16900
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 8º ano > O mundo contemporâneo: o Antigo Regime em crise

Plano de aula - A Revolução Francesa e o período do Terror jacobino (1793-1794)

Plano de aula de História com atividades para 8º ano do EF sobre A Revolução Francesa e o período do Terror jacobino (1793-1794)

Plano 02 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Gabriel Amato Bruno De Lima

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI04, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários:

– Cópias impressas das fontes (imagens e verbetes) ou data show para a sua projeção.

– Cópias impressas da atividade de Sistematização.

Material complementar:

Trecho da reportagem “Quem compraria uma guilhotina, Objeto é leiloado por 8 mil euros” (2018):

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/DB5J6GKtwyHTkwD3J4YSQaTCKuRbwUk3NQzpr2Dz4Jswz7tseWPUpn8rq4A7/his8-04und02--quem-compraria-uma-guilhotina

Tabela com a cronologia da Revolução Francesa: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GXF5KrR58w3b5myEST87XkJ8Qsf4yZZGGArgNy5pESXfw9KkP6FNeGcryJrN/his8-04und02--tabela-com-a-cronologia-da-revolucao-francesa

“Representação da guilhotina (20 de março de 1792)”:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Bngn8jgQyWKgD82bzJBTPdcWn8J6rFhZ6AMFnb4GrMTyD8yKvFGUv3c3Uy6n/his8-04und02--representacao-da-guilhotina.pdf

“Interior de um Comitê Revolucionário” (1797):

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/m25vA5jPcEMFJ5YqJ5f3N4wf8jT33RzExnMmzbBMueE259dartZgFxUYsZms/his8-04und02--interior-de-um-comite-revolucionario.pdf

Modelo dos anúncios de leilão:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UC6peAcTqXFCUURg74VcxPu99AwFFmsC79tbtbdsGJC5Zj3W3jKMd94WSTRM/his8-4und02--modelos-dos-anuncios-de-leilao.pdf

Para você saber mais:

“Mesmo com recessão, comércio global de bens culturais dobrou em 10 anos”. ONU News, 10 de março de 2016. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2016/03/1544041-mesmo-com-recessao-comercio-global-de-bens-culturais-dobrou-em-10-anos>.
Acesso em: 23 fev. 2019.

UNESCO aborda relação entre cultura e comércio. Pontes, vol. 3, nº 2, dez. 2007. Disponível em: <https://www.ictsd.org/bridges-news/pontes/news/unesco-aborda-relação-entre-cultura-e-comércio>. Acesso em: 23 fev. 2019.

VOVELLE, Michel. A Revolução Francesa explicada à minha neta. São Paulo: Editora UNESP, 2007. Disponível em: <http://editoraunesp.com.br/Download/A_revolucao_francesa_explicada_a_minha_neta_Miolo_135_205_EPDF.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2019.

“Guilhotina: a ‘solução humana’”. Aventuras na História, 23 de outubro de 2017. Disponível em: <https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/guilhotina-a-solucao-humana.phtml>. Acesso em: 21 fev. 2019.

CARREIRA, Eduardo José Antunes. Representações e práticas violência política na Revolução Francesa: sobre as origens do conceito de terrorismo. Dissertação (Mestrado em História), Brasília, UnB, 2016. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/20107/1/2016_EduardoJoseAntunesNettoCarreira.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2019.

SAYA, Lara Scortato. A Revolução Francesa e os jacobinos: a cisão do Clube dos Jacobinos de Paris em 1791. Dissertação (Mestrado em História), Curitiba, UFPR, 2017. Disponível em: <https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/49370/R%20-%20D%20-%20LARA%20SCORSATO%20SAYA.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 21 fev. 2019.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Apresente o objetivo aos alunos, escrevendo-o no quadro ou lendo-o para a turma. Se estiver fazendo uso de projetor, apresente este slide e faça uma leitura coletiva. Lembre-se de não antecipar as reflexões da aula neste momento, pois a intenção é que os estudantes construam o raciocínio apenas com a sua mediação.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações: Apresente aos estudantes o trecho da reportagem “Quem compraria uma guilhotina, Objeto é leiloado por 8 mil euros”, publicada pelo Estadão em 2018. Ele está disponível no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/DB5J6GKtwyHTkwD3J4YSQaTCKuRbwUk3NQzpr2Dz4Jswz7tseWPUpn8rq4A7/his8-04und02--quem-compraria-uma-guilhotina

Peça a um estudante que leia o trecho e identifique as informações de autoria e publicação para a turma. O objetivo é que os alunos percebam que se trata de uma reportagem do tempo presente, publicada nos Estados Unidos e posteriormente traduzida pelo jornal brasileiro Estadão em 2018.

Inicie a mediação da leitura da fonte estimulando os estudantes a levantar hipóteses para responder a pergunta apresentada na manchete:
Quem compraria uma guilhotina?. Depois, questione também:

Com qual período da História da França este objeto se relaciona?

Por que este objeto é considerado “de valor histórico”?

Qual o motivo da polêmica noticiada pelo jornal no tempo presente?

A intenção é que, pela leitura do trecho da reportagem, os alunos sejam capazes de compreender como um instrumento usado para assassinar pessoas no século XVIII – durante a fase da Revolução Francesa conhecida como terror – causa, ao mesmo tempo, fascinação em uns (aqueles que desejam comprar o item, mesmo que ele seja uma réplica) e horror em outros (o Estado francês, que proíbe a exportação de instrumentos de tortura).

Por fim, é possível aprofundar o debate com a seguinte pergunta: Na sua opinião, um objeto de valor histórico como uma guilhotina, ligado à História da França, deveria estar no acervo particular de uma pessoa ou em um museu aberto à visitação? Espera-se que, com este debate, os estudantes sejam capazes de compreender o caráter polêmico da compra, tendo em vista a importância do direito à memória e ao conhecimento histórico.

Para você saber mais:

“Mesmo com recessão, comércio global de bens culturais dobrou em 10 anos”. ONU News, 10 de março de 2016. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2016/03/1544041-mesmo-com-recessao-comercio-global-de-bens-culturais-dobrou-em-10-anos>.
Acesso em: 23 fev. 2019.

UNESCO aborda relação entre cultura e comércio. Pontes, vol. 3, nº 2, dez. 2007. Disponível em: <https://www.ictsd.org/bridges-news/pontes/news/unesco-aborda-relação-entre-cultura-e-comércio>. Acesso em: 23 fev. 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 23 minutos.

Orientações: Distribua aos alunos os verbetes dicionarizados das palavras “guilhotina”, “girondino”, “jacobino” e “terror”. Eles estão disponíveis no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3uE88KtYmfZYMpebJQnP9UsuEFjvBcmKKNfUYjhYCFhmPNphC2dzVmYw7Geu/his8-04und02--trechos-de-definicoes-do-dicionario-houaiss.pdf

O objetivo central, neste momento, é familiarizar os alunos com o vocabulário relativo ao período da História da Revolução Francesa tratado nesta aula. Além disso, espera-se também que os estudantes se questionem sobre a guilhotina tanto como fonte histórica quanto como símbolo associado ao período do Terror.

Peça a um ou mais estudantes que leiam os verbetes. Após a leitura, questione:

O era a guilhotina e por que ela foi criada?

– O que significava os termos “jacobino” e “girondino” no contexto da Revolução Francesa?

O foi foi o período conhecido como Terror?

– Qual a relação entre jacobinos, guilhotina e Terror?

Com estas perguntas, espera-se que os estudante sejam capazes de localizar no tempo (século XVIII) e no espaço (França revolucionária) o tema a que se relaciona à reportagem trabalhada no Contexto. Além disso, espera-se que eles sejam capazes de entender o Terror como uma fase da Revolução, ocorrida entre 1793 e 1794, caracterizada pelo governo dos jacobinos, pelo radicalismo e por perseguições políticas.

Para você saber mais:

VOVELLE, Michel. A Revolução Francesa explicada à minha neta. São Paulo: Editora UNESP, 2007. Disponível em: <http://editoraunesp.com.br/Download/A_revolucao_francesa_explicada_a_minha_neta_Miolo_135_205_EPDF.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Distribua cópias, reproduza no quadro ou projete, caso esteja usando um data show, a tabela com a cronologia da Revolução Francesa. Ela está disponível no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GXF5KrR58w3b5myEST87XkJ8Qsf4yZZGGArgNy5pESXfw9KkP6FNeGcryJrN/his8-04und02--tabela-com-a-cronologia-da-revolucao-francesa

Peça a um aluno que leia as informações da tabela. Depois, questione os alunos:

Quais os dois períodos da História da Revolução Francesa presentes na tabela?

– Quais grupos políticos estão presentes nestes dois momentos?

Quais mudanças políticas a França viveu neste período?

– Por que podemos dizer que a Revolução Francesa colocou um fim no Antigo Regime?

Na leitura da tabela, estimule os estudantes a retomar o que já foi discutido até aqui com uma localização dos eventos no tempo – por exemplo, quando aconteceu o Terror (1793-1794) e quando a guilhotina passou a ser utilizada nas execuções (após 1792). Ao responder as perguntas, espera-se que os alunos sejam capazes de contextualizar os períodos da Assembleia Nacional (1789-1792) e da Convenção Nacional (1792-1794)
da Revolução Francesa. Espera-se também que eles consigam identificar os grupos políticos em ação neste contexto – girondinos e jacobinos – e as mudanças promovidas pelos revolucionários para acabar com o Antigo Regime – instauração da República, voto universal masculino, Declaração dos direitos do homem e do cidadão, assassinato do rei.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Distribua cópias ou projete, caso esteja usando um data show, a imagem “Representação da guilhotina (20 de março de 1792)”. Ela está disponível no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Bngn8jgQyWKgD82bzJBTPdcWn8J6rFhZ6AMFnb4GrMTyD8yKvFGUv3c3Uy6n/his8-04und02--representacao-da-guilhotina.pdf

Peça aos alunos que descrevam a cena retratada na fonte. A intenção é que eles percebam que há uma narrativa na iconografia: da direita para a esquerda, é contado – por meio de imagens – como aconteciam as execuções dos perseguidos políticos durante o Terror. O condenado é colocado pelo carrasco na guilhotina; a lâmina é acionada e a cabeça do condenado cai; por fim, o local da execução é limpo.

Após promover a descrição coletiva da imagem, questione os alunos:

Quais eram os motivos que levavam à execução na guilhotina?

– Em que medida a execução na guilhotina cumpria o objetivo de seu criador, o médico Guilhotin?

A imagem da guilhotina é coerente com a descrição do Terror jacobino?

Neste momento, estimule que os estudantes retomem o que foi discutido nos verbetes, na primeira parte da aula, para responderem a estas questões na medida em que analisam também a imagem. O objetivo é que eles percebam como as disputas políticas deste período da Revolução Francesa foram caracterizadas por perseguições e execuções daqueles tidos como contrarrevolucionários. Além disso, a intenção é também promover uma reflexão sobre a intenção de minimizar os sofrimentos dos executados, expressa por Guilhotin, em contraste com nossa sensibilidade contemporânea que vê com horror a pena de morte.

Para você saber mais:

“Guilhotina: a ‘solução humana’”. Aventuras na História, 23 de outubro de 2017. Disponível em: <https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/guilhotina-a-solucao-humana.phtml>. Acesso em: 21 fev. 2019.

CARREIRA, Eduardo José Antunes. Representações e práticas violência política na Revolução Francesa: sobre as origens do conceito de terrorismo. Dissertação (Mestrado em História), Brasília, UnB, 2016. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/20107/1/2016_EduardoJoseAntunesNettoCarreira.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Distribua cópias ou projete, caso esteja usando um data show, a imagem “Interior de um Comitê Revolucionário”. Ela está disponível no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/m25vA5jPcEMFJ5YqJ5f3N4wf8jT33RzExnMmzbBMueE259dartZgFxUYsZms/his8-04und02--interior-de-um-comite-revolucionario.pdf

Peça aos alunos que descrevam a cena retratada na fonte. A intenção é que eles percebam que há uma narrativa na iconografia: um grupo de jacobinos, parte de um Comitê de Salvação Pública durante o Terror, prestes a interrogar uma mulher e sua filha. Peça aos alunos que descrevam também as vestimentas e expressões dos personagens presentes na imagem, pois assim eles perceberão as dimensões simbólicas ligadas a esta cena.

Depois, peça aos alunos que identifiquem a data de produção desta imagem em comparação com a data o tempo de duração do Terror já discutida anteriormente. Questione os estudantes: Considerando que a fonte foi produzida em 1797, portanto depois do fim do Terror com o golpe do 9 de Termidor (queda de Robespierre), como ela denuncia as arbitrariedades dos jacobinos? O objetivo é que os estudantes percebam a construção de uma imagem negativa, de terror, do período jacobino da Revolução Francesa por meio desta fonte.

Por fim, leve os alunos a comparar as duas fontes, com perguntas como:

Quais objetos ou personagens estão presentes tanto na primeira como na segunda imagem?

– Quais estão presentes em apenas uma delas?

Quais as relações entre a guilhotina e os comitês revolucionários com o clima de “terror” deste momento político?

A intenção, neste momento, é estimular os estudantes a perceber as diversas dimensões do Terror. Eles devem ser capazes de reconhecer que este processo político de radicalização jacobina durante a Revolução Francesa passava pelas delações e interrogatórios, mas incluía também as execuções públicas com a guilhotina.

Para você saber mais:

SAYA, Lara Scortato. A Revolução Francesa e os jacobinos: a cisão do Clube dos Jacobinos de Paris em 1791. Dissertação (Mestrado em História), Curitiba, UFPR, 2017. Disponível em: <https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/49370/R%20-%20D%20-%20LARA%20SCORSATO%20SAYA.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 21 fev. 2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Para a atividade de Sistematização, divida a turma em trios. Depois, imprima e distribua para cada grupo um dos modelos de anúncios de leilão disponíveis no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UC6peAcTqXFCUURg74VcxPu99AwFFmsC79tbtbdsGJC5Zj3W3jKMd94WSTRM/his8-4und02--modelos-dos-anuncios-de-leilao.pdf

Peça aos alunos que criem anúncios para as fontes iconográficas discutidas na aula, completando as informações solicitadas nos modelos. Lembre aos estudantes que eles devem incorporar os debates feitos durante a aula, de modo que alguém que não tenha participado das discussões possa entender a interpretação que fizeram das fontes. Além disso, lembre a eles que os anúncios de itens históricos em leilões tem a função principal de convencer as pessoas a comprar aquele item. Por isso, eles devem deixar bem claro não apenas as informações sobre a produção das imagens (quando e por que elas foram feitas) mas também quais motivos justificam sua importância histórica.

Na medida em que os estudantes forem trabalhando, circule pela sala e medeie a produção dos anúncios. Incentive-os a contextualizar historicamente as fontes quando forem descrevê-las e a incorporar os conceitos debatidos durante a aula – tais como “jacobinos” ou “Terror”,
por exemplo – em suas análises.

Quando o trabalho estiver finalizado, peça que alguns trios leiam para a turma as suas sistematizações.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI04, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários:

– Cópias impressas das fontes (imagens e verbetes) ou data show para a sua projeção.

– Cópias impressas da atividade de Sistematização.

Material complementar:

Trecho da reportagem “Quem compraria uma guilhotina, Objeto é leiloado por 8 mil euros” (2018):

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/DB5J6GKtwyHTkwD3J4YSQaTCKuRbwUk3NQzpr2Dz4Jswz7tseWPUpn8rq4A7/his8-04und02--quem-compraria-uma-guilhotina

Tabela com a cronologia da Revolução Francesa: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GXF5KrR58w3b5myEST87XkJ8Qsf4yZZGGArgNy5pESXfw9KkP6FNeGcryJrN/his8-04und02--tabela-com-a-cronologia-da-revolucao-francesa

“Representação da guilhotina (20 de março de 1792)”:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Bngn8jgQyWKgD82bzJBTPdcWn8J6rFhZ6AMFnb4GrMTyD8yKvFGUv3c3Uy6n/his8-04und02--representacao-da-guilhotina.pdf

“Interior de um Comitê Revolucionário” (1797):

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/m25vA5jPcEMFJ5YqJ5f3N4wf8jT33RzExnMmzbBMueE259dartZgFxUYsZms/his8-04und02--interior-de-um-comite-revolucionario.pdf

Modelo dos anúncios de leilão:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UC6peAcTqXFCUURg74VcxPu99AwFFmsC79tbtbdsGJC5Zj3W3jKMd94WSTRM/his8-4und02--modelos-dos-anuncios-de-leilao.pdf

Para você saber mais:

“Mesmo com recessão, comércio global de bens culturais dobrou em 10 anos”. ONU News, 10 de março de 2016. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2016/03/1544041-mesmo-com-recessao-comercio-global-de-bens-culturais-dobrou-em-10-anos>.
Acesso em: 23 fev. 2019.

UNESCO aborda relação entre cultura e comércio. Pontes, vol. 3, nº 2, dez. 2007. Disponível em: <https://www.ictsd.org/bridges-news/pontes/news/unesco-aborda-relação-entre-cultura-e-comércio>. Acesso em: 23 fev. 2019.

VOVELLE, Michel. A Revolução Francesa explicada à minha neta. São Paulo: Editora UNESP, 2007. Disponível em: <http://editoraunesp.com.br/Download/A_revolucao_francesa_explicada_a_minha_neta_Miolo_135_205_EPDF.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2019.

“Guilhotina: a ‘solução humana’”. Aventuras na História, 23 de outubro de 2017. Disponível em: <https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/guilhotina-a-solucao-humana.phtml>. Acesso em: 21 fev. 2019.

CARREIRA, Eduardo José Antunes. Representações e práticas violência política na Revolução Francesa: sobre as origens do conceito de terrorismo. Dissertação (Mestrado em História), Brasília, UnB, 2016. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/20107/1/2016_EduardoJoseAntunesNettoCarreira.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2019.

SAYA, Lara Scortato. A Revolução Francesa e os jacobinos: a cisão do Clube dos Jacobinos de Paris em 1791. Dissertação (Mestrado em História), Curitiba, UFPR, 2017. Disponível em: <https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/49370/R%20-%20D%20-%20LARA%20SCORSATO%20SAYA.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 21 fev. 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Apresente o objetivo aos alunos, escrevendo-o no quadro ou lendo-o para a turma. Se estiver fazendo uso de projetor, apresente este slide e faça uma leitura coletiva. Lembre-se de não antecipar as reflexões da aula neste momento, pois a intenção é que os estudantes construam o raciocínio apenas com a sua mediação.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações: Apresente aos estudantes o trecho da reportagem “Quem compraria uma guilhotina, Objeto é leiloado por 8 mil euros”, publicada pelo Estadão em 2018. Ele está disponível no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/DB5J6GKtwyHTkwD3J4YSQaTCKuRbwUk3NQzpr2Dz4Jswz7tseWPUpn8rq4A7/his8-04und02--quem-compraria-uma-guilhotina

Peça a um estudante que leia o trecho e identifique as informações de autoria e publicação para a turma. O objetivo é que os alunos percebam que se trata de uma reportagem do tempo presente, publicada nos Estados Unidos e posteriormente traduzida pelo jornal brasileiro Estadão em 2018.

Inicie a mediação da leitura da fonte estimulando os estudantes a levantar hipóteses para responder a pergunta apresentada na manchete:
Quem compraria uma guilhotina?. Depois, questione também:

Com qual período da História da França este objeto se relaciona?

Por que este objeto é considerado “de valor histórico”?

Qual o motivo da polêmica noticiada pelo jornal no tempo presente?

A intenção é que, pela leitura do trecho da reportagem, os alunos sejam capazes de compreender como um instrumento usado para assassinar pessoas no século XVIII – durante a fase da Revolução Francesa conhecida como terror – causa, ao mesmo tempo, fascinação em uns (aqueles que desejam comprar o item, mesmo que ele seja uma réplica) e horror em outros (o Estado francês, que proíbe a exportação de instrumentos de tortura).

Por fim, é possível aprofundar o debate com a seguinte pergunta: Na sua opinião, um objeto de valor histórico como uma guilhotina, ligado à História da França, deveria estar no acervo particular de uma pessoa ou em um museu aberto à visitação? Espera-se que, com este debate, os estudantes sejam capazes de compreender o caráter polêmico da compra, tendo em vista a importância do direito à memória e ao conhecimento histórico.

Para você saber mais:

“Mesmo com recessão, comércio global de bens culturais dobrou em 10 anos”. ONU News, 10 de março de 2016. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2016/03/1544041-mesmo-com-recessao-comercio-global-de-bens-culturais-dobrou-em-10-anos>.
Acesso em: 23 fev. 2019.

UNESCO aborda relação entre cultura e comércio. Pontes, vol. 3, nº 2, dez. 2007. Disponível em: <https://www.ictsd.org/bridges-news/pontes/news/unesco-aborda-relação-entre-cultura-e-comércio>. Acesso em: 23 fev. 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 23 minutos.

Orientações: Distribua aos alunos os verbetes dicionarizados das palavras “guilhotina”, “girondino”, “jacobino” e “terror”. Eles estão disponíveis no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3uE88KtYmfZYMpebJQnP9UsuEFjvBcmKKNfUYjhYCFhmPNphC2dzVmYw7Geu/his8-04und02--trechos-de-definicoes-do-dicionario-houaiss.pdf

O objetivo central, neste momento, é familiarizar os alunos com o vocabulário relativo ao período da História da Revolução Francesa tratado nesta aula. Além disso, espera-se também que os estudantes se questionem sobre a guilhotina tanto como fonte histórica quanto como símbolo associado ao período do Terror.

Peça a um ou mais estudantes que leiam os verbetes. Após a leitura, questione:

O era a guilhotina e por que ela foi criada?

– O que significava os termos “jacobino” e “girondino” no contexto da Revolução Francesa?

O foi foi o período conhecido como Terror?

– Qual a relação entre jacobinos, guilhotina e Terror?

Com estas perguntas, espera-se que os estudante sejam capazes de localizar no tempo (século XVIII) e no espaço (França revolucionária) o tema a que se relaciona à reportagem trabalhada no Contexto. Além disso, espera-se que eles sejam capazes de entender o Terror como uma fase da Revolução, ocorrida entre 1793 e 1794, caracterizada pelo governo dos jacobinos, pelo radicalismo e por perseguições políticas.

Para você saber mais:

VOVELLE, Michel. A Revolução Francesa explicada à minha neta. São Paulo: Editora UNESP, 2007. Disponível em: <http://editoraunesp.com.br/Download/A_revolucao_francesa_explicada_a_minha_neta_Miolo_135_205_EPDF.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Distribua cópias, reproduza no quadro ou projete, caso esteja usando um data show, a tabela com a cronologia da Revolução Francesa. Ela está disponível no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/GXF5KrR58w3b5myEST87XkJ8Qsf4yZZGGArgNy5pESXfw9KkP6FNeGcryJrN/his8-04und02--tabela-com-a-cronologia-da-revolucao-francesa

Peça a um aluno que leia as informações da tabela. Depois, questione os alunos:

Quais os dois períodos da História da Revolução Francesa presentes na tabela?

– Quais grupos políticos estão presentes nestes dois momentos?

Quais mudanças políticas a França viveu neste período?

– Por que podemos dizer que a Revolução Francesa colocou um fim no Antigo Regime?

Na leitura da tabela, estimule os estudantes a retomar o que já foi discutido até aqui com uma localização dos eventos no tempo – por exemplo, quando aconteceu o Terror (1793-1794) e quando a guilhotina passou a ser utilizada nas execuções (após 1792). Ao responder as perguntas, espera-se que os alunos sejam capazes de contextualizar os períodos da Assembleia Nacional (1789-1792) e da Convenção Nacional (1792-1794)
da Revolução Francesa. Espera-se também que eles consigam identificar os grupos políticos em ação neste contexto – girondinos e jacobinos – e as mudanças promovidas pelos revolucionários para acabar com o Antigo Regime – instauração da República, voto universal masculino, Declaração dos direitos do homem e do cidadão, assassinato do rei.

Slide Plano Aula

Orientações: Distribua cópias ou projete, caso esteja usando um data show, a imagem “Representação da guilhotina (20 de março de 1792)”. Ela está disponível no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Bngn8jgQyWKgD82bzJBTPdcWn8J6rFhZ6AMFnb4GrMTyD8yKvFGUv3c3Uy6n/his8-04und02--representacao-da-guilhotina.pdf

Peça aos alunos que descrevam a cena retratada na fonte. A intenção é que eles percebam que há uma narrativa na iconografia: da direita para a esquerda, é contado – por meio de imagens – como aconteciam as execuções dos perseguidos políticos durante o Terror. O condenado é colocado pelo carrasco na guilhotina; a lâmina é acionada e a cabeça do condenado cai; por fim, o local da execução é limpo.

Após promover a descrição coletiva da imagem, questione os alunos:

Quais eram os motivos que levavam à execução na guilhotina?

– Em que medida a execução na guilhotina cumpria o objetivo de seu criador, o médico Guilhotin?

A imagem da guilhotina é coerente com a descrição do Terror jacobino?

Neste momento, estimule que os estudantes retomem o que foi discutido nos verbetes, na primeira parte da aula, para responderem a estas questões na medida em que analisam também a imagem. O objetivo é que eles percebam como as disputas políticas deste período da Revolução Francesa foram caracterizadas por perseguições e execuções daqueles tidos como contrarrevolucionários. Além disso, a intenção é também promover uma reflexão sobre a intenção de minimizar os sofrimentos dos executados, expressa por Guilhotin, em contraste com nossa sensibilidade contemporânea que vê com horror a pena de morte.

Para você saber mais:

“Guilhotina: a ‘solução humana’”. Aventuras na História, 23 de outubro de 2017. Disponível em: <https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/reportagem/guilhotina-a-solucao-humana.phtml>. Acesso em: 21 fev. 2019.

CARREIRA, Eduardo José Antunes. Representações e práticas violência política na Revolução Francesa: sobre as origens do conceito de terrorismo. Dissertação (Mestrado em História), Brasília, UnB, 2016. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/20107/1/2016_EduardoJoseAntunesNettoCarreira.pdf>. Acesso em: 21 fev. 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Distribua cópias ou projete, caso esteja usando um data show, a imagem “Interior de um Comitê Revolucionário”. Ela está disponível no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/m25vA5jPcEMFJ5YqJ5f3N4wf8jT33RzExnMmzbBMueE259dartZgFxUYsZms/his8-04und02--interior-de-um-comite-revolucionario.pdf

Peça aos alunos que descrevam a cena retratada na fonte. A intenção é que eles percebam que há uma narrativa na iconografia: um grupo de jacobinos, parte de um Comitê de Salvação Pública durante o Terror, prestes a interrogar uma mulher e sua filha. Peça aos alunos que descrevam também as vestimentas e expressões dos personagens presentes na imagem, pois assim eles perceberão as dimensões simbólicas ligadas a esta cena.

Depois, peça aos alunos que identifiquem a data de produção desta imagem em comparação com a data o tempo de duração do Terror já discutida anteriormente. Questione os estudantes: Considerando que a fonte foi produzida em 1797, portanto depois do fim do Terror com o golpe do 9 de Termidor (queda de Robespierre), como ela denuncia as arbitrariedades dos jacobinos? O objetivo é que os estudantes percebam a construção de uma imagem negativa, de terror, do período jacobino da Revolução Francesa por meio desta fonte.

Por fim, leve os alunos a comparar as duas fontes, com perguntas como:

Quais objetos ou personagens estão presentes tanto na primeira como na segunda imagem?

– Quais estão presentes em apenas uma delas?

Quais as relações entre a guilhotina e os comitês revolucionários com o clima de “terror” deste momento político?

A intenção, neste momento, é estimular os estudantes a perceber as diversas dimensões do Terror. Eles devem ser capazes de reconhecer que este processo político de radicalização jacobina durante a Revolução Francesa passava pelas delações e interrogatórios, mas incluía também as execuções públicas com a guilhotina.

Para você saber mais:

SAYA, Lara Scortato. A Revolução Francesa e os jacobinos: a cisão do Clube dos Jacobinos de Paris em 1791. Dissertação (Mestrado em História), Curitiba, UFPR, 2017. Disponível em: <https://acervodigital.ufpr.br/bitstream/handle/1884/49370/R%20-%20D%20-%20LARA%20SCORSATO%20SAYA.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 21 fev. 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Para a atividade de Sistematização, divida a turma em trios. Depois, imprima e distribua para cada grupo um dos modelos de anúncios de leilão disponíveis no link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UC6peAcTqXFCUURg74VcxPu99AwFFmsC79tbtbdsGJC5Zj3W3jKMd94WSTRM/his8-4und02--modelos-dos-anuncios-de-leilao.pdf

Peça aos alunos que criem anúncios para as fontes iconográficas discutidas na aula, completando as informações solicitadas nos modelos. Lembre aos estudantes que eles devem incorporar os debates feitos durante a aula, de modo que alguém que não tenha participado das discussões possa entender a interpretação que fizeram das fontes. Além disso, lembre a eles que os anúncios de itens históricos em leilões tem a função principal de convencer as pessoas a comprar aquele item. Por isso, eles devem deixar bem claro não apenas as informações sobre a produção das imagens (quando e por que elas foram feitas) mas também quais motivos justificam sua importância histórica.

Na medida em que os estudantes forem trabalhando, circule pela sala e medeie a produção dos anúncios. Incentive-os a contextualizar historicamente as fontes quando forem descrevê-las e a incorporar os conceitos debatidos durante a aula – tais como “jacobinos” ou “Terror”,
por exemplo – em suas análises.

Quando o trabalho estiver finalizado, peça que alguns trios leiam para a turma as suas sistematizações.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE O mundo contemporâneo: o Antigo Regime em crise do 8º ano :

MAIS AULAS DE História do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08HI04 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano