16633
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 5º ano > Registros da história: linguagens e culturas

Plano de aula - Contos africanos. Memória, história oral e formas de marcar o tempo

Plano de aula de História com atividades para 5º ano do EF sobre Contos africanos. Memória, história oral e formas de marcar o tempo

Plano 05 de 10 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Gabriela Ferreira Bustamante Fonseca

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF05HI08 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Neste plano, trabalhe com literatura no Ensino de História, explorando através de um conto africano formas de marcação do tempo que dependem da observação da natureza e não utilizam instrumentos (como relógios e calendários). Os alunos são convidados, através da narrativa, a refletir de que forma a sensação da passagem de tempo e o tempo psicológico se diferenciam dos marcadores temporais. Baseados na reflexão do tempo da natureza no conto eles podem conhecer um pouco da cultura sul-africana e observar como a sensação da passagem do tempo está presente em todas as culturas. Como finalização da aula os alunos são convidados a compor uma história em quadrinho, demonstrando a passagem do tempo em desenho ou no texto escrito.

Materiais necessários: Para fazer a história em quadrinho disponibilize folhas de sulfite. O modelo dos quadrinhos seguem neste arquivo, caso queira imprimir https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/E8tEvFNawRdYnbZSn8BRVaj2csN6RpKKjEdghVYjtKgrZD2ZfUTThJ2kw4MP/his5-08und05-modelo-historia-em-quadrinho.pdf

Material complementar:

Conto “A encantadora canção do pássaro mágico” https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RtJV2EYyAyQAtg9xHvKPvCfCdbzS7MXvrtvXksD3vzCt4QEMNQZTuC65HzEv/his5-08und05-conto-a-encantadora-cancao-do-passaro-magico.pdf

MANDELA, Nelson (seleção) Meus contos africanos/seleção Nelson Mandela; tradução Luciana Garcia - 2 ed. - São Paulo: Martins Fontes - selo Martins, 2009

Modelo história em quadrinho https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/E8tEvFNawRdYnbZSn8BRVaj2csN6RpKKjEdghVYjtKgrZD2ZfUTThJ2kw4MP/his5-08und05-modelo-historia-em-quadrinho.pdf

Para você saber mais:

Nesse artigo de Ernesta Zamboni e Selva Guimarães Fonseca é discutida a contribuição da literatura na infância para a noção de tempo histórico, apresentando dois livros que se dedicam a explorar questões da memória e das permanências e mudanças na sociedade. ZAMBONI, Ernesta e FONSECA, Selva Guimarães Contribuições da literatura infantil para a aprendizagem de noções do tempo histórico. Cad. Cedes, Campinas, vol. 30, n. 82, p. 339-353, set.-dez. 2010

Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v30n82/05.pdf acesso em 16/01/2019

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Essa aula tem o objetivo de expandir a percepção do que pode ser considerado um marcador de tempo. Para isso, comece a aula contando para as crianças que eles irão trabalhar com histórias nessa aula, e que através dela irão analisar formas de marcar o tempo.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a aula mostrando para os alunos as imagens da cidade do Rio de Janeiro. Diga para eles que devem, individualmente, criar uma história breve sobre essas imagens. Essa história deve ser curta e pode ser escrita em um parágrafo, levando em conta os três cenários que aparecem nas fotos. Ela pode ser a história de uma criança, de um jovem, de um peixe, de um carro, da cidade, do mar ou de qualquer outro elemento que seja pertinente às imagens. O desafio da escrita dessa história é que eles não podem utilizar as palavras manhã, tarde e noite.

Dê um tempo determinado para que as crianças escrevam a história. Esse exercício de escrita não pode durar mais do que 10 minutos, pois se trata de algo breve, e que será compartilhado com a turma. Escolha algumas crianças para ler suas histórias apontando para como os momentos do dia foram registrados sem o uso das palavras proibidas. Converse com eles sobre atividades que costumam fazer de tarde, de manhã ou de noite, perguntando que horas começa o período da manhã, da tarde e da noite. Aponte que não existe uma hora do relógio, muitas vezes a passagem do dia para a noite depende da estação em que estamos. Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese a partir da questão: Se não existe hora para começar a manhã, a tarde ou a noite, como sabemos que elas começaram?

A elaboração do texto pode ser um desafio para algumas turmas. Caso esse seja o caso, deixe mais tempo para a composição do texto ou organize os alunos em duplas. Se necessário, dê exemplos mais assertivos para que as crianças compreendam que as imagens representam três momentos diferente do dia.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a aula mostrando para os alunos as imagens da cidade do Rio de Janeiro. Diga para eles que devem, individualmente, criar uma história breve sobre essas imagens. Essa história deve ser curta e pode ser escrita em um parágrafo, levando em conta os três cenários que aparecem nas fotos. Ela pode ser a história de uma criança, de um jovem, de um peixe, de um carro, da cidade, do mar ou de qualquer outro elemento que seja pertinente às imagens. O desafio da escrita dessa história é que eles não podem utilizar as palavras manhã, tarde e noite.

Dê um tempo determinado para que as crianças escrevam a história. Esse exercício de escrita não pode durar mais do que 10 minutos, pois se trata de algo breve, e que será compartilhado com a turma. Escolha algumas crianças para ler suas histórias apontando para como os momentos do dia foram registrados sem o uso das palavras proibidas. Converse com eles sobre atividades que costumam fazer de tarde, de manhã ou de noite, perguntando que horas começa o período da manhã, da tarde e da noite. Aponte que não existe uma hora do relógio, muitas vezes a passagem do dia para a noite depende da estação em que estamos. Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese a partir da questão: Se não existe hora para começar a manhã, a tarde ou a noite, como sabemos que elas começaram?

A elaboração do texto pode ser um desafio para algumas turmas. Caso esse seja o caso, deixe mais tempo para a composição do texto ou organize os alunos em duplas. Se necessário, dê exemplos mais assertivos para que as crianças compreendam que as imagens representam três momentos diferente do dia.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie a problematização explicando que eles irão ler um conto do leste do continente africano, chamado "A encantadora canção do Pássaro Mágico", disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RtJV2EYyAyQAtg9xHvKPvCfCdbzS7MXvrtvXksD3vzCt4QEMNQZTuC65HzEv/his5-08und05-conto-a-encantadora-cancao-do-passaro-magico.pdf

Explique que esse conto é proveniente de uma região da Tanzânia chamada Benaland, e que seu registro escrito foi feito no século XX pelo pastor Julius Oelke.

Você pode utilizar as imagens do slide para ajudar os alunos a localizar o país no continente africano, assim como para que os alunos conheçam a árvore que vai aparecer na história, chamada de mogobagôba.

Separe os alunos em trios e peça para que eles leiam a história e marquem os trechos onde podem ser encontradas informações que nos permitem saber em qual momento do dia se passa a história. Depois da leitura, compartilhe com os alunos as informações localizadas e retome a questão da contextualização: Se não existe hora para começar a manhã, a tarde ou a noite, como sabemos que elas começaram?

Peça para que eles leiam individualmente suas respostas e pensem se sua opinião mudou após a leitura da história. Peça para que alguns alunos compartilhem suas conclusões e pergunte se alguém já sentiu o tempo passar mais rápido ou mais devagar. Explique que algumas vezes, as horas do relógio não são adequadas para descrever um tempo que passa ou um momento do dia, e que para isso pensamos em outros marcadores como os períodos (manhã, tarde e noite) ou termos mais adequados.

Caso considere interessante, explore também as estações como marcadores de tempo. Reflita como o cotidiano muda em cada estação de acordo com o que a natureza provém. Pergunte para os alunos se eles sabem quando começa o verão. Explique que existe uma data no calendário (21 de dezembro para os países do hemisfério sul e 20 de março para o hemisfério norte), mas que também podemos sentir a mudança do clima, que algumas vezes acontece antes ou depois dessa data. Faça uma pesquisa com os alunos para compreender as datas de início das estações. Para isso você pode acessar o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=gQ4q5u8Y44o . Nesse vídeo do canal Climatempo temos a explicação do solstício de verão no hemisfério sul e norte.

Além disso, existem muitos contos provenientes do continente africano que falam sobre a passagem do tempo, marcados muitas vezes pela existência de elementos da natureza. Uma forma de ampliar essa aula é fazer a leitura de mais alguns contos e relacionar quais são os marcadores que podemos perceber neles.

Para você saber mais:

Esses livros são boas referências para a busca de contos de origem africana:

ABAD, Ernesto Rodrigues. Contos africanos. Editora Callis

MACHADO, Ana Maria Histórias africanas. Melhoramentos

MANDELA, Nelson (seleção) Meus contos africanos/seleção Nelson Mandela; tradução Luciana Garcia - 2 ed. - São Paulo: Martins Fontes - selo Martins, 2009

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Explique que os trios irão fazer uma adaptação do conto “A encantadora canção do Pássaro Mágico” em uma história em quadrinho. Para fazê-la, os alunos devem selecionar no texto impresso as partes mais importantes da história para que ela fique clara para o leitor. Deixe claro que na história em quadrinho eles devem representar o tempo da natureza que foi explorado nessa aula como cenário para os personagens. Através dos desenhos é possível perceber como os alunos entenderam a importância dos momentos do dia na história. Para facilitar o trabalho, você pode fornecer essas folhas com o quadro para a elaboração das histórias: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/E8tEvFNawRdYnbZSn8BRVaj2csN6RpKKjEdghVYjtKgrZD2ZfUTThJ2kw4MP/his5-08und05-modelo-historia-em-quadrinho.pdf

Além do reconto da história do Chefe Serpente, você pode propor aos alunos a transformação da história que eles escreveram na contextualização em uma tirinha. Organizados em duplas, peça para que eles troquem as histórias entre si para transformar o que foi escrito em história em quadrinho. Como a história é mais curta, proponha que eles façam uma tirinha, algo mais sucinto que a história em quadrinhos, e que eles utilizem as imagens do slide como base.

Outra opção é utilizar ferramentas digitais e alguns sites abertos. Nessa matéria do site porvir você pode encontrar algumas opções: http://porvir.org/7-ferramentas-para-criar-historias-em-quadrinhos-os-alunos/ (Acesso em 16 de março de 2019).

Para você saber mais:

Esse material desenvolvido pela prefeitura do Rio de Janeiro é um ótimo guia para trabalhar com os alunos, ou para compreender melhor e ser capaz de dar um bom direcionamento para a história em quadrinho: http://multirio.rio.rj.gov.br/index.php/component/mr_chamada_materia/?task=download&format=raw&id=2843 (Acesso em 16 de março de 2019)

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF05HI08 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Neste plano, trabalhe com literatura no Ensino de História, explorando através de um conto africano formas de marcação do tempo que dependem da observação da natureza e não utilizam instrumentos (como relógios e calendários). Os alunos são convidados, através da narrativa, a refletir de que forma a sensação da passagem de tempo e o tempo psicológico se diferenciam dos marcadores temporais. Baseados na reflexão do tempo da natureza no conto eles podem conhecer um pouco da cultura sul-africana e observar como a sensação da passagem do tempo está presente em todas as culturas. Como finalização da aula os alunos são convidados a compor uma história em quadrinho, demonstrando a passagem do tempo em desenho ou no texto escrito.

Materiais necessários: Para fazer a história em quadrinho disponibilize folhas de sulfite. O modelo dos quadrinhos seguem neste arquivo, caso queira imprimir https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/E8tEvFNawRdYnbZSn8BRVaj2csN6RpKKjEdghVYjtKgrZD2ZfUTThJ2kw4MP/his5-08und05-modelo-historia-em-quadrinho.pdf

Material complementar:

Conto “A encantadora canção do pássaro mágico” https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RtJV2EYyAyQAtg9xHvKPvCfCdbzS7MXvrtvXksD3vzCt4QEMNQZTuC65HzEv/his5-08und05-conto-a-encantadora-cancao-do-passaro-magico.pdf

MANDELA, Nelson (seleção) Meus contos africanos/seleção Nelson Mandela; tradução Luciana Garcia - 2 ed. - São Paulo: Martins Fontes - selo Martins, 2009

Modelo história em quadrinho https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/E8tEvFNawRdYnbZSn8BRVaj2csN6RpKKjEdghVYjtKgrZD2ZfUTThJ2kw4MP/his5-08und05-modelo-historia-em-quadrinho.pdf

Para você saber mais:

Nesse artigo de Ernesta Zamboni e Selva Guimarães Fonseca é discutida a contribuição da literatura na infância para a noção de tempo histórico, apresentando dois livros que se dedicam a explorar questões da memória e das permanências e mudanças na sociedade. ZAMBONI, Ernesta e FONSECA, Selva Guimarães Contribuições da literatura infantil para a aprendizagem de noções do tempo histórico. Cad. Cedes, Campinas, vol. 30, n. 82, p. 339-353, set.-dez. 2010

Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ccedes/v30n82/05.pdf acesso em 16/01/2019

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Essa aula tem o objetivo de expandir a percepção do que pode ser considerado um marcador de tempo. Para isso, comece a aula contando para as crianças que eles irão trabalhar com histórias nessa aula, e que através dela irão analisar formas de marcar o tempo.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a aula mostrando para os alunos as imagens da cidade do Rio de Janeiro. Diga para eles que devem, individualmente, criar uma história breve sobre essas imagens. Essa história deve ser curta e pode ser escrita em um parágrafo, levando em conta os três cenários que aparecem nas fotos. Ela pode ser a história de uma criança, de um jovem, de um peixe, de um carro, da cidade, do mar ou de qualquer outro elemento que seja pertinente às imagens. O desafio da escrita dessa história é que eles não podem utilizar as palavras manhã, tarde e noite.

Dê um tempo determinado para que as crianças escrevam a história. Esse exercício de escrita não pode durar mais do que 10 minutos, pois se trata de algo breve, e que será compartilhado com a turma. Escolha algumas crianças para ler suas histórias apontando para como os momentos do dia foram registrados sem o uso das palavras proibidas. Converse com eles sobre atividades que costumam fazer de tarde, de manhã ou de noite, perguntando que horas começa o período da manhã, da tarde e da noite. Aponte que não existe uma hora do relógio, muitas vezes a passagem do dia para a noite depende da estação em que estamos. Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese a partir da questão: Se não existe hora para começar a manhã, a tarde ou a noite, como sabemos que elas começaram?

A elaboração do texto pode ser um desafio para algumas turmas. Caso esse seja o caso, deixe mais tempo para a composição do texto ou organize os alunos em duplas. Se necessário, dê exemplos mais assertivos para que as crianças compreendam que as imagens representam três momentos diferente do dia.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Inicie a aula mostrando para os alunos as imagens da cidade do Rio de Janeiro. Diga para eles que devem, individualmente, criar uma história breve sobre essas imagens. Essa história deve ser curta e pode ser escrita em um parágrafo, levando em conta os três cenários que aparecem nas fotos. Ela pode ser a história de uma criança, de um jovem, de um peixe, de um carro, da cidade, do mar ou de qualquer outro elemento que seja pertinente às imagens. O desafio da escrita dessa história é que eles não podem utilizar as palavras manhã, tarde e noite.

Dê um tempo determinado para que as crianças escrevam a história. Esse exercício de escrita não pode durar mais do que 10 minutos, pois se trata de algo breve, e que será compartilhado com a turma. Escolha algumas crianças para ler suas histórias apontando para como os momentos do dia foram registrados sem o uso das palavras proibidas. Converse com eles sobre atividades que costumam fazer de tarde, de manhã ou de noite, perguntando que horas começa o período da manhã, da tarde e da noite. Aponte que não existe uma hora do relógio, muitas vezes a passagem do dia para a noite depende da estação em que estamos. Peça para que eles escrevam em seus cadernos uma hipótese a partir da questão: Se não existe hora para começar a manhã, a tarde ou a noite, como sabemos que elas começaram?

A elaboração do texto pode ser um desafio para algumas turmas. Caso esse seja o caso, deixe mais tempo para a composição do texto ou organize os alunos em duplas. Se necessário, dê exemplos mais assertivos para que as crianças compreendam que as imagens representam três momentos diferente do dia.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Inicie a problematização explicando que eles irão ler um conto do leste do continente africano, chamado "A encantadora canção do Pássaro Mágico", disponível nesse link: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/RtJV2EYyAyQAtg9xHvKPvCfCdbzS7MXvrtvXksD3vzCt4QEMNQZTuC65HzEv/his5-08und05-conto-a-encantadora-cancao-do-passaro-magico.pdf

Explique que esse conto é proveniente de uma região da Tanzânia chamada Benaland, e que seu registro escrito foi feito no século XX pelo pastor Julius Oelke.

Você pode utilizar as imagens do slide para ajudar os alunos a localizar o país no continente africano, assim como para que os alunos conheçam a árvore que vai aparecer na história, chamada de mogobagôba.

Separe os alunos em trios e peça para que eles leiam a história e marquem os trechos onde podem ser encontradas informações que nos permitem saber em qual momento do dia se passa a história. Depois da leitura, compartilhe com os alunos as informações localizadas e retome a questão da contextualização: Se não existe hora para começar a manhã, a tarde ou a noite, como sabemos que elas começaram?

Peça para que eles leiam individualmente suas respostas e pensem se sua opinião mudou após a leitura da história. Peça para que alguns alunos compartilhem suas conclusões e pergunte se alguém já sentiu o tempo passar mais rápido ou mais devagar. Explique que algumas vezes, as horas do relógio não são adequadas para descrever um tempo que passa ou um momento do dia, e que para isso pensamos em outros marcadores como os períodos (manhã, tarde e noite) ou termos mais adequados.

Caso considere interessante, explore também as estações como marcadores de tempo. Reflita como o cotidiano muda em cada estação de acordo com o que a natureza provém. Pergunte para os alunos se eles sabem quando começa o verão. Explique que existe uma data no calendário (21 de dezembro para os países do hemisfério sul e 20 de março para o hemisfério norte), mas que também podemos sentir a mudança do clima, que algumas vezes acontece antes ou depois dessa data. Faça uma pesquisa com os alunos para compreender as datas de início das estações. Para isso você pode acessar o vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=gQ4q5u8Y44o . Nesse vídeo do canal Climatempo temos a explicação do solstício de verão no hemisfério sul e norte.

Além disso, existem muitos contos provenientes do continente africano que falam sobre a passagem do tempo, marcados muitas vezes pela existência de elementos da natureza. Uma forma de ampliar essa aula é fazer a leitura de mais alguns contos e relacionar quais são os marcadores que podemos perceber neles.

Para você saber mais:

Esses livros são boas referências para a busca de contos de origem africana:

ABAD, Ernesto Rodrigues. Contos africanos. Editora Callis

MACHADO, Ana Maria Histórias africanas. Melhoramentos

MANDELA, Nelson (seleção) Meus contos africanos/seleção Nelson Mandela; tradução Luciana Garcia - 2 ed. - São Paulo: Martins Fontes - selo Martins, 2009

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Explique que os trios irão fazer uma adaptação do conto “A encantadora canção do Pássaro Mágico” em uma história em quadrinho. Para fazê-la, os alunos devem selecionar no texto impresso as partes mais importantes da história para que ela fique clara para o leitor. Deixe claro que na história em quadrinho eles devem representar o tempo da natureza que foi explorado nessa aula como cenário para os personagens. Através dos desenhos é possível perceber como os alunos entenderam a importância dos momentos do dia na história. Para facilitar o trabalho, você pode fornecer essas folhas com o quadro para a elaboração das histórias: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/E8tEvFNawRdYnbZSn8BRVaj2csN6RpKKjEdghVYjtKgrZD2ZfUTThJ2kw4MP/his5-08und05-modelo-historia-em-quadrinho.pdf

Além do reconto da história do Chefe Serpente, você pode propor aos alunos a transformação da história que eles escreveram na contextualização em uma tirinha. Organizados em duplas, peça para que eles troquem as histórias entre si para transformar o que foi escrito em história em quadrinho. Como a história é mais curta, proponha que eles façam uma tirinha, algo mais sucinto que a história em quadrinhos, e que eles utilizem as imagens do slide como base.

Outra opção é utilizar ferramentas digitais e alguns sites abertos. Nessa matéria do site porvir você pode encontrar algumas opções: http://porvir.org/7-ferramentas-para-criar-historias-em-quadrinhos-os-alunos/ (Acesso em 16 de março de 2019).

Para você saber mais:

Esse material desenvolvido pela prefeitura do Rio de Janeiro é um ótimo guia para trabalhar com os alunos, ou para compreender melhor e ser capaz de dar um bom direcionamento para a história em quadrinho: http://multirio.rio.rj.gov.br/index.php/component/mr_chamada_materia/?task=download&format=raw&id=2843 (Acesso em 16 de março de 2019)

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Registros da história: linguagens e culturas do 5º ano :

MAIS AULAS DE História do 5º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF05HI08 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano