16341
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Geografia > 7º ano > Mundo do trabalho

Plano de aula - Ferrovias no Brasil

Plano de aula de Geografia com atividades para 7° ano do Fundamental sobre Categorizar os diferentes tipos de transporte ferroviário (carga e pessoas), bem como sua distribuição no território brasileiro

Plano 02 de 5 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Guilherme Theobaldo Yamaguti

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade (EF07GE07) de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

A ideia desse plano de aula é compreender o transporte ferroviário para além das tradicionais comparações. Ou seja, o objetivo não é comparar a extensão da rede ferroviária brasileira com a estadunidense por exemplo, nem as características da distribuição de ferrovias em países desenvolvidos e subdesenvolvidos. O foco é conhecer algumas das características dos tipos de transporte ferroviário a fim de permitir que o aluno realize comparações com o transporte rodoviário e verifique a distribuição dessa rede no Brasil.

A história da implantação e desenvolvimento de ferrovias no país apresenta etapas que podem ser comentadas em sala. Sugiro que isso ocorra durante ou após o momento de sistematização, quando uma série de questionamentos devem surgir.

Materiais necessários:

Fita adesiva, tesoura, atividades impressas, Atlas escolar e Livro didático

Material complementar:

Atividade de contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/r3YumFAHyUC6BYUMqRdUZg8esKgzfUGzbEHbPFcdEqkxXR9RDnw5ATQ7pPFE/geo07-07und02-contextualizacao-imagens.pdf

Atividiade da ação propositiva: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6tVQAQKmN94T62tpT8XpkBNDmUERt53nGhRnZqSQydjT4xX3NRr2xVs86SEM/geo07-07und02-acao-propositiva-atividade.pdf

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Após escrever o tema da aula e apresentar o objetivo, pergunte se os alunos já usaram um trem (ou metrô), ou viram trilhos e estações ferroviárias.

Este plano foi estruturado a partir da ideia que o transporte ferroviário no Brasil é necessário e importante para o deslocamento de cargas e pessoas. Por isso, queremos contemplar as diversas possibilidades que envolvem o transporte ferroviário, então os alunos devem conhecer as características desse meio de transporte. Na ação propositiva os alunos podem organizar as informações de cada tipo de transporte ferroviário e elaborar apontamentos e conclusões. No momento da sistematização, sugerimos a realização da técnica “rotação por estações” na qual os estudantes devem apresentar algumas características do transporte ferroviário que estudou e lançar um desafio aos colegas que passarem pela estação.

Como adequar à sua realidade:

Caso não existam ferrovias ativas ou inativas na localidade onde se encontra, questione os alunos o que eles sabem sobre esse meio de transporte. Peça antecipadamente que façam breve pesquisa de imagens na internet ou nos livros disponíveis na biblioteca da escola.

Questione sobre alguns elementos presentes nas ferrovias, e se tiver habilidades para desenhar, represente os trilhos, locomotivas e vagões no quadro. Peça para que escrevam um parágrafo ou pequeno texto sobre as ferrovias.

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações:

Ao projetar o intenso tráfego de automóveis, questione quantas pessoas devem estar ocupando cada carro. Comente que em São Paulo, o tempo médio de deslocamento no trânsito de São Paulo é de quase 3 horas (Fonte Ibope - disponível em: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2018/09/18/paulistano-demora-quase-3-horas-por-dia-no-transito-e-88-dos-pedestres-se-sentem-inseguros-diz-pesquisa.ghtml).

Permita que os alunos expressem suas sensações a respeito da imagem e informação. Pergunte aos alunos qual é a sensação que eles têm ao ver essa imagem. Será que dá vontade de morar em um lugar com tantos carros?

Materiais complementares

Acesse as imagens para impressão: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/r3YumFAHyUC6BYUMqRdUZg8esKgzfUGzbEHbPFcdEqkxXR9RDnw5ATQ7pPFE/geo07-07und02-contextualizacao-imagens.pdf

Como adequar à sua realidade:

Calcule o tempo gasto para os seus deslocamentos diários, se faz isso utilizando algum meio de transporte (bicicleta, motocicleta, automóvel, ônibus, metrô, trem, VLT) e exponha a informação aos alunos. Caso resida em uma cidade de porte médio ou grande, faça o questionamento sobre o tempo de deslocamento dos estudantes ou de seus responsáveis. Já, se sua escola ou residência encontra-se em municípios muito pequenos, distritos ou áreas rurais, apresente os dados sobre o tempo gasto em grandes cidades e pergunte aos alunos o que poderia ser feito nesse período gasto no deslocamento.

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

Informe os alunos que mais da metade de toda carga que circula no Brasil é transportado por caminhão. Questione uma desvantagem atribuída a esse tipo de meio de transporte.

Como adequar à sua realidade:

Se não houver formas de disponibilizar a imagem do slide, desenhe um caminhão na lousa e indique que transportam 60% de toda carga deslocada em nosso país. Faça a reflexão, quantos caminhões seriam necessários? Que tipo de problema isso pode trazer a sociedade?

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Contextualização select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

A imagem da estação e dos trilhos ferroviários abandonados pode abrir a discussão sobre qual função essas estruturas podem ter na atualidade. Ou, explique a função dessas estruturas no passado: transporte ferroviário de cargas (como café, mate, algodão, manufaturados etc) e pessoas (como os imigrantes); influência na formação de povoados que depois tornaram-se distritos e mais tarde cidades.

Pergunte aos alunos: “Faz sentido rodovias cheias de caminhões e ferrovias e estações abandonadas?”

Como adequar à sua realidade:

Algumas cidades apresentam estações ferroviárias, que não são mais utilizadas como estações. Muitas vezes essas estações foram transformadas em rodoviárias, área de realização de eventos culturais, estabelecimentos comerciais e os alunos não sabem a função original dessa estrutura. Alguns trilhos também encontram-se abandonados nas áreas urbanas, pergunte se os alunos já viram algum trem passando pela ferrovia.

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Problematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minutos

Orientações:

Nessa etapa os alunos devem refletir sobre a necessidade de ferrovias em nosso país. Esse momento é importante, pois a partir de agora, é preciso responder também: o transporte ferroviário pode trazer quais benefícios a sociedade e economia do país?

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Ação Propositiva select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

No link a seguir, encontram-se as imagens, mapas e informações (extensão, o que transporta, velocidade média e capacidade) sobre o transporte ferroviário de cargas, de passageiros e de turismo: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6tVQAQKmN94T62tpT8XpkBNDmUERt53nGhRnZqSQydjT4xX3NRr2xVs86SEM/geo07-07und02-acao-propositiva-atividade.pdf

Recomendo que após a impressão (três a quatro cópias para cada tipo de transporte ferroviário) recorte nas linhas tracejadas de cada folha.

Os recortes serão embaralhados e distribuídos para os grupos (sugiro com quatro alunos em cada).

Determine que tipo de transporte ferroviário ficará sob responsabilidade de cada grupo. Se houver uma quantidade grande de alunos, os temas (tipos de transporte) ficarão repetidos, isso não será um problema se afastar os grupos com os mesmos temas.

Os alunos devem verificar se as informações que estão no kit (mapas, imagens e texto) recebido estão coerentes, ou se há necessidade de trocar recortes com os outros grupos (embaralhe os recortes de forma que isso possa acontecer).

Conforme os alunos agrupam os kits corretamente deve ser iniciado o momento de sistematização.

Outra alternativa:

Caso os livros didáticos e atlas escolares estejam disponíveis em sua escola, e os conteúdos apresentem informações sobre as ferrovias (incluindo a questão do transporte ferroviário urbano), peça aos alunos que destaquem as principais características: extensão ferroviária, tipo de carga transportada, velocidade média, capacidade de transporte, imagens e mapas. Se houver laboratório de informática, pode dividir a turma e orientar para que pesquisem essas características dos trens de carga, passageiros e turísticos.

É importante que os estudantes escrevam um breve texto com as características e conclusões a respeito das formas de transporte ferroviário analisados.

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Sistematização select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Após a conclusão da ação propositiva, valide o kit montado por cada grupo, ou seja, conferir se as informações organizadas por eles, estão corretas.

Após a validação, peça para que os grupos sejam desmembrados e crie estações de aprendizagem para cada tipo de transporte ferroviário e as seguintes subdivisões:

  • Transporte ferroviário de cargas:

1a) mapa

1b) extensão ferroviária e velocidade

1c) tipo de carga transportada, capacidade de transporte e imagem do trem

2) Transporte ferroviário urbano:

2a) mapa (“Metrô 2017”) e representação das linhas do metrô de Salvador

2b) extensão ferroviária e velocidade

2c) transporte de pessoas das áreas metropolitanas, capacidade de transporte e imagem do metrô

3) Transporte ferroviário turístico

3a) imagem do trem (“Maria-fumaça” ou locomotiva à vapor)

3b) extensão ferroviária e velocidade

3c) transporte de turistas, capacidade de transporte e imagem do trem com os vagões de passageiros

Peça para que os grupos elaborem questões ou desafios para que os alunos resolvam ao passar pela estação.

Exemplos:

  • Transporte ferroviário de cargas:

1a) mapa

“Quais regiões ou porções do território brasileiro tem menos ferrovias?”

2) Transporte ferroviário urbano:

2b) extensão ferroviária e mapa

“O metrô é um tipo de trem que se desloca rapidamente. Qual é a velocidade média desse meio de transporte?”

Em cada estação haverá algumas informações sobre o transporte ferroviário. Um aluno de cada grupo deve ficar na estação para fazer breve explicações e fazer um desafio aqueles que passam pela estação.

Não se trata de um jogo, mas sim de uma atividade dinâmica para os alunos entenderem as categorias de transporte ferroviário.

Você pode ler mais sobre a metodologia de “rotação por estações”:

Fonte: Ensino híbrido: palavras que fazem a diferença. de Instituto Península, disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/14380/ensino-hibrido-palavras-que-fazem-a-diferenca , acesso em: 9 de dez. de 2018

Fonte: Não temos um computador para cada aluno. E agora? de Débora Garofalo, disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/4956/blog-tecnologia-nao-temos-um-computador-para-cada-aluno-e-agora , acesso em: 9 de dez. de 2018

Como adequar à sua realidade:

Sugira que cada grupo apresente para turma as características do transporte ferroviário analisado e um breve texto de síntese elaborado durante a ação propositiva.

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide em específico não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre este plano: Ele está previsto para ser realizado em uma aula de 50 minutos. Serão abordados aspectos que fazem parte do trabalho com a habilidade (EF07GE07) de Geografia, que consta na BNCC. Como a habilidade deve ser desenvolvida ao longo de todo o ano, você observará que ela não será contemplada em sua totalidade aqui e que as propostas podem ter continuidade em aulas subsequentes.

A ideia desse plano de aula é compreender o transporte ferroviário para além das tradicionais comparações. Ou seja, o objetivo não é comparar a extensão da rede ferroviária brasileira com a estadunidense por exemplo, nem as características da distribuição de ferrovias em países desenvolvidos e subdesenvolvidos. O foco é conhecer algumas das características dos tipos de transporte ferroviário a fim de permitir que o aluno realize comparações com o transporte rodoviário e verifique a distribuição dessa rede no Brasil.

A história da implantação e desenvolvimento de ferrovias no país apresenta etapas que podem ser comentadas em sala. Sugiro que isso ocorra durante ou após o momento de sistematização, quando uma série de questionamentos devem surgir.

Materiais necessários:

Fita adesiva, tesoura, atividades impressas, Atlas escolar e Livro didático

Material complementar:

Atividade de contextualização: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/r3YumFAHyUC6BYUMqRdUZg8esKgzfUGzbEHbPFcdEqkxXR9RDnw5ATQ7pPFE/geo07-07und02-contextualizacao-imagens.pdf

Atividiade da ação propositiva: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6tVQAQKmN94T62tpT8XpkBNDmUERt53nGhRnZqSQydjT4xX3NRr2xVs86SEM/geo07-07und02-acao-propositiva-atividade.pdf

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos

Orientações: Após escrever o tema da aula e apresentar o objetivo, pergunte se os alunos já usaram um trem (ou metrô), ou viram trilhos e estações ferroviárias.

Este plano foi estruturado a partir da ideia que o transporte ferroviário no Brasil é necessário e importante para o deslocamento de cargas e pessoas. Por isso, queremos contemplar as diversas possibilidades que envolvem o transporte ferroviário, então os alunos devem conhecer as características desse meio de transporte. Na ação propositiva os alunos podem organizar as informações de cada tipo de transporte ferroviário e elaborar apontamentos e conclusões. No momento da sistematização, sugerimos a realização da técnica “rotação por estações” na qual os estudantes devem apresentar algumas características do transporte ferroviário que estudou e lançar um desafio aos colegas que passarem pela estação.

Como adequar à sua realidade:

Caso não existam ferrovias ativas ou inativas na localidade onde se encontra, questione os alunos o que eles sabem sobre esse meio de transporte. Peça antecipadamente que façam breve pesquisa de imagens na internet ou nos livros disponíveis na biblioteca da escola.

Questione sobre alguns elementos presentes nas ferrovias, e se tiver habilidades para desenhar, represente os trilhos, locomotivas e vagões no quadro. Peça para que escrevam um parágrafo ou pequeno texto sobre as ferrovias.

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 12 minutos

Orientações:

Ao projetar o intenso tráfego de automóveis, questione quantas pessoas devem estar ocupando cada carro. Comente que em São Paulo, o tempo médio de deslocamento no trânsito de São Paulo é de quase 3 horas (Fonte Ibope - disponível em: https://g1.globo.com/sp/sao-paulo/noticia/2018/09/18/paulistano-demora-quase-3-horas-por-dia-no-transito-e-88-dos-pedestres-se-sentem-inseguros-diz-pesquisa.ghtml).

Permita que os alunos expressem suas sensações a respeito da imagem e informação. Pergunte aos alunos qual é a sensação que eles têm ao ver essa imagem. Será que dá vontade de morar em um lugar com tantos carros?

Materiais complementares

Acesse as imagens para impressão: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/r3YumFAHyUC6BYUMqRdUZg8esKgzfUGzbEHbPFcdEqkxXR9RDnw5ATQ7pPFE/geo07-07und02-contextualizacao-imagens.pdf

Como adequar à sua realidade:

Calcule o tempo gasto para os seus deslocamentos diários, se faz isso utilizando algum meio de transporte (bicicleta, motocicleta, automóvel, ônibus, metrô, trem, VLT) e exponha a informação aos alunos. Caso resida em uma cidade de porte médio ou grande, faça o questionamento sobre o tempo de deslocamento dos estudantes ou de seus responsáveis. Já, se sua escola ou residência encontra-se em municípios muito pequenos, distritos ou áreas rurais, apresente os dados sobre o tempo gasto em grandes cidades e pergunte aos alunos o que poderia ser feito nesse período gasto no deslocamento.

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Slide Plano Aula

Orientações:

Informe os alunos que mais da metade de toda carga que circula no Brasil é transportado por caminhão. Questione uma desvantagem atribuída a esse tipo de meio de transporte.

Como adequar à sua realidade:

Se não houver formas de disponibilizar a imagem do slide, desenhe um caminhão na lousa e indique que transportam 60% de toda carga deslocada em nosso país. Faça a reflexão, quantos caminhões seriam necessários? Que tipo de problema isso pode trazer a sociedade?

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Slide Plano Aula

Orientações:

A imagem da estação e dos trilhos ferroviários abandonados pode abrir a discussão sobre qual função essas estruturas podem ter na atualidade. Ou, explique a função dessas estruturas no passado: transporte ferroviário de cargas (como café, mate, algodão, manufaturados etc) e pessoas (como os imigrantes); influência na formação de povoados que depois tornaram-se distritos e mais tarde cidades.

Pergunte aos alunos: “Faz sentido rodovias cheias de caminhões e ferrovias e estações abandonadas?”

Como adequar à sua realidade:

Algumas cidades apresentam estações ferroviárias, que não são mais utilizadas como estações. Muitas vezes essas estações foram transformadas em rodoviárias, área de realização de eventos culturais, estabelecimentos comerciais e os alunos não sabem a função original dessa estrutura. Alguns trilhos também encontram-se abandonados nas áreas urbanas, pergunte se os alunos já viram algum trem passando pela ferrovia.

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minutos

Orientações:

Nessa etapa os alunos devem refletir sobre a necessidade de ferrovias em nosso país. Esse momento é importante, pois a partir de agora, é preciso responder também: o transporte ferroviário pode trazer quais benefícios a sociedade e economia do país?

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

No link a seguir, encontram-se as imagens, mapas e informações (extensão, o que transporta, velocidade média e capacidade) sobre o transporte ferroviário de cargas, de passageiros e de turismo: https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/6tVQAQKmN94T62tpT8XpkBNDmUERt53nGhRnZqSQydjT4xX3NRr2xVs86SEM/geo07-07und02-acao-propositiva-atividade.pdf

Recomendo que após a impressão (três a quatro cópias para cada tipo de transporte ferroviário) recorte nas linhas tracejadas de cada folha.

Os recortes serão embaralhados e distribuídos para os grupos (sugiro com quatro alunos em cada).

Determine que tipo de transporte ferroviário ficará sob responsabilidade de cada grupo. Se houver uma quantidade grande de alunos, os temas (tipos de transporte) ficarão repetidos, isso não será um problema se afastar os grupos com os mesmos temas.

Os alunos devem verificar se as informações que estão no kit (mapas, imagens e texto) recebido estão coerentes, ou se há necessidade de trocar recortes com os outros grupos (embaralhe os recortes de forma que isso possa acontecer).

Conforme os alunos agrupam os kits corretamente deve ser iniciado o momento de sistematização.

Outra alternativa:

Caso os livros didáticos e atlas escolares estejam disponíveis em sua escola, e os conteúdos apresentem informações sobre as ferrovias (incluindo a questão do transporte ferroviário urbano), peça aos alunos que destaquem as principais características: extensão ferroviária, tipo de carga transportada, velocidade média, capacidade de transporte, imagens e mapas. Se houver laboratório de informática, pode dividir a turma e orientar para que pesquisem essas características dos trens de carga, passageiros e turísticos.

É importante que os estudantes escrevam um breve texto com as características e conclusões a respeito das formas de transporte ferroviário analisados.

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 25 minutos

Orientações: Após a conclusão da ação propositiva, valide o kit montado por cada grupo, ou seja, conferir se as informações organizadas por eles, estão corretas.

Após a validação, peça para que os grupos sejam desmembrados e crie estações de aprendizagem para cada tipo de transporte ferroviário e as seguintes subdivisões:

  • Transporte ferroviário de cargas:

1a) mapa

1b) extensão ferroviária e velocidade

1c) tipo de carga transportada, capacidade de transporte e imagem do trem

2) Transporte ferroviário urbano:

2a) mapa (“Metrô 2017”) e representação das linhas do metrô de Salvador

2b) extensão ferroviária e velocidade

2c) transporte de pessoas das áreas metropolitanas, capacidade de transporte e imagem do metrô

3) Transporte ferroviário turístico

3a) imagem do trem (“Maria-fumaça” ou locomotiva à vapor)

3b) extensão ferroviária e velocidade

3c) transporte de turistas, capacidade de transporte e imagem do trem com os vagões de passageiros

Peça para que os grupos elaborem questões ou desafios para que os alunos resolvam ao passar pela estação.

Exemplos:

  • Transporte ferroviário de cargas:

1a) mapa

“Quais regiões ou porções do território brasileiro tem menos ferrovias?”

2) Transporte ferroviário urbano:

2b) extensão ferroviária e mapa

“O metrô é um tipo de trem que se desloca rapidamente. Qual é a velocidade média desse meio de transporte?”

Em cada estação haverá algumas informações sobre o transporte ferroviário. Um aluno de cada grupo deve ficar na estação para fazer breve explicações e fazer um desafio aqueles que passam pela estação.

Não se trata de um jogo, mas sim de uma atividade dinâmica para os alunos entenderem as categorias de transporte ferroviário.

Você pode ler mais sobre a metodologia de “rotação por estações”:

Fonte: Ensino híbrido: palavras que fazem a diferença. de Instituto Península, disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/14380/ensino-hibrido-palavras-que-fazem-a-diferenca , acesso em: 9 de dez. de 2018

Fonte: Não temos um computador para cada aluno. E agora? de Débora Garofalo, disponível em: https://novaescola.org.br/conteudo/4956/blog-tecnologia-nao-temos-um-computador-para-cada-aluno-e-agora , acesso em: 9 de dez. de 2018

Como adequar à sua realidade:

Sugira que cada grupo apresente para turma as características do transporte ferroviário analisado e um breve texto de síntese elaborado durante a ação propositiva.

Para você saber mais:

As ferrovias exercem papel importantíssimo sobre o território brasileiro e os fluxos de mercadorias e pessoas. Historicamente, esse meio de transporte influenciou a ocupação e povoamento de porções do interior do Brasil: período da expansão da atividade cafeeira, ocupação da fronteira do Brasil com a Bolívia (Estrada de Ferro Madeira-Mamoré), exploração de minérios (em regiões de Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Pará), a extração de madeira e erva-mate (na região Sul) e o transporte de pessoas no Ceará e Piauí.

A escassez de ferrovias em nosso país (de dimensões continentais) é considerado um ‘gargalo’ econômico, pois o transporte rodoviário (responsável por grande parte do transporte de carga) é mais caro e poluente. A mobilidade urbana também fica comprometida quando o conjunto ferroviário urbano (metrôs, trens de superfície e VLT’s - veículos leves sobre trilhos) é insuficiente ou inexistente, o que gera aumento do tempo gasto para os deslocamentos dentro das cidades. Somado a isso existe o abandono de linhas férreas que apresentam potencial turístico pouco aproveitado, o que configura descaso com a história e natureza presente em várias porções de nosso país.

Mais informações sobre o transporte ferroviário, mobilidade urbana e trens turísticos:

Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Síntese - Setor Ferroviário. Disponível em http://www.transportes.gov.br/component/content/article.html?id=5380 , acessado em 17 de nov. de 2018

Jornal Futura. Transporte Ferroviário - Jornal Futura - Canal Futura. 2015. (18m26s) . Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=oYFz60REk6g , acessado em 17 de nov. de 2018

Linha Auxiliar. Entrevista com Antonio Pastori por Pepe Chaves. 2011. Disponível em: http://lauaxiliar.blogspot.com/2011/09/entrevista.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Associação Brasileira das Operadoras de Trens Turísticos e Culturais. Disponível em: http://www.abottc.com.br/ , acessado em 17 de nov. de 2018

Confederação Nacional dos Transportes. Atlas do transporte. Disponível em : http://www.cnt.org.br/paginas/atlas-do-transporte , acessado em 17 de nov. de 2018

Mobilize. Trilhos Urbanos no Brasil. Disponível em: https://www.mobilize.org.br/estatisticas/48/trilhos-urbanos-no-brasil.html , acessado em 17 de nov. de 2018

Théry, Hervé. Atlas do Brasil: Disparidades e Dinâmicas do Território/ Hervé Théry, Neli Aparecida de Mello. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, 2008.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Mundo do trabalho do 7º ano :

MAIS AULAS DE Geografia do 7º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF07GE07 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Geografia

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano