17147
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 7º ano > Mundo do trabalho

Plano de aula - Desigualdade no Brasil

Plano de aula de Geografia com atividades para 7º ano do Fundamental sobre analisar as desigualdades na distribuição de renda no contexto brasileiro a partir de índices socioeconômicos

Plano 05 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Jéssica Da Silva Rodrigues Cecim

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07GE06 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. Esta habilidade tem por objetivo compreender as influências da produção, circulação e consumo de mercadorias no território brasileiro, sobretudo, a partir da perspectiva ambiental e da distribuição desigual das riquezas. Trata-se de analisar as diferentes formas de ocupação e configuração do território sob as dinâmicas de produção, circulação e consumo de mercadorias. Este plano objetiva a reflexão sobre as desigualdades socioeconômicas brasileiras construídas a partir de sua formação econômica e social, que se relacionam com a produção, circulação e o consumo de mercadorias. Para tal, conta com discussões baseadas em índices socioeconômicos brasileiros seguidas de confecção em dupla e socialização de histórias em quadrinhos sobre o tema da aula.

Materiais necessários:

  • Quadro
  • Projetor (caso não seja possível projetar os slides, é possível imprimir seu conteúdo ou ainda buscar por material semelhantes em livros didáticos e/ou apostilas)
  • Folha sulfite
  • Lápis de escrever, borracha, lápis de cor, canetinha
  • Régua

Material complementar:

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GeCDFy4KHvb6mwGJby5ACp6WnbYKseKNJ9gqxeSBB4zn4PctyqC69VUkAWnS/geo7-06und05-imagens.pdf

Para você saber mais:

O site “Atlas do Desenvolvimento Humano” que permite a visualização de um panorama do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), além de dados sobre os estados e Brasil. A plataforma apresenta indicadores de demografia, educação, renda, trabalho, habitação e vulnerabilidade com base nos censos demográficos.

Disponível em: <http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/home/>. Acesso em 07 mar 2019.

ALMEIDA, Rodolfo; ZANLORENSSI, Gabriel. A evolução da desigualdade de renda no Brasil e no mundo. Revista Nexo. 31 de julho de 2017. Disponível em:

<https://www.nexojornal.com.br/grafico/2017/07/31/A-evolu%C3%A7%C3%A3o-da-desigualdade-de-renda-no-Brasil-e-no-mundo>. Acesso em 07 mar 2019.

BONETTI, Alinne; ABREU, Maria Aparecida (org.). Faces da desigualdade de gênero de raça no Brasil. Ipea. Brasília, 2011. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_facesdadesigualdade.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

MARCONDES, Mariana Mazzini et. al. Dossiê Mulheres Negras: retrato das condições de vida das mulheres negras no Brasil. Ipea. Brasília, 2013. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_dossie_mulheres_negras.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

NERY, Victor H. da S.; FREITAS, Anniele S. F. Histórias em Quadrinhos no Ensino de Geografia: possibilidades e propostas. 6º Encontro Regional de Ensino de Geografia Ensinar Geografia com a Diferença e com a Política Universidade Estadual de Campinas, 19 a 21 de outubro de 2018. Disponível em: <https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RWTUguPBFvmtU33d2BRWYfzAt5HRJZa5zTSRzNTtKrhZTp6fCXTrqJ5CczvX/historia-em-quadrinos-e-ensino-de-geo.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

PENA, Rodolfo F. Alves. Índice de Gini. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/indice-gini.htm>. Acesso em 07 mar 2019.

VENTURINI, Lilian. Como está a desigualdade de renda no Brasil, segundo o IBGE. Revista Nexo. Disponível em:

<https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/11/30/Como-est%C3%A1-a-desigualdade-de-renda-no-Brasil-segundo-o-IBGE>. Acesso em 07 mar 2019.

Contextos Prévios: Para esta aula é recomendável que os alunos estejam familiarizados com discussões acerca da existência de grandes extensões de terra pertencentes a um pequeno grupo de pessoas (latifúndios) ao longo da História do Brasil a partir das sesmarias. Recomenda-se também familiaridade com a presença de mão-de-obra escravizada nas produções agrícolas durante longo período de tempo.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Projete o tema da aula ou escreva no quadro. Diga aos alunos que nesta aula vocês discutirão sobre o que é desigualdade e em como a gente pode pensar o Brasil a partir das suas desigualdades socioeconômicas. Exponha que “desigualdades socioeconômicas” fazem referência a diferenças sociais e econômicas entre as pessoas.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Inicie esta etapa perguntando aos alunos o que eles entendem, primeiramente, por igualdade. Desta forma, questione:

  • O que é ser igual ao outro? Vá instigando a discussão com perguntas como:
  • Ser igual ao outro é poder fazer as mesmas coisas? É poder ser a mesma coisa?
  • É ter os mesmos direitos e deveres?
  • É ter acesso às mesmas coisas?

Permita que eles possam ir formulando, a partir de seus conhecimentos prévios, o que acreditam ser a igualdade para, em seguida, questionar: “O que então é desigualdade?”.

Nesta etapa é importante que os alunos possam trazer suas referências em relação a esse tema, se possível, por meio de exemplos cotidianos. Na sequência, apresente a imagem contida no slide e pergunte qual dos dois quadrinhos faz referência à igualdade. Caso a discussão tenha se encaminhado no sentido de conceber a igualdade como um acesso igualitário às coisas, por exemplo, é possível que os alunos indiquem o primeiro quadrinho.

Escreva no quadro a palavra EQUIDADE e aponte o segundo quadrinho. Explique que a equidade diz respeito a uma tentativa de promover a igualdade levando em consideração as especificidades (condições sociais) de cada pessoa a partir de um senso de justiça. Diga que no decorrer da aula esses dois termos serão mais discutidos.

Para você saber mais:

O Facebook faz uma bela discussão sobre...igualdade. Gazeta do Povo. Disponível em: <https://www.gazetadopovo.com.br/blogs/caixa-zero/o-facebook-faz-uma-bela-discussao-sobre-igualdade/>. Acesso em: 01 mai 2019.

PESARO, Floriano. A busca pela equidade social. Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social. São Paulo. s/d. Disponível em:

<http://www.desenvolvimentosocial.sp.gov.br/a2sitebox/arquivos/documentos/1658.pdf>. Acesso em 05 fev 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Inicie esta etapa da aula dizendo aos alunos que será discutida a distribuição das riquezas (que chamamos de “renda”) no Brasil. Discuta com os alunos que durante muito tempo na História do Brasil, desde as capitanias hereditárias, um pequeno grupo de pessoas detém a maior quantidade de terras no país e que quando as capitanias foram estabelecidas (no século XVI), esse grupo de pessoas era composto por colonos portugueses (homens brancos) que faziam parte da nobreza portuguesa.

Assim, pergunte aos alunos: “O que significa dizer que algo é hereditário?” e, a partir da construção desta resposta, questione: “Então, se as capitanias eram hereditárias, que grupo de pessoas foi herdando essas terras ao longo do tempo?”.

Neste ponto da aula, apesar da utilização de generalizações, é importante a construção de uma concepção que auxilie na justificativa da concentração de terras e de riquezas no Brasil. Na sequência desta mesma etapa, os alunos verão que os homens brancos são os maiores detentores de renda no país. Sem dúvidas existem homens brancos de baixa renda, assim como homens e mulheres negras de renda elevada, no entanto, a aula objetiva evidenciar que, mesmo com diversas transformações pelas quais nossa sociedade passou ao longo do tempo, padrões de distribuição de riquezas foram sendo mantidos ao longo do tempo.

Em seguida, apresente a tabela do Índice de Gini, explicando que este índice mede o nível de desigualdade de um país, de modo que quanto mais próximo de zero, menos desigual (ou mais igualitário) é este país. Peça para que apontem a colocação do Brasil no ranking mundial e respondam: “Será que o Brasil está entre os países mais desiguais ou mais igualitários do mundo?”. Ao observar sua colocação em 120º lugar, espera-se que os alunos apontem para a posição desfavorável do Brasil no contexto mundial.

Na sequência, apresente os infográficos produzidos pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O primeiro diz respeito à distribuição de renda no Brasil entre mulheres negras, mulheres brancas, homens negros e homens brancos. Peça que os alunos analisem o infográfico e apontem quais grupos de pessoa tem a maior média de renda no Brasil e quais têm as menores médias. É esperado que indiquem os homens brancos como maiores detentores de renda, seguidos das mulheres brancas, dos homens negros e das mulheres negras. Questione: “O que isso quer dizer sobre o Brasil?”. Construa, neste momento, algumas concepções de diferenças de renda entre homens e mulheres e negros e brancos, apontando que os dados nos gráficos evidenciam a existência marcante dessas diferenças no Brasil.

Apresente o infográfico sobre habitação e saneamento e, a partir da legenda, peça para que novamente digam sobre do que se trata o infográfico. Pergunte se acreditam que a renda influencia na moradia (distribuição espacial) das pessoas e solicite que respondam quais grupos têm maior e menor porcentagem de pessoas morando em comunidades. Peça para que relacionem com o infográfico anterior: “Alguma informação se repete?”. Construa com os alunos a relação de gênero e raça existente entre os infográficos, apontando para as desigualdades existentes nestes aspectos.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, busque por imagens, gráficos e tabelas semelhantes em livros didáticos e/ou apostilas. Se ainda assim não for possível reproduzir o material, procure colocá-los no quadro de modo mais simplificados.

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GeCDFy4KHvb6mwGJby5ACp6WnbYKseKNJ9gqxeSBB4zn4PctyqC69VUkAWnS/geo7-06und05-imagens.pdf

Para você saber mais:

O site “Atlas do Desenvolvimento Humano” permite a visualização de um panorama do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), além de dados sobre os estados e Brasil. A plataforma apresenta indicadores de demografia, educação, renda, trabalho, habitação e vulnerabilidade com base nos censos demográficos.

Disponível em: <http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/home/>. Acesso em 07 mar 2019.

ALMEIDA, Rodolfo; ZANLORENSSI, Gabriel. A evolução da desigualdade de renda no Brasil e no mundo. Revista Nexo. 31 de julho de 2017. Disponível em:

<https://www.nexojornal.com.br/grafico/2017/07/31/A-evolu%C3%A7%C3%A3o-da-desigualdade-de-renda-no-Brasil-e-no-mundo>. Acesso em 07 mar 2019.

BONETTI, Alinne; ABREU, Maria Aparecida (org.). Faces da desigualdade de gênero de raça no Brasil. Ipea. Brasília, 2011. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_facesdadesigualdade.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

MARCONDES, Mariana Mazzini et. al. Dossiê Mulheres Negras: retrato das condições de vida das mulheres negras no Brasil. Ipea. Brasília, 2013. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_dossie_mulheres_negras.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

PENA, Rodolfo F. Alves. Índice de Gini. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/indice-gini.htm>. Acesso em 07 mar 2019.

VENTURINI, Lilian. Como está a desigualdade de renda no Brasil, segundo o IBGE. Revista Nexo. Disponível em:

<https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/11/30/Como-est%C3%A1-a-desigualdade-de-renda-no-Brasil-segundo-o-IBGE>. Acesso em 07 mar 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Inicie esta etapa da aula dizendo aos alunos que será discutida a distribuição das riquezas (que chamamos de “renda”) no Brasil. Discuta com os alunos que durante muito tempo na História do Brasil, desde as capitanias hereditárias, um pequeno grupo de pessoas detém a maior quantidade de terras no país e que quando as capitanias foram estabelecidas (no século XVI), esse grupo de pessoas era composto por colonos portugueses (homens brancos) que faziam parte da nobreza portuguesa.

Assim, pergunte aos alunos: “O que significa dizer que algo é hereditário?” e, a partir da construção desta resposta, questione: “Então, se as capitanias eram hereditárias, que grupo de pessoas foi herdando essas terras ao longo do tempo?”.

Neste ponto da aula, apesar da utilização de generalizações, é importante a construção de uma concepção que auxilie na justificativa da concentração de terras e de riquezas no Brasil. Na sequência desta mesma etapa, os alunos verão que os homens brancos são os maiores detentores de renda no país. Sem dúvidas existem homens brancos de baixa renda, assim como homens e mulheres negras de renda elevada, no entanto, a aula objetiva evidenciar que, mesmo com diversas transformações pelas quais nossa sociedade passou ao longo do tempo, padrões de distribuição de riquezas foram sendo mantidos ao longo do tempo.

Em seguida, apresente a tabela do Índice de Gini, explicando que este índice mede o nível de desigualdade de um país, de modo que quanto mais próximo de zero, menos desigual (ou mais igualitário) é este país. Peça para que apontem a colocação do Brasil no ranking mundial e respondam: “Será que o Brasil está entre os países mais desiguais ou mais igualitários do mundo?”. Ao observar sua colocação em 120º lugar, espera-se que os alunos apontem para a posição desfavorável do Brasil no contexto mundial.

Na sequência, apresente os infográficos produzidos pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O primeiro diz respeito à distribuição de renda no Brasil entre mulheres negras, mulheres brancas, homens negros e homens brancos. Peça que os alunos analisem o infográfico e apontem quais grupos de pessoa tem a maior média de renda no Brasil e quais têm as menores médias. É esperado que indiquem os homens brancos como maiores detentores de renda, seguidos das mulheres brancas, dos homens negros e das mulheres negras. Questione: “O que isso quer dizer sobre o Brasil?”. Construa, neste momento, algumas concepções de diferenças de renda entre homens e mulheres e negros e brancos, apontando que os dados nos gráficos evidenciam a existência marcante dessas diferenças no Brasil.

Apresente o infográfico sobre habitação e saneamento e, a partir da legenda, peça para que novamente digam sobre do que se trata o infográfico. Pergunte se acreditam que a renda influencia na moradia (distribuição espacial) das pessoas e solicite que respondam quais grupos têm maior e menor porcentagem de pessoas morando em comunidades. Peça para que relacionem com o infográfico anterior: “Alguma informação se repete?”. Construa com os alunos a relação de gênero e raça existente entre os infográficos, apontando para as desigualdades existentes nestes aspectos.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, busque por imagens, gráficos e tabelas semelhantes em livros didáticos e/ou apostilas. Se ainda assim não for possível reproduzir o material, procure colocá-los no quadro de modo mais simplificados.

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GeCDFy4KHvb6mwGJby5ACp6WnbYKseKNJ9gqxeSBB4zn4PctyqC69VUkAWnS/geo7-06und05-imagens.pdf

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Inicie esta etapa da aula dizendo aos alunos que será discutida a distribuição das riquezas (que chamamos de “renda”) no Brasil. Discuta com os alunos que durante muito tempo na História do Brasil, desde as capitanias hereditárias, um pequeno grupo de pessoas detém a maior quantidade de terras no país e que quando as capitanias foram estabelecidas (no século XVI), esse grupo de pessoas era composto por colonos portugueses (homens brancos) que faziam parte da nobreza portuguesa.

Assim, pergunte aos alunos: “O que significa dizer que algo é hereditário?” e, a partir da construção desta resposta, questione: “Então, se as capitanias eram hereditárias, que grupo de pessoas foi herdando essas terras ao longo do tempo?”.

Neste ponto da aula, apesar da utilização de generalizações, é importante a construção de uma concepção que auxilie na justificativa da concentração de terras e de riquezas no Brasil. Na sequência desta mesma etapa, os alunos verão que os homens brancos são os maiores detentores de renda no país. Sem dúvidas existem homens brancos de baixa renda, assim como homens e mulheres negras de renda elevada, no entanto, a aula objetiva evidenciar que, mesmo com diversas transformações pelas quais nossa sociedade passou ao longo do tempo, padrões de distribuição de riquezas foram sendo mantidos ao longo do tempo.

Em seguida, apresente a tabela do Índice de Gini, explicando que este índice mede o nível de desigualdade de um país, de modo que quanto mais próximo de zero, menos desigual (ou mais igualitário) é este país. Peça para que apontem a colocação do Brasil no ranking mundial e respondam: “Será que o Brasil está entre os países mais desiguais ou mais igualitários do mundo?”. Ao observar sua colocação em 120º lugar, espera-se que os alunos apontem para a posição desfavorável do Brasil no contexto mundial.

Na sequência, apresente os infográficos produzidos pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O primeiro diz respeito à distribuição de renda no Brasil entre mulheres negras, mulheres brancas, homens negros e homens brancos. Peça que os alunos analisem o infográfico e apontem quais grupos de pessoa tem a maior média de renda no Brasil e quais têm as menores médias. É esperado que indiquem os homens brancos como maiores detentores de renda, seguidos das mulheres brancas, dos homens negros e das mulheres negras. Questione: “O que isso quer dizer sobre o Brasil?”. Construa, neste momento, algumas concepções de diferenças de renda entre homens e mulheres e negros e brancos, apontando que os dados nos gráficos evidenciam a existência marcante dessas diferenças no Brasil.

Apresente o infográfico sobre habitação e saneamento e, a partir da legenda, peça para que novamente digam sobre do que se trata o infográfico. Pergunte se acreditam que a renda influencia na moradia (distribuição espacial) das pessoas e solicite que respondam quais grupos têm maior e menor porcentagem de pessoas morando em comunidades. Peça para que relacionem com o infográfico anterior: “Alguma informação se repete?”. Construa com os alunos a relação de gênero e raça existente entre os infográficos, apontando para as desigualdades existentes nestes aspectos.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, busque por imagens, gráficos e tabelas semelhantes em livros didáticos e/ou apostilas. Se ainda assim não for possível reproduzir o material, procure colocá-los no quadro de modo mais simplificados.

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GeCDFy4KHvb6mwGJby5ACp6WnbYKseKNJ9gqxeSBB4zn4PctyqC69VUkAWnS/geo7-06und05-imagens.pdf

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Esta atividade pode ser realizada individualmente ou em duplas. Organize e sala e entregue as folhas sulfites. Explique aos alunos que eles irão produzir Histórias em Quadrinhos sobre o tema da aula. Assim, peça para que criem histórias sobre as discussões levantadas durante a aula ou se inspirem em situações de seu cotidiano que se associe com as conversas suscitadas durante a realização do plano. O foco da produção se encontra, portanto, nas desigualdades sociais existentes no Brasil (de renda, de raça, de gênero). É possível ainda, solicitar criem histórias que apontem para um cenário diferente do que se vive atualmente no país, ou seja, que busquem representar uma perspectiva de igualdade entre as condições de vida das pessoas.

Para você saber mais:

NERY, Victor H. da S.; FREITAS, Anniele S. F. Histórias em Quadrinhos no Ensino de Geografia: possibilidades e propostas. 6º Encontro Regional de Ensino de Geografia Ensinar Geografia com a Diferença e com a Política Universidade Estadual de Campinas, 19 a 21 de outubro de 2018. Disponível em: <https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RWTUguPBFvmtU33d2BRWYfzAt5HRJZa5zTSRzNTtKrhZTp6fCXTrqJ5CczvX/historia-em-quadrinos-e-ensino-de-geo.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

PENA, Rodolfo Alves. Trabalho de Campo com aula sobre desigualdades sociais. Brasil Escola. Disponível em:

<https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/trabalho-campo-com-aula-sobre-as-desigualdades-sociais.htm>. Acesso em 05 fev 2019. (Este link contém uma sugestão de atividade de campo a partir do tema deste plano de aula).

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações: Peça para que os alunos socializem suas Histórias em Quadrinho. Cada dupla pode passar sua produção para a dupla da frente e receber a da dupla de trás. Enquanto este momento acontece vá passando pelas duplas apontando pontos discutidos em aulas que apareceram nas produções. Caso acredite ser mais proveitoso, cole com fita os quadrinhos no quadro para que os alunos possam ir passando por eles, ou ainda, com maior disponibilidade de tempo, peça para que cada dupla apresente sua tirinha, permitindo que os demais alunos apontem os pontos da aula que foram representados nos quadrinhos.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07GE06 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. Esta habilidade tem por objetivo compreender as influências da produção, circulação e consumo de mercadorias no território brasileiro, sobretudo, a partir da perspectiva ambiental e da distribuição desigual das riquezas. Trata-se de analisar as diferentes formas de ocupação e configuração do território sob as dinâmicas de produção, circulação e consumo de mercadorias. Este plano objetiva a reflexão sobre as desigualdades socioeconômicas brasileiras construídas a partir de sua formação econômica e social, que se relacionam com a produção, circulação e o consumo de mercadorias. Para tal, conta com discussões baseadas em índices socioeconômicos brasileiros seguidas de confecção em dupla e socialização de histórias em quadrinhos sobre o tema da aula.

Materiais necessários:

  • Quadro
  • Projetor (caso não seja possível projetar os slides, é possível imprimir seu conteúdo ou ainda buscar por material semelhantes em livros didáticos e/ou apostilas)
  • Folha sulfite
  • Lápis de escrever, borracha, lápis de cor, canetinha
  • Régua

Material complementar:

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GeCDFy4KHvb6mwGJby5ACp6WnbYKseKNJ9gqxeSBB4zn4PctyqC69VUkAWnS/geo7-06und05-imagens.pdf

Para você saber mais:

O site “Atlas do Desenvolvimento Humano” que permite a visualização de um panorama do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), além de dados sobre os estados e Brasil. A plataforma apresenta indicadores de demografia, educação, renda, trabalho, habitação e vulnerabilidade com base nos censos demográficos.

Disponível em: <http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/home/>. Acesso em 07 mar 2019.

ALMEIDA, Rodolfo; ZANLORENSSI, Gabriel. A evolução da desigualdade de renda no Brasil e no mundo. Revista Nexo. 31 de julho de 2017. Disponível em:

<https://www.nexojornal.com.br/grafico/2017/07/31/A-evolu%C3%A7%C3%A3o-da-desigualdade-de-renda-no-Brasil-e-no-mundo>. Acesso em 07 mar 2019.

BONETTI, Alinne; ABREU, Maria Aparecida (org.). Faces da desigualdade de gênero de raça no Brasil. Ipea. Brasília, 2011. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_facesdadesigualdade.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

MARCONDES, Mariana Mazzini et. al. Dossiê Mulheres Negras: retrato das condições de vida das mulheres negras no Brasil. Ipea. Brasília, 2013. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_dossie_mulheres_negras.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

NERY, Victor H. da S.; FREITAS, Anniele S. F. Histórias em Quadrinhos no Ensino de Geografia: possibilidades e propostas. 6º Encontro Regional de Ensino de Geografia Ensinar Geografia com a Diferença e com a Política Universidade Estadual de Campinas, 19 a 21 de outubro de 2018. Disponível em: <https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RWTUguPBFvmtU33d2BRWYfzAt5HRJZa5zTSRzNTtKrhZTp6fCXTrqJ5CczvX/historia-em-quadrinos-e-ensino-de-geo.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

PENA, Rodolfo F. Alves. Índice de Gini. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/indice-gini.htm>. Acesso em 07 mar 2019.

VENTURINI, Lilian. Como está a desigualdade de renda no Brasil, segundo o IBGE. Revista Nexo. Disponível em:

<https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/11/30/Como-est%C3%A1-a-desigualdade-de-renda-no-Brasil-segundo-o-IBGE>. Acesso em 07 mar 2019.

Contextos Prévios: Para esta aula é recomendável que os alunos estejam familiarizados com discussões acerca da existência de grandes extensões de terra pertencentes a um pequeno grupo de pessoas (latifúndios) ao longo da História do Brasil a partir das sesmarias. Recomenda-se também familiaridade com a presença de mão-de-obra escravizada nas produções agrícolas durante longo período de tempo.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Projete o tema da aula ou escreva no quadro. Diga aos alunos que nesta aula vocês discutirão sobre o que é desigualdade e em como a gente pode pensar o Brasil a partir das suas desigualdades socioeconômicas. Exponha que “desigualdades socioeconômicas” fazem referência a diferenças sociais e econômicas entre as pessoas.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Inicie esta etapa perguntando aos alunos o que eles entendem, primeiramente, por igualdade. Desta forma, questione:

  • O que é ser igual ao outro? Vá instigando a discussão com perguntas como:
  • Ser igual ao outro é poder fazer as mesmas coisas? É poder ser a mesma coisa?
  • É ter os mesmos direitos e deveres?
  • É ter acesso às mesmas coisas?

Permita que eles possam ir formulando, a partir de seus conhecimentos prévios, o que acreditam ser a igualdade para, em seguida, questionar: “O que então é desigualdade?”.

Nesta etapa é importante que os alunos possam trazer suas referências em relação a esse tema, se possível, por meio de exemplos cotidianos. Na sequência, apresente a imagem contida no slide e pergunte qual dos dois quadrinhos faz referência à igualdade. Caso a discussão tenha se encaminhado no sentido de conceber a igualdade como um acesso igualitário às coisas, por exemplo, é possível que os alunos indiquem o primeiro quadrinho.

Escreva no quadro a palavra EQUIDADE e aponte o segundo quadrinho. Explique que a equidade diz respeito a uma tentativa de promover a igualdade levando em consideração as especificidades (condições sociais) de cada pessoa a partir de um senso de justiça. Diga que no decorrer da aula esses dois termos serão mais discutidos.

Para você saber mais:

O Facebook faz uma bela discussão sobre...igualdade. Gazeta do Povo. Disponível em: <https://www.gazetadopovo.com.br/blogs/caixa-zero/o-facebook-faz-uma-bela-discussao-sobre-igualdade/>. Acesso em: 01 mai 2019.

PESARO, Floriano. A busca pela equidade social. Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social. São Paulo. s/d. Disponível em:

<http://www.desenvolvimentosocial.sp.gov.br/a2sitebox/arquivos/documentos/1658.pdf>. Acesso em 05 fev 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Inicie esta etapa da aula dizendo aos alunos que será discutida a distribuição das riquezas (que chamamos de “renda”) no Brasil. Discuta com os alunos que durante muito tempo na História do Brasil, desde as capitanias hereditárias, um pequeno grupo de pessoas detém a maior quantidade de terras no país e que quando as capitanias foram estabelecidas (no século XVI), esse grupo de pessoas era composto por colonos portugueses (homens brancos) que faziam parte da nobreza portuguesa.

Assim, pergunte aos alunos: “O que significa dizer que algo é hereditário?” e, a partir da construção desta resposta, questione: “Então, se as capitanias eram hereditárias, que grupo de pessoas foi herdando essas terras ao longo do tempo?”.

Neste ponto da aula, apesar da utilização de generalizações, é importante a construção de uma concepção que auxilie na justificativa da concentração de terras e de riquezas no Brasil. Na sequência desta mesma etapa, os alunos verão que os homens brancos são os maiores detentores de renda no país. Sem dúvidas existem homens brancos de baixa renda, assim como homens e mulheres negras de renda elevada, no entanto, a aula objetiva evidenciar que, mesmo com diversas transformações pelas quais nossa sociedade passou ao longo do tempo, padrões de distribuição de riquezas foram sendo mantidos ao longo do tempo.

Em seguida, apresente a tabela do Índice de Gini, explicando que este índice mede o nível de desigualdade de um país, de modo que quanto mais próximo de zero, menos desigual (ou mais igualitário) é este país. Peça para que apontem a colocação do Brasil no ranking mundial e respondam: “Será que o Brasil está entre os países mais desiguais ou mais igualitários do mundo?”. Ao observar sua colocação em 120º lugar, espera-se que os alunos apontem para a posição desfavorável do Brasil no contexto mundial.

Na sequência, apresente os infográficos produzidos pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O primeiro diz respeito à distribuição de renda no Brasil entre mulheres negras, mulheres brancas, homens negros e homens brancos. Peça que os alunos analisem o infográfico e apontem quais grupos de pessoa tem a maior média de renda no Brasil e quais têm as menores médias. É esperado que indiquem os homens brancos como maiores detentores de renda, seguidos das mulheres brancas, dos homens negros e das mulheres negras. Questione: “O que isso quer dizer sobre o Brasil?”. Construa, neste momento, algumas concepções de diferenças de renda entre homens e mulheres e negros e brancos, apontando que os dados nos gráficos evidenciam a existência marcante dessas diferenças no Brasil.

Apresente o infográfico sobre habitação e saneamento e, a partir da legenda, peça para que novamente digam sobre do que se trata o infográfico. Pergunte se acreditam que a renda influencia na moradia (distribuição espacial) das pessoas e solicite que respondam quais grupos têm maior e menor porcentagem de pessoas morando em comunidades. Peça para que relacionem com o infográfico anterior: “Alguma informação se repete?”. Construa com os alunos a relação de gênero e raça existente entre os infográficos, apontando para as desigualdades existentes nestes aspectos.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, busque por imagens, gráficos e tabelas semelhantes em livros didáticos e/ou apostilas. Se ainda assim não for possível reproduzir o material, procure colocá-los no quadro de modo mais simplificados.

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GeCDFy4KHvb6mwGJby5ACp6WnbYKseKNJ9gqxeSBB4zn4PctyqC69VUkAWnS/geo7-06und05-imagens.pdf

Para você saber mais:

O site “Atlas do Desenvolvimento Humano” permite a visualização de um panorama do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), além de dados sobre os estados e Brasil. A plataforma apresenta indicadores de demografia, educação, renda, trabalho, habitação e vulnerabilidade com base nos censos demográficos.

Disponível em: <http://atlasbrasil.org.br/2013/pt/home/>. Acesso em 07 mar 2019.

ALMEIDA, Rodolfo; ZANLORENSSI, Gabriel. A evolução da desigualdade de renda no Brasil e no mundo. Revista Nexo. 31 de julho de 2017. Disponível em:

<https://www.nexojornal.com.br/grafico/2017/07/31/A-evolu%C3%A7%C3%A3o-da-desigualdade-de-renda-no-Brasil-e-no-mundo>. Acesso em 07 mar 2019.

BONETTI, Alinne; ABREU, Maria Aparecida (org.). Faces da desigualdade de gênero de raça no Brasil. Ipea. Brasília, 2011. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_facesdadesigualdade.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

MARCONDES, Mariana Mazzini et. al. Dossiê Mulheres Negras: retrato das condições de vida das mulheres negras no Brasil. Ipea. Brasília, 2013. Disponível em: <http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/livros/livros/livro_dossie_mulheres_negras.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

PENA, Rodolfo F. Alves. Índice de Gini. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/indice-gini.htm>. Acesso em 07 mar 2019.

VENTURINI, Lilian. Como está a desigualdade de renda no Brasil, segundo o IBGE. Revista Nexo. Disponível em:

<https://www.nexojornal.com.br/expresso/2017/11/30/Como-est%C3%A1-a-desigualdade-de-renda-no-Brasil-segundo-o-IBGE>. Acesso em 07 mar 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Inicie esta etapa da aula dizendo aos alunos que será discutida a distribuição das riquezas (que chamamos de “renda”) no Brasil. Discuta com os alunos que durante muito tempo na História do Brasil, desde as capitanias hereditárias, um pequeno grupo de pessoas detém a maior quantidade de terras no país e que quando as capitanias foram estabelecidas (no século XVI), esse grupo de pessoas era composto por colonos portugueses (homens brancos) que faziam parte da nobreza portuguesa.

Assim, pergunte aos alunos: “O que significa dizer que algo é hereditário?” e, a partir da construção desta resposta, questione: “Então, se as capitanias eram hereditárias, que grupo de pessoas foi herdando essas terras ao longo do tempo?”.

Neste ponto da aula, apesar da utilização de generalizações, é importante a construção de uma concepção que auxilie na justificativa da concentração de terras e de riquezas no Brasil. Na sequência desta mesma etapa, os alunos verão que os homens brancos são os maiores detentores de renda no país. Sem dúvidas existem homens brancos de baixa renda, assim como homens e mulheres negras de renda elevada, no entanto, a aula objetiva evidenciar que, mesmo com diversas transformações pelas quais nossa sociedade passou ao longo do tempo, padrões de distribuição de riquezas foram sendo mantidos ao longo do tempo.

Em seguida, apresente a tabela do Índice de Gini, explicando que este índice mede o nível de desigualdade de um país, de modo que quanto mais próximo de zero, menos desigual (ou mais igualitário) é este país. Peça para que apontem a colocação do Brasil no ranking mundial e respondam: “Será que o Brasil está entre os países mais desiguais ou mais igualitários do mundo?”. Ao observar sua colocação em 120º lugar, espera-se que os alunos apontem para a posição desfavorável do Brasil no contexto mundial.

Na sequência, apresente os infográficos produzidos pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O primeiro diz respeito à distribuição de renda no Brasil entre mulheres negras, mulheres brancas, homens negros e homens brancos. Peça que os alunos analisem o infográfico e apontem quais grupos de pessoa tem a maior média de renda no Brasil e quais têm as menores médias. É esperado que indiquem os homens brancos como maiores detentores de renda, seguidos das mulheres brancas, dos homens negros e das mulheres negras. Questione: “O que isso quer dizer sobre o Brasil?”. Construa, neste momento, algumas concepções de diferenças de renda entre homens e mulheres e negros e brancos, apontando que os dados nos gráficos evidenciam a existência marcante dessas diferenças no Brasil.

Apresente o infográfico sobre habitação e saneamento e, a partir da legenda, peça para que novamente digam sobre do que se trata o infográfico. Pergunte se acreditam que a renda influencia na moradia (distribuição espacial) das pessoas e solicite que respondam quais grupos têm maior e menor porcentagem de pessoas morando em comunidades. Peça para que relacionem com o infográfico anterior: “Alguma informação se repete?”. Construa com os alunos a relação de gênero e raça existente entre os infográficos, apontando para as desigualdades existentes nestes aspectos.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, busque por imagens, gráficos e tabelas semelhantes em livros didáticos e/ou apostilas. Se ainda assim não for possível reproduzir o material, procure colocá-los no quadro de modo mais simplificados.

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GeCDFy4KHvb6mwGJby5ACp6WnbYKseKNJ9gqxeSBB4zn4PctyqC69VUkAWnS/geo7-06und05-imagens.pdf

Slide Plano Aula

Orientações: Inicie esta etapa da aula dizendo aos alunos que será discutida a distribuição das riquezas (que chamamos de “renda”) no Brasil. Discuta com os alunos que durante muito tempo na História do Brasil, desde as capitanias hereditárias, um pequeno grupo de pessoas detém a maior quantidade de terras no país e que quando as capitanias foram estabelecidas (no século XVI), esse grupo de pessoas era composto por colonos portugueses (homens brancos) que faziam parte da nobreza portuguesa.

Assim, pergunte aos alunos: “O que significa dizer que algo é hereditário?” e, a partir da construção desta resposta, questione: “Então, se as capitanias eram hereditárias, que grupo de pessoas foi herdando essas terras ao longo do tempo?”.

Neste ponto da aula, apesar da utilização de generalizações, é importante a construção de uma concepção que auxilie na justificativa da concentração de terras e de riquezas no Brasil. Na sequência desta mesma etapa, os alunos verão que os homens brancos são os maiores detentores de renda no país. Sem dúvidas existem homens brancos de baixa renda, assim como homens e mulheres negras de renda elevada, no entanto, a aula objetiva evidenciar que, mesmo com diversas transformações pelas quais nossa sociedade passou ao longo do tempo, padrões de distribuição de riquezas foram sendo mantidos ao longo do tempo.

Em seguida, apresente a tabela do Índice de Gini, explicando que este índice mede o nível de desigualdade de um país, de modo que quanto mais próximo de zero, menos desigual (ou mais igualitário) é este país. Peça para que apontem a colocação do Brasil no ranking mundial e respondam: “Será que o Brasil está entre os países mais desiguais ou mais igualitários do mundo?”. Ao observar sua colocação em 120º lugar, espera-se que os alunos apontem para a posição desfavorável do Brasil no contexto mundial.

Na sequência, apresente os infográficos produzidos pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada). O primeiro diz respeito à distribuição de renda no Brasil entre mulheres negras, mulheres brancas, homens negros e homens brancos. Peça que os alunos analisem o infográfico e apontem quais grupos de pessoa tem a maior média de renda no Brasil e quais têm as menores médias. É esperado que indiquem os homens brancos como maiores detentores de renda, seguidos das mulheres brancas, dos homens negros e das mulheres negras. Questione: “O que isso quer dizer sobre o Brasil?”. Construa, neste momento, algumas concepções de diferenças de renda entre homens e mulheres e negros e brancos, apontando que os dados nos gráficos evidenciam a existência marcante dessas diferenças no Brasil.

Apresente o infográfico sobre habitação e saneamento e, a partir da legenda, peça para que novamente digam sobre do que se trata o infográfico. Pergunte se acreditam que a renda influencia na moradia (distribuição espacial) das pessoas e solicite que respondam quais grupos têm maior e menor porcentagem de pessoas morando em comunidades. Peça para que relacionem com o infográfico anterior: “Alguma informação se repete?”. Construa com os alunos a relação de gênero e raça existente entre os infográficos, apontando para as desigualdades existentes nestes aspectos.

Caso não seja possível projetar, tampouco imprimir as imagens, busque por imagens, gráficos e tabelas semelhantes em livros didáticos e/ou apostilas. Se ainda assim não for possível reproduzir o material, procure colocá-los no quadro de modo mais simplificados.

Imagens utilizadas no plano:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GeCDFy4KHvb6mwGJby5ACp6WnbYKseKNJ9gqxeSBB4zn4PctyqC69VUkAWnS/geo7-06und05-imagens.pdf

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Esta atividade pode ser realizada individualmente ou em duplas. Organize e sala e entregue as folhas sulfites. Explique aos alunos que eles irão produzir Histórias em Quadrinhos sobre o tema da aula. Assim, peça para que criem histórias sobre as discussões levantadas durante a aula ou se inspirem em situações de seu cotidiano que se associe com as conversas suscitadas durante a realização do plano. O foco da produção se encontra, portanto, nas desigualdades sociais existentes no Brasil (de renda, de raça, de gênero). É possível ainda, solicitar criem histórias que apontem para um cenário diferente do que se vive atualmente no país, ou seja, que busquem representar uma perspectiva de igualdade entre as condições de vida das pessoas.

Para você saber mais:

NERY, Victor H. da S.; FREITAS, Anniele S. F. Histórias em Quadrinhos no Ensino de Geografia: possibilidades e propostas. 6º Encontro Regional de Ensino de Geografia Ensinar Geografia com a Diferença e com a Política Universidade Estadual de Campinas, 19 a 21 de outubro de 2018. Disponível em: <https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RWTUguPBFvmtU33d2BRWYfzAt5HRJZa5zTSRzNTtKrhZTp6fCXTrqJ5CczvX/historia-em-quadrinos-e-ensino-de-geo.pdf>. Acesso em 07 mar 2019.

PENA, Rodolfo Alves. Trabalho de Campo com aula sobre desigualdades sociais. Brasil Escola. Disponível em:

<https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/trabalho-campo-com-aula-sobre-as-desigualdades-sociais.htm>. Acesso em 05 fev 2019. (Este link contém uma sugestão de atividade de campo a partir do tema deste plano de aula).

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações: Peça para que os alunos socializem suas Histórias em Quadrinho. Cada dupla pode passar sua produção para a dupla da frente e receber a da dupla de trás. Enquanto este momento acontece vá passando pelas duplas apontando pontos discutidos em aulas que apareceram nas produções. Caso acredite ser mais proveitoso, cole com fita os quadrinhos no quadro para que os alunos possam ir passando por eles, ou ainda, com maior disponibilidade de tempo, peça para que cada dupla apresente sua tirinha, permitindo que os demais alunos apontem os pontos da aula que foram representados nos quadrinhos.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Mundo do trabalho do 7º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 7º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF07GE06 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano