17121
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 5º ano > Registros da história: linguagens e culturas

Plano de aula - Formas de marcação do tempo: o relógio e o poder do tempo

Plano de aula de História com atividades para 5º ano do EF sobre Formas de marcação do tempo: o relógio e o poder do tempo

Plano 07 de 10 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Gabriela Ferreira Bustamante Fonseca

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF05HI08 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Essa aula procura explorar através da criação do relógio de pulso o uso dos instrumentos de marcação de tempo e a individualização e controle do tempo pelas pessoas nos grandes centros urbanos da época. Em oposição apresentamos os sinos de igrejas, marcadores de tempo de momentos coletivos nas pequenas cidades de Minas Gerais onde nasceu o inventor do relógio de pulso, Santos Dumont.

Materiais necessários: Cadernos ou folhas para anotação dos alunos.

Material complementar: (Tabela comparativa: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

cartões https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6jNeuEQgsrG8eUFNcvPNsehY4Csg9USaJ9ec4h8yvUVaDpHmQyFGkK9WeRuX/his5-08und07-cartoes.pdf

Para você saber mais:

https://www.youtube.com/watch?v=4KWJVXoj-Po 20’’00 até 26’’35’ (Acesso em 5 de abril de 2019)

https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4414384/mod_resource/content/1/TEMPO%2C%20DISCIPLINA%20DE%20TRABALHO%20E%20CAPITALISMO%20INDUSTRIAL.%20Costumes%20em%20comum.%20THOMPSON%2C%20E.%20P.%202005.pdf (Acesso em 5 de abril de 2019)

http://infograficos.estadao.com.br/especiais/a-redescoberta-de-santos-dumont/capitulo-2.php (Acesso em 5 de abril de 2019)

https://medium.com/itau/o-enigma-do-tempo-9560834ebbd8 (Acesso em 5 de abril de 2019)

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Explique para os alunos que eles irão explorar a história do relógio de pulso, o momento e o espaço de sua criação. Ao mesmo tempo, irão refletir sobre quem teve acesso a eles e como eles se popularizaram.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para as crianças o que elas entendem pela frase: “é preciso ganhar tempo!”. Entregue para eles cartões (disponíveis nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6jNeuEQgsrG8eUFNcvPNsehY4Csg9USaJ9ec4h8yvUVaDpHmQyFGkK9WeRuX/his5-08und07-cartoes.pdf) e peça para que eles separem esses objetos em três categorias: o que faz ganhar tempo (meios de transporte, máquinas, fogo, luz elétrica etc) ; o que é perda de tempo (televisão, trânsito, filas etc); o que é dono do tempo (relógio, sirenes, sino de igreja, celular, calendário etc). Dê por volta de cinco minutos para separarem os cartões nas categorias.

Faça o compartilhamento entre a sala de onde os alunos colocaram cada figura, refletindo como os objetos nos fazem economizar tempo no cotidiano. Pergunte para que eles usam o tempo que economizam. Dê exemplos como acordar um pouco mais tarde por usar um transporte mais rápido, cozinhar um alimento mais rápido por utilizar gás de cozinha ao invés de fogão à lenha ou a panela de pressão etc.

Encerre a reflexão perguntando sobre a categoria “o que é dono do tempo”, explorando os elementos que aparecem nas imagens. Pergunte qual a forma que eles mais utilizam para ver as horas, e o que eles fariam se não tivessem um relógio no seu cotidiano. Quais os problemas que teríamos? Anote algumas hipóteses dos alunos. Encerre a contextualização perguntando aos alunos porque medimos o tempo.

Dentre as imagens dos cartões que os alunos devem separar existem algumas imagens que geram discussões interessantes sobre a relatividade da ideia de perda de tempo. Além dessas, outras podem trabalhar a ideia da passagem de tempo e da relação entre o presente e o futuro (como a da separação do lixo). Você pode escolher dentre as imagens quais acha mais adequadas para a reflexão de sua turma, lembrando que nessa etapa é importante que os alunos façam a reflexão sobre os marcadores de tempo e as atividades onde utilizamos instrumentos tecnológicos que nos permitem gastar menos tempo em atividades do cotidiano.

Para você saber mais: Para refletir sobre o uso do tempo em nosso cotidiano e a ideia de aceleração sugerimos a fala de Daniel Munduruku em uma Palestra proferida no dia 13 de Novembro de 2017, no Centro de Estudos Budistas Bodisatva Caminho do Meio. A fala de Daniel está localizada entre 20’’00 até 26’’35’. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4KWJVXoj-Po (Acesso em 5 de abril de 2019)

Sugerimos também a leitura do artigo “O Enigma do tempo” do físico Marcelo Gleiser para refletir sobre a relatividade do tempo que passa. Disponível em:

https://medium.com/itau/o-enigma-do-tempo-9560834ebbd8 (Acesso em 5 de abril de 2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para os alunos quem foi Santos Dumont. Leia o texto a seguir sobre a criação do relógio de pulso identifique com os alunos onde o relógio de pulso surgiu, qual era a sua função e os motivos pelos quais foi inventado.

Expanda a questão da utilização a partir da história de Santos Dumont, que precisava cronometrar seus voos e desenhou a peça para a joalheria Cartier, que a desenvolveu. Dumont iria “ganhar tempo” com a invenção desse relógio? Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese de resposta para a questão: Para quais atividades além dos vôos de Dumont os relógios de pulso poderiam ser utilizados naquela época?

Exiba as imagens da cidade de Paris, e explique que elas são da época em que o relógio de pulso passou a ter seu uso popularizado. Indique os boxes com as legendas do que estava acontecendo em cada imagem. Retome as categorias das contextualização: o que faz ganhar tempo, perder tempo e quem é dono do tempo. Converse com os alunos tentando identificar como esses elementos aparecem nas imagens.

Retome a hipótese das atividades que poderiam ser realizadas com o relógio de pulso, refinando a partir da observação das imagens e descartando opções que estejam muito descontextualizadas (observando o que era possível e dando exemplos como não perder a hora encontros e compromissos, horário do trem, horário da escola etc.) Pergunte para eles quem era o dono do tempo do relógio de pulso, refletindo sobre quem utilizava esses relógios (pessoas de elite ou populares? - relembre que ele foi inventado como uma jóia por Cartier, refletindo o quanto ele era acessível para todas as camadas).

Mostre as imagens de Minas e explique que Santos Dumont nasceu em uma cidade que se chamava Palmira (e que passou a se chamar Santos Dumont em homenagem a ele). Diga que eles irão assistir um vídeo que mostra um marcador de tempo utilizado em outra cidade mineira, chamada Diamantina. Exiba o vídeo sobre os sinos: https://www.youtube.com/watch?v=PvgZTgjcVRk . (Acesso em 5 de abril de 2019)

Faça uma análise coletiva do vídeo, perguntando qual era a função dos sinos na cidade de Diamantina. Pergunte aos alunos, seguindo a mesma linha de reflexão sobre o relógio de pulso, quem era o dono do tempo dos sinos (ele estava centralizado pela igreja, mas era acessível a todos, era um elemento coletivo da cidade). A partir da resposta e da reflexão sobre o papel das igrejas, volte ao slide sobre Paris demonstrando a presença de Igrejas na cidade. Peça para que os alunos completem um quadro com as diferenças ou semelhanças entre as duas cidades, disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

O vídeo foi retirado da página do projeto Som dos Sinos, que traz sinos de mais de 9 cidades mineiras, que identificam diferentes eventos através do badalo do sino, compondo um material para exploração de patrimônio imaterial relacionado à cultura da igreja católica e dos negros escravizados no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5fjjH8lru4A e também como aplicativo: http://somdossinos.com.br/app/

Caso queira expandir a exploração do sino como instrumento de marcação de tempo você pode selecionar outros vídeos desse mesmo canal. Caso você não tenha os recursos para exibir o vídeo em sala de aula, você pode trazer imagens dos sineiros, explicando como os sinos funcionam nas pequenas cidades de Minas Gerais.

Para você saber mais:

O texto do slide está disponível no Museu do Amanhã. Ele é parte do material relacionado com a exposição “O poeta voador”. Disponível em: https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para os alunos quem foi Santos Dumont. Leia o texto a seguir sobre a criação do relógio de pulso identifique com os alunos onde o relógio de pulso surgiu, qual era a sua função e os motivos pelos quais foi inventado.

Expanda a questão da utilização a partir da história de Santos Dumont, que precisava cronometrar seus voos e desenhou a peça para a joalheria Cartier, que a desenvolveu. Dumont iria “ganhar tempo” com a invenção desse relógio? Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese de resposta para a questão: Para quais atividades além dos vôos de Dumont os relógios de pulso poderiam ser utilizados naquela época?

Exiba as imagens da cidade de Paris, e explique que elas são da época em que o relógio de pulso passou a ter seu uso popularizado. Indique os boxes com as legendas do que estava acontecendo em cada imagem. Retome as categorias das contextualização: o que faz ganhar tempo, perder tempo e quem é dono do tempo. Converse com os alunos tentando identificar como esses elementos aparecem nas imagens.

Retome a hipótese das atividades que poderiam ser realizadas com o relógio de pulso, refinando a partir da observação das imagens e descartando opções que estejam muito descontextualizadas (observando o que era possível e dando exemplos como não perder a hora encontros e compromissos, horário do trem, horário da escola etc.) Pergunte para eles quem era o dono do tempo do relógio de pulso, refletindo sobre quem utilizava esses relógios (pessoas de elite ou populares? - relembre que ele foi inventado como uma jóia por Cartier, refletindo o quanto ele era acessível para todas as camadas).

Mostre as imagens de Minas e explique que Santos Dumont nasceu em uma cidade que se chamava Palmira (e que passou a se chamar Santos Dumont em homenagem a ele). Diga que eles irão assistir um vídeo que mostra um marcador de tempo utilizado em outra cidade mineira, chamada Diamantina. Exiba o vídeo sobre os sinos: https://www.youtube.com/watch?v=PvgZTgjcVRk . (Acesso em 5 de abril de 2019)

Faça uma análise coletiva do vídeo, perguntando qual era a função dos sinos na cidade de Diamantina. Pergunte aos alunos, seguindo a mesma linha de reflexão sobre o relógio de pulso, quem era o dono do tempo dos sinos (ele estava centralizado pela igreja, mas era acessível a todos, era um elemento coletivo da cidade). A partir da resposta e da reflexão sobre o papel das igrejas, volte ao slide sobre Paris demonstrando a presença de Igrejas na cidade. Peça para que os alunos completem um quadro com as diferenças ou semelhanças entre as duas cidades, disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

O vídeo foi retirado da página do projeto Som dos Sinos, que traz sinos de mais de 9 cidades mineiras, que identificam diferentes eventos através do badalo do sino, compondo um material para exploração de patrimônio imaterial relacionado à cultura da igreja católica e dos negros escravizados no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5fjjH8lru4A e também como aplicativo: http://somdossinos.com.br/app/

Caso queira expandir a exploração do sino como instrumento de marcação de tempo você pode selecionar outros vídeos desse mesmo canal. Caso você não tenha os recursos para exibir o vídeo em sala de aula, você pode trazer imagens dos sineiros, explicando como os sinos funcionam nas pequenas cidades de Minas Gerais.

Para você saber mais:

O texto do slide está disponível no Museu do Amanhã. Ele é parte do material relacionado com a exposição “O poeta voador”. Disponível em: https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para os alunos quem foi Santos Dumont. Leia o texto a seguir sobre a criação do relógio de pulso identifique com os alunos onde o relógio de pulso surgiu, qual era a sua função e os motivos pelos quais foi inventado.

Expanda a questão da utilização a partir da história de Santos Dumont, que precisava cronometrar seus voos e desenhou a peça para a joalheria Cartier, que a desenvolveu. Dumont iria “ganhar tempo” com a invenção desse relógio? Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese de resposta para a questão: Para quais atividades além dos vôos de Dumont os relógios de pulso poderiam ser utilizados naquela época?

Exiba as imagens da cidade de Paris, e explique que elas são da época em que o relógio de pulso passou a ter seu uso popularizado. Indique os boxes com as legendas do que estava acontecendo em cada imagem. Retome as categorias das contextualização: o que faz ganhar tempo, perder tempo e quem é dono do tempo. Converse com os alunos tentando identificar como esses elementos aparecem nas imagens.

Retome a hipótese das atividades que poderiam ser realizadas com o relógio de pulso, refinando a partir da observação das imagens e descartando opções que estejam muito descontextualizadas (observando o que era possível e dando exemplos como não perder a hora encontros e compromissos, horário do trem, horário da escola etc.) Pergunte para eles quem era o dono do tempo do relógio de pulso, refletindo sobre quem utilizava esses relógios (pessoas de elite ou populares? - relembre que ele foi inventado como uma jóia por Cartier, refletindo o quanto ele era acessível para todas as camadas).

Mostre as imagens de Minas e explique que Santos Dumont nasceu em uma cidade que se chamava Palmira (e que passou a se chamar Santos Dumont em homenagem a ele). Diga que eles irão assistir um vídeo que mostra um marcador de tempo utilizado em outra cidade mineira, chamada Diamantina. Exiba o vídeo sobre os sinos: https://www.youtube.com/watch?v=PvgZTgjcVRk . (Acesso em 5 de abril de 2019)

Faça uma análise coletiva do vídeo, perguntando qual era a função dos sinos na cidade de Diamantina. Pergunte aos alunos, seguindo a mesma linha de reflexão sobre o relógio de pulso, quem era o dono do tempo dos sinos (ele estava centralizado pela igreja, mas era acessível a todos, era um elemento coletivo da cidade). A partir da resposta e da reflexão sobre o papel das igrejas, volte ao slide sobre Paris demonstrando a presença de Igrejas na cidade. Peça para que os alunos completem um quadro com as diferenças ou semelhanças entre as duas cidades, disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

O vídeo foi retirado da página do projeto Som dos Sinos, que traz sinos de mais de 9 cidades mineiras, que identificam diferentes eventos através do badalo do sino, compondo um material para exploração de patrimônio imaterial relacionado à cultura da igreja católica e dos negros escravizados no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5fjjH8lru4A e também como aplicativo: http://somdossinos.com.br/app/

Caso queira expandir a exploração do sino como instrumento de marcação de tempo você pode selecionar outros vídeos desse mesmo canal. Caso você não tenha os recursos para exibir o vídeo em sala de aula, você pode trazer imagens dos sineiros, explicando como os sinos funcionam nas pequenas cidades de Minas Gerais.

Para você saber mais:

O texto do slide está disponível no Museu do Amanhã. Ele é parte do material relacionado com a exposição “O poeta voador”. Disponível em: https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para os alunos quem foi Santos Dumont. Leia o texto a seguir sobre a criação do relógio de pulso identifique com os alunos onde o relógio de pulso surgiu, qual era a sua função e os motivos pelos quais foi inventado.

Expanda a questão da utilização a partir da história de Santos Dumont, que precisava cronometrar seus voos e desenhou a peça para a joalheria Cartier, que a desenvolveu. Dumont iria “ganhar tempo” com a invenção desse relógio? Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese de resposta para a questão: Para quais atividades além dos vôos de Dumont os relógios de pulso poderiam ser utilizados naquela época?

Exiba as imagens da cidade de Paris, e explique que elas são da época em que o relógio de pulso passou a ter seu uso popularizado. Indique os boxes com as legendas do que estava acontecendo em cada imagem. Retome as categorias das contextualização: o que faz ganhar tempo, perder tempo e quem é dono do tempo. Converse com os alunos tentando identificar como esses elementos aparecem nas imagens.

Retome a hipótese das atividades que poderiam ser realizadas com o relógio de pulso, refinando a partir da observação das imagens e descartando opções que estejam muito descontextualizadas (observando o que era possível e dando exemplos como não perder a hora encontros e compromissos, horário do trem, horário da escola etc.) Pergunte para eles quem era o dono do tempo do relógio de pulso, refletindo sobre quem utilizava esses relógios (pessoas de elite ou populares? - relembre que ele foi inventado como uma jóia por Cartier, refletindo o quanto ele era acessível para todas as camadas).

Mostre as imagens de Minas e explique que Santos Dumont nasceu em uma cidade que se chamava Palmira (e que passou a se chamar Santos Dumont em homenagem a ele). Diga que eles irão assistir um vídeo que mostra um marcador de tempo utilizado em outra cidade mineira, chamada Diamantina. Exiba o vídeo sobre os sinos: https://www.youtube.com/watch?v=PvgZTgjcVRk . (Acesso em 5 de abril de 2019)

Faça uma análise coletiva do vídeo, perguntando qual era a função dos sinos na cidade de Diamantina. Pergunte aos alunos, seguindo a mesma linha de reflexão sobre o relógio de pulso, quem era o dono do tempo dos sinos (ele estava centralizado pela igreja, mas era acessível a todos, era um elemento coletivo da cidade). A partir da resposta e da reflexão sobre o papel das igrejas, volte ao slide sobre Paris demonstrando a presença de Igrejas na cidade. Peça para que os alunos completem um quadro com as diferenças ou semelhanças entre as duas cidades, disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

O vídeo foi retirado da página do projeto Som dos Sinos, que traz sinos de mais de 9 cidades mineiras, que identificam diferentes eventos através do badalo do sino, compondo um material para exploração de patrimônio imaterial relacionado à cultura da igreja católica e dos negros escravizados no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5fjjH8lru4A e também como aplicativo: http://somdossinos.com.br/app/

Caso queira expandir a exploração do sino como instrumento de marcação de tempo você pode selecionar outros vídeos desse mesmo canal. Caso você não tenha os recursos para exibir o vídeo em sala de aula, você pode trazer imagens dos sineiros, explicando como os sinos funcionam nas pequenas cidades de Minas Gerais.

Para você saber mais:

O texto do slide está disponível no Museu do Amanhã. Ele é parte do material relacionado com a exposição “O poeta voador”. Disponível em: https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para os alunos quem foi Santos Dumont. Leia o texto a seguir sobre a criação do relógio de pulso identifique com os alunos onde o relógio de pulso surgiu, qual era a sua função e os motivos pelos quais foi inventado.

Expanda a questão da utilização a partir da história de Santos Dumont, que precisava cronometrar seus voos e desenhou a peça para a joalheria Cartier, que a desenvolveu. Dumont iria “ganhar tempo” com a invenção desse relógio? Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese de resposta para a questão: Para quais atividades além dos vôos de Dumont os relógios de pulso poderiam ser utilizados naquela época?

Exiba as imagens da cidade de Paris, e explique que elas são da época em que o relógio de pulso passou a ter seu uso popularizado. Indique os boxes com as legendas do que estava acontecendo em cada imagem. Retome as categorias das contextualização: o que faz ganhar tempo, perder tempo e quem é dono do tempo. Converse com os alunos tentando identificar como esses elementos aparecem nas imagens.

Retome a hipótese das atividades que poderiam ser realizadas com o relógio de pulso, refinando a partir da observação das imagens e descartando opções que estejam muito descontextualizadas (observando o que era possível e dando exemplos como não perder a hora encontros e compromissos, horário do trem, horário da escola etc.) Pergunte para eles quem era o dono do tempo do relógio de pulso, refletindo sobre quem utilizava esses relógios (pessoas de elite ou populares? - relembre que ele foi inventado como uma jóia por Cartier, refletindo o quanto ele era acessível para todas as camadas).

Mostre as imagens de Minas e explique que Santos Dumont nasceu em uma cidade que se chamava Palmira (e que passou a se chamar Santos Dumont em homenagem a ele). Diga que eles irão assistir um vídeo que mostra um marcador de tempo utilizado em outra cidade mineira, chamada Diamantina. Exiba o vídeo sobre os sinos: https://www.youtube.com/watch?v=PvgZTgjcVRk . (Acesso em 5 de abril de 2019)

Faça uma análise coletiva do vídeo, perguntando qual era a função dos sinos na cidade de Diamantina. Pergunte aos alunos, seguindo a mesma linha de reflexão sobre o relógio de pulso, quem era o dono do tempo dos sinos (ele estava centralizado pela igreja, mas era acessível a todos, era um elemento coletivo da cidade). A partir da resposta e da reflexão sobre o papel das igrejas, volte ao slide sobre Paris demonstrando a presença de Igrejas na cidade. Peça para que os alunos completem um quadro com as diferenças ou semelhanças entre as duas cidades, disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

O vídeo foi retirado da página do projeto Som dos Sinos, que traz sinos de mais de 9 cidades mineiras, que identificam diferentes eventos através do badalo do sino, compondo um material para exploração de patrimônio imaterial relacionado à cultura da igreja católica e dos negros escravizados no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5fjjH8lru4A e também como aplicativo: http://somdossinos.com.br/app/

Caso queira expandir a exploração do sino como instrumento de marcação de tempo você pode selecionar outros vídeos desse mesmo canal. Caso você não tenha os recursos para exibir o vídeo em sala de aula, você pode trazer imagens dos sineiros, explicando como os sinos funcionam nas pequenas cidades de Minas Gerais.

Para você saber mais:

O texto do slide está disponível no Museu do Amanhã. Ele é parte do material relacionado com a exposição “O poeta voador”. Disponível em: https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Inicie a sistematização retomando o quadro. Discuta o tamanho das cidades e a existência da tecnologia apontando como algo que acelera a vida cotidiana e que torna o tempo mais individualizado - as pessoas que tem relógio e que não dependem da Igreja se torna mais donas de seu tempo pois tem maior capacidade de controlá-lo. Retome o questionamento do porque medimos o tempo e porque as pessoas dos dois contextos precisavam medir o tempo. Destaque os títulos e a ideia dos ritmos para conversar sobre a aceleração. Como sistematização, peça para que os alunos escrevam uma história breve sobre a vida de Santos Dumont antes de ir para Paris, vivendo no ritmo dos sinos.

Como adequar à sua realidade: A reflexão sobre o controle do tempo pode ser vista através do contraponto sobre a aceleração e a falta de tempo para atividades que não são utilitárias - como a contemplação da natureza, jogar conversa fora ou tocar um instrumento por prazer. O tempo do ócio também é um tempo útil, pois nele relaxamos, criamos e vivemos muitas experiências importantes. Para conduzir os alunos nessa discussão você deve estar atento ao perfil da sala. Esse plano de aula é bastante reflexivo e os alunos devem dar o tom da conversa para que não fique algo centralizado exclusivamente no professor. Para o desenvolvimento da história pense também nas formas adequadas para a turma. Se for preciso, dê mais detalhes sobre a biografia de Santos Dumont, explicando com quantos anos ele foi morar em Paris e o que fazia na cidade antes de ir para lá. O importante é que os alunos consigam contemporizar que sua vida em Minas tinha muito mais a presença dos marcadores de tempo coletivo, e que a vida não era acelerada e permeada pela modernidade e pelo tempo dos relógios de pulso de Paris. Você pode deixar o formato da história em aberto. Histórias em quadrinhos podem ser interessantes para alunos com habilidades e interesses em desenhos, e narrativas também podem servir de recurso para a sistematização das ideias apresentadas.

Para você saber mais:

Esse infográfico do site do jornal Estadão é uma boa fonte de informações biográficas sobre Santos Dumont.

http://infograficos.estadao.com.br/especiais/a-redescoberta-de-santos-dumont/capitulo-2.php (Acesso em 5 de abril de 2019)

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF05HI08 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Essa aula procura explorar através da criação do relógio de pulso o uso dos instrumentos de marcação de tempo e a individualização e controle do tempo pelas pessoas nos grandes centros urbanos da época. Em oposição apresentamos os sinos de igrejas, marcadores de tempo de momentos coletivos nas pequenas cidades de Minas Gerais onde nasceu o inventor do relógio de pulso, Santos Dumont.

Materiais necessários: Cadernos ou folhas para anotação dos alunos.

Material complementar: (Tabela comparativa: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

cartões https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6jNeuEQgsrG8eUFNcvPNsehY4Csg9USaJ9ec4h8yvUVaDpHmQyFGkK9WeRuX/his5-08und07-cartoes.pdf

Para você saber mais:

https://www.youtube.com/watch?v=4KWJVXoj-Po 20’’00 até 26’’35’ (Acesso em 5 de abril de 2019)

https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4414384/mod_resource/content/1/TEMPO%2C%20DISCIPLINA%20DE%20TRABALHO%20E%20CAPITALISMO%20INDUSTRIAL.%20Costumes%20em%20comum.%20THOMPSON%2C%20E.%20P.%202005.pdf (Acesso em 5 de abril de 2019)

http://infograficos.estadao.com.br/especiais/a-redescoberta-de-santos-dumont/capitulo-2.php (Acesso em 5 de abril de 2019)

https://medium.com/itau/o-enigma-do-tempo-9560834ebbd8 (Acesso em 5 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Explique para os alunos que eles irão explorar a história do relógio de pulso, o momento e o espaço de sua criação. Ao mesmo tempo, irão refletir sobre quem teve acesso a eles e como eles se popularizaram.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para as crianças o que elas entendem pela frase: “é preciso ganhar tempo!”. Entregue para eles cartões (disponíveis nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6jNeuEQgsrG8eUFNcvPNsehY4Csg9USaJ9ec4h8yvUVaDpHmQyFGkK9WeRuX/his5-08und07-cartoes.pdf) e peça para que eles separem esses objetos em três categorias: o que faz ganhar tempo (meios de transporte, máquinas, fogo, luz elétrica etc) ; o que é perda de tempo (televisão, trânsito, filas etc); o que é dono do tempo (relógio, sirenes, sino de igreja, celular, calendário etc). Dê por volta de cinco minutos para separarem os cartões nas categorias.

Faça o compartilhamento entre a sala de onde os alunos colocaram cada figura, refletindo como os objetos nos fazem economizar tempo no cotidiano. Pergunte para que eles usam o tempo que economizam. Dê exemplos como acordar um pouco mais tarde por usar um transporte mais rápido, cozinhar um alimento mais rápido por utilizar gás de cozinha ao invés de fogão à lenha ou a panela de pressão etc.

Encerre a reflexão perguntando sobre a categoria “o que é dono do tempo”, explorando os elementos que aparecem nas imagens. Pergunte qual a forma que eles mais utilizam para ver as horas, e o que eles fariam se não tivessem um relógio no seu cotidiano. Quais os problemas que teríamos? Anote algumas hipóteses dos alunos. Encerre a contextualização perguntando aos alunos porque medimos o tempo.

Dentre as imagens dos cartões que os alunos devem separar existem algumas imagens que geram discussões interessantes sobre a relatividade da ideia de perda de tempo. Além dessas, outras podem trabalhar a ideia da passagem de tempo e da relação entre o presente e o futuro (como a da separação do lixo). Você pode escolher dentre as imagens quais acha mais adequadas para a reflexão de sua turma, lembrando que nessa etapa é importante que os alunos façam a reflexão sobre os marcadores de tempo e as atividades onde utilizamos instrumentos tecnológicos que nos permitem gastar menos tempo em atividades do cotidiano.

Para você saber mais: Para refletir sobre o uso do tempo em nosso cotidiano e a ideia de aceleração sugerimos a fala de Daniel Munduruku em uma Palestra proferida no dia 13 de Novembro de 2017, no Centro de Estudos Budistas Bodisatva Caminho do Meio. A fala de Daniel está localizada entre 20’’00 até 26’’35’. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=4KWJVXoj-Po (Acesso em 5 de abril de 2019)

Sugerimos também a leitura do artigo “O Enigma do tempo” do físico Marcelo Gleiser para refletir sobre a relatividade do tempo que passa. Disponível em:

https://medium.com/itau/o-enigma-do-tempo-9560834ebbd8 (Acesso em 5 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para os alunos quem foi Santos Dumont. Leia o texto a seguir sobre a criação do relógio de pulso identifique com os alunos onde o relógio de pulso surgiu, qual era a sua função e os motivos pelos quais foi inventado.

Expanda a questão da utilização a partir da história de Santos Dumont, que precisava cronometrar seus voos e desenhou a peça para a joalheria Cartier, que a desenvolveu. Dumont iria “ganhar tempo” com a invenção desse relógio? Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese de resposta para a questão: Para quais atividades além dos vôos de Dumont os relógios de pulso poderiam ser utilizados naquela época?

Exiba as imagens da cidade de Paris, e explique que elas são da época em que o relógio de pulso passou a ter seu uso popularizado. Indique os boxes com as legendas do que estava acontecendo em cada imagem. Retome as categorias das contextualização: o que faz ganhar tempo, perder tempo e quem é dono do tempo. Converse com os alunos tentando identificar como esses elementos aparecem nas imagens.

Retome a hipótese das atividades que poderiam ser realizadas com o relógio de pulso, refinando a partir da observação das imagens e descartando opções que estejam muito descontextualizadas (observando o que era possível e dando exemplos como não perder a hora encontros e compromissos, horário do trem, horário da escola etc.) Pergunte para eles quem era o dono do tempo do relógio de pulso, refletindo sobre quem utilizava esses relógios (pessoas de elite ou populares? - relembre que ele foi inventado como uma jóia por Cartier, refletindo o quanto ele era acessível para todas as camadas).

Mostre as imagens de Minas e explique que Santos Dumont nasceu em uma cidade que se chamava Palmira (e que passou a se chamar Santos Dumont em homenagem a ele). Diga que eles irão assistir um vídeo que mostra um marcador de tempo utilizado em outra cidade mineira, chamada Diamantina. Exiba o vídeo sobre os sinos: https://www.youtube.com/watch?v=PvgZTgjcVRk . (Acesso em 5 de abril de 2019)

Faça uma análise coletiva do vídeo, perguntando qual era a função dos sinos na cidade de Diamantina. Pergunte aos alunos, seguindo a mesma linha de reflexão sobre o relógio de pulso, quem era o dono do tempo dos sinos (ele estava centralizado pela igreja, mas era acessível a todos, era um elemento coletivo da cidade). A partir da resposta e da reflexão sobre o papel das igrejas, volte ao slide sobre Paris demonstrando a presença de Igrejas na cidade. Peça para que os alunos completem um quadro com as diferenças ou semelhanças entre as duas cidades, disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

O vídeo foi retirado da página do projeto Som dos Sinos, que traz sinos de mais de 9 cidades mineiras, que identificam diferentes eventos através do badalo do sino, compondo um material para exploração de patrimônio imaterial relacionado à cultura da igreja católica e dos negros escravizados no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5fjjH8lru4A e também como aplicativo: http://somdossinos.com.br/app/

Caso queira expandir a exploração do sino como instrumento de marcação de tempo você pode selecionar outros vídeos desse mesmo canal. Caso você não tenha os recursos para exibir o vídeo em sala de aula, você pode trazer imagens dos sineiros, explicando como os sinos funcionam nas pequenas cidades de Minas Gerais.

Para você saber mais:

O texto do slide está disponível no Museu do Amanhã. Ele é parte do material relacionado com a exposição “O poeta voador”. Disponível em: https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para os alunos quem foi Santos Dumont. Leia o texto a seguir sobre a criação do relógio de pulso identifique com os alunos onde o relógio de pulso surgiu, qual era a sua função e os motivos pelos quais foi inventado.

Expanda a questão da utilização a partir da história de Santos Dumont, que precisava cronometrar seus voos e desenhou a peça para a joalheria Cartier, que a desenvolveu. Dumont iria “ganhar tempo” com a invenção desse relógio? Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese de resposta para a questão: Para quais atividades além dos vôos de Dumont os relógios de pulso poderiam ser utilizados naquela época?

Exiba as imagens da cidade de Paris, e explique que elas são da época em que o relógio de pulso passou a ter seu uso popularizado. Indique os boxes com as legendas do que estava acontecendo em cada imagem. Retome as categorias das contextualização: o que faz ganhar tempo, perder tempo e quem é dono do tempo. Converse com os alunos tentando identificar como esses elementos aparecem nas imagens.

Retome a hipótese das atividades que poderiam ser realizadas com o relógio de pulso, refinando a partir da observação das imagens e descartando opções que estejam muito descontextualizadas (observando o que era possível e dando exemplos como não perder a hora encontros e compromissos, horário do trem, horário da escola etc.) Pergunte para eles quem era o dono do tempo do relógio de pulso, refletindo sobre quem utilizava esses relógios (pessoas de elite ou populares? - relembre que ele foi inventado como uma jóia por Cartier, refletindo o quanto ele era acessível para todas as camadas).

Mostre as imagens de Minas e explique que Santos Dumont nasceu em uma cidade que se chamava Palmira (e que passou a se chamar Santos Dumont em homenagem a ele). Diga que eles irão assistir um vídeo que mostra um marcador de tempo utilizado em outra cidade mineira, chamada Diamantina. Exiba o vídeo sobre os sinos: https://www.youtube.com/watch?v=PvgZTgjcVRk . (Acesso em 5 de abril de 2019)

Faça uma análise coletiva do vídeo, perguntando qual era a função dos sinos na cidade de Diamantina. Pergunte aos alunos, seguindo a mesma linha de reflexão sobre o relógio de pulso, quem era o dono do tempo dos sinos (ele estava centralizado pela igreja, mas era acessível a todos, era um elemento coletivo da cidade). A partir da resposta e da reflexão sobre o papel das igrejas, volte ao slide sobre Paris demonstrando a presença de Igrejas na cidade. Peça para que os alunos completem um quadro com as diferenças ou semelhanças entre as duas cidades, disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

O vídeo foi retirado da página do projeto Som dos Sinos, que traz sinos de mais de 9 cidades mineiras, que identificam diferentes eventos através do badalo do sino, compondo um material para exploração de patrimônio imaterial relacionado à cultura da igreja católica e dos negros escravizados no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5fjjH8lru4A e também como aplicativo: http://somdossinos.com.br/app/

Caso queira expandir a exploração do sino como instrumento de marcação de tempo você pode selecionar outros vídeos desse mesmo canal. Caso você não tenha os recursos para exibir o vídeo em sala de aula, você pode trazer imagens dos sineiros, explicando como os sinos funcionam nas pequenas cidades de Minas Gerais.

Para você saber mais:

O texto do slide está disponível no Museu do Amanhã. Ele é parte do material relacionado com a exposição “O poeta voador”. Disponível em: https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para os alunos quem foi Santos Dumont. Leia o texto a seguir sobre a criação do relógio de pulso identifique com os alunos onde o relógio de pulso surgiu, qual era a sua função e os motivos pelos quais foi inventado.

Expanda a questão da utilização a partir da história de Santos Dumont, que precisava cronometrar seus voos e desenhou a peça para a joalheria Cartier, que a desenvolveu. Dumont iria “ganhar tempo” com a invenção desse relógio? Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese de resposta para a questão: Para quais atividades além dos vôos de Dumont os relógios de pulso poderiam ser utilizados naquela época?

Exiba as imagens da cidade de Paris, e explique que elas são da época em que o relógio de pulso passou a ter seu uso popularizado. Indique os boxes com as legendas do que estava acontecendo em cada imagem. Retome as categorias das contextualização: o que faz ganhar tempo, perder tempo e quem é dono do tempo. Converse com os alunos tentando identificar como esses elementos aparecem nas imagens.

Retome a hipótese das atividades que poderiam ser realizadas com o relógio de pulso, refinando a partir da observação das imagens e descartando opções que estejam muito descontextualizadas (observando o que era possível e dando exemplos como não perder a hora encontros e compromissos, horário do trem, horário da escola etc.) Pergunte para eles quem era o dono do tempo do relógio de pulso, refletindo sobre quem utilizava esses relógios (pessoas de elite ou populares? - relembre que ele foi inventado como uma jóia por Cartier, refletindo o quanto ele era acessível para todas as camadas).

Mostre as imagens de Minas e explique que Santos Dumont nasceu em uma cidade que se chamava Palmira (e que passou a se chamar Santos Dumont em homenagem a ele). Diga que eles irão assistir um vídeo que mostra um marcador de tempo utilizado em outra cidade mineira, chamada Diamantina. Exiba o vídeo sobre os sinos: https://www.youtube.com/watch?v=PvgZTgjcVRk . (Acesso em 5 de abril de 2019)

Faça uma análise coletiva do vídeo, perguntando qual era a função dos sinos na cidade de Diamantina. Pergunte aos alunos, seguindo a mesma linha de reflexão sobre o relógio de pulso, quem era o dono do tempo dos sinos (ele estava centralizado pela igreja, mas era acessível a todos, era um elemento coletivo da cidade). A partir da resposta e da reflexão sobre o papel das igrejas, volte ao slide sobre Paris demonstrando a presença de Igrejas na cidade. Peça para que os alunos completem um quadro com as diferenças ou semelhanças entre as duas cidades, disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

O vídeo foi retirado da página do projeto Som dos Sinos, que traz sinos de mais de 9 cidades mineiras, que identificam diferentes eventos através do badalo do sino, compondo um material para exploração de patrimônio imaterial relacionado à cultura da igreja católica e dos negros escravizados no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5fjjH8lru4A e também como aplicativo: http://somdossinos.com.br/app/

Caso queira expandir a exploração do sino como instrumento de marcação de tempo você pode selecionar outros vídeos desse mesmo canal. Caso você não tenha os recursos para exibir o vídeo em sala de aula, você pode trazer imagens dos sineiros, explicando como os sinos funcionam nas pequenas cidades de Minas Gerais.

Para você saber mais:

O texto do slide está disponível no Museu do Amanhã. Ele é parte do material relacionado com a exposição “O poeta voador”. Disponível em: https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para os alunos quem foi Santos Dumont. Leia o texto a seguir sobre a criação do relógio de pulso identifique com os alunos onde o relógio de pulso surgiu, qual era a sua função e os motivos pelos quais foi inventado.

Expanda a questão da utilização a partir da história de Santos Dumont, que precisava cronometrar seus voos e desenhou a peça para a joalheria Cartier, que a desenvolveu. Dumont iria “ganhar tempo” com a invenção desse relógio? Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese de resposta para a questão: Para quais atividades além dos vôos de Dumont os relógios de pulso poderiam ser utilizados naquela época?

Exiba as imagens da cidade de Paris, e explique que elas são da época em que o relógio de pulso passou a ter seu uso popularizado. Indique os boxes com as legendas do que estava acontecendo em cada imagem. Retome as categorias das contextualização: o que faz ganhar tempo, perder tempo e quem é dono do tempo. Converse com os alunos tentando identificar como esses elementos aparecem nas imagens.

Retome a hipótese das atividades que poderiam ser realizadas com o relógio de pulso, refinando a partir da observação das imagens e descartando opções que estejam muito descontextualizadas (observando o que era possível e dando exemplos como não perder a hora encontros e compromissos, horário do trem, horário da escola etc.) Pergunte para eles quem era o dono do tempo do relógio de pulso, refletindo sobre quem utilizava esses relógios (pessoas de elite ou populares? - relembre que ele foi inventado como uma jóia por Cartier, refletindo o quanto ele era acessível para todas as camadas).

Mostre as imagens de Minas e explique que Santos Dumont nasceu em uma cidade que se chamava Palmira (e que passou a se chamar Santos Dumont em homenagem a ele). Diga que eles irão assistir um vídeo que mostra um marcador de tempo utilizado em outra cidade mineira, chamada Diamantina. Exiba o vídeo sobre os sinos: https://www.youtube.com/watch?v=PvgZTgjcVRk . (Acesso em 5 de abril de 2019)

Faça uma análise coletiva do vídeo, perguntando qual era a função dos sinos na cidade de Diamantina. Pergunte aos alunos, seguindo a mesma linha de reflexão sobre o relógio de pulso, quem era o dono do tempo dos sinos (ele estava centralizado pela igreja, mas era acessível a todos, era um elemento coletivo da cidade). A partir da resposta e da reflexão sobre o papel das igrejas, volte ao slide sobre Paris demonstrando a presença de Igrejas na cidade. Peça para que os alunos completem um quadro com as diferenças ou semelhanças entre as duas cidades, disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

O vídeo foi retirado da página do projeto Som dos Sinos, que traz sinos de mais de 9 cidades mineiras, que identificam diferentes eventos através do badalo do sino, compondo um material para exploração de patrimônio imaterial relacionado à cultura da igreja católica e dos negros escravizados no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5fjjH8lru4A e também como aplicativo: http://somdossinos.com.br/app/

Caso queira expandir a exploração do sino como instrumento de marcação de tempo você pode selecionar outros vídeos desse mesmo canal. Caso você não tenha os recursos para exibir o vídeo em sala de aula, você pode trazer imagens dos sineiros, explicando como os sinos funcionam nas pequenas cidades de Minas Gerais.

Para você saber mais:

O texto do slide está disponível no Museu do Amanhã. Ele é parte do material relacionado com a exposição “O poeta voador”. Disponível em: https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a problematização perguntando para os alunos quem foi Santos Dumont. Leia o texto a seguir sobre a criação do relógio de pulso identifique com os alunos onde o relógio de pulso surgiu, qual era a sua função e os motivos pelos quais foi inventado.

Expanda a questão da utilização a partir da história de Santos Dumont, que precisava cronometrar seus voos e desenhou a peça para a joalheria Cartier, que a desenvolveu. Dumont iria “ganhar tempo” com a invenção desse relógio? Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese de resposta para a questão: Para quais atividades além dos vôos de Dumont os relógios de pulso poderiam ser utilizados naquela época?

Exiba as imagens da cidade de Paris, e explique que elas são da época em que o relógio de pulso passou a ter seu uso popularizado. Indique os boxes com as legendas do que estava acontecendo em cada imagem. Retome as categorias das contextualização: o que faz ganhar tempo, perder tempo e quem é dono do tempo. Converse com os alunos tentando identificar como esses elementos aparecem nas imagens.

Retome a hipótese das atividades que poderiam ser realizadas com o relógio de pulso, refinando a partir da observação das imagens e descartando opções que estejam muito descontextualizadas (observando o que era possível e dando exemplos como não perder a hora encontros e compromissos, horário do trem, horário da escola etc.) Pergunte para eles quem era o dono do tempo do relógio de pulso, refletindo sobre quem utilizava esses relógios (pessoas de elite ou populares? - relembre que ele foi inventado como uma jóia por Cartier, refletindo o quanto ele era acessível para todas as camadas).

Mostre as imagens de Minas e explique que Santos Dumont nasceu em uma cidade que se chamava Palmira (e que passou a se chamar Santos Dumont em homenagem a ele). Diga que eles irão assistir um vídeo que mostra um marcador de tempo utilizado em outra cidade mineira, chamada Diamantina. Exiba o vídeo sobre os sinos: https://www.youtube.com/watch?v=PvgZTgjcVRk . (Acesso em 5 de abril de 2019)

Faça uma análise coletiva do vídeo, perguntando qual era a função dos sinos na cidade de Diamantina. Pergunte aos alunos, seguindo a mesma linha de reflexão sobre o relógio de pulso, quem era o dono do tempo dos sinos (ele estava centralizado pela igreja, mas era acessível a todos, era um elemento coletivo da cidade). A partir da resposta e da reflexão sobre o papel das igrejas, volte ao slide sobre Paris demonstrando a presença de Igrejas na cidade. Peça para que os alunos completem um quadro com as diferenças ou semelhanças entre as duas cidades, disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/83pUBhAAuvNPf5xY3rcQkS8Xun7Hs4chu4U2dbsKZ3Su23rBfZJBqpbXUSEr/his5-08und07-tabela-comparativa.pdf

O vídeo foi retirado da página do projeto Som dos Sinos, que traz sinos de mais de 9 cidades mineiras, que identificam diferentes eventos através do badalo do sino, compondo um material para exploração de patrimônio imaterial relacionado à cultura da igreja católica e dos negros escravizados no Brasil. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=5fjjH8lru4A e também como aplicativo: http://somdossinos.com.br/app/

Caso queira expandir a exploração do sino como instrumento de marcação de tempo você pode selecionar outros vídeos desse mesmo canal. Caso você não tenha os recursos para exibir o vídeo em sala de aula, você pode trazer imagens dos sineiros, explicando como os sinos funcionam nas pequenas cidades de Minas Gerais.

Para você saber mais:

O texto do slide está disponível no Museu do Amanhã. Ele é parte do material relacionado com a exposição “O poeta voador”. Disponível em: https://museudoamanha.org.br/pt-br/santos-dumont-genialidade-com-os-pes-no-chao (Acesso em 5 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Inicie a sistematização retomando o quadro. Discuta o tamanho das cidades e a existência da tecnologia apontando como algo que acelera a vida cotidiana e que torna o tempo mais individualizado - as pessoas que tem relógio e que não dependem da Igreja se torna mais donas de seu tempo pois tem maior capacidade de controlá-lo. Retome o questionamento do porque medimos o tempo e porque as pessoas dos dois contextos precisavam medir o tempo. Destaque os títulos e a ideia dos ritmos para conversar sobre a aceleração. Como sistematização, peça para que os alunos escrevam uma história breve sobre a vida de Santos Dumont antes de ir para Paris, vivendo no ritmo dos sinos.

Como adequar à sua realidade: A reflexão sobre o controle do tempo pode ser vista através do contraponto sobre a aceleração e a falta de tempo para atividades que não são utilitárias - como a contemplação da natureza, jogar conversa fora ou tocar um instrumento por prazer. O tempo do ócio também é um tempo útil, pois nele relaxamos, criamos e vivemos muitas experiências importantes. Para conduzir os alunos nessa discussão você deve estar atento ao perfil da sala. Esse plano de aula é bastante reflexivo e os alunos devem dar o tom da conversa para que não fique algo centralizado exclusivamente no professor. Para o desenvolvimento da história pense também nas formas adequadas para a turma. Se for preciso, dê mais detalhes sobre a biografia de Santos Dumont, explicando com quantos anos ele foi morar em Paris e o que fazia na cidade antes de ir para lá. O importante é que os alunos consigam contemporizar que sua vida em Minas tinha muito mais a presença dos marcadores de tempo coletivo, e que a vida não era acelerada e permeada pela modernidade e pelo tempo dos relógios de pulso de Paris. Você pode deixar o formato da história em aberto. Histórias em quadrinhos podem ser interessantes para alunos com habilidades e interesses em desenhos, e narrativas também podem servir de recurso para a sistematização das ideias apresentadas.

Para você saber mais:

Esse infográfico do site do jornal Estadão é uma boa fonte de informações biográficas sobre Santos Dumont.

http://infograficos.estadao.com.br/especiais/a-redescoberta-de-santos-dumont/capitulo-2.php (Acesso em 5 de abril de 2019)

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Registros da história: linguagens e culturas do 5º ano :

MAIS AULAS DE História do 5º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF05HI08 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano