17370
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 8º ano > Conexões e escalas

Plano de aula - A soberania dos Estados Unidos na América Latina, no período da Guerra Fria

Plano de aula de Geografia com atividades para 8° ano do Fundamental sobre Apresentar como a soberania dos Estados Unidos foi exercida sobre os países da América Latina, durante da Guerra Fria.

Plano 02 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ricardo Quirino Alves De Sousa

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08GE08 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. Espera-se que os alunos possam analisar, como a soberania dos Estados Unidos prevaleceu na América Latina, durante a Guerra Fria, no campo econômico e político, colocando em prática uma série de doutrinas como a Doutrina Truman, a Aliança para o progresso na América Latina e a doutrina de segurança nacional. Além de direcionamentos a fim de alinhar a região ao bloco capitalista e suas práticas.

Materiais necessários: Lápis, borracha e material impresso da ação propositiva.

Material complementar:

Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/aFTqMFNWwHfFrJUmE6p3Qj69FzJC2NauyHuDTAgHbhfbfWGwmvBAshVVeYxZ/geo8-08und02-contextualizacao.pdf

Ação Propositiva: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jCNCJeyCMGgDjCKhEqX8vFChbQqtjYQZAzP7ZJbhE83zMUX7rb4PbxUMUGpD/geo8-08und02-acao-propositiva.pdf

Para você saber mais:

AVILA DE MATTOS, Eloiza Ap. Silva. O Programa “Aliança para o Progresso”: o discurso civilizador na imprensa e a educação profissional no Paraná-Brasil. In: XI Simposio Internacional Proceso Civilizador, Buenos Aires - Argentina, 2008. pp.359-361. Disponível em: <http://www.uel.br/grupo-estudo/processoscivilizadores/portugues/sitesanais/anais11/artigos/38%20-%20Matos.pdf>. Acesso em: 17 mar 2019.

FREITAS, Eduardo de. Canal do Panamá. Mundo Educação. Disponível em: <https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/canal-panama.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

PADRÓS, Enrique Serra. A ditadura civil-militar uruguaia: doutrina e segurança nacional. Varia História, Belo Horizonte, vol.28, n.48, pp.495-517, jul/dez 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/vh/v28n48/02.pdf>. Acesso em: 21 mar 2019.

PERCÍLIA, Eliene. Doutrina Truman. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/doutrina-truman.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

PINTO, Tales dos Santos. O que é Plano Marshall? Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/historia/o-que-e-plano-marshall.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

RAPOPORT, Mario; LAUFER, Rubén. Os Estados Unidos diante do Brasil e da Argentina: os golpes militares da década de 1960. Rev. bras. polít. int., Brasília-DF, v. 43, n. , p. 69-98, junho 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-73292000000100004>. Acesso em: 18 mar 2019.

STEPHAN, Cláudia. A ideologia da bipolaridade: a introdução da Doutrina de Segurança Nacional (DNS) e as implicações para a democracia no Brasil. In: I Seminário Internacional de Ciência Política, UFRGS, Porto Alegre - RS, 2015. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/sicp/wp-content/uploads/2015/09/STEPHAN-A-Ideologia-da-Bipolaridade_a-Introdu%C3%A7%C3%A3o-da-Doutrina-de-Seguran%C3%A7a-Nacional-DSN-e-as-Implica%C3%A7%C3%B5es-para-a-Democracia-no-Brasil.pdf>. Acesso em: 17 mar 2019.

TIBOLA, Ana Paula L. A Escola Superior de Guerra e a Doutrina de Segurança Nacional. Dissertação (Mestrado em História), Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo-RS, 2007. Disponível em: <https://secure.upf.br/tede/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=112>. Acesso em: 21 mar 2019.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos

Orientações: Projete ou escreva o tema.

Questione os alunos sobre o conceito de imperialismo, em caso de dúvida explique que é uma forma de um país exerce seu poder sobre outro país, a partir da influência direta ou indireta, com atuação em vários ramos seja territorial, militar, econômico, político, ideológico. Observe ainda, que na América Latina, o exercício da soberania americana se deu de forma direta (como no caso do canal do Panamá) ou indireta (com incentivo a regimes autoritários de cunho militar como no caso do Chile e da Argentina).

Para você saber mais:

FREITAS, Eduardo de. Canal do Panamá. Mundo Educação. Disponível em: <https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/canal-panama.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 6 minutos

Orientações: Explique que entende-se por doutrina um conjunto ideias e práticas a serem tomadas que direcionam um alinhamento, como a doutrina Truman idealizada a partir do presidente Harry S. Truman em 1947 que propôs uma política externa dura de combate ao avanço da U.R.S.S. (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). Neste sentido, a doutrina tinha como objetivo conter as possíveis aspirações do bloco socialista e teve como instrumento para Europa, em primeiro lugar, o Plano Marshall, que visava reconstruir a economia europeia a partir de investimentos em infraestrutura, criação de parques industriais e fomento ao estado de bem estar social, que posteriormente foi crucial para a consolidação da transnacionalização do capital, que influenciou diretamente o fim da U.R.S.S.

Ao longo do tempo surgiram ações para América Latina como a Aliança para o Progresso em 1961, com objetivo de apoiar economicamente esses países, porém não teve o mesmo resultado que na Europa, mas sim gerou mais desempregos e crises. Com isso, grupos ligados à esquerda socialista aumentaram e gerou o temor na mudança de alinhamento do governo ao bloco socialista. Os Estados Unidos fomentaram uma série de golpes militares, forçando o realinhamento da geopolítica da região em países como Brasil, Chile, Argentina, Uruguai.

Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/aFTqMFNWwHfFrJUmE6p3Qj69FzJC2NauyHuDTAgHbhfbfWGwmvBAshVVeYxZ/geo8-08und02-contextualizacao.pdf

Para você saber mais:

John Kennedy cria aliança para o progresso visando conter o comunismo. O Globo (acervo). Disponível em: <ttps://acervo.oglobo.globo.com/fatos-historicos/john-kennedy-cria-alianca-para-progresso-visando-conter-comunismo-10005300>. Acesso em: 18 mar 2019.

PERCÍLIA, Eliene. Doutrina Truman. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/doutrina-truman.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

PINTO, Tales dos Santos. O que é Plano Marshall? Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/historia/o-que-e-plano-marshall.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Explique que entende-se por doutrina um conjunto ideias e práticas a serem tomadas que direcionam um alinhamento, como a doutrina Truman idealizada a partir do presidente Harry S. Truman em 1947 que propôs uma política externa dura de combate ao avanço da U.R.S.S. (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). Neste sentido, a doutrina tinha como objetivo conter as possíveis aspirações do bloco socialista e teve como instrumento para Europa, em primeiro lugar, o Plano Marshall, que visava reconstruir a economia europeia a partir de investimentos em infraestrutura, criação de parques industriais e fomento ao estado de bem estar social, que posteriormente foi crucial para a consolidação da transnacionalização do capital, que influenciou diretamente o fim da U.R.S.S.

Ao longo do tempo surgiram ações para América Latina como a Aliança para o Progresso em 1961, com objetivo de apoiar economicamente esses países, porém não teve o mesmo resultado que na Europa, mas sim gerou mais desempregos e crises. Com isso, grupos ligados à esquerda socialista aumentaram e gerou o temor na mudança de alinhamento do governo ao bloco socialista. Os Estados Unidos fomentaram uma série de golpes militares, forçando o realinhamento da geopolítica da região em países como Brasil, Chile, Argentina, Uruguai.

Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/aFTqMFNWwHfFrJUmE6p3Qj69FzJC2NauyHuDTAgHbhfbfWGwmvBAshVVeYxZ/geo8-08und02-contextualizacao.pdf

Para você saber mais:

John Kennedy cria aliança para o progresso visando conter o comunismo. O Globo (acervo). Disponível em: <ttps://acervo.oglobo.globo.com/fatos-historicos/john-kennedy-cria-alianca-para-progresso-visando-conter-comunismo-10005300>. Acesso em: 18 mar 2019.

PERCÍLIA, Eliene. Doutrina Truman. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/doutrina-truman.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

PINTO, Tales dos Santos. O que é Plano Marshall? Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/historia/o-que-e-plano-marshall.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações: Deixe a turma responder a problematização. Depois, explique aos alunos que atuação dos Estados Unidos tinha uma orientação semelhante para conduzir seja a economia, sejam as questões militares e de ordem política e social, a partir da imposição e domínio das instituições dos países, a fim de produzir um alinhamento geopolítico com políticas nacionalistas e conservadoras a partir de empréstimos que geraram o endividamento dos países da América Latina, além do recrudescimento da ação do poder de polícia ao conduzir tortura e repressão a quem se posicionasse contra a ordem capitalista.

Para você saber mais:

PADRÓS, Enrique Serra. A ditadura civil-militar uruguaia: doutrina e segurança nacional. Varia História, Belo Horizonte, vol.28, n.48, pp.495-517, jul/dez 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/vh/v28n48/02.pdf>. Acesso em: 21 mar 2019.

TIBOLA, Ana Paula L. A Escola Superior de Guerra e a Doutrina de Segurança Nacional. Dissertação (Mestrado em História), Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo-RS, 2007. Disponível em: <https://secure.upf.br/tede/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=112>. Acesso em: 21 mar 2019.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 32 minutos

Orientações: Forme grupos de 4 a 5 alunos. Cada grupo ocupará uma estação de trabalho. Caso tenha mais grupos repita as estações, de modo que todos os grupos transitem pelas quatro estações durante os 32 minutos. Imprima as perguntas e entregue para cada grupo, observando o tempo disponível para a resolução, totalizando 8 minutos para cada estação. Marque o tempo e avise o início da atividade. Ao final dos 8 minutos, recolha as questões e redistribua, ou solicite aos alunos para que eles se desloquem pelas estações. Para isso deixe sala organizada em agrupamentos antes do início da aula.

Ação Propositiva: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jCNCJeyCMGgDjCKhEqX8vFChbQqtjYQZAzP7ZJbhE83zMUX7rb4PbxUMUGpD/geo8-08und02-acao-propositiva.pdf

Para você saber mais:

BRAGA, Paulo Romeu. Os interesses econômicos dos Estados Unidos e a segurança interna no Brasil entre 1946 e 1964: uma análise sobre os limites entre diplomacia coercitiva e operações encobertas. Rev. bras. polít. int., Brasília, v.45, n.2, p.46-65, Dec. 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-73292002000200003>. Acesso em: 18 mar 2019.

RAPOPORT, Mario; LAUFER, Rubén. Os Estados Unidos diante do Brasil e da Argentina: os golpes militares da década de 1960. Rev. bras. polít. int., Brasília-DF, v. 43, n. , p. 69-98, junho 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-73292000000100004>. Acesso em: 18 mar 2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Solicite que dois grupos leiam o que concluíram sobre as 4 estações. Neste sentido, os alunos perceberão que apesar de países diferentes, todos sofreram forte influência dos Estados Unidos, seja a partir das imposição do desenvolvimento da economia, seja pela imposição dos regimes autoritários, o que reforçou o domínio do bloco alinhado ao capitalismo, solidificado a hegemonia dos Estados Unidos na região.

De maneira direta, os regimes ditatoriais foram marcados por crescimento econômico pautados em financiamentos externo, gerando dívida e aumento do abismo social nos países como Brasil e Argentina, além de muita repressão a possíveis oposições alinhadas ao socialismo que surgiam. Se sobrar tempo peça que os demais grupos expliquem o que fizeram ou recolha as atividades e forneça um feedback para os outros grupos na próxima aula.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08GE08 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. Espera-se que os alunos possam analisar, como a soberania dos Estados Unidos prevaleceu na América Latina, durante a Guerra Fria, no campo econômico e político, colocando em prática uma série de doutrinas como a Doutrina Truman, a Aliança para o progresso na América Latina e a doutrina de segurança nacional. Além de direcionamentos a fim de alinhar a região ao bloco capitalista e suas práticas.

Materiais necessários: Lápis, borracha e material impresso da ação propositiva.

Material complementar:

Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/aFTqMFNWwHfFrJUmE6p3Qj69FzJC2NauyHuDTAgHbhfbfWGwmvBAshVVeYxZ/geo8-08und02-contextualizacao.pdf

Ação Propositiva: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jCNCJeyCMGgDjCKhEqX8vFChbQqtjYQZAzP7ZJbhE83zMUX7rb4PbxUMUGpD/geo8-08und02-acao-propositiva.pdf

Para você saber mais:

AVILA DE MATTOS, Eloiza Ap. Silva. O Programa “Aliança para o Progresso”: o discurso civilizador na imprensa e a educação profissional no Paraná-Brasil. In: XI Simposio Internacional Proceso Civilizador, Buenos Aires - Argentina, 2008. pp.359-361. Disponível em: <http://www.uel.br/grupo-estudo/processoscivilizadores/portugues/sitesanais/anais11/artigos/38%20-%20Matos.pdf>. Acesso em: 17 mar 2019.

FREITAS, Eduardo de. Canal do Panamá. Mundo Educação. Disponível em: <https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/canal-panama.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

PADRÓS, Enrique Serra. A ditadura civil-militar uruguaia: doutrina e segurança nacional. Varia História, Belo Horizonte, vol.28, n.48, pp.495-517, jul/dez 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/vh/v28n48/02.pdf>. Acesso em: 21 mar 2019.

PERCÍLIA, Eliene. Doutrina Truman. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/doutrina-truman.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

PINTO, Tales dos Santos. O que é Plano Marshall? Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/historia/o-que-e-plano-marshall.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

RAPOPORT, Mario; LAUFER, Rubén. Os Estados Unidos diante do Brasil e da Argentina: os golpes militares da década de 1960. Rev. bras. polít. int., Brasília-DF, v. 43, n. , p. 69-98, junho 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-73292000000100004>. Acesso em: 18 mar 2019.

STEPHAN, Cláudia. A ideologia da bipolaridade: a introdução da Doutrina de Segurança Nacional (DNS) e as implicações para a democracia no Brasil. In: I Seminário Internacional de Ciência Política, UFRGS, Porto Alegre - RS, 2015. Disponível em: <https://www.ufrgs.br/sicp/wp-content/uploads/2015/09/STEPHAN-A-Ideologia-da-Bipolaridade_a-Introdu%C3%A7%C3%A3o-da-Doutrina-de-Seguran%C3%A7a-Nacional-DSN-e-as-Implica%C3%A7%C3%B5es-para-a-Democracia-no-Brasil.pdf>. Acesso em: 17 mar 2019.

TIBOLA, Ana Paula L. A Escola Superior de Guerra e a Doutrina de Segurança Nacional. Dissertação (Mestrado em História), Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo-RS, 2007. Disponível em: <https://secure.upf.br/tede/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=112>. Acesso em: 21 mar 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos

Orientações: Projete ou escreva o tema.

Questione os alunos sobre o conceito de imperialismo, em caso de dúvida explique que é uma forma de um país exerce seu poder sobre outro país, a partir da influência direta ou indireta, com atuação em vários ramos seja territorial, militar, econômico, político, ideológico. Observe ainda, que na América Latina, o exercício da soberania americana se deu de forma direta (como no caso do canal do Panamá) ou indireta (com incentivo a regimes autoritários de cunho militar como no caso do Chile e da Argentina).

Para você saber mais:

FREITAS, Eduardo de. Canal do Panamá. Mundo Educação. Disponível em: <https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/geografia/canal-panama.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 6 minutos

Orientações: Explique que entende-se por doutrina um conjunto ideias e práticas a serem tomadas que direcionam um alinhamento, como a doutrina Truman idealizada a partir do presidente Harry S. Truman em 1947 que propôs uma política externa dura de combate ao avanço da U.R.S.S. (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). Neste sentido, a doutrina tinha como objetivo conter as possíveis aspirações do bloco socialista e teve como instrumento para Europa, em primeiro lugar, o Plano Marshall, que visava reconstruir a economia europeia a partir de investimentos em infraestrutura, criação de parques industriais e fomento ao estado de bem estar social, que posteriormente foi crucial para a consolidação da transnacionalização do capital, que influenciou diretamente o fim da U.R.S.S.

Ao longo do tempo surgiram ações para América Latina como a Aliança para o Progresso em 1961, com objetivo de apoiar economicamente esses países, porém não teve o mesmo resultado que na Europa, mas sim gerou mais desempregos e crises. Com isso, grupos ligados à esquerda socialista aumentaram e gerou o temor na mudança de alinhamento do governo ao bloco socialista. Os Estados Unidos fomentaram uma série de golpes militares, forçando o realinhamento da geopolítica da região em países como Brasil, Chile, Argentina, Uruguai.

Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/aFTqMFNWwHfFrJUmE6p3Qj69FzJC2NauyHuDTAgHbhfbfWGwmvBAshVVeYxZ/geo8-08und02-contextualizacao.pdf

Para você saber mais:

John Kennedy cria aliança para o progresso visando conter o comunismo. O Globo (acervo). Disponível em: <ttps://acervo.oglobo.globo.com/fatos-historicos/john-kennedy-cria-alianca-para-progresso-visando-conter-comunismo-10005300>. Acesso em: 18 mar 2019.

PERCÍLIA, Eliene. Doutrina Truman. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/doutrina-truman.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

PINTO, Tales dos Santos. O que é Plano Marshall? Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/historia/o-que-e-plano-marshall.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Explique que entende-se por doutrina um conjunto ideias e práticas a serem tomadas que direcionam um alinhamento, como a doutrina Truman idealizada a partir do presidente Harry S. Truman em 1947 que propôs uma política externa dura de combate ao avanço da U.R.S.S. (União das Repúblicas Socialistas Soviéticas). Neste sentido, a doutrina tinha como objetivo conter as possíveis aspirações do bloco socialista e teve como instrumento para Europa, em primeiro lugar, o Plano Marshall, que visava reconstruir a economia europeia a partir de investimentos em infraestrutura, criação de parques industriais e fomento ao estado de bem estar social, que posteriormente foi crucial para a consolidação da transnacionalização do capital, que influenciou diretamente o fim da U.R.S.S.

Ao longo do tempo surgiram ações para América Latina como a Aliança para o Progresso em 1961, com objetivo de apoiar economicamente esses países, porém não teve o mesmo resultado que na Europa, mas sim gerou mais desempregos e crises. Com isso, grupos ligados à esquerda socialista aumentaram e gerou o temor na mudança de alinhamento do governo ao bloco socialista. Os Estados Unidos fomentaram uma série de golpes militares, forçando o realinhamento da geopolítica da região em países como Brasil, Chile, Argentina, Uruguai.

Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/aFTqMFNWwHfFrJUmE6p3Qj69FzJC2NauyHuDTAgHbhfbfWGwmvBAshVVeYxZ/geo8-08und02-contextualizacao.pdf

Para você saber mais:

John Kennedy cria aliança para o progresso visando conter o comunismo. O Globo (acervo). Disponível em: <ttps://acervo.oglobo.globo.com/fatos-historicos/john-kennedy-cria-alianca-para-progresso-visando-conter-comunismo-10005300>. Acesso em: 18 mar 2019.

PERCÍLIA, Eliene. Doutrina Truman. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/doutrina-truman.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

PINTO, Tales dos Santos. O que é Plano Marshall? Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/o-que-e/historia/o-que-e-plano-marshall.htm>. Acesso em: 18 mar 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações: Deixe a turma responder a problematização. Depois, explique aos alunos que atuação dos Estados Unidos tinha uma orientação semelhante para conduzir seja a economia, sejam as questões militares e de ordem política e social, a partir da imposição e domínio das instituições dos países, a fim de produzir um alinhamento geopolítico com políticas nacionalistas e conservadoras a partir de empréstimos que geraram o endividamento dos países da América Latina, além do recrudescimento da ação do poder de polícia ao conduzir tortura e repressão a quem se posicionasse contra a ordem capitalista.

Para você saber mais:

PADRÓS, Enrique Serra. A ditadura civil-militar uruguaia: doutrina e segurança nacional. Varia História, Belo Horizonte, vol.28, n.48, pp.495-517, jul/dez 2012. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/vh/v28n48/02.pdf>. Acesso em: 21 mar 2019.

TIBOLA, Ana Paula L. A Escola Superior de Guerra e a Doutrina de Segurança Nacional. Dissertação (Mestrado em História), Universidade de Passo Fundo, Passo Fundo-RS, 2007. Disponível em: <https://secure.upf.br/tede/tde_busca/arquivo.php?codArquivo=112>. Acesso em: 21 mar 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 32 minutos

Orientações: Forme grupos de 4 a 5 alunos. Cada grupo ocupará uma estação de trabalho. Caso tenha mais grupos repita as estações, de modo que todos os grupos transitem pelas quatro estações durante os 32 minutos. Imprima as perguntas e entregue para cada grupo, observando o tempo disponível para a resolução, totalizando 8 minutos para cada estação. Marque o tempo e avise o início da atividade. Ao final dos 8 minutos, recolha as questões e redistribua, ou solicite aos alunos para que eles se desloquem pelas estações. Para isso deixe sala organizada em agrupamentos antes do início da aula.

Ação Propositiva: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jCNCJeyCMGgDjCKhEqX8vFChbQqtjYQZAzP7ZJbhE83zMUX7rb4PbxUMUGpD/geo8-08und02-acao-propositiva.pdf

Para você saber mais:

BRAGA, Paulo Romeu. Os interesses econômicos dos Estados Unidos e a segurança interna no Brasil entre 1946 e 1964: uma análise sobre os limites entre diplomacia coercitiva e operações encobertas. Rev. bras. polít. int., Brasília, v.45, n.2, p.46-65, Dec. 2002. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-73292002000200003>. Acesso em: 18 mar 2019.

RAPOPORT, Mario; LAUFER, Rubén. Os Estados Unidos diante do Brasil e da Argentina: os golpes militares da década de 1960. Rev. bras. polít. int., Brasília-DF, v. 43, n. , p. 69-98, junho 2000. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-73292000000100004>. Acesso em: 18 mar 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Solicite que dois grupos leiam o que concluíram sobre as 4 estações. Neste sentido, os alunos perceberão que apesar de países diferentes, todos sofreram forte influência dos Estados Unidos, seja a partir das imposição do desenvolvimento da economia, seja pela imposição dos regimes autoritários, o que reforçou o domínio do bloco alinhado ao capitalismo, solidificado a hegemonia dos Estados Unidos na região.

De maneira direta, os regimes ditatoriais foram marcados por crescimento econômico pautados em financiamentos externo, gerando dívida e aumento do abismo social nos países como Brasil e Argentina, além de muita repressão a possíveis oposições alinhadas ao socialismo que surgiam. Se sobrar tempo peça que os demais grupos expliquem o que fizeram ou recolha as atividades e forneça um feedback para os outros grupos na próxima aula.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Conexões e escalas do 8º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08GE08 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano