16503
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 9º ano > O sujeito e seu lugar no mundo

Plano de aula - Os conflitos entre as transnacionais e os Estados nacionais no processo da globalização

Plano de aula de Geografia com atividades para 9º ano do Fundamental sobre compreender o jogo político e de poder das empresas transnacionais com os Estados no processo da globalização.

Plano 04 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Cristiano Da Cruz Sena

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade (EF09GE02) de Geografia, que consta na BNCC. O objeto do conhecimento são as corporações e os organismo internacionais e a habilidade tem como principais pontos analisar a atuação das corporações internacionais e das organizações econômicas mundiais na vida da população em relação ao consumo, à cultura e à mobilidade. Dessa forma, sugerimos a utilização de pequenos vídeos, mapas,charges e trechos e a leitura crítica de reportagens jornalísticas, para o enriquecimento e ilustração do tema da aula. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. Ademais esta habilidade está relacionada com diversas outras, como por exemplo EF09GE05 que tem como objeto de conhecimento a Integração mundial e suas interpretações: globalização e mundialização e tem como habilidades a ser desenvolvidas a capacidade de analisar fatos e situações para compreender a integração mundial (econômica, política e cultural), comparando as diferentes interpretações: globalização e mundialização. Ainda podemos citar a EF09GE11 que tem como objeto de conhecimento às transformações do espaço na sociedade urbano-industrial e define como prioridade as habilidade de relacionar as mudanças técnicas e científicas decorrentes do processo de industrialização com as transformações no trabalho em diferentes regiões do mundo e suas consequências no Brasil. Esse conjunto de interconexões podem ser utilizadas para enriquecer o trabalho em sala de aula.

Materiais necessários: Lápis, caneta e borracha.

Material complementar:

Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ucqmVjnhMmNyffrSz8FPbsKnmFstp6D6cMTj2NPjAu8ZXvemTFw4xxcBdVeK/geo9-02und04-contextualizacao-manchetes-de-jornais.pdf

Problematização - Fabricação em Escala Global do Boeing 787: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/TXAPbmU9pAqQKZjkvYTftuZBMNkufYKxDxjQKM4sAtGjd4zURCusCtKFNT9w/geo9-02und04-problematizacao-fabricacao-em-escala-global-do-boeing-787.pdf

Para você saber mais:

Este plano terá foco na atuação de empresas transnacionais dentro do fenômeno da globalização, principalmente dentro do contexto brasileiro. Empresas transnacionais são grandes conglomerados mercantis que expandiram suas ações para além das suas fronteiras originais. Em grande medida, essas empresas são originárias dos países do capitalismo central (países ricos) que a partir da expansão industrial, principalmente a partir da década de 1970 com a melhoria das telecomunicações e dos transportes começaram a fazer investimentos para fora de suas fronteiras, principalmente em países de industrialização tardia (países pobres).

Segundo A conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento e Comércio em 2010: a Empresa Transnacional é geralmente considerada como uma empresa que compreende as entidades em mais de um país que operam sob um sistema de tomada de decisão que permite políticas coerentes e de uma estratégia comum. As entidades são tão ligadas, por posse ou não, que uma ou mais delas podem ser capazes de exercer uma influência significativa sobre os outros e, em particular, partilhar conhecimentos, recursos e responsabilidades com os outros.

Em um enfoque mais crítico, o geógrafo, Milton Santos (1982) afirma que as transnacionais são instrumentos de acumulação de riquezas que têm dois objetivos, o primeiro deles é a exploração da força de trabalho em países periféricos para produzir com um custo menor, para a maximização dos lucros obtidos pela exportação das mercadorias para países ricos. Já o segundo é elevar as taxas de juros, que desceram a um patamar muito crítico, em países que são centrais no sistema capitalista.

Sendo assim, os conflitos entre interesses dos Estados e das transnacionais, em algumas situações, entram em conflito.

Esse plano irá trabalhar esse enfoque mais crítico em relação às empresas transnacionais.

Selecionamos alguns textos e obras caso queira aprofundar sobre o assunto:

CAULYT, Fernando. Por que a Boeing quer a Embraer? Deustch Welle. Disponível em: <https://p.dw.com/p/2tCzX>. Acesso em: 10 jan. 2019

FRANCISCO, Wagner de Cerqueira e. Empresas Transnacionais. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/empresas-transnacionais.htm>. Acesso em: 14 jan 2019.

____________. Transnacionais brasileiras. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/brasil/as-transnacionais-brasileiras.htm>. Acesso em: 14 jan 2019.

FURTADO, Celso. Estado e empresas transnacionais na industrialização periférica. Revista de economia política, v. 1, n. 1, p. 41-49, 1981.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Império. Rio de janeiro: Record, 2001. p. 319.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. Rio de Janeiro: Edições Loyola, 1992.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Rio de janeiro: Record, 2000.

____________. Pensando o espaço do homem. São Paulo: Edusp, 2004.

Contextos prévios: Para o aluno tirar o máximo proveito deste plano de aula é fundamental que ele já tenha conhecimentos sobre o processo da globalização e sobre as Revoluções Industriais, principalmente sobre a 3° Revolução Industrial, também conhecida como meio técnico-científico informacional.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Projete ou escreva o tema da aula no quadro.

Como adequar à sua realidade: As empresas transnacionais estão em todos os lugares, tente reconhecer alguma destas na sua região para tornar o conteúdo mais factível para para seu aluno.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Exiba ou imprima para os alunos às manchetes. Após a exibição das manchetes, projete ou escreva no quadro às perguntas:

  • O que às manchetes jornalísticas expressam?
  • Existe um conflito de interesses envolvendo a transnacional Coca Cola e o governo brasileiro?

A partir dessas perguntas deve-se fazer um pequeno brainstorming ou chuva de ideias com os alunos em sala de aula. É importante que se tente engajar a maioria dos alunos para a participação massiva de todos.

  • O Brainstorming é o nome de uma técnica individual ou em grupo em que são realizadas exercícios mentais para a resolução de um problema, no nosso caso, iremos levantar várias hipóteses para responder os nossos questionamentos. Principalmente o porquê do conflito entre a Coca Cola e o governo brasileiro. É importante mencionar que para essa técnica ser bem sucedida nenhuma proposta deve ser censurada, ademais, outras perguntas podem surgir em meio às discussões.

Material complementar:

Link para o material Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ucqmVjnhMmNyffrSz8FPbsKnmFstp6D6cMTj2NPjAu8ZXvemTFw4xxcBdVeK/geo9-02und04-contextualizacao-manchetes-de-jornais.pdf

Para você saber mais: Ambas as reportagens mostram a pressão que o governo federal brasileiro recebeu da transnacional Coca Cola, após a decisão do executivo de retirar incentivos fiscais recebidos pela empresa. Esses incentivos estavam destinados para as empresas que se localizam no Pólo da Zona Franca de Manaus. Para conseguir ter novamente às isenções fiscais a empresa ameaçou a deixar a região de Manaus, o que acarretaria uma demissão de aproximadamente 15 mil funcionários, o que deixaria o governo federal ainda mais desgastado. Grandes empresas transnacionais adotam essas medidas como chantagem, frente a vários governos para conseguir manter os seus interesses.

As reportagens estão disponíveis nos links abaixo:

DESIDÉRIO, Mariana. Por que a Coca-Cola colocou Temer na parede. Revista Exame. Disponível em: <https://exame.abril.com.br/negocios/por-que-a-coca-cola-colocou-temer-na-parede-e-ameaca-sair-do-brasil/>. Acesso em: 14 jan. 2019.

WIZIACK, Julio; PRADO, Maeli. Coca-Cola ameaça deixar Brasil se não recuperar subsídio na Zona Franca. Folha de S. Paulo. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/08/coca-cola-ameaca-deixar-brasil-se-nao-recuperar-subsidio-na-zona-franca.shtml>. Acesso em: 14 jan. 2019.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Exiba ou imprima para os alunos às manchetes. Após a exibição das manchetes, projete ou escreva no quadro às perguntas:

  • O que às manchetes jornalísticas expressam?
  • Existe um conflito de interesses envolvendo a transnacional Coca Cola e o governo brasileiro?

A partir dessas perguntas deve-se fazer um pequeno brainstorming ou chuva de ideias com os alunos em sala de aula. É importante que se tente engajar a maioria dos alunos para a participação massiva de todos.

  • O Brainstorming é o nome de uma técnica individual ou em grupo em que são realizadas exercícios mentais para a resolução de um problema, no nosso caso, iremos levantar várias hipóteses para responder os nossos questionamentos. Principalmente o porquê do conflito entre a Coca Cola e o governo brasileiro. É importante mencionar que para essa técnica ser bem sucedida nenhuma proposta deve ser censurada, ademais, outras perguntas podem surgir em meio às discussões.

Material complementar:

Link para o material Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ucqmVjnhMmNyffrSz8FPbsKnmFstp6D6cMTj2NPjAu8ZXvemTFw4xxcBdVeK/geo9-02und04-contextualizacao-manchetes-de-jornais.pdf

Para você saber mais: Ambas as reportagens mostram a pressão que o governo federal brasileiro recebeu da transnacional Coca Cola, após a decisão do executivo de retirar incentivos fiscais recebidos pela empresa. Esses incentivos estavam destinados para as empresas que se localizam no Pólo da Zona Franca de Manaus. Para conseguir ter novamente às isenções fiscais a empresa ameaçou a deixar a região de Manaus, o que acarretaria uma demissão de aproximadamente 15 mil funcionários, o que deixaria o governo federal ainda mais desgastado. Grandes empresas transnacionais adotam essas medidas como chantagem, frente a vários governos para conseguir manter os seus interesses.

As reportagens estão disponíveis nos links abaixo:

DESIDÉRIO, Mariana. Por que a Coca-Cola colocou Temer na parede. Revista Exame. Disponível em: <https://exame.abril.com.br/negocios/por-que-a-coca-cola-colocou-temer-na-parede-e-ameaca-sair-do-brasil/>. Acesso em: 14 jan. 2019.

WIZIACK, Julio; PRADO, Maeli. Coca-Cola ameaça deixar Brasil se não recuperar subsídio na Zona Franca. Folha de S. Paulo. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/08/coca-cola-ameaca-deixar-brasil-se-nao-recuperar-subsidio-na-zona-franca.shtml>. Acesso em: 14 jan. 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações: Projete a ilustração ou entregue impresso a ilustração para os alunos. Após dois minutos para análise da imagem, abra uma pequena discussão em sala tendo como fio condutor a pergunta expressa no slide:

  • O que faz a Boeing (empresa construtora de aeronaves estadunidense) comprar peças de terceirizadas em diversas países ao redor do mundo?

Os alunos que já tiveram os conteúdos do processo da globalização e de comércio internacional, poderão deduzir alguns elementos, tais como:

  • Custo menor das empresas com essa estratégia de contratação de terceirizadas;
  • Em alguns casos, produtos de melhor qualidade, devido a especialização de determinadas empresas.

Você pode dar o exemplo da empresa brasileira Embraer que produz uma peça de grande importância para aviões militares da própria Boeing.

Fabricação em Escala Global do Boeing 787: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/TXAPbmU9pAqQKZjkvYTftuZBMNkufYKxDxjQKM4sAtGjd4zURCusCtKFNT9w/geo9-02und04-problematizacao-fabricacao-em-escala-global-do-boeing-787.pdf

Para você saber mais:

A estadunidense Boeing é uma das maiores empresas de construção e venda de de aeronaves do mundo, apesar de sua sede e de montagem dos aviões ser nos EUA, grande parte das peças de seus aviões são produzidas por outras empresas ao redor do mundo, como mostrado na ilustração. Essas empresas são chamadas de terceirizadas, esse tipo de procedimento foi adotado pelas transnacionais, uma vez que o custo de produção é menor quando se compra determinadas peças de terceiros. Ademais, em diversos casos, essas empresas terceirizadas detém o know how e conseguem produzir aquela determinada peça com uma qualidade maior e por um preço menor. Dessa forma, várias empresas adotam essa estratégia.

Esse tipo de processo só foi possível graças ao desenvolvimento dos transportes e das telecomunicações, segundo Harvey (1989) houve uma “compressão espaço-temporal” ou o encurtamento das distâncias devido ao desenvolvimento tecnológico nessas áreas.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Entregue impresso aos alunos (essa etapa pode ser individual ou duplas) a reportagem: Porque a Boeing quer a Embraer, publicada pela pelo portal online da DW. Após a leitura da reportagem peça aos alunos para construir em quadro de prós e contras da venda da empresa brasileira para a gigante transnacional Boeing. Se possível, peça aos alunos para fazer essa pesquisa de maneira prévia em forma de dever de casa, mas não dê detalhes da atividade que deve ser feito em sala de aula.

Algumas respostas devem ser levantadas pelos alunos:

Prós:

  • Maior competitividade da Embraer no cenário internacional
  • Possibilidade de expansão dos negócios
  • Possibilidade de maior poder de investimentos, inclusive no Brasil

Contras:

  • A Embraer é a principal produtora de equipamentos aéreo para às forças armadas brasileiras que agora estariam controladas por uma empresa estadunidense
  • transferência de atividades da empresas para os EUA causando a demissão em massa de funcionários
  • transferência e tecnologia nacional (ligado às forças aéreas) para uma empresas transnacional.

O Texto para impressão está no link abaixo:

CAULYT, Fernando. Por que a Boeing quer a Embraer? Deustch Welle. Disponível em: <https://p.dw.com/p/2tCzX>. Acesso em: 10 jan. 2019

Para você saber mais:

BONFIM, Mariana. Embraer fica com 20%, mas pode vender tudo para a Boeing a qualquer momento. Disponível em: <https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/12/17/embraer-boeing-opcao-de-venda-20.htm>. Acesso em: 10 jan. 2019.

CÔRREA, Alessandra. Embraer e Boeing: como brasileira foi da quase falência a acordo bilionário com gigante americana. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-46602895>. Acesso em: 10 jan. 2019.

Governo vai aprovar venda da Embraer, segundo a presidência. Disponivel em: <https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/01/10/acordo-boieng-embraer-golden-share-veto-governo-bolsonaro.htm> Acesso em: 10 jan. 2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Após a construção dos quadro de prós e contra da ação propositiva é hora de fechar o conteúdo. Dessa forma projete ou escreva o comando no quadro. As perguntas não necessariamente precisam ser respondidas pelos alunos, no entanto, devem gerar a reflexão e uma discussão em sala de aula sobre os conflitos de interesse que a fusão, confirmada no dia 10 de janeiro de 2019 , pode gerar.

Duas discussões tomaram grande repercussão:

i) a transferência de tecnologia brasileira para a mão da empresa estadunidense;

ii) a possibilidade de transferência de parte das operações da Embraer para outros lugares onde a Boeing opera, o que poderá gerar desemprego.

Ademais, é importante destacar como as empresas transnacionais operam no mundo, uma das estratégias de expansão é a compra de empresas que apresentam competição em mercados menores. No caso a Embraer era rival da Boeing em diversos ramos da aviação civil e, principalmente, militar.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade (EF09GE02) de Geografia, que consta na BNCC. O objeto do conhecimento são as corporações e os organismo internacionais e a habilidade tem como principais pontos analisar a atuação das corporações internacionais e das organizações econômicas mundiais na vida da população em relação ao consumo, à cultura e à mobilidade. Dessa forma, sugerimos a utilização de pequenos vídeos, mapas,charges e trechos e a leitura crítica de reportagens jornalísticas, para o enriquecimento e ilustração do tema da aula. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes. Ademais esta habilidade está relacionada com diversas outras, como por exemplo EF09GE05 que tem como objeto de conhecimento a Integração mundial e suas interpretações: globalização e mundialização e tem como habilidades a ser desenvolvidas a capacidade de analisar fatos e situações para compreender a integração mundial (econômica, política e cultural), comparando as diferentes interpretações: globalização e mundialização. Ainda podemos citar a EF09GE11 que tem como objeto de conhecimento às transformações do espaço na sociedade urbano-industrial e define como prioridade as habilidade de relacionar as mudanças técnicas e científicas decorrentes do processo de industrialização com as transformações no trabalho em diferentes regiões do mundo e suas consequências no Brasil. Esse conjunto de interconexões podem ser utilizadas para enriquecer o trabalho em sala de aula.

Materiais necessários: Lápis, caneta e borracha.

Material complementar:

Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ucqmVjnhMmNyffrSz8FPbsKnmFstp6D6cMTj2NPjAu8ZXvemTFw4xxcBdVeK/geo9-02und04-contextualizacao-manchetes-de-jornais.pdf

Problematização - Fabricação em Escala Global do Boeing 787: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/TXAPbmU9pAqQKZjkvYTftuZBMNkufYKxDxjQKM4sAtGjd4zURCusCtKFNT9w/geo9-02und04-problematizacao-fabricacao-em-escala-global-do-boeing-787.pdf

Para você saber mais:

Este plano terá foco na atuação de empresas transnacionais dentro do fenômeno da globalização, principalmente dentro do contexto brasileiro. Empresas transnacionais são grandes conglomerados mercantis que expandiram suas ações para além das suas fronteiras originais. Em grande medida, essas empresas são originárias dos países do capitalismo central (países ricos) que a partir da expansão industrial, principalmente a partir da década de 1970 com a melhoria das telecomunicações e dos transportes começaram a fazer investimentos para fora de suas fronteiras, principalmente em países de industrialização tardia (países pobres).

Segundo A conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento e Comércio em 2010: a Empresa Transnacional é geralmente considerada como uma empresa que compreende as entidades em mais de um país que operam sob um sistema de tomada de decisão que permite políticas coerentes e de uma estratégia comum. As entidades são tão ligadas, por posse ou não, que uma ou mais delas podem ser capazes de exercer uma influência significativa sobre os outros e, em particular, partilhar conhecimentos, recursos e responsabilidades com os outros.

Em um enfoque mais crítico, o geógrafo, Milton Santos (1982) afirma que as transnacionais são instrumentos de acumulação de riquezas que têm dois objetivos, o primeiro deles é a exploração da força de trabalho em países periféricos para produzir com um custo menor, para a maximização dos lucros obtidos pela exportação das mercadorias para países ricos. Já o segundo é elevar as taxas de juros, que desceram a um patamar muito crítico, em países que são centrais no sistema capitalista.

Sendo assim, os conflitos entre interesses dos Estados e das transnacionais, em algumas situações, entram em conflito.

Esse plano irá trabalhar esse enfoque mais crítico em relação às empresas transnacionais.

Selecionamos alguns textos e obras caso queira aprofundar sobre o assunto:

CAULYT, Fernando. Por que a Boeing quer a Embraer? Deustch Welle. Disponível em: <https://p.dw.com/p/2tCzX>. Acesso em: 10 jan. 2019

FRANCISCO, Wagner de Cerqueira e. Empresas Transnacionais. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/geografia/empresas-transnacionais.htm>. Acesso em: 14 jan 2019.

____________. Transnacionais brasileiras. Brasil Escola. Disponível em: <https://brasilescola.uol.com.br/brasil/as-transnacionais-brasileiras.htm>. Acesso em: 14 jan 2019.

FURTADO, Celso. Estado e empresas transnacionais na industrialização periférica. Revista de economia política, v. 1, n. 1, p. 41-49, 1981.

HARDT, Michael; NEGRI, Antonio. Império. Rio de janeiro: Record, 2001. p. 319.

HARVEY, David. Condição pós-moderna. Rio de Janeiro: Edições Loyola, 1992.

SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. Rio de janeiro: Record, 2000.

____________. Pensando o espaço do homem. São Paulo: Edusp, 2004.

Contextos prévios: Para o aluno tirar o máximo proveito deste plano de aula é fundamental que ele já tenha conhecimentos sobre o processo da globalização e sobre as Revoluções Industriais, principalmente sobre a 3° Revolução Industrial, também conhecida como meio técnico-científico informacional.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Projete ou escreva o tema da aula no quadro.

Como adequar à sua realidade: As empresas transnacionais estão em todos os lugares, tente reconhecer alguma destas na sua região para tornar o conteúdo mais factível para para seu aluno.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Exiba ou imprima para os alunos às manchetes. Após a exibição das manchetes, projete ou escreva no quadro às perguntas:

  • O que às manchetes jornalísticas expressam?
  • Existe um conflito de interesses envolvendo a transnacional Coca Cola e o governo brasileiro?

A partir dessas perguntas deve-se fazer um pequeno brainstorming ou chuva de ideias com os alunos em sala de aula. É importante que se tente engajar a maioria dos alunos para a participação massiva de todos.

  • O Brainstorming é o nome de uma técnica individual ou em grupo em que são realizadas exercícios mentais para a resolução de um problema, no nosso caso, iremos levantar várias hipóteses para responder os nossos questionamentos. Principalmente o porquê do conflito entre a Coca Cola e o governo brasileiro. É importante mencionar que para essa técnica ser bem sucedida nenhuma proposta deve ser censurada, ademais, outras perguntas podem surgir em meio às discussões.

Material complementar:

Link para o material Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ucqmVjnhMmNyffrSz8FPbsKnmFstp6D6cMTj2NPjAu8ZXvemTFw4xxcBdVeK/geo9-02und04-contextualizacao-manchetes-de-jornais.pdf

Para você saber mais: Ambas as reportagens mostram a pressão que o governo federal brasileiro recebeu da transnacional Coca Cola, após a decisão do executivo de retirar incentivos fiscais recebidos pela empresa. Esses incentivos estavam destinados para as empresas que se localizam no Pólo da Zona Franca de Manaus. Para conseguir ter novamente às isenções fiscais a empresa ameaçou a deixar a região de Manaus, o que acarretaria uma demissão de aproximadamente 15 mil funcionários, o que deixaria o governo federal ainda mais desgastado. Grandes empresas transnacionais adotam essas medidas como chantagem, frente a vários governos para conseguir manter os seus interesses.

As reportagens estão disponíveis nos links abaixo:

DESIDÉRIO, Mariana. Por que a Coca-Cola colocou Temer na parede. Revista Exame. Disponível em: <https://exame.abril.com.br/negocios/por-que-a-coca-cola-colocou-temer-na-parede-e-ameaca-sair-do-brasil/>. Acesso em: 14 jan. 2019.

WIZIACK, Julio; PRADO, Maeli. Coca-Cola ameaça deixar Brasil se não recuperar subsídio na Zona Franca. Folha de S. Paulo. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/08/coca-cola-ameaca-deixar-brasil-se-nao-recuperar-subsidio-na-zona-franca.shtml>. Acesso em: 14 jan. 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Exiba ou imprima para os alunos às manchetes. Após a exibição das manchetes, projete ou escreva no quadro às perguntas:

  • O que às manchetes jornalísticas expressam?
  • Existe um conflito de interesses envolvendo a transnacional Coca Cola e o governo brasileiro?

A partir dessas perguntas deve-se fazer um pequeno brainstorming ou chuva de ideias com os alunos em sala de aula. É importante que se tente engajar a maioria dos alunos para a participação massiva de todos.

  • O Brainstorming é o nome de uma técnica individual ou em grupo em que são realizadas exercícios mentais para a resolução de um problema, no nosso caso, iremos levantar várias hipóteses para responder os nossos questionamentos. Principalmente o porquê do conflito entre a Coca Cola e o governo brasileiro. É importante mencionar que para essa técnica ser bem sucedida nenhuma proposta deve ser censurada, ademais, outras perguntas podem surgir em meio às discussões.

Material complementar:

Link para o material Contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ucqmVjnhMmNyffrSz8FPbsKnmFstp6D6cMTj2NPjAu8ZXvemTFw4xxcBdVeK/geo9-02und04-contextualizacao-manchetes-de-jornais.pdf

Para você saber mais: Ambas as reportagens mostram a pressão que o governo federal brasileiro recebeu da transnacional Coca Cola, após a decisão do executivo de retirar incentivos fiscais recebidos pela empresa. Esses incentivos estavam destinados para as empresas que se localizam no Pólo da Zona Franca de Manaus. Para conseguir ter novamente às isenções fiscais a empresa ameaçou a deixar a região de Manaus, o que acarretaria uma demissão de aproximadamente 15 mil funcionários, o que deixaria o governo federal ainda mais desgastado. Grandes empresas transnacionais adotam essas medidas como chantagem, frente a vários governos para conseguir manter os seus interesses.

As reportagens estão disponíveis nos links abaixo:

DESIDÉRIO, Mariana. Por que a Coca-Cola colocou Temer na parede. Revista Exame. Disponível em: <https://exame.abril.com.br/negocios/por-que-a-coca-cola-colocou-temer-na-parede-e-ameaca-sair-do-brasil/>. Acesso em: 14 jan. 2019.

WIZIACK, Julio; PRADO, Maeli. Coca-Cola ameaça deixar Brasil se não recuperar subsídio na Zona Franca. Folha de S. Paulo. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/08/coca-cola-ameaca-deixar-brasil-se-nao-recuperar-subsidio-na-zona-franca.shtml>. Acesso em: 14 jan. 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos

Orientações: Projete a ilustração ou entregue impresso a ilustração para os alunos. Após dois minutos para análise da imagem, abra uma pequena discussão em sala tendo como fio condutor a pergunta expressa no slide:

  • O que faz a Boeing (empresa construtora de aeronaves estadunidense) comprar peças de terceirizadas em diversas países ao redor do mundo?

Os alunos que já tiveram os conteúdos do processo da globalização e de comércio internacional, poderão deduzir alguns elementos, tais como:

  • Custo menor das empresas com essa estratégia de contratação de terceirizadas;
  • Em alguns casos, produtos de melhor qualidade, devido a especialização de determinadas empresas.

Você pode dar o exemplo da empresa brasileira Embraer que produz uma peça de grande importância para aviões militares da própria Boeing.

Fabricação em Escala Global do Boeing 787: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/TXAPbmU9pAqQKZjkvYTftuZBMNkufYKxDxjQKM4sAtGjd4zURCusCtKFNT9w/geo9-02und04-problematizacao-fabricacao-em-escala-global-do-boeing-787.pdf

Para você saber mais:

A estadunidense Boeing é uma das maiores empresas de construção e venda de de aeronaves do mundo, apesar de sua sede e de montagem dos aviões ser nos EUA, grande parte das peças de seus aviões são produzidas por outras empresas ao redor do mundo, como mostrado na ilustração. Essas empresas são chamadas de terceirizadas, esse tipo de procedimento foi adotado pelas transnacionais, uma vez que o custo de produção é menor quando se compra determinadas peças de terceiros. Ademais, em diversos casos, essas empresas terceirizadas detém o know how e conseguem produzir aquela determinada peça com uma qualidade maior e por um preço menor. Dessa forma, várias empresas adotam essa estratégia.

Esse tipo de processo só foi possível graças ao desenvolvimento dos transportes e das telecomunicações, segundo Harvey (1989) houve uma “compressão espaço-temporal” ou o encurtamento das distâncias devido ao desenvolvimento tecnológico nessas áreas.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Entregue impresso aos alunos (essa etapa pode ser individual ou duplas) a reportagem: Porque a Boeing quer a Embraer, publicada pela pelo portal online da DW. Após a leitura da reportagem peça aos alunos para construir em quadro de prós e contras da venda da empresa brasileira para a gigante transnacional Boeing. Se possível, peça aos alunos para fazer essa pesquisa de maneira prévia em forma de dever de casa, mas não dê detalhes da atividade que deve ser feito em sala de aula.

Algumas respostas devem ser levantadas pelos alunos:

Prós:

  • Maior competitividade da Embraer no cenário internacional
  • Possibilidade de expansão dos negócios
  • Possibilidade de maior poder de investimentos, inclusive no Brasil

Contras:

  • A Embraer é a principal produtora de equipamentos aéreo para às forças armadas brasileiras que agora estariam controladas por uma empresa estadunidense
  • transferência de atividades da empresas para os EUA causando a demissão em massa de funcionários
  • transferência e tecnologia nacional (ligado às forças aéreas) para uma empresas transnacional.

O Texto para impressão está no link abaixo:

CAULYT, Fernando. Por que a Boeing quer a Embraer? Deustch Welle. Disponível em: <https://p.dw.com/p/2tCzX>. Acesso em: 10 jan. 2019

Para você saber mais:

BONFIM, Mariana. Embraer fica com 20%, mas pode vender tudo para a Boeing a qualquer momento. Disponível em: <https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/12/17/embraer-boeing-opcao-de-venda-20.htm>. Acesso em: 10 jan. 2019.

CÔRREA, Alessandra. Embraer e Boeing: como brasileira foi da quase falência a acordo bilionário com gigante americana. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/brasil-46602895>. Acesso em: 10 jan. 2019.

Governo vai aprovar venda da Embraer, segundo a presidência. Disponivel em: <https://economia.uol.com.br/noticias/redacao/2019/01/10/acordo-boieng-embraer-golden-share-veto-governo-bolsonaro.htm> Acesso em: 10 jan. 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações: Após a construção dos quadro de prós e contra da ação propositiva é hora de fechar o conteúdo. Dessa forma projete ou escreva o comando no quadro. As perguntas não necessariamente precisam ser respondidas pelos alunos, no entanto, devem gerar a reflexão e uma discussão em sala de aula sobre os conflitos de interesse que a fusão, confirmada no dia 10 de janeiro de 2019 , pode gerar.

Duas discussões tomaram grande repercussão:

i) a transferência de tecnologia brasileira para a mão da empresa estadunidense;

ii) a possibilidade de transferência de parte das operações da Embraer para outros lugares onde a Boeing opera, o que poderá gerar desemprego.

Ademais, é importante destacar como as empresas transnacionais operam no mundo, uma das estratégias de expansão é a compra de empresas que apresentam competição em mercados menores. No caso a Embraer era rival da Boeing em diversos ramos da aviação civil e, principalmente, militar.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE O sujeito e seu lugar no mundo do 9º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 9º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF09GE02 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano