16785
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 7º ano > Lógicas comerciais e mercantis da modernidade

Plano de aula - Do comércio de mercadorias à comercialização da mão de obra: a escravidão no período pré-colonial

Plano de aula de História com atividades para 7º ano do EF sobre Do comércio de mercadorias à comercialização da mão de obra: a escravidão no período pré-colonial

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ruhama Ariella Sabião Batista

Sugestão de adaptação para ensino remoto

Ferramentas sugeridas
- Essenciais: fontes históricas (em PDF, print ou link), Whatsapp, E-mail ou Google sala de aula.
- Optativas: Hangouts,YouTube, Flipgrid, Achor.fm.

Contexto
O objetivo desta aula é compreender os processos históricos que levaram à escravidão como mercado lucrativo na América Portuguesa no século XVII.

Para desenvolvê-la com os seus alunos, você poderá trabalhar de forma:
- Assíncrona, disponibilizando por meio do Whatsapp, e-mail ou Google sala de aula (veja como usá-lo aqui), os materiais e orientações necessários. As devolutivas dos alunos podem ocorrer da mesma forma ou com agendamento de um momento síncrono.
- Síncrona, apresentando os materiais (projetando-os na tela) e orientações enquanto realiza uma videoconferência por meio do Hangouts (veja aqui como criar uma reunião online).

Inicie a aula convidando os alunos a pensarem sobre as princesas que conhecem:
- Quais são as princesas mais marcantes para vocês?
- Vocês conhecem a história da princesa Aqualtune?

Disponibilize o cordel de Jarid Arraes e oriente-os a realizarem a leitura em voz alta, para praticar em casa. Depois, devem refletir:
- A história de Aqualtune é parecida com a das outras princesas que você conhece? O que aconteceu com a princesa?
- De onde ela era? Para onde ela foi levada?

Para que saibam mais a respeito da história de Aqualtune e também conheçam canais de youtubers negros da atualidade, recomende que assistam ao vídeo:
- Figuras históricas - Aqualtune. Afrorescer YouTube, 21 fev. 2018. Disponível aqui. Acesso em: 20/06/2020.

Problematização
O foco desta etapa é identificar como os africanos e afrobrasileiros foram compreendidos como mercadoria lucrativa no contexto escravista moderno. Disponibilize, primeiro, o documento da Fonte 2, em seguida, o complemente com os seguintes trechos de uma entrevista do historiador Jaime Rodrigues:

“A escravidão não era algo estranho às sociedades africanas. Na escravidão tradicional, baseada no sistema de linhagem ou parentesco, o cativo não era uma mercadoria e sua condição era geralmente transitória. Além disso, mulheres e crianças eram as mais visadas. O trabalho forçado na África pré-colonial não se destinava a gerar riquezas, nem excedentes para exportação, mas agregava prestígio e poder ao senhor - proporcionais ao número de dependentes que ele podia sustentar.

Se houve mudanças na escravidão de linhagem e se muitos soberanos africanos passaram a utilizar a guerra para, ao vencer o inimigo, criar um contingente de escravos para exportação, isso se deveu à intervenção européia. Para defender seus interesses comerciais, os europeus não hesitaram em fomentar divergências étnicas no continente africano e em introduzir armas de fogo e pólvora nas guerras tradicionais”. (Entrevista a Jaime Rodrigues. Por Ilana Goldstein, “A rede social do tráfico negreiro”. Revista Trópico, 2005).

Proponha que analisem e registrem no caderno ou em mídias digitais que utilizam, como o Google sala de aula:
- Os textos concordam se havia escravidão na África antes dos europeus?
- Quais eram as formas de uma pessoa se tornar escravizada na África?
- O que mudou com a presença dos europeus? Como eles pressionaram os africanos a ampliarem as participações nos sistemas escravistas?
- Qual era o interesse europeu envolvido neste processo?

Solicite que, ao final desta etapa, os alunos cheguem a uma conclusão sobre:
- O sistema escravista moderno europeu respeitava as identidades dos sujeitos que escravizava? Qual valor era atribuído a eles? (Obs.: A Fonte 1, proposta originalmente para esta etapa, é sugerida aqui para a Atividade da etapa da Sistematização).

Sistematização
Proponha que os alunos construam narrativas sobre o processo de escravização dos sujeitos, a partir dos registros contidos na Fonte 1:
- Quem seriam aquelas pessoas? Suas origens? Nomes verdadeiros?
- Algum deles seria da realeza, como Aqualtune?
- Como foi o processo até se tornarem propriedade do Sr. Domingos Francisco Leite Guimarães? Qual foi o preço pago por eles? Quanto lucrava?

Sugira que gravem áudios ou vídeos curtos contando as histórias. Para compartilhá-las entre a turma, podem fazer uso de ferramentas como o YouTube (veja aqui como fazer), Flipgrid (veja aqui como fazer) ou o Achor.fm (veja aqui como fazer).

Convite às famílias
Para que conheçam outras histórias de mulheres negras escravizadas que lutaram contra a escravidão, sugira que acessem: GONÇALVES, Patrícia. 17 mulheres negras brasileiras que lutaram contra escravidão. Catraca Livre, 20 de agosto de 2018. Disponível aqui. Acesso em: 17/06/2020.

Sugestão Enviada Por: Profa Bianca


Código: HIS7_14UND01

(EF07HI14) Descrever as dinâmicas comerciais das sociedades americanas e africanas e analisar suas interações com outras sociedades do Ocidente e do Oriente.


Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Lógicas comerciais e mercantis da modernidade do 7º ano:

MAIS AULAS DE História do 7º ano:

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas