16467
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 9º ano > Conexões e escalas

Plano de aula - Refugiados no continente europeu

Plano de aula de Geografia com atividades para 9º ano do Fundamental sobre identificar as origens e os motivos que levam o continente europeu a receber uma quantidade significativa de refugiados

Plano 04 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Lara D'Assunção Dos Santos

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF09GE09 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Dentro dessa habilidade, cabe analisar as características de países e grupos de países europeus em seus aspectos populacionais, econômicos, urbanos e políticos e discutir suas desigualdades sociais e econômicas. Dessa maneira, trazer à tona a discussão sobre refugiados é uma oportunidade de pensar sobre a condição deles aos longo dos séculos e trazer para próximo dos alunos o debate sobre Direitos Humanos.

A habilidade EF09GE03, por exemplo, pode ser a continuação dessa aula, pois visa defender a importância da multiculturalidade, relativizar o termo minoria e fortalecer o valor de igualdade de direitos sócio territoriais e culturais entre diferentes povos.

Materiais necessários: Papel sulfite e lápis.

Cópias das imagens apresentadas nos slides.

Material complementar: Todas as imagens estão disponíveis em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3JKBeFfyxX8M92ksdastCGSDxueEZu8YyTyedcnmAAuKwtUdQcECpAhuskQC/geo9-09und04-imagens-para-impressao.pdf

Para você saber mais:

Site do Alto Comissariado das Nações Unidas para refugiados (ACNUR): https://www.acnur.org/portugues/

O filme “Human Flow” contém belíssimas imagens feitas por drones dos deslocamentos humanos. Está disponível no youtube “filmes para alugar”.

Human Flow: Não Existe Lar se Não Há Para Onde Ir (Legendado). 2018. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=WX-EoSLBDp8>. Acesso em: 28 dez 2018.

Caso queira passar o trailer para os alunos, o link é: https://www.youtube.com/watch?v=_jO9DqVztLQ. Acesso em 12 de janeiro de 2019.

O filme “Exodus: de onde eu vim não existe mais” conta a história de seis pessoas de diferentes partes do mundo que foram forçadas a deixar seus lares e construir suas vidas sob novas e desafiadoras circunstâncias. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=EzZBMqCCdxQ. Acesso em 12 de janeiro de 2019.

O trabalho do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado denominado “Êxodos” contém um capítulo dedicado aos refugiados. São fotografias dos anos de 1980 e 1990 que ainda permanecem atuais. Você pode falar brevemente desse fotógrafo que é radicado na França desde os anos de 1970, quando saiu do Brasil por conta da repressão militar. Sobre o trabalho:

SALGADO, Sebastião. Migrations. Disponível em: <https://www.amazonasimages.com/travaux-exodes>. Acesso em: 2 jan. 2019.

O site Geografia visual elaborou um microvideo sobre a crise dos refugiados. Com pouco mais de um minuto, o vídeo traz imagens impressionantes da guerra na Síria. Disponível em:

Crise de Refugiados. 2018. (01min16seg). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?time_continue=31&v=TG3KD86rPPU>. Acesso em: 6 jan. 2019.

Número de migrantes e refugiados que chegam aos países mediterrâneos. Disponível em: <https://translate.googleusercontent.com/translate_c?depth=1&hl=pt-BR&prev=search&rurl=translate.google.com&sl=en&sp=nmt4&u=https://data2.unhcr.org/en/situations/mediterranean&xid=17259,15700019,15700124,15700186,15700191,15700201,15700237,15700242,15700248&usg=ALkJrhiR5-pdM2f1ccxLBbUdhFZsmjcQsw>. Acesso em: 2 jan. 2019.

Mapa de refugiados na Europa e grupo de voluntários. Disponível em: <https://www.google.com/maps/d/viewer?mid=1qH3FWHISW70aGQ_TUT_m43GfXgI&hl=en_US&ll=40.63362709141793%2C25.7775331792177&z=7>. Acesso em: 2 jan. 2019.

Refugiados na Europa: a crise em mapas e gráficos. BBC. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150904_graficos_imigracao_europa_rm>. Acesso em: 4 jan. 2019.

Dados sobre refúgio. Agência da ONU para refugiados. Disponível em: <https://www.acnur.org/portugues/dados-sobre-refugio/>. Acesso em: 2 jan. 2019.

Para informações atuais (2018) sobre a rota pelo Mar Mediterrâneo, acesse: https://data2.unhcr.org/en/situations/mediterranean# Acesso em 4 de janeiro de 2019.

A sigla ACNUR presente na imagem do slide 3 (contextualização) é a Agência das Nações Unidas que dá assistência a cinco milhões de refugiados da Palestina. Informações disponíveis em: http://unrwa.org.br/sobre_a_unrwa/ Acesso em 4 de janeiro de 2019.

Para saber mais sobre a Convenção de 1951 relativa ao Estatuto dos Refugiados acesse: https://www.acnur.org/fileadmin/Documentos/portugues/BDL/Convencao_relativa_ao_Estatuto_dos_Refugiados.pdf . Nesse documento eles definem o que é refugiado, as obrigações do refugiado no país que o recebe e ressalta a não-discriminação, sua situação jurídica, empregos, dentre outros.

Sobre xenofobia na Hungria: Matéria no jornal português “Diário de Notícias”:

ONU alarmada com expansão da xenofobia e racismo na Europa. Diário de Notícias. Disponível em: <https://www.dn.pt/lusa/interior/onu-alarmada-com-expansao-da-xenofobia-e-racismo-na-europa-9168597.html>. Acesso em: 14 jan. 2019.

Sobre os mapas conceituais: conceito e exemplo, respectivamente:

FICANHA, A. et al. Uso de mapa conceitual para a aprendizagem de conceitos de química na educação profissional. In: XVII Encontro Nacional de Ensino de Química. Florianópolis, 2016. Disponível em: <http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R2329-1.pdf>. Acesso em: 6 jan 2019.

GERHARDT, Carla Carine. Plano de aula: ler, em grupos, mapas conceituais de diversos estilos visuais e assuntos. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/plano-de-aula/3150/ler-em-grupos-mapas-conceituais-de-diversos-estilos-visuais-e-assuntos>. Acesso em: 6 jan. 2019.

Sobre o Pacto Global para Migração da ONU:

RODRÍGUEZ, Rafael. Saiba tudo sobre o Pacto Global para Migração. ONU News. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2018/12/1650601>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Sobre a saída do Brasil do Pacto, segundo a ONU:

NERO, Amanda. Brasil: ONU diz que é “lamentável” saída de um Estado - membro do pacto para migração. ONU News. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2019/01/1654722>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Para saber ainda mais sobre a saída do Brasil do Pacto, acesse:

BASILIO, Ana Luiza. Entenda o Pacto Global de Migrações da ONU que o Brasil deixou. Carta Capital. Disponível em: <http://www.cartaeducacao.com.br/carta-explica/entenda-o-pacto-global-de-migracoes-da-onu-que-o-brasil-deixou/>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Contextos prévios: Conceito de migração, em especial os fatores repulsivos e atrativos.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações: Nesse momento, é importante dizer aos alunos que os fluxos migratórios são constantes e cíclicos e, por isso, é uma temática sempre atual. Explique que nessa aula serão relembrados os fatores que levam à migração para que eles compreendam as diferenças existentes entre o migrante e o refugiado.

Para você saber mais:

Caso haja projetor disponível em sua escola, seria interessante passar alguns trechos do filme “Human Flow”, pois é atual e contém belíssimas imagens feitas por drone dos deslocamentos humanos. Ele está disponível no youtube filmes para alugar. Human Flow: Não Existe Lar se Não Há Para Onde Ir (Legendado). 2018. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=WX-EoSLBDp8>. Acesso em: 28 dez 2018.

Caso queira passar o trailer para os alunos, o link é: https://www.youtube.com/watch?v=_jO9DqVztLQ. Acesso em 12 de janeiro de 2019.

O trabalho do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado denominado “Êxodos” contém um capítulo dedicado aos refugiados. São fotografias dos anos de 1980 e 1990 que ainda permanecem atuais. Você pode falar brevemente desse fotógrafo que é radicado na França desde os anos de 1970, quando saiu do Brasil por conta da repressão militar. Sobre o trabalho: https://www.amazonasimages.com/travaux-exodes . Acesso em 2 de janeiro de 2019.

O site Geografia visual elaborou um pequeno vídeo sobre a crise dos refugiados. Com pouco mais de um minuto, o vídeo traz imagens impressionantes da guerra na Síria.

Crise de Refugiados. 2018. (01min16seg). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?time_continue=31&v=TG3KD86rPPU>. Acesso em: 6 jan. 2019.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Solicite que um aluno leia em voz alta as informações presentes na imagem. (Caso não haja onde projetar essa imagem na sala de aula, você pode imprimir e distribuir para os alunos, ou mesmo escrever as informações no quadro).

Em seguida, pergunte se eles têm alguma ideia da diferença entre os termos que aparecem nas imagens: “deslocados internos”, “refugiados”, “solicitantes de refúgio”.

Posteriormente, explique que os termos imigrantes e refugiados não são sinônimos. De acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), organismo criado em 1950 com o objetivo de prestar assistência a refugiados em todo o mundo, refugiados são pessoas que se veem obrigadas a abandonar seu país por conta de perseguições, por motivos étnicos, religiosos, ideológicos, políticos, ou ainda por motivos de catástrofes naturais.

Assim fica claro que a condição de refugiado não dá margem para que haja escolha de destino. O que geralmente acontece é a proximidade do seu país com o país de destino, ou mesmo rotas que deem maior chance de adentrá-lo. No caso do Mar Mediterrâneo, os africanos saem de seu continente e se lançam ao mar porque é a rota mais curta para se chegar à Europa e mais utilizada pelo transporte clandestino, o que inclusive coloca a vida dos migrantes e refugiados em risco.

Os deslocados internos migram pelos mesmos motivos dos refugiados, mas para outras localidades ou regiões dentro de um mesmo país, enquanto os imigrantes deixam seu país voluntariamente.

Segundo a ACNUR, os solicitantes de refúgio são pessoas que recorrem às autoridades competentes para serem reconhecidas como refugiados mas que ainda não tiveram seus pedidos avaliados definitivamente pelos sistemas nacionais de proteção e refúgio.

É importante que você aponte que os fluxos migratórios fazem parte da condição humana e que migrar é um direito, seja qual for o motivo que o impulsione. Para que isso fique claro, fale sobre a condição histórica dos refugiados ressaltando que essa situação não é típica do século XXI, haja vista que no início do século XX o problema dos refugiados se tornou uma preocupação da comunidade internacional, que, por razões humanitárias, começou a assumir responsabilidades para proteger e assistir os refugiados. Os moldes da ação internacional em prol dos refugiados foram estabelecidos pela Liga das Nações e conduziram à adoção de um conjunto de acordos internacionais.

Assim, após a Segunda Guerra Mundial, ocorreu uma convenção das Nações Unidas relativa ao Estatuto dos Refugiados. Este estatuto foi formalmente adotado em 28 de julho de 1951 para que fosse resolvida a situação dos refugiados na Europa naquele contexto pós-guerra. Ele é global e define quem vem a ser um refugiado, além de esclarecer seus direitos e deveres e dos países que os acolhem.

Imagem disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3JKBeFfyxX8M92ksdastCGSDxueEZu8YyTyedcnmAAuKwtUdQcECpAhuskQC/geo9-09und04-imagens-para-impressao.pdf

Fonte: Dados sobre refúgio. Agência da ONU para refugiados. Disponível em: . Acesso em: 2 jan. 2019.

Para você saber mais:

A sigla UNRWA presente na imagem consiste na Agência das Nações Unidas que dá assistência a cinco milhões de refugiados da Palestina. Infomrações disponíveis em: http://unrwa.org.br/sobre_a_unrwa/ Acesso em 4 de janeiro de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações: É importante saber que a problematização dará ferramentas para que os alunos elaborem seus mapas conceituais. Assim, é primordial que o foco seja nos conceitos trabalhados nessa aula juntamente com o que eles já sabem de migração, sobretudo no sentido dos fatores de repulsão, isto é, o que levou o refugiado a deixar seu país de origem e dos fatores de atração, que são os motivos que levaram os refugiados a estar naquele novo país.

Sobre a fotografia, ela é facultativa porque serve para ilustrar um acontecimento histórico. Se ela não for mostrada por falta de projetor, não tem problema. Importa aqui o que foi a Convenção das Nações Unidas de 1951 para o Estatuto dos Refugiados e o que mudou a partir de então.

Se você quiser que essa explicação fique mais didática, a utilização do quadro para escrever o nome e a data da Convenção e do Protocolo pode ser uma boa saída, já que eles podem escolher colocar esse fato histórico no mapa conceitual.

Caso você tenha projetor, comece a partir da fotografia, explicando que foi tirada durante a Convenção das Nações Unidas de 1951 relativa ao Estatuto dos Refugiados e que atualmente essa Convenção continua sendo a pedra angular da proteção a esses cidadãos. De acordo o Estatuto dos Refugiados adotado nessa Convenção, é de competência do ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados) promover instrumentos internacionais para a proteção dos refugiados e supervisionar sua aplicação.

Diga que com o tempo e a emergência de novas situações geradoras de conflitos e perseguições, tornou-se crescente a necessidade de providências que colocassem os novos fluxos de refugiados sob a proteção da Convenção de 1951. Dessa forma, foi assinado pelo Presidente da Assembleia Geral e o Secretário-geral no dia 31 de janeiro de 1967 o Protocolo de 1967. Esse Protocolo ratifica a Convenção de 1951, e os Estados que assinaram o acordo aceitam cooperar com o ACNUR no desenvolvimento de suas funções. A Convenção de 1951 e o Protocolo de 1967, por fim, são os meios através dos quais é assegurado que qualquer pessoa, em caso de necessidade, possa exercer o direito de procurar e receber refúgio em outro país.

Como foi visto anteriormente, a condição de refugiado requer muita atenção por parte do Estado porque ele chega com pouco ou nenhum recurso. No entanto, essa cooperação e a boa recepção aos refugiados parece nem sempre ocorrer.

Para você saber mais:

Sobre Convenção de 1951 relativa ao Estatuto dos Refugiados acesse: https://www.acnur.org/fileadmin/Documentos/portugues/BDL/Convencao_relativa_ao_Estatuto_dos_Refugiados.pdf . Nesse documento eles definem o que é refugiado, as obrigações do refugiado no país que o recebe e ressalta a não-discriminação, sua situação jurídica, empregos, dentre outros. Acesso em 12 de janeiro de 2019.

Ainda sobre a Convenção de 1951: https://www.acnur.org/portugues/convencao-de-1951/ Acesso em 12 de janeiro de 2019.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Desta forma, vale questionar brevemente:

  • Os refugiados chegam de forma segura na Europa?
  • Por que buscam refúgio?
  • Você consegue pensar em uma dificuldade a ser enfrentada pelos refugiados assim que chegam à Europa?

Em seguida, os alunos devem observar os dados trazidos na imagem (caso não tenha projetor, você pode imprimir e xerocar ou mesmo escrever as porcentagens no quadro).

Fica evidente que a origem dos refugiados presentes na Europa tem sido, principalmente, síria, seguida de afegãos e sul-sudaneses.

A partir das respostas dadas pelos alunos explique que o sentimento de rejeição que ronda os imigrantes e refugiados se chama “xenofobia” ( do grego xeno, “estrangeiro”, e fobia, “ódio”, “medo”) e que algumas situações políticas, por vezes servem de pretextos para que determinados países reforcem o controle sobre suas fronteiras. É o caso dos atentados de 11 de setembro de 2001, quando além dos Estados Unidos, países europeus adotaram leis mais rígidas para controlar a entrada de imigrantes, sobretudo os de origem árabe (MELHEM & ADAS, 2006). No entanto, sabe-se que restrições à imigração ferem os direitos humanos, pois todos temos o direito de transitar, sobretudo se estivermos em risco.

Aponte que atualmente o conflito na Síria continua sendo o maior motivador dessa onda migratória juntamente com a violência constante no Afeganistão. Além disso, o conflito no Sudão do Sul criou a maior crise de refugiados na África. Os refugiados são acolhidos pelos vizinhos mais próximos do Sudão do Sul – Etiópia, Sudão, Uganda e Quênia, bem como a República Democrática do Congo e a República Centro-Africana – que também enfrentam instabilidade e deslocamento em grande escala dentro de seus próprios países.

Fale que apesar da pouca estrutura para a recepção de tantos imigrantes e refugiados, de acordo com números divulgados pelo Acnur, a Alemanha continua sendo o destino mais procurado por imigrantes que chegam à Europa. Foi o país que recebeu o maior número de pedidos de asilo, com mais de 188 mil até o fim de julho de 2015, quando as solicitações de asilo para a Europa se multiplicaram.

Em segundo lugar está a Hungria. Os imigrantes e refugiados podem chegar a esse país pela rota terrestre, sobretudo através do trem de Budapeste. No entanto, segundo Zeid Ra'ad Al-Hussein, Alto-Comissário da ONU para Direito Humanos, mais de dois terços dos parlamentos nacionais nos países da União Europeia (UE) incluem atualmente partidos políticos com posições extremas contra os migrantes e, em alguns casos, muçulmanos e outras minorias. Ele afirma que este discurso baseado no racismo, xenofobia e incitamento ao ódio expandiu-se de modo tão significativo que domina a cena política em países como: Hungria, Itália, Polônia, Áustria e República Tcheca. O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, afirmou que “não quer que a sua cor [de pele] se misture com outras".

Por último, se forem considerados a proporção entre imigrantes e a população, a Suécia fica no topo da lista de solicitação de asilo. São oito pedidos de asilo a cada mil habitantes suecos (BBC Brasil).

Imagem disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3JKBeFfyxX8M92ksdastCGSDxueEZu8YyTyedcnmAAuKwtUdQcECpAhuskQC/geo9-09und04-imagens-para-impressao.pdf

Fontes: Dados sobre refúgio. Agência da ONU para refugiados. Disponível em: . Acesso em: 2 jan. 2019.

Para você saber mais:

Chefe do ACNUR pede ação urgente para a crise do Sudão do Sul que entra em seu quinto ano consecutivo. ACNUR. Disponível em: <https://www.acnur.org/portugues/2017/12/14/chefe-do-acnur-pede-acao-urgente-para-a-crise-do-sudao-do-sul-que-entra-em-seu-quinto-ano-consecutivo/>. Acesso em 4 jan. 2019.

Refugiados na Europa: a crise em mapas e gráficos. BBC. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150904_graficos_imigracao_europa_rm>. Acesso em: 4 jan. 2019.

Para dados de 2018 da rota pelo Mar Mediterrâneo, acesse: https://data2.unhcr.org/en/situations/mediterranean# Acesso em 4 de janeiro de 2019.

Sobre xenofobia na Hungria: Matéria no jornal português “Diário de Notícias”:

ONU alarmada com expansão da xenofobia e racismo na Europa. Diário de Notícias. Disponível em: <https://www.dn.pt/lusa/interior/onu-alarmada-com-expansao-da-xenofobia-e-racismo-na-europa-9168597.html>. Acesso em: 14 jan. 2019.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 23 minutos

Orientações: A partir das informações trabalhadas durante essa aula, os alunos deverão montar um mapa conceitual. Ao solicitar um mapa conceitual deve-se saber que não se pode esperar que o aluno apresente um mapa conceitual “correto”, mas com evidências de que ele está aprendendo significativamente o conteúdo.

Peça para que elaborem seus mapas conceituais com base nos conteúdos aprendidos durante a aula. Sugira que eles elaborem primeiramente à lápis.

Durante o tempo de elaboração percorra as mesas dos trios para ressaltar pontos positivos e outros pontos que podem ser melhorados nos mapas.

Divida a turma em trios e distribua um papel sulfite por trio. Solicite que usem apenas lápis. Em seguida, distribua uma xerox dos exemplos de mapas conceituais ou projete no quadro a imagem para que eles visualizem a etapa final.

Caso não possua projetor, você pode escrever esse primeiro exemplo no quadro. Ele deixa claro do que se trata uma pergunta focal e a importância da clareza semântica. Escreva no quadro a pergunta focal do mapa conceitual a ser elaborado por eles:

POR QUE EXISTE UM GRANDE NÚMERO DE REFUGIADOS NA EUROPA?

Em seguida, explique que para elaborar um mapa conceitual é necessário ter:

  • PROPOSIÇÃO ou conjunto de proposições (conceito inicial ligado ao conceito final por meio de um verbo - vide próximo slide),
  • CLAREZA SEMÂNTICA (proporcionada pelo uso correto dos verbos, vide exemplo),
  • PERGUNTA FOCAL (o mapa deve responder uma pergunta, como na caso acima) e
  • HIERARQUIA (os mapas conceituais podem seguir um modelo hierárquico no qual conceitos mais inclusivos estão no topo da hierarquia - parte superior do mapa - e conceitos específicos, pouco abrangentes, estão na base - parte inferior).

Mas esse é apenas um modelo. Mapas conceituais não precisam necessariamente ter este tipo de hierarquia. Por outro lado, sempre deve ficar claro no mapa quais são os conceitos mais importantes e quais os secundários ou específicos) (FICANHA, et al., 2016).

O próximo slide é um exemplo de um mapa conceitual completo.

Imagem disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3JKBeFfyxX8M92ksdastCGSDxueEZu8YyTyedcnmAAuKwtUdQcECpAhuskQC/geo9-09und04-imagens-para-impressao.pdf

Para você saber mais:

FICANHA, A. et al. Uso de mapa conceitual para a aprendizagem de conceitos de química na educação profissional. In: XVII Encontro Nacional de Ensino de Química. Florianópolis, 2016. Disponível em: <http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R2329-1.pdf>. Acesso em: 6 jan 2019.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Orientações: Esse mapa é um pouco mais complexo do que o anterior. É um exemplo de um possível caminho a ser tomado pelos alunos.

Imagem disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3JKBeFfyxX8M92ksdastCGSDxueEZu8YyTyedcnmAAuKwtUdQcECpAhuskQC/geo9-09und04-imagens-para-impressao.pdf

Para você saber mais:

FICANHA, A. et al. Uso de mapa conceitual para a aprendizagem de conceitos de química na educação profissional. In: XVII Encontro Nacional de Ensino de Química. Florianópolis, 2016. Disponível em: <http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R2329-1.pdf>. Acesso em: 6 jan 2019.

GERHARDT, Carla Carine. Plano de aula: ler, em grupos, mapas conceituais de diversos estilos visuais e assuntos. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/plano-de-aula/3150/ler-em-grupos-mapas-conceituais-de-diversos-estilos-visuais-e-assuntos>. Acesso em: 6 jan. 2019.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações: Após a elaboração dos mapas conceituais à lápis, peça para que os alunos leiam juntos o texto presente no slide. Se você não tiver projetor na sua escola, escreva-o no quadro.

Em seguida, explique que algumas medidas importantes têm sido tomadas para que os refugiados tenham uma melhor qualidade em seu trânsito e na chegada ao novo lugar. A mais recente delas é o Pacto Global de Migrações da ONU , que consiste em um amplo acordo global que visa tornar as migrações mais seguras e dignas para todos. Ele foi acordado pela primeira vez pelos Estados-membros da ONU em 13 de julho de 2018. É um documento abrangente para melhor gerenciar a migração internacional, enfrentar seus desafios e fortalecer os direitos dos migrantes, contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

Diga que o texto do Pacto Global está profundamente enraizado na Carta das Nações Unidas e na Declaração Universal dos Direitos Humanos e reconhece que é necessária uma abordagem cooperativa para otimizar os benefícios gerais da migração, além de mitigar seus riscos e desafios para indivíduos e comunidades nos países de origem, de trânsito e de destino.

Esse Pacto é de grande importância e urgência, haja vista que existem mais de 68 milhões de pessoas em movimento em todo o mundo atualmente, migrantes e refugiados passaram a estar nas manchetes da imprensa de todo o mundo nos últimos anos. No entanto, o presidente Jair Bolsonaro declarou, no dia 8 de janeiro, que o Brasil vai deixar o Pacto Global de Migrações da ONU. O governo Temer assinou e o governo Bolsonaro retirou. A organização confirmou que recebeu uma carta da missão brasileira notificando a saída do País.

Vale lembrar que o pacto foi apresentado em julho do ano passado e aprovado em dezembro, e que votaram contra os Estados Unidos, Hungria, República Tcheca, Polônia e Israel.

Dadas essas informações, e sabendo que o mapa conceitual utiliza uma hierarquia e responde a uma pergunta focal, é importante que os alunos destaquem caminhos para mitigar a situação da pergunta focal. O Pacto Global de Migrações da ONU, então, deve entrar como um desses caminhos.

Sendo assim, peça para que os trios pesquisem em casa sobre o Pacto e se reúnam para reelaborar o mapa conceitual acrescentando o Pacto Global de Migração da Onu.

Para você saber mais:

RODRÍGUEZ, Rafael. Saiba tudo sobre o Pacto Global para Migração. ONU News. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2018/12/1650601>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Sobre a saída do Brasil do Pacto, segundo a ONU:

NERO, Amanda. Brasil: ONU diz que é “lamentável” saída de um Estado - membro do pacto para migração. ONU News. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2019/01/1654722>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Para saber ainda mais sobre a saída do Brasil do Pacto, acesse:

BASILIO, Ana Luiza. Entenda o Pacto Global de Migrações da ONU que o Brasil deixou. Carta Capital. Disponível em: <http://www.cartaeducacao.com.br/carta-explica/entenda-o-pacto-global-de-migracoes-da-onu-que-o-brasil-deixou/>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF09GE09 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Dentro dessa habilidade, cabe analisar as características de países e grupos de países europeus em seus aspectos populacionais, econômicos, urbanos e políticos e discutir suas desigualdades sociais e econômicas. Dessa maneira, trazer à tona a discussão sobre refugiados é uma oportunidade de pensar sobre a condição deles aos longo dos séculos e trazer para próximo dos alunos o debate sobre Direitos Humanos.

A habilidade EF09GE03, por exemplo, pode ser a continuação dessa aula, pois visa defender a importância da multiculturalidade, relativizar o termo minoria e fortalecer o valor de igualdade de direitos sócio territoriais e culturais entre diferentes povos.

Materiais necessários: Papel sulfite e lápis.

Cópias das imagens apresentadas nos slides.

Material complementar: Todas as imagens estão disponíveis em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3JKBeFfyxX8M92ksdastCGSDxueEZu8YyTyedcnmAAuKwtUdQcECpAhuskQC/geo9-09und04-imagens-para-impressao.pdf

Para você saber mais:

Site do Alto Comissariado das Nações Unidas para refugiados (ACNUR): https://www.acnur.org/portugues/

O filme “Human Flow” contém belíssimas imagens feitas por drones dos deslocamentos humanos. Está disponível no youtube “filmes para alugar”.

Human Flow: Não Existe Lar se Não Há Para Onde Ir (Legendado). 2018. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=WX-EoSLBDp8>. Acesso em: 28 dez 2018.

Caso queira passar o trailer para os alunos, o link é: https://www.youtube.com/watch?v=_jO9DqVztLQ. Acesso em 12 de janeiro de 2019.

O filme “Exodus: de onde eu vim não existe mais” conta a história de seis pessoas de diferentes partes do mundo que foram forçadas a deixar seus lares e construir suas vidas sob novas e desafiadoras circunstâncias. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=EzZBMqCCdxQ. Acesso em 12 de janeiro de 2019.

O trabalho do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado denominado “Êxodos” contém um capítulo dedicado aos refugiados. São fotografias dos anos de 1980 e 1990 que ainda permanecem atuais. Você pode falar brevemente desse fotógrafo que é radicado na França desde os anos de 1970, quando saiu do Brasil por conta da repressão militar. Sobre o trabalho:

SALGADO, Sebastião. Migrations. Disponível em: <https://www.amazonasimages.com/travaux-exodes>. Acesso em: 2 jan. 2019.

O site Geografia visual elaborou um microvideo sobre a crise dos refugiados. Com pouco mais de um minuto, o vídeo traz imagens impressionantes da guerra na Síria. Disponível em:

Crise de Refugiados. 2018. (01min16seg). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?time_continue=31&v=TG3KD86rPPU>. Acesso em: 6 jan. 2019.

Número de migrantes e refugiados que chegam aos países mediterrâneos. Disponível em: <https://translate.googleusercontent.com/translate_c?depth=1&hl=pt-BR&prev=search&rurl=translate.google.com&sl=en&sp=nmt4&u=https://data2.unhcr.org/en/situations/mediterranean&xid=17259,15700019,15700124,15700186,15700191,15700201,15700237,15700242,15700248&usg=ALkJrhiR5-pdM2f1ccxLBbUdhFZsmjcQsw>. Acesso em: 2 jan. 2019.

Mapa de refugiados na Europa e grupo de voluntários. Disponível em: <https://www.google.com/maps/d/viewer?mid=1qH3FWHISW70aGQ_TUT_m43GfXgI&hl=en_US&ll=40.63362709141793%2C25.7775331792177&z=7>. Acesso em: 2 jan. 2019.

Refugiados na Europa: a crise em mapas e gráficos. BBC. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150904_graficos_imigracao_europa_rm>. Acesso em: 4 jan. 2019.

Dados sobre refúgio. Agência da ONU para refugiados. Disponível em: <https://www.acnur.org/portugues/dados-sobre-refugio/>. Acesso em: 2 jan. 2019.

Para informações atuais (2018) sobre a rota pelo Mar Mediterrâneo, acesse: https://data2.unhcr.org/en/situations/mediterranean# Acesso em 4 de janeiro de 2019.

A sigla ACNUR presente na imagem do slide 3 (contextualização) é a Agência das Nações Unidas que dá assistência a cinco milhões de refugiados da Palestina. Informações disponíveis em: http://unrwa.org.br/sobre_a_unrwa/ Acesso em 4 de janeiro de 2019.

Para saber mais sobre a Convenção de 1951 relativa ao Estatuto dos Refugiados acesse: https://www.acnur.org/fileadmin/Documentos/portugues/BDL/Convencao_relativa_ao_Estatuto_dos_Refugiados.pdf . Nesse documento eles definem o que é refugiado, as obrigações do refugiado no país que o recebe e ressalta a não-discriminação, sua situação jurídica, empregos, dentre outros.

Sobre xenofobia na Hungria: Matéria no jornal português “Diário de Notícias”:

ONU alarmada com expansão da xenofobia e racismo na Europa. Diário de Notícias. Disponível em: <https://www.dn.pt/lusa/interior/onu-alarmada-com-expansao-da-xenofobia-e-racismo-na-europa-9168597.html>. Acesso em: 14 jan. 2019.

Sobre os mapas conceituais: conceito e exemplo, respectivamente:

FICANHA, A. et al. Uso de mapa conceitual para a aprendizagem de conceitos de química na educação profissional. In: XVII Encontro Nacional de Ensino de Química. Florianópolis, 2016. Disponível em: <http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R2329-1.pdf>. Acesso em: 6 jan 2019.

GERHARDT, Carla Carine. Plano de aula: ler, em grupos, mapas conceituais de diversos estilos visuais e assuntos. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/plano-de-aula/3150/ler-em-grupos-mapas-conceituais-de-diversos-estilos-visuais-e-assuntos>. Acesso em: 6 jan. 2019.

Sobre o Pacto Global para Migração da ONU:

RODRÍGUEZ, Rafael. Saiba tudo sobre o Pacto Global para Migração. ONU News. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2018/12/1650601>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Sobre a saída do Brasil do Pacto, segundo a ONU:

NERO, Amanda. Brasil: ONU diz que é “lamentável” saída de um Estado - membro do pacto para migração. ONU News. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2019/01/1654722>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Para saber ainda mais sobre a saída do Brasil do Pacto, acesse:

BASILIO, Ana Luiza. Entenda o Pacto Global de Migrações da ONU que o Brasil deixou. Carta Capital. Disponível em: <http://www.cartaeducacao.com.br/carta-explica/entenda-o-pacto-global-de-migracoes-da-onu-que-o-brasil-deixou/>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Contextos prévios: Conceito de migração, em especial os fatores repulsivos e atrativos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações: Nesse momento, é importante dizer aos alunos que os fluxos migratórios são constantes e cíclicos e, por isso, é uma temática sempre atual. Explique que nessa aula serão relembrados os fatores que levam à migração para que eles compreendam as diferenças existentes entre o migrante e o refugiado.

Para você saber mais:

Caso haja projetor disponível em sua escola, seria interessante passar alguns trechos do filme “Human Flow”, pois é atual e contém belíssimas imagens feitas por drone dos deslocamentos humanos. Ele está disponível no youtube filmes para alugar. Human Flow: Não Existe Lar se Não Há Para Onde Ir (Legendado). 2018. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=WX-EoSLBDp8>. Acesso em: 28 dez 2018.

Caso queira passar o trailer para os alunos, o link é: https://www.youtube.com/watch?v=_jO9DqVztLQ. Acesso em 12 de janeiro de 2019.

O trabalho do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado denominado “Êxodos” contém um capítulo dedicado aos refugiados. São fotografias dos anos de 1980 e 1990 que ainda permanecem atuais. Você pode falar brevemente desse fotógrafo que é radicado na França desde os anos de 1970, quando saiu do Brasil por conta da repressão militar. Sobre o trabalho: https://www.amazonasimages.com/travaux-exodes . Acesso em 2 de janeiro de 2019.

O site Geografia visual elaborou um pequeno vídeo sobre a crise dos refugiados. Com pouco mais de um minuto, o vídeo traz imagens impressionantes da guerra na Síria.

Crise de Refugiados. 2018. (01min16seg). Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?time_continue=31&v=TG3KD86rPPU>. Acesso em: 6 jan. 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 5 minutos

Orientações: Solicite que um aluno leia em voz alta as informações presentes na imagem. (Caso não haja onde projetar essa imagem na sala de aula, você pode imprimir e distribuir para os alunos, ou mesmo escrever as informações no quadro).

Em seguida, pergunte se eles têm alguma ideia da diferença entre os termos que aparecem nas imagens: “deslocados internos”, “refugiados”, “solicitantes de refúgio”.

Posteriormente, explique que os termos imigrantes e refugiados não são sinônimos. De acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (Acnur), organismo criado em 1950 com o objetivo de prestar assistência a refugiados em todo o mundo, refugiados são pessoas que se veem obrigadas a abandonar seu país por conta de perseguições, por motivos étnicos, religiosos, ideológicos, políticos, ou ainda por motivos de catástrofes naturais.

Assim fica claro que a condição de refugiado não dá margem para que haja escolha de destino. O que geralmente acontece é a proximidade do seu país com o país de destino, ou mesmo rotas que deem maior chance de adentrá-lo. No caso do Mar Mediterrâneo, os africanos saem de seu continente e se lançam ao mar porque é a rota mais curta para se chegar à Europa e mais utilizada pelo transporte clandestino, o que inclusive coloca a vida dos migrantes e refugiados em risco.

Os deslocados internos migram pelos mesmos motivos dos refugiados, mas para outras localidades ou regiões dentro de um mesmo país, enquanto os imigrantes deixam seu país voluntariamente.

Segundo a ACNUR, os solicitantes de refúgio são pessoas que recorrem às autoridades competentes para serem reconhecidas como refugiados mas que ainda não tiveram seus pedidos avaliados definitivamente pelos sistemas nacionais de proteção e refúgio.

É importante que você aponte que os fluxos migratórios fazem parte da condição humana e que migrar é um direito, seja qual for o motivo que o impulsione. Para que isso fique claro, fale sobre a condição histórica dos refugiados ressaltando que essa situação não é típica do século XXI, haja vista que no início do século XX o problema dos refugiados se tornou uma preocupação da comunidade internacional, que, por razões humanitárias, começou a assumir responsabilidades para proteger e assistir os refugiados. Os moldes da ação internacional em prol dos refugiados foram estabelecidos pela Liga das Nações e conduziram à adoção de um conjunto de acordos internacionais.

Assim, após a Segunda Guerra Mundial, ocorreu uma convenção das Nações Unidas relativa ao Estatuto dos Refugiados. Este estatuto foi formalmente adotado em 28 de julho de 1951 para que fosse resolvida a situação dos refugiados na Europa naquele contexto pós-guerra. Ele é global e define quem vem a ser um refugiado, além de esclarecer seus direitos e deveres e dos países que os acolhem.

Imagem disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3JKBeFfyxX8M92ksdastCGSDxueEZu8YyTyedcnmAAuKwtUdQcECpAhuskQC/geo9-09und04-imagens-para-impressao.pdf

Fonte: Dados sobre refúgio. Agência da ONU para refugiados. Disponível em: . Acesso em: 2 jan. 2019.

Para você saber mais:

A sigla UNRWA presente na imagem consiste na Agência das Nações Unidas que dá assistência a cinco milhões de refugiados da Palestina. Infomrações disponíveis em: http://unrwa.org.br/sobre_a_unrwa/ Acesso em 4 de janeiro de 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações: É importante saber que a problematização dará ferramentas para que os alunos elaborem seus mapas conceituais. Assim, é primordial que o foco seja nos conceitos trabalhados nessa aula juntamente com o que eles já sabem de migração, sobretudo no sentido dos fatores de repulsão, isto é, o que levou o refugiado a deixar seu país de origem e dos fatores de atração, que são os motivos que levaram os refugiados a estar naquele novo país.

Sobre a fotografia, ela é facultativa porque serve para ilustrar um acontecimento histórico. Se ela não for mostrada por falta de projetor, não tem problema. Importa aqui o que foi a Convenção das Nações Unidas de 1951 para o Estatuto dos Refugiados e o que mudou a partir de então.

Se você quiser que essa explicação fique mais didática, a utilização do quadro para escrever o nome e a data da Convenção e do Protocolo pode ser uma boa saída, já que eles podem escolher colocar esse fato histórico no mapa conceitual.

Caso você tenha projetor, comece a partir da fotografia, explicando que foi tirada durante a Convenção das Nações Unidas de 1951 relativa ao Estatuto dos Refugiados e que atualmente essa Convenção continua sendo a pedra angular da proteção a esses cidadãos. De acordo o Estatuto dos Refugiados adotado nessa Convenção, é de competência do ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados) promover instrumentos internacionais para a proteção dos refugiados e supervisionar sua aplicação.

Diga que com o tempo e a emergência de novas situações geradoras de conflitos e perseguições, tornou-se crescente a necessidade de providências que colocassem os novos fluxos de refugiados sob a proteção da Convenção de 1951. Dessa forma, foi assinado pelo Presidente da Assembleia Geral e o Secretário-geral no dia 31 de janeiro de 1967 o Protocolo de 1967. Esse Protocolo ratifica a Convenção de 1951, e os Estados que assinaram o acordo aceitam cooperar com o ACNUR no desenvolvimento de suas funções. A Convenção de 1951 e o Protocolo de 1967, por fim, são os meios através dos quais é assegurado que qualquer pessoa, em caso de necessidade, possa exercer o direito de procurar e receber refúgio em outro país.

Como foi visto anteriormente, a condição de refugiado requer muita atenção por parte do Estado porque ele chega com pouco ou nenhum recurso. No entanto, essa cooperação e a boa recepção aos refugiados parece nem sempre ocorrer.

Para você saber mais:

Sobre Convenção de 1951 relativa ao Estatuto dos Refugiados acesse: https://www.acnur.org/fileadmin/Documentos/portugues/BDL/Convencao_relativa_ao_Estatuto_dos_Refugiados.pdf . Nesse documento eles definem o que é refugiado, as obrigações do refugiado no país que o recebe e ressalta a não-discriminação, sua situação jurídica, empregos, dentre outros. Acesso em 12 de janeiro de 2019.

Ainda sobre a Convenção de 1951: https://www.acnur.org/portugues/convencao-de-1951/ Acesso em 12 de janeiro de 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Desta forma, vale questionar brevemente:

  • Os refugiados chegam de forma segura na Europa?
  • Por que buscam refúgio?
  • Você consegue pensar em uma dificuldade a ser enfrentada pelos refugiados assim que chegam à Europa?

Em seguida, os alunos devem observar os dados trazidos na imagem (caso não tenha projetor, você pode imprimir e xerocar ou mesmo escrever as porcentagens no quadro).

Fica evidente que a origem dos refugiados presentes na Europa tem sido, principalmente, síria, seguida de afegãos e sul-sudaneses.

A partir das respostas dadas pelos alunos explique que o sentimento de rejeição que ronda os imigrantes e refugiados se chama “xenofobia” ( do grego xeno, “estrangeiro”, e fobia, “ódio”, “medo”) e que algumas situações políticas, por vezes servem de pretextos para que determinados países reforcem o controle sobre suas fronteiras. É o caso dos atentados de 11 de setembro de 2001, quando além dos Estados Unidos, países europeus adotaram leis mais rígidas para controlar a entrada de imigrantes, sobretudo os de origem árabe (MELHEM & ADAS, 2006). No entanto, sabe-se que restrições à imigração ferem os direitos humanos, pois todos temos o direito de transitar, sobretudo se estivermos em risco.

Aponte que atualmente o conflito na Síria continua sendo o maior motivador dessa onda migratória juntamente com a violência constante no Afeganistão. Além disso, o conflito no Sudão do Sul criou a maior crise de refugiados na África. Os refugiados são acolhidos pelos vizinhos mais próximos do Sudão do Sul – Etiópia, Sudão, Uganda e Quênia, bem como a República Democrática do Congo e a República Centro-Africana – que também enfrentam instabilidade e deslocamento em grande escala dentro de seus próprios países.

Fale que apesar da pouca estrutura para a recepção de tantos imigrantes e refugiados, de acordo com números divulgados pelo Acnur, a Alemanha continua sendo o destino mais procurado por imigrantes que chegam à Europa. Foi o país que recebeu o maior número de pedidos de asilo, com mais de 188 mil até o fim de julho de 2015, quando as solicitações de asilo para a Europa se multiplicaram.

Em segundo lugar está a Hungria. Os imigrantes e refugiados podem chegar a esse país pela rota terrestre, sobretudo através do trem de Budapeste. No entanto, segundo Zeid Ra'ad Al-Hussein, Alto-Comissário da ONU para Direito Humanos, mais de dois terços dos parlamentos nacionais nos países da União Europeia (UE) incluem atualmente partidos políticos com posições extremas contra os migrantes e, em alguns casos, muçulmanos e outras minorias. Ele afirma que este discurso baseado no racismo, xenofobia e incitamento ao ódio expandiu-se de modo tão significativo que domina a cena política em países como: Hungria, Itália, Polônia, Áustria e República Tcheca. O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orban, afirmou que “não quer que a sua cor [de pele] se misture com outras".

Por último, se forem considerados a proporção entre imigrantes e a população, a Suécia fica no topo da lista de solicitação de asilo. São oito pedidos de asilo a cada mil habitantes suecos (BBC Brasil).

Imagem disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3JKBeFfyxX8M92ksdastCGSDxueEZu8YyTyedcnmAAuKwtUdQcECpAhuskQC/geo9-09und04-imagens-para-impressao.pdf

Fontes: Dados sobre refúgio. Agência da ONU para refugiados. Disponível em: . Acesso em: 2 jan. 2019.

Para você saber mais:

Chefe do ACNUR pede ação urgente para a crise do Sudão do Sul que entra em seu quinto ano consecutivo. ACNUR. Disponível em: <https://www.acnur.org/portugues/2017/12/14/chefe-do-acnur-pede-acao-urgente-para-a-crise-do-sudao-do-sul-que-entra-em-seu-quinto-ano-consecutivo/>. Acesso em 4 jan. 2019.

Refugiados na Europa: a crise em mapas e gráficos. BBC. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/09/150904_graficos_imigracao_europa_rm>. Acesso em: 4 jan. 2019.

Para dados de 2018 da rota pelo Mar Mediterrâneo, acesse: https://data2.unhcr.org/en/situations/mediterranean# Acesso em 4 de janeiro de 2019.

Sobre xenofobia na Hungria: Matéria no jornal português “Diário de Notícias”:

ONU alarmada com expansão da xenofobia e racismo na Europa. Diário de Notícias. Disponível em: <https://www.dn.pt/lusa/interior/onu-alarmada-com-expansao-da-xenofobia-e-racismo-na-europa-9168597.html>. Acesso em: 14 jan. 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 23 minutos

Orientações: A partir das informações trabalhadas durante essa aula, os alunos deverão montar um mapa conceitual. Ao solicitar um mapa conceitual deve-se saber que não se pode esperar que o aluno apresente um mapa conceitual “correto”, mas com evidências de que ele está aprendendo significativamente o conteúdo.

Peça para que elaborem seus mapas conceituais com base nos conteúdos aprendidos durante a aula. Sugira que eles elaborem primeiramente à lápis.

Durante o tempo de elaboração percorra as mesas dos trios para ressaltar pontos positivos e outros pontos que podem ser melhorados nos mapas.

Divida a turma em trios e distribua um papel sulfite por trio. Solicite que usem apenas lápis. Em seguida, distribua uma xerox dos exemplos de mapas conceituais ou projete no quadro a imagem para que eles visualizem a etapa final.

Caso não possua projetor, você pode escrever esse primeiro exemplo no quadro. Ele deixa claro do que se trata uma pergunta focal e a importância da clareza semântica. Escreva no quadro a pergunta focal do mapa conceitual a ser elaborado por eles:

POR QUE EXISTE UM GRANDE NÚMERO DE REFUGIADOS NA EUROPA?

Em seguida, explique que para elaborar um mapa conceitual é necessário ter:

  • PROPOSIÇÃO ou conjunto de proposições (conceito inicial ligado ao conceito final por meio de um verbo - vide próximo slide),
  • CLAREZA SEMÂNTICA (proporcionada pelo uso correto dos verbos, vide exemplo),
  • PERGUNTA FOCAL (o mapa deve responder uma pergunta, como na caso acima) e
  • HIERARQUIA (os mapas conceituais podem seguir um modelo hierárquico no qual conceitos mais inclusivos estão no topo da hierarquia - parte superior do mapa - e conceitos específicos, pouco abrangentes, estão na base - parte inferior).

Mas esse é apenas um modelo. Mapas conceituais não precisam necessariamente ter este tipo de hierarquia. Por outro lado, sempre deve ficar claro no mapa quais são os conceitos mais importantes e quais os secundários ou específicos) (FICANHA, et al., 2016).

O próximo slide é um exemplo de um mapa conceitual completo.

Imagem disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3JKBeFfyxX8M92ksdastCGSDxueEZu8YyTyedcnmAAuKwtUdQcECpAhuskQC/geo9-09und04-imagens-para-impressao.pdf

Para você saber mais:

FICANHA, A. et al. Uso de mapa conceitual para a aprendizagem de conceitos de química na educação profissional. In: XVII Encontro Nacional de Ensino de Química. Florianópolis, 2016. Disponível em: <http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R2329-1.pdf>. Acesso em: 6 jan 2019.

Slide Plano Aula

Orientações: Esse mapa é um pouco mais complexo do que o anterior. É um exemplo de um possível caminho a ser tomado pelos alunos.

Imagem disponível em: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/3JKBeFfyxX8M92ksdastCGSDxueEZu8YyTyedcnmAAuKwtUdQcECpAhuskQC/geo9-09und04-imagens-para-impressao.pdf

Para você saber mais:

FICANHA, A. et al. Uso de mapa conceitual para a aprendizagem de conceitos de química na educação profissional. In: XVII Encontro Nacional de Ensino de Química. Florianópolis, 2016. Disponível em: <http://www.eneq2016.ufsc.br/anais/resumos/R2329-1.pdf>. Acesso em: 6 jan 2019.

GERHARDT, Carla Carine. Plano de aula: ler, em grupos, mapas conceituais de diversos estilos visuais e assuntos. Nova Escola. Disponível em: <https://novaescola.org.br/plano-de-aula/3150/ler-em-grupos-mapas-conceituais-de-diversos-estilos-visuais-e-assuntos>. Acesso em: 6 jan. 2019.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 7 minutos

Orientações: Após a elaboração dos mapas conceituais à lápis, peça para que os alunos leiam juntos o texto presente no slide. Se você não tiver projetor na sua escola, escreva-o no quadro.

Em seguida, explique que algumas medidas importantes têm sido tomadas para que os refugiados tenham uma melhor qualidade em seu trânsito e na chegada ao novo lugar. A mais recente delas é o Pacto Global de Migrações da ONU , que consiste em um amplo acordo global que visa tornar as migrações mais seguras e dignas para todos. Ele foi acordado pela primeira vez pelos Estados-membros da ONU em 13 de julho de 2018. É um documento abrangente para melhor gerenciar a migração internacional, enfrentar seus desafios e fortalecer os direitos dos migrantes, contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

Diga que o texto do Pacto Global está profundamente enraizado na Carta das Nações Unidas e na Declaração Universal dos Direitos Humanos e reconhece que é necessária uma abordagem cooperativa para otimizar os benefícios gerais da migração, além de mitigar seus riscos e desafios para indivíduos e comunidades nos países de origem, de trânsito e de destino.

Esse Pacto é de grande importância e urgência, haja vista que existem mais de 68 milhões de pessoas em movimento em todo o mundo atualmente, migrantes e refugiados passaram a estar nas manchetes da imprensa de todo o mundo nos últimos anos. No entanto, o presidente Jair Bolsonaro declarou, no dia 8 de janeiro, que o Brasil vai deixar o Pacto Global de Migrações da ONU. O governo Temer assinou e o governo Bolsonaro retirou. A organização confirmou que recebeu uma carta da missão brasileira notificando a saída do País.

Vale lembrar que o pacto foi apresentado em julho do ano passado e aprovado em dezembro, e que votaram contra os Estados Unidos, Hungria, República Tcheca, Polônia e Israel.

Dadas essas informações, e sabendo que o mapa conceitual utiliza uma hierarquia e responde a uma pergunta focal, é importante que os alunos destaquem caminhos para mitigar a situação da pergunta focal. O Pacto Global de Migrações da ONU, então, deve entrar como um desses caminhos.

Sendo assim, peça para que os trios pesquisem em casa sobre o Pacto e se reúnam para reelaborar o mapa conceitual acrescentando o Pacto Global de Migração da Onu.

Para você saber mais:

RODRÍGUEZ, Rafael. Saiba tudo sobre o Pacto Global para Migração. ONU News. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2018/12/1650601>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Sobre a saída do Brasil do Pacto, segundo a ONU:

NERO, Amanda. Brasil: ONU diz que é “lamentável” saída de um Estado - membro do pacto para migração. ONU News. Disponível em: <https://news.un.org/pt/story/2019/01/1654722>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Para saber ainda mais sobre a saída do Brasil do Pacto, acesse:

BASILIO, Ana Luiza. Entenda o Pacto Global de Migrações da ONU que o Brasil deixou. Carta Capital. Disponível em: <http://www.cartaeducacao.com.br/carta-explica/entenda-o-pacto-global-de-migracoes-da-onu-que-o-brasil-deixou/>. Acesso em: 12 jan. 2019.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Conexões e escalas do 9º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 9º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF09GE09 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano