15948
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 6º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Identificando adjetivos no conto A Moça Tecelã

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 6º ano do Ensino Fundamental sobre a função dos adjetivos no gênero conto, a partir da escuta do texto A moça tecelã.

Plano 01 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Cláudio Santana Bispo

ESTE CONTEÚDO PODE SER USADO À DISTÂNCIA Ver Mais >
 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a primeira aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é:

  • Aula 1. Levantar os conhecimentos prévios dos alunos sobre a função e a flexão dos adjetivos; inferir a função dos adjetivos no gênero conto, a partir da escuta do texto A Moça Tecelã.
  • Aula 2. Identificar e reconhecer, no texto, algumas relações entre o adjetivo e o substantivo (caracterização dos seres, objetos, sensações, lugares etc.); construir, coletivamente, o conceito de adjetivo.
  • Aula 3.Empregar adjetivos flexionando-os em gênero, número e grau por meio da reescrita de um trecho do conto “Um problema difícil”, de Pedro Bandeira.

Esta primeira aula possibilita o estudo da classe dos adjetivos por meio da descoberta de regularidades linguísticas observadas a partir da leitura do conto A Moça Tecelã, da escritora Marina Colasanti. As duas aulas seguintes propiciam, respectivamente, exercitar estas regularidades linguísticas e, posteriormente, aplicá-las em atividades discursivas mais complexas.

A abordagem dos aspectos linguísticos e semióticos se fará pela perspectiva enunciativo-discursiva, na qual é dada especial relevância aos efeitos de sentido produzidos pelas práticas de linguagem nos diferentes campos de atuação por meio dos diversos gêneros textuais, conforme sugerido na Base Nacional Comum Curricular (BNCC):

“Os conhecimentos sobre a língua, as demais semioses e a norma-padrão não devem ser tomados como uma lista de conteúdos dissociados das práticas de linguagem, mas como propiciadores de reflexão a respeito do funcionamento da língua no contexto dessas práticas. A seleção de habilidades na BNCC está relacionada com aqueles conhecimentos fundamentais para que o estudante possa apropriar-se do sistema linguístico que organiza o português brasileiro.” (BNCC - LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS: PRÁTICAS DE LINGUAGEM, OBJETOS DE CONHECIMENTO E HABILIDADES, cap. 4.1.1.2, p137 - dez. 2017).

Materiais necessários:

  • Livro sugerido para a atividade de leitura e escuta (introdução da aula):
    COLASANTI, Marina. A moça tecelã. São Paulo: Global, 2004. 1. Ed., 9ª reimpressão. “Bordados das Irmãs Dummont, Ângela, Marilu e Silva e da mãe Antônia, sobre desenhos de Demóstenes Vargas”;
  • Cópias do texto “A moça tecelã”.

Dificuldades antecipadas: É possível que alguns alunos encontrem dificuldades em identificar os adjetivos e distingui-los dos substantivos durante a atividade de escuta do texto.

Referências sobre o assunto:

BACHI, Lilian Regina Gobbi. A Moça Tecelã: uma análise das interpretações teóricas do conto de Marina Colasanti. Artigo publicado In.: Revista Entrelaces, V.2, Nº 9 Jan.-Jun. (2017).
BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.
CASTILHO, Ataliba T. de. Nova gramática do português brasileiro. – 1. Ed., 4ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2016.
COLASANTI, Marina. - A moça tecelã. - 1. Ed., 9ª reimpressão - São Paulo: Global, 2004. “Bordados das Irmãs Dummont, ngela, Marilu e Silva e da mãe Antônia, sobre desenhos de Demóstenes Vargas”.
CUNHA, Celso e CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. – 7. ed. Rio de Janeiro: Lexicon, 2016.

Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações: Explique aos alunos que a aula iniciará com a leitura de um conto e que eles devem estar atentos para descobrirem a importância de uma certa classe de palavras para esse gênero de texto.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos

Orientações:

  • O livro sugerido para esta aula traz imagens de bordados, as quais podem ser mostradas aos alunos antes, durante ou após a leitura/escuta do conto. (Obs.: Nos slides, o conto foi dividido em 4 partes, a fim de facilitar a leitura e a interpretação do texto);
    COLASANTI, Marina. A moça tecelã. São Paulo: Global, 2004. 1. Ed. 9ª reimpressão “Bordados das Irmãs Dummont, Ângela, Marilu e Silva e da mãe Antônia, sobre desenhos de Demóstenes Vargas”.
  • Peça aos alunos que fechem os olhos e leia para eles a primeira parte do conto (a ideia é tornar mais intensa a experiência de escuta do texto);
  • Lembre-se de reservar um cuidado especial à entonação da voz durante a leitura, tendo em vista que o conto “A moça tecelã” é uma narrativa permeada por uma linguagem poética rica em nuances e sutilezas, inclusive em relação ao emprego dos adjetivos antepostos aos substantivos, o que lhes atribui um valor subjetivo fundamental à expressividade do texto, como: em “Delicado traço cor da luz”; “vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.”;
  • Sugira-lhes que imaginem, durante a escuta do texto, as características da personagem (a moça tecelã); as cores das lãs, das linhas (vivas, quentes) e dos fios (cinzentos, dourados); a beleza do jardim, o perfume das flores, o calor do sol, o barulho da chuva, o som do vento etc.;
  • Estimule os alunos a descrever, oralmente, a personagem, o jardim, o vilarejo, as sensações táteis, auditivas, olfativas, gustativas etc., por meio de perguntas orais como:
  • Como você imagina que seja a moça tecelã?
  • Quais as cores usadas pela moça em seus bordados?
  • Como você imagina a casa em que ela morava?
  • Fale um pouco sobre o jardim, as cores e o cheiro das flores.
  • E o vilarejo, como era?
  • Qual a aparência e o sabor do peixe que ela teceu?
  • Como era o som do vento? E o barulho da chuva?
  • Quais as sensações causadas pelo sol, pelo vento e pela chuva?
  • Como a moça se sentia de manhã, à tarde e à noite?
  • Caso ache necessário e adequado ao tempo estipulado para esta aula, leia para os alunos o perfil biográfico que se encontra disponível em “materiais para impressão” ou no site: http://www.globaleditora.com.br/blog/estante-global/marina-colasanti-por-elizabeth-serra/ - publicado em 16 de maio de 2017.

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • O livro sugerido para esta aula traz imagens de bordados, as quais podem ser mostradas aos alunos antes, durante ou após a leitura/escuta do conto. (Obs.: Nos slides, o conto foi dividido em 4 partes, a fim de facilitar a leitura e a interpretação do texto);
    COLASANTI, Marina. A moça tecelã. São Paulo: Global, 2004. 1. Ed. 9ª reimpressão “Bordados das Irmãs Dummont, Ângela, Marilu e Silva e da mãe Antônia, sobre desenhos de Demóstenes Vargas”.
  • Peça aos alunos que fechem os olhos e leia para eles a primeira parte do conto (a ideia é tornar mais intensa a experiência de escuta do texto);
  • Lembre-se de reservar um cuidado especial à entonação da voz durante a leitura, tendo em vista que o conto “A moça tecelã” é uma narrativa permeada por uma linguagem poética rica em nuances e sutilezas, inclusive em relação ao emprego dos adjetivos antepostos aos substantivos, o que lhes atribui um valor subjetivo fundamental à expressividade do texto, como: em “Delicado traço cor da luz”; “vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.”;
  • Sugira-lhes que imaginem, durante a escuta do texto, as características da personagem (a moça tecelã); as cores das lãs, das linhas (vivas, quentes) e dos fios (cinzentos, dourados); a beleza do jardim, o perfume das flores, o calor do sol, o barulho da chuva, o som do vento etc.;
  • Estimule os alunos a descrever, oralmente, a personagem, o jardim, o vilarejo, as sensações táteis, auditivas, olfativas, gustativas etc., por meio de perguntas orais como:
  • Como você imagina que seja a moça tecelã?
  • Quais as cores usadas pela moça em seus bordados?
  • Como você imagina a casa em que ela morava?
  • Fale um pouco sobre o jardim, as cores e o cheiro das flores.
  • E o vilarejo, como era?
  • Qual a aparência e o sabor do peixe que ela teceu?
  • Como era o som do vento? E o barulho da chuva?
  • Quais as sensações causadas pelo sol, pelo vento e pela chuva?
  • Como a moça se sentia de manhã, à tarde e à noite?
  • Caso ache necessário e adequado ao tempo estipulado para esta aula, leia para os alunos o perfil biográfico que se encontra disponível em “materiais para impressão” ou no site: http://www.globaleditora.com.br/blog/estante-global/marina-colasanti-por-elizabeth-serra/ - publicado em 16 de maio de 2017.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Leia a segunda e a terceira partes do conto para os alunos (se possível, explore as imagens do livro sugerido, com o intuito de enriquecer a experiência de leitura por meio do texto não-verbal);
  • Obs.: Lembre-se de reservar um cuidado especial à entonação da voz durante a leitura, tendo em vista que o conto A Moça Tecelã é uma narrativa permeada por uma linguagem poética cheia de nuances e sutilezas, inclusive em relação ao emprego dos adjetivos antepostos aos substantivos, o que lhes atribui um valor subjetivo fundamental à expressividade do texto (“Delicado traço cor da luz”; “vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.”);
  • Registre no quadro os adjetivos empregados pelos alunos para caracterizar alguns dos elementos da narrativa, na introdução da aula. Exs.: sobre a moça: bonita, feia, esforçada, solitária, inteligente etc.; sobre o rapaz: bonito, charmoso, folgado, interesseiro, malvado etc.; sobre a casa: pequena, simples, colorida, grande, feia etc.; sobre o peixe: grande, pequeno, saboroso, delicioso, saudável etc.;
  • Procure evidenciar, a partir do registro feito no quadro, algumas relações sintáticas entre esses adjetivos e os seus respectivos substantivos e artigos pois, neste momento, é importante que os alunos comecem a perceber, de maneira intuitiva, que os adjetivos são, essencialmente, os modificadores dos substantivos. Por exemplo:
  • A moça era bonita;
  • O rapaz era charmoso;
  • A casa era linda;
  • O palácio ficou maravilhoso etc.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Orientações:

  • Leia a segunda e a terceira partes do conto para os alunos (se possível, explore as imagens do livro sugerido, com o intuito de enriquecer a experiência de leitura por meio do texto não-verbal);
  • Obs.: Lembre-se de reservar um cuidado especial à entonação da voz durante a leitura, tendo em vista que o conto A Moça Tecelã é uma narrativa permeada por uma linguagem poética cheia de nuances e sutilezas, inclusive em relação ao emprego dos adjetivos antepostos aos substantivos, o que lhes atribui um valor subjetivo fundamental à expressividade do texto (“Delicado traço cor da luz”; “vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.”);
  • Registre no quadro os adjetivos empregados pelos alunos para caracterizar alguns dos elementos da narrativa, na introdução da aula. Exs.: sobre a moça: bonita, feia, esforçada, solitária, inteligente etc.; sobre o rapaz: bonito, charmoso, folgado, interesseiro, malvado etc.; sobre a casa: pequena, simples, colorida, grande, feia etc.; sobre o peixe: grande, pequeno, saboroso, delicioso, saudável etc.;
  • Procure evidenciar, a partir do registro feito no quadro, algumas relações sintáticas entre esses adjetivos e os seus respectivos substantivos e artigos pois, neste momento, é importante que os alunos comecem a perceber, de maneira intuitiva, que os adjetivos são, essencialmente, os modificadores dos substantivos. Por exemplo:
  • A moça era bonita;
  • O rapaz era charmoso;
  • A casa era linda;
  • O palácio ficou maravilhoso etc.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Leia a quarta parte do conto para os alunos;
  • Leve os) (as) a inferir qual é a função dos adjetivos, estimulando a reflexão linguística por meio das seguintes questões:
  • Enquanto vocês ouviam a história de olhos fechados, que palavras os ajudaram a imaginar como eram as personagens e as cenas do conto?
  • Qual a função destas palavras no conto?
  • Como se chamam as palavras que têm esta função?

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Leia a quarta parte do conto para os alunos;
  • Leve-os a inferir qual é a função dos adjetivos, estimulando a reflexão por meio das seguintes questões:
  • Enquanto vocês ouviam a história de olhos fechados, que palavras os ajudaram a imaginar como eram as personagens e as cenas do conto?
  • Qual a função destas palavras no conto?
  • Como se chamam as palavras que têm esta função?

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a primeira aula de um conjunto de 3 planos de aula com foco em análise linguística e semiótica. A finalidade desse conjunto de planos é:

  • Aula 1. Levantar os conhecimentos prévios dos alunos sobre a função e a flexão dos adjetivos; inferir a função dos adjetivos no gênero conto, a partir da escuta do texto A Moça Tecelã.
  • Aula 2. Identificar e reconhecer, no texto, algumas relações entre o adjetivo e o substantivo (caracterização dos seres, objetos, sensações, lugares etc.); construir, coletivamente, o conceito de adjetivo.
  • Aula 3.Empregar adjetivos flexionando-os em gênero, número e grau por meio da reescrita de um trecho do conto “Um problema difícil”, de Pedro Bandeira.

Esta primeira aula possibilita o estudo da classe dos adjetivos por meio da descoberta de regularidades linguísticas observadas a partir da leitura do conto A Moça Tecelã, da escritora Marina Colasanti. As duas aulas seguintes propiciam, respectivamente, exercitar estas regularidades linguísticas e, posteriormente, aplicá-las em atividades discursivas mais complexas.

A abordagem dos aspectos linguísticos e semióticos se fará pela perspectiva enunciativo-discursiva, na qual é dada especial relevância aos efeitos de sentido produzidos pelas práticas de linguagem nos diferentes campos de atuação por meio dos diversos gêneros textuais, conforme sugerido na Base Nacional Comum Curricular (BNCC):

“Os conhecimentos sobre a língua, as demais semioses e a norma-padrão não devem ser tomados como uma lista de conteúdos dissociados das práticas de linguagem, mas como propiciadores de reflexão a respeito do funcionamento da língua no contexto dessas práticas. A seleção de habilidades na BNCC está relacionada com aqueles conhecimentos fundamentais para que o estudante possa apropriar-se do sistema linguístico que organiza o português brasileiro.” (BNCC - LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS: PRÁTICAS DE LINGUAGEM, OBJETOS DE CONHECIMENTO E HABILIDADES, cap. 4.1.1.2, p137 - dez. 2017).

Materiais necessários:

  • Livro sugerido para a atividade de leitura e escuta (introdução da aula):
    COLASANTI, Marina. A moça tecelã. São Paulo: Global, 2004. 1. Ed., 9ª reimpressão. “Bordados das Irmãs Dummont, Ângela, Marilu e Silva e da mãe Antônia, sobre desenhos de Demóstenes Vargas”;
  • Cópias do texto “A moça tecelã”.

Dificuldades antecipadas: É possível que alguns alunos encontrem dificuldades em identificar os adjetivos e distingui-los dos substantivos durante a atividade de escuta do texto.

Referências sobre o assunto:

BACHI, Lilian Regina Gobbi. A Moça Tecelã: uma análise das interpretações teóricas do conto de Marina Colasanti. Artigo publicado In.: Revista Entrelaces, V.2, Nº 9 Jan.-Jun. (2017).
BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.
CASTILHO, Ataliba T. de. Nova gramática do português brasileiro. – 1. Ed., 4ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2016.
COLASANTI, Marina. - A moça tecelã. - 1. Ed., 9ª reimpressão - São Paulo: Global, 2004. “Bordados das Irmãs Dummont, ngela, Marilu e Silva e da mãe Antônia, sobre desenhos de Demóstenes Vargas”.
CUNHA, Celso e CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. – 7. ed. Rio de Janeiro: Lexicon, 2016.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 1 minuto

Orientações: Explique aos alunos que a aula iniciará com a leitura de um conto e que eles devem estar atentos para descobrirem a importância de uma certa classe de palavras para esse gênero de texto.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 9 minutos

Orientações:

  • O livro sugerido para esta aula traz imagens de bordados, as quais podem ser mostradas aos alunos antes, durante ou após a leitura/escuta do conto. (Obs.: Nos slides, o conto foi dividido em 4 partes, a fim de facilitar a leitura e a interpretação do texto);
    COLASANTI, Marina. A moça tecelã. São Paulo: Global, 2004. 1. Ed. 9ª reimpressão “Bordados das Irmãs Dummont, Ângela, Marilu e Silva e da mãe Antônia, sobre desenhos de Demóstenes Vargas”.
  • Peça aos alunos que fechem os olhos e leia para eles a primeira parte do conto (a ideia é tornar mais intensa a experiência de escuta do texto);
  • Lembre-se de reservar um cuidado especial à entonação da voz durante a leitura, tendo em vista que o conto “A moça tecelã” é uma narrativa permeada por uma linguagem poética rica em nuances e sutilezas, inclusive em relação ao emprego dos adjetivos antepostos aos substantivos, o que lhes atribui um valor subjetivo fundamental à expressividade do texto, como: em “Delicado traço cor da luz”; “vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.”;
  • Sugira-lhes que imaginem, durante a escuta do texto, as características da personagem (a moça tecelã); as cores das lãs, das linhas (vivas, quentes) e dos fios (cinzentos, dourados); a beleza do jardim, o perfume das flores, o calor do sol, o barulho da chuva, o som do vento etc.;
  • Estimule os alunos a descrever, oralmente, a personagem, o jardim, o vilarejo, as sensações táteis, auditivas, olfativas, gustativas etc., por meio de perguntas orais como:
  • Como você imagina que seja a moça tecelã?
  • Quais as cores usadas pela moça em seus bordados?
  • Como você imagina a casa em que ela morava?
  • Fale um pouco sobre o jardim, as cores e o cheiro das flores.
  • E o vilarejo, como era?
  • Qual a aparência e o sabor do peixe que ela teceu?
  • Como era o som do vento? E o barulho da chuva?
  • Quais as sensações causadas pelo sol, pelo vento e pela chuva?
  • Como a moça se sentia de manhã, à tarde e à noite?
  • Caso ache necessário e adequado ao tempo estipulado para esta aula, leia para os alunos o perfil biográfico que se encontra disponível em “materiais para impressão” ou no site: http://www.globaleditora.com.br/blog/estante-global/marina-colasanti-por-elizabeth-serra/ - publicado em 16 de maio de 2017.
Slide Plano Aula

Orientações:

  • O livro sugerido para esta aula traz imagens de bordados, as quais podem ser mostradas aos alunos antes, durante ou após a leitura/escuta do conto. (Obs.: Nos slides, o conto foi dividido em 4 partes, a fim de facilitar a leitura e a interpretação do texto);
    COLASANTI, Marina. A moça tecelã. São Paulo: Global, 2004. 1. Ed. 9ª reimpressão “Bordados das Irmãs Dummont, Ângela, Marilu e Silva e da mãe Antônia, sobre desenhos de Demóstenes Vargas”.
  • Peça aos alunos que fechem os olhos e leia para eles a primeira parte do conto (a ideia é tornar mais intensa a experiência de escuta do texto);
  • Lembre-se de reservar um cuidado especial à entonação da voz durante a leitura, tendo em vista que o conto “A moça tecelã” é uma narrativa permeada por uma linguagem poética rica em nuances e sutilezas, inclusive em relação ao emprego dos adjetivos antepostos aos substantivos, o que lhes atribui um valor subjetivo fundamental à expressividade do texto, como: em “Delicado traço cor da luz”; “vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.”;
  • Sugira-lhes que imaginem, durante a escuta do texto, as características da personagem (a moça tecelã); as cores das lãs, das linhas (vivas, quentes) e dos fios (cinzentos, dourados); a beleza do jardim, o perfume das flores, o calor do sol, o barulho da chuva, o som do vento etc.;
  • Estimule os alunos a descrever, oralmente, a personagem, o jardim, o vilarejo, as sensações táteis, auditivas, olfativas, gustativas etc., por meio de perguntas orais como:
  • Como você imagina que seja a moça tecelã?
  • Quais as cores usadas pela moça em seus bordados?
  • Como você imagina a casa em que ela morava?
  • Fale um pouco sobre o jardim, as cores e o cheiro das flores.
  • E o vilarejo, como era?
  • Qual a aparência e o sabor do peixe que ela teceu?
  • Como era o som do vento? E o barulho da chuva?
  • Quais as sensações causadas pelo sol, pelo vento e pela chuva?
  • Como a moça se sentia de manhã, à tarde e à noite?
  • Caso ache necessário e adequado ao tempo estipulado para esta aula, leia para os alunos o perfil biográfico que se encontra disponível em “materiais para impressão” ou no site: http://www.globaleditora.com.br/blog/estante-global/marina-colasanti-por-elizabeth-serra/ - publicado em 16 de maio de 2017.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos

Orientações:

  • Leia a segunda e a terceira partes do conto para os alunos (se possível, explore as imagens do livro sugerido, com o intuito de enriquecer a experiência de leitura por meio do texto não-verbal);
  • Obs.: Lembre-se de reservar um cuidado especial à entonação da voz durante a leitura, tendo em vista que o conto A Moça Tecelã é uma narrativa permeada por uma linguagem poética cheia de nuances e sutilezas, inclusive em relação ao emprego dos adjetivos antepostos aos substantivos, o que lhes atribui um valor subjetivo fundamental à expressividade do texto (“Delicado traço cor da luz”; “vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.”);
  • Registre no quadro os adjetivos empregados pelos alunos para caracterizar alguns dos elementos da narrativa, na introdução da aula. Exs.: sobre a moça: bonita, feia, esforçada, solitária, inteligente etc.; sobre o rapaz: bonito, charmoso, folgado, interesseiro, malvado etc.; sobre a casa: pequena, simples, colorida, grande, feia etc.; sobre o peixe: grande, pequeno, saboroso, delicioso, saudável etc.;
  • Procure evidenciar, a partir do registro feito no quadro, algumas relações sintáticas entre esses adjetivos e os seus respectivos substantivos e artigos pois, neste momento, é importante que os alunos comecem a perceber, de maneira intuitiva, que os adjetivos são, essencialmente, os modificadores dos substantivos. Por exemplo:
  • A moça era bonita;
  • O rapaz era charmoso;
  • A casa era linda;
  • O palácio ficou maravilhoso etc.
Slide Plano Aula

Orientações:

  • Leia a segunda e a terceira partes do conto para os alunos (se possível, explore as imagens do livro sugerido, com o intuito de enriquecer a experiência de leitura por meio do texto não-verbal);
  • Obs.: Lembre-se de reservar um cuidado especial à entonação da voz durante a leitura, tendo em vista que o conto A Moça Tecelã é uma narrativa permeada por uma linguagem poética cheia de nuances e sutilezas, inclusive em relação ao emprego dos adjetivos antepostos aos substantivos, o que lhes atribui um valor subjetivo fundamental à expressividade do texto (“Delicado traço cor da luz”; “vivas, quentes lãs iam tecendo hora a hora, em longo tapete que nunca acabava.”);
  • Registre no quadro os adjetivos empregados pelos alunos para caracterizar alguns dos elementos da narrativa, na introdução da aula. Exs.: sobre a moça: bonita, feia, esforçada, solitária, inteligente etc.; sobre o rapaz: bonito, charmoso, folgado, interesseiro, malvado etc.; sobre a casa: pequena, simples, colorida, grande, feia etc.; sobre o peixe: grande, pequeno, saboroso, delicioso, saudável etc.;
  • Procure evidenciar, a partir do registro feito no quadro, algumas relações sintáticas entre esses adjetivos e os seus respectivos substantivos e artigos pois, neste momento, é importante que os alunos comecem a perceber, de maneira intuitiva, que os adjetivos são, essencialmente, os modificadores dos substantivos. Por exemplo:
  • A moça era bonita;
  • O rapaz era charmoso;
  • A casa era linda;
  • O palácio ficou maravilhoso etc.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Leia a quarta parte do conto para os alunos;
  • Leve os) (as) a inferir qual é a função dos adjetivos, estimulando a reflexão linguística por meio das seguintes questões:
  • Enquanto vocês ouviam a história de olhos fechados, que palavras os ajudaram a imaginar como eram as personagens e as cenas do conto?
  • Qual a função destas palavras no conto?
  • Como se chamam as palavras que têm esta função?
Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos

Orientações:

  • Leia a quarta parte do conto para os alunos;
  • Leve-os a inferir qual é a função dos adjetivos, estimulando a reflexão por meio das seguintes questões:
  • Enquanto vocês ouviam a história de olhos fechados, que palavras os ajudaram a imaginar como eram as personagens e as cenas do conto?
  • Qual a função destas palavras no conto?
  • Como se chamam as palavras que têm esta função?

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 6º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 6º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF06LP04 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano