16364
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > História > 8º ano > O Brasil no século XIX

Plano de aula - Confederação do Equador (1824)

Plano de aula de História com atividades para 8º ano do EF sobre Confederação do Equador (1824)

Plano 02 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: João Carlos De Melo Silva

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08H16, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cópias impressas das fontes da Contextualização e da Problematização.

Imagem dos torcedores: https://www.gettyimages.com/detail/news-photo/players-of-brazil-and-colombia-stand-for-the-national-news-photo/589403154

Imagem do time cantando o Hino Nacional:

https://www.gettyimages.com/detail/photo/crowd-of-brazilian-fans-cheering-royalty-free-image/475285747

Textos sobre os ataques xenofóbicos:

https://oglobo.globo.com/brasil/nordestinos-sao-atacados-nas-redes-sociais-apos-resultado-do-primeiro-turno-23138271

http://desabafosocial.com.br/blog/2014/10/18/nordeste-e-alvo-de-xenofobia-do-sudeste-depois-das-eleicoes/

Fontes da Problematização:

Fonte 1: ANDRADE, Manoel de Carvalho Paes de. Manifesto. 1824. Disponível em:

<http://multirio.rio.rj.gov.br/index.php/estude/historia-do-brasil/brasil-monarquico/90-primeiro-reinado/8906-a-confedera%C3%A7%C3%A3o-do-equador-o-movimento>. Acesso em: 3 dez. 2018.

Fonte 2: PANFLETO manuscrito. 1824. Disponível em: <http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/estude/historia-do-brasil/brasil-monarquico/90-primeiro-reinado/8906-a-confedera%C3%A7%C3%A3o-do-equador-o-movimento>. Acesso em: 3 dez. 2018.

Para você saber mais:

A Confederação do Equador foi um movimento republicano, constitucionalista e com um viés separatista que eclodiu na província de Pernambuco em 1824.

A Confederação foi uma resposta ao autoritarismo do monarca D. Pedro I. O estopim da revolta foi a nomeação de Francisco Pais Barreto como presidente de província no lugar de Manoel Paes de Andrade, que havia sido escolhido pelos políticos da província pernambucana. Além da questão da nomeação do presidente havia uma grande tensão em torno da Constituição outorgada pelo imperador, considerada autoritária e centralizadora.

O movimento cresceu e contou com participação popular. O objetivo era formar uma república independente na área que hoje corresponde à região Nordeste. Após a radicalização do processo muitos membros da elite abandonaram o movimento, que acabou sendo derrotado pelas forças imperiais.
Até hoje o movimento é resgatado como um marco da identidade nordestina, tendo sido homenageado em música interpretada pela cantora Elba Ramalho chamada “Nordeste independente”.

Link da música: https://www.youtube.com/watch?v=C8JOf7pwl3A. Acesso em: 3 dez. 2018.

Para mais informações: http://multirio.rio.rj.gov.br/index.php/estude/historia-do-brasil/brasil-monarquico/90-primeiro-reinado/8906-a-confedera%C3%A7%C3%A3o-do-equador-o-movimento

Objetivo select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Escreva no quadro e leia o objetivo para toda a turma.

Contexto select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações: Organize a turma em grupos de três ou quatro alunos e apresente as imagens acima. As imagens mostram o paradoxo do sentimento de unidade nacional. De um lado a união de sentimentos provocada pela torcida na Copa do Mundo, quando brasileiros de todas as regiões se unem no pertencimento a um time que vai disputar um jogo, e de outro a ruptura desta união quando o assunto é política e ficam evidenciadas diferentes visões de mundo, necessidades e demandas. Explique aos alunos o que significa preconceito relacionado a lugar de origem, pois na segunda imagem do slide a legenda utiliza o termo xenofobia, que não seria o termo apropriado porque diz respeito a uma aversão ao estrangeiro. Entretanto, neste caso o conceito xenofobia está sendo utilizado significando “Hostilidade; receio, medo ou rejeição direcionados a quem não faz parte do local onde se vive ou habita” presente em: (https://www.dicio.com.br/xenofobia/). E importante que se faça esta observação aos alunos e se certifique de que eles compreendam a questão apresentada.

Sinta-se à vontade para acessar os links com os textos na íntegra e utilizar outros elementos além da manchete se achar mais interessante.

Enquanto eles observam as imagens faça provocações aos alunos organizadas em alguns pontos:

  • O que provoca o sentimento de união nacional na Copa do Mundo?

(Espera-se que os alunos comentem que a população se une pelo sentimento de expectativa de vencer os jogos e compartilha todas as angústias e alegrias que o jogo proporciona como se fossem parte de um só. E este sentimento também é um desdobramento da construção da nacionalidade.)

  • Em que outros momentos podemos perceber esta união?

(Os alunos podem citar feriados nacionais, como o Dia da Independência e a Proclamação da República, quando o professor também poderá relembrar que os feriados são utilizados para forjar este sentimento de nacionalidade, fazendo lembrar de algum acontecimento selecionado pelo seu significado.)

  • Você já presenciou algum caso de preconceito contra nordestinos?

(A resposta a esta provocação vai variar muito diante do local e/ou da turma em que a aula for aplicada. Em regiões do Sul e do Sudeste é mais comum ouvir piadas, expressões e ações preconceituosas contra nordestinos, mas alunos da própria região podem relatar algo que tenham visto nas mídias.)

  • Por qual motivo este problema sempre se acentua nas eleições presidenciais?

(Se os alunos não conseguirem responder nada o professor deve ressaltar o ponto de que o Brasil é muito grande e diverso, e que naturalmente os interesses das pessoas não são os mesmos, variando conforme classe social, raça, etnia, gênero e também região.
Os ataques preconceituosos partem de uma incompreensão da realidade do outro, o que gera ódio e agressões.)

Como adequar à sua realidade: Se não for possível projetar as imagens uma de cada vez pode-se imprimi-las e entregar aos grupos ou ainda escrever as manchetes no quadro e levar imagens semelhantes e com a mesma proposta de recorte de jornais ou revista e fazer circular entre
os grupos.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações para a fonte 1: Divida a turma em grupos e distribua cópias da fonte 1 para estes grupos. A fonte é um manifesto escrito pelo então presidente da província de Pernambuco, Manoel de Carvalho Paes de Andrade, convocando todos os brasileiros para aderir à Confederação do Equador.
O importante a ser observado nesta fonte são os argumentos utilizados para se opor ao regime imperial de D. Pedro I.

Recomendo disponibilizar alguns dicionários para os alunos consultarem em caso de dúvidas quanto ao significado de palavras presentes na fonte 1.

Transcrição da fonte 1: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/TJugAGSX7Suaz4eHpARuy3jzdeNCMV3QSFaAG3fSTr5uysWQBSP6fM3ZdG8Q/his8-16und02-fonte-1-da-problematizacao.pdf

Antes de os alunos começarem a leitura, o professor deve contextualizar a fonte nos acontecimentos da época. A Confederação do Equador é um movimento republicano que surgiu como resposta à dissolução da Assembleia Constituinte, em 1823. Os líderes deste movimento reclamavam do autoritarismo de D. Pedro I que ficou evidente tanto no ato da dissolução da Assembleia quanto no próprio conteúdo da carta. Diante disso, este documento nos ajuda a entender tanto as disputas da época em torno do sistema de governo e do autoritarismo imperial quanto as discordâncias
entre poderes centrais e regionais, que são o foco desta aula.

Após esta breve explicação os alunos deverão ler e analisar a fonte. Para auxiliar a leitura da fonte e assegurar que pontos fundamentais não passem despercebidos o professor deverá circular entre os grupos e fazer algumas provocações:

  • De que maneira o presidente de província se refere ao sistema de governo da época dele?

No texto autor se refere à monarquia como um “sistema de governo defeituoso em sua origem” além de fazer várias críticas à centralização de poder e recursos.

  • Qual sentimento ele tem em relação aos portugueses?

O autor do manifesto se refere aos portugueses como inimigos.

  • O presidente de província cita os Estados Unidos e a Europa. Qual relação ele estabelece com cada um destes lugares e por quê?

No texto está claro que o manifesto se refere positivamente aos Estados Unidos, que eram uma república em concordância com as “luzes” da época, no qual ele afirma que os sistemas dos dois países deveriam ser idênticos. Já em relação à Europa ele usa o adjetivo “encarnecida” e rejeita o sistema monárquico que vem de lá.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Orientações para a fonte 2: 10 minutos após a atividade com a fonte 1, distribua cópias da fonte 2 para todos os grupos. Antes de os alunos começarem a leitura e a análise do segundo, é importante contextualizar, sucintamente, que estes versos são parte de um manifesto anônimo encontrado nas ruas de Recife durante o processo da Confederação do Equador. Caso deseje e possua recursos necessário, projete a imagem do texto manuscrito, que pode ser encontrado no link abaixo.

http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/estude/historia-do-brasil/brasil-monarquico/90-primeiro-reinado/8906-a-confedera%C3%A7%C3%A3o-do-equador-o-movimento. Acesso em: 3 dez. 2018.

Transcrição da fonte 2: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/JpwE9wSJmPwzcxcDdnkzgAAsvZRndYhXf4sTFyhdmTBJ3tHDtTK8593bYwaw/his8-16und02-fonte-2-da-problematizacao.pdf

A fonte 2 utiliza uma linguagem mais poética para expressar sentimentos parecidos com os que estão presentes no manifesto da fonte 1. Os alunos deverão encontrar estas similaridades, oriente-os neste sentido. Saliente também junto dos alunos qual a estrutura deste texto, faça com que eles reparem nas rimas e nas estrofes.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 18 minutos.

Orientações: Mantenha os grupos unidos e peça para que cada um deles produza coletivamente um cordel com o tema preconceito contra pessoas de outros lugares e política no Brasil atual. Os alunos deverão se posicionar criticamente em relação aos ataques xenofóbicos sofridos por nordestinos em época de eleição, que foram lembrados na Contextualização da aula. O professor deve instruir os alunos a citar partes das fontes
da Problematização nas suas produções ou que façam referência ao movimento da Confederação do Equador com base nas fontes analisadas.

A estrutura do cordel baseia-se em estrofes de quatro versos com rimas. Para saber mais sobre as características do cordel acesse https://www.estudopratico.com.br/literatura-de-cordel/

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Este plano está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF08H16, de História, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

Materiais necessários: Cópias impressas das fontes da Contextualização e da Problematização.

Imagem dos torcedores: https://www.gettyimages.com/detail/news-photo/players-of-brazil-and-colombia-stand-for-the-national-news-photo/589403154

Imagem do time cantando o Hino Nacional:

https://www.gettyimages.com/detail/photo/crowd-of-brazilian-fans-cheering-royalty-free-image/475285747

Textos sobre os ataques xenofóbicos:

https://oglobo.globo.com/brasil/nordestinos-sao-atacados-nas-redes-sociais-apos-resultado-do-primeiro-turno-23138271

http://desabafosocial.com.br/blog/2014/10/18/nordeste-e-alvo-de-xenofobia-do-sudeste-depois-das-eleicoes/

Fontes da Problematização:

Fonte 1: ANDRADE, Manoel de Carvalho Paes de. Manifesto. 1824. Disponível em:

<http://multirio.rio.rj.gov.br/index.php/estude/historia-do-brasil/brasil-monarquico/90-primeiro-reinado/8906-a-confedera%C3%A7%C3%A3o-do-equador-o-movimento>. Acesso em: 3 dez. 2018.

Fonte 2: PANFLETO manuscrito. 1824. Disponível em: <http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/estude/historia-do-brasil/brasil-monarquico/90-primeiro-reinado/8906-a-confedera%C3%A7%C3%A3o-do-equador-o-movimento>. Acesso em: 3 dez. 2018.

Para você saber mais:

A Confederação do Equador foi um movimento republicano, constitucionalista e com um viés separatista que eclodiu na província de Pernambuco em 1824.

A Confederação foi uma resposta ao autoritarismo do monarca D. Pedro I. O estopim da revolta foi a nomeação de Francisco Pais Barreto como presidente de província no lugar de Manoel Paes de Andrade, que havia sido escolhido pelos políticos da província pernambucana. Além da questão da nomeação do presidente havia uma grande tensão em torno da Constituição outorgada pelo imperador, considerada autoritária e centralizadora.

O movimento cresceu e contou com participação popular. O objetivo era formar uma república independente na área que hoje corresponde à região Nordeste. Após a radicalização do processo muitos membros da elite abandonaram o movimento, que acabou sendo derrotado pelas forças imperiais.
Até hoje o movimento é resgatado como um marco da identidade nordestina, tendo sido homenageado em música interpretada pela cantora Elba Ramalho chamada “Nordeste independente”.

Link da música: https://www.youtube.com/watch?v=C8JOf7pwl3A. Acesso em: 3 dez. 2018.

Para mais informações: http://multirio.rio.rj.gov.br/index.php/estude/historia-do-brasil/brasil-monarquico/90-primeiro-reinado/8906-a-confedera%C3%A7%C3%A3o-do-equador-o-movimento

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações: Escreva no quadro e leia o objetivo para toda a turma.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações: Organize a turma em grupos de três ou quatro alunos e apresente as imagens acima. As imagens mostram o paradoxo do sentimento de unidade nacional. De um lado a união de sentimentos provocada pela torcida na Copa do Mundo, quando brasileiros de todas as regiões se unem no pertencimento a um time que vai disputar um jogo, e de outro a ruptura desta união quando o assunto é política e ficam evidenciadas diferentes visões de mundo, necessidades e demandas. Explique aos alunos o que significa preconceito relacionado a lugar de origem, pois na segunda imagem do slide a legenda utiliza o termo xenofobia, que não seria o termo apropriado porque diz respeito a uma aversão ao estrangeiro. Entretanto, neste caso o conceito xenofobia está sendo utilizado significando “Hostilidade; receio, medo ou rejeição direcionados a quem não faz parte do local onde se vive ou habita” presente em: (https://www.dicio.com.br/xenofobia/). E importante que se faça esta observação aos alunos e se certifique de que eles compreendam a questão apresentada.

Sinta-se à vontade para acessar os links com os textos na íntegra e utilizar outros elementos além da manchete se achar mais interessante.

Enquanto eles observam as imagens faça provocações aos alunos organizadas em alguns pontos:

  • O que provoca o sentimento de união nacional na Copa do Mundo?

(Espera-se que os alunos comentem que a população se une pelo sentimento de expectativa de vencer os jogos e compartilha todas as angústias e alegrias que o jogo proporciona como se fossem parte de um só. E este sentimento também é um desdobramento da construção da nacionalidade.)

  • Em que outros momentos podemos perceber esta união?

(Os alunos podem citar feriados nacionais, como o Dia da Independência e a Proclamação da República, quando o professor também poderá relembrar que os feriados são utilizados para forjar este sentimento de nacionalidade, fazendo lembrar de algum acontecimento selecionado pelo seu significado.)

  • Você já presenciou algum caso de preconceito contra nordestinos?

(A resposta a esta provocação vai variar muito diante do local e/ou da turma em que a aula for aplicada. Em regiões do Sul e do Sudeste é mais comum ouvir piadas, expressões e ações preconceituosas contra nordestinos, mas alunos da própria região podem relatar algo que tenham visto nas mídias.)

  • Por qual motivo este problema sempre se acentua nas eleições presidenciais?

(Se os alunos não conseguirem responder nada o professor deve ressaltar o ponto de que o Brasil é muito grande e diverso, e que naturalmente os interesses das pessoas não são os mesmos, variando conforme classe social, raça, etnia, gênero e também região.
Os ataques preconceituosos partem de uma incompreensão da realidade do outro, o que gera ódio e agressões.)

Como adequar à sua realidade: Se não for possível projetar as imagens uma de cada vez pode-se imprimi-las e entregar aos grupos ou ainda escrever as manchetes no quadro e levar imagens semelhantes e com a mesma proposta de recorte de jornais ou revista e fazer circular entre
os grupos.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos.

Orientações para a fonte 1: Divida a turma em grupos e distribua cópias da fonte 1 para estes grupos. A fonte é um manifesto escrito pelo então presidente da província de Pernambuco, Manoel de Carvalho Paes de Andrade, convocando todos os brasileiros para aderir à Confederação do Equador.
O importante a ser observado nesta fonte são os argumentos utilizados para se opor ao regime imperial de D. Pedro I.

Recomendo disponibilizar alguns dicionários para os alunos consultarem em caso de dúvidas quanto ao significado de palavras presentes na fonte 1.

Transcrição da fonte 1: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/TJugAGSX7Suaz4eHpARuy3jzdeNCMV3QSFaAG3fSTr5uysWQBSP6fM3ZdG8Q/his8-16und02-fonte-1-da-problematizacao.pdf

Antes de os alunos começarem a leitura, o professor deve contextualizar a fonte nos acontecimentos da época. A Confederação do Equador é um movimento republicano que surgiu como resposta à dissolução da Assembleia Constituinte, em 1823. Os líderes deste movimento reclamavam do autoritarismo de D. Pedro I que ficou evidente tanto no ato da dissolução da Assembleia quanto no próprio conteúdo da carta. Diante disso, este documento nos ajuda a entender tanto as disputas da época em torno do sistema de governo e do autoritarismo imperial quanto as discordâncias
entre poderes centrais e regionais, que são o foco desta aula.

Após esta breve explicação os alunos deverão ler e analisar a fonte. Para auxiliar a leitura da fonte e assegurar que pontos fundamentais não passem despercebidos o professor deverá circular entre os grupos e fazer algumas provocações:

  • De que maneira o presidente de província se refere ao sistema de governo da época dele?

No texto autor se refere à monarquia como um “sistema de governo defeituoso em sua origem” além de fazer várias críticas à centralização de poder e recursos.

  • Qual sentimento ele tem em relação aos portugueses?

O autor do manifesto se refere aos portugueses como inimigos.

  • O presidente de província cita os Estados Unidos e a Europa. Qual relação ele estabelece com cada um destes lugares e por quê?

No texto está claro que o manifesto se refere positivamente aos Estados Unidos, que eram uma república em concordância com as “luzes” da época, no qual ele afirma que os sistemas dos dois países deveriam ser idênticos. Já em relação à Europa ele usa o adjetivo “encarnecida” e rejeita o sistema monárquico que vem de lá.

Slide Plano Aula

Orientações para a fonte 2: 10 minutos após a atividade com a fonte 1, distribua cópias da fonte 2 para todos os grupos. Antes de os alunos começarem a leitura e a análise do segundo, é importante contextualizar, sucintamente, que estes versos são parte de um manifesto anônimo encontrado nas ruas de Recife durante o processo da Confederação do Equador. Caso deseje e possua recursos necessário, projete a imagem do texto manuscrito, que pode ser encontrado no link abaixo.

http://www.multirio.rj.gov.br/index.php/estude/historia-do-brasil/brasil-monarquico/90-primeiro-reinado/8906-a-confedera%C3%A7%C3%A3o-do-equador-o-movimento. Acesso em: 3 dez. 2018.

Transcrição da fonte 2: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/JpwE9wSJmPwzcxcDdnkzgAAsvZRndYhXf4sTFyhdmTBJ3tHDtTK8593bYwaw/his8-16und02-fonte-2-da-problematizacao.pdf

A fonte 2 utiliza uma linguagem mais poética para expressar sentimentos parecidos com os que estão presentes no manifesto da fonte 1. Os alunos deverão encontrar estas similaridades, oriente-os neste sentido. Saliente também junto dos alunos qual a estrutura deste texto, faça com que eles reparem nas rimas e nas estrofes.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 18 minutos.

Orientações: Mantenha os grupos unidos e peça para que cada um deles produza coletivamente um cordel com o tema preconceito contra pessoas de outros lugares e política no Brasil atual. Os alunos deverão se posicionar criticamente em relação aos ataques xenofóbicos sofridos por nordestinos em época de eleição, que foram lembrados na Contextualização da aula. O professor deve instruir os alunos a citar partes das fontes
da Problematização nas suas produções ou que façam referência ao movimento da Confederação do Equador com base nas fontes analisadas.

A estrutura do cordel baseia-se em estrofes de quatro versos com rimas. Para saber mais sobre as características do cordel acesse https://www.estudopratico.com.br/literatura-de-cordel/

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE O Brasil no século XIX do 8º ano :

MAIS AULAS DE História do 8º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF08HI16 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de História

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano