16814
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 8º ano > O Brasil no século XIX

Plano de aula - A Revolução Praieira (1848-1850). As lutas por mais cidadania no Brasil Imperial

Plano de aula de História com atividades para 8º ano do EF sobre A Revolução Praieira (1848-1850). As lutas por mais cidadania no Brasil Imperial

Plano 04 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: João Carlos De Melo Silva

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI16, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cartolina.

Materiais complementares: Cópias impressas das fontes históricas.

Fonte 1: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8bxUWgHbNfUrBDZxxNXKQbuVPrvf9nVTWFCFUrXS6QM2zDFMf37vPjxajPsf/his08-16und04-fonte-1-da-problematizacao.pdf

Fonte 2: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Sj7RKSeaJ9pMH9JMDan6GwaYwJZpKt5fHTnvnSudDyQGchbDszdU6yrSV7qz/his08-16und04-fonte-2-da-problematizacao.pdf

Fonte 3: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jcxmv8TFAxZEvDA6AuVB6UQzTxssGyhGPuAakFQEMwmuaAecyXYExtVkVMn5/his08-16und04-fonte-3-da-problematizacao.pdf

Para você saber mais:

A Revolta Praieira foi um movimento de contestação à desigualdade social e ao poder oligárquico e imperial que se iniciou em 1848 na província de Pernambuco. O movimento foi instigado pela imprensa liberal de Pernambuco, com destaque para o jornal O Diário Novo, localizado na Rua da Praia. Os líderes denunciavam a desigualdade social e a concentração de riqueza e permanência no poder da família Cavalcanti, grande proprietária de engenhos e pessoas escravizadas na região. Além das questões locais era notável a influência dos movimentos populares da Europa e das ideias dos primeiros socialistas, como Joseph Proudhon e Robert Owen.

Atingidas diretamente pelos problemas sociais causados pela desigualdade, as classes populares tomaram as ruas. Em 7 de novembro de 1848, pessoas em Olinda pegam em armas, levando a revolta para outro patamar e chamando a atenção do poder imperial. Em 1º de janeiro de 1849
os revolucionários divulgam sua reivindicações no Manifesto ao mundo. Entre elas estava o voto universal, o fim do poder moderador, autonomia provincial, trabalho e expulsão dos portugueses da atividade comercial.

Em agosto de 1849 o movimento foi violentamente reprimido pelas tropas imperiais. Apesar da resistência, a repressão conseguiu acabar com a revolta. Os principais líderes foram julgados e condenados à prisão perpétua, mas alguns deles foram anistiados anos depois por D. Pedro II. Muitos populares foram mortos e outros foram recrutados à força para as tropas imperiais.

Fonte: http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/busca?txt=praieira

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto.

Orientações: Escreva no quadro e leia o objetivo para a turma.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos.

Orientações: Inicie a aula exibindo o meme acima para os alunos. O objetivo é utilizar o humor para chamar a atenção da turma e aproveitar-lo como uma forma de iniciar as reflexões sobre a Constituição. Após exibir o meme:

  • Pergunte aos alunos: O que é esta Constituição que foi citada por uma das pessoas da conversa? Espera-se que eles respondam que a Constituição é um documento oficializado pelo poder político onde estão todas as leis de um determinado país. Explicite que o trecho
    fala da atual Constituição, promulgada em 1988.)
  • Apesar de ser uma piada, o artigo da Constituição citado realmente existe. Vocês concordam com ele? É justo não ser obrigado a fazer algo a não ser por força de lei? Discutam. (O professor deverá guiar esta discussão apontando que esta lei deriva do princípio da liberdade individual, de que todos os seres humanos têm direito à liberdade desde que esta não afete a liberdade dos outros, mas que este princípio nem sempre esteve presente nas constituições.)

Como adequar à sua realidade: Se não for possível projetar o meme no quadro o professor pode copiar, já que se trata de um pequeno trecho. Também existe a opção de entregar cópias impressas para os alunos ou simplesmente contar a piada.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações para fonte 1:

Utilize 5 minutos para analisar esta fonte. Em seguida prossiga para a fonte 2.

Como adequar à sua realidade: Se não for possível projetar os dois trechos das constituições, o professor pode entregar impresso em papel.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações para fonte 2:

Utilize 5 minutos para trabalhar esta fonte. Em seguida prossiga para a fonte 3.

  • Exiba o trecho da Constituição para os alunos. O restante do artigo pode ser encontrado aqui https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Sj7RKSeaJ9pMH9JMDan6GwaYwJZpKt5fHTnvnSudDyQGchbDszdU6yrSV7qz/his08-16und04-fonte-2-da-problematizacao.pdf
  • Explique que esta foi a primeira Constituição do Brasil enquanto país independente. Ela foi outorgada pelo imperador D. Pedro I (ou seja, imposta pelo imperador sem consulta ao povo, seja via direta ou via Assembleia Legislativa) em 1824 e ficou em vigor até 1891.
  • Pergunte aos alunos se todos poderiam votar de acordo com esta Constituição e se não quais pessoas estavam excluídas. É de se esperar
    que eles atentem que no artigo 92 estão excluídas, entre outras pessoas, aqueles que não ganham até 100 mil réis mensais.
  • Pergunte aos alunos se na visão deles a Constituição atual (de 1988) mostrada no slide anterior dá mais possibilidade de participação popular do que a primeira Constituição.

Como adequar à sua realidade: Se não for possível projetar os dois trechos das constituições, o professor pode entregar impresso em papel.

Para você saber mais: Glossário: Filhos-família = menores de idade. Communidade clasural = comunidades religiosas que vivem isoladas do restante da sociedade.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações para a fonte 3:

Utilize 10 minutos para analisar esta fonte. Logo em seguida prossiga para a Sistematização.

  • Exiba o manifesto para os alunos e peça para lerem.
  • Agora contextualize o manifesto. Afirme que ele foi produzido no auge da Revolução Praieira, que ocorreu em pernambuco entre 1848 e 1850, ou seja, durante a época em que vigorava a Constituição outorgada de 1824 mostrada na fonte 1.
  • Detalhe o movimento explicando que ele combinou uma diversidade de insatisfações de diferentes classes sociais. Havia muito descontentamento com a concentração de riquezas, desigualdade social, predomínio de portugueses na atividade comercial e manutenção da família Cavalcanti no poder.
  • Pergunte aos alunos se eles conseguem identificar se a Constituição de 1824, mostrada no slide anterior, entrava em conflito com as demandas dos revolucionários. É de se esperar que eles percebam que a Constituição proibia o voto para pessoas que não ganhavam 100 mil réis e os revolucionários exigiam, entre outras coisas, que todos pudessem votar quando pediam “voto livre e universal do povo brasileiro”.

A versão para impressão da fonte pode ser encontrada aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jcxmv8TFAxZEvDA6AuVB6UQzTxssGyhGPuAakFQEMwmuaAecyXYExtVkVMn5/his08-16und04-fonte-3-da-problematizacao.pdf

Para mais informações acesse: http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/busca?txt=praieira

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos.

Orientações:

  • Organize toda a turma em um círculo.
  • Explique para todos que agora eles irão produzir coletivamente um manifesto. Assim como os pernambucanos da Rua da Praia fizeram para se posicionar contra os problemas da sociedade do século XIX, os estudantes deverão pensar nos problemas de hoje em dia e reivindicar coisas que a sociedade deve se engajar para conseguir.
  • Selecione algum objeto qualquer da sala de aula (exemplo: garrafa d’água, apagador, estojo) e designe como um “bastão de fala”. Informe para a turma que apenas o aluno que estiver com o bastão poderá falar, mas que qualquer um pode pegar este bastão e falar quanto tempo quiser. Quando terminar a fala, o bastão deverá ser passado para outro aluno que queira falar. Se houver alunos demais, o professor pode impor um limite de tempo.
  • Oriente os alunos a fazer um máximo de dez reivindicações e um breve parágrafo introdutório para apresentar o manifesto.
  • Após dar as orientações, entregue uma cartolina para que os alunos façam o manifesto em formato de cartaz. Quando a turma finalizar coloque o cartaz na parede da sala.
  • Obs: É bastante provável que em turmas grandes alguns alunos se sobressaiam mais do que os outros, dada a diversidade de alunos, maturidade, desenvoltura e interesse de cada um. O professor deve estar atento para incentivar que todos participem da maneira mais igual possível, mesmo consciente de que não é possível atingir uma perfeita homogeneidade. Caso algum aluno se sinta frustrado ou silenciado, o professor pode intervir, mas sem impor nada. Um dos objetivos da atividade é fazer com que os alunos sintam os conflitos e as dificuldades inerentes a este tipo de organização política coletiva, que é tão comum nos movimentos populares de ontem e hoje.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08HI16, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cartolina.

Materiais complementares: Cópias impressas das fontes históricas.

Fonte 1: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8bxUWgHbNfUrBDZxxNXKQbuVPrvf9nVTWFCFUrXS6QM2zDFMf37vPjxajPsf/his08-16und04-fonte-1-da-problematizacao.pdf

Fonte 2: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Sj7RKSeaJ9pMH9JMDan6GwaYwJZpKt5fHTnvnSudDyQGchbDszdU6yrSV7qz/his08-16und04-fonte-2-da-problematizacao.pdf

Fonte 3: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jcxmv8TFAxZEvDA6AuVB6UQzTxssGyhGPuAakFQEMwmuaAecyXYExtVkVMn5/his08-16und04-fonte-3-da-problematizacao.pdf

Para você saber mais:

A Revolta Praieira foi um movimento de contestação à desigualdade social e ao poder oligárquico e imperial que se iniciou em 1848 na província de Pernambuco. O movimento foi instigado pela imprensa liberal de Pernambuco, com destaque para o jornal O Diário Novo, localizado na Rua da Praia. Os líderes denunciavam a desigualdade social e a concentração de riqueza e permanência no poder da família Cavalcanti, grande proprietária de engenhos e pessoas escravizadas na região. Além das questões locais era notável a influência dos movimentos populares da Europa e das ideias dos primeiros socialistas, como Joseph Proudhon e Robert Owen.

Atingidas diretamente pelos problemas sociais causados pela desigualdade, as classes populares tomaram as ruas. Em 7 de novembro de 1848, pessoas em Olinda pegam em armas, levando a revolta para outro patamar e chamando a atenção do poder imperial. Em 1º de janeiro de 1849
os revolucionários divulgam sua reivindicações no Manifesto ao mundo. Entre elas estava o voto universal, o fim do poder moderador, autonomia provincial, trabalho e expulsão dos portugueses da atividade comercial.

Em agosto de 1849 o movimento foi violentamente reprimido pelas tropas imperiais. Apesar da resistência, a repressão conseguiu acabar com a revolta. Os principais líderes foram julgados e condenados à prisão perpétua, mas alguns deles foram anistiados anos depois por D. Pedro II. Muitos populares foram mortos e outros foram recrutados à força para as tropas imperiais.

Fonte: http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/busca?txt=praieira

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto.

Orientações: Escreva no quadro e leia o objetivo para a turma.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 4 minutos.

Orientações: Inicie a aula exibindo o meme acima para os alunos. O objetivo é utilizar o humor para chamar a atenção da turma e aproveitar-lo como uma forma de iniciar as reflexões sobre a Constituição. Após exibir o meme:

  • Pergunte aos alunos: O que é esta Constituição que foi citada por uma das pessoas da conversa? Espera-se que eles respondam que a Constituição é um documento oficializado pelo poder político onde estão todas as leis de um determinado país. Explicite que o trecho
    fala da atual Constituição, promulgada em 1988.)
  • Apesar de ser uma piada, o artigo da Constituição citado realmente existe. Vocês concordam com ele? É justo não ser obrigado a fazer algo a não ser por força de lei? Discutam. (O professor deverá guiar esta discussão apontando que esta lei deriva do princípio da liberdade individual, de que todos os seres humanos têm direito à liberdade desde que esta não afete a liberdade dos outros, mas que este princípio nem sempre esteve presente nas constituições.)

Como adequar à sua realidade: Se não for possível projetar o meme no quadro o professor pode copiar, já que se trata de um pequeno trecho. Também existe a opção de entregar cópias impressas para os alunos ou simplesmente contar a piada.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações para fonte 1:

Utilize 5 minutos para analisar esta fonte. Em seguida prossiga para a fonte 2.

Como adequar à sua realidade: Se não for possível projetar os dois trechos das constituições, o professor pode entregar impresso em papel.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações para fonte 2:

Utilize 5 minutos para trabalhar esta fonte. Em seguida prossiga para a fonte 3.

  • Exiba o trecho da Constituição para os alunos. O restante do artigo pode ser encontrado aqui https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Sj7RKSeaJ9pMH9JMDan6GwaYwJZpKt5fHTnvnSudDyQGchbDszdU6yrSV7qz/his08-16und04-fonte-2-da-problematizacao.pdf
  • Explique que esta foi a primeira Constituição do Brasil enquanto país independente. Ela foi outorgada pelo imperador D. Pedro I (ou seja, imposta pelo imperador sem consulta ao povo, seja via direta ou via Assembleia Legislativa) em 1824 e ficou em vigor até 1891.
  • Pergunte aos alunos se todos poderiam votar de acordo com esta Constituição e se não quais pessoas estavam excluídas. É de se esperar
    que eles atentem que no artigo 92 estão excluídas, entre outras pessoas, aqueles que não ganham até 100 mil réis mensais.
  • Pergunte aos alunos se na visão deles a Constituição atual (de 1988) mostrada no slide anterior dá mais possibilidade de participação popular do que a primeira Constituição.

Como adequar à sua realidade: Se não for possível projetar os dois trechos das constituições, o professor pode entregar impresso em papel.

Para você saber mais: Glossário: Filhos-família = menores de idade. Communidade clasural = comunidades religiosas que vivem isoladas do restante da sociedade.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações para a fonte 3:

Utilize 10 minutos para analisar esta fonte. Logo em seguida prossiga para a Sistematização.

  • Exiba o manifesto para os alunos e peça para lerem.
  • Agora contextualize o manifesto. Afirme que ele foi produzido no auge da Revolução Praieira, que ocorreu em pernambuco entre 1848 e 1850, ou seja, durante a época em que vigorava a Constituição outorgada de 1824 mostrada na fonte 1.
  • Detalhe o movimento explicando que ele combinou uma diversidade de insatisfações de diferentes classes sociais. Havia muito descontentamento com a concentração de riquezas, desigualdade social, predomínio de portugueses na atividade comercial e manutenção da família Cavalcanti no poder.
  • Pergunte aos alunos se eles conseguem identificar se a Constituição de 1824, mostrada no slide anterior, entrava em conflito com as demandas dos revolucionários. É de se esperar que eles percebam que a Constituição proibia o voto para pessoas que não ganhavam 100 mil réis e os revolucionários exigiam, entre outras coisas, que todos pudessem votar quando pediam “voto livre e universal do povo brasileiro”.

A versão para impressão da fonte pode ser encontrada aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/jcxmv8TFAxZEvDA6AuVB6UQzTxssGyhGPuAakFQEMwmuaAecyXYExtVkVMn5/his08-16und04-fonte-3-da-problematizacao.pdf

Para mais informações acesse: http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/busca?txt=praieira

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos.

Orientações:

  • Organize toda a turma em um círculo.
  • Explique para todos que agora eles irão produzir coletivamente um manifesto. Assim como os pernambucanos da Rua da Praia fizeram para se posicionar contra os problemas da sociedade do século XIX, os estudantes deverão pensar nos problemas de hoje em dia e reivindicar coisas que a sociedade deve se engajar para conseguir.
  • Selecione algum objeto qualquer da sala de aula (exemplo: garrafa d’água, apagador, estojo) e designe como um “bastão de fala”. Informe para a turma que apenas o aluno que estiver com o bastão poderá falar, mas que qualquer um pode pegar este bastão e falar quanto tempo quiser. Quando terminar a fala, o bastão deverá ser passado para outro aluno que queira falar. Se houver alunos demais, o professor pode impor um limite de tempo.
  • Oriente os alunos a fazer um máximo de dez reivindicações e um breve parágrafo introdutório para apresentar o manifesto.
  • Após dar as orientações, entregue uma cartolina para que os alunos façam o manifesto em formato de cartaz. Quando a turma finalizar coloque o cartaz na parede da sala.
  • Obs: É bastante provável que em turmas grandes alguns alunos se sobressaiam mais do que os outros, dada a diversidade de alunos, maturidade, desenvoltura e interesse de cada um. O professor deve estar atento para incentivar que todos participem da maneira mais igual possível, mesmo consciente de que não é possível atingir uma perfeita homogeneidade. Caso algum aluno se sinta frustrado ou silenciado, o professor pode intervir, mas sem impor nada. Um dos objetivos da atividade é fazer com que os alunos sintam os conflitos e as dificuldades inerentes a este tipo de organização política coletiva, que é tão comum nos movimentos populares de ontem e hoje.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE O Brasil no século XIX do 8º ano :

MAIS AULAS DE História do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08HI16 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano