16876
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 6º ano > A invenção do mundo clássico e o contraponto com outras sociedades

Plano de aula - Escrita hieroglífica

Plano de aula de História com atividades para 6º ano do EF sobre Escrita hieroglífica

Plano 04 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Jair Messias Ferreira Junior

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF06HI07 “Identificar aspectos e formas de registro das sociedades antigas na África, no Oriente Médio e nas Américas, distinguindo alguns significados presentes na cultura material e na tradição oral dessas sociedades”, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Caderno, lápis, borracha, lápis de cor e dicionário. Uma folha sulfite por trio, Material complementar impresso ou projetor multimídia.

Material complementar:

Texto “A Pedra de Roseta”

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf

Texto “A palavra divina”

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf

Tabela para análise das fontes

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf

Resolução da tabela para análise das fontes

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf

Quadro de hieróglifos e suas letras correspondentes

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rUJw5U4KMCYRYdWERP6bYJgVv3FZqDRc6ZAx5Z6suQWnb5NqQYR9ugkaH5Ta/his6-07und04-quadro-de-hieroglifos-e-suas-letras-correspondentes.pdf

Imagem Pedra de Roseta, detalhe e legenda

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yhyqSKSFUCPp7KzMkzGAzyNjaWgcydyq7tjyxEVRbzwV3qYerdbP5744b2nn/his6-07und04-imagem-pedra-de-roseta-detalhe-e-legenda.pdf

Imagem do escriba sentado

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/EP8qNR3J4HAvY5eBWXXyWEnbKmbucdvP8BuXJ4uJRg55F9RhGuGw4Qh8Hhkv/his6-07und04-imagem-do-escriba-sentado.pdf

Imagem da Estela de Mentuwoser

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/4MWrJReRDDrJDGYdmpa2KR6fEnZx2QeaA3PPkgfxYTNuvWuSuhEN9rk48qDm/his6-07und04-imagem-da-estela-de-mentuwoser.pdf

Texto “Escribas”

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf

Para que os alunos aprendam a interpretar fontes históricas, é muito importante que você não forneça a eles as Informações básicas sobre a fonte histórica antes da leitura de cada uma delas. Não comece a aula com uma exposição sobre o contexto histórico desses documentos, pois isso os impediria de construir o Contexto com base nas fontes, que é o objetivo central da aula de História.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos.

Orientações: Projete, escreva no quadro ou leia o objetivo da aula para a turma. Em seguida, solicite que os alunos pesquisem no dicionário o significado da palavra “hieróglifo”. Segundo a definição do Dicionário Priberam Online, “Nome dado aos caracteres da escrita dos antigos egípcios”, disponível em https://dicionario.priberam.org/hier%C3%B3glifo Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

É muito importante começar com a apresentação do objetivo para que os estudantes entendam o que farão e compreendam aonde se quer chegar no fim da aula. Contudo, tome cuidado para, ao fazer isso, não antecipar respostas desde o começo. É necessário sempre garantir que os alunos construam o raciocínio por conta própria.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 11 minutos.

Orientações: Organize a sala em trios. Tente deixar no mesmo trio alunos que possam se apoiar mutuamente para a realização da atividade.
Em seguida, projete ou disponibilize aos estudantes as imagem da “Estela de Mentuwoser”, fonte: Metropolitan Museum, disponível em https://www.metmuseum.org/pt/art/collection/search/544320 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019.

Em seguida, entregue para cada trio ou projete as instruções do slide a seguir. Peça para que os grupos discutam sobre a fonte e respondam as perguntas. Solicite que cada estudante anote o que foi discutido, em seu caderno. É esperado que os alunos citem que existe uma pessoa sentada (este é Mentuwoser, o falecido) e dois personagens em pé (um destes personagens é o filho de Mentuwoser) fazendo reverência ao falecido. Podemos observar nos hieróglifos muitas aves, animais quadrúpedes, provavelmente touros e cabras, pessoas, símbolos geométricos, cajado de pastor, entre outros. Estes símbolos mostram parte do cotidiano do Antigo Egito, podemos afirmar, com base na fonte, que os egípcios praticavam
o pastoreio, por exemplo. Deixe que os estudantes levantem suas hipóteses para a fonte, não entregue respostas prontas. Quando todos os trios terminarem seus trabalhos, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham as discussões feitas em seus grupos para os demais alunos.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso: em 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Organize a sala em trios. Tente deixar no mesmo trio alunos que possam se apoiar mutuamente para a realização da atividade.
Em seguida, projete ou disponibilize aos estudantes as imagem da “Estela de Mentuwoser”, fonte: Metropolitan Museum, disponível em https://www.metmuseum.org/pt/art/collection/search/544320 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019.

Em seguida, entregue para cada trio ou projete as instruções do slide a seguir. Peça para que os grupos discutam sobre a fonte e respondam as perguntas. Solicite que cada estudante anote o que foi discutido, em seu caderno. É esperado que os alunos citem que existe uma pessoa sentada (este é Mentuwoser, o falecido) e dois personagens em pé (um destes personagens é o filho de Mentuwoser) fazendo reverência ao falecido. Podemos observar nos hieróglifos muitas aves, animais quadrúpedes, provavelmente touros e cabras, pessoas, símbolos geométricos, cajado de pastor, entre outros. Estes símbolos mostram parte do cotidiano do Antigo Egito, podemos afirmar, com base na fonte, que os egípcios praticavam
o pastoreio, por exemplo. Deixe que os estudantes levantem suas hipóteses para a fonte, não entreguem respostas prontas. Quando todos os trios terminarem seus trabalhos, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham as discussões feitas em seus grupos para os demais alunos.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf

Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf

Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Entregue um “quadro de hieróglifos e suas letras correspondentes” para cada estudante ou projete-o no quadro para toda turma. Disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rUJw5U4KMCYRYdWERP6bYJgVv3FZqDRc6ZAx5Z6suQWnb5NqQYR9ugkaH5Ta/his6-07und04-quadro-de-hieroglifos-e-suas-letras-correspondentes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Entregue também uma tira feita de folha sulfite com cerca de 10 centímetros de altura para cada aluno.

Solicite que cada estudante escolha uma palavra secreta e a escreva em hieróglifos na sua tira de papel. Peça para que pintem os hieróglifos. Depois, peça para que cada estudante troque sua tira de hieróglifos com um colega de outro trio, em seguida peça para que os estudantes descubram o que o colega escreveu. Quando todos os estudantes terminarem, cole suas tiras de papel no mural da sala para que os estudantes possam compartilhar suas produções.

Como adequar à sua realidade: Caso prefira, você pode utilizar o laboratório de informática ou o celular dos alunos para que estes acessem a página do site da Universidade da Pensilvânia que transforma palavras em escrita alfabética em hieroglífica. Disponível em https://www.penn.museum/cgi/hieroglyphsreal.php?name Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf

Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF06HI07 “Identificar aspectos e formas de registro das sociedades antigas na África, no Oriente Médio e nas Américas, distinguindo alguns significados presentes na cultura material e na tradição oral dessas sociedades”, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Caderno, lápis, borracha, lápis de cor e dicionário. Uma folha sulfite por trio, Material complementar impresso ou projetor multimídia.

Material complementar:

Texto “A Pedra de Roseta”

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf

Texto “A palavra divina”

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf

Tabela para análise das fontes

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf

Resolução da tabela para análise das fontes

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf

Quadro de hieróglifos e suas letras correspondentes

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rUJw5U4KMCYRYdWERP6bYJgVv3FZqDRc6ZAx5Z6suQWnb5NqQYR9ugkaH5Ta/his6-07und04-quadro-de-hieroglifos-e-suas-letras-correspondentes.pdf

Imagem Pedra de Roseta, detalhe e legenda

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/yhyqSKSFUCPp7KzMkzGAzyNjaWgcydyq7tjyxEVRbzwV3qYerdbP5744b2nn/his6-07und04-imagem-pedra-de-roseta-detalhe-e-legenda.pdf

Imagem do escriba sentado

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/EP8qNR3J4HAvY5eBWXXyWEnbKmbucdvP8BuXJ4uJRg55F9RhGuGw4Qh8Hhkv/his6-07und04-imagem-do-escriba-sentado.pdf

Imagem da Estela de Mentuwoser

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/4MWrJReRDDrJDGYdmpa2KR6fEnZx2QeaA3PPkgfxYTNuvWuSuhEN9rk48qDm/his6-07und04-imagem-da-estela-de-mentuwoser.pdf

Texto “Escribas”

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf

Para que os alunos aprendam a interpretar fontes históricas, é muito importante que você não forneça a eles as Informações básicas sobre a fonte histórica antes da leitura de cada uma delas. Não comece a aula com uma exposição sobre o contexto histórico desses documentos, pois isso os impediria de construir o Contexto com base nas fontes, que é o objetivo central da aula de História.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos.

Orientações: Projete, escreva no quadro ou leia o objetivo da aula para a turma. Em seguida, solicite que os alunos pesquisem no dicionário o significado da palavra “hieróglifo”. Segundo a definição do Dicionário Priberam Online, “Nome dado aos caracteres da escrita dos antigos egípcios”, disponível em https://dicionario.priberam.org/hier%C3%B3glifo Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

É muito importante começar com a apresentação do objetivo para que os estudantes entendam o que farão e compreendam aonde se quer chegar no fim da aula. Contudo, tome cuidado para, ao fazer isso, não antecipar respostas desde o começo. É necessário sempre garantir que os alunos construam o raciocínio por conta própria.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 11 minutos.

Orientações: Organize a sala em trios. Tente deixar no mesmo trio alunos que possam se apoiar mutuamente para a realização da atividade.
Em seguida, projete ou disponibilize aos estudantes as imagem da “Estela de Mentuwoser”, fonte: Metropolitan Museum, disponível em https://www.metmuseum.org/pt/art/collection/search/544320 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019.

Em seguida, entregue para cada trio ou projete as instruções do slide a seguir. Peça para que os grupos discutam sobre a fonte e respondam as perguntas. Solicite que cada estudante anote o que foi discutido, em seu caderno. É esperado que os alunos citem que existe uma pessoa sentada (este é Mentuwoser, o falecido) e dois personagens em pé (um destes personagens é o filho de Mentuwoser) fazendo reverência ao falecido. Podemos observar nos hieróglifos muitas aves, animais quadrúpedes, provavelmente touros e cabras, pessoas, símbolos geométricos, cajado de pastor, entre outros. Estes símbolos mostram parte do cotidiano do Antigo Egito, podemos afirmar, com base na fonte, que os egípcios praticavam
o pastoreio, por exemplo. Deixe que os estudantes levantem suas hipóteses para a fonte, não entregue respostas prontas. Quando todos os trios terminarem seus trabalhos, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham as discussões feitas em seus grupos para os demais alunos.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso: em 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Organize a sala em trios. Tente deixar no mesmo trio alunos que possam se apoiar mutuamente para a realização da atividade.
Em seguida, projete ou disponibilize aos estudantes as imagem da “Estela de Mentuwoser”, fonte: Metropolitan Museum, disponível em https://www.metmuseum.org/pt/art/collection/search/544320 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019.

Em seguida, entregue para cada trio ou projete as instruções do slide a seguir. Peça para que os grupos discutam sobre a fonte e respondam as perguntas. Solicite que cada estudante anote o que foi discutido, em seu caderno. É esperado que os alunos citem que existe uma pessoa sentada (este é Mentuwoser, o falecido) e dois personagens em pé (um destes personagens é o filho de Mentuwoser) fazendo reverência ao falecido. Podemos observar nos hieróglifos muitas aves, animais quadrúpedes, provavelmente touros e cabras, pessoas, símbolos geométricos, cajado de pastor, entre outros. Estes símbolos mostram parte do cotidiano do Antigo Egito, podemos afirmar, com base na fonte, que os egípcios praticavam
o pastoreio, por exemplo. Deixe que os estudantes levantem suas hipóteses para a fonte, não entreguem respostas prontas. Quando todos os trios terminarem seus trabalhos, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham as discussões feitas em seus grupos para os demais alunos.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf

Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf

Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Entregue para cada trio ou projete para toda turma a imagem “o escriba sentado”, juntamente com a sua legenda, fonte: Museu do Louvre, disponível em https://petitegalerie.louvre.fr/oeuvre/le-scribe-accroupi Acesso em: 15 de fevereiro de 2019; o texto, “Escribas”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6V73HzE7y9xN3VuqZWBFHrghJ4FH3c582zmNjQpM8mSqj2KPeS2QkTYbFfXd/his6-07und04-texto-escribas.pdf Acesso em: 15 de fevereiro de 2019;

a imagem da “Pedra de Roseta”, juntamente com sua legenda, fonte: Museu Britânico, disponível em https://www.britishmuseum.org/research/collection_online/collection_object_details.aspx?objectId=117631&partId=1 Acesso em: 10 de fevereiro de 2019, o texto “A Pedra de Roseta”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/UNEVWMFyk7UF9EzH2Z9pMfytppusMK8KVGVREnDqn5qAAw8kurNCkmtykMcW/his6-07und04-texto-a-pedra-de-roseta.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019; e o texto “A palavra divina”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xn3nbQV9auPtW4xddn2KTEwGvgJhGWzqHQ8pg2eUH2YXPembG2sA7sWxanDE/his6-07und04-texto-a-palavra-divina.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Depois, entregue uma “Tabela para análise das fontes” para cada estudante, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/2EMFYypPhHztG4aUUxGBXeFDzZD6eytWhybkDKRh7TA4j9eN4kc8tbmx4UqR/his6-07und04-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Solicite que os estudantes façam a leitura e discussão das fontes dentro dos seus trios, em seguida, peça para que os estudantes anotem suas conclusões na tabela de análise das fontes. É esperado que os estudantes compreendam a importância dos hieróglifos para os antigos egípcios e a longevidade do uso dos hieróglifos. Também é esperado que os estudantes compreendam a importância da Pedra de Roseta para a compreensão da antiga escrita egípcia.

Esta “resolução da tabela de análise das fontes”, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VjwKtcFhFthW3rrN8aUGrk4REg4cxYYmMY7KxVCsFgrpqAQk5GcbNadWMsMN/his6-07und04-resolucao-da-tabela-para-analise-das-fontes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019, é apenas para seu uso, é apenas um referencial para a análise das fontes. Deixe que os estudantes façam suas análises e criem suas respostas.

Quando todos os estudantes terminarem, solicite que colem em seus cadernos a tabela.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Entregue um “quadro de hieróglifos e suas letras correspondentes” para cada estudante ou projete-o no quadro para toda turma. Disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rUJw5U4KMCYRYdWERP6bYJgVv3FZqDRc6ZAx5Z6suQWnb5NqQYR9ugkaH5Ta/his6-07und04-quadro-de-hieroglifos-e-suas-letras-correspondentes.pdf Acesso em: 11 de fevereiro de 2019. Entregue também uma tira feita de folha sulfite com cerca de 10 centímetros de altura para cada aluno.

Solicite que cada estudante escolha uma palavra secreta e a escreva em hieróglifos na sua tira de papel. Peça para que pintem os hieróglifos. Depois, peça para que cada estudante troque sua tira de hieróglifos com um colega de outro trio, em seguida peça para que os estudantes descubram o que o colega escreveu. Quando todos os estudantes terminarem, cole suas tiras de papel no mural da sala para que os estudantes possam compartilhar suas produções.

Como adequar à sua realidade: Caso prefira, você pode utilizar o laboratório de informática ou o celular dos alunos para que estes acessem a página do site da Universidade da Pensilvânia que transforma palavras em escrita alfabética em hieroglífica. Disponível em https://www.penn.museum/cgi/hieroglyphsreal.php?name Acesso em: 11 de fevereiro de 2019.

Para você saber mais: Hieróglifo é uma palavra grega que significa “escrita sagrada”, a antiga palavra egípcia para os hieróglifos tinha o mesmo sentido que a palavra grega. Os hieróglifos mais antigos descobertos até hoje foram encontrados no sítio arqueológico de El Khawy, datado em 3.200 a.C., aproximadamente. Poucos escribas dominavam a arte da escrita em hieróglifos no Antigo Egito. Esta escrita era geralmente utilizada em pirâmides, outros túmulos e obras públicas. Para o cotidiano era utilizado outro sistema de escrita, com hieróglifos simplificados, chamada de escrita hierática.

SOUSA, Rogério. Os hieróglifos: a escrita da vida. Universidade do Porto. Disponível em http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/11438.pdf Acesso em: 8 de fevereiro de 2019.

BAKOS, Margaret Marchiori. Hieróglifos: imagens, sons e egiptomania. UFRJ, disponível em http://phoinix.historia.ufrj.br/media/uploads/artigos/12_Hieroglifos_imagens_sons_e_egiptomania_Margaret_Bakos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

COELHO, Liliane Cristina. Hieróglifos e aula de História: uma análise da escrita antiga egípcia nos livros paradidáticos. Revista Mundo Antigo – Ano I – Volume I – Junho – 2012 ISSN 2238-8788, disponível em http://www.nehmaat.uff.br/revista/2012-1/artigo09-2012-1.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

FARIA, Luísa Barbosa. Os hieróglifos antes de Champollion. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Disponível em http://www.ufrrj.br/graduacao/prodocencia/publicacoes/praticas-discursivas/artigos/hieroglifos.pdf Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

LEAL, Pedro Germano. Os espelhos dos hieróglifos: da ruína das letras egípcias à sua reinvenção quimérica entre os séculos XV e XVII. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Disponível em https://repositorio.ufrn.br/jspui/bitstream/123456789/16148/1/PedroGL.pdf

Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Documentário. Trecho da série Cosmos onde é mostrada a Pedra de Roseta e o trabalho de Champollion na decifração dos hieróglifos egípcios. Disponível em

https://www.youtube.com/watch?v=dX8HPREpSlY Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria jornalística sobre o papiro mais antigo (de aproximadamente 2.500 a.C.) com escrita hieroglífica. Disponível em https://www.youtube.com/watch?v=lfiEWP_PuZI Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Matéria da revista Superinteressante, “O que significam os hieróglifos do Egito Antigo?”, disponível em https://super.abril.com.br/mundo-estranho/o-que-significavam-os-hieroglifos-do-egito-antigo/ Acesso em: 9 de fevereiro de 2019.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE A invenção do mundo clássico e o contraponto com outras sociedades do 6º ano :

6º ano / História / A invenção do mundo clássico e o contraponto com outras sociedades

6º ano / História / A invenção do mundo clássico e o contraponto com outras sociedades

6º ano / História / A invenção do mundo clássico e o contraponto com outras sociedades

6º ano / História / A invenção do mundo clássico e o contraponto com outras sociedades

MAIS AULAS DE História do 6º ano:

6º ano / História / História: tempo, espaço e formas de registros

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF06HI07 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano