16960
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 8º ano > Conexões e escalas

Plano de aula - Banco Mundial e FMI: atuação nos países da América Latina

Plano de aula de Geografia com atividades para 8º ano do Fundamental sobre compreender as singularidades do Banco Mundial e do FMI e atuação desses organismos em países em desenvolvimento, especialmente na América Latina.

Plano 02 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Mariana Soares Domingues

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08GE06 que tem como objetivo analisar a atuação das organizações mundiais nos processos de integração cultural e econômica nos contextos americano e africano, reconhecendo, em seus lugares de vivência, marcas desses processos. Como esta habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. A longo prazo você poderá contemplar a habilidade EF08GE05 que busca aplicar os conceitos de Estado, nação, território, governo e país para o entendimento de conflitos e tensões na contemporaneidade, com destaque para as situações geopolíticas na América suas múltiplas regionalizações a partir do pós-guerra. Também a habilidade EF08GE07 que trata dos impactos geoeconômicos, geoestratégicos e geopolíticos da ascensão dos Estados Unidos da América no cenário internacional em sua posição de liderança global e a habilidade EF08GE08 que analisa a situação do Brasil e de outros países da América Latina, assim como da potência estadunidense na ordem mundial do pós-guerra, poderão ser tratadas posteriormente ou ao longo do desenvolvimento desse plano.

Materiais necessários: Papel sulfite, caneta ou lápis, exibição da charge da Mafalda nº 30 de 18/01/2006, disponível em: http://clubedamafalda.blogspot.com/2006_01_01_archive.html#.XHWb08BKjIU ou em http://culturahispana2f.blogspot.com/2011/06/tira-da-mafalda-quem-manda-no.html. Acesso em 26/02/2019.

E Tabela: Débitos acumulados do FMI em milhões de dólares em países da América Latina em alguns períodos selecionados, Elaboração própria a partir de dados disponível em: http://www.scielo.org.mx/pdf/alhe/v25n1/2007-3496-alhe-25-01-00275.pdf. Acesso em 27/02/2019.

Material complementar: Nesse material há: 1.Transcrição do diálogo entre Mafalda e sua mãe da charge sugerida para essa aula (Fonte: http://clubedamafalda.blogspot.com/2006_01_01_archive.html#.XHWbYMBKjIU ou em http://culturahispana2f.blogspot.com/2011/06/tira-da-mafalda-quem-manda-no.html. Acesso em 26/02/2019): https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/BTQuhgnxhMefY8zcBTv2DHUqpVCmFNeaK3bYgxMdwCMMqq3F7GqAWCsmRrqs/geo08-06und02-charge-da-mafalda-e-tabela.pdf

2. Tabela: Débitos acumulados do FMI em milhões de dólares em países da América Latina em alguns períodos selecionados, apresentado no slide 6 (Elaboração própria, Fonte: “Etapas históricas da relação entre o FMI e a América Latina - 1944-2015)” de Nemiña, P. y Larralde, J. 2018, pág. 284, disponível em: http://www.scielo.org.mx/pdf/alhe/v25n1/2007-3496-alhe-25-01-00275.pdf. Acesso em 27/02/2019)

Link para a charge: Charge da Mafalda nº 30 de 18/01/2006, disponível em: http://clubedamafalda.blogspot.com/2006_01_01_archive.html#.XHWb08BKjIU ou em http://culturahispana2f.blogspot.com/2011/06/tira-da-mafalda-quem-manda-no.html. Acesso em 26/02/2019.

Para você saber mais:

Os links relacionados apresentam a diferença entre o FMI e o BIRD – Banco Mundial. Disponíveis em: https://www.educacao.cc/financeira/diferenca-entre-o-fmi-e-o-bird-banco-mundial/ (Acesso em 27/02/2019); https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2001/010000_economia2.shtml (Acesso em 27/02/2019)e https://www.dw.com/pt-br/1945-funda%C3%A7%C3%A3o-do-fmi-e-do-banco-mundial/a-358559 (Acesso em 27/02/2019).

Sobre o Clube de Paris, acesse: https://queconceito.com.br/clube-de-paris. Acesso em 27/02/2019.

A reportagem “Brasil é o terceiro país com maior dívida externa, atrás da Espanha e EUA” aborda sobre a atual dívida do país, disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2014/09/30/economia/1412081072_163414.html. Acesso em 27/02/2019.

O artigo: “As repercussões do acordo com FMI sobre os ajustes da economia brasileira” de Oliveira, L. R. (2006), aborda as repercussões dos acordos do Brasil com FMI, disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/rpe/article/view/11855. Acesso em 27/02/2019.

O link: https://www.bancomundial.org/es/region/lac apresenta todo o panorama e perspectivas do Banco Mundial acerca dos países latino americanos. Acesso em 27/02/2019. Assim como o artigo “Banco Mundial, reforma dos Estados e ajuste das políticas sociais na América Latina” de Pereira, J. M. S. ( 2018), disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v23n7/1413-8123-csc-23-07-2187.pdf. Acesso em 27/02/2019.

A reportagem : “A sombra do FMI paira novamente sobre a América Latina“ apresenta o histórico dos empréstimos do FMI aos países latinoamericanos, disponível em: http://www.vermelho.org.br/noticia/310907-1. Acesso em 27/02/2019.

Já as reportagens “América Latina deve duplicar seu ritmo de crescimento neste ano“ do jornal El país, disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/01/09/internacional/1515500241_937177.html (Acesso em 27/02/2019); e “ Previsões do FMI para América Latina e Caribe em 2018 e 2019” abordam as projeções recentes do Banco Mundial e FMI para esses países, disponível em: https://istoe.com.br/previsoes-do-fmi-para-america-latina-e-caribe-em-2018-e-2019-3/. Acesso em 27/02/2019.

A notícia: “FMI sugere maior integração financeira na América Latina” aborda o tema a partir da integraçaõ econômica dos países da América Latina, disponível em: https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/2016/03/economia/491069-fmi-sugere-maior-integracao-financeira-na-america-latina.html. Acesso em 27/02/2019.

O artigo “Etapas históricas da relação entre o FMI e a América Latina (1944-2015)” de Nemiña, P. y Larralde, J. (2018), apresenta esse histórico, disponível em: http://www.scielo.org.mx/pdf/alhe/v25n1/2007-3496-alhe-25-01-00275.pdf. Acesso em 27/02/2019.

Contextos prévios: Para o desenvolvimento desse plano é interessante que o aluno tenha noções de globalização e geopolítica, principalmente do contexto do momento pós II Guerra Mundial com Conferência de Bretton Woods (1944) e criação dos Órgãos Internacionais: FMI (Fundo Monetário Internacional) e Banco Mundial.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Explique aos alunos que esse plano de aula busca compreender o contexto histórico da criação dos Organismos Financeiros Internacionais como Banco Mundial e FMI (Fundo Monetário Internacional) e sua atuação nos países da América Latina. A partir da charge da Mafalda busca-se entender como esses organismos atuam nos países latino americanos e o poder de comando sobre seus governos através de seus empréstimos e imposição de políticas econômicas inflexíveis. Se achar conveniente, para ampliar os conhecimentos dos alunos solicite-os que busquem informações sobre esses Organismos Internacionais, principalmente acerca de sua criação e políticas impostas nos países e tragam em sala de aula no dia do desenvolvimento desse plano. Há alguma sugestões de sites de consulta acerca do assunto em “Para saber mais”. Senão, você pode solicitar que consultem o livro didático em uso na sala de aula para buscar as informações que serão solicitadas.

Eles deverão, ao longo do plano, dividir-se em grupos de 2 a 4 pessoas.

Como adequar à sua realidade: O Brasil obteve significativos empréstimos do FMI que colaboraram para aumento da sua dívida externa, principalmente nos anos 1990. Se achar conveniente cite que as dívidas externas brasileiras atingiu cerca de US$ 53 bilhões em 1980, US$ 95 bilhões em 1990, US$ 129 bilhões em 1995; US$ 215 bilhões em 2000. A partir daí verificou-se queda devido ao aumento de dívida interna. Em 2005, a dívida pública líquida (interna e externa) atingiu mais de um bilhão de reais, equivalente a 51% do PIB do país.

A reportagem “Brasil é o terceiro país com maior dívida externa, atrás da Espanha e EUA” aborda sobre a atual dívida do país, disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2014/09/30/economia/1412081072_163414.html. Acesso em 27/02/2019.

O artigo: “As repercussões do acordo com FMI sobre os ajustes da economia brasileira” de Oliveira, L. R. (2006), aborda as repercussões dos acordos do Brasil com FMI, disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/rpe/article/view/11855. Acesso em 27/02/2019.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações: Para a contextualização dessa aula inicie lendo a charge da Mafalda indicada. Está disponível em: http://clubedamafalda.blogspot.com/2006_01_01_archive.html#.XHWb08BKjIU nº 30 de 18/01/2006 ou em http://culturahispana2f.blogspot.com/2011/06/tira-da-mafalda-quem-manda-no.html. Acesso em 26/02/2019.

Faça a exibição da charge para os alunos. Se possível em projetor em sala de aula ou sala adequada para tal. Solicite que prestem atenção sobre os temas abordados na charge. Se achar necessário, leia-a em voz alta.

Caso haja dificuldade em função de material disponível você pode solicitar que os alunos acessem a charge de seus aparelhos celulares, computadores ou em casa. No material complementar disponível desse plano há transcrição do diálogo entre Mafalda e sua mãe, que pode ser impresso para consulta dos alunos, caso haja necessidade.

Material complementar

Charge da Mafalda: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/BTQuhgnxhMefY8zcBTv2DHUqpVCmFNeaK3bYgxMdwCMMqq3F7GqAWCsmRrqs/geo08-06und02-charge-da-mafalda-e-tabela.pdf

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: A charge busca demonstrar que os Organismos Financeiros citados pela mão de Mafalda (Banco Mundial, Clube de Paris e FMI) tem maior comando, domínio nos países do que seus próprios governos. Por serem Instituições Financeiras que concederam empréstimos onerosos aos países da América Latina e África após a II Guerra Mundial, adquiriram considerável parcela de títulos das dívidas públicas, ou seja, tem grande controle sobre as finanças dos países pelo pagamento dessas dívidas e altos juros inerentes a elas. Em suma, o Banco Mundial e o FMI fornecem empréstimos e assessoria econômica e em, troca, os países auxiliados se submetem às duras políticas econômicas impostas por essas instituições. Já o Clube de Paris é um grupo de credores cuja finalidade é a disponibilização de crédito para o pagamento das dívidas dos países devedores, bem como efetuar a reestruturação destas dívidas, em suma, são 22 países com a missão de ajudar financeiramente países com dificuldades econômicas.

Assim, em função das dívidas externas, muitas vezes essas Instituições têm maior poder que os governos internos que ficam refém do pagamento de suas dívidas, juros e multas, sendo obrigados a obedecer as regras e políticas impostas por esses Organismos.

Como adequar à sua realidade: Se achar importante, pode comentar o caso do Brasil e sobre suas dívidas externas e empréstimos concedidos ao país pelo FMI e Clube de Paris. O Brasil já realizou desde 1961 - ano em que ocorreu o primeiro contrato - seis acordos com o Clube. Estes acordos foram totalmente quitados em janeiro de 2006, quando o governo federal despendeu cerca de R$ 2,6 bilhões para pagar antecipadamente as duas últimas parcelas do compromisso firmado em 1992 e que venceriam em dezembro de 2006, e atualmente, integra o Grupo.

A reportagem “Brasil é o terceiro país com maior dívida externa, atrás da Espanha e EUA” aborda sobre a atual dívida do país, disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2014/09/30/economia/1412081072_163414.html. Acesso em 27/02/2019.

O artigo: “As repercussões do acordo com FMI sobre os ajustes da economia brasileira” de Oliveira, L. R. (2006), aborda as repercussões dos acordos do Brasil com FMI, disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/rpe/article/view/11855. Acesso em 27/02/2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Você pode solicitar que consultem o livro didático utilizado em sala para responder às questões propostas, esclarecendo o contextos de criação e a função desses organismos. Também foi sugerido uma pesquisa prévia por parte dos alunos sobre FMI e Banco Mundial, se o fizeram é a hora de utilizar suas anotações.

Devido a grave crise financeira no mundo no momento pós II Guerra Mundial, em 1944 representantes de 44 países reuniram-se na cidade de Bretton Woods nos EUA para definir qual seria a nova ordem econômica. Nessa reunião foram criado o FMI - Fundo Monetário Internacional - e o BIRD - Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento. Posteriormente esse último se associou ao AID - Associação Internacional de Desenvolvimento e passou a se chamar Banco Mundial.

No caso o FMI, que tem 188 países-membros, concede empréstimos aos países-membros com dificuldades (dívidas externas) em troca de que eles implantem medidas de ajuste econômico. Possui como função: promover a estabilidade dos sistemas monetários, promover os acordos monetários e facilitar o comércio mundial. Já o Banco Mundial, que tem 186 países-membros, financia projetos de desenvolvimento nos países pobres, além de facilitar a reconstrução de países destruídos pela II Guerra Mundial. Em suma, esses o Banco Mundial e o FMI fornecem empréstimos e assessoria econômica e em troca, os países auxiliados se submetem às duras políticas econômicas impostas por essas instituições. Assim, o interesse na criação desses órgãos também demonstra o controle da economia e política dos países subdesenvolvidos pelas regras dos países desenvolvidos que, além de lucrarem com juros, multas e pagamento das dívidas, também ampliam sua influência na economia desses países por meio da introdução de suas regras e políticas que limitam a soberania e autonomia interna. Dessa forma, os países subdesenvolvidos ficam “refém” do controle desses Organismos Financeiros por meio dessas regras impostas.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 22 minutos

Orientações: Apresente a tabela para os alunos. Comente que ela mostra os débitos acumulados do FMI em países da América Latina no período entre 1954 e 2015. Compare os períodos, saliente os países que mais aparecem nesses empréstimos no pós-guerra, verifique se são os mesmos que aparecem em anos mais recentes (2008 - 2015). Chame a atenção que, na década de 1980, México, Brasil e Argentina representavam juntos mais de ? da dívida total dos países latino americanos (72%); e na década de 1990, esses mesmos trê países representavam quase 90% da dívida total dos países latino americanos.

No próximo slide, busca-se ampliar essa reflexão. Nesse momento os alunos deverão se dividir em grupos de 2 a 4 pessoas. Espera-se que os alunos, após as observações anteriores, entendam que o FMI e o Banco Mundial tem grande controle sobre as finanças dos países pelo pagamento dessas dívidas e altos juros inerentes a elas, ou seja, políticas visam o acúmulo de capital para o pagamentos dos empréstimos, das dívidas externas.

Para concretizar esse objetivo algumas políticas econômicas são impostas por essas Instituições, como:

  • controle rígido da inflação e do aumento dos salários;
  • rigoroso controle dos gastos públicos;
  • crescimento das taxas de juros internas para coibir o consumo e prejudicando as indústrias;
  • desvalorização da moeda local em relação ao dólar para incentivar exportações e diminuir as importações;
  • contabilização dos investimentos em infraestrutura como despesas, impedindo o crescimento econômico.

Essas políticas impostas pelos organismos financeiros citados reincidem sobre a maior parte da população dos países endividados, pois diminui o poder de compra das pessoas, reduz os investimentos públicos em em benesses sociais (como educação, moradia, saúde, transportes, etc) e em geração de empregos, dificultando a diminuição da pobreza . Assim, manter os compromissos impostos por esses Organismos Financeiros promove o aprofundamento das desigualdades sociais.

Como adequar à sua realidade: Você pode demonstrar a situação do Brasil nas tabelas. Ele aparece na tabela de 1954 -1973; 1982 - 1988; 1989 - 2002; sendo que entre 1982 e 2002 nos 2º e 1º lugares, respectivamente. A partir daí ele amortizou parte de sua dívida, apesar do aumento de sua dívida interna.

A reportagem “Brasil é o terceiro país com maior dívida externa, atrás da Espanha e EUA” aborda sobre a atual dívida do país, disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2014/09/30/economia/1412081072_163414.html. Acesso em 27/02/2019.

O artigo: “As repercussões do acordo com FMI sobre os ajustes da economia brasileira” de Oliveira, L. R. (2006), aborda as repercussões dos acordos do Brasil com FMI, disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/rpe/article/view/11855. Acesso em 27/02/2019.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente a tabela para os alunos. Comente que ela mostra os débitos acumulados do FMI em países da América Latina no período entre 1954 e 2015. Compare os períodos, saliente os países que mais aparecem nesses empréstimos no pós-guerra, verifique se são os mesmos que aparecem em anos mais recentes (2008 - 2015). Chame a atenção que, na década de 1980, México, Brasil e Argentina representavam juntos mais de ? da dívida total dos países latino americanos (72%); e na década de 1990, esses mesmos trê países representavam quase 90% da dívida total dos países latino americanos.

Nesse slide, busca-se ampliar essa reflexão. Nesse momento os alunos deverão se dividir em grupos de 2 a 4 pessoas. Espera-se que os alunos, após as observações anteriores, entendam que o FMI e o Banco Mundial tem grande controle sobre as finanças dos países pelo pagamento dessas dívidas e altos juros inerentes a elas, ou seja, políticas visam o acúmulo de capital para o pagamentos dos empréstimos, das dívidas externas.

Para concretizar esse objetivo algumas políticas econômicas são impostas por essas Instituições, como:

  • controle rígido da inflação e do aumento dos salários;
  • rigoroso controle dos gastos públicos;
  • crescimento das taxas de juros internas para coibir o consumo e prejudicando as indústrias;
  • desvalorização da moeda local em relação ao dólar para incentivar exportações e diminuir as importações;
  • contabilização dos investimentos em infraestrutura como despesas, impedindo o crescimento econômico.

Essas políticas impostas pelos organismos financeiros citados reincidem sobre a maior parte da população dos países endividados, pois diminui o poder de compra das pessoas, reduz os investimentos públicos em em benesses sociais (como educação, moradia, saúde, transportes, etc) e em geração de empregos, dificultando a diminuição da pobreza . Assim, manter os compromissos impostos por esses Organismos Financeiros promove o aprofundamento das desigualdades sociais.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações: Nesse momento, os alunos devem apresentar a lista que prepararam com base nas discussões anteriores. A partir da lista feita e comparações entre os grupos, espera-se que os alunos tenham compreendido as singularidades do Banco Mundial e do FMI e atuação desses organismos, assim como as consequências das políticas impostas por essas organizações em países em desenvolvimento, especialmente na América Latina. O importante é que eles entendam que, muitas vezes, por decisões desses fundos e organismos financeiros, o governo de seus países deixa de investir em benesses sociais, melhorias salariais, infraestrutura interna, geração de emprego, diminuição de juros e impostos para estímulo das compras e incentivo à indústria interna, enfim, aprofundando desigualdades sociais para pagamento de dívidas, juros e, até mesmo, multas.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08GE06 que tem como objetivo analisar a atuação das organizações mundiais nos processos de integração cultural e econômica nos contextos americano e africano, reconhecendo, em seus lugares de vivência, marcas desses processos. Como esta habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. A longo prazo você poderá contemplar a habilidade EF08GE05 que busca aplicar os conceitos de Estado, nação, território, governo e país para o entendimento de conflitos e tensões na contemporaneidade, com destaque para as situações geopolíticas na América suas múltiplas regionalizações a partir do pós-guerra. Também a habilidade EF08GE07 que trata dos impactos geoeconômicos, geoestratégicos e geopolíticos da ascensão dos Estados Unidos da América no cenário internacional em sua posição de liderança global e a habilidade EF08GE08 que analisa a situação do Brasil e de outros países da América Latina, assim como da potência estadunidense na ordem mundial do pós-guerra, poderão ser tratadas posteriormente ou ao longo do desenvolvimento desse plano.

Materiais necessários: Papel sulfite, caneta ou lápis, exibição da charge da Mafalda nº 30 de 18/01/2006, disponível em: http://clubedamafalda.blogspot.com/2006_01_01_archive.html#.XHWb08BKjIU ou em http://culturahispana2f.blogspot.com/2011/06/tira-da-mafalda-quem-manda-no.html. Acesso em 26/02/2019.

E Tabela: Débitos acumulados do FMI em milhões de dólares em países da América Latina em alguns períodos selecionados, Elaboração própria a partir de dados disponível em: http://www.scielo.org.mx/pdf/alhe/v25n1/2007-3496-alhe-25-01-00275.pdf. Acesso em 27/02/2019.

Material complementar: Nesse material há: 1.Transcrição do diálogo entre Mafalda e sua mãe da charge sugerida para essa aula (Fonte: http://clubedamafalda.blogspot.com/2006_01_01_archive.html#.XHWbYMBKjIU ou em http://culturahispana2f.blogspot.com/2011/06/tira-da-mafalda-quem-manda-no.html. Acesso em 26/02/2019): https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/BTQuhgnxhMefY8zcBTv2DHUqpVCmFNeaK3bYgxMdwCMMqq3F7GqAWCsmRrqs/geo08-06und02-charge-da-mafalda-e-tabela.pdf

2. Tabela: Débitos acumulados do FMI em milhões de dólares em países da América Latina em alguns períodos selecionados, apresentado no slide 6 (Elaboração própria, Fonte: “Etapas históricas da relação entre o FMI e a América Latina - 1944-2015)” de Nemiña, P. y Larralde, J. 2018, pág. 284, disponível em: http://www.scielo.org.mx/pdf/alhe/v25n1/2007-3496-alhe-25-01-00275.pdf. Acesso em 27/02/2019)

Link para a charge: Charge da Mafalda nº 30 de 18/01/2006, disponível em: http://clubedamafalda.blogspot.com/2006_01_01_archive.html#.XHWb08BKjIU ou em http://culturahispana2f.blogspot.com/2011/06/tira-da-mafalda-quem-manda-no.html. Acesso em 26/02/2019.

Para você saber mais:

Os links relacionados apresentam a diferença entre o FMI e o BIRD – Banco Mundial. Disponíveis em: https://www.educacao.cc/financeira/diferenca-entre-o-fmi-e-o-bird-banco-mundial/ (Acesso em 27/02/2019); https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2001/010000_economia2.shtml (Acesso em 27/02/2019)e https://www.dw.com/pt-br/1945-funda%C3%A7%C3%A3o-do-fmi-e-do-banco-mundial/a-358559 (Acesso em 27/02/2019).

Sobre o Clube de Paris, acesse: https://queconceito.com.br/clube-de-paris. Acesso em 27/02/2019.

A reportagem “Brasil é o terceiro país com maior dívida externa, atrás da Espanha e EUA” aborda sobre a atual dívida do país, disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2014/09/30/economia/1412081072_163414.html. Acesso em 27/02/2019.

O artigo: “As repercussões do acordo com FMI sobre os ajustes da economia brasileira” de Oliveira, L. R. (2006), aborda as repercussões dos acordos do Brasil com FMI, disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/rpe/article/view/11855. Acesso em 27/02/2019.

O link: https://www.bancomundial.org/es/region/lac apresenta todo o panorama e perspectivas do Banco Mundial acerca dos países latino americanos. Acesso em 27/02/2019. Assim como o artigo “Banco Mundial, reforma dos Estados e ajuste das políticas sociais na América Latina” de Pereira, J. M. S. ( 2018), disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v23n7/1413-8123-csc-23-07-2187.pdf. Acesso em 27/02/2019.

A reportagem : “A sombra do FMI paira novamente sobre a América Latina“ apresenta o histórico dos empréstimos do FMI aos países latinoamericanos, disponível em: http://www.vermelho.org.br/noticia/310907-1. Acesso em 27/02/2019.

Já as reportagens “América Latina deve duplicar seu ritmo de crescimento neste ano“ do jornal El país, disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2018/01/09/internacional/1515500241_937177.html (Acesso em 27/02/2019); e “ Previsões do FMI para América Latina e Caribe em 2018 e 2019” abordam as projeções recentes do Banco Mundial e FMI para esses países, disponível em: https://istoe.com.br/previsoes-do-fmi-para-america-latina-e-caribe-em-2018-e-2019-3/. Acesso em 27/02/2019.

A notícia: “FMI sugere maior integração financeira na América Latina” aborda o tema a partir da integraçaõ econômica dos países da América Latina, disponível em: https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/2016/03/economia/491069-fmi-sugere-maior-integracao-financeira-na-america-latina.html. Acesso em 27/02/2019.

O artigo “Etapas históricas da relação entre o FMI e a América Latina (1944-2015)” de Nemiña, P. y Larralde, J. (2018), apresenta esse histórico, disponível em: http://www.scielo.org.mx/pdf/alhe/v25n1/2007-3496-alhe-25-01-00275.pdf. Acesso em 27/02/2019.

Contextos prévios: Para o desenvolvimento desse plano é interessante que o aluno tenha noções de globalização e geopolítica, principalmente do contexto do momento pós II Guerra Mundial com Conferência de Bretton Woods (1944) e criação dos Órgãos Internacionais: FMI (Fundo Monetário Internacional) e Banco Mundial.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Explique aos alunos que esse plano de aula busca compreender o contexto histórico da criação dos Organismos Financeiros Internacionais como Banco Mundial e FMI (Fundo Monetário Internacional) e sua atuação nos países da América Latina. A partir da charge da Mafalda busca-se entender como esses organismos atuam nos países latino americanos e o poder de comando sobre seus governos através de seus empréstimos e imposição de políticas econômicas inflexíveis. Se achar conveniente, para ampliar os conhecimentos dos alunos solicite-os que busquem informações sobre esses Organismos Internacionais, principalmente acerca de sua criação e políticas impostas nos países e tragam em sala de aula no dia do desenvolvimento desse plano. Há alguma sugestões de sites de consulta acerca do assunto em “Para saber mais”. Senão, você pode solicitar que consultem o livro didático em uso na sala de aula para buscar as informações que serão solicitadas.

Eles deverão, ao longo do plano, dividir-se em grupos de 2 a 4 pessoas.

Como adequar à sua realidade: O Brasil obteve significativos empréstimos do FMI que colaboraram para aumento da sua dívida externa, principalmente nos anos 1990. Se achar conveniente cite que as dívidas externas brasileiras atingiu cerca de US$ 53 bilhões em 1980, US$ 95 bilhões em 1990, US$ 129 bilhões em 1995; US$ 215 bilhões em 2000. A partir daí verificou-se queda devido ao aumento de dívida interna. Em 2005, a dívida pública líquida (interna e externa) atingiu mais de um bilhão de reais, equivalente a 51% do PIB do país.

A reportagem “Brasil é o terceiro país com maior dívida externa, atrás da Espanha e EUA” aborda sobre a atual dívida do país, disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2014/09/30/economia/1412081072_163414.html. Acesso em 27/02/2019.

O artigo: “As repercussões do acordo com FMI sobre os ajustes da economia brasileira” de Oliveira, L. R. (2006), aborda as repercussões dos acordos do Brasil com FMI, disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/rpe/article/view/11855. Acesso em 27/02/2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações: Para a contextualização dessa aula inicie lendo a charge da Mafalda indicada. Está disponível em: http://clubedamafalda.blogspot.com/2006_01_01_archive.html#.XHWb08BKjIU nº 30 de 18/01/2006 ou em http://culturahispana2f.blogspot.com/2011/06/tira-da-mafalda-quem-manda-no.html. Acesso em 26/02/2019.

Faça a exibição da charge para os alunos. Se possível em projetor em sala de aula ou sala adequada para tal. Solicite que prestem atenção sobre os temas abordados na charge. Se achar necessário, leia-a em voz alta.

Caso haja dificuldade em função de material disponível você pode solicitar que os alunos acessem a charge de seus aparelhos celulares, computadores ou em casa. No material complementar disponível desse plano há transcrição do diálogo entre Mafalda e sua mãe, que pode ser impresso para consulta dos alunos, caso haja necessidade.

Material complementar

Charge da Mafalda: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/BTQuhgnxhMefY8zcBTv2DHUqpVCmFNeaK3bYgxMdwCMMqq3F7GqAWCsmRrqs/geo08-06und02-charge-da-mafalda-e-tabela.pdf

Slide Plano Aula

Orientações: A charge busca demonstrar que os Organismos Financeiros citados pela mão de Mafalda (Banco Mundial, Clube de Paris e FMI) tem maior comando, domínio nos países do que seus próprios governos. Por serem Instituições Financeiras que concederam empréstimos onerosos aos países da América Latina e África após a II Guerra Mundial, adquiriram considerável parcela de títulos das dívidas públicas, ou seja, tem grande controle sobre as finanças dos países pelo pagamento dessas dívidas e altos juros inerentes a elas. Em suma, o Banco Mundial e o FMI fornecem empréstimos e assessoria econômica e em, troca, os países auxiliados se submetem às duras políticas econômicas impostas por essas instituições. Já o Clube de Paris é um grupo de credores cuja finalidade é a disponibilização de crédito para o pagamento das dívidas dos países devedores, bem como efetuar a reestruturação destas dívidas, em suma, são 22 países com a missão de ajudar financeiramente países com dificuldades econômicas.

Assim, em função das dívidas externas, muitas vezes essas Instituições têm maior poder que os governos internos que ficam refém do pagamento de suas dívidas, juros e multas, sendo obrigados a obedecer as regras e políticas impostas por esses Organismos.

Como adequar à sua realidade: Se achar importante, pode comentar o caso do Brasil e sobre suas dívidas externas e empréstimos concedidos ao país pelo FMI e Clube de Paris. O Brasil já realizou desde 1961 - ano em que ocorreu o primeiro contrato - seis acordos com o Clube. Estes acordos foram totalmente quitados em janeiro de 2006, quando o governo federal despendeu cerca de R$ 2,6 bilhões para pagar antecipadamente as duas últimas parcelas do compromisso firmado em 1992 e que venceriam em dezembro de 2006, e atualmente, integra o Grupo.

A reportagem “Brasil é o terceiro país com maior dívida externa, atrás da Espanha e EUA” aborda sobre a atual dívida do país, disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2014/09/30/economia/1412081072_163414.html. Acesso em 27/02/2019.

O artigo: “As repercussões do acordo com FMI sobre os ajustes da economia brasileira” de Oliveira, L. R. (2006), aborda as repercussões dos acordos do Brasil com FMI, disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/rpe/article/view/11855. Acesso em 27/02/2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Você pode solicitar que consultem o livro didático utilizado em sala para responder às questões propostas, esclarecendo o contextos de criação e a função desses organismos. Também foi sugerido uma pesquisa prévia por parte dos alunos sobre FMI e Banco Mundial, se o fizeram é a hora de utilizar suas anotações.

Devido a grave crise financeira no mundo no momento pós II Guerra Mundial, em 1944 representantes de 44 países reuniram-se na cidade de Bretton Woods nos EUA para definir qual seria a nova ordem econômica. Nessa reunião foram criado o FMI - Fundo Monetário Internacional - e o BIRD - Banco Internacional de Reconstrução e Desenvolvimento. Posteriormente esse último se associou ao AID - Associação Internacional de Desenvolvimento e passou a se chamar Banco Mundial.

No caso o FMI, que tem 188 países-membros, concede empréstimos aos países-membros com dificuldades (dívidas externas) em troca de que eles implantem medidas de ajuste econômico. Possui como função: promover a estabilidade dos sistemas monetários, promover os acordos monetários e facilitar o comércio mundial. Já o Banco Mundial, que tem 186 países-membros, financia projetos de desenvolvimento nos países pobres, além de facilitar a reconstrução de países destruídos pela II Guerra Mundial. Em suma, esses o Banco Mundial e o FMI fornecem empréstimos e assessoria econômica e em troca, os países auxiliados se submetem às duras políticas econômicas impostas por essas instituições. Assim, o interesse na criação desses órgãos também demonstra o controle da economia e política dos países subdesenvolvidos pelas regras dos países desenvolvidos que, além de lucrarem com juros, multas e pagamento das dívidas, também ampliam sua influência na economia desses países por meio da introdução de suas regras e políticas que limitam a soberania e autonomia interna. Dessa forma, os países subdesenvolvidos ficam “refém” do controle desses Organismos Financeiros por meio dessas regras impostas.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 22 minutos

Orientações: Apresente a tabela para os alunos. Comente que ela mostra os débitos acumulados do FMI em países da América Latina no período entre 1954 e 2015. Compare os períodos, saliente os países que mais aparecem nesses empréstimos no pós-guerra, verifique se são os mesmos que aparecem em anos mais recentes (2008 - 2015). Chame a atenção que, na década de 1980, México, Brasil e Argentina representavam juntos mais de ? da dívida total dos países latino americanos (72%); e na década de 1990, esses mesmos trê países representavam quase 90% da dívida total dos países latino americanos.

No próximo slide, busca-se ampliar essa reflexão. Nesse momento os alunos deverão se dividir em grupos de 2 a 4 pessoas. Espera-se que os alunos, após as observações anteriores, entendam que o FMI e o Banco Mundial tem grande controle sobre as finanças dos países pelo pagamento dessas dívidas e altos juros inerentes a elas, ou seja, políticas visam o acúmulo de capital para o pagamentos dos empréstimos, das dívidas externas.

Para concretizar esse objetivo algumas políticas econômicas são impostas por essas Instituições, como:

  • controle rígido da inflação e do aumento dos salários;
  • rigoroso controle dos gastos públicos;
  • crescimento das taxas de juros internas para coibir o consumo e prejudicando as indústrias;
  • desvalorização da moeda local em relação ao dólar para incentivar exportações e diminuir as importações;
  • contabilização dos investimentos em infraestrutura como despesas, impedindo o crescimento econômico.

Essas políticas impostas pelos organismos financeiros citados reincidem sobre a maior parte da população dos países endividados, pois diminui o poder de compra das pessoas, reduz os investimentos públicos em em benesses sociais (como educação, moradia, saúde, transportes, etc) e em geração de empregos, dificultando a diminuição da pobreza . Assim, manter os compromissos impostos por esses Organismos Financeiros promove o aprofundamento das desigualdades sociais.

Como adequar à sua realidade: Você pode demonstrar a situação do Brasil nas tabelas. Ele aparece na tabela de 1954 -1973; 1982 - 1988; 1989 - 2002; sendo que entre 1982 e 2002 nos 2º e 1º lugares, respectivamente. A partir daí ele amortizou parte de sua dívida, apesar do aumento de sua dívida interna.

A reportagem “Brasil é o terceiro país com maior dívida externa, atrás da Espanha e EUA” aborda sobre a atual dívida do país, disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2014/09/30/economia/1412081072_163414.html. Acesso em 27/02/2019.

O artigo: “As repercussões do acordo com FMI sobre os ajustes da economia brasileira” de Oliveira, L. R. (2006), aborda as repercussões dos acordos do Brasil com FMI, disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/rpe/article/view/11855. Acesso em 27/02/2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Apresente a tabela para os alunos. Comente que ela mostra os débitos acumulados do FMI em países da América Latina no período entre 1954 e 2015. Compare os períodos, saliente os países que mais aparecem nesses empréstimos no pós-guerra, verifique se são os mesmos que aparecem em anos mais recentes (2008 - 2015). Chame a atenção que, na década de 1980, México, Brasil e Argentina representavam juntos mais de ? da dívida total dos países latino americanos (72%); e na década de 1990, esses mesmos trê países representavam quase 90% da dívida total dos países latino americanos.

Nesse slide, busca-se ampliar essa reflexão. Nesse momento os alunos deverão se dividir em grupos de 2 a 4 pessoas. Espera-se que os alunos, após as observações anteriores, entendam que o FMI e o Banco Mundial tem grande controle sobre as finanças dos países pelo pagamento dessas dívidas e altos juros inerentes a elas, ou seja, políticas visam o acúmulo de capital para o pagamentos dos empréstimos, das dívidas externas.

Para concretizar esse objetivo algumas políticas econômicas são impostas por essas Instituições, como:

  • controle rígido da inflação e do aumento dos salários;
  • rigoroso controle dos gastos públicos;
  • crescimento das taxas de juros internas para coibir o consumo e prejudicando as indústrias;
  • desvalorização da moeda local em relação ao dólar para incentivar exportações e diminuir as importações;
  • contabilização dos investimentos em infraestrutura como despesas, impedindo o crescimento econômico.

Essas políticas impostas pelos organismos financeiros citados reincidem sobre a maior parte da população dos países endividados, pois diminui o poder de compra das pessoas, reduz os investimentos públicos em em benesses sociais (como educação, moradia, saúde, transportes, etc) e em geração de empregos, dificultando a diminuição da pobreza . Assim, manter os compromissos impostos por esses Organismos Financeiros promove o aprofundamento das desigualdades sociais.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações: Nesse momento, os alunos devem apresentar a lista que prepararam com base nas discussões anteriores. A partir da lista feita e comparações entre os grupos, espera-se que os alunos tenham compreendido as singularidades do Banco Mundial e do FMI e atuação desses organismos, assim como as consequências das políticas impostas por essas organizações em países em desenvolvimento, especialmente na América Latina. O importante é que eles entendam que, muitas vezes, por decisões desses fundos e organismos financeiros, o governo de seus países deixa de investir em benesses sociais, melhorias salariais, infraestrutura interna, geração de emprego, diminuição de juros e impostos para estímulo das compras e incentivo à indústria interna, enfim, aprofundando desigualdades sociais para pagamento de dívidas, juros e, até mesmo, multas.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Conexões e escalas do 8º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08GE06 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano