16702
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 6º ano > História: tempo, espaço e formas de registros

Plano de aula - Sambaquis

Plano de aula de História com atividades para 6º ano do EF sobre Sambaquis

Plano 04 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Jair Messias Ferreira Junior

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade (EF06HI06) “Identificar geograficamente as rotas de povoamento no território americano”, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Caderno, lápis, caneta, borracha e dicionário. Projetor multimídia, caso não tenha um disponível, imprima as imagens para o estudantes.

Material complementar:

Fotografia do Sambaqui de Guaraguaçu

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZyE6AgSuCqXXXQdJKqMD3nEbuwjqRsut4rCxF37swHZkpv3Fj8E5rKPYxEg8/his6-06und04-sambaqui-de-guaraguacu.pdf

Crânio humano do Sambaqui do Gomes

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Drqm3mAdxXRRXd8HhKSnHsBjnJNJ6c4RGeqnrwx8937ESagWP2ghZuQ9ecMb/his6-06und04-cranio-humano-do-sambaqui-do-gomes.pdf

Conchas do Sambaqui de Guaraguaçu

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/MuQmkMtCT7fK8qqh3AKR6ZJcHb2V23RrB9HG24r5Jqqv34u8jjfeyNeEs4gt/his6-06und04-conchas-do-sambaqui-de-guaraguacu.pdf

Zoólito em forma de peixe

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xwk46ppU5yPW6CmRQqbM8WxKnDXz4zfjuQsJNjVRVjXAgcaZm4kWDprkUFJh/his6-06und04-zoolito-em-forma-de-peixe.pdf

Texto 1 - Matéria de O Globo sobre sambaquis

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/AtegkqMfJXrzWBr2rtTZeARDwfM5rRu9dtV6hnvQjWMbTMG775KFm6KVb8sF/his6-06und04-texto-1-materia-de-o-globo-sobre-sambaquis.pdf

Texto 2 - Sambaquieiros tinham rituais elaborados de sepultamento

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/mB25BpNgh46Sm8FR6vdTFnUN92agVYtzXymZ2fmqfj5gKZ9eTRAhgjvew7M5/his6-06und04-texto-2-sambaquieiros-tinham-rituais-elaborados-de-sepultamento.pdf

Modelo para desenho e parágrafo

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/punSkYBKSayBhnrAAPGAcYF57FfFDYpdvnt8JUjTzNB7Cj7KdYYQMrgxZXFR/his6-06und04-modelo-para-desenho-e-paragrafo.pdf

Para que os alunos aprendam a interpretar fontes históricas, é muito importante que você não forneça a eles as Informações básicas sobre a fonte histórica antes da leitura de cada uma delas. Não comece a aula com uma exposição sobre o contexto histórico destes documentos, pois isso os impediria de construir o contexto com base nas fontes, que é o objetivo central da aula de História.

Para você saber mais:

CALIPPO, Flávio Rizzi. Sambaquis submersos de Cananeia. Universidade de São Paulo, dissertação de mestrado, 2006. Disponível em http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8153/tde-27062006-143634/pt-br.php Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Texto, “Muito antes da chegada de Cabral”. Revista Fapesp, disponível em http://revistapesquisa.fapesp.br/wp-content/uploads/2000/03/46_arqueologia.pdf?e1244a Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Vídeo, Documentário do Sambaqui de Cubatão. Fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=tQ5oPU7UI5c Acesso em: 23 de dezembro de 2018. O vídeo foi produzido pela prefeitura de Joinville. Nele é mostrado o sambaqui Cubatão I, localizado na região de Joinville. Pesquisas indicam que o sambaqui foi ocupado há mais de 3 mil anos. O Sambaqui de Cubatão I apresenta algumas especificidades, como sepultamentos complexos para crianças e fibras vegetais por todo o sambaqui. A população que construiu o sambaqui tinha acesso a diferentes biomas, como mar, lagoa, restinga, mangue e mata atlântica. O vídeo apresenta as teorias dos principais especialistas sobre sambaquis e os estudos mais recentes sobre o tema. O Sambaqui de Cubatão I passa por um acelerado processo de erosão provocado pelo rio Cubatão.

DE MELO, João Carlos Ferreira; SILVEIRA, Eloiza regina da; BANDEIRA, Dione da Rocha. Arqueobotânica de um sambaqui sul-brasileiro: integrando indícios sobre o paleoambiente e o uso de recursos florestais. Universidade da Região de Joinville, 2016. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v11n3/1981-8122-bgoeldi-11-3-0727.pdf Acesso em: 23 de dezembro de 2018. A pesquisa analisou algumas madeiras encontradas dentro de sambaqui e estabeleceu relações entre a vegetação local e o uso desta pelos povos sambaquieiros da região de Joinville.

Vídeo, SP arqueologia, sítio pré-histórico, sambaquis. Fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=3rY4RTXnnhE&t=207s Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pela UNIVESP que mostra os principais conceitos relacionados aos povos sambaquieiros. No vídeo é apresentado o Sambaqui Nóbrega, em Ilha Comprida, município do litoral de São Paulo.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Projete, escreva no quadro ou leia o objetivo da aula para a turma. É muito importante começar com a apresentação do objetivo para que os estudantes entendam o que farão e compreendam aonde se quer chegar no fim da aula. Contudo, tome cuidado para, ao fazer isso, não antecipar respostas desde o começo. É necessário sempre garantir que os alunos construam o raciocínio por conta própria.

Informe aos estudantes que há discussões entre os historiadores sobre a construção e o uso dos sambaquis. Novas descobertas arqueológicas e novos métodos de análise dos dados coletados alteram as teorias até então existentes sobre os sambaquis.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos.

Orientações: Organize a sala em trios. Tente deixar no mesmo trio alunos que possam se apoiar mutuamente para a realização da atividade. Depois, projete ou disponiblize aos estudantes a imagem “Sambaqui de Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes , página 52. Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Em seguida, escreva as questões (do slide a seguir) no quadro, ou disponibilize-as impressas, e solicite que os trios debatam e respondam às questões. Peça para que os três alunos do grupo exponham suas opiniões e para que anotem as conclusões em seus cadernos. Após a resolução das questões, solicite que dois trios, voluntariamente, apresentem suas respostas aos demais alunos.

É esperado que os estudantes respondam, com base na imagem e na sua legenda, que os sambaquis são montanhas de conchas. Indague os estudantes sobre a origem dos sambaquis, se são formações naturais ou foram construídos pelo ser humano. Surgirão diversas teorias para a construção dos sambaquis. Deixe que os estudantes construam suas hipóteses, não dê uma resposta fechada para as perguntas.

Durante a execução da atividade, passe pelos grupos auxiliando-os. Questione os estudantes sobre os materiais utilizados e quais técnicas poderiam ser utilizadas na construção do sambaqui. Aponte dados complementares que achar necessário para auxiliar os estudantes na execução de suas atividades.

Para você saber mais: Os sambaquis são os vestígios mais antigos da ocupação humana no litoral da América do Sul. Os sambaquis são encontrados em quase todo o litoral brasileiro, mas se concentram, principalmente, no litoral entre o norte do Rio Grande do Sul e o sul da Bahia.
Os sambaquis mais antigos são datado em 10 mil anos. Existem sambaquis que foram construídos por quase mil anos e possuem milhares de esqueletos.

Vídeo: Sambaqui da Beirada - arqueologia na praça, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=1R8JOIue4J4&t=1321s Acesso em: 23 de dezembro de 2018. O documentário mostra alguns sambaquis da região de Saquarema, no estado do Rio de Janeiro. Documentário produzido pela UFRJ que mostra os principais sambaquis da região de Saquarema. O vídeo possui o depoimento de diversos especialistas que estudam os sambaquis, arqueólogos, antropólogos, biopaleontólogos, entre outros.

Vídeo: Retratos catarinenses - O Museu do Sambaqui, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=e_1_yGOP6o0 Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo programa Retratos catarinenses, que mostra o interior do Museu do Sambaqui, localizado em Florianópolis, estado de Santa Catarina. Parte do acervo do museu é exibido na reportagem.

Mapa “Sambaquis do litoral brasileiro”. Fonte: Socioambietal.org, disponível em https://img.socioambiental.org/v/publico/pibmirim/antes-de-cabral/sambaquis.jpg.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

PEIXOTO, Silvia Alves. Pequenos aos montes: uma análise dos processos de formação dos sambaquis de pequeno porte do litoral sul de Santa Catarina. UFRJ, Museu Nacional, 2008. Nesta dissertação de mestrado são apresentados os principais processos de formação dos sambaquis de pequeno porte. Os sambaquis de pequeno porte ocupam boa parte do litoral brasileiro, sendo os mais comuns sambaquis. Disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/arqueologia/docs/Disserts/Peixoto2008.pdf Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Organize a sala em trios. Tente deixar no mesmo trio alunos que possam se apoiar mutuamente para a realização da atividade. Depois, projete ou disponiblize aos estudantes a imagem “Sambaqui de Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes , página 52. Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Em seguida, escreva as questões (do slide a seguir) no quadro, ou disponibilize-as impressas, e solicite que os trios debatam e respondam às questões. Peça para que os três alunos do grupo exponham suas opiniões e para que anotem as conclusões em seus cadernos. Após a resolução das questões, solicite que dois trios, voluntariamente, apresentem suas respostas aos demais alunos.

É esperado que os estudantes respondam, com base na imagem e na sua legenda, que os sambaquis são montanhas de conchas. Indague os estudantes sobre a origem dos sambaquis, se são formações naturais ou foram construídos pelo ser humano. Surgirão diversas teorias para a construção dos sambaquis. Deixe que os estudantes construam suas hipóteses, não dê uma resposta fechada para as perguntas.

Durante a execução da atividade, passe pelos grupos auxiliando-os. Questione os estudantes sobre os materiais utilizados e quais técnicas poderiam ser utilizadas na construção do sambaqui. Aponte dados complementares que achar necessário para auxiliar os estudantes na execução de suas atividades.

Para você saber mais: Os sambaquis são os vestígios mais antigos da ocupação humana no litoral da América do Sul. Os sambaquis são encontrados em quase todo o litoral brasileiro, mas se concentram, principalmente, no litoral entre o norte do Rio Grande do Sul e o sul da Bahia.
Os sambaquis mais antigos são datados em 10 mil anos. Existem sambaquis que foram construídos por quase mil anos e possuem milhares de esqueletos.

Vídeo: Sambaqui da Beirada - arqueologia na praça, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=1R8JOIue4J4&t=1321s Acesso em: 23 de dezembro de 2018. O documentário mostra alguns sambaquis da região de Saquarema, no estado do Rio de Janeiro. Documentário produzido pela UFRJ que mostra os principais sambaquis da região de Saquarema. O vídeo possui o depoimento de diversos especialistas que estudam os sambaquis, arqueólogos, antropólogos, biopaleontólogos, entre outros.

Vídeo: Retratos catarinenses - O Museu do Sambaqui, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=e_1_yGOP6o0 Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo programa Retratos catarinenses, que mostra o interior do Museu do Sambaqui, localizado em Florianópolis, estado de Santa Catarina. Parte do acervo do museu é exibido na reportagem.

Mapa “Sambaquis do litoral brasileiro”. Fonte: Socioambietal.org, disponível em https://img.socioambiental.org/v/publico/pibmirim/antes-de-cabral/sambaquis.jpg.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

PEIXOTO, Silvia Alves. Pequenos aos montes: uma análise dos processos de formação dos sambaquis de pequeno porte do litoral sul de Santa Catarina. UFRJ, Museu Nacional, 2008. Nesta dissertação de mestrado são apresentados os principais processos de formação dos sambaquis de pequeno porte. Os sambaquis de pequeno porte ocupam boa parte do litoral brasileiro, sendo os mais comuns sambaquis. Disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/arqueologia/docs/Disserts/Peixoto2008.pdf Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Projete ou disponibilize aos trios de estudantes a imagem “Crânio humano do sambaqui do Gomes”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 24). Acesso em: 23 de dezembro de 2018; a imagem “zoólito em forma de peixe”, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/arqbra027.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018, e a imagem “Anomalocardia brasiliana espécie [de concha] que prevalece na formação do Sambaqui Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 51). Acesso em: 23 de dezembro de 2018, juntamente com a legenda das três imagens. Solicite que os trios discutam sobre as imagens, que façam a descrição das três, que identifiquem os artefatos mostrados e de quais materiais são feitos estes artefatos.

A imagem do crânio mostra pedaços de um crânio humano com vértebras de tubarão perfurados, provavelmente um colar com o qual o indivíduo foi sepultado no sambaqui. A imagem 2 mostra um zoólito em forma de peixe, feito de pedra e com um detalhe em formato côncavo, local onde era colocado algum produto, como tinta, por exemplo. A última imagem mostra conchas, estas eram comuns nos sambaquis, a espécie de concha variava de sambaqui para sambaqui, de acordo com a região onde o sambaqui foi construído. Enquanto os estudantes discutem em seus trios, passe por eles auxiliando-os em suas atividades. Caso os estudantes encontrem dificuldades na resolução da atividade, questione o porquê de as vértebras de tubarão estarem ao redor do que seria o pescoço do esqueleto, o que é um zoólito, por que o zoólito possui uma região côncava e de qual material ele poderia ter sido produzido.

Em seguida, entregue os dois trechos de textos para os trios. Texto 1, fonte: Arqueólogos encontram sambaqui de 4 mil anos. O Globo, disponível em https://oglobo.globo.com/sociedade/historia/arqueologos-encontram-sambaqui-de-4-mil-anos-durante-obras-de-aeroporto-no-rio-15625172

e texto 2, fonte: Fapesp, Sambaquienses tinham rituais elaborados, disponível em http://agencia.fapesp.br/sambaquienses-tinham-rituais-elaborados/12300/ Acesso em: 13 de dezembro de 2018. Em seguida, solicite que os estudantes, em cada trio, discutam sobre quais seriam as funções de um sambaqui e que, depois, cada estudante faça o registro das conclusões do seu trio em seu respectivo caderno. Solicite que os trios relacionem os dois textos às três imagens apresentadas para conduzir suas discussões. Solicite que os estudantes levantem hipóteses para os usos dos sambaquis.

Após os trios terminarem as discussões e os registros, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham para os demais alunos suas conclusões. Diversas hipóteses poderão surgir para o uso dos sambaquis, como local de sepultamento (espécie de cemitério vertical), local de depósito dos resíduos do povo (espécie de lixão), monumento na paisagem, entre outros. Durante a atividade, indague os estudantes sobre como os sambaquis eram construídos, o texto 2 dá indícios sobre isso, “Esses túmulos [...] recebiam mais corpos em novas camadas e, por fim, eram agrupados em um único monte”.

Deixe que os estudantes levantem suas teorias para a técnicas construtivas e usos dos sambaquis. Mesmo os pesquisadores dos sambaquis possuem dúvidas sobre estes temas.

Para você saber mais: Com raras exceções, os sambaquis eram locais onde os mortos eram sepultados. A forma de sepultamento nos sambaquis variava muito, de região para região e de período para período. Mas, de modo geral, as pessoas eram sepultadas nos sambaquis em posição fetal e com adornos, como o colar apresentado na imagem 1, por exemplo. Em muitos sambaquis a pessoa sepultada era pintada com tinta vermelha e, ao seu redor, depositados flores, alimentos e objetos, como o zoólito da imagem. Os zoólitos encontrados nos sambaquis possuem temas relacionados à vida dos povos sambaquieiros, como peixes e aves marinhas. Eram esculpidos em pedras e também polidos. Alguns zoólitos possuíam aspecto antropomórfico. Fonte: Museu Nacional, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/sambaquis.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Vídeo: Sambaquianos. Nosso povo, nossa História, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=QIHJhTadvyA Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo Iphan que mostra alguns sambaquis, depoimentos de especialistas e algumas teorias relacionadas aos povos sambaquieiros.

Matéria, “O que são sambaquis. E a descoberta de um esqueleto em SC. Fonte: Nexo Jornal, disponível em https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/09/08/O-que-s%C3%A3o-sambaquis.-E-a-descoberta-de-um-esqueleto-em-SC Acesso em: 23 de dezembro de 2018. A matéria define o conceito de sambaqui e discorre sobre o achado de um esqueleto em Santa Catarina, em um sambaqui nas margens do Rio Tavares, datado em 3 mil anos.

Vídeo, Cientistas tentam decifrar o significado dos sambaquis do litoral de Santa Catarina, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=r-_f6YgmU5E Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria produzida pela TV Cultura na qual a equipe de reportagem acompanha o trabalho de campo de dois arqueólogos que estudam sambaquis de Santa Catarina.

Fish, S., De Blasis, P., Gaspar, M. D., & Fish, P. (2000). Eventos incrementais na construção de sambaquis, litoral sul do estado de Santa Catarina. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, (10), 69-87. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2000.109378 . Na matéria os autores comparam os sambaquis brasileiros com os “mounds”, espécie de montes construídos pelos seres humanos, que possuíam diversas finalidades, encontrados em quase todo o planeta.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Projete ou disponibilize aos trios de estudantes a imagem “Crânio humano do sambaqui do Gomes”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 24). Acesso em: 23 de dezembro de 2018; a imagem “zoólito em forma de peixe”, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/arqbra027.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018, e a imagem “Anomalocardia brasiliana espécie [de concha] que prevalece na formação do Sambaqui Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 51). Acesso em: 23 de dezembro de 2018, juntamente com a legenda das três imagens. Solicite que os trios discutam sobre as imagens, que façam a descrição das três, que identifiquem os artefatos mostrados e de quais materiais são feitos estes artefatos.

A imagem do crânio mostra pedaços de um crânio humano com vértebras de tubarão perfurados, provavelmente um colar com o qual o indivíduo foi sepultado no sambaqui. A imagem 2 mostra um zoólito em forma de peixe, feito de pedra e com um detalhe em formato côncavo, local onde era colocado algum produto, como tinta, por exemplo. A última imagem mostra conchas, estas eram comuns nos sambaquis, a espécie de concha variava de sambaqui para sambaqui, de acordo com a região onde o sambaqui foi construído. Enquanto os estudantes discutem em seus trios, passe por eles auxiliando-os em suas atividades. Caso os estudantes encontrem dificuldades na resolução da atividade, questione o porquê de as vértebras de tubarão estarem ao redor do que seria o pescoço do esqueleto, o que é um zoólito, por que o zoólito possui uma região côncava e de qual material ele poderia ter sido produzido.

Em seguida, entregue os dois trechos de textos para os trios. Texto 1, fonte: Arqueólogos encontram sambaqui de 4 mil anos. O Globo, disponível em https://oglobo.globo.com/sociedade/historia/arqueologos-encontram-sambaqui-de-4-mil-anos-durante-obras-de-aeroporto-no-rio-15625172

e texto 2, fonte: Fapesp, Sambaquienses tinham rituais elaborados, disponível em http://agencia.fapesp.br/sambaquienses-tinham-rituais-elaborados/12300/ Acesso em: 13 de dezembro de 2018. Em seguida, solicite que os estudantes, em cada trio, discutam sobre quais seriam as funções de um sambaqui e que, depois, cada estudante faça o registro das conclusões
do seu trio em seu respectivo caderno. Solicite que os trios relacionem os dois textos às três imagens apresentadas para conduzir suas discussões. Solicite que os estudantes levantem hipóteses para os usos dos sambaquis.

Após os trios terminarem as discussões e os registros, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham para os demais alunos suas conclusões. Diversas hipóteses poderão surgir para o uso dos sambaquis como local de sepultamento (espécie de cemitério vertical), local de depósito dos resíduos do povo (espécie de lixão), monumento na paisagem, entre outros. Durante a atividade, indague os estudantes sobre como os sambaquis eram construídos, o texto 2 dá indícios sobre isso, “Esses túmulos [...] recebiam mais corpos em novas camadas e, por fim, eram agrupados em um único monte”.

Deixe que os estudantes levantem suas teorias para a técnicas construtivas e usos dos sambaquis. Mesmo os pesquisadores dos sambaquis possuem dúvidas sobre estes temas.

Para você saber mais: Com raras exceções, os sambaquis eram locais onde os mortos eram sepultados. A forma de sepultamento nos sambaquis variava muito, de região para região e de período para período. Mas, de modo geral, as pessoas eram sepultadas nos sambaquis em posição fetal e com adornos, como o colar apresentado na imagem 1, por exemplo. Em muitos sambaquis a pessoa sepultada era pintada com tinta vermelha e, ao seu redor, depositados flores, alimentos e objetos, como o zoólito da imagem. Os zoólitos encontrados nos sambaquis possuem temas relacionados à vida dos povos sambaquieiros, como peixes e aves marinhas. Eram esculpidos em pedras e também polidos. Alguns zoólitos possuíam aspecto antropomórfico. Fonte: Museu Nacional, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/sambaquis.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Vídeo: Sambaquianos. Nosso povo, nossa História, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=QIHJhTadvyA Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo Iphan que mostra alguns sambaquis, depoimentos de especialistas e algumas teorias relacionadas aos povos sambaquieiros.

Matéria, “O que são sambaquis. E a descoberta de um esqueleto em SC. Fonte: Nexo Jornal, disponível em https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/09/08/O-que-s%C3%A3o-sambaquis.-E-a-descoberta-de-um-esqueleto-em-SC Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria define o conceito de sambaqui e discorre sobre o achado de um esqueleto em Santa Catarina, em um sambaqui nas margens do Rio Tavares, datado em 3 mil anos.

Vídeo, “Cientistas tentam decifrar o significado dos Sambaquis do litoral de Santa Catarina”, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=r-_f6YgmU5E acesso em 23 de dezembro de 2018. Matéria produzida pela TV Cultura onde a equipe
de reportagem acompanha o trabalho de campo de dois arqueólogos que estudam sambaquis de Santa Catarina.

Fish, S., De Blasis, P., Gaspar, M. D., & Fish, P. (2000). Eventos incrementais na construção de sambaquis, litoral sul do estado de Santa Catarina. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, (10), 69-87. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2000.109378 . Na matéria os autores comparam os sambaquis brasileiros com os “mounds”, espécie de montes construídos pelos seres humanos, que possuíam diversas finalidades, encontrados em quase todo o planeta.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Projete ou disponibilize aos trios de estudantes a imagem “Crânio humano do sambaqui do Gomes”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 24). Acesso em: 23 de dezembro de 2018; a imagem “zoólito em forma de peixe”, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/arqbra027.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018, e a imagem “Anomalocardia brasiliana espécie [de concha] que prevalece na formação do Sambaqui Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 51). Acesso em: 23 de dezembro de 2018, juntamente com a legenda das três imagens. Solicite que os trios discutam sobre as imagens, que façam a descrição das três, que identifiquem os artefatos mostrados e de quais materiais são feitos estes artefatos.

A imagem do crânio mostra pedaços de um crânio humano com vértebras de tubarão perfurados, provavelmente um colar com o qual o indivíduo foi sepultado no sambaqui. A imagem 2 mostra um zoólito em forma de peixe, feito de pedra e com um detalhe em formato côncavo, local onde era colocado algum produto, como tinta, por exemplo. A última imagem mostra conchas, estas eram comuns nos sambaquis, a espécie de concha variava de sambaqui para sambaqui, de acordo com a região onde o sambaqui foi construído. Enquanto os estudantes discutem em seus trios, passe por eles auxiliando-os em suas atividades. Caso os estudantes encontrem dificuldades na resolução da atividade, questione o porquê de as vértebras de tubarão estarem ao redor do que seria o pescoço do esqueleto, o que é um zoólito, por que o zoólito possui uma região côncava e de qual material ele poderia ter sido produzido.

Em seguida, entregue os dois trechos de textos para os trios. Texto 1, fonte: Arqueólogos encontram sambaqui de 4 mil anos. O Globo, disponível em https://oglobo.globo.com/sociedade/historia/arqueologos-encontram-sambaqui-de-4-mil-anos-durante-obras-de-aeroporto-no-rio-15625172

e texto 2, fonte: Fapesp, Sambaquienses tinham rituais elaborados, disponível em http://agencia.fapesp.br/sambaquienses-tinham-rituais-elaborados/12300/ Acesso em: 13 de dezembro de 2018. Em seguida, solicite que os estudantes, em cada trio, discutam sobre quais seriam as funções de um sambaqui e que, depois, cada estudante faça o registro das conclusões
do seu trio em seu respectivo caderno. Solicite que os trios relacionem os dois textos às três imagens apresentadas para conduzir suas discussões. Solicite que os estudantes levantem hipóteses para os usos dos sambaquis.

Após os trios terminarem as discussões e os registros, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham para os demais alunos suas conclusões. Diversas hipóteses poderão surgir para o uso dos sambaquis, como local de sepultamento (espécie de cemitério vertical), local de depósito dos resíduos do povo (espécie de lixão), monumento na paisagem, entre outros. Durante a atividade, indague os estudantes sobre como os sambaquis eram construídos, o texto 2 dá indícios sobre isso, “Esses túmulos [...] recebiam mais corpos em novas camadas e, por fim, eram agrupados em um único monte”.

Deixe que os estudantes levantem suas teorias para a técnicas construtivas e usos dos sambaquis. Mesmo os pesquisadores dos sambaquis possuem dúvidas sobre estes temas.

Para você saber mais: Com raras exceções, os sambaquis eram locais onde os mortos eram sepultados. A forma de sepultamento nos sambaquis variava muito, de região para região e de período para período. Mas, de modo geral, as pessoas eram sepultadas nos sambaquis em posição fetal e com adornos, como o colar apresentado na imagem 1, por exemplo. Em muitos sambaquis a pessoa sepultada era pintada com tinta vermelha e, ao seu redor, depositados flores, alimentos e objetos, como o zoólito da imagem. Os zoólitos encontrados nos sambaquis possuem temas relacionados à vida dos povos sambaquieiros, como peixes e aves marinhas. Eram esculpidos em pedras e também polidos. Alguns zoólitos possuíam aspecto antropomórfico. Fonte: Museu Nacional, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/sambaquis.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Vídeo: Sambaquianos. Nosso povo, nossa História, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=QIHJhTadvyA Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo Iphan que mostra alguns sambaquis, depoimentos de especialistas e algumas teorias relacionadas aos povos sambaquieiros.

Matéria, “O que são sambaquis. E a descoberta de um esqueleto em SC. Fonte: Nexo Jornal, disponível em https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/09/08/O-que-s%C3%A3o-sambaquis.-E-a-descoberta-de-um-esqueleto-em-SC Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria define o conceito de sambaqui e discorre sobre o achado de um esqueleto em Santa Catarina, em um sambaqui nas margens do ro Tavares, datado em 3 mil anos.

Vídeo, Cientistas tentam decifrar o significado dos Sambaquis do litoral de Santa Catarina, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=r-_f6YgmU5E Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria produzida pela TV Cultura na qual a equipe de reportagem acompanha o trabalho de campo de dois arqueólogos que estudam sambaquis de Santa Catarina.

Fish, S., De Blasis, P., Gaspar, M. D., & Fish, P. (2000). Eventos incrementais na construção de sambaquis, litoral sul do estado de Santa Catarina. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, (10), 69-87. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2000.109378. Na matéria os autores comparam os sambaquis brasileiros com os “mounds”, espécie de montes construídos pelos seres humanos, que possuíam diversas finalidades, encontrados em quase todo o planeta.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Projete ou disponibilize aos trios de estudantes a imagem “Crânio humano do sambaqui do Gomes”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 24). Acesso em: 23 de dezembro de 2018; a imagem “zoólito em forma de peixe”, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/arqbra027.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018, e a imagem “Anomalocardia brasiliana espécie [de concha] que prevalece na formação do Sambaqui Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 51). Acesso em: 23 de dezembro de 2018, juntamente com a legenda das três imagens. Solicite que os trios discutam sobre as imagens, que façam a descrição das três, que identifiquem os artefatos mostrados e de quais materiais são feitos estes artefatos.

A imagem do crânio mostra pedaços de um crânio humano com vértebras de tubarão perfurados, provavelmente um colar com o qual o indivíduo foi sepultado no sambaqui. A imagem 2 mostra um zoólito em forma de peixe, feito de pedra e com um detalhe em formato côncavo, local onde era colocado algum produto, como tinta, por exemplo. A última imagem mostra conchas, estas eram comuns nos sambaquis, a espécie de concha variava de sambaqui para sambaqui, de acordo com a região onde o sambaqui foi construído. Enquanto os estudantes discutem em seus trios, passe por eles auxiliando-os em suas atividades. Caso os estudantes encontrem dificuldades na resolução da atividade, questione o porquê de as vértebras de tubarão estarem ao redor do que seria o pescoço do esqueleto, o que é um zoólito, por que o zoólito possui uma região côncava e de qual material ele poderia ter sido produzido.

Em seguida, entregue os dois trechos de textos para os trios. Texto 1, fonte: Arqueólogos encontram sambaqui de 4 mil anos. O Globo, disponível em https://oglobo.globo.com/sociedade/historia/arqueologos-encontram-sambaqui-de-4-mil-anos-durante-obras-de-aeroporto-no-rio-15625172

e texto 2, fonte: Fapesp, Sambaquienses tinham rituais elaborados, disponível em http://agencia.fapesp.br/sambaquienses-tinham-rituais-elaborados/12300/ Acesso em: 13 de dezembro de 2018. Em seguida, solicite que os estudantes, em cada trio, discutam sobre quais seriam as funções de um sambaqui e que, depois, cada estudante faça o registro das conclusões
do seu trio em seu respectivo caderno. Solicite que os trios relacionem os dois textos às três imagens apresentadas para conduzir suas discussões. Solicite que os estudantes levantem hipóteses para os usos dos sambaquis.

Após os trios terminarem as discussões e os registros, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham para os demais alunos suas conclusões. Diversas hipóteses poderão surgir para o uso dos sambaquis, como local de sepultamento (espécie de cemitério vertical), local de depósito dos resíduos do povo (espécie de lixão), monumento na paisagem, entre outros. Durante a atividade, indague os estudantes sobre como os sambaquis eram construídos, o texto 2 dá indícios sobre isso, “Esses túmulos [...] recebiam mais corpos em novas camadas e, por fim, eram agrupados em um único monte”.

Deixe que os estudantes levantem suas teorias para a técnicas construtivas e usos dos sambaquis. Mesmo os pesquisadores dos sambaquis possuem dúvidas sobre estes temas.

Para você saber mais: Com raras exceções, os sambaquis eram locais onde os mortos eram sepultados. A forma de sepultamento nos sambaquis variava muito, de região para região e de período para período. Mas, de modo geral, as pessoas eram sepultadas nos sambaquis em posição fetal e com adornos, como o colar apresentado na imagem 1, por exemplo. Em muitos sambaquis a pessoa sepultada era pintada com tinta vermelha e, ao seu redor, depositadas flores, alimentos e objetos, como o zoólito da imagem. Os zoólitos encontrados nos sambaquis possuem temas relacionados à vida dos povos sambaquieiros, como peixes e aves marinhas. Eram esculpidos em pedras e também polidos. Alguns zoólitos possuíam aspecto antropomórfico. Fonte: Museu Nacional, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/sambaquis.htmlAcesso em: 23 de dezembro de 2018.

Vídeo: Sambaquianos. Nosso povo, nossa História, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=QIHJhTadvyA Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo Iphan que mostra alguns sambaquis, depoimentos de especialistas e algumas teorias relacionadas aos povos sambaquieiros.

Matéria, “O que são sambaquis. E a descoberta de um esqueleto em SC. Fonte: Nexo Jornal, disponível em https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/09/08/O-que-s%C3%A3o-sambaquis.-E-a-descoberta-de-um-esqueleto-em-SC Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria define o conceito de sambaqui e discorre sobre o achado de um esqueleto em Santa Catarina, em um sambaqui nas margens do rio Tavares, datado em 3 mil anos.

Vídeo, Cientistas tentam decifrar o significado dos sambaquis do litoral de Santa Catarina, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=r-_f6YgmU5E Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria produzida pela TV Cultura na qual a equipe de reportagem acompanha o trabalho de campo de dois arqueólogos que estudam sambaquis de Santa Catarina.

Fish, S., De Blasis, P., Gaspar, M. D., & Fish, P. (2000). Eventos incrementais na construção de sambaquis, litoral sul do estado de Santa Catarina. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, (10), 69-87. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2000.109378. Na matéria os autores comparam os sambaquis brasileiros com os “mounds”, espécie de montes construídos pelos seres humanos, que possuíam diversas finalidades, encontrados em quase todo o planeta.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Mantenha os estudantes em trios e entregue, para cada estudante, um “Modelo para desenho e o parágrafo” impresso, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/punSkYBKSayBhnrAAPGAcYF57FfFDYpdvnt8JUjTzNB7Cj7KdYYQMrgxZXFR/his6-06und04-modelo-para-desenho-e-paragrafo.pdf. Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Solicite que cada aluno, com o lápis de escrever, faça um desenho representando um sambaqui. Solicite que eles utilizem as fontes apresentadas nesta aula para a produção de seus desenhos. Solicite também que cada grupo faça um parágrafo sobre os sambaquis, descrevendo como estes foram construídos e alguns possíveis usos para os sambaquis. Em seguida, afixe os trabalhos produzidos pelos estudantes em um mural de papel pardo, 40 Kg, cartolina ou mesmo no mural da sala. Solicite que os estudantes observem o trabalho dos colegas e que conversem sobre eles. No fim da aula, informe aos estudantes que os sambaquis foram construídos até o século IX e, misteriosamente, deixaram de ser construídos. Lance algumas perguntas para os alunos, o que ocorreu com os povos sambaquieiros, por qual motivo deixaram de produzir sambaquis e quais povos ocuparam as regiões antes ocupadas pelos sambaquieiros. Lance estas perguntas para que os estudantes se sintam estimulados a continuar as pesquisas sobre os sambaquis.

Como adequar à sua realidade: Caso não seja possível imprimir um “Modelo para desenho e o parágrafo”, disponibilize uma folha sulfite A4 ou mesmo uma folha de caderno para cada aluno realizar sua atividade.

Para você saber mais: Os sambaquis eram construídos com sucessivas camadas que eram depositadas, umas sobre as outras. Alguns sambaquis foram construídos por centenas de anos, chegando a mais de 30 metros de altura. Desta forma, as camadas superiores são as mais novas e as inferiores, as mais antigas. A estratigrafia, análise das sucessivas camadas (estratos) do sítio arqueológico, é muito importante para os arqueólogos compreenderem a evolução de um sambaqui e do modo de vida do povo que o produziu.

Vídeo, Sítio arqueológico Sambaqui da Tarioba/Rio das Ostras/RJ, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=tbXU95oEf84 Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Neste vídeo é mostrado o sítio arqueológico da Tarioba, localizado no Rio de Janeiro. No sítio é possível ver uma representação da estratificação do sambaqui e da ocupação humana na região.

SCHWENGBER, Valdir Luis. Escavação do sambaqui Jabuticabeiras V, município de Jaguaruna, sul do estado de Santa Catarina: dados e discussões. UNESC, 2013. Na página 109 do trabalho temos um representação da estratificação do sambaqui Jabuticabeiras V. Disponível em http://periodicos.unesc.net/tecnoambiente/article/view/1322/1270 Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Imagem do perfil estratigráfico do sambaqui Jabuticabeira II. Disponível em https://www.researchgate.net/figure/Perfil-estratigrafico-do-sitio-Jabuticabeira-II-Locus-2-foto-G-Bianchini_fig11_309616661 Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade (EF06HI06) “Identificar geograficamente as rotas de povoamento no território americano”, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Caderno, lápis, caneta, borracha e dicionário. Projetor multimídia, caso não tenha um disponível, imprima as imagens para o estudantes.

Material complementar:

Fotografia do Sambaqui de Guaraguaçu

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ZyE6AgSuCqXXXQdJKqMD3nEbuwjqRsut4rCxF37swHZkpv3Fj8E5rKPYxEg8/his6-06und04-sambaqui-de-guaraguacu.pdf

Crânio humano do Sambaqui do Gomes

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Drqm3mAdxXRRXd8HhKSnHsBjnJNJ6c4RGeqnrwx8937ESagWP2ghZuQ9ecMb/his6-06und04-cranio-humano-do-sambaqui-do-gomes.pdf

Conchas do Sambaqui de Guaraguaçu

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/MuQmkMtCT7fK8qqh3AKR6ZJcHb2V23RrB9HG24r5Jqqv34u8jjfeyNeEs4gt/his6-06und04-conchas-do-sambaqui-de-guaraguacu.pdf

Zoólito em forma de peixe

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/Xwk46ppU5yPW6CmRQqbM8WxKnDXz4zfjuQsJNjVRVjXAgcaZm4kWDprkUFJh/his6-06und04-zoolito-em-forma-de-peixe.pdf

Texto 1 - Matéria de O Globo sobre sambaquis

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/AtegkqMfJXrzWBr2rtTZeARDwfM5rRu9dtV6hnvQjWMbTMG775KFm6KVb8sF/his6-06und04-texto-1-materia-de-o-globo-sobre-sambaquis.pdf

Texto 2 - Sambaquieiros tinham rituais elaborados de sepultamento

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/mB25BpNgh46Sm8FR6vdTFnUN92agVYtzXymZ2fmqfj5gKZ9eTRAhgjvew7M5/his6-06und04-texto-2-sambaquieiros-tinham-rituais-elaborados-de-sepultamento.pdf

Modelo para desenho e parágrafo

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/punSkYBKSayBhnrAAPGAcYF57FfFDYpdvnt8JUjTzNB7Cj7KdYYQMrgxZXFR/his6-06und04-modelo-para-desenho-e-paragrafo.pdf

Para que os alunos aprendam a interpretar fontes históricas, é muito importante que você não forneça a eles as Informações básicas sobre a fonte histórica antes da leitura de cada uma delas. Não comece a aula com uma exposição sobre o contexto histórico destes documentos, pois isso os impediria de construir o contexto com base nas fontes, que é o objetivo central da aula de História.

Para você saber mais:

CALIPPO, Flávio Rizzi. Sambaquis submersos de Cananeia. Universidade de São Paulo, dissertação de mestrado, 2006. Disponível em http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/8/8153/tde-27062006-143634/pt-br.php Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Texto, “Muito antes da chegada de Cabral”. Revista Fapesp, disponível em http://revistapesquisa.fapesp.br/wp-content/uploads/2000/03/46_arqueologia.pdf?e1244a Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Vídeo, Documentário do Sambaqui de Cubatão. Fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=tQ5oPU7UI5c Acesso em: 23 de dezembro de 2018. O vídeo foi produzido pela prefeitura de Joinville. Nele é mostrado o sambaqui Cubatão I, localizado na região de Joinville. Pesquisas indicam que o sambaqui foi ocupado há mais de 3 mil anos. O Sambaqui de Cubatão I apresenta algumas especificidades, como sepultamentos complexos para crianças e fibras vegetais por todo o sambaqui. A população que construiu o sambaqui tinha acesso a diferentes biomas, como mar, lagoa, restinga, mangue e mata atlântica. O vídeo apresenta as teorias dos principais especialistas sobre sambaquis e os estudos mais recentes sobre o tema. O Sambaqui de Cubatão I passa por um acelerado processo de erosão provocado pelo rio Cubatão.

DE MELO, João Carlos Ferreira; SILVEIRA, Eloiza regina da; BANDEIRA, Dione da Rocha. Arqueobotânica de um sambaqui sul-brasileiro: integrando indícios sobre o paleoambiente e o uso de recursos florestais. Universidade da Região de Joinville, 2016. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/bgoeldi/v11n3/1981-8122-bgoeldi-11-3-0727.pdf Acesso em: 23 de dezembro de 2018. A pesquisa analisou algumas madeiras encontradas dentro de sambaqui e estabeleceu relações entre a vegetação local e o uso desta pelos povos sambaquieiros da região de Joinville.

Vídeo, SP arqueologia, sítio pré-histórico, sambaquis. Fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=3rY4RTXnnhE&t=207s Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pela UNIVESP que mostra os principais conceitos relacionados aos povos sambaquieiros. No vídeo é apresentado o Sambaqui Nóbrega, em Ilha Comprida, município do litoral de São Paulo.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Projete, escreva no quadro ou leia o objetivo da aula para a turma. É muito importante começar com a apresentação do objetivo para que os estudantes entendam o que farão e compreendam aonde se quer chegar no fim da aula. Contudo, tome cuidado para, ao fazer isso, não antecipar respostas desde o começo. É necessário sempre garantir que os alunos construam o raciocínio por conta própria.

Informe aos estudantes que há discussões entre os historiadores sobre a construção e o uso dos sambaquis. Novas descobertas arqueológicas e novos métodos de análise dos dados coletados alteram as teorias até então existentes sobre os sambaquis.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos.

Orientações: Organize a sala em trios. Tente deixar no mesmo trio alunos que possam se apoiar mutuamente para a realização da atividade. Depois, projete ou disponiblize aos estudantes a imagem “Sambaqui de Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes , página 52. Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Em seguida, escreva as questões (do slide a seguir) no quadro, ou disponibilize-as impressas, e solicite que os trios debatam e respondam às questões. Peça para que os três alunos do grupo exponham suas opiniões e para que anotem as conclusões em seus cadernos. Após a resolução das questões, solicite que dois trios, voluntariamente, apresentem suas respostas aos demais alunos.

É esperado que os estudantes respondam, com base na imagem e na sua legenda, que os sambaquis são montanhas de conchas. Indague os estudantes sobre a origem dos sambaquis, se são formações naturais ou foram construídos pelo ser humano. Surgirão diversas teorias para a construção dos sambaquis. Deixe que os estudantes construam suas hipóteses, não dê uma resposta fechada para as perguntas.

Durante a execução da atividade, passe pelos grupos auxiliando-os. Questione os estudantes sobre os materiais utilizados e quais técnicas poderiam ser utilizadas na construção do sambaqui. Aponte dados complementares que achar necessário para auxiliar os estudantes na execução de suas atividades.

Para você saber mais: Os sambaquis são os vestígios mais antigos da ocupação humana no litoral da América do Sul. Os sambaquis são encontrados em quase todo o litoral brasileiro, mas se concentram, principalmente, no litoral entre o norte do Rio Grande do Sul e o sul da Bahia.
Os sambaquis mais antigos são datado em 10 mil anos. Existem sambaquis que foram construídos por quase mil anos e possuem milhares de esqueletos.

Vídeo: Sambaqui da Beirada - arqueologia na praça, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=1R8JOIue4J4&t=1321s Acesso em: 23 de dezembro de 2018. O documentário mostra alguns sambaquis da região de Saquarema, no estado do Rio de Janeiro. Documentário produzido pela UFRJ que mostra os principais sambaquis da região de Saquarema. O vídeo possui o depoimento de diversos especialistas que estudam os sambaquis, arqueólogos, antropólogos, biopaleontólogos, entre outros.

Vídeo: Retratos catarinenses - O Museu do Sambaqui, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=e_1_yGOP6o0 Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo programa Retratos catarinenses, que mostra o interior do Museu do Sambaqui, localizado em Florianópolis, estado de Santa Catarina. Parte do acervo do museu é exibido na reportagem.

Mapa “Sambaquis do litoral brasileiro”. Fonte: Socioambietal.org, disponível em https://img.socioambiental.org/v/publico/pibmirim/antes-de-cabral/sambaquis.jpg.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

PEIXOTO, Silvia Alves. Pequenos aos montes: uma análise dos processos de formação dos sambaquis de pequeno porte do litoral sul de Santa Catarina. UFRJ, Museu Nacional, 2008. Nesta dissertação de mestrado são apresentados os principais processos de formação dos sambaquis de pequeno porte. Os sambaquis de pequeno porte ocupam boa parte do litoral brasileiro, sendo os mais comuns sambaquis. Disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/arqueologia/docs/Disserts/Peixoto2008.pdf Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Slide Plano Aula

Orientações: Organize a sala em trios. Tente deixar no mesmo trio alunos que possam se apoiar mutuamente para a realização da atividade. Depois, projete ou disponiblize aos estudantes a imagem “Sambaqui de Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes , página 52. Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Em seguida, escreva as questões (do slide a seguir) no quadro, ou disponibilize-as impressas, e solicite que os trios debatam e respondam às questões. Peça para que os três alunos do grupo exponham suas opiniões e para que anotem as conclusões em seus cadernos. Após a resolução das questões, solicite que dois trios, voluntariamente, apresentem suas respostas aos demais alunos.

É esperado que os estudantes respondam, com base na imagem e na sua legenda, que os sambaquis são montanhas de conchas. Indague os estudantes sobre a origem dos sambaquis, se são formações naturais ou foram construídos pelo ser humano. Surgirão diversas teorias para a construção dos sambaquis. Deixe que os estudantes construam suas hipóteses, não dê uma resposta fechada para as perguntas.

Durante a execução da atividade, passe pelos grupos auxiliando-os. Questione os estudantes sobre os materiais utilizados e quais técnicas poderiam ser utilizadas na construção do sambaqui. Aponte dados complementares que achar necessário para auxiliar os estudantes na execução de suas atividades.

Para você saber mais: Os sambaquis são os vestígios mais antigos da ocupação humana no litoral da América do Sul. Os sambaquis são encontrados em quase todo o litoral brasileiro, mas se concentram, principalmente, no litoral entre o norte do Rio Grande do Sul e o sul da Bahia.
Os sambaquis mais antigos são datados em 10 mil anos. Existem sambaquis que foram construídos por quase mil anos e possuem milhares de esqueletos.

Vídeo: Sambaqui da Beirada - arqueologia na praça, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=1R8JOIue4J4&t=1321s Acesso em: 23 de dezembro de 2018. O documentário mostra alguns sambaquis da região de Saquarema, no estado do Rio de Janeiro. Documentário produzido pela UFRJ que mostra os principais sambaquis da região de Saquarema. O vídeo possui o depoimento de diversos especialistas que estudam os sambaquis, arqueólogos, antropólogos, biopaleontólogos, entre outros.

Vídeo: Retratos catarinenses - O Museu do Sambaqui, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=e_1_yGOP6o0 Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo programa Retratos catarinenses, que mostra o interior do Museu do Sambaqui, localizado em Florianópolis, estado de Santa Catarina. Parte do acervo do museu é exibido na reportagem.

Mapa “Sambaquis do litoral brasileiro”. Fonte: Socioambietal.org, disponível em https://img.socioambiental.org/v/publico/pibmirim/antes-de-cabral/sambaquis.jpg.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

PEIXOTO, Silvia Alves. Pequenos aos montes: uma análise dos processos de formação dos sambaquis de pequeno porte do litoral sul de Santa Catarina. UFRJ, Museu Nacional, 2008. Nesta dissertação de mestrado são apresentados os principais processos de formação dos sambaquis de pequeno porte. Os sambaquis de pequeno porte ocupam boa parte do litoral brasileiro, sendo os mais comuns sambaquis. Disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/arqueologia/docs/Disserts/Peixoto2008.pdf Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações: Projete ou disponibilize aos trios de estudantes a imagem “Crânio humano do sambaqui do Gomes”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 24). Acesso em: 23 de dezembro de 2018; a imagem “zoólito em forma de peixe”, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/arqbra027.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018, e a imagem “Anomalocardia brasiliana espécie [de concha] que prevalece na formação do Sambaqui Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 51). Acesso em: 23 de dezembro de 2018, juntamente com a legenda das três imagens. Solicite que os trios discutam sobre as imagens, que façam a descrição das três, que identifiquem os artefatos mostrados e de quais materiais são feitos estes artefatos.

A imagem do crânio mostra pedaços de um crânio humano com vértebras de tubarão perfurados, provavelmente um colar com o qual o indivíduo foi sepultado no sambaqui. A imagem 2 mostra um zoólito em forma de peixe, feito de pedra e com um detalhe em formato côncavo, local onde era colocado algum produto, como tinta, por exemplo. A última imagem mostra conchas, estas eram comuns nos sambaquis, a espécie de concha variava de sambaqui para sambaqui, de acordo com a região onde o sambaqui foi construído. Enquanto os estudantes discutem em seus trios, passe por eles auxiliando-os em suas atividades. Caso os estudantes encontrem dificuldades na resolução da atividade, questione o porquê de as vértebras de tubarão estarem ao redor do que seria o pescoço do esqueleto, o que é um zoólito, por que o zoólito possui uma região côncava e de qual material ele poderia ter sido produzido.

Em seguida, entregue os dois trechos de textos para os trios. Texto 1, fonte: Arqueólogos encontram sambaqui de 4 mil anos. O Globo, disponível em https://oglobo.globo.com/sociedade/historia/arqueologos-encontram-sambaqui-de-4-mil-anos-durante-obras-de-aeroporto-no-rio-15625172

e texto 2, fonte: Fapesp, Sambaquienses tinham rituais elaborados, disponível em http://agencia.fapesp.br/sambaquienses-tinham-rituais-elaborados/12300/ Acesso em: 13 de dezembro de 2018. Em seguida, solicite que os estudantes, em cada trio, discutam sobre quais seriam as funções de um sambaqui e que, depois, cada estudante faça o registro das conclusões do seu trio em seu respectivo caderno. Solicite que os trios relacionem os dois textos às três imagens apresentadas para conduzir suas discussões. Solicite que os estudantes levantem hipóteses para os usos dos sambaquis.

Após os trios terminarem as discussões e os registros, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham para os demais alunos suas conclusões. Diversas hipóteses poderão surgir para o uso dos sambaquis, como local de sepultamento (espécie de cemitério vertical), local de depósito dos resíduos do povo (espécie de lixão), monumento na paisagem, entre outros. Durante a atividade, indague os estudantes sobre como os sambaquis eram construídos, o texto 2 dá indícios sobre isso, “Esses túmulos [...] recebiam mais corpos em novas camadas e, por fim, eram agrupados em um único monte”.

Deixe que os estudantes levantem suas teorias para a técnicas construtivas e usos dos sambaquis. Mesmo os pesquisadores dos sambaquis possuem dúvidas sobre estes temas.

Para você saber mais: Com raras exceções, os sambaquis eram locais onde os mortos eram sepultados. A forma de sepultamento nos sambaquis variava muito, de região para região e de período para período. Mas, de modo geral, as pessoas eram sepultadas nos sambaquis em posição fetal e com adornos, como o colar apresentado na imagem 1, por exemplo. Em muitos sambaquis a pessoa sepultada era pintada com tinta vermelha e, ao seu redor, depositados flores, alimentos e objetos, como o zoólito da imagem. Os zoólitos encontrados nos sambaquis possuem temas relacionados à vida dos povos sambaquieiros, como peixes e aves marinhas. Eram esculpidos em pedras e também polidos. Alguns zoólitos possuíam aspecto antropomórfico. Fonte: Museu Nacional, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/sambaquis.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Vídeo: Sambaquianos. Nosso povo, nossa História, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=QIHJhTadvyA Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo Iphan que mostra alguns sambaquis, depoimentos de especialistas e algumas teorias relacionadas aos povos sambaquieiros.

Matéria, “O que são sambaquis. E a descoberta de um esqueleto em SC. Fonte: Nexo Jornal, disponível em https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/09/08/O-que-s%C3%A3o-sambaquis.-E-a-descoberta-de-um-esqueleto-em-SC Acesso em: 23 de dezembro de 2018. A matéria define o conceito de sambaqui e discorre sobre o achado de um esqueleto em Santa Catarina, em um sambaqui nas margens do Rio Tavares, datado em 3 mil anos.

Vídeo, Cientistas tentam decifrar o significado dos sambaquis do litoral de Santa Catarina, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=r-_f6YgmU5E Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria produzida pela TV Cultura na qual a equipe de reportagem acompanha o trabalho de campo de dois arqueólogos que estudam sambaquis de Santa Catarina.

Fish, S., De Blasis, P., Gaspar, M. D., & Fish, P. (2000). Eventos incrementais na construção de sambaquis, litoral sul do estado de Santa Catarina. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, (10), 69-87. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2000.109378 . Na matéria os autores comparam os sambaquis brasileiros com os “mounds”, espécie de montes construídos pelos seres humanos, que possuíam diversas finalidades, encontrados em quase todo o planeta.

Slide Plano Aula

Orientações: Projete ou disponibilize aos trios de estudantes a imagem “Crânio humano do sambaqui do Gomes”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 24). Acesso em: 23 de dezembro de 2018; a imagem “zoólito em forma de peixe”, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/arqbra027.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018, e a imagem “Anomalocardia brasiliana espécie [de concha] que prevalece na formação do Sambaqui Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 51). Acesso em: 23 de dezembro de 2018, juntamente com a legenda das três imagens. Solicite que os trios discutam sobre as imagens, que façam a descrição das três, que identifiquem os artefatos mostrados e de quais materiais são feitos estes artefatos.

A imagem do crânio mostra pedaços de um crânio humano com vértebras de tubarão perfurados, provavelmente um colar com o qual o indivíduo foi sepultado no sambaqui. A imagem 2 mostra um zoólito em forma de peixe, feito de pedra e com um detalhe em formato côncavo, local onde era colocado algum produto, como tinta, por exemplo. A última imagem mostra conchas, estas eram comuns nos sambaquis, a espécie de concha variava de sambaqui para sambaqui, de acordo com a região onde o sambaqui foi construído. Enquanto os estudantes discutem em seus trios, passe por eles auxiliando-os em suas atividades. Caso os estudantes encontrem dificuldades na resolução da atividade, questione o porquê de as vértebras de tubarão estarem ao redor do que seria o pescoço do esqueleto, o que é um zoólito, por que o zoólito possui uma região côncava e de qual material ele poderia ter sido produzido.

Em seguida, entregue os dois trechos de textos para os trios. Texto 1, fonte: Arqueólogos encontram sambaqui de 4 mil anos. O Globo, disponível em https://oglobo.globo.com/sociedade/historia/arqueologos-encontram-sambaqui-de-4-mil-anos-durante-obras-de-aeroporto-no-rio-15625172

e texto 2, fonte: Fapesp, Sambaquienses tinham rituais elaborados, disponível em http://agencia.fapesp.br/sambaquienses-tinham-rituais-elaborados/12300/ Acesso em: 13 de dezembro de 2018. Em seguida, solicite que os estudantes, em cada trio, discutam sobre quais seriam as funções de um sambaqui e que, depois, cada estudante faça o registro das conclusões
do seu trio em seu respectivo caderno. Solicite que os trios relacionem os dois textos às três imagens apresentadas para conduzir suas discussões. Solicite que os estudantes levantem hipóteses para os usos dos sambaquis.

Após os trios terminarem as discussões e os registros, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham para os demais alunos suas conclusões. Diversas hipóteses poderão surgir para o uso dos sambaquis como local de sepultamento (espécie de cemitério vertical), local de depósito dos resíduos do povo (espécie de lixão), monumento na paisagem, entre outros. Durante a atividade, indague os estudantes sobre como os sambaquis eram construídos, o texto 2 dá indícios sobre isso, “Esses túmulos [...] recebiam mais corpos em novas camadas e, por fim, eram agrupados em um único monte”.

Deixe que os estudantes levantem suas teorias para a técnicas construtivas e usos dos sambaquis. Mesmo os pesquisadores dos sambaquis possuem dúvidas sobre estes temas.

Para você saber mais: Com raras exceções, os sambaquis eram locais onde os mortos eram sepultados. A forma de sepultamento nos sambaquis variava muito, de região para região e de período para período. Mas, de modo geral, as pessoas eram sepultadas nos sambaquis em posição fetal e com adornos, como o colar apresentado na imagem 1, por exemplo. Em muitos sambaquis a pessoa sepultada era pintada com tinta vermelha e, ao seu redor, depositados flores, alimentos e objetos, como o zoólito da imagem. Os zoólitos encontrados nos sambaquis possuem temas relacionados à vida dos povos sambaquieiros, como peixes e aves marinhas. Eram esculpidos em pedras e também polidos. Alguns zoólitos possuíam aspecto antropomórfico. Fonte: Museu Nacional, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/sambaquis.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Vídeo: Sambaquianos. Nosso povo, nossa História, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=QIHJhTadvyA Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo Iphan que mostra alguns sambaquis, depoimentos de especialistas e algumas teorias relacionadas aos povos sambaquieiros.

Matéria, “O que são sambaquis. E a descoberta de um esqueleto em SC. Fonte: Nexo Jornal, disponível em https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/09/08/O-que-s%C3%A3o-sambaquis.-E-a-descoberta-de-um-esqueleto-em-SC Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria define o conceito de sambaqui e discorre sobre o achado de um esqueleto em Santa Catarina, em um sambaqui nas margens do Rio Tavares, datado em 3 mil anos.

Vídeo, “Cientistas tentam decifrar o significado dos Sambaquis do litoral de Santa Catarina”, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=r-_f6YgmU5E acesso em 23 de dezembro de 2018. Matéria produzida pela TV Cultura onde a equipe
de reportagem acompanha o trabalho de campo de dois arqueólogos que estudam sambaquis de Santa Catarina.

Fish, S., De Blasis, P., Gaspar, M. D., & Fish, P. (2000). Eventos incrementais na construção de sambaquis, litoral sul do estado de Santa Catarina. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, (10), 69-87. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2000.109378 . Na matéria os autores comparam os sambaquis brasileiros com os “mounds”, espécie de montes construídos pelos seres humanos, que possuíam diversas finalidades, encontrados em quase todo o planeta.

Slide Plano Aula

Orientações: Projete ou disponibilize aos trios de estudantes a imagem “Crânio humano do sambaqui do Gomes”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 24). Acesso em: 23 de dezembro de 2018; a imagem “zoólito em forma de peixe”, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/arqbra027.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018, e a imagem “Anomalocardia brasiliana espécie [de concha] que prevalece na formação do Sambaqui Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 51). Acesso em: 23 de dezembro de 2018, juntamente com a legenda das três imagens. Solicite que os trios discutam sobre as imagens, que façam a descrição das três, que identifiquem os artefatos mostrados e de quais materiais são feitos estes artefatos.

A imagem do crânio mostra pedaços de um crânio humano com vértebras de tubarão perfurados, provavelmente um colar com o qual o indivíduo foi sepultado no sambaqui. A imagem 2 mostra um zoólito em forma de peixe, feito de pedra e com um detalhe em formato côncavo, local onde era colocado algum produto, como tinta, por exemplo. A última imagem mostra conchas, estas eram comuns nos sambaquis, a espécie de concha variava de sambaqui para sambaqui, de acordo com a região onde o sambaqui foi construído. Enquanto os estudantes discutem em seus trios, passe por eles auxiliando-os em suas atividades. Caso os estudantes encontrem dificuldades na resolução da atividade, questione o porquê de as vértebras de tubarão estarem ao redor do que seria o pescoço do esqueleto, o que é um zoólito, por que o zoólito possui uma região côncava e de qual material ele poderia ter sido produzido.

Em seguida, entregue os dois trechos de textos para os trios. Texto 1, fonte: Arqueólogos encontram sambaqui de 4 mil anos. O Globo, disponível em https://oglobo.globo.com/sociedade/historia/arqueologos-encontram-sambaqui-de-4-mil-anos-durante-obras-de-aeroporto-no-rio-15625172

e texto 2, fonte: Fapesp, Sambaquienses tinham rituais elaborados, disponível em http://agencia.fapesp.br/sambaquienses-tinham-rituais-elaborados/12300/ Acesso em: 13 de dezembro de 2018. Em seguida, solicite que os estudantes, em cada trio, discutam sobre quais seriam as funções de um sambaqui e que, depois, cada estudante faça o registro das conclusões
do seu trio em seu respectivo caderno. Solicite que os trios relacionem os dois textos às três imagens apresentadas para conduzir suas discussões. Solicite que os estudantes levantem hipóteses para os usos dos sambaquis.

Após os trios terminarem as discussões e os registros, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham para os demais alunos suas conclusões. Diversas hipóteses poderão surgir para o uso dos sambaquis, como local de sepultamento (espécie de cemitério vertical), local de depósito dos resíduos do povo (espécie de lixão), monumento na paisagem, entre outros. Durante a atividade, indague os estudantes sobre como os sambaquis eram construídos, o texto 2 dá indícios sobre isso, “Esses túmulos [...] recebiam mais corpos em novas camadas e, por fim, eram agrupados em um único monte”.

Deixe que os estudantes levantem suas teorias para a técnicas construtivas e usos dos sambaquis. Mesmo os pesquisadores dos sambaquis possuem dúvidas sobre estes temas.

Para você saber mais: Com raras exceções, os sambaquis eram locais onde os mortos eram sepultados. A forma de sepultamento nos sambaquis variava muito, de região para região e de período para período. Mas, de modo geral, as pessoas eram sepultadas nos sambaquis em posição fetal e com adornos, como o colar apresentado na imagem 1, por exemplo. Em muitos sambaquis a pessoa sepultada era pintada com tinta vermelha e, ao seu redor, depositados flores, alimentos e objetos, como o zoólito da imagem. Os zoólitos encontrados nos sambaquis possuem temas relacionados à vida dos povos sambaquieiros, como peixes e aves marinhas. Eram esculpidos em pedras e também polidos. Alguns zoólitos possuíam aspecto antropomórfico. Fonte: Museu Nacional, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/sambaquis.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Vídeo: Sambaquianos. Nosso povo, nossa História, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=QIHJhTadvyA Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo Iphan que mostra alguns sambaquis, depoimentos de especialistas e algumas teorias relacionadas aos povos sambaquieiros.

Matéria, “O que são sambaquis. E a descoberta de um esqueleto em SC. Fonte: Nexo Jornal, disponível em https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/09/08/O-que-s%C3%A3o-sambaquis.-E-a-descoberta-de-um-esqueleto-em-SC Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria define o conceito de sambaqui e discorre sobre o achado de um esqueleto em Santa Catarina, em um sambaqui nas margens do ro Tavares, datado em 3 mil anos.

Vídeo, Cientistas tentam decifrar o significado dos Sambaquis do litoral de Santa Catarina, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=r-_f6YgmU5E Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria produzida pela TV Cultura na qual a equipe de reportagem acompanha o trabalho de campo de dois arqueólogos que estudam sambaquis de Santa Catarina.

Fish, S., De Blasis, P., Gaspar, M. D., & Fish, P. (2000). Eventos incrementais na construção de sambaquis, litoral sul do estado de Santa Catarina. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, (10), 69-87. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2000.109378. Na matéria os autores comparam os sambaquis brasileiros com os “mounds”, espécie de montes construídos pelos seres humanos, que possuíam diversas finalidades, encontrados em quase todo o planeta.

Slide Plano Aula

Orientações: Projete ou disponibilize aos trios de estudantes a imagem “Crânio humano do sambaqui do Gomes”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 24). Acesso em: 23 de dezembro de 2018; a imagem “zoólito em forma de peixe”, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/arqbra027.html Acesso em: 23 de dezembro de 2018, e a imagem “Anomalocardia brasiliana espécie [de concha] que prevalece na formação do Sambaqui Guaraguaçu”, disponível em http://univille.edu.br/account/mpcs/VirtualDisk.html?action=readFile&file=Karla_Adriana_Nascimento_Cunico.pdf¤t=/Dissertacoes (página 51). Acesso em: 23 de dezembro de 2018, juntamente com a legenda das três imagens. Solicite que os trios discutam sobre as imagens, que façam a descrição das três, que identifiquem os artefatos mostrados e de quais materiais são feitos estes artefatos.

A imagem do crânio mostra pedaços de um crânio humano com vértebras de tubarão perfurados, provavelmente um colar com o qual o indivíduo foi sepultado no sambaqui. A imagem 2 mostra um zoólito em forma de peixe, feito de pedra e com um detalhe em formato côncavo, local onde era colocado algum produto, como tinta, por exemplo. A última imagem mostra conchas, estas eram comuns nos sambaquis, a espécie de concha variava de sambaqui para sambaqui, de acordo com a região onde o sambaqui foi construído. Enquanto os estudantes discutem em seus trios, passe por eles auxiliando-os em suas atividades. Caso os estudantes encontrem dificuldades na resolução da atividade, questione o porquê de as vértebras de tubarão estarem ao redor do que seria o pescoço do esqueleto, o que é um zoólito, por que o zoólito possui uma região côncava e de qual material ele poderia ter sido produzido.

Em seguida, entregue os dois trechos de textos para os trios. Texto 1, fonte: Arqueólogos encontram sambaqui de 4 mil anos. O Globo, disponível em https://oglobo.globo.com/sociedade/historia/arqueologos-encontram-sambaqui-de-4-mil-anos-durante-obras-de-aeroporto-no-rio-15625172

e texto 2, fonte: Fapesp, Sambaquienses tinham rituais elaborados, disponível em http://agencia.fapesp.br/sambaquienses-tinham-rituais-elaborados/12300/ Acesso em: 13 de dezembro de 2018. Em seguida, solicite que os estudantes, em cada trio, discutam sobre quais seriam as funções de um sambaqui e que, depois, cada estudante faça o registro das conclusões
do seu trio em seu respectivo caderno. Solicite que os trios relacionem os dois textos às três imagens apresentadas para conduzir suas discussões. Solicite que os estudantes levantem hipóteses para os usos dos sambaquis.

Após os trios terminarem as discussões e os registros, solicite que dois trios, voluntariamente, exponham para os demais alunos suas conclusões. Diversas hipóteses poderão surgir para o uso dos sambaquis, como local de sepultamento (espécie de cemitério vertical), local de depósito dos resíduos do povo (espécie de lixão), monumento na paisagem, entre outros. Durante a atividade, indague os estudantes sobre como os sambaquis eram construídos, o texto 2 dá indícios sobre isso, “Esses túmulos [...] recebiam mais corpos em novas camadas e, por fim, eram agrupados em um único monte”.

Deixe que os estudantes levantem suas teorias para a técnicas construtivas e usos dos sambaquis. Mesmo os pesquisadores dos sambaquis possuem dúvidas sobre estes temas.

Para você saber mais: Com raras exceções, os sambaquis eram locais onde os mortos eram sepultados. A forma de sepultamento nos sambaquis variava muito, de região para região e de período para período. Mas, de modo geral, as pessoas eram sepultadas nos sambaquis em posição fetal e com adornos, como o colar apresentado na imagem 1, por exemplo. Em muitos sambaquis a pessoa sepultada era pintada com tinta vermelha e, ao seu redor, depositadas flores, alimentos e objetos, como o zoólito da imagem. Os zoólitos encontrados nos sambaquis possuem temas relacionados à vida dos povos sambaquieiros, como peixes e aves marinhas. Eram esculpidos em pedras e também polidos. Alguns zoólitos possuíam aspecto antropomórfico. Fonte: Museu Nacional, disponível em http://www.museunacional.ufrj.br/dir/exposicoes/arqueologia/arqueologia-brasileira/sambaquis.htmlAcesso em: 23 de dezembro de 2018.

Vídeo: Sambaquianos. Nosso povo, nossa História, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=QIHJhTadvyA Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Vídeo produzido pelo Iphan que mostra alguns sambaquis, depoimentos de especialistas e algumas teorias relacionadas aos povos sambaquieiros.

Matéria, “O que são sambaquis. E a descoberta de um esqueleto em SC. Fonte: Nexo Jornal, disponível em https://www.nexojornal.com.br/expresso/2018/09/08/O-que-s%C3%A3o-sambaquis.-E-a-descoberta-de-um-esqueleto-em-SC Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria define o conceito de sambaqui e discorre sobre o achado de um esqueleto em Santa Catarina, em um sambaqui nas margens do rio Tavares, datado em 3 mil anos.

Vídeo, Cientistas tentam decifrar o significado dos sambaquis do litoral de Santa Catarina, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=r-_f6YgmU5E Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Matéria produzida pela TV Cultura na qual a equipe de reportagem acompanha o trabalho de campo de dois arqueólogos que estudam sambaquis de Santa Catarina.

Fish, S., De Blasis, P., Gaspar, M. D., & Fish, P. (2000). Eventos incrementais na construção de sambaquis, litoral sul do estado de Santa Catarina. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, (10), 69-87. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2000.109378. Na matéria os autores comparam os sambaquis brasileiros com os “mounds”, espécie de montes construídos pelos seres humanos, que possuíam diversas finalidades, encontrados em quase todo o planeta.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações: Mantenha os estudantes em trios e entregue, para cada estudante, um “Modelo para desenho e o parágrafo” impresso, disponível em https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/punSkYBKSayBhnrAAPGAcYF57FfFDYpdvnt8JUjTzNB7Cj7KdYYQMrgxZXFR/his6-06und04-modelo-para-desenho-e-paragrafo.pdf. Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Solicite que cada aluno, com o lápis de escrever, faça um desenho representando um sambaqui. Solicite que eles utilizem as fontes apresentadas nesta aula para a produção de seus desenhos. Solicite também que cada grupo faça um parágrafo sobre os sambaquis, descrevendo como estes foram construídos e alguns possíveis usos para os sambaquis. Em seguida, afixe os trabalhos produzidos pelos estudantes em um mural de papel pardo, 40 Kg, cartolina ou mesmo no mural da sala. Solicite que os estudantes observem o trabalho dos colegas e que conversem sobre eles. No fim da aula, informe aos estudantes que os sambaquis foram construídos até o século IX e, misteriosamente, deixaram de ser construídos. Lance algumas perguntas para os alunos, o que ocorreu com os povos sambaquieiros, por qual motivo deixaram de produzir sambaquis e quais povos ocuparam as regiões antes ocupadas pelos sambaquieiros. Lance estas perguntas para que os estudantes se sintam estimulados a continuar as pesquisas sobre os sambaquis.

Como adequar à sua realidade: Caso não seja possível imprimir um “Modelo para desenho e o parágrafo”, disponibilize uma folha sulfite A4 ou mesmo uma folha de caderno para cada aluno realizar sua atividade.

Para você saber mais: Os sambaquis eram construídos com sucessivas camadas que eram depositadas, umas sobre as outras. Alguns sambaquis foram construídos por centenas de anos, chegando a mais de 30 metros de altura. Desta forma, as camadas superiores são as mais novas e as inferiores, as mais antigas. A estratigrafia, análise das sucessivas camadas (estratos) do sítio arqueológico, é muito importante para os arqueólogos compreenderem a evolução de um sambaqui e do modo de vida do povo que o produziu.

Vídeo, Sítio arqueológico Sambaqui da Tarioba/Rio das Ostras/RJ, fonte: YouTube, disponível em https://www.youtube.com/watch?v=tbXU95oEf84 Acesso em: 23 de dezembro de 2018. Neste vídeo é mostrado o sítio arqueológico da Tarioba, localizado no Rio de Janeiro. No sítio é possível ver uma representação da estratificação do sambaqui e da ocupação humana na região.

SCHWENGBER, Valdir Luis. Escavação do sambaqui Jabuticabeiras V, município de Jaguaruna, sul do estado de Santa Catarina: dados e discussões. UNESC, 2013. Na página 109 do trabalho temos um representação da estratificação do sambaqui Jabuticabeiras V. Disponível em http://periodicos.unesc.net/tecnoambiente/article/view/1322/1270 Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Imagem do perfil estratigráfico do sambaqui Jabuticabeira II. Disponível em https://www.researchgate.net/figure/Perfil-estratigrafico-do-sitio-Jabuticabeira-II-Locus-2-foto-G-Bianchini_fig11_309616661 Acesso em: 23 de dezembro de 2018.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE História: tempo, espaço e formas de registros do 6º ano :

6º ano / História / História: tempo, espaço e formas de registros

MAIS AULAS DE História do 6º ano:

6º ano / História / História: tempo, espaço e formas de registros

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF06HI06 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano