16697
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 6º ano > História: tempo, espaço e formas de registros

Plano de aula - A origem dos seres humanos

Plano de aula de História com atividades para 6º ano do EF sobre A origem dos seres humanos

Plano 01 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Aline Maria Lopes Moura

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF06HI03 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Folhas de papel sulfite, textos, quadro, durex, pincel e lápis de cor.

Material complementar:

Trecho sobre os Maias

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ghPpjHyYkfKwnsGhNVneekP5TgxyqnrKTBEgVnf8mx3sxc2uyNVpCHUCR4uR/his6-03und01-trecho-sobre-os-maias.pdf

Breve texto sobre a origem da humanidade na visão Maia

Trecho sobre os Babilônios

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/sRXkffqkfPUvgFweCZNBkWnCRX98HUhUPxzHB3swBa2CBztbdfAgMNCBbq6T/his6-03und01-trecho-sobre-os-babilonicos.pdf

Breve texto sobre a origem na humanidade na visão babilônica.

Modelo de quadro comparativo

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rVvDTn7qbwQwtqAGwAMrfHk9DzN54MpXnYsBXbxcmkMbRzWeqkuAgFFShgTt/his6-03und01-modelo-de-quadro-comparativo.pdf

Caça-palavras

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/34NgDsbNGp5nM5Brd8fxWTMEmbtCYhJjnBPWQVtHn5EQuHc774UVCzR4Tghc/his6-03und01-caca-palavras.pdf

Para que os alunos aprendam a interpretar fontes históricas, é muito importante que você não forneça a eles as Informações básicas sobre a fonte histórica antes da leitura de cada uma delas. Não comece a aula com uma exposição sobre o contexto histórico desses documentos, pois isso os impediria de construir o contexto com base nas fontes, que é o objetivo central da aula de História.

Para você saber mais:

PONTES,Antonio Ivemar da Silva. A “influência” do mito babilônico da criação, Enuma Elish, em Genesis 1,1-2,4a. Disponível em: http://www.unicap.br/tede/tde_arquivos/5/TDE-2010-08-13T111852Z-340/Publico/dissertacao_antonio_ivemar.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

TAVARES, Augusto. A criação do homem nos mitos de origem. Disponível em : https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/13654/1/V00801-035-053.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

SKOLIMOSKI, Kellen; ZANETIC. Mitos de criação: modelos cosmogônicos de diferentes povos e suas semelhanças. Disponível em: https://www.sab-astro.org.br/wp-content/uploads/2017/03/SNEA2012_TCO20.pdf. Acesso 10 de Jan de 2019. p.04

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações: Apresente o objetivo aos alunos escrevendo-o no quadro ou lendo-o para a turma. Se estiver fazendo uso de projetor, apresente esse slide e faça uma leitura coletiva. É extremamente importante começar a aula com apresentação do objetivo para que entendam que o foco da aula é comparar a origem dos seres humanos segundo perspectivas criacionistas.

Nessa etapa seja simples e direto. Evite muitas explicações para não comprometer o protagonismo do aluno nas etapas posteriores.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Organize a sala em duplas. Escreva no quadro ou projete e leia o comando indicado no slide. Em seguida, entregue folhas de papel sulfite. Os alunos deverão elaborar, segundo seu próprio ponto de vista, desenhos que representem a origem dos seres humanos. Eles poderão colorir e criar legendas explicativas.

Observação: Não sendo possível o uso de papel sulfite, os estudantes poderão elaborar os desenhos com folhas do próprio caderno.

Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie as duplas que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não fornecer explicações que comprometam o protagonismo do aluno na produção dos desenhos.

Ao término da produção divida o quadro em três partes e fixe em uma delas os desenhos produzidos. Os dois espaços restantes serão preenchidos com a tarefa da próxima etapa do plano. Tal divisão permitirá a construção de um quadro comparativo.

Escolha dois alunos para explicarem seus desenhos à turma.

Atenção: Não faça correções na produção dos alunos, pois a intenção desta atividade não é apresentar um modelo “correto” de explicação da origem dos seres humanos, mas sim expor a existência de diferentes pontos de vista, aspecto que será aprofundado durante a etapa da problematização.

Como adequar à sua realidade: Em escola de matriz judaico-cristã, como as adventistas, você pode solicitar aos alunos que desenhem a origem do homem na perspectiva judaico-cristã.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 22 minutos

Orientações: Os alunos continuarão em duplas. Apresente os textos que tratam sobre a origem dos seres humanos na perspectiva Maia e Babilônica. Eles podem ser impressos, projetados ou escritos no quadro. Textos disponíveis aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ghPpjHyYkfKwnsGhNVneekP5TgxyqnrKTBEgVnf8mx3sxc2uyNVpCHUCR4uR/his6-03und01-trecho-sobre-os-maias.pdf e https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/sRXkffqkfPUvgFweCZNBkWnCRX98HUhUPxzHB3swBa2CBztbdfAgMNCBbq6T/his6-03und01-trecho-sobre-os-babilonicos.pdf

Selecione dois alunos para fazerem a leitura dos textos à turma. Em seguida, as duplas devem elaborar desenhos que representem as narrativas dos textos. Os alunos poderão fazê-los em folhas de papel sulfite ou mesmo nas do próprio caderno. Poderão colorir, caso desejem.

A expectativa é que criem desenhos ou mesmo símbolos alinhados às narrativas.

Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie as duplas que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não fornecer explicações que comprometam o protagonismo do aluno na produção dos desenhos.

Observação: É importante estabelecer um tempo específico para a produção do desenho. Assim, a aula completa ocorrerá dentro do previsto (Sugestão de tempo para o desenho: 10 min).

Na etapa posterior o quadro foi dividido em três partes e apenas uma foi preenchida com desenhos, portanto, nas duas partes restantes fixe os novos desenhos dividindo-os entre as representações Maia e Babilônica. Desta forma, irá se formar um quadro comparativo.

Modelo de quadro comparativo: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rVvDTn7qbwQwtqAGwAMrfHk9DzN54MpXnYsBXbxcmkMbRzWeqkuAgFFShgTt/his6-03und01-modelo-de-quadro-comparativo.pdf

Siga para o questionamento proposto, que pode ser projetado, escrito no quadro ou simplesmente lido:

  • Quais diferenças você observa entre os três pontos de vista sobre a criação do homem expressos no quadro: sua perspectiva, a Maia e a Babilônica?
  • O que há de semelhante entre as origens apresentadas?
  • Cite alguma religião que explique a origem do homem a partir de um Deus criador.

Os alunos irão responder de forma escrita , registrando no caderno.

Ao visualizar no quadro todas as representações e comparar os pontos de vista, os alunos compreenderão a existência de diferentes explicações criacionistas para a origem dos seres humanos.

É esperado que respondam:

  • Na narrativa Maia apenas com o pensamento os deuses criaram os seres humanos, estes tinham por função tomar conta da terra e adorá-los. Na perspectiva Babilônica os seres humanos foram criados a partir do sangue de um deus e tinham por encargo assumir as tarefas dos deuses. É provável que algum aluno represente o surgimento do homem na perspectiva judaico-cristã, portanto, ressaltará que o homem foi criado do pó da terra, um ser livre e semelhante à Deus.
  • A expectativa é que os alunos respondam que o aspecto comum entre as origens é a presença de deus criador.
  • Na última pergunta poderão citar qualquer religião que conheçam. A ideia é criar uma conexão com a próxima aula- HIS6_03UND03.

Observação: O quadro comparativo servirão de base para as explicações.

Caso não cheguem às respostas semelhantes a essas, peça que leiam com atenção os textos e observem atentamente os desenhos. Pergunte se a origem do ser humano foi retratada mesma forma, pergunte também quais as diferenças e a semelhança.

Para você saber mais: Segue uma pequena indicação de materiais que lhe darão um suporte maior para a compreensão da origem dos seres humanos segundo a cultura dos povos mencionados.

PONTES,Antonio Ivemar da Silva. A “influência” do mito babilônico da criação, Enuma Elish, em Genesis 1,1-2,4a. Disponível em: http://www.unicap.br/tede/tde_arquivos/5/TDE-2010-08-13T111852Z-340/Publico/dissertacao_antonio_ivemar.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

SKOLIMOSKI, Kellen; ZANETIC. Mitos de criação: modelos cosmogônicos de diferentes povos e suas semelhanças. Disponível em: https://www.sab-astro.org.br/wp-content/uploads/2017/03/SNEA2012_TCO20.pdf. Acesso 10 de Jan de 2019. p.04

TAVARES, Augusto. A criação do homem nos mitos de origem. Disponível em : https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/13654/1/V00801-035-053.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 22 minutos

Orientações: Os alunos continuarão em duplas. Apresente os textos que tratam sobre a origem dos seres humanos na perspectiva Maia e Babilônica. Eles podem ser impressos, projetados ou escritos no quadro. Textos disponíveis aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ghPpjHyYkfKwnsGhNVneekP5TgxyqnrKTBEgVnf8mx3sxc2uyNVpCHUCR4uR/his6-03und01-trecho-sobre-os-maias.pdf e https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/sRXkffqkfPUvgFweCZNBkWnCRX98HUhUPxzHB3swBa2CBztbdfAgMNCBbq6T/his6-03und01-trecho-sobre-os-babilonicos.pdf

Selecione dois alunos para fazerem a leitura dos textos à turma. Em seguida, as duplas devem elaborar desenhos que representem as narrativas dos textos. Os alunos poderão fazê-los em folhas de papel sulfite ou mesmo nas do próprio caderno. Poderão colorir, caso desejem.

A expectativa é que criem desenhos ou mesmo símbolos alinhados às narrativas.

Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie as duplas que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não fornecer explicações que comprometam o protagonismo do aluno na produção dos desenhos.

Observação: É importante estabelecer um tempo específico para a produção do desenho. Assim, a aula completa ocorrerá dentro do previsto (Sugestão de tempo para o desenho: 10 min).

Na etapa posterior o quadro foi dividido em três partes e apenas uma foi preenchida com desenhos, portanto, nas duas partes restantes fixe os novos desenhos dividindo-os entre as representações Maia e Babilônica. Desta forma, irá se formar um quadro comparativo.

Modelo de quadro comparativo: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rVvDTn7qbwQwtqAGwAMrfHk9DzN54MpXnYsBXbxcmkMbRzWeqkuAgFFShgTt/his6-03und01-modelo-de-quadro-comparativo.pdf

Siga para o questionamento proposto, que pode ser projetado, escrito no quadro ou simplesmente lido:

  • Quais diferenças você observa entre os três pontos de vista sobre a criação do homem expressos no quadro: sua perspectiva, a Maia e a Babilônica?
  • O que há de semelhante entre as origens apresentadas?
  • Cite alguma religião que explique a origem do homem a partir de um Deus criador.

Professor, os alunos irão responder de forma escrita , registrando no caderno.

Ao visualizar no quadro todas as representações e comparar os pontos de vista, os alunos compreenderão a existência de diferentes explicações criacionistas para a origem dos seres humanos.

É esperado que respondam:

  • Na narrativa Maia apenas com o pensamento os deuses criaram os seres humanos, estes tinham por função tomar conta da terra e adorá-los. Na perspectiva Babilônica os seres humanos foram criados a partir do sangue de um deus e tinham por encargo assumir as tarefas dos deuses. É provável que algum aluno represente o surgimento do homem na perspectiva judaico-cristã, portanto, ressaltará que o homem foi criado do pó da terra, um ser livre e semelhante à Deus.
  • A expectativa é que os alunos respondam que o aspecto comum entre as origens é a presença de deus criador.
  • Na última pergunta poderão citar qualquer religião que conheçam. A ideia é criar uma conexão com a próxima aula- HIS6_03UND03.

Observação: O quadro comparativo servirá de base para as explicações.

Caso não cheguem às respostas semelhantes a essas, peça que leiam com atenção os textos e observem atentamente os desenhos. Pergunte se a origem do ser humano foi retratada mesma forma, pergunte também quais as diferenças e a semelhança.

Para você saber mais: Segue uma pequena indicação de materiais que lhe darão um suporte maior para a compreensão da origem dos seres humanos segundo a cultura dos povos mencionados.

PONTES,Antonio Ivemar da Silva. A “influência” do mito babilônico da criação, Enuma Elish, em Genesis 1,1-2,4a. Disponível em: http://www.unicap.br/tede/tde_arquivos/5/TDE-2010-08-13T111852Z-340/Publico/dissertacao_antonio_ivemar.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

SKOLIMOSKI, Kellen; ZANETIC. Mitos de criação: modelos cosmogônicos de diferentes povos e suas semelhanças. Disponível em: https://www.sab-astro.org.br/wp-content/uploads/2017/03/SNEA2012_TCO20.pdf. Acesso 10 de Jan de 2019. p.04

TAVARES, Augusto. A criação do homem nos mitos de origem. Disponível em : https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/13654/1/V00801-035-053.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 22 minutos

Orientações: Os alunos continuarão em duplas. Apresente os textos que tratam sobre a origem dos seres humanos na perspectiva Maia e Babilônica. Eles podem ser impressos, projetados ou escritos no quadro. Textos disponíveis aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ghPpjHyYkfKwnsGhNVneekP5TgxyqnrKTBEgVnf8mx3sxc2uyNVpCHUCR4uR/his6-03und01-trecho-sobre-os-maias.pdf e https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/sRXkffqkfPUvgFweCZNBkWnCRX98HUhUPxzHB3swBa2CBztbdfAgMNCBbq6T/his6-03und01-trecho-sobre-os-babilonicos.pdf

Selecione dois alunos para fazerem a leitura dos textos à turma. Em seguida, as duplas devem elaborar desenhos que representem as narrativas dos textos. Os alunos poderão fazê-los em folhas de papel sulfite ou mesmo nas do próprio caderno. Poderão colorir, caso desejem.

A expectativa é que criem desenhos ou mesmo símbolos alinhados às narrativas.

Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie as duplas que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não fornecer explicações que comprometam o protagonismo do aluno na produção dos desenhos.

Observação: É importante estabelecer um tempo específico para a produção do desenho. Assim, a aula completa ocorrerá dentro do previsto (Sugestão de tempo para o desenho: 10 min).

Na etapa posterior o quadro foi dividido em três partes e apenas uma foi preenchida com desenhos, portanto, nas duas partes restantes fixe os novos desenhos dividindo-os entre as representações Maia e Babilônica. Desta forma, irá se formar um quadro comparativo.

Modelo de quadro comparativo: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rVvDTn7qbwQwtqAGwAMrfHk9DzN54MpXnYsBXbxcmkMbRzWeqkuAgFFShgTt/his6-03und01-modelo-de-quadro-comparativo.pdf

Siga para o questionamento proposto, que pode ser projetado, escrito no quadro ou simplesmente lido:

  • Quais diferenças você observa entre os três pontos de vista sobre a criação do homem expressos no quadro: sua perspectiva, a Maia e a Babilônica?
  • O que há de semelhante entre as origens apresentadas?
  • Cite alguma religião que explique a origem do homem a partir de um Deus criador.

Professor, os alunos irão responder de forma escrita , registrando no caderno.

Ao visualizar no quadro todas as representações e comparar os pontos de vista, os alunos compreenderão a existência de diferentes explicações criacionistas para a origem dos seres humanos.

É esperado que respondam:

  • Na narrativa Maia apenas com o pensamento os deuses criaram os seres humanos, estes tinham por função tomar conta da terra e adorá-los. Na perspectiva Babilônica os seres humanos foram criados a partir do sangue de um deus e tinham por encargo assumir as tarefas dos deuses. É provável que algum aluno represente o surgimento do homem na perspectiva judaico-cristã, portanto, ressaltará que o homem foi criado do pó da terra, um ser livre e semelhante à Deus.
  • A expectativa é que os alunos respondam que o aspecto comum entre as origens é a presença de deus criador.
  • Na última pergunta poderão citar qualquer religião que conheçam. A ideia é criar uma conexão com a próxima aula- HIS6_03UND03.

Observação: O quadro comparativo servirá de base para as explicações.

Caso não cheguem às respostas semelhantes a essas, peça que leiam com atenção os textos e observem atentamente os desenhos. Pergunte se a origem do ser humano foi retratada mesma forma, pergunte também quais as diferenças e a semelhança.

Para você saber mais: Segue uma pequena indicação de materiais que lhe darão um suporte maior para a compreensão da origem dos seres humanos segundo a cultura dos povos mencionados.

PONTES,Antonio Ivemar da Silva. A “influência” do mito babilônico da criação, Enuma Elish, em Genesis 1,1-2,4a. Disponível em: http://www.unicap.br/tede/tde_arquivos/5/TDE-2010-08-13T111852Z-340/Publico/dissertacao_antonio_ivemar.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

SKOLIMOSKI, Kellen; ZANETIC. Mitos de criação: modelos cosmogônicos de diferentes povos e suas semelhanças. Disponível em: https://www.sab-astro.org.br/wp-content/uploads/2017/03/SNEA2012_TCO20.pdf. Acesso 10 de Jan de 2019. p.04

TAVARES, Augusto. A criação do homem nos mitos de origem. Disponível em : https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/13654/1/V00801-035-053.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Não desfaça as duplas. Entregue cópias do caça-palavras ou projete-o. Caça-palavras disponível aqui:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/34NgDsbNGp5nM5Brd8fxWTMEmbtCYhJjnBPWQVtHn5EQuHc774UVCzR4Tghc/his6-03und01-caca-palavras.pdf

Em duplas os alunos devem encontrar as palavras indicadas e construir definições para cada uma delas. Farão o registro das definições no caderno.

Observação: Caso você decida projetar o caça-palavras peça para que alunos se voluntariem e venham até o quadro e indiquem a localização da palavra.

Os alunos provavelmente realizarão definições, tais como:

Origem: refere-se ao surgimento de algo, o ponto de partida.

Criação: ato de criar. Refere-se a existência dos seres humanos a partir de uma ação divina.

Maias: povo que acreditava que deuses haviam criado o mundo e os seres humanos apenas com o pensamento.

Babilônios: povo que acreditava que o sangue do deus Marduk tinha originado a humanidade.

Caso as definições dos alunos estejam diferentes das citadas acima, lembre-os que devem recorrer ao conhecimento produzido durante a aula. Dessa forma as definições estarão alinhadas a temática da aula. Peça que façam releituras dos textos trabalhados e dos questionamentos.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Não desfaça as duplas. Entregue cópias do caça-palavras ou projete-o. Caça-palavras disponível aqui:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/34NgDsbNGp5nM5Brd8fxWTMEmbtCYhJjnBPWQVtHn5EQuHc774UVCzR4Tghc/his6-03und01-caca-palavras.pdf

Em duplas os alunos devem encontrar as palavras indicadas e construir definições para cada uma delas. Farão o registro das definições no caderno.

Observação: Caso você decida projetar o caça-palavras peça para que alunos se voluntariem e venham até o quadro e indiquem a localização da palavra.

Os alunos provavelmente realizarão definições, tais como:

Origem: refere-se ao surgimento de algo, o ponto de partida.

Criação: ato de criar. Refere-se a existência dos seres humanos a partir de uma ação divina.

Maias: povo que acreditava que deuses haviam criado o mundo e os seres humanos apenas com o pensamento.

Babilônios: povo que acreditava que o sangue do deus Marduk tinha originado a humanidade.

Caso as definições dos alunos estejam diferentes das citadas acima, lembre-os que devem recorrer ao conhecimento produzido durante a aula. Dessa forma as definições estarão alinhadas a temática da aula. Peça que façam releituras dos textos trabalhados e dos questionamentos.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF06HI03 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Folhas de papel sulfite, textos, quadro, durex, pincel e lápis de cor.

Material complementar:

Trecho sobre os Maias

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ghPpjHyYkfKwnsGhNVneekP5TgxyqnrKTBEgVnf8mx3sxc2uyNVpCHUCR4uR/his6-03und01-trecho-sobre-os-maias.pdf

Breve texto sobre a origem da humanidade na visão Maia

Trecho sobre os Babilônios

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/sRXkffqkfPUvgFweCZNBkWnCRX98HUhUPxzHB3swBa2CBztbdfAgMNCBbq6T/his6-03und01-trecho-sobre-os-babilonicos.pdf

Breve texto sobre a origem na humanidade na visão babilônica.

Modelo de quadro comparativo

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rVvDTn7qbwQwtqAGwAMrfHk9DzN54MpXnYsBXbxcmkMbRzWeqkuAgFFShgTt/his6-03und01-modelo-de-quadro-comparativo.pdf

Caça-palavras

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/34NgDsbNGp5nM5Brd8fxWTMEmbtCYhJjnBPWQVtHn5EQuHc774UVCzR4Tghc/his6-03und01-caca-palavras.pdf

Para que os alunos aprendam a interpretar fontes históricas, é muito importante que você não forneça a eles as Informações básicas sobre a fonte histórica antes da leitura de cada uma delas. Não comece a aula com uma exposição sobre o contexto histórico desses documentos, pois isso os impediria de construir o contexto com base nas fontes, que é o objetivo central da aula de História.

Para você saber mais:

PONTES,Antonio Ivemar da Silva. A “influência” do mito babilônico da criação, Enuma Elish, em Genesis 1,1-2,4a. Disponível em: http://www.unicap.br/tede/tde_arquivos/5/TDE-2010-08-13T111852Z-340/Publico/dissertacao_antonio_ivemar.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

TAVARES, Augusto. A criação do homem nos mitos de origem. Disponível em : https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/13654/1/V00801-035-053.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

SKOLIMOSKI, Kellen; ZANETIC. Mitos de criação: modelos cosmogônicos de diferentes povos e suas semelhanças. Disponível em: https://www.sab-astro.org.br/wp-content/uploads/2017/03/SNEA2012_TCO20.pdf. Acesso 10 de Jan de 2019. p.04

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações: Apresente o objetivo aos alunos escrevendo-o no quadro ou lendo-o para a turma. Se estiver fazendo uso de projetor, apresente esse slide e faça uma leitura coletiva. É extremamente importante começar a aula com apresentação do objetivo para que entendam que o foco da aula é comparar a origem dos seres humanos segundo perspectivas criacionistas.

Nessa etapa seja simples e direto. Evite muitas explicações para não comprometer o protagonismo do aluno nas etapas posteriores.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Organize a sala em duplas. Escreva no quadro ou projete e leia o comando indicado no slide. Em seguida, entregue folhas de papel sulfite. Os alunos deverão elaborar, segundo seu próprio ponto de vista, desenhos que representem a origem dos seres humanos. Eles poderão colorir e criar legendas explicativas.

Observação: Não sendo possível o uso de papel sulfite, os estudantes poderão elaborar os desenhos com folhas do próprio caderno.

Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie as duplas que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não fornecer explicações que comprometam o protagonismo do aluno na produção dos desenhos.

Ao término da produção divida o quadro em três partes e fixe em uma delas os desenhos produzidos. Os dois espaços restantes serão preenchidos com a tarefa da próxima etapa do plano. Tal divisão permitirá a construção de um quadro comparativo.

Escolha dois alunos para explicarem seus desenhos à turma.

Atenção: Não faça correções na produção dos alunos, pois a intenção desta atividade não é apresentar um modelo “correto” de explicação da origem dos seres humanos, mas sim expor a existência de diferentes pontos de vista, aspecto que será aprofundado durante a etapa da problematização.

Como adequar à sua realidade: Em escola de matriz judaico-cristã, como as adventistas, você pode solicitar aos alunos que desenhem a origem do homem na perspectiva judaico-cristã.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 22 minutos

Orientações: Os alunos continuarão em duplas. Apresente os textos que tratam sobre a origem dos seres humanos na perspectiva Maia e Babilônica. Eles podem ser impressos, projetados ou escritos no quadro. Textos disponíveis aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ghPpjHyYkfKwnsGhNVneekP5TgxyqnrKTBEgVnf8mx3sxc2uyNVpCHUCR4uR/his6-03und01-trecho-sobre-os-maias.pdf e https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/sRXkffqkfPUvgFweCZNBkWnCRX98HUhUPxzHB3swBa2CBztbdfAgMNCBbq6T/his6-03und01-trecho-sobre-os-babilonicos.pdf

Selecione dois alunos para fazerem a leitura dos textos à turma. Em seguida, as duplas devem elaborar desenhos que representem as narrativas dos textos. Os alunos poderão fazê-los em folhas de papel sulfite ou mesmo nas do próprio caderno. Poderão colorir, caso desejem.

A expectativa é que criem desenhos ou mesmo símbolos alinhados às narrativas.

Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie as duplas que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não fornecer explicações que comprometam o protagonismo do aluno na produção dos desenhos.

Observação: É importante estabelecer um tempo específico para a produção do desenho. Assim, a aula completa ocorrerá dentro do previsto (Sugestão de tempo para o desenho: 10 min).

Na etapa posterior o quadro foi dividido em três partes e apenas uma foi preenchida com desenhos, portanto, nas duas partes restantes fixe os novos desenhos dividindo-os entre as representações Maia e Babilônica. Desta forma, irá se formar um quadro comparativo.

Modelo de quadro comparativo: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rVvDTn7qbwQwtqAGwAMrfHk9DzN54MpXnYsBXbxcmkMbRzWeqkuAgFFShgTt/his6-03und01-modelo-de-quadro-comparativo.pdf

Siga para o questionamento proposto, que pode ser projetado, escrito no quadro ou simplesmente lido:

  • Quais diferenças você observa entre os três pontos de vista sobre a criação do homem expressos no quadro: sua perspectiva, a Maia e a Babilônica?
  • O que há de semelhante entre as origens apresentadas?
  • Cite alguma religião que explique a origem do homem a partir de um Deus criador.

Os alunos irão responder de forma escrita , registrando no caderno.

Ao visualizar no quadro todas as representações e comparar os pontos de vista, os alunos compreenderão a existência de diferentes explicações criacionistas para a origem dos seres humanos.

É esperado que respondam:

  • Na narrativa Maia apenas com o pensamento os deuses criaram os seres humanos, estes tinham por função tomar conta da terra e adorá-los. Na perspectiva Babilônica os seres humanos foram criados a partir do sangue de um deus e tinham por encargo assumir as tarefas dos deuses. É provável que algum aluno represente o surgimento do homem na perspectiva judaico-cristã, portanto, ressaltará que o homem foi criado do pó da terra, um ser livre e semelhante à Deus.
  • A expectativa é que os alunos respondam que o aspecto comum entre as origens é a presença de deus criador.
  • Na última pergunta poderão citar qualquer religião que conheçam. A ideia é criar uma conexão com a próxima aula- HIS6_03UND03.

Observação: O quadro comparativo servirão de base para as explicações.

Caso não cheguem às respostas semelhantes a essas, peça que leiam com atenção os textos e observem atentamente os desenhos. Pergunte se a origem do ser humano foi retratada mesma forma, pergunte também quais as diferenças e a semelhança.

Para você saber mais: Segue uma pequena indicação de materiais que lhe darão um suporte maior para a compreensão da origem dos seres humanos segundo a cultura dos povos mencionados.

PONTES,Antonio Ivemar da Silva. A “influência” do mito babilônico da criação, Enuma Elish, em Genesis 1,1-2,4a. Disponível em: http://www.unicap.br/tede/tde_arquivos/5/TDE-2010-08-13T111852Z-340/Publico/dissertacao_antonio_ivemar.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

SKOLIMOSKI, Kellen; ZANETIC. Mitos de criação: modelos cosmogônicos de diferentes povos e suas semelhanças. Disponível em: https://www.sab-astro.org.br/wp-content/uploads/2017/03/SNEA2012_TCO20.pdf. Acesso 10 de Jan de 2019. p.04

TAVARES, Augusto. A criação do homem nos mitos de origem. Disponível em : https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/13654/1/V00801-035-053.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 22 minutos

Orientações: Os alunos continuarão em duplas. Apresente os textos que tratam sobre a origem dos seres humanos na perspectiva Maia e Babilônica. Eles podem ser impressos, projetados ou escritos no quadro. Textos disponíveis aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ghPpjHyYkfKwnsGhNVneekP5TgxyqnrKTBEgVnf8mx3sxc2uyNVpCHUCR4uR/his6-03und01-trecho-sobre-os-maias.pdf e https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/sRXkffqkfPUvgFweCZNBkWnCRX98HUhUPxzHB3swBa2CBztbdfAgMNCBbq6T/his6-03und01-trecho-sobre-os-babilonicos.pdf

Selecione dois alunos para fazerem a leitura dos textos à turma. Em seguida, as duplas devem elaborar desenhos que representem as narrativas dos textos. Os alunos poderão fazê-los em folhas de papel sulfite ou mesmo nas do próprio caderno. Poderão colorir, caso desejem.

A expectativa é que criem desenhos ou mesmo símbolos alinhados às narrativas.

Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie as duplas que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não fornecer explicações que comprometam o protagonismo do aluno na produção dos desenhos.

Observação: É importante estabelecer um tempo específico para a produção do desenho. Assim, a aula completa ocorrerá dentro do previsto (Sugestão de tempo para o desenho: 10 min).

Na etapa posterior o quadro foi dividido em três partes e apenas uma foi preenchida com desenhos, portanto, nas duas partes restantes fixe os novos desenhos dividindo-os entre as representações Maia e Babilônica. Desta forma, irá se formar um quadro comparativo.

Modelo de quadro comparativo: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rVvDTn7qbwQwtqAGwAMrfHk9DzN54MpXnYsBXbxcmkMbRzWeqkuAgFFShgTt/his6-03und01-modelo-de-quadro-comparativo.pdf

Siga para o questionamento proposto, que pode ser projetado, escrito no quadro ou simplesmente lido:

  • Quais diferenças você observa entre os três pontos de vista sobre a criação do homem expressos no quadro: sua perspectiva, a Maia e a Babilônica?
  • O que há de semelhante entre as origens apresentadas?
  • Cite alguma religião que explique a origem do homem a partir de um Deus criador.

Professor, os alunos irão responder de forma escrita , registrando no caderno.

Ao visualizar no quadro todas as representações e comparar os pontos de vista, os alunos compreenderão a existência de diferentes explicações criacionistas para a origem dos seres humanos.

É esperado que respondam:

  • Na narrativa Maia apenas com o pensamento os deuses criaram os seres humanos, estes tinham por função tomar conta da terra e adorá-los. Na perspectiva Babilônica os seres humanos foram criados a partir do sangue de um deus e tinham por encargo assumir as tarefas dos deuses. É provável que algum aluno represente o surgimento do homem na perspectiva judaico-cristã, portanto, ressaltará que o homem foi criado do pó da terra, um ser livre e semelhante à Deus.
  • A expectativa é que os alunos respondam que o aspecto comum entre as origens é a presença de deus criador.
  • Na última pergunta poderão citar qualquer religião que conheçam. A ideia é criar uma conexão com a próxima aula- HIS6_03UND03.

Observação: O quadro comparativo servirá de base para as explicações.

Caso não cheguem às respostas semelhantes a essas, peça que leiam com atenção os textos e observem atentamente os desenhos. Pergunte se a origem do ser humano foi retratada mesma forma, pergunte também quais as diferenças e a semelhança.

Para você saber mais: Segue uma pequena indicação de materiais que lhe darão um suporte maior para a compreensão da origem dos seres humanos segundo a cultura dos povos mencionados.

PONTES,Antonio Ivemar da Silva. A “influência” do mito babilônico da criação, Enuma Elish, em Genesis 1,1-2,4a. Disponível em: http://www.unicap.br/tede/tde_arquivos/5/TDE-2010-08-13T111852Z-340/Publico/dissertacao_antonio_ivemar.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

SKOLIMOSKI, Kellen; ZANETIC. Mitos de criação: modelos cosmogônicos de diferentes povos e suas semelhanças. Disponível em: https://www.sab-astro.org.br/wp-content/uploads/2017/03/SNEA2012_TCO20.pdf. Acesso 10 de Jan de 2019. p.04

TAVARES, Augusto. A criação do homem nos mitos de origem. Disponível em : https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/13654/1/V00801-035-053.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 22 minutos

Orientações: Os alunos continuarão em duplas. Apresente os textos que tratam sobre a origem dos seres humanos na perspectiva Maia e Babilônica. Eles podem ser impressos, projetados ou escritos no quadro. Textos disponíveis aqui: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ghPpjHyYkfKwnsGhNVneekP5TgxyqnrKTBEgVnf8mx3sxc2uyNVpCHUCR4uR/his6-03und01-trecho-sobre-os-maias.pdf e https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/sRXkffqkfPUvgFweCZNBkWnCRX98HUhUPxzHB3swBa2CBztbdfAgMNCBbq6T/his6-03und01-trecho-sobre-os-babilonicos.pdf

Selecione dois alunos para fazerem a leitura dos textos à turma. Em seguida, as duplas devem elaborar desenhos que representem as narrativas dos textos. Os alunos poderão fazê-los em folhas de papel sulfite ou mesmo nas do próprio caderno. Poderão colorir, caso desejem.

A expectativa é que criem desenhos ou mesmo símbolos alinhados às narrativas.

Durante esse momento, caminhe pela sala e auxilie as duplas que solicitarem sua presença. Esclareça dúvidas eventuais, no entanto, tome cuidado para não fornecer explicações que comprometam o protagonismo do aluno na produção dos desenhos.

Observação: É importante estabelecer um tempo específico para a produção do desenho. Assim, a aula completa ocorrerá dentro do previsto (Sugestão de tempo para o desenho: 10 min).

Na etapa posterior o quadro foi dividido em três partes e apenas uma foi preenchida com desenhos, portanto, nas duas partes restantes fixe os novos desenhos dividindo-os entre as representações Maia e Babilônica. Desta forma, irá se formar um quadro comparativo.

Modelo de quadro comparativo: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/rVvDTn7qbwQwtqAGwAMrfHk9DzN54MpXnYsBXbxcmkMbRzWeqkuAgFFShgTt/his6-03und01-modelo-de-quadro-comparativo.pdf

Siga para o questionamento proposto, que pode ser projetado, escrito no quadro ou simplesmente lido:

  • Quais diferenças você observa entre os três pontos de vista sobre a criação do homem expressos no quadro: sua perspectiva, a Maia e a Babilônica?
  • O que há de semelhante entre as origens apresentadas?
  • Cite alguma religião que explique a origem do homem a partir de um Deus criador.

Professor, os alunos irão responder de forma escrita , registrando no caderno.

Ao visualizar no quadro todas as representações e comparar os pontos de vista, os alunos compreenderão a existência de diferentes explicações criacionistas para a origem dos seres humanos.

É esperado que respondam:

  • Na narrativa Maia apenas com o pensamento os deuses criaram os seres humanos, estes tinham por função tomar conta da terra e adorá-los. Na perspectiva Babilônica os seres humanos foram criados a partir do sangue de um deus e tinham por encargo assumir as tarefas dos deuses. É provável que algum aluno represente o surgimento do homem na perspectiva judaico-cristã, portanto, ressaltará que o homem foi criado do pó da terra, um ser livre e semelhante à Deus.
  • A expectativa é que os alunos respondam que o aspecto comum entre as origens é a presença de deus criador.
  • Na última pergunta poderão citar qualquer religião que conheçam. A ideia é criar uma conexão com a próxima aula- HIS6_03UND03.

Observação: O quadro comparativo servirá de base para as explicações.

Caso não cheguem às respostas semelhantes a essas, peça que leiam com atenção os textos e observem atentamente os desenhos. Pergunte se a origem do ser humano foi retratada mesma forma, pergunte também quais as diferenças e a semelhança.

Para você saber mais: Segue uma pequena indicação de materiais que lhe darão um suporte maior para a compreensão da origem dos seres humanos segundo a cultura dos povos mencionados.

PONTES,Antonio Ivemar da Silva. A “influência” do mito babilônico da criação, Enuma Elish, em Genesis 1,1-2,4a. Disponível em: http://www.unicap.br/tede/tde_arquivos/5/TDE-2010-08-13T111852Z-340/Publico/dissertacao_antonio_ivemar.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

SKOLIMOSKI, Kellen; ZANETIC. Mitos de criação: modelos cosmogônicos de diferentes povos e suas semelhanças. Disponível em: https://www.sab-astro.org.br/wp-content/uploads/2017/03/SNEA2012_TCO20.pdf. Acesso 10 de Jan de 2019. p.04

TAVARES, Augusto. A criação do homem nos mitos de origem. Disponível em : https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/13654/1/V00801-035-053.pdf. Acesso 14 de Jan de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Não desfaça as duplas. Entregue cópias do caça-palavras ou projete-o. Caça-palavras disponível aqui:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/34NgDsbNGp5nM5Brd8fxWTMEmbtCYhJjnBPWQVtHn5EQuHc774UVCzR4Tghc/his6-03und01-caca-palavras.pdf

Em duplas os alunos devem encontrar as palavras indicadas e construir definições para cada uma delas. Farão o registro das definições no caderno.

Observação: Caso você decida projetar o caça-palavras peça para que alunos se voluntariem e venham até o quadro e indiquem a localização da palavra.

Os alunos provavelmente realizarão definições, tais como:

Origem: refere-se ao surgimento de algo, o ponto de partida.

Criação: ato de criar. Refere-se a existência dos seres humanos a partir de uma ação divina.

Maias: povo que acreditava que deuses haviam criado o mundo e os seres humanos apenas com o pensamento.

Babilônios: povo que acreditava que o sangue do deus Marduk tinha originado a humanidade.

Caso as definições dos alunos estejam diferentes das citadas acima, lembre-os que devem recorrer ao conhecimento produzido durante a aula. Dessa forma as definições estarão alinhadas a temática da aula. Peça que façam releituras dos textos trabalhados e dos questionamentos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Não desfaça as duplas. Entregue cópias do caça-palavras ou projete-o. Caça-palavras disponível aqui:

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/34NgDsbNGp5nM5Brd8fxWTMEmbtCYhJjnBPWQVtHn5EQuHc774UVCzR4Tghc/his6-03und01-caca-palavras.pdf

Em duplas os alunos devem encontrar as palavras indicadas e construir definições para cada uma delas. Farão o registro das definições no caderno.

Observação: Caso você decida projetar o caça-palavras peça para que alunos se voluntariem e venham até o quadro e indiquem a localização da palavra.

Os alunos provavelmente realizarão definições, tais como:

Origem: refere-se ao surgimento de algo, o ponto de partida.

Criação: ato de criar. Refere-se a existência dos seres humanos a partir de uma ação divina.

Maias: povo que acreditava que deuses haviam criado o mundo e os seres humanos apenas com o pensamento.

Babilônios: povo que acreditava que o sangue do deus Marduk tinha originado a humanidade.

Caso as definições dos alunos estejam diferentes das citadas acima, lembre-os que devem recorrer ao conhecimento produzido durante a aula. Dessa forma as definições estarão alinhadas a temática da aula. Peça que façam releituras dos textos trabalhados e dos questionamentos.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE História: tempo, espaço e formas de registros do 6º ano :

6º ano / História / História: tempo, espaço e formas de registros

MAIS AULAS DE História do 6º ano:

6º ano / História / História: tempo, espaço e formas de registros

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF06HI03 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano