16375
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 9º ano > Totalitarismos e conflitos mundiais

Plano de aula - A expansão capitalista e o imperialismo europeu no século XIX

Plano de aula de História com atividades para 9º ano do EF sobre A expansão capitalista e o imperialismo europeu no século XIX

Plano 01 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Guilherme Gonzaga Bento

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF09HI10 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cópia impressa dos textos indicados; Folha em branco; Data Show (se houver); Pincel ou giz para escrever no quadro.

Material complementar:

Tabela “A partilha do mundo entre as grandes potências”.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/kYKN4cWzkB6QHQJXfGev5bmGNZAepG7cWtHacQKqkTTGDGxsEr9ur2qwXGtX/his9-10und01-tabela-a-partilha-do-mundo-entre-as-grandes-potencias.pdf

Presente no livro “imperialismo, etapa superior do capitalismo” de Vladimir Lenin, disponível no endereço eletrônico.

Fragmentos da obra “Imperialismo, etapa superior do capitalismo”.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/kqZCmQKenecec9jKfeTFzAdBNNQQW8aC53rYCfTDCAJ2ejX9gCS42m2evsN7/his9-10und01-imperialismo-etapa-superior-do-capitalismo.pdf

Obra escrita em 1917 pelo revolucionário Russo Vladimir Lenin, utilizando-se da teoria marxista.

Trechos do texto “Primeira crise capitalista” de Leandro Carvalho. https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/v5NDA5ddMTHTEe7SzHQeByDe3PVuY24VNPxFYZU6MmRXKnrMTYCDqdWjqFnu/his9-10und01-primeira-crise-capitalista.pdf

Para você saber mais:

Para conhecer mais sobre a relação entre imperialismo europeu e a expansão capitalista no século XIX, consulte:

- HOBSBAWM, Eric. A era dos Impérios. In:___. A Era dos Impérios (1875-1914). 13ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011. p. 97-138.

- HOBSBAWM, Eric. Industrialização - a segunda fase (1840-1895). In:___. Da revolução industrial inglesa ao imperialismo. 5ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009. p. 101-123.

- HUBERMAN, Leo. Eu anexaria os planetas, se pudesse. In:___. História da Riqueza do Homem. 21ª. Rio de Janeiro: LTC, 1959. p. 213-234.

- MORAES, Luís Edmundo. Tempos de concorrência - os Estados europeus e o imperialismo. In:___. História Contemporânea - da Revolução Francesa à Primeira Guerra Mundial. São Paulo: Contexto, 2017. p. 125-150.

- PARADA, Maurício. A construção dos impérios coloniais. In:___. Formação do mundo contemporâneo - o século estilhaçado. Petropólis: Vozes, 2014. p. 35-45.

Para saber mais sobre o imperialismo na perspectiva de Lenin, consulte:

- HUNT, E.K.; SHERMAN, Howard J. imperialismo e socialismo revolucionário. In:___. História do Pensamento Econômico. 23ª ed. Petropólis: Vozes, 2005. p. 149-162.

- imperialismo. Disponível em: https://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/imperialismo.htm. Acessado em 30 nov. 2018.

- A expansão do capitalismo europeu. Disponível em: https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/a-expansao-capitalismo-europeu.htm Acessado em 30 nov. 2018.

Para conhecer mais sobre os conceitos de imperialismo e Capitalismo, acesse:

- SILVA, Vanderlei Kalina; SILVA, Maciel Henrique. Dicionário de Conceitos Históricos. Disponível em https://efabiopablo.files.wordpress.com/2013/04/dicionc3a1rio-de-conceitos-histc3b3ricos.pdf Acessado em 28 out. 2018.

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Projete, escreva no quadro ou leia o objetivo da aula apresentando-o aos alunos. A intenção nesse momento é que os alunos conheçam qual a finalidade da aula e o que deverão aprender ao final desta. No entanto, não antecipe nenhuma questão específica que será tratada durante a aula, possibilitando aos alunos construir o conhecimento por conta própria. Seja apenas um mediador dessa construção.

O objetivo central da aula é que os alunos possam estabelecer uma relação de análise entre a expansão capitalista ocorrida no século XIX, liderada pelos países europeus, especialmente a Grã-Bretanha, e que gerou um acúmulo de capitais e bens de consumo no desenrolar da segunda fase da Revolução Industrial, e a consequente conquista de territórios por essas potências europeias. Esse processo é conhecido como imperialismo, para os mais diversos fins, desde expansão do mercado de consumo, passando pela exploração de matérias-primas e a missão civilizatória dos povos “inferiores” (colonizados) pelos povos colonizadores, até a construção de Impérios territoriais que representassem força política, militar e econômica.

Nesse sentido, coloque-se como um intermediário do processo de aprendizagem, não estabelecendo qualquer relação hierarquizada de conhecimento com o aluno, mas apenas mediando a construção do conhecimento histórico em sala de aula, fornecendo os subsídios necessários, para que os alunos consigam refletir criticamente a partir das fontes históricas e seu conhecimento prévio sobre o assunto (consciência histórica), analisando se há e qual é a relação entre a expansão capitalista e o imperialismo europeu no século XIX.

Uma importante ressalva a se fazer é que a temática da presente aula é complexa e um desafio para se trabalhar com alunos do 9º do Ensino Fundamental, e, portanto, por mais que não possa intervir de forma direta na construção do conhecimento, auxilie os alunos quando solicitado de forma a ajudá-los no cumprimento do objetivo da aula.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Neste momento é hora de estimular o protagonismo do aluno. Sendo assim, não discorra sobre o assunto e sim medeie a reflexão do mesmo com os alunos, visto que estes devem estar no centro do processo de aprendizagem, exercendo seu protagonismo e sua atitude historiadora.

Para tanto, separe a turma em grupos de quatro alunos, de forma que possam se ajudar mutuamente. Oriente-os para que sempre busquem o diálogo, o compartilhamento e a construção conjunta do conhecimento, respeitando a divergência de opiniões que possa existir.

Entregue impresso aos grupos a Tabela “A partilha do mundo entre as grandes potências” presente no livro “Imperialismo, etapa superior do Capitalismo” de Vladimir Lenin e disponível no endereço eletrônico: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/kYKN4cWzkB6QHQJXfGev5bmGNZAepG7cWtHacQKqkTTGDGxsEr9ur2qwXGtX/his9-10und01-tabela-a-partilha-do-mundo-entre-as-grandes-potencias.pdf

Também deve ser entregue trechos do texto “A primeira grande crise capitalista” de Leandro Carvalho, disponível no endereço eletrônico: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/v5NDA5ddMTHTEe7SzHQeByDe3PVuY24VNPxFYZU6MmRXKnrMTYCDqdWjqFnu/his9-10und01-primeira-crise-capitalista.pdf

Posteriormente a entrega dos materiais, projete o presente slide; escrever o questionamento nele contido no quadro ou entregar uma folha com a pergunta aos alunos, solicitando que durante a leitura da reportagem, os alunos reflitam acerca do questionamento realizado, e anotem em uma folha em branco uma resposta sintética ao questionamento, conforme a interpretação do texto e dos dados contidos na tabela, bem como do conhecimento prévio que possuem sobre o assunto.

É importante deixar claro nesta etapa que nas anotações realizadas devem ser formuladas de duas a três causas/motivos (hipóteses) sobre o que levou a expansão europeia às regiões indicadas na Tabela, de forma que os alunos possam realizar uma compreensão inicial dessas motivações e formular hipóteses ainda que precárias, para ao final da aula compará-las com o exercício que será realizado na etapa de sistematização.

Deixe bem claro aos alunos que o tempo de realização da atividade é de 13 minutos, não podendo ser ultrapassado, para que não prejudique o andamento das etapas seguintes da aula.

Nesse momento da aula, espera-se que os alunos a partir da leitura do texto e interpretação dos dados constantes na tabela desenvolvam uma pré-compreensão dos motivos/causas que levaram as potências imperialistas a ocupar novos territórios fora do continente europeu, especialmente na Ásia e na África. Não é o objetivo nesta etapa da aula que os alunos reconheçam que a expansão do capitalismo pelos países europeus que buscavam novos mercados consumidores se relaciona com essa ocupação imperialista. No entanto, pode ocorrer que já neste instante algum grupo tenha essa percepção. Nesse caso, lide de forma natural e continue as etapas seguintes, de forma que na sistematização essas percepção possa aparecer, referendada a partir também do que foi analisado na problematização.

Pretende-se que os alunos percebam e formulem algumas hipóteses dessa expansão europeia, entre elas podem aparecer as seguintes: 1- a necessidade de exploração de matérias-primas, 2- a missão de civilizar/educar esses povos, tidos como inferiores, 3 -construir impérios territoriais, expandindo seus territórios, de forma que esses países possam demonstrar sua força política, militar e econômica, entre outras.

Se os alunos conseguirem formular as possíveis causas da expansão europeia, o objetivo desta etapa da aula será alcançado.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Mantenha os grupos formados e entregue fragmentos do texto “Imperialismo, etapa superior do capitalismo”, obra escrita em 1917 pelo revolucionário Russo Vladimir Lenin, utilizando-se da teoria marxista, disponível no endereço eletrônico: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/kqZCmQKenecec9jKfeTFzAdBNNQQW8aC53rYCfTDCAJ2ejX9gCS42m2evsN7/his9-10und01-imperialismo-etapa-superior-do-capitalismo.pdf

Caso entenda necessário, divida o referido texto em duas partes. A primeira com o fragmento maior e a segunda com os dois fragmentos menores, formando assim dois textos. Dessa maneira cada um dos textos está igualmente dividido para os grupos. Essa opção é somente caso entenda que o tempo é exíguo para realização da atividade proposta nesta etapa da aula.

Peça aos alunos que realizem uma leitura atenta do texto (documento), utilizando-se se necessário do glossário que acompanha o texto, para melhor compreensão de palavras e conceitos presentes no mesmo. Caso necessário, mostre-se aberto para esclarecer alguma dúvida sobre o documento. Os alunos devem realizar a leitura buscando identificar se existe para Lenin relação entre a expansão do capitalismo e o imperialismo europeu no século XIX.

Solicite aos alunos que, durante a leitura e análise do documento, tenham em mente a pergunta feita no slide, que pode ser projetada no data show; escrita no quadro ou entregue impressa para os grupos. Peça que refletindo sobre o questionamento, os grupos anotem em uma folha, que pode ser a mesma utilizada no contexto, uma breve resposta, possível e coletiva sobre o referido questionamento.

Caso julgar necessário, realize uma primeira leitura com os alunos, de forma que venha facilitar a compreensão destes sobre o documento, e posteriormente tornar mais ágil a interpretação do documento. No entanto, ressalta-se que a leitura conjunta com o professor deve ser apenas explicativa para as dúvidas que os alunos tenham de termos ou conceitos do texto, e não interpretativa, de forma a construir uma análise do que diz o documento.

É importante deixar bem claro aos alunos que o tempo de realização da atividade é de 20 minutos, não podendo ser ultrapassado, para que não prejudique o andamento das etapas seguintes da aula.

Nesse momento da aula espera-se que os alunos percebam a partir da leitura dos fragmentos do texto de Lenin a relação estabelecida pelo autor de que, com a necessidade de expansão capitalista pelos países europeus, buscando expandir a sua produção, houve a necessidade de conquista de novos territórios, fenômeno denominado de imperialismo. Essa conquista se deu especialmente nos continentes africano e asiático, por países como Alemanha, Bélgica, França, Grã-Bretanha, Portugal e Espanha.

Procure não intervir na reflexão dos alunos para chegar a essa conclusão, mas se necessário os auxilie quando necessário, fornecendo informações que os levem a estabelecer a relação pensada por Lenin. Para tanto, há uma breve análise sobre o texto no tópico “Para você saber mais”, logo abaixo dessas instruções.

É importante que durante a leitura e análise feita pelos alunos, estes possam anotar informações que possam embasar a demonstração dessa relação entre a expansão capitalista e o imperialismo europeu no século XIX, de forma a facilitar o momento da sistematização, onde os alunos formularão novas hipóteses para as causas e motivações entre esses dois acontecimentos históricos que possuem convergência.

Por fim, é possível indicar que os alunos retomem as informações iniciais contidas na Tabela e no texto interpretado no momento da contextualização, de forma a ajudá-los no momento do desenvolvimento da etapa de problematização.

Para você saber mais:

A obra “Imperialismo, etapa superior do capitalismo” foi escrita entre 1916 e 1917, portanto, já no século XX, utilizando-se da teoria marxista do século XIX. Ela relaciona a expansão capitalista com as conquistas imperialistas europeias do século XIX. É o período de eclosão da Revolução Russa de 1917, que possui a participação direta do autor. Nesse sentido, há a tentativa de vincular o sistema capitalista, antagônico ao modelo adotado pela Rússia Revolucionária, ao processo de exploração imperialista utilizado pelos países europeus para a conquista de novos territórios no século XIX.

Lenin compreendia que o principal objetivo dos países capitalistas europeus como Alemanha, França, Grã-bretanha, em conquistar novos territórios, ao contrário do que se pensa, não era a necessidade exportar o excedente da produção, mas sim investir maciçamente o capital (bens e recursos financeiros), visto que nessas áreas a mão-de-obra era barata e em abundância, o que gerava uma perspectiva de lucro muito maior. Nesse sentido, a interpretação de Lenin sobre o imperialismo europeu no século XIX leva a compreensão do sentido da exploração sem reservas dos povos conquistados, em todos os sentidos, material, humano, cultural, político e econômico. Portanto, a expansão capitalista no sentido, não apenas da busca de novos mercados, como é comum nas interpretações historiográficas tradicionais, mas também a partir da ideia de Lenin, de investimento do capital financeiro nos territórios conquistados, de forma a ampliar a produção de forma mais barata. Hunt e Sherman apontam ao afirmarem que “Embora os bancos fossem capazes de mobilizar volumes gigantescos de capital, as tendências persistentes à queda das taxas de lucro no plano doméstico tornaram indispensável encontrar zonas no exterior onde o capital pudesse ser investido em melhores condições. (...) Lenin não acreditava que a causa econômica mais importante do imperialismo fosse a necessidade de exportar mercadorias, e sim a necessidade de exportar capital. As áreas atrasadas eram cobiçadas porque dispunham de mão-de-obra em abundância e barata, e ofereciam perspectivas lucrativas de investimento.” (HUNT; SHERMAN, 2005, p.161).

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Ainda com os grupos formados, peça aos alunos que na folha abaixo de onde formularam as hipóteses no momento da contextualização, apontem a concepção do grupo sobre os motivos e causas que levaram os países imperialistas europeus a ocupar novos territórios.

A instrução, que está presente no slide, pode ser projetada no data show; escrita no quadro ou entregue impressa para os grupos, de forma a melhor orientá-los.

É importante deixar bem claro aos alunos que o tempo total de realização da atividade é de 15 minutos, não podendo ser ultrapassado, para não prejudicar a finalização da aula e da atividade proposta.

Os alunos terão o tempo de 8 minutos para apontar as causas e motivos que o grupo conseguiu identificar ao longo da aula, que levou os países imperialistas europeus a ocupar novos territórios. Nesse momento, espera-se que apareça entre essas hipóteses formuladas uma que relacione a expansão capitalista ao imperialismo europeu no século XIX, com a finalidade apontada por Lenin de buscar o investimento do capital excedente em novas frentes de produção, com mão de obra barata e em abundância, além das matérias-primas, o que levaria assim ao aumento do lucro dos empresários capitalistas. Se a referida hipótese estiver presente entre várias outras que surgirão, o objetivo da aula estará alcançado.

Após a formulação das novas hipóteses (causas/motivações), os 7 minutos restantes da aula deverão ser utilizados para o compartilhamento das análises realizadas pelos grupos. Eleja ou de forma voluntária solicite a pelo menos dois grupos que apontem a hipóteses formuladas por eles no início da aula (contextualização), ou seja, no momento anterior a leitura do texto de Lenin, e das hipóteses formuladas no momento da sistematização, pedindo que apontem se houve diferença de interpretação entre o início, e o fim da aula, quanto às hipóteses de causas e motivações formuladas por eles.

O compartilhamento será importante para que os grupos percebam as diferenças de apontamentos realizados entre um e outro momento da aula, e possam enxergar a construção do processo de conhecimento sobre o tema estudado, a partir do que conheciam sobre o assunto e o que mudou após a análise de documentos, dados e informações históricas, fazendo com eles enxerguem que fazem parte do processo histórico e de que este se faz a partir de interpretações. Isso propicia uma atitude historiadora do aluno.

A sistematização, portanto, deve ser o momento de aferir se o objetivo inicial da aula foi atingido, de forma que os alunos tenham tido a possibilidade de analisar a relação entre a expansão capitalista e o imperialismo europeu no século XIX, com a conquista por esses países de novos territórios com vistas a investir capital e aumentar sua produção, bem como expandir seu mercado consumidor.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF09HI10 de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cópia impressa dos textos indicados; Folha em branco; Data Show (se houver); Pincel ou giz para escrever no quadro.

Material complementar:

Tabela “A partilha do mundo entre as grandes potências”.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/kYKN4cWzkB6QHQJXfGev5bmGNZAepG7cWtHacQKqkTTGDGxsEr9ur2qwXGtX/his9-10und01-tabela-a-partilha-do-mundo-entre-as-grandes-potencias.pdf

Presente no livro “imperialismo, etapa superior do capitalismo” de Vladimir Lenin, disponível no endereço eletrônico.

Fragmentos da obra “Imperialismo, etapa superior do capitalismo”.

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/kqZCmQKenecec9jKfeTFzAdBNNQQW8aC53rYCfTDCAJ2ejX9gCS42m2evsN7/his9-10und01-imperialismo-etapa-superior-do-capitalismo.pdf

Obra escrita em 1917 pelo revolucionário Russo Vladimir Lenin, utilizando-se da teoria marxista.

Trechos do texto “Primeira crise capitalista” de Leandro Carvalho. https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/v5NDA5ddMTHTEe7SzHQeByDe3PVuY24VNPxFYZU6MmRXKnrMTYCDqdWjqFnu/his9-10und01-primeira-crise-capitalista.pdf

Para você saber mais:

Para conhecer mais sobre a relação entre imperialismo europeu e a expansão capitalista no século XIX, consulte:

- HOBSBAWM, Eric. A era dos Impérios. In:___. A Era dos Impérios (1875-1914). 13ª ed. São Paulo: Paz e Terra, 2011. p. 97-138.

- HOBSBAWM, Eric. Industrialização - a segunda fase (1840-1895). In:___. Da revolução industrial inglesa ao imperialismo. 5ª ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009. p. 101-123.

- HUBERMAN, Leo. Eu anexaria os planetas, se pudesse. In:___. História da Riqueza do Homem. 21ª. Rio de Janeiro: LTC, 1959. p. 213-234.

- MORAES, Luís Edmundo. Tempos de concorrência - os Estados europeus e o imperialismo. In:___. História Contemporânea - da Revolução Francesa à Primeira Guerra Mundial. São Paulo: Contexto, 2017. p. 125-150.

- PARADA, Maurício. A construção dos impérios coloniais. In:___. Formação do mundo contemporâneo - o século estilhaçado. Petropólis: Vozes, 2014. p. 35-45.

Para saber mais sobre o imperialismo na perspectiva de Lenin, consulte:

- HUNT, E.K.; SHERMAN, Howard J. imperialismo e socialismo revolucionário. In:___. História do Pensamento Econômico. 23ª ed. Petropólis: Vozes, 2005. p. 149-162.

- imperialismo. Disponível em: https://www.historiadomundo.com.br/idade-contemporanea/imperialismo.htm. Acessado em 30 nov. 2018.

- A expansão do capitalismo europeu. Disponível em: https://educador.brasilescola.uol.com.br/estrategias-ensino/a-expansao-capitalismo-europeu.htm Acessado em 30 nov. 2018.

Para conhecer mais sobre os conceitos de imperialismo e Capitalismo, acesse:

- SILVA, Vanderlei Kalina; SILVA, Maciel Henrique. Dicionário de Conceitos Históricos. Disponível em https://efabiopablo.files.wordpress.com/2013/04/dicionc3a1rio-de-conceitos-histc3b3ricos.pdf Acessado em 28 out. 2018.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Projete, escreva no quadro ou leia o objetivo da aula apresentando-o aos alunos. A intenção nesse momento é que os alunos conheçam qual a finalidade da aula e o que deverão aprender ao final desta. No entanto, não antecipe nenhuma questão específica que será tratada durante a aula, possibilitando aos alunos construir o conhecimento por conta própria. Seja apenas um mediador dessa construção.

O objetivo central da aula é que os alunos possam estabelecer uma relação de análise entre a expansão capitalista ocorrida no século XIX, liderada pelos países europeus, especialmente a Grã-Bretanha, e que gerou um acúmulo de capitais e bens de consumo no desenrolar da segunda fase da Revolução Industrial, e a consequente conquista de territórios por essas potências europeias. Esse processo é conhecido como imperialismo, para os mais diversos fins, desde expansão do mercado de consumo, passando pela exploração de matérias-primas e a missão civilizatória dos povos “inferiores” (colonizados) pelos povos colonizadores, até a construção de Impérios territoriais que representassem força política, militar e econômica.

Nesse sentido, coloque-se como um intermediário do processo de aprendizagem, não estabelecendo qualquer relação hierarquizada de conhecimento com o aluno, mas apenas mediando a construção do conhecimento histórico em sala de aula, fornecendo os subsídios necessários, para que os alunos consigam refletir criticamente a partir das fontes históricas e seu conhecimento prévio sobre o assunto (consciência histórica), analisando se há e qual é a relação entre a expansão capitalista e o imperialismo europeu no século XIX.

Uma importante ressalva a se fazer é que a temática da presente aula é complexa e um desafio para se trabalhar com alunos do 9º do Ensino Fundamental, e, portanto, por mais que não possa intervir de forma direta na construção do conhecimento, auxilie os alunos quando solicitado de forma a ajudá-los no cumprimento do objetivo da aula.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 13 minutos

Orientações: Neste momento é hora de estimular o protagonismo do aluno. Sendo assim, não discorra sobre o assunto e sim medeie a reflexão do mesmo com os alunos, visto que estes devem estar no centro do processo de aprendizagem, exercendo seu protagonismo e sua atitude historiadora.

Para tanto, separe a turma em grupos de quatro alunos, de forma que possam se ajudar mutuamente. Oriente-os para que sempre busquem o diálogo, o compartilhamento e a construção conjunta do conhecimento, respeitando a divergência de opiniões que possa existir.

Entregue impresso aos grupos a Tabela “A partilha do mundo entre as grandes potências” presente no livro “Imperialismo, etapa superior do Capitalismo” de Vladimir Lenin e disponível no endereço eletrônico: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/kYKN4cWzkB6QHQJXfGev5bmGNZAepG7cWtHacQKqkTTGDGxsEr9ur2qwXGtX/his9-10und01-tabela-a-partilha-do-mundo-entre-as-grandes-potencias.pdf

Também deve ser entregue trechos do texto “A primeira grande crise capitalista” de Leandro Carvalho, disponível no endereço eletrônico: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/v5NDA5ddMTHTEe7SzHQeByDe3PVuY24VNPxFYZU6MmRXKnrMTYCDqdWjqFnu/his9-10und01-primeira-crise-capitalista.pdf

Posteriormente a entrega dos materiais, projete o presente slide; escrever o questionamento nele contido no quadro ou entregar uma folha com a pergunta aos alunos, solicitando que durante a leitura da reportagem, os alunos reflitam acerca do questionamento realizado, e anotem em uma folha em branco uma resposta sintética ao questionamento, conforme a interpretação do texto e dos dados contidos na tabela, bem como do conhecimento prévio que possuem sobre o assunto.

É importante deixar claro nesta etapa que nas anotações realizadas devem ser formuladas de duas a três causas/motivos (hipóteses) sobre o que levou a expansão europeia às regiões indicadas na Tabela, de forma que os alunos possam realizar uma compreensão inicial dessas motivações e formular hipóteses ainda que precárias, para ao final da aula compará-las com o exercício que será realizado na etapa de sistematização.

Deixe bem claro aos alunos que o tempo de realização da atividade é de 13 minutos, não podendo ser ultrapassado, para que não prejudique o andamento das etapas seguintes da aula.

Nesse momento da aula, espera-se que os alunos a partir da leitura do texto e interpretação dos dados constantes na tabela desenvolvam uma pré-compreensão dos motivos/causas que levaram as potências imperialistas a ocupar novos territórios fora do continente europeu, especialmente na Ásia e na África. Não é o objetivo nesta etapa da aula que os alunos reconheçam que a expansão do capitalismo pelos países europeus que buscavam novos mercados consumidores se relaciona com essa ocupação imperialista. No entanto, pode ocorrer que já neste instante algum grupo tenha essa percepção. Nesse caso, lide de forma natural e continue as etapas seguintes, de forma que na sistematização essas percepção possa aparecer, referendada a partir também do que foi analisado na problematização.

Pretende-se que os alunos percebam e formulem algumas hipóteses dessa expansão europeia, entre elas podem aparecer as seguintes: 1- a necessidade de exploração de matérias-primas, 2- a missão de civilizar/educar esses povos, tidos como inferiores, 3 -construir impérios territoriais, expandindo seus territórios, de forma que esses países possam demonstrar sua força política, militar e econômica, entre outras.

Se os alunos conseguirem formular as possíveis causas da expansão europeia, o objetivo desta etapa da aula será alcançado.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações: Mantenha os grupos formados e entregue fragmentos do texto “Imperialismo, etapa superior do capitalismo”, obra escrita em 1917 pelo revolucionário Russo Vladimir Lenin, utilizando-se da teoria marxista, disponível no endereço eletrônico: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/kqZCmQKenecec9jKfeTFzAdBNNQQW8aC53rYCfTDCAJ2ejX9gCS42m2evsN7/his9-10und01-imperialismo-etapa-superior-do-capitalismo.pdf

Caso entenda necessário, divida o referido texto em duas partes. A primeira com o fragmento maior e a segunda com os dois fragmentos menores, formando assim dois textos. Dessa maneira cada um dos textos está igualmente dividido para os grupos. Essa opção é somente caso entenda que o tempo é exíguo para realização da atividade proposta nesta etapa da aula.

Peça aos alunos que realizem uma leitura atenta do texto (documento), utilizando-se se necessário do glossário que acompanha o texto, para melhor compreensão de palavras e conceitos presentes no mesmo. Caso necessário, mostre-se aberto para esclarecer alguma dúvida sobre o documento. Os alunos devem realizar a leitura buscando identificar se existe para Lenin relação entre a expansão do capitalismo e o imperialismo europeu no século XIX.

Solicite aos alunos que, durante a leitura e análise do documento, tenham em mente a pergunta feita no slide, que pode ser projetada no data show; escrita no quadro ou entregue impressa para os grupos. Peça que refletindo sobre o questionamento, os grupos anotem em uma folha, que pode ser a mesma utilizada no contexto, uma breve resposta, possível e coletiva sobre o referido questionamento.

Caso julgar necessário, realize uma primeira leitura com os alunos, de forma que venha facilitar a compreensão destes sobre o documento, e posteriormente tornar mais ágil a interpretação do documento. No entanto, ressalta-se que a leitura conjunta com o professor deve ser apenas explicativa para as dúvidas que os alunos tenham de termos ou conceitos do texto, e não interpretativa, de forma a construir uma análise do que diz o documento.

É importante deixar bem claro aos alunos que o tempo de realização da atividade é de 20 minutos, não podendo ser ultrapassado, para que não prejudique o andamento das etapas seguintes da aula.

Nesse momento da aula espera-se que os alunos percebam a partir da leitura dos fragmentos do texto de Lenin a relação estabelecida pelo autor de que, com a necessidade de expansão capitalista pelos países europeus, buscando expandir a sua produção, houve a necessidade de conquista de novos territórios, fenômeno denominado de imperialismo. Essa conquista se deu especialmente nos continentes africano e asiático, por países como Alemanha, Bélgica, França, Grã-Bretanha, Portugal e Espanha.

Procure não intervir na reflexão dos alunos para chegar a essa conclusão, mas se necessário os auxilie quando necessário, fornecendo informações que os levem a estabelecer a relação pensada por Lenin. Para tanto, há uma breve análise sobre o texto no tópico “Para você saber mais”, logo abaixo dessas instruções.

É importante que durante a leitura e análise feita pelos alunos, estes possam anotar informações que possam embasar a demonstração dessa relação entre a expansão capitalista e o imperialismo europeu no século XIX, de forma a facilitar o momento da sistematização, onde os alunos formularão novas hipóteses para as causas e motivações entre esses dois acontecimentos históricos que possuem convergência.

Por fim, é possível indicar que os alunos retomem as informações iniciais contidas na Tabela e no texto interpretado no momento da contextualização, de forma a ajudá-los no momento do desenvolvimento da etapa de problematização.

Para você saber mais:

A obra “Imperialismo, etapa superior do capitalismo” foi escrita entre 1916 e 1917, portanto, já no século XX, utilizando-se da teoria marxista do século XIX. Ela relaciona a expansão capitalista com as conquistas imperialistas europeias do século XIX. É o período de eclosão da Revolução Russa de 1917, que possui a participação direta do autor. Nesse sentido, há a tentativa de vincular o sistema capitalista, antagônico ao modelo adotado pela Rússia Revolucionária, ao processo de exploração imperialista utilizado pelos países europeus para a conquista de novos territórios no século XIX.

Lenin compreendia que o principal objetivo dos países capitalistas europeus como Alemanha, França, Grã-bretanha, em conquistar novos territórios, ao contrário do que se pensa, não era a necessidade exportar o excedente da produção, mas sim investir maciçamente o capital (bens e recursos financeiros), visto que nessas áreas a mão-de-obra era barata e em abundância, o que gerava uma perspectiva de lucro muito maior. Nesse sentido, a interpretação de Lenin sobre o imperialismo europeu no século XIX leva a compreensão do sentido da exploração sem reservas dos povos conquistados, em todos os sentidos, material, humano, cultural, político e econômico. Portanto, a expansão capitalista no sentido, não apenas da busca de novos mercados, como é comum nas interpretações historiográficas tradicionais, mas também a partir da ideia de Lenin, de investimento do capital financeiro nos territórios conquistados, de forma a ampliar a produção de forma mais barata. Hunt e Sherman apontam ao afirmarem que “Embora os bancos fossem capazes de mobilizar volumes gigantescos de capital, as tendências persistentes à queda das taxas de lucro no plano doméstico tornaram indispensável encontrar zonas no exterior onde o capital pudesse ser investido em melhores condições. (...) Lenin não acreditava que a causa econômica mais importante do imperialismo fosse a necessidade de exportar mercadorias, e sim a necessidade de exportar capital. As áreas atrasadas eram cobiçadas porque dispunham de mão-de-obra em abundância e barata, e ofereciam perspectivas lucrativas de investimento.” (HUNT; SHERMAN, 2005, p.161).

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 15 minutos

Orientações: Ainda com os grupos formados, peça aos alunos que na folha abaixo de onde formularam as hipóteses no momento da contextualização, apontem a concepção do grupo sobre os motivos e causas que levaram os países imperialistas europeus a ocupar novos territórios.

A instrução, que está presente no slide, pode ser projetada no data show; escrita no quadro ou entregue impressa para os grupos, de forma a melhor orientá-los.

É importante deixar bem claro aos alunos que o tempo total de realização da atividade é de 15 minutos, não podendo ser ultrapassado, para não prejudicar a finalização da aula e da atividade proposta.

Os alunos terão o tempo de 8 minutos para apontar as causas e motivos que o grupo conseguiu identificar ao longo da aula, que levou os países imperialistas europeus a ocupar novos territórios. Nesse momento, espera-se que apareça entre essas hipóteses formuladas uma que relacione a expansão capitalista ao imperialismo europeu no século XIX, com a finalidade apontada por Lenin de buscar o investimento do capital excedente em novas frentes de produção, com mão de obra barata e em abundância, além das matérias-primas, o que levaria assim ao aumento do lucro dos empresários capitalistas. Se a referida hipótese estiver presente entre várias outras que surgirão, o objetivo da aula estará alcançado.

Após a formulação das novas hipóteses (causas/motivações), os 7 minutos restantes da aula deverão ser utilizados para o compartilhamento das análises realizadas pelos grupos. Eleja ou de forma voluntária solicite a pelo menos dois grupos que apontem a hipóteses formuladas por eles no início da aula (contextualização), ou seja, no momento anterior a leitura do texto de Lenin, e das hipóteses formuladas no momento da sistematização, pedindo que apontem se houve diferença de interpretação entre o início, e o fim da aula, quanto às hipóteses de causas e motivações formuladas por eles.

O compartilhamento será importante para que os grupos percebam as diferenças de apontamentos realizados entre um e outro momento da aula, e possam enxergar a construção do processo de conhecimento sobre o tema estudado, a partir do que conheciam sobre o assunto e o que mudou após a análise de documentos, dados e informações históricas, fazendo com eles enxerguem que fazem parte do processo histórico e de que este se faz a partir de interpretações. Isso propicia uma atitude historiadora do aluno.

A sistematização, portanto, deve ser o momento de aferir se o objetivo inicial da aula foi atingido, de forma que os alunos tenham tido a possibilidade de analisar a relação entre a expansão capitalista e o imperialismo europeu no século XIX, com a conquista por esses países de novos territórios com vistas a investir capital e aumentar sua produção, bem como expandir seu mercado consumidor.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Totalitarismos e conflitos mundiais do 9º ano :

MAIS AULAS DE História do 9º ano:

9º ano / História / Modernização, ditadura civil-militar e redemocratização: o Brasil após 1946

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF09HI10 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano