16344
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 7º ano > Mundo do trabalho

Plano de aula - A integração rodoviária nacional

Plano de aula de Geografia com atividades para 7° ano do Fundamental sobre Analisar as características do transporte rodoviário e os impactos da priorização do transporte de cargas por esse modal.

Plano 03 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Guilherme Theobaldo Yamaguti

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Sobre este plano: Está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07GE07 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

A habilidade em questão estabelece a análise da influência das redes de transporte e comunicação na configuração do território brasileiro. É importante compreender como a distribuição da infraestrutura de transportes influencia as trocas comerciais internas e externas, a configuração das redes urbanas e a fluidez do território.

Neste plano, é importante que os alunos compreendam a influência da rede rodoviária nas políticas de integração territorial brasileiras. A cadeia de elementos econômicos, em especial a indústria automobilística e petrolífera, ligadas ao transporte rodoviário também serão analisados.

Materiais necessários:

Folhas de papel sulfite A4 – distribuir de duas a três folhas por grupo.

Lápis de cor

Lápis grafite

Canetas hidrográficas coloridas

Material complementar:

Livro didático

Atlas escolar do IBGE

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/YG4TEXZYDDZEPFsffeBpKhFJcwD8Vc3rC9pMggtMwEwfeGWUCmZA5EQw3kJT/geo7-07und03-contextualizacao.pdf - Contextualização

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/TKm4kvNRZRCn5M6Gdsf9FRdu8X2WHQjEV8UXdWJaGxeHr9SSR76vn3vFQxQM/geo7-07und03-problematizacao.pdf - Problematização

Link para os mapas:

Mapa ferroviário e rodoviário 2013 https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/YG4TEXZYDDZEPFsffeBpKhFJcwD8Vc3rC9pMggtMwEwfeGWUCmZA5EQw3kJT/geo7-07und03-contextualizacao.pdf - Contextualização

Para você saber mais:

A implantação e expansão da malha rodoviária no Brasil simbolizou uma série de transformações econômicas, territoriais e políticas durante o século XX.

A priorização do modelo baseado no caminhão, em detrimento e abandono dos trens, afeta uma cadeia produtiva que extrapola o campo econômico dos serviços de transporte e atinge (e é atingido) a indústria energética e automobilística. Atualmente, ainda estamos suscetíveis aos abalos e variações que ocorrem com os agentes envolvidos nesses campos tão interdependentes, vide as causas e o desfecho da Greve dos Caminhoneiros de 2018.

A abertura de estradas no interior do país também representou a intenção de acelerar a ocupação dos sertões brasileiros. A construção e transferência da capital do país para Brasília, nas décadas de 1950 e 1960, estimulou essa interiorização, com o lema “Integrar para não entregar”, abrindo rodovias paralelas ao traçado das fronteiras terrestres nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Não devemos esquecer que o transporte rodoviário é responsável por quase 70% de toda carga deslocada pelo país. Como todo o modal de transporte, apresenta vantagens (rapidez e entrega “porta a porta”) e desvantagens (emissão de gases poluentes elevada, capacidade de transporte limitada, custo de manutenção das rodovias pavimentadas e outros).

Mais informações sobre o transporte rodoviário no Brasil:

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

IBGE. Portal de Mapas do IBGE “Evolução da rede rodoviária”. Disponível em: https://portaldemapas.ibge.gov.br/portal.php#mapa993 , acessado em 10 de dez. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Modal rodoviário. Disponível em: http://www.cnt.org.br/Modal/modal-rodoviario-cnt , acessado em 10 de dez. de 2018

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Banco de Informações sobre Transportes. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/bit.html , acessado em 10 de dez. de 2018

Portal de notícias G1. Economia - A greve dos caminhoneiros. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/ao-vivo/greve-de-caminhoneiros-maio-de-2018.ghtml , acessado em 10 de dez. de 2018

A “chuva ou tempestade de ideias” (brainstorm) é uma técnica de aprendizagem que permite a inserção de informações e reflexões trazidas pelos estudantes. A partir da problematização ou questão motivadora, os estudantes devem escrever tudo que pensam sobre determinado assunto, no nosso caso, transporte rodoviário.

Sobre a ação propositiva:

SEBRAE. Brainstorm - Tempestade de ideias ou como tirar seu time do cercadinho mental. Disponível em: https://bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/741A876FE828908203256E7C00614A23/$File/NT00002206.pdf , acessado em 10 de dez. de 2018

Desafios da Educação. Três técnicas efetivas para brainstorming e ideias. Disponível em: https://desafiosdaeducacao.com.br/tres-tecnicas-efetivas-para-brainstorming-ideias/ , acessado em 10 de dez. de 2018

Design Culture. Brainstorming: o guia completo que você sempre quis. Disponível em: https://designculture.com.br/brainstorming-o-guia-completo-que-voce-sempre-quis , acessado em 10 de dez. de 2018

Contextos prévios: Este plano de aula faz parte de um conjunto de planos a respeito das vias de transporte no Brasil. Ao iniciar a aprendizagem sobre o meio rodoviário é interessante que os alunos tenham aprendido sobre o contexto ferroviário (GE07_07UND02).

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

Apresente o tema aos alunos, escreva no quadro, se possível destaque a palavra rodoviária explicando que aula será sobre esse modal de transporte. Questione o significado da palavra integração. Caso os alunos não identifiquem o seu significado, utilize o dicionário e apresente a definição (ou peça para que os alunos façam isso).

A discussão sobre o transporte rodoviário pode desencadear uma série de discussões, trata-se de um tema amplo. Neste plano de aula, sugerimos que tal assunto leve em consideração a presença e densidade da rede rodoviária se comparada a ferroviária (a integração do território baseada na abertura de estradas) e a dependência do setor rodoviário para a realização do transporte de cargas. A proposta é que o aluno reflita sobre as desvantagens relacionadas a essa modalidade de transporte.

Como adequar à sua realidade:

A densidade da malha rodoviária federal diminui das regiões litorâneas para o interior do país. Na região Norte, por exemplo, o predomínio do transporte hidroviário em algumas porções do território talvez distancie o entendimento de transporte rodoviário das experiências dos alunos. Nesse caso, faça uso das imagens disponíveis no material complementar, livros didáticos ou realize uma pesquisa de imagens no laboratório de informática da escola.

Nos estados da região Centro-Oeste e alguns estados da região Norte, é possível relacionar o surgimento e crescimento de algumas cidades justamente à presença das rodovias.

Para você saber mais:

A implantação e expansão da malha rodoviária no Brasil simbolizou uma série de transformações econômicas, territoriais e políticas durante o século XX.

A priorização do modelo baseado no caminhão, em detrimento e abandono dos trens, afeta uma cadeia produtiva que extrapola o campo econômico dos serviços de transporte e atinge (e é atingido) a indústria energética e automobilística. Atualmente, ainda estamos suscetíveis aos abalos e variações que ocorrem com os agentes envolvidos nessas campos tão interdependentes, vide as causas e o desfecho da Greve dos Caminhoneiros de 2018.

A abertura de estradas no interior do país também representou a intenção de acelerar a ocupação dos sertões brasileiros. A construção e transferência da capital do país para Brasília, nas décadas de 1950 e 1960, estimulou essa interiorização, com o lema “Integrar para não entregar”, abrindo rodovias paralelas ao traçado das fronteiras terrestres nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Não devemos esquecer que o transporte rodoviário é responsável por quase 70% de toda carga deslocada pelo país. Como todo o modal de transporte, apresenta vantagens (rapidez e entrega “porta a porta”) e desvantagens (emissão de gases poluentes elevada, capacidade de transporte limitada, custo de manutenção das rodovias pavimentadas e outros).

Mais informações sobre o transporte rodoviário no Brasil:

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

IBGE. Portal de Mapas do IBGE “Evolução da rede rodoviária”. Disponível em: https://portaldemapas.ibge.gov.br/portal.php#mapa993 , acessado em 10 de dez. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Modal rodoviário. Disponível em: http://www.cnt.org.br/Modal/modal-rodoviario-cnt , acessado em 10 de dez. de 2018

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Banco de Informações sobre Transportes. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/bit.html , acessado em 10 de dez. de 2018

Portal de notícias G1. Economia - A greve dos caminhoneiros. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/ao-vivo/greve-de-caminhoneiros-maio-de-2018.ghtml , acessado em 10 de dez. de 2018

Contextos prévios: Este plano de aula faz parte de um conjunto de planos a respeito das vias de transporte no Brasil. Ao iniciar a aprendizagem sobre o meio rodoviário é interessante que os alunos tenham aprendido sobre o contexto ferroviário (GE07_07UND02).

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

O mapa acima representa as distribuição das redes ferroviária e rodoviária nacional. As linhas pretas, do primeiro mapa, fazem referência à distribuição da malha férrea, já a vermelha representa a malha rodoviária. Aproveite que os mapas trazem o traçado da hidrografia para refletir junto aos alunos sobre a escassez das redes terrestres na região Amazônica.

Questione o meio de transporte que deve ser utilizado com mais frequência nessa porção do país.

Como adequar à sua realidade:

Além de realizar as comparações sobre a distribuição das redes terrestres, se sua escola encontra-se numa localidade no interior do país, questione a diferença da densidade dessas vias nas áreas próximas ao litoral e no interior do país.

Para você saber mais:

A implantação e expansão da malha rodoviária no Brasil simbolizou uma série de transformações econômicas, territoriais e políticas durante o século XX.

A priorização do modelo baseado no caminhão em detrimento e abandono dos trens, afetam uma cadeia produtiva que extrapola o campo econômico dos serviços de transporte, e atinge (e é atingido) a indústria energética e automobilística. Atualmente, ainda estamos suscetíveis aos abalos e variações que ocorrem com os agentes envolvidos nessas campos tão interdependentes, vide as causas e o desfecho da Greve dos Caminhoneiros de 2018.

A abertura de estradas no interior do país também representou a intenção de acelerar a ocupação dos sertões brasileiros. A construção e transferência da capital do país para Brasília nas décadas de 50 e 60 estimulou essa interiorização, ao lema do “Integrar para não entregar” abrindo rodovias paralelas ao traçado das fronteiras terrestres nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Não devemos esquecer que o transporte rodoviário é responsável por quase 70% de toda carga deslocada pelo país. E como todo o modal de transporte apresenta vantagens (rapidez e entrega “porta a porta”) e desvantagens (emissão de gases poluentes elevada, capacidade de transporte limitada, custo de manutenção das rodovias pavimentadas e outros).

Mais informações sobre o transporte rodoviário no Brasil:

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

IBGE. Portal de Mapas do IBGE “Evolução da rede rodoviária”. Disponível em: https://portaldemapas.ibge.gov.br/portal.php#mapa993 , acessado em 10 de dez. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Modal rodoviário. Disponível em: http://www.cnt.org.br/Modal/modal-rodoviario-cnt , acessado em 10 de dez. de 2018

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Banco de Informações sobre Transportes. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/bit.html , acessado em 10 de dez. de 2018

Portal de notícias G1. Economia - A greve dos caminhoneiros. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/ao-vivo/greve-de-caminhoneiros-maio-de-2018.ghtml , acessado em 10 de dez. de 2018

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

Explique aos alunos que o transporte de carga envolve o deslocamento das mercadorias. Nesse momento dê exemplos desses produtos. A exceção do transporte de minérios, como ferro, praticamente todo tipo de mercadoria é movimentado por meio dos caminhões.

Nesse momento é importante ressaltar a grande desigualdade ou desequilíbrio em nossa matriz de transporte.

Aproveite para perguntar se há relação entre a distribuição das redes, vista no slide anterior e os dados do gráfico. Outra reflexão que pode ser feita é sobre que modalidades de transporte poderiam ter mais destaque no transporte de cargas.

Para você saber mais:

A implantação e expansão da malha rodoviária no Brasil simbolizou uma série de transformações econômicas, territoriais e políticas durante o século XX.

A priorização do modelo baseado no caminhão em detrimento e abandono dos trens, afetam uma cadeia produtiva que extrapola o campo econômico dos serviços de transporte, e atinge (e é atingido) a indústria energética e automobilística. Atualmente, ainda estamos suscetíveis aos abalos e variações que ocorrem com os agentes envolvidos nessas campos tão interdependentes, vide as causas e o desfecho da Greve dos Caminhoneiros de 2018.

A abertura de estradas no interior do país também representou a intenção de acelerar a ocupação dos sertões brasileiros. A construção e transferência da capital do país para Brasília nas décadas de 50 e 60 estimulou essa interiorização, ao lema do “Integrar para não entregar” abrindo rodovias paralelas ao traçado das fronteiras terrestres nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Não devemos esquecer que o transporte rodoviário é responsável por quase 70% de toda carga deslocada pelo país. E como todo o modal de transporte apresenta vantagens (rapidez e entrega “porta a porta”) e desvantagens (emissão de gases poluentes elevada, capacidade de transporte limitada, custo de manutenção das rodovias pavimentadas e outros).

Mais informações sobre o transporte rodoviário no Brasil:

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

IBGE. Portal de Mapas do IBGE “Evolução da rede rodoviária”. Disponível em: https://portaldemapas.ibge.gov.br/portal.php#mapa993 , acessado em 10 de dez. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Modal rodoviário. Disponível em: http://www.cnt.org.br/Modal/modal-rodoviario-cnt , acessado em 10 de dez. de 2018

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Banco de Informações sobre Transportes. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/bit.html , acessado em 10 de dez. de 2018

Portal de notícias G1. Economia - A greve dos caminhoneiros. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/ao-vivo/greve-de-caminhoneiros-maio-de-2018.ghtml , acessado em 10 de dez. de 2018

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações:

Diante das informações trabalhadas durante a contextualização e também a partir das imagens (Rodovia Transamazônica e Notícia sobre a Greve dos Caminhoneiros). Dispare a questão:

Por que não podemos depender tanto do transporte rodoviário?

Ou ainda: Mesmo sendo mais vantajoso o transporte ferroviário, por que ainda dependemos do transporte rodoviário?

Como adequar à sua realidade:

Se na localidade onde encontra-se sua escola existem outras vias de transporte, questione os alunos se elas são tão utilizadas quanto as rodovias. Pergunte se, na opinião deles, esses modais de transporte poderiam ser melhor utilizados.

Para você saber mais:

A implantação e expansão da malha rodoviária no Brasil simbolizou uma série de transformações econômicas, territoriais e políticas durante o século XX.

A priorização do modelo baseado no caminhão em detrimento e abandono dos trens, afetam uma cadeia produtiva que extrapola o campo econômico dos serviços de transporte, e atinge (e é atingido) a indústria energética e automobilística. Atualmente, ainda estamos suscetíveis aos abalos e variações que ocorrem com os agentes envolvidos nessas campos tão interdependentes, vide as causas e o desfecho da Greve dos Caminhoneiros de 2018.

A abertura de estradas no interior do país também representou a intenção de acelerar a ocupação dos sertões brasileiros. A construção e transferência da capital do país para Brasília nas décadas de 50 e 60 estimulou essa interiorização, ao lema do “Integrar para não entregar” abrindo rodovias paralelas ao traçado das fronteiras terrestres nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Não devemos esquecer que o transporte rodoviário é responsável por quase 70% de toda carga deslocada pelo país. E como todo o modal de transporte apresenta vantagens (rapidez e entrega “porta a porta”) e desvantagens (emissão de gases poluentes elevada, capacidade de transporte limitada, custo de manutenção das rodovias pavimentadas e outros).

Mais informações sobre o transporte rodoviário no Brasil:

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

IBGE. Portal de Mapas do IBGE “Evolução da rede rodoviária”. Disponível em: https://portaldemapas.ibge.gov.br/portal.php#mapa993 , acessado em 10 de dez. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Modal rodoviário. Disponível em: http://www.cnt.org.br/Modal/modal-rodoviario-cnt , acessado em 10 de dez. de 2018

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Banco de Informações sobre Transportes. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/bit.html , acessado em 10 de dez. de 2018

Portal de notícias G1. Economia - A greve dos caminhoneiros. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/ao-vivo/greve-de-caminhoneiros-maio-de-2018.ghtml , acessado em 10 de dez. de 2018

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 16 minutos

Orientações:

Após as etapas de contextualização e problematização, vamos propor que os estudantes, em grupos, levantem informações ou questões a respeito do transporte rodoviário.

Nesta etapa, para estimular a “chuva ou tempestade de ideias” (também conhecido como brainstorm), questione o que pensamos a respeito de caminhões e rodovias. Quais problemas estão relacionados a esse modal de transporte.

Os alunos devem colocar os pensamentos no papel. Caso ache necessário, proponha que cada grupo seja responsável por um tema, como: impactos ambientais, questão energética/combustíveis, construção de rodovias, meios de transportes (automóveis, ônibus e caminhões), os profissionais dessa atividade (em especial os caminhoneiros).

Acompanhe o desenvolvimento da atividade, dialogue com os estudantes sobre as dúvidas que eventualmente possam surgir.

Nesse momento, é importante não interromper, julgar ou recusar uma ideia.

Se necessário, destaque a pergunta problematizadora no quadro: Por que dependemos do transporte rodoviário?

Para você saber mais:

A “chuva ou tempestade de ideias” (brainstorm) é uma técnica de aprendizagem que permite a inserção de informações e reflexões trazidas pelos estudantes. A partir da problematização ou questão motivadora, os estudantes devem escrever tudo que pensam sobre determinado assunto, no nosso caso, transporte rodoviário.

SEBRAE. Brainstorm - Tempestade de ideias ou como tirar seu time do cercadinho mental. Disponível em: https://bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/741A876FE828908203256E7C00614A23/$File/NT00002206.pdf , acessado em 10 de dez. de 2018

Desafios da Educação. Três técnicas efetivas para brainstorming e ideias. Disponível em: https://desafiosdaeducacao.com.br/tres-tecnicas-efetivas-para-brainstorming-ideias/ , acessado em 10 de dez. de 2018

Design Culture. Brainstorming: o guia completo que você sempre quis. Disponível em: https://designculture.com.br/brainstorming-o-guia-completo-que-voce-sempre-quis , acessado em 10 de dez. de 2018

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações:

A partir das palavras que foram enunciadas durante a “chuva de ideias” proponha a construção de mapas conceituais a respeito das desvantagens do transporte rodoviário. Utilize esse termo (desvantagens do transporte rodoviário) como baliza para que os alunos consigam estabelecer as relações entre os conceitos.

Para isso os alunos devem utilizar a folha de sulfite A4.

Como adequar à sua realidade: (Se necessário, acrescente aqui orientações específicas para o professor adaptar o plano à região dele. Este item não é obrigatório em todas as etapas)

Para você saber mais:

O mapa conceitual é uma forma de estruturar conceitos e informações por meio de esquemas. Uma ideia central - como Rodovias no Brasil - e a relação com o conjunto de ideias e informações que se conectam a essa ideia. Se você nunca produziu um mapa conceitual, sugiro que assista aos vídeos e faça um teste. Fazer antes de orientar os alunos permite uma compreensão melhor da proposta.

Sala de Ciências. Como fazer mapas conceituais - Conceptual mapping/ Cmap Tools. 2015. (6m36s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=RThwilejKw0 , acessado em 10 de dez. de 2018

Lucidchart Português. Tutorial de mapas conceituais. 2018. (8m22s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=F54SWctP7-E , acessado em 10 de dez. de 2018

SejaUmaPessoaMelhor. Como fazer um MAPA MENTAL passo a passo |Seja Um Estudante Melhor. 2017. (7m37s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=m1qW0wPJV1M , acessado em 10 de dez. de 2018

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você possa se planejar.

Sobre este plano: Está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade EF07GE07 de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

A habilidade em questão estabelece a análise da influência das redes de transporte e comunicação na configuração do território brasileiro. É importante compreender como a distribuição da infraestrutura de transportes influencia as trocas comerciais internas e externas, a configuração das redes urbanas e a fluidez do território.

Neste plano, é importante que os alunos compreendam a influência da rede rodoviária nas políticas de integração territorial brasileiras. A cadeia de elementos econômicos, em especial a indústria automobilística e petrolífera, ligadas ao transporte rodoviário também serão analisados.

Materiais necessários:

Folhas de papel sulfite A4 – distribuir de duas a três folhas por grupo.

Lápis de cor

Lápis grafite

Canetas hidrográficas coloridas

Material complementar:

Livro didático

Atlas escolar do IBGE

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/YG4TEXZYDDZEPFsffeBpKhFJcwD8Vc3rC9pMggtMwEwfeGWUCmZA5EQw3kJT/geo7-07und03-contextualizacao.pdf - Contextualização

https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/TKm4kvNRZRCn5M6Gdsf9FRdu8X2WHQjEV8UXdWJaGxeHr9SSR76vn3vFQxQM/geo7-07und03-problematizacao.pdf - Problematização

Link para os mapas:

Mapa ferroviário e rodoviário 2013 https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/YG4TEXZYDDZEPFsffeBpKhFJcwD8Vc3rC9pMggtMwEwfeGWUCmZA5EQw3kJT/geo7-07und03-contextualizacao.pdf - Contextualização

Para você saber mais:

A implantação e expansão da malha rodoviária no Brasil simbolizou uma série de transformações econômicas, territoriais e políticas durante o século XX.

A priorização do modelo baseado no caminhão, em detrimento e abandono dos trens, afeta uma cadeia produtiva que extrapola o campo econômico dos serviços de transporte e atinge (e é atingido) a indústria energética e automobilística. Atualmente, ainda estamos suscetíveis aos abalos e variações que ocorrem com os agentes envolvidos nesses campos tão interdependentes, vide as causas e o desfecho da Greve dos Caminhoneiros de 2018.

A abertura de estradas no interior do país também representou a intenção de acelerar a ocupação dos sertões brasileiros. A construção e transferência da capital do país para Brasília, nas décadas de 1950 e 1960, estimulou essa interiorização, com o lema “Integrar para não entregar”, abrindo rodovias paralelas ao traçado das fronteiras terrestres nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Não devemos esquecer que o transporte rodoviário é responsável por quase 70% de toda carga deslocada pelo país. Como todo o modal de transporte, apresenta vantagens (rapidez e entrega “porta a porta”) e desvantagens (emissão de gases poluentes elevada, capacidade de transporte limitada, custo de manutenção das rodovias pavimentadas e outros).

Mais informações sobre o transporte rodoviário no Brasil:

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

IBGE. Portal de Mapas do IBGE “Evolução da rede rodoviária”. Disponível em: https://portaldemapas.ibge.gov.br/portal.php#mapa993 , acessado em 10 de dez. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Modal rodoviário. Disponível em: http://www.cnt.org.br/Modal/modal-rodoviario-cnt , acessado em 10 de dez. de 2018

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Banco de Informações sobre Transportes. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/bit.html , acessado em 10 de dez. de 2018

Portal de notícias G1. Economia - A greve dos caminhoneiros. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/ao-vivo/greve-de-caminhoneiros-maio-de-2018.ghtml , acessado em 10 de dez. de 2018

A “chuva ou tempestade de ideias” (brainstorm) é uma técnica de aprendizagem que permite a inserção de informações e reflexões trazidas pelos estudantes. A partir da problematização ou questão motivadora, os estudantes devem escrever tudo que pensam sobre determinado assunto, no nosso caso, transporte rodoviário.

Sobre a ação propositiva:

SEBRAE. Brainstorm - Tempestade de ideias ou como tirar seu time do cercadinho mental. Disponível em: https://bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/741A876FE828908203256E7C00614A23/$File/NT00002206.pdf , acessado em 10 de dez. de 2018

Desafios da Educação. Três técnicas efetivas para brainstorming e ideias. Disponível em: https://desafiosdaeducacao.com.br/tres-tecnicas-efetivas-para-brainstorming-ideias/ , acessado em 10 de dez. de 2018

Design Culture. Brainstorming: o guia completo que você sempre quis. Disponível em: https://designculture.com.br/brainstorming-o-guia-completo-que-voce-sempre-quis , acessado em 10 de dez. de 2018

Contextos prévios: Este plano de aula faz parte de um conjunto de planos a respeito das vias de transporte no Brasil. Ao iniciar a aprendizagem sobre o meio rodoviário é interessante que os alunos tenham aprendido sobre o contexto ferroviário (GE07_07UND02).

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações:

Apresente o tema aos alunos, escreva no quadro, se possível destaque a palavra rodoviária explicando que aula será sobre esse modal de transporte. Questione o significado da palavra integração. Caso os alunos não identifiquem o seu significado, utilize o dicionário e apresente a definição (ou peça para que os alunos façam isso).

A discussão sobre o transporte rodoviário pode desencadear uma série de discussões, trata-se de um tema amplo. Neste plano de aula, sugerimos que tal assunto leve em consideração a presença e densidade da rede rodoviária se comparada a ferroviária (a integração do território baseada na abertura de estradas) e a dependência do setor rodoviário para a realização do transporte de cargas. A proposta é que o aluno reflita sobre as desvantagens relacionadas a essa modalidade de transporte.

Como adequar à sua realidade:

A densidade da malha rodoviária federal diminui das regiões litorâneas para o interior do país. Na região Norte, por exemplo, o predomínio do transporte hidroviário em algumas porções do território talvez distancie o entendimento de transporte rodoviário das experiências dos alunos. Nesse caso, faça uso das imagens disponíveis no material complementar, livros didáticos ou realize uma pesquisa de imagens no laboratório de informática da escola.

Nos estados da região Centro-Oeste e alguns estados da região Norte, é possível relacionar o surgimento e crescimento de algumas cidades justamente à presença das rodovias.

Para você saber mais:

A implantação e expansão da malha rodoviária no Brasil simbolizou uma série de transformações econômicas, territoriais e políticas durante o século XX.

A priorização do modelo baseado no caminhão, em detrimento e abandono dos trens, afeta uma cadeia produtiva que extrapola o campo econômico dos serviços de transporte e atinge (e é atingido) a indústria energética e automobilística. Atualmente, ainda estamos suscetíveis aos abalos e variações que ocorrem com os agentes envolvidos nessas campos tão interdependentes, vide as causas e o desfecho da Greve dos Caminhoneiros de 2018.

A abertura de estradas no interior do país também representou a intenção de acelerar a ocupação dos sertões brasileiros. A construção e transferência da capital do país para Brasília, nas décadas de 1950 e 1960, estimulou essa interiorização, com o lema “Integrar para não entregar”, abrindo rodovias paralelas ao traçado das fronteiras terrestres nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Não devemos esquecer que o transporte rodoviário é responsável por quase 70% de toda carga deslocada pelo país. Como todo o modal de transporte, apresenta vantagens (rapidez e entrega “porta a porta”) e desvantagens (emissão de gases poluentes elevada, capacidade de transporte limitada, custo de manutenção das rodovias pavimentadas e outros).

Mais informações sobre o transporte rodoviário no Brasil:

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

IBGE. Portal de Mapas do IBGE “Evolução da rede rodoviária”. Disponível em: https://portaldemapas.ibge.gov.br/portal.php#mapa993 , acessado em 10 de dez. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Modal rodoviário. Disponível em: http://www.cnt.org.br/Modal/modal-rodoviario-cnt , acessado em 10 de dez. de 2018

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Banco de Informações sobre Transportes. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/bit.html , acessado em 10 de dez. de 2018

Portal de notícias G1. Economia - A greve dos caminhoneiros. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/ao-vivo/greve-de-caminhoneiros-maio-de-2018.ghtml , acessado em 10 de dez. de 2018

Contextos prévios: Este plano de aula faz parte de um conjunto de planos a respeito das vias de transporte no Brasil. Ao iniciar a aprendizagem sobre o meio rodoviário é interessante que os alunos tenham aprendido sobre o contexto ferroviário (GE07_07UND02).

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

O mapa acima representa as distribuição das redes ferroviária e rodoviária nacional. As linhas pretas, do primeiro mapa, fazem referência à distribuição da malha férrea, já a vermelha representa a malha rodoviária. Aproveite que os mapas trazem o traçado da hidrografia para refletir junto aos alunos sobre a escassez das redes terrestres na região Amazônica.

Questione o meio de transporte que deve ser utilizado com mais frequência nessa porção do país.

Como adequar à sua realidade:

Além de realizar as comparações sobre a distribuição das redes terrestres, se sua escola encontra-se numa localidade no interior do país, questione a diferença da densidade dessas vias nas áreas próximas ao litoral e no interior do país.

Para você saber mais:

A implantação e expansão da malha rodoviária no Brasil simbolizou uma série de transformações econômicas, territoriais e políticas durante o século XX.

A priorização do modelo baseado no caminhão em detrimento e abandono dos trens, afetam uma cadeia produtiva que extrapola o campo econômico dos serviços de transporte, e atinge (e é atingido) a indústria energética e automobilística. Atualmente, ainda estamos suscetíveis aos abalos e variações que ocorrem com os agentes envolvidos nessas campos tão interdependentes, vide as causas e o desfecho da Greve dos Caminhoneiros de 2018.

A abertura de estradas no interior do país também representou a intenção de acelerar a ocupação dos sertões brasileiros. A construção e transferência da capital do país para Brasília nas décadas de 50 e 60 estimulou essa interiorização, ao lema do “Integrar para não entregar” abrindo rodovias paralelas ao traçado das fronteiras terrestres nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Não devemos esquecer que o transporte rodoviário é responsável por quase 70% de toda carga deslocada pelo país. E como todo o modal de transporte apresenta vantagens (rapidez e entrega “porta a porta”) e desvantagens (emissão de gases poluentes elevada, capacidade de transporte limitada, custo de manutenção das rodovias pavimentadas e outros).

Mais informações sobre o transporte rodoviário no Brasil:

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

IBGE. Portal de Mapas do IBGE “Evolução da rede rodoviária”. Disponível em: https://portaldemapas.ibge.gov.br/portal.php#mapa993 , acessado em 10 de dez. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Modal rodoviário. Disponível em: http://www.cnt.org.br/Modal/modal-rodoviario-cnt , acessado em 10 de dez. de 2018

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Banco de Informações sobre Transportes. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/bit.html , acessado em 10 de dez. de 2018

Portal de notícias G1. Economia - A greve dos caminhoneiros. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/ao-vivo/greve-de-caminhoneiros-maio-de-2018.ghtml , acessado em 10 de dez. de 2018

Slide Plano Aula

Orientações:

Explique aos alunos que o transporte de carga envolve o deslocamento das mercadorias. Nesse momento dê exemplos desses produtos. A exceção do transporte de minérios, como ferro, praticamente todo tipo de mercadoria é movimentado por meio dos caminhões.

Nesse momento é importante ressaltar a grande desigualdade ou desequilíbrio em nossa matriz de transporte.

Aproveite para perguntar se há relação entre a distribuição das redes, vista no slide anterior e os dados do gráfico. Outra reflexão que pode ser feita é sobre que modalidades de transporte poderiam ter mais destaque no transporte de cargas.

Para você saber mais:

A implantação e expansão da malha rodoviária no Brasil simbolizou uma série de transformações econômicas, territoriais e políticas durante o século XX.

A priorização do modelo baseado no caminhão em detrimento e abandono dos trens, afetam uma cadeia produtiva que extrapola o campo econômico dos serviços de transporte, e atinge (e é atingido) a indústria energética e automobilística. Atualmente, ainda estamos suscetíveis aos abalos e variações que ocorrem com os agentes envolvidos nessas campos tão interdependentes, vide as causas e o desfecho da Greve dos Caminhoneiros de 2018.

A abertura de estradas no interior do país também representou a intenção de acelerar a ocupação dos sertões brasileiros. A construção e transferência da capital do país para Brasília nas décadas de 50 e 60 estimulou essa interiorização, ao lema do “Integrar para não entregar” abrindo rodovias paralelas ao traçado das fronteiras terrestres nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Não devemos esquecer que o transporte rodoviário é responsável por quase 70% de toda carga deslocada pelo país. E como todo o modal de transporte apresenta vantagens (rapidez e entrega “porta a porta”) e desvantagens (emissão de gases poluentes elevada, capacidade de transporte limitada, custo de manutenção das rodovias pavimentadas e outros).

Mais informações sobre o transporte rodoviário no Brasil:

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

IBGE. Portal de Mapas do IBGE “Evolução da rede rodoviária”. Disponível em: https://portaldemapas.ibge.gov.br/portal.php#mapa993 , acessado em 10 de dez. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Modal rodoviário. Disponível em: http://www.cnt.org.br/Modal/modal-rodoviario-cnt , acessado em 10 de dez. de 2018

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Banco de Informações sobre Transportes. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/bit.html , acessado em 10 de dez. de 2018

Portal de notícias G1. Economia - A greve dos caminhoneiros. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/ao-vivo/greve-de-caminhoneiros-maio-de-2018.ghtml , acessado em 10 de dez. de 2018

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 3 minutos

Orientações:

Diante das informações trabalhadas durante a contextualização e também a partir das imagens (Rodovia Transamazônica e Notícia sobre a Greve dos Caminhoneiros). Dispare a questão:

Por que não podemos depender tanto do transporte rodoviário?

Ou ainda: Mesmo sendo mais vantajoso o transporte ferroviário, por que ainda dependemos do transporte rodoviário?

Como adequar à sua realidade:

Se na localidade onde encontra-se sua escola existem outras vias de transporte, questione os alunos se elas são tão utilizadas quanto as rodovias. Pergunte se, na opinião deles, esses modais de transporte poderiam ser melhor utilizados.

Para você saber mais:

A implantação e expansão da malha rodoviária no Brasil simbolizou uma série de transformações econômicas, territoriais e políticas durante o século XX.

A priorização do modelo baseado no caminhão em detrimento e abandono dos trens, afetam uma cadeia produtiva que extrapola o campo econômico dos serviços de transporte, e atinge (e é atingido) a indústria energética e automobilística. Atualmente, ainda estamos suscetíveis aos abalos e variações que ocorrem com os agentes envolvidos nessas campos tão interdependentes, vide as causas e o desfecho da Greve dos Caminhoneiros de 2018.

A abertura de estradas no interior do país também representou a intenção de acelerar a ocupação dos sertões brasileiros. A construção e transferência da capital do país para Brasília nas décadas de 50 e 60 estimulou essa interiorização, ao lema do “Integrar para não entregar” abrindo rodovias paralelas ao traçado das fronteiras terrestres nas regiões Centro-Oeste e Norte.

Não devemos esquecer que o transporte rodoviário é responsável por quase 70% de toda carga deslocada pelo país. E como todo o modal de transporte apresenta vantagens (rapidez e entrega “porta a porta”) e desvantagens (emissão de gases poluentes elevada, capacidade de transporte limitada, custo de manutenção das rodovias pavimentadas e outros).

Mais informações sobre o transporte rodoviário no Brasil:

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

IBGE. Portal de Mapas do IBGE “Evolução da rede rodoviária”. Disponível em: https://portaldemapas.ibge.gov.br/portal.php#mapa993 , acessado em 10 de dez. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Modal rodoviário. Disponível em: http://www.cnt.org.br/Modal/modal-rodoviario-cnt , acessado em 10 de dez. de 2018

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Banco de Informações sobre Transportes. Disponível em: http://www.transportes.gov.br/bit.html , acessado em 10 de dez. de 2018

Portal de notícias G1. Economia - A greve dos caminhoneiros. Disponível em: https://g1.globo.com/economia/ao-vivo/greve-de-caminhoneiros-maio-de-2018.ghtml , acessado em 10 de dez. de 2018

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 16 minutos

Orientações:

Após as etapas de contextualização e problematização, vamos propor que os estudantes, em grupos, levantem informações ou questões a respeito do transporte rodoviário.

Nesta etapa, para estimular a “chuva ou tempestade de ideias” (também conhecido como brainstorm), questione o que pensamos a respeito de caminhões e rodovias. Quais problemas estão relacionados a esse modal de transporte.

Os alunos devem colocar os pensamentos no papel. Caso ache necessário, proponha que cada grupo seja responsável por um tema, como: impactos ambientais, questão energética/combustíveis, construção de rodovias, meios de transportes (automóveis, ônibus e caminhões), os profissionais dessa atividade (em especial os caminhoneiros).

Acompanhe o desenvolvimento da atividade, dialogue com os estudantes sobre as dúvidas que eventualmente possam surgir.

Nesse momento, é importante não interromper, julgar ou recusar uma ideia.

Se necessário, destaque a pergunta problematizadora no quadro: Por que dependemos do transporte rodoviário?

Para você saber mais:

A “chuva ou tempestade de ideias” (brainstorm) é uma técnica de aprendizagem que permite a inserção de informações e reflexões trazidas pelos estudantes. A partir da problematização ou questão motivadora, os estudantes devem escrever tudo que pensam sobre determinado assunto, no nosso caso, transporte rodoviário.

SEBRAE. Brainstorm - Tempestade de ideias ou como tirar seu time do cercadinho mental. Disponível em: https://bibliotecas.sebrae.com.br/chronus/ARQUIVOS_CHRONUS/bds/bds.nsf/741A876FE828908203256E7C00614A23/$File/NT00002206.pdf , acessado em 10 de dez. de 2018

Desafios da Educação. Três técnicas efetivas para brainstorming e ideias. Disponível em: https://desafiosdaeducacao.com.br/tres-tecnicas-efetivas-para-brainstorming-ideias/ , acessado em 10 de dez. de 2018

Design Culture. Brainstorming: o guia completo que você sempre quis. Disponível em: https://designculture.com.br/brainstorming-o-guia-completo-que-voce-sempre-quis , acessado em 10 de dez. de 2018

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 20 minutos

Orientações:

A partir das palavras que foram enunciadas durante a “chuva de ideias” proponha a construção de mapas conceituais a respeito das desvantagens do transporte rodoviário. Utilize esse termo (desvantagens do transporte rodoviário) como baliza para que os alunos consigam estabelecer as relações entre os conceitos.

Para isso os alunos devem utilizar a folha de sulfite A4.

Como adequar à sua realidade: (Se necessário, acrescente aqui orientações específicas para o professor adaptar o plano à região dele. Este item não é obrigatório em todas as etapas)

Para você saber mais:

O mapa conceitual é uma forma de estruturar conceitos e informações por meio de esquemas. Uma ideia central - como Rodovias no Brasil - e a relação com o conjunto de ideias e informações que se conectam a essa ideia. Se você nunca produziu um mapa conceitual, sugiro que assista aos vídeos e faça um teste. Fazer antes de orientar os alunos permite uma compreensão melhor da proposta.

Sala de Ciências. Como fazer mapas conceituais - Conceptual mapping/ Cmap Tools. 2015. (6m36s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=RThwilejKw0 , acessado em 10 de dez. de 2018

Lucidchart Português. Tutorial de mapas conceituais. 2018. (8m22s). Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=F54SWctP7-E , acessado em 10 de dez. de 2018

SejaUmaPessoaMelhor. Como fazer um MAPA MENTAL passo a passo |Seja Um Estudante Melhor. 2017. (7m37s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=m1qW0wPJV1M , acessado em 10 de dez. de 2018

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Mundo do trabalho do 7º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 7º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF07GE07 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano