio e suas peculiaridades. Um trata-se de um artigo científico e o outro de um trecho de uma reportagem do periódico El País. Oriente que terão em torno de 8 minutos para realizar a leitura deste texto, a qual deverá ser realizada de maneira bem atenta e detalhada, destacando as informações que julgarem ser mais importantes. Finalizada a leitura, diga que eles terão 5 minutos para construir coletivamente um painel com informações sobre o movimento. Este painel deverá ser dividido em três partes, cada qual respondendo a seguinte assertiva:

  • Qual era a motivação destas mulheres?
  • Quais eram as formas de resistência aplicadas?
  • Qual a importância deste movimento como forma de resistência à ditadura militar instaurada na Argentina entre os anos de 1976-983?

É importante não mostrar as perguntas antes, pois os alunos poderão direcionar a leitura do texto apenas para responder estas questões. Ressalte que deverá ser construído um único painel para a toda a turma e que todas as equipes deverão contribuir com frases, ideias e palavras. Finalizada a construção do painel, organize os alunos em um grande círculo e inicie uma discussão sobre as ideias escritas pelos estudantes, acrescentando ou modificando alguma informação que julgar necessário.

Almeja-se que com esta atividade os alunos consigam identificar e compreender as principais peculiaridades do movimento das Mães da Praça de Maio, analisando sua importância deste movimento como uma forma de resistência ao regime ditatorial instaurado na Argentina entre os anos de 1976-1983.

Caso os alunos apresentem dificuldades para determinar as principais características de cada texto, chame a atenção para os seguintes trechos de cada documento:

  • Sobre as principais motivações do movimento: “Nada ou pouco sabiam sobre política, mas estavam determinadas a entregar uma carta ao general Jorge Videla, queriam saber o que se passava com os, como acreditavam até então, filhos detidos” e/ou “Continuaram marchando e empunhando cartazes com as fotos dos filhos desaparecidos”.
  • Acerca das principais formas de resistência aplicadas: “O regime ditatorial impedia o agrupamento de mais de três pessoas, portanto, elas não podiam se reunir. Na praça, policiais temerosos de subversão, as obrigavam a andar em círculo. Num movimento de rebeldia, giravam no sentido contrário aos ponteiros do relógio” e/ou “Porém, como encontrar-se e reconhecer-se na multidão? Usando lenços na cabeça. Mas quais e de que cor? Uma das Madres se lembrou das fraldas brancas que acalentaram seus filhos. [...] Esta marca, desde então, sempre as acompanharia” e/ou “Em meio a choros e desesperos, este grupo toma a decisão de rejeitar a exumação dos corpos. Como enfatizou uma das representantes das Madres, ‘aceitar esta morte sem que nos digam quem os matou, era assassiná-los de novo’ (Madres de Plaza de Mayo, 1995: 71)”.
  • Sobre a importância do movimento como forma de resistência à ditadura militar instaurada na Argentina entre os anos de 1976-1983 “Começaram a ser perseguidas, mas não se intimidaram com a pressão e o terror de Estado. Continuaram marchando e empunhando cartazes com as fotos dos filhos desaparecidos” e/ou “Nos anos que se seguiram, se politizaram ainda mais, adotaram posições políticas e falaram enquanto mães sobre o destino da sociedade. Denunciaram a anistia total acordada aos militares, assim como a emergência de “novos desaparecidos”.
  • Sobre esta questão poderá ser utilizada também um trecho da reportagem do periódico El País que versa sobre o fato de uma das crianças desaparecidas no período ter sido encontrada 42 anos depois, sugerindo assim que o movimento continua atuando de maneira efetiva até os dias atuais, denunciando infratores e buscando informações sobre o paradeiro de pessoas desaparecidas.

Finalizada esta atividade, pergunte para a turma o que eles acharam do conteúdo abordado nos textos e se conseguiram entender a importância do movimento das mães da Praça de Maio.

Material complementar:

Texto sobre o movimento das mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/djuvVTQ7EstZ2JR3kfZxyXtDxVHZcusvCmhS56DfYp7VJpc34hhBDqHZ5GVm/his9-29und01-problematizacao-1-texto-sobre-o-movimento-das-maes-da-praca-de-maio.pdf

Reportagem sobre as mães da Praça de Maio.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2KyRhNzT9ERFxzJEYfJ32dnpAYMSJ9Nqyn3VTMVJuATzMQYEUTrt29hbrtmu/his9-29und01-problematizacao-2-reportagem-sobre-as-maes-da-praca-de-maio.pdf

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 17 minutos.

Orientações: Sem desfazer as equipes, lance a proposta de Sistematização. Você pode projetar este slide, entregar cópias impressas dele ao grupo, ou ainda escrever a proposta no quadro. Os alunos serão convidados a produzir um manifesto que represente as causas do movimento das mães da Praça de Maio, para isso disponibilize folhas de papel para cada equipe. Forneça em torno de 10 minutos para que cada equipe realize a elaboração da proposta solicitada. Finalizada a elaboração peça que a sala se organize em um grande círculo novamente, para que cada equipe possa apresentar seu manifesto para a turma.

Ressalte que as discussões feitas no final da etapa anterior devem ser levadas em consideração na montagem deste manifesto.

A expectativa é que os estudantes percebam que o movimento Mães da Praça de Maio teve uma atuação importante que tem efetividade até os dias atuais, pois essas mulheres continuam lutando para que os culpados pelos desaparecimento e morte de seus filhos e parentes sejam responsabilizados pelos crimes praticados. Caso o professor julgue ser interessante, poderá solicitar aos alunos que realizem uma pesquisa sobre a atuação deste movimento nos dias de hoje e quais as conquistas que elas têm conseguido, mesmo tendo se passado tantas décadas desde o fim da ditadura.

Material complementar:

Folhas de ofício tamanho A4.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE A história recente do 9º ano :

MAIS AULAS DE História do 9º ano:

9º ano / História / Modernização, ditadura civil-militar e redemocratização: o Brasil após 1946

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF09HI29 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano