16455
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 9º ano > Modernização, ditadura civil-militar e redemocratização: o Brasil após 1946

Plano de aula - Movimentos de resistência à ditadura civil-militar no Brasil

Plano de aula de História com atividades para 9º ano do EF sobre Movimentos de resistência à ditadura civil-militar no Brasil

Plano 01 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Ana Paula de Abreu Figueira

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF09HI22, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

O plano de aula em questão procura identificar as diferentes formas de resistência e seus movimentos durante o período da ditadura civil-militar no Brasil, compreendendo o significado e as diferenças entre o movimento estudantil e o movimento operário e como estes movimentos contribuíram para a reconquista dos direitos sociais e políticos no Brasil.

Materiais necessários: Data show para exibição das imagens ou impressão em A4 em escala de cinza das imagens. Cópias dos textos 1 e 2 para os grupos e da tabela de análise.

Material complementar:

Documento 1 - Problematização: Imagem da Passeata dos cem mil http://memorialdademocracia.com.br/card/passeata-dos-cem-mil-afronta-a-ditadura

Documento 2 - Problematização: Imagem da greve dos trabalhadores do ABC

http://memorialdademocracia.com.br/card/a-grande-greve-dos-trabalhadores-do-abc

Documento 3 - Problematização: Texto sobre o movimento estudantil durante a ditadura militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8SnYRxTmRXnJH28QPKwmHjPgBn8mVCfbbW55nBQtgMQX2GThUmnmZ5RY8puv/his9-22und01-movimento-estudantil.pdf

Documento 4 - Problematização: Texto sobre o movimento operário durante a ditadura civil-militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8znZBzbVfV5SaJMMg6XCygxAbTbwrTTJEdmYcBQpxe9TQrPHgd3rvQWcdE3W/his9-22und01-movimento-operario.pdf

Documento 5 - Sistematização: Tabela de análise das fontes do movimento estudantil e operário

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VKWNtQPDBsdsefW2UyfMerr3mqJMBSp6F5JHGEFqGk6NpeVVF7eHNXnqgj6B/his9-22und01-tabela-de-analise.pdf

Para você saber mais:

Para saber mais sobre o conceito de ditadura civil-militar:

http://www.emdialogo.uff.br/content/consideracoes-sobre-o-conceito-da-ditadura-civil-militar-com-os-alunos-do-ensino-medio-3o (Acesso em 30/01/2019)

http://e-revista.unioeste.br/index.php/espacoplural/article/download/8574/6324 (Acesso em 30/01/2019)

Como foram os movimentos de resistência durante a ditadura civil-militar:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-da-resistencia/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento estudantil:

http://memoriasdaditadura.org.br/estudantes/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento operário:

http://memoriasdaditadura.org.br/operarios/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Vídeos com imagens e depoimentos sobre a Passeata dos cem mil, ocorrida no Rio de Janeiro em 1968

https://www.youtube.com/watch?v=3OvTRcptohU (Acesso em 30/01/2019)

http://www.vladimirpalmeira.com.br/ano1968_4.html (Acesso em 30/01/2019)

https://www.youtube.com/watch?v=zR5ZkD90U-0 (Acesso em 30/01/2019)

Significado de resistência:

https://www.dicio.com.br/resistencia/ (Acesso em 30/01/2019)

Referências bibliográficas:

FICO, C. Além do golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar. Rio de Janeiro: Record, 2004.

NAPOLITANO, Marcos. 1964: História do regime militar brasileiro. 1ª ed. São Paulo: Editora Contexto, 2014.

REIS, Daniel Aarão. Ditadura e democracia no Brasil: do golpe de 1964 à Constituição de 1988. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

VALLE, Maria Ribeiro do. 1968 - O diálogo é a violência, movimento estudantil e ditadura militar no Brasil. 2ª ed. Campinas: Ed. UNICAMP, 2008.

Bretas, Marcos Luiz. A guerra das ruas: povo e polícia na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1997.

Machado, Ana Maria, Tropical sol da liberdade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988.

Ventura, Zuenir 1968: O ano que não terminou. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Apresente o objetivo da aula para a turma. Você pode escrever no quadro, projetar ou ler. O importante neste momento é que os alunos saibam o que será trabalhado na aula e qual o objetivo do aprendizado. A intenção nesta parte inicial é que os alunos saibam qual o objetivo da aula e o que deverão aprender no fim desta. Mas é muito importante que o professor não antecipe nenhuma questão ou reflexão específica que será tratada durante a aula, permitindo que os alunos sejam protagonistas na construção do conhecimento.

Esta aula tem como objetivo que os alunos identifiquem o que foi o movimento de resistência durante o período da ditadura civil-militar, seu significado e suas diferenças e como estes movimentos contribuíram para a reconquista dos direitos sociais e políticos no Brasil.

Para você saber mais:

Para saber mais sobre o conceito de ditadura civil-militar:

http://www.emdialogo.uff.br/content/consideracoes-sobre-o-conceito-da-ditadura-civil-militar-com-os-alunos-do-ensino-medio-3o (Acesso em 30/01/2019)

http://e-revista.unioeste.br/index.php/espacoplural/article/download/8574/6324 (Acesso em 30/01/2019)

Como foram os movimentos de resistência durante a ditadura civil-militar:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-da-resistencia/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

Divida a turma em grupos de quatro alunos, escreva no quadro ou projete o slide com a palavra resistência e peça que os grupos conversem sobre o que significa resistência.

Depois de alguns grupos darem sua opinião, projete ou escreva no quadro o verbete sobre o significado da palavra resistência.

É esperado que os alunos relacionem a palavra resistência a resistência elétrica, a resistência com significado de força, de duradouro.

Ex.: Este celular é resistente. A resistência do chuveiro queimou e eu tomei banho frio.

Mas o ideal é que relacionem a palavra resistir também ao significado de: resistente, aquele que se mantém firme, que suporta, que reage contra algo.

O ideal é que os alunos sejam estimulados a pensar sobre o significado do conceito e as formas de resistências que existem.

Às vezes a resistência é uma ação, mas o silêncio e a inação também são formas de resistência, dependendo da situação.

Caso os alunos não saibam, ou deem respostas muito distantes do significado de resistência, o professor pode citar frases utilizando a palavra resistência para ajudar os alunos, como: João não aceitou a injustiça feita com Pedro no jogo, sua resistência foi abandonar o jogo. Pedro resistiu contra as novas regras impostas, protestando.

Como adequar à sua realidade:

Se sua escola estiver situada em uma aldeia indígena, ou região próxima, pode aproveitar para indagar: O que significa resistência aqui, para nós, povos indígenas? Como podemos resistir? Trabalhar o significado de resistência atrelado à questão dos povos indígenas de preservação de sua cultura, ou da resistência indígena na localidade.

O mesmo pode ser sugerido se a sua escola for em uma comunidade quilombola: O que significa resistência para nós, moradores do quilombo? O conceito de resistência pode ser significado com base em práticas locais de resistência, da preservação da memória local como uma forma de resistir.

Caso sua escola esteja situada em uma região de comunidade, O que significa resistência na comunidade? O que podemos citar como formas de resistir aqui na comunidade? Pode se relacionar o significado de resistência a música local, aos raps, ao funk, ao grafite, como que estes aspectos da cultura se configuram como uma forma de resistência de dar voz a uma parcela da sociedade pouco ouvida.

Para você saber mais:

Significado de resistência:

https://www.dicio.com.br/resistencia/ (Acesso em 30/01/2019)

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

Divida os alunos em grupos de quatro, escreva no quadro ou projete o slide com a palavra resistência e peça que os grupos conversem sobre
o que significa resistência. Após alguns grupos darem sua opinião, projete ou escreva no quadro o verbete sobre o significado da palavra resistência.

É esperado que os alunos relacionem a palavra resistência a resistência elétrica, à palavra resistir. Resistente, aquele que se mantém firme, que suporta, que reage contra algo. O ideal é que se estimule os alunos a pensar sobre o significado do conceito e as formas de resistência que existem. Às vezes a resistência é uma ação, mas o silêncio e a inação também são formas de resistência, dependendo da situação.

Link de apoio ao conceito de resistência: https://www.dicio.com.br/resistencia/

Como adequar à sua realidade:

Se sua escola estiver situada em uma aldeia indígena, ou região próxima, pode aproveitar para indagar: O que significa resistência aqui para nós povos indígenas? Como podemos resistir? Trabalhar o significado de resistência atrelado à questão dos povos indígenas de preservação de sua cultura, ou da resistência indígena na localidade.

O mesmo pode ser sugerido se a sua escola for em uma comunidade quilombola: O que significa resistência para nós, moradores do quilombo? O conceito de resistência pode ser significado com base nas práticas locais de resistência, da preservação da memória local como uma forma de resistir.

Caso sua escola esteja situada em uma região de comunidade, O que significa resistência aqui na comunidade? O que podemos citar como formas de resistir aqui na comunidade? Pode se relacionar o significado de resistência à música local, aos raps, ao funk, ao grafite, como que estes aspectos da cultura se configuram como uma forma de resistência de dar voz a uma parcela da sociedade pouco ouvida.

Para você saber mais:

Significado de resistência:

https://www.dicio.com.br/resistencia/ (Acesso em 30/01/2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 23 minutos.

Orientações:

Nesta etapa da Problematização o objetivo principal é possibilitar que os alunos analisem os movimentos de resistência estudantil e operária durante a ditadura civil-militar, problematizando como foram estes movimentos durante o período.

Na primeira fase da Problematização os grupos irão ter contato com duas fotografias e questionar sobre o movimento e a forma de resistência apresentados. No segundo momento cada grupo irá receber um documento contendo um relato sobre o movimento estudantil e operário e problematizar os objetivos do movimento, as formas com que resistiram à ditadura civil-militar e quais as reivindicações destes grupos.

Siga as etapas descritas abaixo para que os alunos possam aos poucos ir problematizando sobre o movimento de resistência.

Exiba a imagem de resistência do movimento estudantil (disponivel aqui: http://memorialdademocracia.com.br/card/passeata-dos-cem-mil-afronta-a-ditadura ) e a imagem do movimento operário durante a ditadura civil-militar (disponivel aqui http://memorialdademocracia.com.br/card/a-grande-greve-dos-trabalhadores-do-abc ). Caso julgue necessário, imprima as fotos previamente para distribuí-las em classe.

Peça que os grupos observem as fotografias e anotem suas considerações: O que vocês observam da imagem? Como as imagens retratam a resistência durante o período da ditadura civil-militar? Que forma de resistência estava sendo utilizada?

Esta parte da atividade deve durar em torno de 6 minutos, 3 minutos de observação e identificação para cada fotografia.

É esperado que os alunos identifiquem:

Na imagem 1: Os cartazes “Abaixo a ditadura” e “Povo no poder”, a grande concentração de pessoas jovens na rua, se manifestando, aparentemente uma manifestação pacífica, por meio de passeata e ocupação da rua.

Na imagem 2: É esperado que os alunos destaquem a presença de adultos, trabalhadores, com o cartaz escrito “Volks trabalhadores unidos até a vitória”. Presença de muitos homens em idade adulta e o meio de manifestação sendo a greve, a paralisação do trabalho.

Peça que dois grupos deem suas opiniões sobre as fotografias, o importante desta etapa é que os alunos identifiquem que a primeira imagem trata-se de um movimento de estudantes que resistiram por meio de passeatas contrárias à ditadura civil-militar.

E que a segunda imagem representa o movimento operário, que resistia por meio de greves e paralisações.

Com os alunos ainda divididos em grupos, distribua as cópias dos documentos 3 e 4, segue o link abaixo, metade dos grupos irá analisar o documento 3, sobre o movimento estudantil, e a outra metade dos grupos irá analisar o documento 4, sobre o movimento operário.

Peça que os grupos leiam o texto e analisem o movimento de resistência. Exiba as perguntas que irão direcionar a Problematização do documento ou escreva no quadro.

Quem eram os manifestantes? Por que eles estavam resistindo? E quais mudanças eles queriam?

Peça que os grupos anotem as respostas obtidas debatidas pelo grupo em uma folha, ou no caderno.

É esperado que os alunos que ficaram com o documento 3, sobre o movimento estudantil, respondam que eram grupos de estudantes, mas que muitas pessoas também foram simpatizantes do movimento e aderiram às manifestações. Eles estavam resistindo à ditadura civil-militar, à opressão e à censura e aos atos de violência, como o assassinato do estudante Edson Luís. Como mudanças eles desejavam a liberdade de expressão, o fim da ditadura civil-militar, lutavam pelos direitos humanos, pelo fim da repressão e da violência policial.

É esperado que os alunos que ficaram com o documento 4, sobre o movimento operário, respondam que eram grupos de trabalhadores urbanos, operários das fábricas, que estavam, por meio de greves, protestando por melhores condições de trabalho e aumento salarial. Desejavam melhores condições de trabalho, aumento dos direitos trabalhistas, equiparação salarial, liberdade de expressão e direito a greve e a manifestação.

Peça que dois alunos leiam as respostas de seus grupos para a turma. O interessante é que seja um grupo sobre o movimento estudantil e outro sobre o movimento operário.

Documento 1 - Problematização: Imagem da Passeata dos cem mil
http://memorialdademocracia.com.br/card/passeata-dos-cem-mil-afronta-a-ditadura

Documento 2 - Problematização: Imagem da greve dos trabalhadores do ABC

http://memorialdademocracia.com.br/card/a-grande-greve-dos-trabalhadores-do-abc

Documento 3 - Problematização: Texto sobre o movimento estudantil durante a ditadura militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8SnYRxTmRXnJH28QPKwmHjPgBn8mVCfbbW55nBQtgMQX2GThUmnmZ5RY8puv/his9-22und01-movimento-estudantil.pdf

Documento 4 - Problematização: Texto sobre o movimento operário durante a ditadura civil-militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8znZBzbVfV5SaJMMg6XCygxAbTbwrTTJEdmYcBQpxe9TQrPHgd3rvQWcdE3W/his9-22und01-movimento-operario.pdf

As fontes iconográficas possuem como objetivo construir a imagem dos movimentos de resistência na época, destacando a luta estudantil e sindical e os objetivos das fontes textuais é possibilitar que os alunos reflitam e questionem como foram estes movimentos de resistências durante o regime da ditadura civil-militar.

Caso o professor não tenha acesso a data show para exibição das imagens, pode imprimir em folha de ofício ou A4 em escala de cinza e passar pelos grupos, para que vejam.

Para você saber mais:

Como foram os movimentos de resistência durante a ditadura civil-militar:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-da-resistencia/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento estudantil:

http://memoriasdaditadura.org.br/estudantes/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento operário:

http://memoriasdaditadura.org.br/operarios/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Vídeos com imagens e depoimentos sobre a Passeata dos cem mil, ocorrida no Rio de Janeiro em 1968

https://www.youtube.com/watch?v=3OvTRcptohU (Acesso em 30/01/2019)

http://www.vladimirpalmeira.com.br/ano1968_4.html (Acesso em 30/01/2019)

https://www.youtube.com/watch?v=zR5ZkD90U-0 (Acesso em 30/01/2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

Nesta etapa da Problematização o objetivo principal é possibilitar que os alunos analisem os movimentos de resistência estudantil e operária durante o período da ditadura civil-militar problematizando como foram estes movimentos durante o período.

Na primeira fase da Problematização os grupos irão ter contato com duas fotografias e questionar sobre o movimento e a forma de resistência apresentados. No segundo momento cada grupo irá receber um documento contendo um relato sobre o movimento estudantil e operário e irão problematizar os objetivos do movimento, as formas com que resistiram à ditadura civil-militar e quais as reivindicações destes grupos.

Peço que siga as etapas descritas abaixo, para que os alunos possam aos poucos ir problematizando sobre o movimento de resistência.

Exiba a imagem de resistência do movimento estudantil (disponivel aqui: http://memorialdademocracia.com.br/card/passeata-dos-cem-mil-afronta-a-ditadura ) e a imagem do movimento operário durante a ditadura civil-militar (disponivel aqui http://memorialdademocracia.com.br/card/a-grande-greve-dos-trabalhadores-do-abc ). Caso julgue necessário, imprima as fotos previamente para distribui-las em classe.

Peça que os grupos observem as fotografias e anotem suas considerações: O que vocês observam da imagem? Como as imagens retratam a resistência durante o período da ditadura civil-militar? Que forma de resistência estava sendo utilizada?

Esta parte da atividade deve durar em torno de 6 minutos, 3 minutos de observação e identificação para cada fotografia.

É esperado que os alunos identifiquem:

Na imagem 1: Os cartazes pedindo abaixo a ditadura e poder ao povo, a grande concentração de pessoas jovens na rua, se manifestando, aparentemente uma manifestação pacífica, por meio de passeata e ocupação da rua.

Na imagem 2: É esperado que os alunos destaquem a presença de adultos, trabalhadores, com o cartaz escrito “Volks trabalhadores unidos até a vitória”. Presença de muitos homens em idade adulta, e o meio de manifestação sendo a greve, a paralisação do trabalho.

Peça que dois grupos falem suas opiniões sobre as fotografias, o importante nesta etapa é que os alunos identifiquem que a primeira imagem trata-se de um movimento de estudantes que resistiram por meio de passeatas contrárias à ditadura civil-militar.

E que a segunda imagem representa o movimento operário, que resistia por meio de greves e paralisações.

Com os alunos ainda divididos em grupos, distribua as cópias dos documentos 3 e 4, segue o link abaixo, metade dos grupos irá analisar o documento 3, sobre o movimento estudantil, e a outra metade dos grupos irá analisar o documento 4, sobre o movimento operário.

Peça que os grupos leiam o texto e analisem o movimento de resistência. Exiba as perguntas que irão direcionar a Problematização do documento ou escreva no quadro.

Quem eram os manifestantes? Por que eles estavam resistindo? E quais mudanças eles queriam?

Peça que os grupos anotem as respostas obtidas debatidas pelo grupo em uma folha, ou no caderno.

É esperado que os alunos que ficaram com o documento 3, sobre o movimento estudantil, respondam que eram grupos de estudantes, mas que muitas pessoas também foram simpatizantes do movimento e aderiram às manifestações. Eles estavam resistindo à ditadura civil-militar, à opressão e à censura e aos atos de violência, como o assassinato do estudante Edson Luís. Como mudanças eles desejavam a liberdade de expressão, o fim da ditadura civil-militar, lutavam pelos direitos humanos, pelo fim da repressão e da violência policial.

É esperado que os alunos que ficaram com o documento 4, sobre o movimento operário, respondam que eram grupos de trabalhadores urbanos, operários das fábricas, que estavam, por meio de greves, protestando por melhores condições de trabalho e aumento salarial. Desejavam melhores condições de trabalho, aumento dos direitos trabalhistas, equiparação salarial, liberdade de expressão e direito à greve e a manifestação.

Peça que dois alunos leiam as respostas de seus grupos para a turma. O interessante é que seja um grupo sobre o movimento estudantil e outro sobre o movimento operário.

Documento 1 - Problematização: Imagem da passeata dos cem mil https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/AsyxbqzHvFuNJHZGBdaWGGQgWTwTGUCbAdQ7ZTkhKvGx7QdBGQZUJzmr2JFA/imagem-passeata-dos-cem-mil.pdf

Documento 2 - Problematização: Imagem da greve dos trabalhadores do ABC

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dsScVMGHNP8NV6EPgkuEsr427FwpAqBBfjJYPCmMEK9qcRD9ze79jZAHwJSY/imagem-movimento-operario.pdf

Documento 3 - Problematização: Texto sobre o movimento estudantil durante a ditadura militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8SnYRxTmRXnJH28QPKwmHjPgBn8mVCfbbW55nBQtgMQX2GThUmnmZ5RY8puv/his9-22und01-movimento-estudantil.pdf

Documento 4 - Problematização: Texto sobre o movimento operário durante a ditadura civil-militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8znZBzbVfV5SaJMMg6XCygxAbTbwrTTJEdmYcBQpxe9TQrPHgd3rvQWcdE3W/his9-22und01-movimento-operario.pdf

As fontes iconográficas possuem como objetivo construir a imagem dos movimentos de resistência na época, destacando a luta estudantil e sindical, e as fontes textuais têm como objetivo possibilitar que os alunos reflitam e questionem como foram estes movimentos de resistência durante o regime da ditadura civil-militar.

Caso o professor não tenha acesso a data show para exibição das imagens, pode imprimir em folha de ofício ou A4 em escala de cinza e passar pelos grupos, para que vejam.

Para você saber mais:

Como foram os movimentos de resistência durante a ditadura civil-militar:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-da-resistencia/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento estudantil:

http://memoriasdaditadura.org.br/estudantes/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento operário:

http://memoriasdaditadura.org.br/operarios/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Vídeos com imagens e depoimentos sobre a passeata dos cem mil, ocorrida no Rio de Janeiro em 1968

https://www.youtube.com/watch?v=3OvTRcptohU (Acesso em 30/01/2019)

http://www.vladimirpalmeira.com.br/ano1968_4.html (Acesso em 30/01/2019)

https://www.youtube.com/watch?v=zR5ZkD90U-0 (Acesso em 30/01/2019)

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

Nesta etapa da Problematização o objetivo principal é possibilitar que os alunos analisem os movimentos de resistência estudantil e operária durante o período da ditadura civil-militar, problematizando como foram estes movimentos durante o período.

Na primeira fase da Problematização os grupos irão ter contato com duas fotografias e questionar sobre o movimento e a forma de resistência apresentados. No segundo momento cada grupo irá receber um documento contendo um relato sobre o movimento estudantil e operário e problematizar os objetivos do movimento, as formas com que resistiram à ditadura civil-militar e quais as reivindicações destes grupos.

Peço que siga as etapas descritas abaixo para que os alunos possam aos poucos ir problematizando sobre o movimento de resistência.

Exiba a imagem de resistência do movimento estudantil e a imagem do movimento operário durante a ditadura civil-militar.

Peça que os grupos observem as fotografias e anotem suas considerações: O que vocês observam da imagem? Como as imagens retratam a resistência durante o período da ditadura civil-militar? Que forma de resistência estava sendo utilizada?

Esta parte da atividade deve durar em torno de 6 minutos, 3 minutos de observação e identificação para cada fotografia.

É esperado que os alunos identifiquem:

Na imagem 1: Os cartazes “Abaixo a ditadura” e “O povo no poder”, a grande concentração de pessoas jovens na rua, se manifestando, aparentemente pacificamente, por meio de passeata e ocupação da rua.

Na imagem 2: É esperado que os alunos destaquem a presença de adultos, trabalhadores, com o cartaz escrito “Volks trabalhadores unidos até a vitória”. Presença de muitos homens em idade adulta, e o meio de manifestação sendo a greve, a paralisação do trabalho.

Peça que dois grupos deem suas opiniões sobre as fotografias, o importante nesta etapa é que os alunos identifiquem que a primeira imagem trata-se de um movimento de estudantes que resistiram por meio de passeatas contrárias à ditadura civil-militar.

E que a segunda imagem representa o movimento operário, que resistia por meio de greves e paralisações.

Com os alunos ainda divididos em grupos, distribua as cópias dos documentos 3 e 4, segue o link abaixo, metade dos grupos irá analisar o documento 3, sobre o movimento estudantil, e a outra metade dos grupos irá analisar o documento 4, sobre o movimento operário.

Peça que os grupos leiam o texto e analisem o movimento de resistência. Exiba as perguntas que irão direcionar a problematização do documento ou escreva no quadro.

Quem eram os manifestantes? Por que eles estavam resistindo? E quais mudanças eles queriam?

Peça que os grupos anotem as respostas obtidas debatidas pelo grupo em uma folha, ou no caderno.

É esperado que os alunos que ficaram com o documento 3, sobre o movimento estudantil, respondam que eram grupos de estudantes, mas que muitas pessoas também foram simpatizantes do movimento e aderiram às manifestações. Eles estavam resistindo à ditadura civil-militar, a opressão e a censura e aos atos de violência como o assassinato do estudante Edson Luís. Como mudanças eles desejavam a liberdade de expressão, o fim da ditadura civil-militar, lutavam pelos direitos humanos, pelo fim da repressão e da violência policial.

É esperado que os alunos que ficaram com odocumento 4, sobre o movimento operário, respondam que eram grupos de trabalhadores urbanos, operários das fábricas, que estavam, por meio de greves, protestando por melhores condições de trabalho e aumento salarial. Desejavam melhores condições de trabalho, aumento dos direitos trabalhistas, equiparação salarial, liberdade de expressão e direito a greve e a manifestação.

Peça que dois alunos leiam as respostas de seus grupos para a turma. O interessante é que seja um grupo sobre o movimento estudantil e outro sobre o movimento operário.

Documento 1 - Problematização: Imagem da passeata dos cem mil https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/AsyxbqzHvFuNJHZGBdaWGGQgWTwTGUCbAdQ7ZTkhKvGx7QdBGQZUJzmr2JFA/imagem-passeata-dos-cem-mil.pdf

Documento 2 - Problematização: Imagem da greve dos trabalhadores do ABC

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dsScVMGHNP8NV6EPgkuEsr427FwpAqBBfjJYPCmMEK9qcRD9ze79jZAHwJSY/imagem-movimento-operario.pdf

Documento 3 - Problematização: Texto sobre o movimento estudantil durante a ditadura militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8SnYRxTmRXnJH28QPKwmHjPgBn8mVCfbbW55nBQtgMQX2GThUmnmZ5RY8puv/his9-22und01-movimento-estudantil.pdf

Documento 4 - Problematização: Texto sobre o movimento operário durante a ditadura civil-militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8znZBzbVfV5SaJMMg6XCygxAbTbwrTTJEdmYcBQpxe9TQrPHgd3rvQWcdE3W/his9-22und01-movimento-operario.pdf

As fontes iconográficas possuem como objetivo construir a imagem os movimentos de resistência na época destacando a luta estudantil e sindical, e as fontes textuais possuem como objetivo possibilitar que os alunos reflitam e questionem como foram estes movimentos de resistência durante o regime da ditadura civil-militar.

Caso o professor não tenha acesso à data show para exibição das imagens, pode imprimir em folha de ofício ou A4 em escala de cinza e passar pelos grupos, para que vejam.

Para você saber mais:

Como foram os movimentos de resistência durante a ditadura civil-militar:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-da-resistencia/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento estudantil:

http://memoriasdaditadura.org.br/estudantes/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento operário:

http://memoriasdaditadura.org.br/operarios/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Vídeos com imagens e depoimentos sobre a Passeata dos cem mil, ocorrida no Rio de Janeiro em 1968

https://www.youtube.com/watch?v=3OvTRcptohU (Acesso em 30/01/2019)

http://www.vladimirpalmeira.com.br/ano1968_4.html (Acesso em 30/01/2019)

https://www.youtube.com/watch?v=zR5ZkD90U-0 (Acesso em 30/01/2019)

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações:

Entregue o modelo de tabela, que está no link abaixo, ou reproduza este modelo no quadro, peça que os grupos elaborem uma tabela de análise do movimento de resistência, com base no documento lido na etapa de Problematização.

Nesta etapa será disponibilizado um modelo de tabela para que os alunos preencham e identifiquem as principais características do movimento estudado. O objetivo desta etapa é sistematizar o conhecimento aprendido ao longo da aula para que os alunos consigam ter uma visão geral do movimento de resistência e uma comparação no fim das tabelas dos dois movimentos que foram trabalhados ao longo da aula.

Após a elaboração da tabela, pedir que um grupo de cada movimento apresente a sua tabela para a turma. O ideal é que o professor faça a mediação desta atividade, estabelecendo uma comparação entre os dois movimentos de resistência: o estudantil e o operário.

Documento 5 - Sistematização: Tabela de análise das fontes do movimento estudantil e operário

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VKWNtQPDBsdsefW2UyfMerr3mqJMBSp6F5JHGEFqGk6NpeVVF7eHNXnqgj6B/his9-22und01-tabela-de-analise.pdf

Esta tabela foi elaborada por nós e pode ser adaptada pelo professor.

Professor, como sugestão, para a atividade de sistematização pode ser elaborado um painel comparativo, em cartolina ou papel pardo, com as tabelas do movimento estudantil de um lado e as tabelas do movimento operário de outro. Para que os alunos vejam as diferenças dos movimentos e seus objetivos.

Sugestão: O professor poderá optar nesta etapa da Sistematização, dependendo do desenvolvimento da turma, por pedir que os grupos construam a tabela de forma invertida, peça que os grupos prestem bastante atenção na explanação dos grupos na etapa da Problematização e peça que os grupos que analisaram a fonte sobre movimento estudantil elaborem a tabela sobre movimento operário, e os grupos do movimento operário elaborem a tabela sobre movimento estudantil.

Caso não consiga disponibilizar a tabela para os grupos o professor pode fazer a tabela no quadro e pedir que os alunos façam em uma folha por grupo.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF09HI22, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

O plano de aula em questão procura identificar as diferentes formas de resistência e seus movimentos durante o período da ditadura civil-militar no Brasil, compreendendo o significado e as diferenças entre o movimento estudantil e o movimento operário e como estes movimentos contribuíram para a reconquista dos direitos sociais e políticos no Brasil.

Materiais necessários: Data show para exibição das imagens ou impressão em A4 em escala de cinza das imagens. Cópias dos textos 1 e 2 para os grupos e da tabela de análise.

Material complementar:

Documento 1 - Problematização: Imagem da Passeata dos cem mil http://memorialdademocracia.com.br/card/passeata-dos-cem-mil-afronta-a-ditadura

Documento 2 - Problematização: Imagem da greve dos trabalhadores do ABC

http://memorialdademocracia.com.br/card/a-grande-greve-dos-trabalhadores-do-abc

Documento 3 - Problematização: Texto sobre o movimento estudantil durante a ditadura militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8SnYRxTmRXnJH28QPKwmHjPgBn8mVCfbbW55nBQtgMQX2GThUmnmZ5RY8puv/his9-22und01-movimento-estudantil.pdf

Documento 4 - Problematização: Texto sobre o movimento operário durante a ditadura civil-militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8znZBzbVfV5SaJMMg6XCygxAbTbwrTTJEdmYcBQpxe9TQrPHgd3rvQWcdE3W/his9-22und01-movimento-operario.pdf

Documento 5 - Sistematização: Tabela de análise das fontes do movimento estudantil e operário

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VKWNtQPDBsdsefW2UyfMerr3mqJMBSp6F5JHGEFqGk6NpeVVF7eHNXnqgj6B/his9-22und01-tabela-de-analise.pdf

Para você saber mais:

Para saber mais sobre o conceito de ditadura civil-militar:

http://www.emdialogo.uff.br/content/consideracoes-sobre-o-conceito-da-ditadura-civil-militar-com-os-alunos-do-ensino-medio-3o (Acesso em 30/01/2019)

http://e-revista.unioeste.br/index.php/espacoplural/article/download/8574/6324 (Acesso em 30/01/2019)

Como foram os movimentos de resistência durante a ditadura civil-militar:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-da-resistencia/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento estudantil:

http://memoriasdaditadura.org.br/estudantes/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento operário:

http://memoriasdaditadura.org.br/operarios/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Vídeos com imagens e depoimentos sobre a Passeata dos cem mil, ocorrida no Rio de Janeiro em 1968

https://www.youtube.com/watch?v=3OvTRcptohU (Acesso em 30/01/2019)

http://www.vladimirpalmeira.com.br/ano1968_4.html (Acesso em 30/01/2019)

https://www.youtube.com/watch?v=zR5ZkD90U-0 (Acesso em 30/01/2019)

Significado de resistência:

https://www.dicio.com.br/resistencia/ (Acesso em 30/01/2019)

Referências bibliográficas:

FICO, C. Além do golpe: versões e controvérsias sobre 1964 e a ditadura militar. Rio de Janeiro: Record, 2004.

NAPOLITANO, Marcos. 1964: História do regime militar brasileiro. 1ª ed. São Paulo: Editora Contexto, 2014.

REIS, Daniel Aarão. Ditadura e democracia no Brasil: do golpe de 1964 à Constituição de 1988. Rio de Janeiro: Zahar, 2014.

VALLE, Maria Ribeiro do. 1968 - O diálogo é a violência, movimento estudantil e ditadura militar no Brasil. 2ª ed. Campinas: Ed. UNICAMP, 2008.

Bretas, Marcos Luiz. A guerra das ruas: povo e polícia na cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1997.

Machado, Ana Maria, Tropical sol da liberdade. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988.

Ventura, Zuenir 1968: O ano que não terminou. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Apresente o objetivo da aula para a turma. Você pode escrever no quadro, projetar ou ler. O importante neste momento é que os alunos saibam o que será trabalhado na aula e qual o objetivo do aprendizado. A intenção nesta parte inicial é que os alunos saibam qual o objetivo da aula e o que deverão aprender no fim desta. Mas é muito importante que o professor não antecipe nenhuma questão ou reflexão específica que será tratada durante a aula, permitindo que os alunos sejam protagonistas na construção do conhecimento.

Esta aula tem como objetivo que os alunos identifiquem o que foi o movimento de resistência durante o período da ditadura civil-militar, seu significado e suas diferenças e como estes movimentos contribuíram para a reconquista dos direitos sociais e políticos no Brasil.

Para você saber mais:

Para saber mais sobre o conceito de ditadura civil-militar:

http://www.emdialogo.uff.br/content/consideracoes-sobre-o-conceito-da-ditadura-civil-militar-com-os-alunos-do-ensino-medio-3o (Acesso em 30/01/2019)

http://e-revista.unioeste.br/index.php/espacoplural/article/download/8574/6324 (Acesso em 30/01/2019)

Como foram os movimentos de resistência durante a ditadura civil-militar:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-da-resistencia/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

Divida a turma em grupos de quatro alunos, escreva no quadro ou projete o slide com a palavra resistência e peça que os grupos conversem sobre o que significa resistência.

Depois de alguns grupos darem sua opinião, projete ou escreva no quadro o verbete sobre o significado da palavra resistência.

É esperado que os alunos relacionem a palavra resistência a resistência elétrica, a resistência com significado de força, de duradouro.

Ex.: Este celular é resistente. A resistência do chuveiro queimou e eu tomei banho frio.

Mas o ideal é que relacionem a palavra resistir também ao significado de: resistente, aquele que se mantém firme, que suporta, que reage contra algo.

O ideal é que os alunos sejam estimulados a pensar sobre o significado do conceito e as formas de resistências que existem.

Às vezes a resistência é uma ação, mas o silêncio e a inação também são formas de resistência, dependendo da situação.

Caso os alunos não saibam, ou deem respostas muito distantes do significado de resistência, o professor pode citar frases utilizando a palavra resistência para ajudar os alunos, como: João não aceitou a injustiça feita com Pedro no jogo, sua resistência foi abandonar o jogo. Pedro resistiu contra as novas regras impostas, protestando.

Como adequar à sua realidade:

Se sua escola estiver situada em uma aldeia indígena, ou região próxima, pode aproveitar para indagar: O que significa resistência aqui, para nós, povos indígenas? Como podemos resistir? Trabalhar o significado de resistência atrelado à questão dos povos indígenas de preservação de sua cultura, ou da resistência indígena na localidade.

O mesmo pode ser sugerido se a sua escola for em uma comunidade quilombola: O que significa resistência para nós, moradores do quilombo? O conceito de resistência pode ser significado com base em práticas locais de resistência, da preservação da memória local como uma forma de resistir.

Caso sua escola esteja situada em uma região de comunidade, O que significa resistência na comunidade? O que podemos citar como formas de resistir aqui na comunidade? Pode se relacionar o significado de resistência a música local, aos raps, ao funk, ao grafite, como que estes aspectos da cultura se configuram como uma forma de resistência de dar voz a uma parcela da sociedade pouco ouvida.

Para você saber mais:

Significado de resistência:

https://www.dicio.com.br/resistencia/ (Acesso em 30/01/2019)

Slide Plano Aula

Orientações:

Divida os alunos em grupos de quatro, escreva no quadro ou projete o slide com a palavra resistência e peça que os grupos conversem sobre
o que significa resistência. Após alguns grupos darem sua opinião, projete ou escreva no quadro o verbete sobre o significado da palavra resistência.

É esperado que os alunos relacionem a palavra resistência a resistência elétrica, à palavra resistir. Resistente, aquele que se mantém firme, que suporta, que reage contra algo. O ideal é que se estimule os alunos a pensar sobre o significado do conceito e as formas de resistência que existem. Às vezes a resistência é uma ação, mas o silêncio e a inação também são formas de resistência, dependendo da situação.

Link de apoio ao conceito de resistência: https://www.dicio.com.br/resistencia/

Como adequar à sua realidade:

Se sua escola estiver situada em uma aldeia indígena, ou região próxima, pode aproveitar para indagar: O que significa resistência aqui para nós povos indígenas? Como podemos resistir? Trabalhar o significado de resistência atrelado à questão dos povos indígenas de preservação de sua cultura, ou da resistência indígena na localidade.

O mesmo pode ser sugerido se a sua escola for em uma comunidade quilombola: O que significa resistência para nós, moradores do quilombo? O conceito de resistência pode ser significado com base nas práticas locais de resistência, da preservação da memória local como uma forma de resistir.

Caso sua escola esteja situada em uma região de comunidade, O que significa resistência aqui na comunidade? O que podemos citar como formas de resistir aqui na comunidade? Pode se relacionar o significado de resistência à música local, aos raps, ao funk, ao grafite, como que estes aspectos da cultura se configuram como uma forma de resistência de dar voz a uma parcela da sociedade pouco ouvida.

Para você saber mais:

Significado de resistência:

https://www.dicio.com.br/resistencia/ (Acesso em 30/01/2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 23 minutos.

Orientações:

Nesta etapa da Problematização o objetivo principal é possibilitar que os alunos analisem os movimentos de resistência estudantil e operária durante a ditadura civil-militar, problematizando como foram estes movimentos durante o período.

Na primeira fase da Problematização os grupos irão ter contato com duas fotografias e questionar sobre o movimento e a forma de resistência apresentados. No segundo momento cada grupo irá receber um documento contendo um relato sobre o movimento estudantil e operário e problematizar os objetivos do movimento, as formas com que resistiram à ditadura civil-militar e quais as reivindicações destes grupos.

Siga as etapas descritas abaixo para que os alunos possam aos poucos ir problematizando sobre o movimento de resistência.

Exiba a imagem de resistência do movimento estudantil (disponivel aqui: http://memorialdademocracia.com.br/card/passeata-dos-cem-mil-afronta-a-ditadura ) e a imagem do movimento operário durante a ditadura civil-militar (disponivel aqui http://memorialdademocracia.com.br/card/a-grande-greve-dos-trabalhadores-do-abc ). Caso julgue necessário, imprima as fotos previamente para distribuí-las em classe.

Peça que os grupos observem as fotografias e anotem suas considerações: O que vocês observam da imagem? Como as imagens retratam a resistência durante o período da ditadura civil-militar? Que forma de resistência estava sendo utilizada?

Esta parte da atividade deve durar em torno de 6 minutos, 3 minutos de observação e identificação para cada fotografia.

É esperado que os alunos identifiquem:

Na imagem 1: Os cartazes “Abaixo a ditadura” e “Povo no poder”, a grande concentração de pessoas jovens na rua, se manifestando, aparentemente uma manifestação pacífica, por meio de passeata e ocupação da rua.

Na imagem 2: É esperado que os alunos destaquem a presença de adultos, trabalhadores, com o cartaz escrito “Volks trabalhadores unidos até a vitória”. Presença de muitos homens em idade adulta e o meio de manifestação sendo a greve, a paralisação do trabalho.

Peça que dois grupos deem suas opiniões sobre as fotografias, o importante desta etapa é que os alunos identifiquem que a primeira imagem trata-se de um movimento de estudantes que resistiram por meio de passeatas contrárias à ditadura civil-militar.

E que a segunda imagem representa o movimento operário, que resistia por meio de greves e paralisações.

Com os alunos ainda divididos em grupos, distribua as cópias dos documentos 3 e 4, segue o link abaixo, metade dos grupos irá analisar o documento 3, sobre o movimento estudantil, e a outra metade dos grupos irá analisar o documento 4, sobre o movimento operário.

Peça que os grupos leiam o texto e analisem o movimento de resistência. Exiba as perguntas que irão direcionar a Problematização do documento ou escreva no quadro.

Quem eram os manifestantes? Por que eles estavam resistindo? E quais mudanças eles queriam?

Peça que os grupos anotem as respostas obtidas debatidas pelo grupo em uma folha, ou no caderno.

É esperado que os alunos que ficaram com o documento 3, sobre o movimento estudantil, respondam que eram grupos de estudantes, mas que muitas pessoas também foram simpatizantes do movimento e aderiram às manifestações. Eles estavam resistindo à ditadura civil-militar, à opressão e à censura e aos atos de violência, como o assassinato do estudante Edson Luís. Como mudanças eles desejavam a liberdade de expressão, o fim da ditadura civil-militar, lutavam pelos direitos humanos, pelo fim da repressão e da violência policial.

É esperado que os alunos que ficaram com o documento 4, sobre o movimento operário, respondam que eram grupos de trabalhadores urbanos, operários das fábricas, que estavam, por meio de greves, protestando por melhores condições de trabalho e aumento salarial. Desejavam melhores condições de trabalho, aumento dos direitos trabalhistas, equiparação salarial, liberdade de expressão e direito a greve e a manifestação.

Peça que dois alunos leiam as respostas de seus grupos para a turma. O interessante é que seja um grupo sobre o movimento estudantil e outro sobre o movimento operário.

Documento 1 - Problematização: Imagem da Passeata dos cem mil
http://memorialdademocracia.com.br/card/passeata-dos-cem-mil-afronta-a-ditadura

Documento 2 - Problematização: Imagem da greve dos trabalhadores do ABC

http://memorialdademocracia.com.br/card/a-grande-greve-dos-trabalhadores-do-abc

Documento 3 - Problematização: Texto sobre o movimento estudantil durante a ditadura militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8SnYRxTmRXnJH28QPKwmHjPgBn8mVCfbbW55nBQtgMQX2GThUmnmZ5RY8puv/his9-22und01-movimento-estudantil.pdf

Documento 4 - Problematização: Texto sobre o movimento operário durante a ditadura civil-militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8znZBzbVfV5SaJMMg6XCygxAbTbwrTTJEdmYcBQpxe9TQrPHgd3rvQWcdE3W/his9-22und01-movimento-operario.pdf

As fontes iconográficas possuem como objetivo construir a imagem dos movimentos de resistência na época, destacando a luta estudantil e sindical e os objetivos das fontes textuais é possibilitar que os alunos reflitam e questionem como foram estes movimentos de resistências durante o regime da ditadura civil-militar.

Caso o professor não tenha acesso a data show para exibição das imagens, pode imprimir em folha de ofício ou A4 em escala de cinza e passar pelos grupos, para que vejam.

Para você saber mais:

Como foram os movimentos de resistência durante a ditadura civil-militar:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-da-resistencia/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento estudantil:

http://memoriasdaditadura.org.br/estudantes/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento operário:

http://memoriasdaditadura.org.br/operarios/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Vídeos com imagens e depoimentos sobre a Passeata dos cem mil, ocorrida no Rio de Janeiro em 1968

https://www.youtube.com/watch?v=3OvTRcptohU (Acesso em 30/01/2019)

http://www.vladimirpalmeira.com.br/ano1968_4.html (Acesso em 30/01/2019)

https://www.youtube.com/watch?v=zR5ZkD90U-0 (Acesso em 30/01/2019)

Slide Plano Aula

Orientações:

Nesta etapa da Problematização o objetivo principal é possibilitar que os alunos analisem os movimentos de resistência estudantil e operária durante o período da ditadura civil-militar problematizando como foram estes movimentos durante o período.

Na primeira fase da Problematização os grupos irão ter contato com duas fotografias e questionar sobre o movimento e a forma de resistência apresentados. No segundo momento cada grupo irá receber um documento contendo um relato sobre o movimento estudantil e operário e irão problematizar os objetivos do movimento, as formas com que resistiram à ditadura civil-militar e quais as reivindicações destes grupos.

Peço que siga as etapas descritas abaixo, para que os alunos possam aos poucos ir problematizando sobre o movimento de resistência.

Exiba a imagem de resistência do movimento estudantil (disponivel aqui: http://memorialdademocracia.com.br/card/passeata-dos-cem-mil-afronta-a-ditadura ) e a imagem do movimento operário durante a ditadura civil-militar (disponivel aqui http://memorialdademocracia.com.br/card/a-grande-greve-dos-trabalhadores-do-abc ). Caso julgue necessário, imprima as fotos previamente para distribui-las em classe.

Peça que os grupos observem as fotografias e anotem suas considerações: O que vocês observam da imagem? Como as imagens retratam a resistência durante o período da ditadura civil-militar? Que forma de resistência estava sendo utilizada?

Esta parte da atividade deve durar em torno de 6 minutos, 3 minutos de observação e identificação para cada fotografia.

É esperado que os alunos identifiquem:

Na imagem 1: Os cartazes pedindo abaixo a ditadura e poder ao povo, a grande concentração de pessoas jovens na rua, se manifestando, aparentemente uma manifestação pacífica, por meio de passeata e ocupação da rua.

Na imagem 2: É esperado que os alunos destaquem a presença de adultos, trabalhadores, com o cartaz escrito “Volks trabalhadores unidos até a vitória”. Presença de muitos homens em idade adulta, e o meio de manifestação sendo a greve, a paralisação do trabalho.

Peça que dois grupos falem suas opiniões sobre as fotografias, o importante nesta etapa é que os alunos identifiquem que a primeira imagem trata-se de um movimento de estudantes que resistiram por meio de passeatas contrárias à ditadura civil-militar.

E que a segunda imagem representa o movimento operário, que resistia por meio de greves e paralisações.

Com os alunos ainda divididos em grupos, distribua as cópias dos documentos 3 e 4, segue o link abaixo, metade dos grupos irá analisar o documento 3, sobre o movimento estudantil, e a outra metade dos grupos irá analisar o documento 4, sobre o movimento operário.

Peça que os grupos leiam o texto e analisem o movimento de resistência. Exiba as perguntas que irão direcionar a Problematização do documento ou escreva no quadro.

Quem eram os manifestantes? Por que eles estavam resistindo? E quais mudanças eles queriam?

Peça que os grupos anotem as respostas obtidas debatidas pelo grupo em uma folha, ou no caderno.

É esperado que os alunos que ficaram com o documento 3, sobre o movimento estudantil, respondam que eram grupos de estudantes, mas que muitas pessoas também foram simpatizantes do movimento e aderiram às manifestações. Eles estavam resistindo à ditadura civil-militar, à opressão e à censura e aos atos de violência, como o assassinato do estudante Edson Luís. Como mudanças eles desejavam a liberdade de expressão, o fim da ditadura civil-militar, lutavam pelos direitos humanos, pelo fim da repressão e da violência policial.

É esperado que os alunos que ficaram com o documento 4, sobre o movimento operário, respondam que eram grupos de trabalhadores urbanos, operários das fábricas, que estavam, por meio de greves, protestando por melhores condições de trabalho e aumento salarial. Desejavam melhores condições de trabalho, aumento dos direitos trabalhistas, equiparação salarial, liberdade de expressão e direito à greve e a manifestação.

Peça que dois alunos leiam as respostas de seus grupos para a turma. O interessante é que seja um grupo sobre o movimento estudantil e outro sobre o movimento operário.

Documento 1 - Problematização: Imagem da passeata dos cem mil https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/AsyxbqzHvFuNJHZGBdaWGGQgWTwTGUCbAdQ7ZTkhKvGx7QdBGQZUJzmr2JFA/imagem-passeata-dos-cem-mil.pdf

Documento 2 - Problematização: Imagem da greve dos trabalhadores do ABC

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dsScVMGHNP8NV6EPgkuEsr427FwpAqBBfjJYPCmMEK9qcRD9ze79jZAHwJSY/imagem-movimento-operario.pdf

Documento 3 - Problematização: Texto sobre o movimento estudantil durante a ditadura militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8SnYRxTmRXnJH28QPKwmHjPgBn8mVCfbbW55nBQtgMQX2GThUmnmZ5RY8puv/his9-22und01-movimento-estudantil.pdf

Documento 4 - Problematização: Texto sobre o movimento operário durante a ditadura civil-militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8znZBzbVfV5SaJMMg6XCygxAbTbwrTTJEdmYcBQpxe9TQrPHgd3rvQWcdE3W/his9-22und01-movimento-operario.pdf

As fontes iconográficas possuem como objetivo construir a imagem dos movimentos de resistência na época, destacando a luta estudantil e sindical, e as fontes textuais têm como objetivo possibilitar que os alunos reflitam e questionem como foram estes movimentos de resistência durante o regime da ditadura civil-militar.

Caso o professor não tenha acesso a data show para exibição das imagens, pode imprimir em folha de ofício ou A4 em escala de cinza e passar pelos grupos, para que vejam.

Para você saber mais:

Como foram os movimentos de resistência durante a ditadura civil-militar:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-da-resistencia/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento estudantil:

http://memoriasdaditadura.org.br/estudantes/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento operário:

http://memoriasdaditadura.org.br/operarios/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Vídeos com imagens e depoimentos sobre a passeata dos cem mil, ocorrida no Rio de Janeiro em 1968

https://www.youtube.com/watch?v=3OvTRcptohU (Acesso em 30/01/2019)

http://www.vladimirpalmeira.com.br/ano1968_4.html (Acesso em 30/01/2019)

https://www.youtube.com/watch?v=zR5ZkD90U-0 (Acesso em 30/01/2019)

Slide Plano Aula

Orientações:

Nesta etapa da Problematização o objetivo principal é possibilitar que os alunos analisem os movimentos de resistência estudantil e operária durante o período da ditadura civil-militar, problematizando como foram estes movimentos durante o período.

Na primeira fase da Problematização os grupos irão ter contato com duas fotografias e questionar sobre o movimento e a forma de resistência apresentados. No segundo momento cada grupo irá receber um documento contendo um relato sobre o movimento estudantil e operário e problematizar os objetivos do movimento, as formas com que resistiram à ditadura civil-militar e quais as reivindicações destes grupos.

Peço que siga as etapas descritas abaixo para que os alunos possam aos poucos ir problematizando sobre o movimento de resistência.

Exiba a imagem de resistência do movimento estudantil e a imagem do movimento operário durante a ditadura civil-militar.

Peça que os grupos observem as fotografias e anotem suas considerações: O que vocês observam da imagem? Como as imagens retratam a resistência durante o período da ditadura civil-militar? Que forma de resistência estava sendo utilizada?

Esta parte da atividade deve durar em torno de 6 minutos, 3 minutos de observação e identificação para cada fotografia.

É esperado que os alunos identifiquem:

Na imagem 1: Os cartazes “Abaixo a ditadura” e “O povo no poder”, a grande concentração de pessoas jovens na rua, se manifestando, aparentemente pacificamente, por meio de passeata e ocupação da rua.

Na imagem 2: É esperado que os alunos destaquem a presença de adultos, trabalhadores, com o cartaz escrito “Volks trabalhadores unidos até a vitória”. Presença de muitos homens em idade adulta, e o meio de manifestação sendo a greve, a paralisação do trabalho.

Peça que dois grupos deem suas opiniões sobre as fotografias, o importante nesta etapa é que os alunos identifiquem que a primeira imagem trata-se de um movimento de estudantes que resistiram por meio de passeatas contrárias à ditadura civil-militar.

E que a segunda imagem representa o movimento operário, que resistia por meio de greves e paralisações.

Com os alunos ainda divididos em grupos, distribua as cópias dos documentos 3 e 4, segue o link abaixo, metade dos grupos irá analisar o documento 3, sobre o movimento estudantil, e a outra metade dos grupos irá analisar o documento 4, sobre o movimento operário.

Peça que os grupos leiam o texto e analisem o movimento de resistência. Exiba as perguntas que irão direcionar a problematização do documento ou escreva no quadro.

Quem eram os manifestantes? Por que eles estavam resistindo? E quais mudanças eles queriam?

Peça que os grupos anotem as respostas obtidas debatidas pelo grupo em uma folha, ou no caderno.

É esperado que os alunos que ficaram com o documento 3, sobre o movimento estudantil, respondam que eram grupos de estudantes, mas que muitas pessoas também foram simpatizantes do movimento e aderiram às manifestações. Eles estavam resistindo à ditadura civil-militar, a opressão e a censura e aos atos de violência como o assassinato do estudante Edson Luís. Como mudanças eles desejavam a liberdade de expressão, o fim da ditadura civil-militar, lutavam pelos direitos humanos, pelo fim da repressão e da violência policial.

É esperado que os alunos que ficaram com odocumento 4, sobre o movimento operário, respondam que eram grupos de trabalhadores urbanos, operários das fábricas, que estavam, por meio de greves, protestando por melhores condições de trabalho e aumento salarial. Desejavam melhores condições de trabalho, aumento dos direitos trabalhistas, equiparação salarial, liberdade de expressão e direito a greve e a manifestação.

Peça que dois alunos leiam as respostas de seus grupos para a turma. O interessante é que seja um grupo sobre o movimento estudantil e outro sobre o movimento operário.

Documento 1 - Problematização: Imagem da passeata dos cem mil https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/AsyxbqzHvFuNJHZGBdaWGGQgWTwTGUCbAdQ7ZTkhKvGx7QdBGQZUJzmr2JFA/imagem-passeata-dos-cem-mil.pdf

Documento 2 - Problematização: Imagem da greve dos trabalhadores do ABC

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/dsScVMGHNP8NV6EPgkuEsr427FwpAqBBfjJYPCmMEK9qcRD9ze79jZAHwJSY/imagem-movimento-operario.pdf

Documento 3 - Problematização: Texto sobre o movimento estudantil durante a ditadura militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8SnYRxTmRXnJH28QPKwmHjPgBn8mVCfbbW55nBQtgMQX2GThUmnmZ5RY8puv/his9-22und01-movimento-estudantil.pdf

Documento 4 - Problematização: Texto sobre o movimento operário durante a ditadura civil-militar

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/8znZBzbVfV5SaJMMg6XCygxAbTbwrTTJEdmYcBQpxe9TQrPHgd3rvQWcdE3W/his9-22und01-movimento-operario.pdf

As fontes iconográficas possuem como objetivo construir a imagem os movimentos de resistência na época destacando a luta estudantil e sindical, e as fontes textuais possuem como objetivo possibilitar que os alunos reflitam e questionem como foram estes movimentos de resistência durante o regime da ditadura civil-militar.

Caso o professor não tenha acesso à data show para exibição das imagens, pode imprimir em folha de ofício ou A4 em escala de cinza e passar pelos grupos, para que vejam.

Para você saber mais:

Como foram os movimentos de resistência durante a ditadura civil-militar:

http://memoriasdaditadura.org.br/panorama-da-resistencia/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento estudantil:

http://memoriasdaditadura.org.br/estudantes/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Sobre o movimento operário:

http://memoriasdaditadura.org.br/operarios/index.html (Acesso em 30/01/2019)

Vídeos com imagens e depoimentos sobre a Passeata dos cem mil, ocorrida no Rio de Janeiro em 1968

https://www.youtube.com/watch?v=3OvTRcptohU (Acesso em 30/01/2019)

http://www.vladimirpalmeira.com.br/ano1968_4.html (Acesso em 30/01/2019)

https://www.youtube.com/watch?v=zR5ZkD90U-0 (Acesso em 30/01/2019)

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos.

Orientações:

Entregue o modelo de tabela, que está no link abaixo, ou reproduza este modelo no quadro, peça que os grupos elaborem uma tabela de análise do movimento de resistência, com base no documento lido na etapa de Problematização.

Nesta etapa será disponibilizado um modelo de tabela para que os alunos preencham e identifiquem as principais características do movimento estudado. O objetivo desta etapa é sistematizar o conhecimento aprendido ao longo da aula para que os alunos consigam ter uma visão geral do movimento de resistência e uma comparação no fim das tabelas dos dois movimentos que foram trabalhados ao longo da aula.

Após a elaboração da tabela, pedir que um grupo de cada movimento apresente a sua tabela para a turma. O ideal é que o professor faça a mediação desta atividade, estabelecendo uma comparação entre os dois movimentos de resistência: o estudantil e o operário.

Documento 5 - Sistematização: Tabela de análise das fontes do movimento estudantil e operário

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/VKWNtQPDBsdsefW2UyfMerr3mqJMBSp6F5JHGEFqGk6NpeVVF7eHNXnqgj6B/his9-22und01-tabela-de-analise.pdf

Esta tabela foi elaborada por nós e pode ser adaptada pelo professor.

Professor, como sugestão, para a atividade de sistematização pode ser elaborado um painel comparativo, em cartolina ou papel pardo, com as tabelas do movimento estudantil de um lado e as tabelas do movimento operário de outro. Para que os alunos vejam as diferenças dos movimentos e seus objetivos.

Sugestão: O professor poderá optar nesta etapa da Sistematização, dependendo do desenvolvimento da turma, por pedir que os grupos construam a tabela de forma invertida, peça que os grupos prestem bastante atenção na explanação dos grupos na etapa da Problematização e peça que os grupos que analisaram a fonte sobre movimento estudantil elaborem a tabela sobre movimento operário, e os grupos do movimento operário elaborem a tabela sobre movimento estudantil.

Caso não consiga disponibilizar a tabela para os grupos o professor pode fazer a tabela no quadro e pedir que os alunos façam em uma folha por grupo.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Modernização, ditadura civil-militar e redemocratização: o Brasil após 1946 do 9º ano :

9º ano / História / Modernização, ditadura civil-militar e redemocratização: o Brasil após 1946

9º ano / História / Modernização, ditadura civil-militar e redemocratização: o Brasil após 1946

MAIS AULAS DE História do 9º ano:

9º ano / História / Modernização, ditadura civil-militar e redemocratização: o Brasil após 1946

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF09HI22 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano