16518
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 3º ano > As pessoas e os grupos que compõem a cidade e o município

Plano de aula - Nossa cidade, nossas pessoas!

Plano de aula de História com atividades para 3º ano do EF sobre Nossa cidade, nossas pessoas!

Plano 01 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Pamela De Lima Ferreira

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF03HI02 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Projetor, quadro, papel Kraft ou cartolinas, canetinhas, lápis comum, borracha, tesoura, cola, cópias dos materiais complementares e materiais do uso diário das crianças.

Material complementar:

Para a sistematização, imagens para compor o mural

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/d8rbnMrz7HNYZGZCK8DwXCgzDsPgHczGUgBE54y2hHJ6nYfMm6t4wX9jWc39/his3-02und01-sistematizacao-imagens-para-compor-o-mural.pdf

Para você saber mais:

Sobre a igualdade de gênero como direito humano fundamental para o desenvolvimento local e de todos os envolvidos, cumprindo assim uma das metas dos “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”.

Fonte: Unesco. Disponível em <http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/social-and-human-sciences/human-rights/gender-equality/> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Sobre estereótipos de gênero cultural e historicamente construídos que tem orientado as ações de indivíduos e comunidade nos tempos atuais reforçando preconceitos e desigualdades.

Fonte: Nova Escola. Disponível em <https://novaescola.org.br/conteudo/7889/igualdade-de-genero> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Reportagem sobre a influência do preconceito e da desigualdade de gênero no universo do trabalho.

Fonte: G1. Disponível em <https://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/rapaz-trabalha-como-diarista-ha-7-anos-no-es-e-diz-que-nao-se-importa-com-preconceito.ghtml> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Pesquisa DataFolha sobre os índices de pessoas que já sofreram algum tipo de preconceito ou discriminação.

Fonte: G1. Disponível em <https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/01/16/datafolha-30-dos-brasileiros-dizem-ter-sofrido-preconceito-por-causa-da-classe-social.ghtml>

Acesso em 09 de março de 2019

Sobre a percepção das crianças diante de atos injustos baseados no gênero.

Fonte: Youtube. “Dia da mulher: crianças percebem a desigualdade?” Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=2S3XPlPfspA&t=10s> Acesso em 23 de janeiro de 2018.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Projete ou escreva no quadro e leia o objetivo da aula para os alunos.

Em seguida, explore as palavras retirando as possíveis dúvidas.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Otimize o tempo de aula já deixando organizada a turma em duplas.

Ao iniciar a aula apresente a fotografia e deixe que as crianças se expressem. É possível facilitar com perguntas e enriquecer o debate de modo que mantenha o percurso alinhado com o objetivo.

Mostre a imagem e diga às crianças que deverão verificar imaginar se a pessoa que está nesta fotografia é homem ou mulher. O que seria mais comum? O que mais vemos nas notícias, jornais? Estabeleça e deixe claro a importância de cada um ter uma opinião própria. Peça que levantem a mão aqueles que acreditam ser um homem e aqueles que acreditam ser uma mulher. Anote no quadro a quantidade e somente após inicie as perguntas e percurso que contextualizam a aula.

  • O que vemos na fotografia?
  • Estas fotografias são claras quanto à quem participa delas ou deixam dúvida?
  • Quando pensamos em alguém jogando futebol, ou levantando peso, o que imaginamos normalmente? Homens ou mulheres?
  • Você conhece alguém que jogue futebol ou consiga levantar peso assim? Já viu alguém da cidade, na escola ou na televisão?
  • Se não vemos, significa que não existem? Ou que não podem fazê-lo?
  • Temos um time em nossa cidade? Temos times de qual esporte?
  • Em nossa escola, quais esportes as crianças praticam? Quais são os preferidos?
  • Todos podem participar dos esportes em nossa escola?

Deixe que se expressem, dialoguem sobre. Pergunte a eles sobre esportes e trabalhos que podemos inferir que são relacionados ao gênero masculino e sobre esportes e trabalhos que podemos inferir que são relacionados ao gênero feminino. Faça uma lista com os esportes e trabalho citados pelas crianças.

  • É comum vermos mulheres pilotando carros de F1? E homens em aulas de balé?
  • É comum vermos homens executando tarefas domésticas como: lavar roupa, cozinhar, limpar o pó?
  • E mulheres consertando carro?
  • Como é na sua casa?

Aqui na nossa escola temos mais professores ou professoras? Para crianças pequenas existem professores ou professoras? Pode ser os dois?

Vamos olhar nossa lista, será que isto faz parte da realidade? Será que existe todas as pessoas são tratadas de modo igual? Você já viu uma fotografia de pessoas da cidade fazendo esportes?

É desnecessário neste momento chegarem a alguma conclusão, o importante é que identifiquem na realidade que existe o hábito de separar ações, afazeres, profissões por características como gênero, idade e outros aspectos estabelecidos socialmente.

Como adequar à sua realidade: Leve notícias, reportagens, fotografias e/ou outras informações sobre o time da cidade ou algum (alguma) esportista da região. É possível substituir as imagens do slide pela imagem da pessoa de sua região sem que ela apareça totalmente e sendo revelada posterior ao debate.

Para você saber mais:

Sobre estereótipos de gênero cultural e historicamente construídos que tem orientado as ações de indivíduos e comunidade nos tempos atuais reforçando preconceitos e desigualdades.

Fonte: Nova Escola. Disponível em <https://novaescola.org.br/conteudo/7889/igualdade-de-genero> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Converse com as crianças sobre a fotografia, o que está acontecendo, quem está envolvido, se é uma fotografia antiga ou atual e o que indica isto. Explore que a fotografia pode registrar objetos, pessoas e momentos. E assim as pessoas podem visualizar melhor algo, mesmo que já tenha se passado algum tempo. A fotografia é um importante recurso para a história.

Explore com as crianças a fotografia deste evento esportivo.

  • O que vemos na fotografia?
  • O que na fotografia indica que é um evento ou competição esportiva?
  • Vocês já viram pessoas fortes? Como elas são?
  • Acontecem competições esportivas em nossa cidade? Quem participa mais delas? Homens ou mulheres?
  • Esta pessoa… é homem ou mulher? O que acha? Por quê?
  • Você já viu em algum lugar homens que levantem peso?
  • E mulheres?
  • Observe atentamente a imagem e lembre-se do objetivo de nossa aula. Seria mais comum vermos notícias e fotografias de homens ou de mulheres nesta situação?

Leia o texto abaixo sobre esta atleta (da fotografia) chamada Jang Mi-ran, ela é uma halterofilista sul-coreana.

“Nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, levantou 140 kg no arranque (foi recorde mundial) e 183 kg no arremesso em sua segunda tentativa, superando o recorde antigo por Tang em 0,5 kg, já 323 no total combinado (novo recorde mundial) e em sua terceira tentativa no arremesso 186 kg, logo 326 no total combinado, superando seus próprios recordes. Também foram recordes olímpicos da categoria. Ela ficou com o ouro olímpico dessa vez, 49 kg a mais do que a segunda colocada, a ucraniana Olha Korobka.”

Fonte: Wikipedia. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Jang_Mi-ran> Acesso em 26 de janeiro de 2019

Pergunte às crianças se era o que imaginaram no começo.

  • O que este registro histórico demonstra para nós?
  • Será que homens podem fazer algo que mulheres fazem e o contrário também pode acontecer?
  • Por que as fotografias, reportagens, registros não mostram isto? Por que é difícil encontrar informações de grupos sociais fazendo algo que não parece comum?

Explore com as crianças a importância da equidade no território local, seja em casa, na escola ou na cidade, de que todas as pessoas possuem habilidades e que estas podem colaborar independente de ser homem ou mulher. Dialogue com as crianças sobre a importância de olhar para os documentos, para as notícias, para as brincadeiras sempre se perguntando se todos podem e estão participando, olhar de modo crítico lembrando que pode ocorrer de ter uma fotografia de time de futebol masculino mas que isto é um recorte, uma parte da realidade que foi registrada pois pode também ter times de futebol feminino, por exemplo. Desta forma, desenvolva conteúdos socioemocionais e o aprendizado em direitos humanos relacionados com a igualdade social.

  • Todas as pessoas são representadas?
  • Será que temos que acreditar e aprender que apenas um grupo pode fazer algo?
  • Como mudamos esta história?
  • É possível comunicar novos registros que favoreçam um aprendizado que olhe para a igualdade entre as pessoas e grupos sociais?

Importante que as crianças possam dialogar sobre isto e cheguem à conclusão de que é preciso olhar criticamente um registro, verificando nele não apenas uma verdade mas apenas uma parte de todo um contexto que pode integrar outras pessoas e grupos.

Como adequar à sua realidade: Destaque um esportista local, inclusive entre os próprios estudantes. Jogos escolares e locais podem trazer informações para adequar à realidade, com pessoas próximas da cidade e região. Utilize imagem do mesmo e informações sobre.

Para você saber mais:

Pesquisa DataFolha sobre os índices de pessoas que já sofreram algum tipo de preconceito ou discriminação.

Fonte: G1. Disponível em <https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/01/16/datafolha-30-dos-brasileiros-dizem-ter-sofrido-preconceito-por-causa-da-classe-social.ghtml> Acesso em 09 de março de 2019

Sobre a percepção das crianças diante de atos injustos baseados no gênero.

“Dia da mulher: crianças percebem a desigualdade?”. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=2S3XPlPfspA&t=10s> Acesso em 23 de janeiro de 2018.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Considerando que tudo o que temos na história colabora com nosso aprendizado, facilite este processo junto às crianças, de reflexão e da importância de se aprender com a História. Que registros de diferentes grupos sociais, de pessoas realizando atividades diferentes podem contribuir com a percepção da diversidade e com a igualdade social favorecendo o respeito e incentivando as pessoas a fazerem o que gostam e sabem fazer.

Todas as pessoas são representadas? Como mudamos esta história? É possível comunicar novos registros que favoreçam um aprendizado que olhe para a igualdade entre mulheres e homens?

Partindo destes questionamentos peça às crianças que componham coletivamente um mural. Utilize o material complementar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/d8rbnMrz7HNYZGZCK8DwXCgzDsPgHczGUgBE54y2hHJ6nYfMm6t4wX9jWc39/his3-02und01-sistematizacao-imagens-para-compor-o-mural.pdf

Peça para que colem as fotografias, façam legendas e produzam um breve texto coletivo com professor escriba sobre o tema da aula.

  • Se fizermos um mural que mostre que mulheres podem jogar futebol e que os homens podem lavar louça vamos contribuir com registro e equiparação dos papéis sociais e inclusão de todos. Pessoas que verem este registro poderão aprender e rever seus pensamentos sobre.

Fonte 1: Wikipedia. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Marta_(futebolista)> Acesso em 26 de janeiro de 2019

Fonte 2: Wikipedia. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Neymar#/media/File:Neymar_Junior_the_Future_of_Brazil_2.jpg> Acesso em 26 de janeiro de 2019

Como adequar à sua realidade: Este mural não será finalizado nesta aula, mas poderá ser complementado sempre que as crianças encontrarem uma imagem ou informação que rompa com estereótipos e favoreça o olhar respeitoso e igualitário. É possível também compor com fotografias da própria realidade local, pais, mães, funcionários, crianças, membros da comunidade. Importante compor este mural com registros locais, contemplando assim o objetivo da aula.

Para que possam ter exemplos ainda mais concretos com as pessoas em seus próprios lugares de fala, desfazendo de crenças e empoderando a diversidade e igualdade através do registro do vídeo, da reportagem:

Fonte: G1. Disponível em <https://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/rapaz-trabalha-como-diarista-ha-7-anos-no-es-e-diz-que-nao-se-importa-com-preconceito.ghtml> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Reforce a importância de registros, seja através da música, de documentos escritos, imagens, vídeos ou de relatos orais, assim como eles irão fazer no mural. De modo que o conhecimento destes grupos sociais e destas realidades sejam expressas em sociedade.

Para você saber mais:

Reportagem sobre a influência do preconceito e da desigualdade de gênero no universo do trabalho.

Fonte: G1 Disponível em <https://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/rapaz-trabalha-como-diarista-ha-7-anos-no-es-e-diz-que-nao-se-importa-com-preconceito.ghtml> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Sobre a igualdade de gênero como direito humano fundamental para o desenvolvimento local e de todos os envolvidos, cumprindo assim uma das metas dos “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”.

Fonte: Unesco. Disponível em <http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/social-and-human-sciences/human-rights/gender-equality/> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF03HI02 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Projetor, quadro, papel Kraft ou cartolinas, canetinhas, lápis comum, borracha, tesoura, cola, cópias dos materiais complementares e materiais do uso diário das crianças.

Material complementar:

Para a sistematização, imagens para compor o mural

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/d8rbnMrz7HNYZGZCK8DwXCgzDsPgHczGUgBE54y2hHJ6nYfMm6t4wX9jWc39/his3-02und01-sistematizacao-imagens-para-compor-o-mural.pdf

Para você saber mais:

Sobre a igualdade de gênero como direito humano fundamental para o desenvolvimento local e de todos os envolvidos, cumprindo assim uma das metas dos “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”.

Fonte: Unesco. Disponível em <http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/social-and-human-sciences/human-rights/gender-equality/> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Sobre estereótipos de gênero cultural e historicamente construídos que tem orientado as ações de indivíduos e comunidade nos tempos atuais reforçando preconceitos e desigualdades.

Fonte: Nova Escola. Disponível em <https://novaescola.org.br/conteudo/7889/igualdade-de-genero> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Reportagem sobre a influência do preconceito e da desigualdade de gênero no universo do trabalho.

Fonte: G1. Disponível em <https://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/rapaz-trabalha-como-diarista-ha-7-anos-no-es-e-diz-que-nao-se-importa-com-preconceito.ghtml> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Pesquisa DataFolha sobre os índices de pessoas que já sofreram algum tipo de preconceito ou discriminação.

Fonte: G1. Disponível em <https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/01/16/datafolha-30-dos-brasileiros-dizem-ter-sofrido-preconceito-por-causa-da-classe-social.ghtml>

Acesso em 09 de março de 2019

Sobre a percepção das crianças diante de atos injustos baseados no gênero.

Fonte: Youtube. “Dia da mulher: crianças percebem a desigualdade?” Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=2S3XPlPfspA&t=10s> Acesso em 23 de janeiro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Projete ou escreva no quadro e leia o objetivo da aula para os alunos.

Em seguida, explore as palavras retirando as possíveis dúvidas.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Otimize o tempo de aula já deixando organizada a turma em duplas.

Ao iniciar a aula apresente a fotografia e deixe que as crianças se expressem. É possível facilitar com perguntas e enriquecer o debate de modo que mantenha o percurso alinhado com o objetivo.

Mostre a imagem e diga às crianças que deverão verificar imaginar se a pessoa que está nesta fotografia é homem ou mulher. O que seria mais comum? O que mais vemos nas notícias, jornais? Estabeleça e deixe claro a importância de cada um ter uma opinião própria. Peça que levantem a mão aqueles que acreditam ser um homem e aqueles que acreditam ser uma mulher. Anote no quadro a quantidade e somente após inicie as perguntas e percurso que contextualizam a aula.

  • O que vemos na fotografia?
  • Estas fotografias são claras quanto à quem participa delas ou deixam dúvida?
  • Quando pensamos em alguém jogando futebol, ou levantando peso, o que imaginamos normalmente? Homens ou mulheres?
  • Você conhece alguém que jogue futebol ou consiga levantar peso assim? Já viu alguém da cidade, na escola ou na televisão?
  • Se não vemos, significa que não existem? Ou que não podem fazê-lo?
  • Temos um time em nossa cidade? Temos times de qual esporte?
  • Em nossa escola, quais esportes as crianças praticam? Quais são os preferidos?
  • Todos podem participar dos esportes em nossa escola?

Deixe que se expressem, dialoguem sobre. Pergunte a eles sobre esportes e trabalhos que podemos inferir que são relacionados ao gênero masculino e sobre esportes e trabalhos que podemos inferir que são relacionados ao gênero feminino. Faça uma lista com os esportes e trabalho citados pelas crianças.

  • É comum vermos mulheres pilotando carros de F1? E homens em aulas de balé?
  • É comum vermos homens executando tarefas domésticas como: lavar roupa, cozinhar, limpar o pó?
  • E mulheres consertando carro?
  • Como é na sua casa?

Aqui na nossa escola temos mais professores ou professoras? Para crianças pequenas existem professores ou professoras? Pode ser os dois?

Vamos olhar nossa lista, será que isto faz parte da realidade? Será que existe todas as pessoas são tratadas de modo igual? Você já viu uma fotografia de pessoas da cidade fazendo esportes?

É desnecessário neste momento chegarem a alguma conclusão, o importante é que identifiquem na realidade que existe o hábito de separar ações, afazeres, profissões por características como gênero, idade e outros aspectos estabelecidos socialmente.

Como adequar à sua realidade: Leve notícias, reportagens, fotografias e/ou outras informações sobre o time da cidade ou algum (alguma) esportista da região. É possível substituir as imagens do slide pela imagem da pessoa de sua região sem que ela apareça totalmente e sendo revelada posterior ao debate.

Para você saber mais:

Sobre estereótipos de gênero cultural e historicamente construídos que tem orientado as ações de indivíduos e comunidade nos tempos atuais reforçando preconceitos e desigualdades.

Fonte: Nova Escola. Disponível em <https://novaescola.org.br/conteudo/7889/igualdade-de-genero> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Converse com as crianças sobre a fotografia, o que está acontecendo, quem está envolvido, se é uma fotografia antiga ou atual e o que indica isto. Explore que a fotografia pode registrar objetos, pessoas e momentos. E assim as pessoas podem visualizar melhor algo, mesmo que já tenha se passado algum tempo. A fotografia é um importante recurso para a história.

Explore com as crianças a fotografia deste evento esportivo.

  • O que vemos na fotografia?
  • O que na fotografia indica que é um evento ou competição esportiva?
  • Vocês já viram pessoas fortes? Como elas são?
  • Acontecem competições esportivas em nossa cidade? Quem participa mais delas? Homens ou mulheres?
  • Esta pessoa… é homem ou mulher? O que acha? Por quê?
  • Você já viu em algum lugar homens que levantem peso?
  • E mulheres?
  • Observe atentamente a imagem e lembre-se do objetivo de nossa aula. Seria mais comum vermos notícias e fotografias de homens ou de mulheres nesta situação?

Leia o texto abaixo sobre esta atleta (da fotografia) chamada Jang Mi-ran, ela é uma halterofilista sul-coreana.

“Nos Jogos Olímpicos de Pequim 2008, levantou 140 kg no arranque (foi recorde mundial) e 183 kg no arremesso em sua segunda tentativa, superando o recorde antigo por Tang em 0,5 kg, já 323 no total combinado (novo recorde mundial) e em sua terceira tentativa no arremesso 186 kg, logo 326 no total combinado, superando seus próprios recordes. Também foram recordes olímpicos da categoria. Ela ficou com o ouro olímpico dessa vez, 49 kg a mais do que a segunda colocada, a ucraniana Olha Korobka.”

Fonte: Wikipedia. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Jang_Mi-ran> Acesso em 26 de janeiro de 2019

Pergunte às crianças se era o que imaginaram no começo.

  • O que este registro histórico demonstra para nós?
  • Será que homens podem fazer algo que mulheres fazem e o contrário também pode acontecer?
  • Por que as fotografias, reportagens, registros não mostram isto? Por que é difícil encontrar informações de grupos sociais fazendo algo que não parece comum?

Explore com as crianças a importância da equidade no território local, seja em casa, na escola ou na cidade, de que todas as pessoas possuem habilidades e que estas podem colaborar independente de ser homem ou mulher. Dialogue com as crianças sobre a importância de olhar para os documentos, para as notícias, para as brincadeiras sempre se perguntando se todos podem e estão participando, olhar de modo crítico lembrando que pode ocorrer de ter uma fotografia de time de futebol masculino mas que isto é um recorte, uma parte da realidade que foi registrada pois pode também ter times de futebol feminino, por exemplo. Desta forma, desenvolva conteúdos socioemocionais e o aprendizado em direitos humanos relacionados com a igualdade social.

  • Todas as pessoas são representadas?
  • Será que temos que acreditar e aprender que apenas um grupo pode fazer algo?
  • Como mudamos esta história?
  • É possível comunicar novos registros que favoreçam um aprendizado que olhe para a igualdade entre as pessoas e grupos sociais?

Importante que as crianças possam dialogar sobre isto e cheguem à conclusão de que é preciso olhar criticamente um registro, verificando nele não apenas uma verdade mas apenas uma parte de todo um contexto que pode integrar outras pessoas e grupos.

Como adequar à sua realidade: Destaque um esportista local, inclusive entre os próprios estudantes. Jogos escolares e locais podem trazer informações para adequar à realidade, com pessoas próximas da cidade e região. Utilize imagem do mesmo e informações sobre.

Para você saber mais:

Pesquisa DataFolha sobre os índices de pessoas que já sofreram algum tipo de preconceito ou discriminação.

Fonte: G1. Disponível em <https://g1.globo.com/politica/noticia/2019/01/16/datafolha-30-dos-brasileiros-dizem-ter-sofrido-preconceito-por-causa-da-classe-social.ghtml> Acesso em 09 de março de 2019

Sobre a percepção das crianças diante de atos injustos baseados no gênero.

“Dia da mulher: crianças percebem a desigualdade?”. Disponível em <https://www.youtube.com/watch?v=2S3XPlPfspA&t=10s> Acesso em 23 de janeiro de 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Considerando que tudo o que temos na história colabora com nosso aprendizado, facilite este processo junto às crianças, de reflexão e da importância de se aprender com a História. Que registros de diferentes grupos sociais, de pessoas realizando atividades diferentes podem contribuir com a percepção da diversidade e com a igualdade social favorecendo o respeito e incentivando as pessoas a fazerem o que gostam e sabem fazer.

Todas as pessoas são representadas? Como mudamos esta história? É possível comunicar novos registros que favoreçam um aprendizado que olhe para a igualdade entre mulheres e homens?

Partindo destes questionamentos peça às crianças que componham coletivamente um mural. Utilize o material complementar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/d8rbnMrz7HNYZGZCK8DwXCgzDsPgHczGUgBE54y2hHJ6nYfMm6t4wX9jWc39/his3-02und01-sistematizacao-imagens-para-compor-o-mural.pdf

Peça para que colem as fotografias, façam legendas e produzam um breve texto coletivo com professor escriba sobre o tema da aula.

  • Se fizermos um mural que mostre que mulheres podem jogar futebol e que os homens podem lavar louça vamos contribuir com registro e equiparação dos papéis sociais e inclusão de todos. Pessoas que verem este registro poderão aprender e rever seus pensamentos sobre.

Fonte 1: Wikipedia. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Marta_(futebolista)> Acesso em 26 de janeiro de 2019

Fonte 2: Wikipedia. Disponível em <https://pt.wikipedia.org/wiki/Neymar#/media/File:Neymar_Junior_the_Future_of_Brazil_2.jpg> Acesso em 26 de janeiro de 2019

Como adequar à sua realidade: Este mural não será finalizado nesta aula, mas poderá ser complementado sempre que as crianças encontrarem uma imagem ou informação que rompa com estereótipos e favoreça o olhar respeitoso e igualitário. É possível também compor com fotografias da própria realidade local, pais, mães, funcionários, crianças, membros da comunidade. Importante compor este mural com registros locais, contemplando assim o objetivo da aula.

Para que possam ter exemplos ainda mais concretos com as pessoas em seus próprios lugares de fala, desfazendo de crenças e empoderando a diversidade e igualdade através do registro do vídeo, da reportagem:

Fonte: G1. Disponível em <https://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/rapaz-trabalha-como-diarista-ha-7-anos-no-es-e-diz-que-nao-se-importa-com-preconceito.ghtml> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Reforce a importância de registros, seja através da música, de documentos escritos, imagens, vídeos ou de relatos orais, assim como eles irão fazer no mural. De modo que o conhecimento destes grupos sociais e destas realidades sejam expressas em sociedade.

Para você saber mais:

Reportagem sobre a influência do preconceito e da desigualdade de gênero no universo do trabalho.

Fonte: G1 Disponível em <https://g1.globo.com/espirito-santo/noticia/rapaz-trabalha-como-diarista-ha-7-anos-no-es-e-diz-que-nao-se-importa-com-preconceito.ghtml> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Sobre a igualdade de gênero como direito humano fundamental para o desenvolvimento local e de todos os envolvidos, cumprindo assim uma das metas dos “Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”.

Fonte: Unesco. Disponível em <http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/social-and-human-sciences/human-rights/gender-equality/> Acesso em 28 de janeiro de 2019

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE As pessoas e os grupos que compõem a cidade e o município do 3º ano :

3º ano / História / As pessoas e os grupos que compõem a cidade e o município

MAIS AULAS DE História do 3º ano:

3º ano / História / As pessoas e os grupos que compõem a cidade e o município

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF03HI02 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano