15863
Ir ao conteúdo principal Ir ao menu Principal Ir ao menu de Guias

Faltam para  

Plano de aula > Língua Portuguesa > 7º ano > Análise linguística/Semiótica

Plano de aula - Orações coordenadas assindéticas e sindéticas (aditivas e adversativas) em artigo de opinião

Plano de aula de Língua Portuguesa com atividades para 7º ano do Ensino Fundamental sobre identificar e apreender a organização dos períodos compostos por coordenação assindética (sem conjunção) ou sindética (com conjunção).

Plano 01 de 3 • Clique aqui e veja todas as aulas desta sequência

Plano de aula alinhado à BNCC • POR: Cláudio Santana Bispo

 

Sobre este plano select-down

Slide Plano Aula

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a primeira aula de um conjunto de três planos de aula com foco em Análise linguística e semiótica. A finalidade deste conjunto de planos é:

  • Aula 1: Identificar e apreender a organização dos períodos compostos por coordenação assindética (sem conjunção) ou sindética (com conjunção) que expressem, implícita ou explicitamente, ideia de soma ou oposição de sentidos.
  • Aula 2: Apreender, por meio de exercícios, a organização dos períodos compostos por coordenação assindética (sem conjunção) e sindética (por meio das conjunções aditivas e adversativas), com base em um trecho de artigo de opinião.
  • Aula 3: Apreender, por meio de atividade de reescrita, a organização sintática dos períodos compostos por coordenação assindética e sindética (aditivas e adversativas).

A abordagem dos aspectos linguísticos e semióticos se fará pela perspectiva enunciativo-discursiva, na qual é dada especial relevância aos efeitos de sentido produzidos pelas práticas de linguagem nos diferentes campos de atuação por meio dos diversos gêneros textuais, conforme sugerido na Base Nacional Comum Curricular (BNCC):

“Os conhecimentos sobre a língua, as demais semioses e a norma-padrão não devem ser tomados como uma lista de conteúdos dissociados das práticas de linguagem, mas como propiciadores de reflexão a respeito do funcionamento da língua no contexto destas práticas. A seleção de habilidades na BNCC está relacionada com aqueles conhecimentos fundamentais para que o estudante possa apropriar-se do sistema linguístico que organiza o português brasileiro.” (BNCC - LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS: PRÁTICAS DE LINGUAGEM, OBJETOS DE CONHECIMENTO E HABILIDADES, cap. 4.1.1.2, p. 137 - dez. 2017).

Materiais necessários:

Cópias do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.

Canetas marca-texto coloridas.

Dificuldades antecipadas:

Compreender as diferenças entre os períodos compostos por coordenação assindética ou sindética e os efeitos de sentido gerados com base na mudança das conjunções aditivas e adversativas.

Referências sobre o assunto:

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

CASTILHO, Ataliba T. de. Nova gramática do português brasileiro. – 1. Ed., 4ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2016.

CUNHA, Celso e CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. – 7. ed. Rio de Janeiro: Lexicon, 2016.

DUARTE, Vânia Maria do Nascimento. Artigo: A vírgula entre as orações coordenadas”.

In.: https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/gramatica/a-virgula-entre-as-oracoes-coordenadas.htm - acesso em 29/11/2018.

MIRANDA, Lucas. Artigo: “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

In: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.




Tema da aula select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

  • Inicie a aula explicando aos alunos que eles irão estudar os períodos compostos por orações coordenadas (assindéticas e sindéticas), com base na leitura de um trecho de artigo de opinião.

*Obs.: Para as duas primeiras aulas deste plano foi selecionado um trecho do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?” , disponível em Materiais para impressão.
Para ler o texto integralmente, basta acessar o site da revista Ciência Hoje das Crianças: Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/

Introdução select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos.

Orientações:

  • Verifique os conhecimentos prévios dos alunos acerca dos períodos simples e compostos, cuja compreensão é imprescindível ao estudo destas orações.
  • É importante também checar, durante a aula, o que eles sabem sobre a classe das conjunções, sobretudo as coordenativas, condição importante para o desenvolvimento das atividades propostas:

“CONJUNÇÕES são os vocábulos gramaticais que servem para relacionar duas orações ou dois termos semelhantes da mesma oração. As CONJUNÇÕES que relacionam termos ou orações de idêntica função gramatical têm o nome de COORDENATIVAS (ADITIVAS, ADVERSATIVAS, ALTERNATIVAS, CONCLUSIVAS e EXPLICATIVAS)”.

In.: CUNHA, Celso e CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo – 7. ed. Rio de Janeiro: Lexicon, 2016, p. 593-595.

  • Escreva no quadro o seguinte período:

Os super-heróis usam seus superpoderes, combatem o crime, derrotam os inimigos.

  • Peça aos alunos que identifiquem os verbos e, a partir daí, expliquem se o período é simples ou composto (trata-se de um período composto, pois apresenta três núcleos oracionais: usam, combatem e derrotam).
  • Oriente-os a mudar o encadeamento das orações, mantendo o sujeito (Os super-heróis) no início do período. Por exemplo: Os super-heróis derrotam os inimigos, combatem o crime, usam seus superpoderes.
  • Pergunte-lhes se a mudança da sequência das orações alterou o significado de cada uma delas (ouça as justificativas dos alunos e, se necessário, registre-as no quadro).
  • Leve os alunos a perceber que a alteração da ordem em que as orações aparecem no período não muda o sentido próprio de cada uma delas, posto que apresentam estrutura sintática independente (ou seja, são compostas pelos termos essenciais ? sujeito e predicado ? que lhes conferem autonomia sintática, de modo que uma oração não funciona como termo da outra):

“Justaposição ou assindetismo:

Ao lado da presença de transpositores e conectores vistos até aqui, as orações podem encadear-se, como ocorre com os termos sintáticos dentro da oração, sem que venham entrelaçadas por unidades especiais; basta-lhes apenas a sequência, em geral proferida com contorno melódico descendente e com pausa demarcadora, assinalada quase sempre na escrita por vírgula, ponto e vírgula e, ainda, por dois-pontos (...). Este procedimento de enlace chama-se assindetismo ou justaposição.” In.: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009, p. 352.

Materiais complementares:

Cópias do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.

Canetas marca-texto coloridas.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos.

Orientações:

  • Distribua aos alunos o texto sugerido para as duas aulas iniciais deste plano, disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ e em
    Materiais para impressão.
  • Faça a leitura compartilhada do artigo, abrindo espaço às curiosidades, aos comentários e questionamentos propiciados pelo tema.
  • Peça-lhes que identifiquem o trecho inicial do artigo, o qual servirá de base para os exercícios seguintes.

“Invisibilidade, superforça, poderes elétricos, regeneração ultrarrápida… Os super-heróis têm habilidades tão incríveis que podemos pensar de onde vêm as ideias para tantas invenções. Mas, acredite se quiser, os superpoderes que conhecemos nos quadrinhos, filmes e desenhos têm inspiração no mundo real. Duvida? Então acompanhe!”

  • Escreva no quadro o período abaixo:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: invisibilidade, superforça, poderes elétricos, regeneração ultrarrápida.

  • Ajude os alunos a transformar o período simples em composto por meio do acréscimo de diferentes verbos à sequência de substantivos que aparecem entre vírgulas. Por exemplo: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, apresentam regeneração ultrarrápida.
  • Evidencie, durante a atividade, o caráter independente das orações coordenadas justapostas, chamando a atenção para a pontuação (as orações estão separadas pelos
    dois pontos e pelas vírgulas) e para o fato de não haver, entre elas, a presença de quaisquer conectivos que as enlacem (daí a classificação: Oração coordenada assindética, isto é, sem a presença de um conector (conjunção coordenativa) entre elas.
  • Peça aos alunos que voltem, novamente, ao período composto por coordenação, analisado anteriormente:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, apresentam regeneração ultrarrápida.

  • Oriente-os a substituir a vírgula que separa a última e a penúltima orações pela conjunção “E”: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos E apresentam regeneração ultrarrápida”.
  • Leve-os a comparar os dois períodos e a explicar as diferenças e os efeitos de sentido surgidos a partir da substituição da vírgula pela conjunção aditiva “E”, a qual adiciona à oração anterior uma ideia a mais à sequência de poderes atribuídos aos heróis no período analisado.
  • Instrua os alunos a voltarem, mais uma vez, ao período composto por orações justapostas:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos E apresentam regeneração ultrarrápida.”

  • Peça-lhes que substituam a conjunção coordenativa “E”, empregada no período anterior, por outra que estabeleça uma relação de oposição entre as duas últimas orações. Estimule-os a empregar diferentes conjunções e a estar atentos às adequações gramaticais e semânticas, a fim de manter a coesão e coerência textuais: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, MAS não apresentam regeneração ultrarrápida.” Ou, ainda: … PORÉM, nem todos apresentam regeneração ultrarrápida.
  • Novamente, induza-os a perceber as mudanças de sentido acarretadas pelo acréscimo das conjunções adversativas (MAS, PORÉM), as quais acentuam a ideia de oposição da última oração em relação à penúltima. Ou seja, no período analisado, estas conjunções restringem o último poder do herói a algo que não costuma ocorrer à maioria deles, mas somente a alguns.

Materiais complementares:

Cópias do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.

Canetas marca-texto coloridas.

Desenvolvimento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos.

Orientações:

  • Distribua aos alunos o texto sugerido para as duas aulas iniciais deste plano, disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ e em
    Materiais para impressão.
  • Faça a leitura compartilhada do artigo, abrindo espaço às curiosidades, aos comentários e questionamentos propiciados pelo tema.
  • Peça-lhes que identifiquem o trecho inicial do artigo, o qual servirá de base para os exercícios seguintes.

“Invisibilidade, superforça, poderes elétricos, regeneração ultrarrápida… Os super-heróis têm habilidades tão incríveis que podemos pensar de onde vêm as ideias para tantas invenções. Mas, acredite se quiser, os superpoderes que conhecemos nos quadrinhos, filmes e desenhos têm inspiração no mundo real. Duvida? Então acompanhe!”

  • Escreva no quadro o período abaixo:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: invisibilidade, superforça, poderes elétricos, regeneração ultrarrápida.

  • Ajude os alunos a transformar o período simples em composto por meio do acréscimo de diferentes verbos à sequência de substantivos que aparecem entre vírgulas. Por exemplo: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, apresentam regeneração ultrarrápida.
  • Evidencie, durante a atividade, o caráter independente das orações coordenadas justapostas, chamando a atenção para a pontuação (as orações estão separadas pelos dois-pontos e pelas vírgulas) e para o fato de não haver, entre elas, a presença de quaisquer conectivos que as enlacem (daí a classificação: Oração Coordenada Assindética, isto é, sem a presença de um conector (conjunção coordenativa) entre elas.
  • Peça aos alunos que voltem, novamente, ao período composto por coordenação, analisado anteriormente:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, apresentam regeneração ultrarrápida.

  • Oriente-os substituir a vírgula que separa a última e a penúltima orações pela conjunção “E”: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos E apresentam regeneração ultrarrápida.”.
  • Leve-os a comparar os dois períodos e a explicar as diferenças e os efeitos de sentido surgidos pela substituição da vírgula pela conjunção aditiva “E”, a qual adiciona à oração anterior uma ideia a mais à sequência de poderes atribuídos aos heróis no período analisado.
  • Instrua os alunos a voltarem, mais uma vez, ao período composto por orações justapostas:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos E apresentam regeneração ultrarrápida.”

  • Peça-lhes que substituam a conjunção coordenativa “E”, empregada no período anterior, por outra que estabeleça uma relação de oposição entre as duas últimas orações. Estimule-os a empregar diferentes conjunções e a estarem atentos às adequações gramaticais e semânticas, a fim de manter a coesão e coerência textuais: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, MAS não apresentam regeneração ultrarrápida.” Ou, ainda: … PORÉM, nem todos apresentam regeneração ultrarrápida.
  • Novamente, induza-os a perceber as mudanças de sentido acarretadas pelo acréscimo das conjunções adversativas (MAS, PORÉM), as quais acentuam a ideia de oposição da última oração em relação à penúltima. Ou seja, no período analisado, estas conjunções restringem o último poder do herói a algo que não costuma ocorrer à maioria deles, mas somente a alguns.

Materiais complementares:

Cópias do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.

Canetas marca-texto coloridas.

Fechamento select-down

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Finalize a aula pedindo aos alunos que expliquem as diferenças entre as orações coordenadas assindéticas e sindéticas:

As orações coordenadas assindéticas ou justapostas são sintaticamente independentes, separadas por vírgula, ponto e vírgula ou dois pontos e não são iniciadas por conectores (conjunções coordenativas); semanticamente, podem expressar ideias de soma ou de oposição, entre outras.

As orações coordenadas sindéticas são sintaticamente independentes e ligadas por conectores (conjunções coordenativas) que podem transmitir ideias de adição ou de oposição, entre outras.

  • Peça-lhes também para explicarem o que diferencia as orações coordenadas sindéticas aditivas das adversativas.

A oração coordenada sindética aditiva expressa a ideia de adição à oração anterior, quando introduzidas pela conjunção E ou NEM.

A oração coordenada sindética adversativa expressa a ideia de oposição em relação à oração anterior, por meio das conjunções MAS, PORÉM, CONTUDO, TODAVIA, ENTRETANTO ou NO ENTANTO.

  • Estimule-os a dar alguns exemplos destes dois tipos de oração, registre-os no quadro e, caso ache necessário, peça aos alunos para copiá-los no caderno.

Materiais complementares:

Cópias do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.

Canetas marca-texto coloridas.

Resumo da aula

download Baixar plano

Este slide não deve ser apresentado para os alunos, ele apenas resume o conteúdo da aula para que você, professor, possa se planejar.

Sobre esta aula: Esta é a primeira aula de um conjunto de três planos de aula com foco em Análise linguística e semiótica. A finalidade deste conjunto de planos é:

  • Aula 1: Identificar e apreender a organização dos períodos compostos por coordenação assindética (sem conjunção) ou sindética (com conjunção) que expressem, implícita ou explicitamente, ideia de soma ou oposição de sentidos.
  • Aula 2: Apreender, por meio de exercícios, a organização dos períodos compostos por coordenação assindética (sem conjunção) e sindética (por meio das conjunções aditivas e adversativas), com base em um trecho de artigo de opinião.
  • Aula 3: Apreender, por meio de atividade de reescrita, a organização sintática dos períodos compostos por coordenação assindética e sindética (aditivas e adversativas).

A abordagem dos aspectos linguísticos e semióticos se fará pela perspectiva enunciativo-discursiva, na qual é dada especial relevância aos efeitos de sentido produzidos pelas práticas de linguagem nos diferentes campos de atuação por meio dos diversos gêneros textuais, conforme sugerido na Base Nacional Comum Curricular (BNCC):

“Os conhecimentos sobre a língua, as demais semioses e a norma-padrão não devem ser tomados como uma lista de conteúdos dissociados das práticas de linguagem, mas como propiciadores de reflexão a respeito do funcionamento da língua no contexto destas práticas. A seleção de habilidades na BNCC está relacionada com aqueles conhecimentos fundamentais para que o estudante possa apropriar-se do sistema linguístico que organiza o português brasileiro.” (BNCC - LÍNGUA PORTUGUESA NO ENSINO FUNDAMENTAL - ANOS FINAIS: PRÁTICAS DE LINGUAGEM, OBJETOS DE CONHECIMENTO E HABILIDADES, cap. 4.1.1.2, p. 137 - dez. 2017).

Materiais necessários:

Cópias do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.

Canetas marca-texto coloridas.

Dificuldades antecipadas:

Compreender as diferenças entre os períodos compostos por coordenação assindética ou sindética e os efeitos de sentido gerados com base na mudança das conjunções aditivas e adversativas.

Referências sobre o assunto:

BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009.

CASTILHO, Ataliba T. de. Nova gramática do português brasileiro. – 1. Ed., 4ª reimpressão – São Paulo: Contexto, 2016.

CUNHA, Celso e CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo. – 7. ed. Rio de Janeiro: Lexicon, 2016.

DUARTE, Vânia Maria do Nascimento. Artigo: A vírgula entre as orações coordenadas”.

In.: https://mundoeducacao.bol.uol.com.br/gramatica/a-virgula-entre-as-oracoes-coordenadas.htm - acesso em 29/11/2018.

MIRANDA, Lucas. Artigo: “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

In: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.




Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 2 minutos.

Orientações:

  • Inicie a aula explicando aos alunos que eles irão estudar os períodos compostos por orações coordenadas (assindéticas e sindéticas), com base na leitura de um trecho de artigo de opinião.

*Obs.: Para as duas primeiras aulas deste plano foi selecionado um trecho do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?” , disponível em Materiais para impressão.
Para ler o texto integralmente, basta acessar o site da revista Ciência Hoje das Crianças: Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 8 minutos.

Orientações:

  • Verifique os conhecimentos prévios dos alunos acerca dos períodos simples e compostos, cuja compreensão é imprescindível ao estudo destas orações.
  • É importante também checar, durante a aula, o que eles sabem sobre a classe das conjunções, sobretudo as coordenativas, condição importante para o desenvolvimento das atividades propostas:

“CONJUNÇÕES são os vocábulos gramaticais que servem para relacionar duas orações ou dois termos semelhantes da mesma oração. As CONJUNÇÕES que relacionam termos ou orações de idêntica função gramatical têm o nome de COORDENATIVAS (ADITIVAS, ADVERSATIVAS, ALTERNATIVAS, CONCLUSIVAS e EXPLICATIVAS)”.

In.: CUNHA, Celso e CINTRA, Luís F. Lindley. Nova gramática do português contemporâneo – 7. ed. Rio de Janeiro: Lexicon, 2016, p. 593-595.

  • Escreva no quadro o seguinte período:

Os super-heróis usam seus superpoderes, combatem o crime, derrotam os inimigos.

  • Peça aos alunos que identifiquem os verbos e, a partir daí, expliquem se o período é simples ou composto (trata-se de um período composto, pois apresenta três núcleos oracionais: usam, combatem e derrotam).
  • Oriente-os a mudar o encadeamento das orações, mantendo o sujeito (Os super-heróis) no início do período. Por exemplo: Os super-heróis derrotam os inimigos, combatem o crime, usam seus superpoderes.
  • Pergunte-lhes se a mudança da sequência das orações alterou o significado de cada uma delas (ouça as justificativas dos alunos e, se necessário, registre-as no quadro).
  • Leve os alunos a perceber que a alteração da ordem em que as orações aparecem no período não muda o sentido próprio de cada uma delas, posto que apresentam estrutura sintática independente (ou seja, são compostas pelos termos essenciais ? sujeito e predicado ? que lhes conferem autonomia sintática, de modo que uma oração não funciona como termo da outra):

“Justaposição ou assindetismo:

Ao lado da presença de transpositores e conectores vistos até aqui, as orações podem encadear-se, como ocorre com os termos sintáticos dentro da oração, sem que venham entrelaçadas por unidades especiais; basta-lhes apenas a sequência, em geral proferida com contorno melódico descendente e com pausa demarcadora, assinalada quase sempre na escrita por vírgula, ponto e vírgula e, ainda, por dois-pontos (...). Este procedimento de enlace chama-se assindetismo ou justaposição.” In.: BECHARA, Evanildo. Moderna gramática portuguesa. – 37. ed. rev., ampl. e atual. – Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2009, p. 352.

Materiais complementares:

Cópias do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.

Canetas marca-texto coloridas.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos.

Orientações:

  • Distribua aos alunos o texto sugerido para as duas aulas iniciais deste plano, disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ e em
    Materiais para impressão.
  • Faça a leitura compartilhada do artigo, abrindo espaço às curiosidades, aos comentários e questionamentos propiciados pelo tema.
  • Peça-lhes que identifiquem o trecho inicial do artigo, o qual servirá de base para os exercícios seguintes.

“Invisibilidade, superforça, poderes elétricos, regeneração ultrarrápida… Os super-heróis têm habilidades tão incríveis que podemos pensar de onde vêm as ideias para tantas invenções. Mas, acredite se quiser, os superpoderes que conhecemos nos quadrinhos, filmes e desenhos têm inspiração no mundo real. Duvida? Então acompanhe!”

  • Escreva no quadro o período abaixo:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: invisibilidade, superforça, poderes elétricos, regeneração ultrarrápida.

  • Ajude os alunos a transformar o período simples em composto por meio do acréscimo de diferentes verbos à sequência de substantivos que aparecem entre vírgulas. Por exemplo: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, apresentam regeneração ultrarrápida.
  • Evidencie, durante a atividade, o caráter independente das orações coordenadas justapostas, chamando a atenção para a pontuação (as orações estão separadas pelos
    dois pontos e pelas vírgulas) e para o fato de não haver, entre elas, a presença de quaisquer conectivos que as enlacem (daí a classificação: Oração coordenada assindética, isto é, sem a presença de um conector (conjunção coordenativa) entre elas.
  • Peça aos alunos que voltem, novamente, ao período composto por coordenação, analisado anteriormente:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, apresentam regeneração ultrarrápida.

  • Oriente-os a substituir a vírgula que separa a última e a penúltima orações pela conjunção “E”: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos E apresentam regeneração ultrarrápida”.
  • Leve-os a comparar os dois períodos e a explicar as diferenças e os efeitos de sentido surgidos a partir da substituição da vírgula pela conjunção aditiva “E”, a qual adiciona à oração anterior uma ideia a mais à sequência de poderes atribuídos aos heróis no período analisado.
  • Instrua os alunos a voltarem, mais uma vez, ao período composto por orações justapostas:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos E apresentam regeneração ultrarrápida.”

  • Peça-lhes que substituam a conjunção coordenativa “E”, empregada no período anterior, por outra que estabeleça uma relação de oposição entre as duas últimas orações. Estimule-os a empregar diferentes conjunções e a estar atentos às adequações gramaticais e semânticas, a fim de manter a coesão e coerência textuais: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, MAS não apresentam regeneração ultrarrápida.” Ou, ainda: … PORÉM, nem todos apresentam regeneração ultrarrápida.
  • Novamente, induza-os a perceber as mudanças de sentido acarretadas pelo acréscimo das conjunções adversativas (MAS, PORÉM), as quais acentuam a ideia de oposição da última oração em relação à penúltima. Ou seja, no período analisado, estas conjunções restringem o último poder do herói a algo que não costuma ocorrer à maioria deles, mas somente a alguns.

Materiais complementares:

Cópias do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.

Canetas marca-texto coloridas.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 30 minutos.

Orientações:

  • Distribua aos alunos o texto sugerido para as duas aulas iniciais deste plano, disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ e em
    Materiais para impressão.
  • Faça a leitura compartilhada do artigo, abrindo espaço às curiosidades, aos comentários e questionamentos propiciados pelo tema.
  • Peça-lhes que identifiquem o trecho inicial do artigo, o qual servirá de base para os exercícios seguintes.

“Invisibilidade, superforça, poderes elétricos, regeneração ultrarrápida… Os super-heróis têm habilidades tão incríveis que podemos pensar de onde vêm as ideias para tantas invenções. Mas, acredite se quiser, os superpoderes que conhecemos nos quadrinhos, filmes e desenhos têm inspiração no mundo real. Duvida? Então acompanhe!”

  • Escreva no quadro o período abaixo:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: invisibilidade, superforça, poderes elétricos, regeneração ultrarrápida.

  • Ajude os alunos a transformar o período simples em composto por meio do acréscimo de diferentes verbos à sequência de substantivos que aparecem entre vírgulas. Por exemplo: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, apresentam regeneração ultrarrápida.
  • Evidencie, durante a atividade, o caráter independente das orações coordenadas justapostas, chamando a atenção para a pontuação (as orações estão separadas pelos dois-pontos e pelas vírgulas) e para o fato de não haver, entre elas, a presença de quaisquer conectivos que as enlacem (daí a classificação: Oração Coordenada Assindética, isto é, sem a presença de um conector (conjunção coordenativa) entre elas.
  • Peça aos alunos que voltem, novamente, ao período composto por coordenação, analisado anteriormente:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, apresentam regeneração ultrarrápida.

  • Oriente-os substituir a vírgula que separa a última e a penúltima orações pela conjunção “E”: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos E apresentam regeneração ultrarrápida.”.
  • Leve-os a comparar os dois períodos e a explicar as diferenças e os efeitos de sentido surgidos pela substituição da vírgula pela conjunção aditiva “E”, a qual adiciona à oração anterior uma ideia a mais à sequência de poderes atribuídos aos heróis no período analisado.
  • Instrua os alunos a voltarem, mais uma vez, ao período composto por orações justapostas:

Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos E apresentam regeneração ultrarrápida.”

  • Peça-lhes que substituam a conjunção coordenativa “E”, empregada no período anterior, por outra que estabeleça uma relação de oposição entre as duas últimas orações. Estimule-os a empregar diferentes conjunções e a estarem atentos às adequações gramaticais e semânticas, a fim de manter a coesão e coerência textuais: “Os super-heróis têm habilidades incríveis: possuem invisibilidade, empregam superforça, usam poderes elétricos, MAS não apresentam regeneração ultrarrápida.” Ou, ainda: … PORÉM, nem todos apresentam regeneração ultrarrápida.
  • Novamente, induza-os a perceber as mudanças de sentido acarretadas pelo acréscimo das conjunções adversativas (MAS, PORÉM), as quais acentuam a ideia de oposição da última oração em relação à penúltima. Ou seja, no período analisado, estas conjunções restringem o último poder do herói a algo que não costuma ocorrer à maioria deles, mas somente a alguns.

Materiais complementares:

Cópias do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.

Canetas marca-texto coloridas.

Slide Plano Aula

Tempo sugerido: 10 minutos.

Orientações:

  • Finalize a aula pedindo aos alunos que expliquem as diferenças entre as orações coordenadas assindéticas e sindéticas:

As orações coordenadas assindéticas ou justapostas são sintaticamente independentes, separadas por vírgula, ponto e vírgula ou dois pontos e não são iniciadas por conectores (conjunções coordenativas); semanticamente, podem expressar ideias de soma ou de oposição, entre outras.

As orações coordenadas sindéticas são sintaticamente independentes e ligadas por conectores (conjunções coordenativas) que podem transmitir ideias de adição ou de oposição, entre outras.

  • Peça-lhes também para explicarem o que diferencia as orações coordenadas sindéticas aditivas das adversativas.

A oração coordenada sindética aditiva expressa a ideia de adição à oração anterior, quando introduzidas pela conjunção E ou NEM.

A oração coordenada sindética adversativa expressa a ideia de oposição em relação à oração anterior, por meio das conjunções MAS, PORÉM, CONTUDO, TODAVIA, ENTRETANTO ou NO ENTANTO.

  • Estimule-os a dar alguns exemplos destes dois tipos de oração, registre-os no quadro e, caso ache necessário, peça aos alunos para copiá-los no caderno.

Materiais complementares:

Cópias do artigo “De onde vêm as ideias para os superpoderes?”

Disponível em: http://chc.org.br/artigo/de-onde-vem-as-ideias-para-os-superpoderes/ - Acesso em: 29/11/2018.

Canetas marca-texto coloridas.

Slide Plano Aula

Compartilhe este conteúdo:

pinterest-color Created with Sketch. whatsapp-color

PRÓXIMAS AULAS:

AULAS DE Análise linguística/Semiótica do 7º ano :

MAIS AULAS DE Língua Portuguesa do 7º ano:

Planos de aula para desenvolver a habilidade EF07LP11 da BNCC

APRENDA MAIS COM ESTE CURSO EXCLUSIVO

Competências Gerais na BNCC

O curso, ministrado por Anna Penido, tem o objetivo de apoiar redes de ensino, escolas e professores no planejamento de práticas pedagógicas que desenvolvam as competências gerais.

Ver mais detalhes

Encontre outros planos de Língua Portuguesa

Encontre planos de aula para outras disciplinas

Baixar plano