17376
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 8º ano > Conexões e escalas

Plano de aula - Investimentos chineses na África

Plano de aula de Geografia com atividades para 8° ano do Fundamental sobre Compreender os interesses dos investimentos chineses no continente africano e mensurar as consequências desse processo.

Plano 01 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Mariana Soares Domingues

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08GE06 que tem como objetivo analisar a atuação das organizações mundiais nos processos de integração cultural e econômica nos contextos americano e africano, reconhecendo, em seus lugares de vivência, marcas desses processos. Como esta habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. A longo prazo você poderá contemplar a habilidade EF08GE09 que busca analisar os padrões econômicos mundiais de produção, distribuição e intercâmbio dos produtos agrícolas e industrializados, tendo como referência os Estados Unidos da América e os países denominados de Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), ou a habilidade EF08GE14 que diz respeito, entre outras coisas, aos processos de desconcentração, descentralização e recentralização das atividades econômicas a partir do capital estadunidense e chinês em diferentes regiões no mundo.

Materiais necessários: Para o desenvolvimento desse plano os alunos precisarão fazer uma pesquisa prévia. Sugere-se que dividam-se em grupos de 3 a 4 pessoas. Cada grupo irá ler reportagens acerca dos investimentos chineses na África. Essas reportagens deve ser lidas obrigatoriamente para execução desse plano de aula. Se for possível, solicite-os que tragam impresso ou façam anotações/resumo acerca de sua leitura. O resultado final será a construção de um quadro em papel sulfite levantando os principais países africanos onde entram esses investimentos e consequências disso.

Material complementar:

Material para pesquisa: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UsHCPpJaqWR2vXEgXxF6C7cMZywfuxDKJyen7rYFaMmBXfegkHPmNdCjEkJF/geo8-06und01-material-para-pesquisa.pdf

Também nesse material apresenta-se o gráfico do slide 3, a citação do slide 6 e o quadro-síntese de exemplo do slide 7, caso haja interesse na impressão desse material.

Para você saber mais: Além dos links disponíveis das reportagens e notícias para acessar os textos na íntegra (material complementar), você também pode consultar outros textos para ficar mais inteirado sobre o assunto:

BRANCOLI, Fernando. China e os novos investimentos na África: neocolonialismo ou mudanças na arquitetura global? Disponível em: <http://opiniaoenoticia.com.br/economia/negocios/china-e-os-novos-investimentos-na-africa-neocolonialismo-ou-mudancas-na-arquitetura-global/>. Acesso em: 21 fev 2019.

China avança na África: em que sua estratégia é diferente da Ocidental? Sputinik Brasil, 01/08/2018. Disponível em: <https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018080111851848-china-africa-influencia-estrategia-ocidente/>. Acesso em: 21 fev 2019.

OURIQUES, Helton Ricardo; SCHMIDT, Gabriela Bohrer. Presença da China na África: Maldição ou Benção? RDE - Revista de Desenvolvimento Econômico, vol.17, n. 31, 2015. Disponível em: <https://revistas.unifacs.br/index.php/rde/article/view/3581>.

Acesso em 21/02/2019

SANZ, Beatriz. Poder em expansão: China investe pesado na reconquista da África. R7, 10/09/2018. Disponível em: <https://noticias.r7.com/internacional/poder-em-expansao-china-investe-pesado-na-reconquista-da-africa-10092018>. Acesso em: 21 fev 2019. (este artigo apresenta um gráfico que apresenta os empréstimos chineses à África de 2000 a 2016)

SCHWIKOWSKI, Martina. O lado racista da presença chinesa em África. Deutsch Welle, 19/11/2019. Disponível em: <https://www.dw.com/pt-002/o-lado-racista-da-presen%C3%A7a-chinesa-em-%C3%A1frica/a-46363461>. Acesso em 21/02/2019.

Sempre precisam de inimigo: por que presença chinesa na África causa histeria americana? Sputinik Brasil, 28/03/2018. Disponível em:

<https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018032810847079-china-eua-africa-presenca-inimigo-relacoes/>. Acesso em 21 fev 2019.

Xi Jinping em África para cimentar influência chinesa. RTP Notícias, 19/07/2018. Disponível em: <https://www.rtp.pt/noticias/mundo/xi-jinping-em-africa-para-cimentar-influencia-chinesa_n1088423>. Acesso em 21 fev 2019.

Contextos prévios: Para o desenvolvimento desse plano é interessante que o aluno tenha noções de globalização e geopolítica.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Esse plano busca a compreensão dos interesses dos investimentos chineses na África e suas consequências. Comente com os alunos que a ideia é abordar o assunto por meio de reportagens e notícias atuais que tratam sobre esse assunto. Os alunos devem discutir e debater entre si, com base nas leitura, interpretação e análise realizadas das reportagens, desvendando os motivos que levam a esses investimentos, assim como as consequências para os países africanos. Como produto final, espera-se que os alunos montem um quadro que mostre quais são os principais países africanos que recebem esses investimentos e as consequências, tanto positivas quanto negativas desse processo.

Logo, esse plano busca trabalhar com aula invertida, ou seja, exige uma pesquisa prévia dos alunos em casa para realização da aula em sala de aula. Trata-se de uma estratégia de metodologia ativa, mantendo o aluno como protagonista de seu estudo e aprendizagem. Para maior clareza vamos dividir esse plano de aula em etapas:

1. Organize os alunos em trios ou grupos de quatro.

2. Oriente-os a realizar uma pesquisa prévia em casa sobre os investimentos chineses na África. Para isso, consulte o material complementar que recomenda links de reportagens para consulta sobre o tema sugerido. Você pode solicitar uma divisão dos grupos para a pesquisa e leitura dos textos recomendados e outras fontes que encontrarem e acharem adequados. Eles podem fazer uma síntese em casa a respeito do assunto, anotando quais fatores favorecem os investimentos chineses nos países africanos, que países têm maior investimento e as consequências desses nos países. Também podem optar por trazer trechos dos artigos e material de pesquisa copiados ou impressos. Não esqueça de solicitar que anotem a fonte de pesquisa.

3. A partir das leituras, eles irão comparar textos e responder perguntas sugeridas para, como resultado final, produzir um quadro sobre o assunto.

Diferencie para os alunos o conceito de investimentos diretos e indiretos.

Investimentos Diretos são destinados à criação de novas empresas ou à aquisição de cotas ou ações em uma empresa já existente, ou seja, são os investimentos produtivos que têm lucros a longo prazo. Já os Investimentos indiretos são aqueles destinados ao mercado financeiro e de capitais, onde não há necessidade de criar ou adquirir participação em uma empresa, nesse caso africana, ou seja, são os investimentos especulativos que buscam lucros rápidos.

Material para pesquisa: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UsHCPpJaqWR2vXEgXxF6C7cMZywfuxDKJyen7rYFaMmBXfegkHPmNdCjEkJF/geo8-06und01-material-para-pesquisa.pdf

Como adequar à sua realidade: O Brasil também tem investimento na África. Há, por exemplo, alguns projetos associados à produção de cana-de-açúcar para etanol no Quênia. Sobre isso há, na reportagem abaixo, comentários do senador Cristovão Buarque sobre o assunto, que podem ser consultados na íntegra, disponível em:

Comissão debate investimentos e influência chinesa na África. Senado Notícias, 17/04/2018. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2018/04/comissao-debate-investimentos-e-influencia-chinesa-na-africa-1> Acesso em: 21/ fev 2019.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos

Orientações: Neste slide inicial apresenta-se o aumento dos investimentos chineses diretos na África. Apresente-o para os alunos e demonstre que a variação foi de cerca de 1 bilhão de dólares em 2000 para quase 40 bilhões de dólares em 2016. Isso demonstra o grande volume de capital chinês que entra nos países africanos. Se quiser chame atenção para os anos de 2010 e 2018 que houve queda dos investimentos dada a crise financeira mundial.

Para você saber mais:

SANZ, Beatriz. Poder em expansão: China investe pesado na reconquista da África. R7, 10/09/2018. Disponível em: <https://noticias.r7.com/internacional/poder-em-expansao-china-investe-pesado-na-reconquista-da-africa-10092018>. Acesso em: 21 fev 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 14 minutos

Orientações: Após a leitura e pesquisa questione-os com as perguntas sugeridas no slide. Eles devem concluir que os interesses dos chineses estão na exploração de matérias-primas, principalmente recursos minerais e energéticos bastante abundantes nos países africanos, e no aumento de suas exportações para os países africanos, principalmente manufaturados e armas. Em troca de investimentos e empréstimos para construção de infraestrutura - tais como ferrovias, estradas, portos, hidrelétricas, barragens, oleodutos, aeroportos - os chineses buscam acesso ou pagamento por meio de recursos africanos (petróleo, gás natural, diamante, platina, cobre, urânio, madeira, etc) assim como estreitam suas relações comerciais com os países por meio da venda de seus produtos manufaturados (eletrônicos, máquinas, roupas, medicamentos, brinquedos, etc) e até mesmo armas, consolidando sua influência econômica e política chinesa no continente como um todo. Também, empréstimos podem retornar em pagamento de dívidas e juros para os bolsos chineses.

Como exemplo, apresenta-se no slide 5 a imagem da sede da União Africana em Adis Abeba, Etiópia, construída com capital chinês.

Cada notícia aborda essas questões de forma diferente, e uma complementa a outra acerca das informações oferecidas. Por isso, amplie esse debate em sala, solicite que dividam o que encontraram com os outros grupos oralmente. Se trouxerem resumos, sínteses ou as notícias impressas e grifarem em seus textos, podem ter mais facilidade em oralizar o que encontraram como resposta às questões sugeridas.

Para você saber mais:

ALVES, Rafael Queiroz. África e China: relação de benefício mútuo por Rafael queiroz Alves em fevereiro/2018. Disponível em: <https://chinavistos.com.br/africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

África é o novo campo de disputa entre Rússia e China por influência comercial e política. BBC News, 25/08/2019. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-45257031>. Acesso em 21 fev 2019.

DANTAS, Fernando. Influência Chinesa na África. Estadão, 02/04/2015. Disponível em: <https://economia.estadao.com.br/blogs/fernando-dantas/influencia-chinesa-na-africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

FILHO, Floriano. Comissão debate investimentos e influência chinesa na África. Rádio Senado, 17/04/2018 (transcrição de áudio). Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2018/04/comissao-debate-investimentos-e-influencia-chinesa-na-africa-1>. Acesso em 21 fev 2019.

FUMOTO, Victor. Presença chinesa na África e seu crescimento a partir das exportações. China link trader, 06/04/2018. Disponível em: <http://www.chinalinktrading.com/blog/presenca-chinesa-africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

GONÇALVES, Jonuel. Condições do FMI na África atual. África online, 25/10/2018. Disponível em: <http://www.africa21online.com/artigo.php?a=22570&e=Economia>. Acesso em 21 fev 2019.

Na África, China busca mais que matéria-prima. Deutsche Welle, 13/01/2017. Disponível em: <https://www.terra.com.br/noticias/na-africa-china-busca-mais-que-materia-prima,3e28ef5bf520a2c5fc3e016c5276d465dp4dqfw3.html>. Acesso em 21 fev 2019.

Quais são os interesses em jogo no Fórum entre China e África? Disponível em: <https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018090412126059-china-africa-economia-forum-sino-africano-xi-jinping/>. Acesso em 21 fev 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Após a leitura e pesquisa questione-os com as perguntas sugeridas no slide. Eles devem concluir que os interesses dos chineses estão na exploração de matérias-primas, principalmente recursos minerais e energéticos bastante abundantes nos países africanos, e no aumento de suas exportações para os países africanos, principalmente manufaturados e armas. Em troca de investimentos e empréstimos para construção de infraestrutura - tais como ferrovias, estradas, portos, hidrelétricas, barragens, oleodutos, aeroportos - os chineses buscam acesso ou pagamento por meio de recursos africanos (petróleo, gás natural, diamante, platina, cobre, urânio, madeira, etc) assim como estreitam suas relações comerciais com os países por meio da venda de seus produtos manufaturados (eletrônicos, máquinas, roupas, medicamentos, brinquedos, etc) e até mesmo armas, consolidando sua influência econômica e política chinesa no continente como um todo. Também, empréstimos podem retornar em pagamento de dívidas e juros para os bolsos chineses.

Como exemplo, apresenta-se no slide 5 a imagem da sede da União Africana em Adis Abeba, Etiópia, construída com capital chinês.

Cada notícia aborda essas questões de forma diferente, e uma complementa a outra acerca das informações oferecidas. Por isso, amplie esse debate em sala, solicite que dividam o que encontraram com os outros grupos oralmente. Se trouxerem resumos, sínteses ou as notícias impressas e grifarem em seus textos, podem ter mais facilidade em oralizar o que encontraram como resposta às questões sugeridas.

Para você saber mais:

ALVES, Rafael Queiroz. África e China: relação de benefício mútuo por Rafael queiroz Alves em fevereiro/2018. Disponível em: <https://chinavistos.com.br/africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

África é o novo campo de disputa entre Rússia e China por influência comercial e política. BBC News, 25/08/2019. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-45257031>. Acesso em 21 fev 2019.

DANTAS, Fernando. Influência Chinesa na África. Estadão, 02/04/2015. Disponível em: <https://economia.estadao.com.br/blogs/fernando-dantas/influencia-chinesa-na-africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

FILHO, Floriano. Comissão debate investimentos e influência chinesa na África. Rádio Senado, 17/04/2018 (transcrição de áudio). Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2018/04/comissao-debate-investimentos-e-influencia-chinesa-na-africa-1>. Acesso em 21 fev 2019.

FUMOTO, Victor. Presença chinesa na África e seu crescimento a partir das exportações. China link trader, 06/04/2018. Disponível em: <http://www.chinalinktrading.com/blog/presenca-chinesa-africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

GONÇALVES, Jonuel. Condições do FMI na África atual. África online, 25/10/2018. Disponível em: <http://www.africa21online.com/artigo.php?a=22570&e=Economia>. Acesso em 21 fev 2019.

Na África, China busca mais que matéria-prima. Deutsche Welle, 13/01/2017. Disponível em: <https://www.terra.com.br/noticias/na-africa-china-busca-mais-que-materia-prima,3e28ef5bf520a2c5fc3e016c5276d465dp4dqfw3.html>. Acesso em 21 fev 2019.

Quais são os interesses em jogo no Fórum entre China e África? Disponível em: <https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018090412126059-china-africa-economia-forum-sino-africano-xi-jinping/>. Acesso em 21 fev 2019.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: A citação do slide busca chamar atenção agora para as consequências desses investimentos. Leia em voz alta e passe para o próximo slide.

Para você saber mais:

BRANCOLI, Fernando. China e os novos investimentos na África: neocolonialismo ou mudanças na arquitetura global? Disponível em: <http://opiniaoenoticia.com.br/economia/negocios/china-e-os-novos-investimentos-na-africa-neocolonialismo-ou-mudancas-na-arquitetura-global/>. Acesso em: 21 fev 2019.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Após a reflexão sobre o motivo e vantagens que os investimentos chineses buscam nos países do continente africano, os alunos irão pensar sobre as consequências desse processo. Após a leitura da citação do slide anterior, eles devem refletir e montar um quadro acerca das consequências, tanto positivas quanto negativas desses investimentos chineses na África. Há um exemplo do quadro que também sugere colocar os países que foram citados como principais alvos desses investimentos. Como consequências os alunos podem sugerir:

  • Estreitamento das relações comerciais China-África;
  • Ampliação das exportações de manufaturados chineses à África;
  • Maior influência da China na economia dos países africanos;
  • Ameaça a soberania dos países africanos frente aos interesses chineses;
  • Manipulação da ação de governos africanos em favor dos grandes projetos chineses;
  • Influência militar da China nos conflitos africanos;
  • Influência chinesa nas decisões políticas africanas;
  • Endividamento maciço de governos africanos ao capital chinês;
  • Investimentos na infraestrutura africana melhorando a qualidade de vida da população africana;
  • Menor influência de capital europeu ou estadunidense na África;
  • Perda de emprego na África para trabalhadores chineses;
  • Juros menores que os ocidentais nos empréstimos chineses para os países africanos;
  • Ampliação de exportações africanas;
  • Industrialização de algumas áreas do continente africano;
  • Maior cooperação entre os países africanos e China, etc.

Para você saber mais:

BRANCOLI, Fernando. China e os novos investimentos na África: neocolonialismo ou mudanças na arquitetura global? Disponível em: <http://opiniaoenoticia.com.br/economia/negocios/china-e-os-novos-investimentos-na-africa-neocolonialismo-ou-mudancas-na-arquitetura-global/>. Acesso em: 21 fev 2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Para finalizar, os alunos devem apresentar suas conclusões em sala para troca de informações. Como cada reportagem aborda o assunto de forma diferente, haverá diversas consequências levantadas, tanto positivas quanto negativas, depende em que enfoque ou aspectos são abordados. Ao final do debate, eles devem concluir a complexidade e as diversas nuances e contradições de se observar uma mesma questão, sobre pontos de vistas diferentes.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08GE06 que tem como objetivo analisar a atuação das organizações mundiais nos processos de integração cultural e econômica nos contextos americano e africano, reconhecendo, em seus lugares de vivência, marcas desses processos. Como esta habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. A longo prazo você poderá contemplar a habilidade EF08GE09 que busca analisar os padrões econômicos mundiais de produção, distribuição e intercâmbio dos produtos agrícolas e industrializados, tendo como referência os Estados Unidos da América e os países denominados de Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), ou a habilidade EF08GE14 que diz respeito, entre outras coisas, aos processos de desconcentração, descentralização e recentralização das atividades econômicas a partir do capital estadunidense e chinês em diferentes regiões no mundo.

Materiais necessários: Para o desenvolvimento desse plano os alunos precisarão fazer uma pesquisa prévia. Sugere-se que dividam-se em grupos de 3 a 4 pessoas. Cada grupo irá ler reportagens acerca dos investimentos chineses na África. Essas reportagens deve ser lidas obrigatoriamente para execução desse plano de aula. Se for possível, solicite-os que tragam impresso ou façam anotações/resumo acerca de sua leitura. O resultado final será a construção de um quadro em papel sulfite levantando os principais países africanos onde entram esses investimentos e consequências disso.

Material complementar:

Material para pesquisa: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UsHCPpJaqWR2vXEgXxF6C7cMZywfuxDKJyen7rYFaMmBXfegkHPmNdCjEkJF/geo8-06und01-material-para-pesquisa.pdf

Também nesse material apresenta-se o gráfico do slide 3, a citação do slide 6 e o quadro-síntese de exemplo do slide 7, caso haja interesse na impressão desse material.

Para você saber mais: Além dos links disponíveis das reportagens e notícias para acessar os textos na íntegra (material complementar), você também pode consultar outros textos para ficar mais inteirado sobre o assunto:

BRANCOLI, Fernando. China e os novos investimentos na África: neocolonialismo ou mudanças na arquitetura global? Disponível em: <http://opiniaoenoticia.com.br/economia/negocios/china-e-os-novos-investimentos-na-africa-neocolonialismo-ou-mudancas-na-arquitetura-global/>. Acesso em: 21 fev 2019.

China avança na África: em que sua estratégia é diferente da Ocidental? Sputinik Brasil, 01/08/2018. Disponível em: <https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018080111851848-china-africa-influencia-estrategia-ocidente/>. Acesso em: 21 fev 2019.

OURIQUES, Helton Ricardo; SCHMIDT, Gabriela Bohrer. Presença da China na África: Maldição ou Benção? RDE - Revista de Desenvolvimento Econômico, vol.17, n. 31, 2015. Disponível em: <https://revistas.unifacs.br/index.php/rde/article/view/3581>.

Acesso em 21/02/2019

SANZ, Beatriz. Poder em expansão: China investe pesado na reconquista da África. R7, 10/09/2018. Disponível em: <https://noticias.r7.com/internacional/poder-em-expansao-china-investe-pesado-na-reconquista-da-africa-10092018>. Acesso em: 21 fev 2019. (este artigo apresenta um gráfico que apresenta os empréstimos chineses à África de 2000 a 2016)

SCHWIKOWSKI, Martina. O lado racista da presença chinesa em África. Deutsch Welle, 19/11/2019. Disponível em: <https://www.dw.com/pt-002/o-lado-racista-da-presen%C3%A7a-chinesa-em-%C3%A1frica/a-46363461>. Acesso em 21/02/2019.

Sempre precisam de inimigo: por que presença chinesa na África causa histeria americana? Sputinik Brasil, 28/03/2018. Disponível em:

<https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018032810847079-china-eua-africa-presenca-inimigo-relacoes/>. Acesso em 21 fev 2019.

Xi Jinping em África para cimentar influência chinesa. RTP Notícias, 19/07/2018. Disponível em: <https://www.rtp.pt/noticias/mundo/xi-jinping-em-africa-para-cimentar-influencia-chinesa_n1088423>. Acesso em 21 fev 2019.

Contextos prévios: Para o desenvolvimento desse plano é interessante que o aluno tenha noções de globalização e geopolítica.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Esse plano busca a compreensão dos interesses dos investimentos chineses na África e suas consequências. Comente com os alunos que a ideia é abordar o assunto por meio de reportagens e notícias atuais que tratam sobre esse assunto. Os alunos devem discutir e debater entre si, com base nas leitura, interpretação e análise realizadas das reportagens, desvendando os motivos que levam a esses investimentos, assim como as consequências para os países africanos. Como produto final, espera-se que os alunos montem um quadro que mostre quais são os principais países africanos que recebem esses investimentos e as consequências, tanto positivas quanto negativas desse processo.

Logo, esse plano busca trabalhar com aula invertida, ou seja, exige uma pesquisa prévia dos alunos em casa para realização da aula em sala de aula. Trata-se de uma estratégia de metodologia ativa, mantendo o aluno como protagonista de seu estudo e aprendizagem. Para maior clareza vamos dividir esse plano de aula em etapas:

1. Organize os alunos em trios ou grupos de quatro.

2. Oriente-os a realizar uma pesquisa prévia em casa sobre os investimentos chineses na África. Para isso, consulte o material complementar que recomenda links de reportagens para consulta sobre o tema sugerido. Você pode solicitar uma divisão dos grupos para a pesquisa e leitura dos textos recomendados e outras fontes que encontrarem e acharem adequados. Eles podem fazer uma síntese em casa a respeito do assunto, anotando quais fatores favorecem os investimentos chineses nos países africanos, que países têm maior investimento e as consequências desses nos países. Também podem optar por trazer trechos dos artigos e material de pesquisa copiados ou impressos. Não esqueça de solicitar que anotem a fonte de pesquisa.

3. A partir das leituras, eles irão comparar textos e responder perguntas sugeridas para, como resultado final, produzir um quadro sobre o assunto.

Diferencie para os alunos o conceito de investimentos diretos e indiretos.

Investimentos Diretos são destinados à criação de novas empresas ou à aquisição de cotas ou ações em uma empresa já existente, ou seja, são os investimentos produtivos que têm lucros a longo prazo. Já os Investimentos indiretos são aqueles destinados ao mercado financeiro e de capitais, onde não há necessidade de criar ou adquirir participação em uma empresa, nesse caso africana, ou seja, são os investimentos especulativos que buscam lucros rápidos.

Material para pesquisa: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UsHCPpJaqWR2vXEgXxF6C7cMZywfuxDKJyen7rYFaMmBXfegkHPmNdCjEkJF/geo8-06und01-material-para-pesquisa.pdf

Como adequar à sua realidade: O Brasil também tem investimento na África. Há, por exemplo, alguns projetos associados à produção de cana-de-açúcar para etanol no Quênia. Sobre isso há, na reportagem abaixo, comentários do senador Cristovão Buarque sobre o assunto, que podem ser consultados na íntegra, disponível em:

Comissão debate investimentos e influência chinesa na África. Senado Notícias, 17/04/2018. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2018/04/comissao-debate-investimentos-e-influencia-chinesa-na-africa-1> Acesso em: 21/ fev 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos

Orientações: Neste slide inicial apresenta-se o aumento dos investimentos chineses diretos na África. Apresente-o para os alunos e demonstre que a variação foi de cerca de 1 bilhão de dólares em 2000 para quase 40 bilhões de dólares em 2016. Isso demonstra o grande volume de capital chinês que entra nos países africanos. Se quiser chame atenção para os anos de 2010 e 2018 que houve queda dos investimentos dada a crise financeira mundial.

Para você saber mais:

SANZ, Beatriz. Poder em expansão: China investe pesado na reconquista da África. R7, 10/09/2018. Disponível em: <https://noticias.r7.com/internacional/poder-em-expansao-china-investe-pesado-na-reconquista-da-africa-10092018>. Acesso em: 21 fev 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 14 minutos

Orientações: Após a leitura e pesquisa questione-os com as perguntas sugeridas no slide. Eles devem concluir que os interesses dos chineses estão na exploração de matérias-primas, principalmente recursos minerais e energéticos bastante abundantes nos países africanos, e no aumento de suas exportações para os países africanos, principalmente manufaturados e armas. Em troca de investimentos e empréstimos para construção de infraestrutura - tais como ferrovias, estradas, portos, hidrelétricas, barragens, oleodutos, aeroportos - os chineses buscam acesso ou pagamento por meio de recursos africanos (petróleo, gás natural, diamante, platina, cobre, urânio, madeira, etc) assim como estreitam suas relações comerciais com os países por meio da venda de seus produtos manufaturados (eletrônicos, máquinas, roupas, medicamentos, brinquedos, etc) e até mesmo armas, consolidando sua influência econômica e política chinesa no continente como um todo. Também, empréstimos podem retornar em pagamento de dívidas e juros para os bolsos chineses.

Como exemplo, apresenta-se no slide 5 a imagem da sede da União Africana em Adis Abeba, Etiópia, construída com capital chinês.

Cada notícia aborda essas questões de forma diferente, e uma complementa a outra acerca das informações oferecidas. Por isso, amplie esse debate em sala, solicite que dividam o que encontraram com os outros grupos oralmente. Se trouxerem resumos, sínteses ou as notícias impressas e grifarem em seus textos, podem ter mais facilidade em oralizar o que encontraram como resposta às questões sugeridas.

Para você saber mais:

ALVES, Rafael Queiroz. África e China: relação de benefício mútuo por Rafael queiroz Alves em fevereiro/2018. Disponível em: <https://chinavistos.com.br/africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

África é o novo campo de disputa entre Rússia e China por influência comercial e política. BBC News, 25/08/2019. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-45257031>. Acesso em 21 fev 2019.

DANTAS, Fernando. Influência Chinesa na África. Estadão, 02/04/2015. Disponível em: <https://economia.estadao.com.br/blogs/fernando-dantas/influencia-chinesa-na-africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

FILHO, Floriano. Comissão debate investimentos e influência chinesa na África. Rádio Senado, 17/04/2018 (transcrição de áudio). Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2018/04/comissao-debate-investimentos-e-influencia-chinesa-na-africa-1>. Acesso em 21 fev 2019.

FUMOTO, Victor. Presença chinesa na África e seu crescimento a partir das exportações. China link trader, 06/04/2018. Disponível em: <http://www.chinalinktrading.com/blog/presenca-chinesa-africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

GONÇALVES, Jonuel. Condições do FMI na África atual. África online, 25/10/2018. Disponível em: <http://www.africa21online.com/artigo.php?a=22570&e=Economia>. Acesso em 21 fev 2019.

Na África, China busca mais que matéria-prima. Deutsche Welle, 13/01/2017. Disponível em: <https://www.terra.com.br/noticias/na-africa-china-busca-mais-que-materia-prima,3e28ef5bf520a2c5fc3e016c5276d465dp4dqfw3.html>. Acesso em 21 fev 2019.

Quais são os interesses em jogo no Fórum entre China e África? Disponível em: <https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018090412126059-china-africa-economia-forum-sino-africano-xi-jinping/>. Acesso em 21 fev 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Após a leitura e pesquisa questione-os com as perguntas sugeridas no slide. Eles devem concluir que os interesses dos chineses estão na exploração de matérias-primas, principalmente recursos minerais e energéticos bastante abundantes nos países africanos, e no aumento de suas exportações para os países africanos, principalmente manufaturados e armas. Em troca de investimentos e empréstimos para construção de infraestrutura - tais como ferrovias, estradas, portos, hidrelétricas, barragens, oleodutos, aeroportos - os chineses buscam acesso ou pagamento por meio de recursos africanos (petróleo, gás natural, diamante, platina, cobre, urânio, madeira, etc) assim como estreitam suas relações comerciais com os países por meio da venda de seus produtos manufaturados (eletrônicos, máquinas, roupas, medicamentos, brinquedos, etc) e até mesmo armas, consolidando sua influência econômica e política chinesa no continente como um todo. Também, empréstimos podem retornar em pagamento de dívidas e juros para os bolsos chineses.

Como exemplo, apresenta-se no slide 5 a imagem da sede da União Africana em Adis Abeba, Etiópia, construída com capital chinês.

Cada notícia aborda essas questões de forma diferente, e uma complementa a outra acerca das informações oferecidas. Por isso, amplie esse debate em sala, solicite que dividam o que encontraram com os outros grupos oralmente. Se trouxerem resumos, sínteses ou as notícias impressas e grifarem em seus textos, podem ter mais facilidade em oralizar o que encontraram como resposta às questões sugeridas.

Para você saber mais:

ALVES, Rafael Queiroz. África e China: relação de benefício mútuo por Rafael queiroz Alves em fevereiro/2018. Disponível em: <https://chinavistos.com.br/africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

África é o novo campo de disputa entre Rússia e China por influência comercial e política. BBC News, 25/08/2019. Disponível em: https://www.bbc.com/portuguese/internacional-45257031>. Acesso em 21 fev 2019.

DANTAS, Fernando. Influência Chinesa na África. Estadão, 02/04/2015. Disponível em: <https://economia.estadao.com.br/blogs/fernando-dantas/influencia-chinesa-na-africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

FILHO, Floriano. Comissão debate investimentos e influência chinesa na África. Rádio Senado, 17/04/2018 (transcrição de áudio). Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/noticias/audios/2018/04/comissao-debate-investimentos-e-influencia-chinesa-na-africa-1>. Acesso em 21 fev 2019.

FUMOTO, Victor. Presença chinesa na África e seu crescimento a partir das exportações. China link trader, 06/04/2018. Disponível em: <http://www.chinalinktrading.com/blog/presenca-chinesa-africa/>. Acesso em 21 fev 2019.

GONÇALVES, Jonuel. Condições do FMI na África atual. África online, 25/10/2018. Disponível em: <http://www.africa21online.com/artigo.php?a=22570&e=Economia>. Acesso em 21 fev 2019.

Na África, China busca mais que matéria-prima. Deutsche Welle, 13/01/2017. Disponível em: <https://www.terra.com.br/noticias/na-africa-china-busca-mais-que-materia-prima,3e28ef5bf520a2c5fc3e016c5276d465dp4dqfw3.html>. Acesso em 21 fev 2019.

Quais são os interesses em jogo no Fórum entre China e África? Disponível em: <https://br.sputniknews.com/oriente_medio_africa/2018090412126059-china-africa-economia-forum-sino-africano-xi-jinping/>. Acesso em 21 fev 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: A citação do slide busca chamar atenção agora para as consequências desses investimentos. Leia em voz alta e passe para o próximo slide.

Para você saber mais:

BRANCOLI, Fernando. China e os novos investimentos na África: neocolonialismo ou mudanças na arquitetura global? Disponível em: <http://opiniaoenoticia.com.br/economia/negocios/china-e-os-novos-investimentos-na-africa-neocolonialismo-ou-mudancas-na-arquitetura-global/>. Acesso em: 21 fev 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Após a reflexão sobre o motivo e vantagens que os investimentos chineses buscam nos países do continente africano, os alunos irão pensar sobre as consequências desse processo. Após a leitura da citação do slide anterior, eles devem refletir e montar um quadro acerca das consequências, tanto positivas quanto negativas desses investimentos chineses na África. Há um exemplo do quadro que também sugere colocar os países que foram citados como principais alvos desses investimentos. Como consequências os alunos podem sugerir:

  • Estreitamento das relações comerciais China-África;
  • Ampliação das exportações de manufaturados chineses à África;
  • Maior influência da China na economia dos países africanos;
  • Ameaça a soberania dos países africanos frente aos interesses chineses;
  • Manipulação da ação de governos africanos em favor dos grandes projetos chineses;
  • Influência militar da China nos conflitos africanos;
  • Influência chinesa nas decisões políticas africanas;
  • Endividamento maciço de governos africanos ao capital chinês;
  • Investimentos na infraestrutura africana melhorando a qualidade de vida da população africana;
  • Menor influência de capital europeu ou estadunidense na África;
  • Perda de emprego na África para trabalhadores chineses;
  • Juros menores que os ocidentais nos empréstimos chineses para os países africanos;
  • Ampliação de exportações africanas;
  • Industrialização de algumas áreas do continente africano;
  • Maior cooperação entre os países africanos e China, etc.

Para você saber mais:

BRANCOLI, Fernando. China e os novos investimentos na África: neocolonialismo ou mudanças na arquitetura global? Disponível em: <http://opiniaoenoticia.com.br/economia/negocios/china-e-os-novos-investimentos-na-africa-neocolonialismo-ou-mudancas-na-arquitetura-global/>. Acesso em: 21 fev 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Para finalizar, os alunos devem apresentar suas conclusões em sala para troca de informações. Como cada reportagem aborda o assunto de forma diferente, haverá diversas consequências levantadas, tanto positivas quanto negativas, depende em que enfoque ou aspectos são abordados. Ao final do debate, eles devem concluir a complexidade e as diversas nuances e contradições de se observar uma mesma questão, sobre pontos de vistas diferentes.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Conexões e escalas do 8º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08GE06 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano